Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Aleister Crowley em "Encarando a morte"


Cristaldo
 Share

Recommended Posts

*** Estou colocando aqui uma "tirinha" de uma série chamada To Mini Therion, é uma série de desenhos humorísticos e/ou lúdicos sobre ensinamentos de Aleister Crowley (Cujo motto era To Mega Therion, por isso o nome). Nao achei exatamente engracada essa, mas é uma bela mensagem sobre a morte. A despeito de qualquer coisa que se possa dizer de ruim sobre Aleister Crowley (Mestre Therion para os íntimos) em sua vida pessoa, na minha opiniao ele trouxe uma mensagem que é acima de tudo sobre luz e amor. Além disso, foi o precurso de toda uma nova forma de encarar/enxergar a magia e o mundo espiritual, mesmo quem odeia Crowley reconhece que existe uma divisao entre antes e depois dele no meio esotérico. Eis entao uma mensagem dele, de forma lúdica, sobre a morte. ***

 

Crowley: O tarô é a representação das forças da natureza. Ele é a chave para relacionarmos com os mistérios do universo. Pode-se compreendê-las melhor tratando-as como seres vivos, isso nos deixa mais próximos ao sentido do arcano. Por exemplo, a primeira carta é o...

Morte: Aleister!!!

Crowley: m-m-morte!

Morte: Quero agradece-lo por  me fazer tão bela no seu tarô!

Crowley: d-d-de nada.

Morte: Amei a minha cor preta putrefação! E você me cercou com uns bichinhos tão lindos, serpente, escorpião... ai, adoro escorpiões, são tão ameaçadores e escuros.

Crowley: É… fiz o possível para deixa-la num ambiente adequado...

Morte: E o capacete de Osiris? Ai... Osiris era um deus muito bem vestido.

Crowley: Pois é, os egípcios a tinham em grande consideração. O Livro dos Mortos é uma das mais belas peças relativas a senhora.

Morte: De fato! Mas o que eu gostei mesmo foi você me fazer dançando! Ninguém me fez assim antes, estou sempre parada, coberta com aquela túnica horrorosa que esconde o meu esqueleto! Você escreveu que eu sou mudança, não é mesmo? Mudança é dinamismo, movimento!! Me senti mais alegre, mais viva!!!

Crowley: Que bom , pensando bem, se magia é mudança de acordo com a vontade, morte é magia, magia está ligada na sua essência com a senhora.

Morte: É mesmo! As pessoas vivem me deixando de lado, né? Ficam com medo de mim mas eu encontro todos um dia, não precisam ficar assim e…. ah! Já ia esquecendo: eu estou aqui para levá-lo!

Crowley: Não existe outro jeito, não é?

Morte: Não.

Crowley: Bem, se é assim… Então vamos dançando!!!!

 

"O Universo é Mudança; cada Mudança é o efeito de um Ato de Amor; todos os Atos de Amor contém Pura Alegria. Morra diariamente." - 13ª Chave do Tarô - O Livro de Thoth.

Link to comment
Share on other sites

15 horas atrás, Cristaldo disse:

A despeito de qualquer coisa que se possa dizer de ruim sobre Aleister Crowley (Mestre Therion para os íntimos) em sua vida pessoal

A questão é justamente essa Cristaldo, diferente dos assuntos da vida material, no campo da espiritualidade sua vida pessoal testemunha quem você é, e o que conseguiu com suas escolhas, crenças etc...apesar de tudo que se oossa dizer das suas idéias, ou do nível do seu  conhecimento.

Link to comment
Share on other sites

 

Me permita discordar Sandro. Se a vida pessoal permitisse testemunhar quem nós somos, não precisaríamos de espiritualidade para o auto conhecimento. Que na minha opinião é o objetivo primeiro da espiritualidade, e o resto é consequência, o auto conhecimento. E nem tudo que conseguimos é fruto de nossas crenças e escolhas de modo isolado.

O grande erro de Crowley, foi seu envolvimento com drogas farmacêuticas, e que na época não se tinha tanta informação quanto se tem hoje. Sim, cocaína e heroína não eram drogas ilegais na época dele, como muita gente pode não saber, eram na verdade vendidas pela Bayern. 

Na vida Sandro, e principalmente na vida pública já que Crowley era muito famoso em sua época em grande parte devido a sua enorme fortuna... um erro pequeno pode destruir uma vida inteira de bons exemplos. Imagina um erro grandão desse.

Ninguém é livre de erros. É não acho que são nossos erros que definem quem nos somos. Senão não resta muita esperança pra nós. 

Somos maiores que nossos erros. E também maiores que os acertos. Não devemos nos prender a nenhum dos dois. Na minha opinião séria injusto dizer que Crowley não passava de um drogado, sem considerar o contexto geral. 

Pra terminar, também não acredito em homens santos. Todo ser humano é falho, sem exceção. Todos tem alguma fraqueza, não importa quão forte sejam. Então quando Crowley fala "os escravos servirão", acaba servindo pra certa parte da vida dele também. 

Link to comment
Share on other sites

Bom , nao vou propagar isso, porque pode ser mera camapanha de difamaçao, mas existe muita coisa sobre a vida do Crowley, tanto sobre o efeito titalmente nocivo que gerou nas esposas, quanti sobre os rituais feitos, na cidade...no deserto...imiciaçoes que para serem alcançadas ele teve a "brilhante ideia" de fazer coisas  bem baixaria, etc. É todo o  perfil  de uma pessoa alinhada com as forças desequilibradas,  exceto claro, para aqueles que gostam de relativizar tudo. No entanto, ele não passa nenhuma impressao pesada em seus livros, ao contrario dos seus sucessores e demias simpatizantes, como o Keneth Grant.

Link to comment
Share on other sites

Em 14/03/2016 at 18:48, sandrofabres disse:

Bom , nao vou propagar isso, porque pode ser mera camapanha de difamaçao, mas existe muita coisa sobre a vida do Crowley,

Crowley era um rico que se dedicou a espiritualidade, excentrico, assumiu homossexualismo (na época nao era nada normal !), falava de coisas complicadas como se todo mundo fosse entender, participava de organizacoes maconicas, e era muito famoso. Só isso já é mais do que motivo pra muita gente difamar, junta isso com o fato dele ser ingles, entao vai ter todos os tabloides ingleses contra ele. Por isso mesmo nao acho a vida pessoal, muito menos o que se diz da vida pessoal de alguem um ponto pra se fazer juizo de valor. E eu nunca fui dado a fofoca.
 

Em 14/03/2016 at 18:48, sandrofabres disse:

imiciaçoes que para serem alcançadas ele teve a "brilhante ideia" de fazer coisas  bem baixaria

Já ouvi coisas estranhas sobre praticamente qualquer magista famoso rs... e sobre alguns nao famosos também. E olha que nem procuro. As pessoas estao sempre a falar sobre coisas que nao conhecem, e julgar uma cultura com valores de outra, pra mim isso nao tem valor nenhum.
Mas nao sei do que vc tá falando, pq vc quis meio que fazer um alerta, mas preferiu nao propagar o que ouviu pq provavelmente nao ouviu de uma fonte lá muito confiável também as vezes. Nao tenho como saber o que é baixaria pra vc.
Mas ninguem deveria acredtiar que outra pessoa, ou ordem pode te dar a verdadeira iniciacao. Quem confia aos outros algo que é responsabilidade sua, deveria assumir responsabilidade pelos resultados tanto quanto que supostamente esta ludibriando.
 

Em 14/03/2016 at 18:48, sandrofabres disse:

É todo o  perfil  de uma pessoa alinhada com as forças desequilibradas,  exceto claro, para aqueles que gostam de relativizar tudo.

Dificil debater, novamente nao sei do que vc tá falando, nem o que voce leu. Aí fica meio sem sentido a sua ressalva a Crowley, vc diz que ele tem esse perfil, mas nao diz em que se baseia. Nem tem certeza se o que se baseia é de fato confiável. Qual o seu proposito exatamente em dizer isso ?
 

Em 14/03/2016 at 18:48, sandrofabres disse:

No entanto, ele não passa nenhuma impressao pesada em seus livros, ao contrario dos seus sucessores e demias simpatizantes, como o Keneth Grant.

Keneth Grant já é outro papo. Nao conheco a fundo o trabalho dele. Sei que ele se baseia na cabala inversa (ok, voce precisa lidar com a sua somba). E sei que ele se baseia em Cthullhu Mythos, ou seja, já é uma crenca fabricada, entao pela lógica deve servir a algum propósito. Agora nao tive oportunidade de estudar a obra dele pra te dizer com propriedade do que se trata tudo. Entao nao tenho como julgar sem conhecer a fundo. O que vc me diz do Keneth Grant ?


----





 

Link to comment
Share on other sites

Fiz o alerta para que as pessoas pesquisem. Aqueles que , como eu, consideram que a vida pessoal do sujeito é o testemunho do caráter de alguém,  julgarão se ele é uma figura confiável ou não.  Já aqueles que não ligam, pelo menos saberão que isso existe, porque acho estranho você não conhecer os inúmeros relatos sobre o Crowley, isso está espalhado por tudo.

Claro que entre os simpatizantes escondem isso, assim como os simpatizantes do Osho tentam esconder ao máximo os podres dele. Mas diferente do Osho, que é mais recente e os fato foram bem conhecidos, no caso do Crowley as acusações são mais suspeitas, porque ele gostava de chocar, então acho que ele próprio botava mais lenha na fogueira dos boatos. Mas também diferente do Osho, é muito mais fácil encontrar informaçoes sobre o Crowley, quem quiser saber encontra material de sobra.

Vou deixar só um trechinho aqui entã,o já que você faz questão:

......................................

Apesar de que  Grande Besta tenha causado enormes danos ao discípulo de várias formas, Neuburg não era completamente vítima. Quando Crowley se separou de Laylah, levou Neuburg consigo ao deserto afri­cano perto de Bou Saada, trazendo consigo uma trouxa com o Calls for the Thirty Aethyrs, as comunicações angélicas que haviam sido ditadas a John Dee, o astrólogo de Elisabeth I e mago residente, por Edward Kelly.

Ali, no topo de uma pequena montanha onde evocaram o décimo quarto Aethyr e realizaram um ato de sodomia com Victor no papel ativo, Crowley teve uma de suas revelações cruciais. Ele sempre sou­bera que o ato sexual não se desviava da glória de Deus, mas foi ape­nas nesse momento que ele percebeu que o sexo poderia ser de fato feito à glória de Deus e tornado sacramento. Era da opinião de que, tendo resolvido toda sorte de dualidades e oposições dentro de si, ele era agora um Mestre do Templo, ou 8-3, como se poderia observar, e desceu da montanha em triunfo com Victor ao lado.

Quando Neuburg confidenciou isso à jovem e virginal Jean Fuller, por volta de 25 anos mais tarde, ele disse com certo orgulho: “E certo que fizemos algo que nunca havia sido feito antes! Bem, não por centenas de anos, de qualquer forma. Não tivemos predecessores na época em que vivíamos. (...) é de se duvidar que até o próprio Dee os tenha chamado (...). Nós os chamamos. Nós fomos ao deserto e os chamamos”. Analisando aquela época com os olhos sábios da retrospectiva, ele também notou com aparente alusão a si mesmo ou a seu antigo Mestre que: “A possessão divina não é ga­rantia de uma inteligência comum”.*

Quando se separaram - ou quando Neuburg conseguiu desligar-se de Crowley este amaldiçoou ritualisticamente seu antigo discípulo com gongo, livro e vela, como eles dizem, e o homem mais novo co­mentou: “Eu tive um colapso nervoso. Estava completamente atordoado, saí de órbita"

 

* Jean Overton Fuller, The Magical Dillemma of Victor Neuburg (London: W. H. Allen, 1965), p. 76.

Fonte: Alesteir Crowley e Dion Fortune- Alan Richardson

....................................................

Os sujeitos fazem um ritual sexual homossexual "dedicado à deus",  uma prática  que sempre foi característica a magia negra, e acham que porque fizeram isso "resolveram todas as dualidades " dentro de si. Se você acha que  isso não revela muito sobre quais forças os inspiravam ,  é com você. Mas  é bom que as pessoas saibam disso, bem como pesquisem os aspectos pessoais da vida dele, para que não se tape o sol com a peneira. Somente quando  a vida pessoal do sujeito é condenável (leia-se DESEQUILIBRADA, )  é que  se procura separar  sua vida pessoal do seu trabalho, para que se possa salvar alguma coisa daquela existência.

Link to comment
Share on other sites

Em 15/03/2016 at 12:06, sandrofabres disse:

no caso do Crowley as acusações são mais suspeitas, porque ele gostava de chocar, então acho que ele próprio botava mais lenha na fogueira dos boatos

Exato meu caro ! Crowley botava lenha na fogueira, e muita. Frequentemente nao se defendia de acusacoes, embora tenha se defendido da acusacao de ser um mago negro. Nao sei qual era o objetivo dele nisso, talvez conseguir mais publicidade, talvez nao se importar, talvez achar que quem estava falando iria acabar se esgango com o proprio veneno.
 

Em 15/03/2016 at 12:06, sandrofabres disse:

Fonte: Alesteir Crowley e Dion Fortune- Alan Richardson

Ah... esse tipo de relato.

Voce nao acha esse livro nem um pouco tendencioso ? Sei que voce gosta de Dion Fortune, impossivel nao saber ne rs. Mas é tendencioso o livro, amigo. Duas das esposas de Crowley que sao tao faladas que ele destruiu a vida delas... já tinham problemas sérios antes dele. Quero dizer problemas psiquiátricos. Aí ele se casa com elas, e depois que termina, elas continuam com os mesmos problemas... e dizem "saiu do relacionamento direto pro sanatório"... talvez ela já devesse ter ido pra lá antes. E é jogo baixo perguntar pra ex, pra falar da sua vida, se for assim ninguem presta rs.

 

 

Em 15/03/2016 at 12:06, sandrofabres disse:

Os sujeitos fazem um ritual sexual homossexual "dedicado à deus",  uma prática  que sempre foi característica a magia negra, e acham que porque fizeram isso "resolveram todas as dualidades " dentro de si.

Do jeito que voce falou... ninguem vai discordar de voce. Mas se nós dois vamos pro deserto (sai pra lá marmanjo rs) e voce volta dizendo algo terrível, e eu tenho fama de jogar lenha na fogueira... fica complicado. Nao dá pra acreditar em nenhum dos dois, o que acontece em Vegas... rs. Brincadeira.

Eu entendo sua preocupacao. Mas é muito boato. Eu já ouvi esse tipo de coisa sim, e levei em consideracao... mas no momento seguinte considerei que é muito complicado saber se a mínima parte disso é verdade. Entao, sim, pra mim nao faz diferenca esse tipo de boato.

Sobre ser mago negro, Crowley se defendeu dessa acusacao, uma das poucas que ele se defendeu. To procurando aqui exatamente onde! Assim que der posto aqui.

E ainda podemos discutir esse lance de mago negro futuramente, pq honestamente, acho indevido o uso do termo no livro do Robson. Assim como acho indevido o uso que o Saulo fez, num relato com um mago negro da igreja (o que o cara tinha de mago? foi só um cara tentando passar uma conversa nele). Entao, acho que no meio espirita/espiritualista estao usando o termo indevidamente, pelo simples fato de talvez nao entenderem o que é um mago.

 

 

Link to comment
Share on other sites

Olha, por isso eu não quero ampliar contando todas as coisa que já li sobre o Crowley. Não vou trazer cada coisa que se sabe dele, como eu disse, isso é bem conhecido, mas talvez não exista muiot material em português, não sei. Eu nunca lembro se o que li estava em ingles ou português, mas tinha de tudo. E seus coleguinhas da mesma época, como  o Mathers, o Regardie, A Dion, e menos ainda o W.B.Yates não forma vítimas de tanta campanha "difamatória". Então a culpa não parece ser da sociedade preconceituosa, mas algo que ele fazia que despertava repulsa nos seus pares e mais ainda nos leigos ou novato que o procuravam. Tem cara que faz isso, se comporta como um marginal para se divertir,ou  por algum outro motivo que ele considera sério. Bom, então não se pode reclamar quando é rotulado de marginal. É o que o cara quis passar, então, que receba o tratamento que buscou não é mesmo? Porque treinar a si mesmo para relevar essas coisas, é treinar-se para confundir o criminoso com o justo, e só quem ganha com essa confusão é o criminoso, que não quer ser identificado facilmente.

E sim o livro é  tendencioso, tanto que tentou achar "pelo em ovo" na Dion. Mas achar "pelo em ovo" na Dion é uma tarefa muitíssimo mais complicada do que achar no Crowley, ehehe.

................

 

Link to comment
Share on other sites


 

Em 16/03/2016 at 11:49, sandrofabres disse:

isso é bem conhecido, mas talvez não exista muiot material em português, não sei. Eu nunca lembro se o que li estava em ingles ou português, mas tinha de tudo. E seus coleguinhas da mesma época, como  o Mathers, o Regardie, A Dion, e menos ainda o W.B.Yates não forma vítimas de tanta campanha "difamatória". Então a culpa não parece ser da sociedade preconceituosa, mas algo que ele fazia que despertava repulsa nos seus pares e mais ainda nos leigos ou novato que o procuravam.

Também leio em ingles, e tudo que conheco falando mal de Crowley sao matérias de tabloides da época, ou vieram de frutos dela. Mathers por exemplo já foi uma das testemunhas em processos difamatórios contra Crowley e o co-fundador da A.:A.:, testemunha de acusacao... pra se vingar da sua rixa com Crowley... bem maduro da parte dos dois alias, como se poder ver kkkkk.

Eu concordo sim com voce, que Crowley fazia coisas que causavem repulsa, e frequentemente distorcia... Crowley era humano, com todos os defeitos que isso carrega. Nao quero criar ídolos, e se fosse teria gente melhor do que o "o pior homem da história" (como Crowley era conhecido) pra tentar transformar em heroi rs. MAS EXISTE ALGO QUE VOCE VAI TER QUE CONCORDAR... quando o assunto é magia, ou por assim dizer uma espiritualidade prática (como clarividencia, projecao astral,...), quando a coisa chega aos ouvidos de quem nao conhece... fica tudo parecendo absurdo, ridículo, conversa pra boi dormir. E aí voce quer falar em magia sexual, e dizer que é magia negra, já leva o debate pra outro lado meu caro. Por isso eu e voce estamos sempre rebatendo uma ao outro aqui, rs mas numa boa acho legal, porque voce coloca o seu ponto de vista ou o seu alerta sem as vezes deixar claro os seus conceitos. Voce veio da GNOSE, tem uma opiniao bem fechada sobre magia sexual, o que nao quer dizer que qualquer um que pense diferente é um mago negro. Mas isso já cai pra outro debate.

Sobre Crowley, sua vida e sua obra, eu faco minhas as palavras do Frater Keron-E (atual "chefia" da loja física da Astrum Argentum):
"A herança de Aleister Crowley estende-se até hoje, forte e arrebatadora. A complexidade de seu trabalho só encontra par na coerência do pensamento desenvolvido ao longo dos anos. É impossível estudar magia sem conhecer a obra da Besta. A mais severa crítica não resiste a um estudo aprofundado de sua obra. Críticas essas que recaem apenas sobre sua vida pessoal , conturbada e cheia de erros, ás vezes de caráter humano."
 

Link to comment
Share on other sites

1 hora atrás, Cristaldo disse:

Eu concordo sim com voce, que Crowley fazia coisas que causavem repulsa, e frequentemente distorcia... Crowley era humano, com todos os defeitos que isso carrega.

Alguns tem muito mais defeitos que outros, e obtém mais fama por eles do que pelos seus talentos. Quem se afiniza com gente assim não ligará para isso.

1 hora atrás, Cristaldo disse:

E aí voce quer falar em magia sexual, e dizer que é magia negra, já leva o debate pra outro lado meu caro. Por isso eu e voce estamos sempre rebatendo uma ao outro aqui, rs mas numa boa acho legal, porque voce coloca o seu ponto de vista ou o seu alerta sem as vezes deixar claro os seus conceitos. Voce veio da GNOSE, tem uma opiniao bem fechada sobre magia sexual, o que nao quer dizer que qualquer um que pense diferente é um mago negro. Mas isso já cai pra outro debate.

 

Não Cristaldo, não é por isso que estamos debatendo. Esse foi só um exemplo mais concreto, que preferi usar, ao invés de ficar relatando fofocas sobre rituais em que se bebia sangue de gato, e outras coisas similares, que devem ser lorotas. Estamos debatendo porque é DESONESTO trazer o nome de um personagem histórico mais conhecido no mundo todo pelo mau caráter do que pelas virtudes e citá-lo como exemplo de "luz e amor".  Difamações ou verdade, não há como separar um home de sua história conhecida. Portanto, ISSO É TENTAR LUDIBRIAR AS PESSOAS.

Posso concordar com você que muita coisa sobre o Crowley pode ter sido aumentada, mas foi isso que ficou para a história, então não faz o menor cabimento alguém vir citar um nome como sendo propagador de "luz e amor" quando o que ele mais propagou foi discórdia, conflitos, difamações  contra outros e provavelmente sobre ele também.

Quanto a deixar claros meus conceitos, é porque este fórum é de projeção, não é de outras coisas, e não vou ficar aqui dando aula para demonstrar porque "sodomia ritual" é magia negra.

Link to comment
Share on other sites

2 hours ago, sandrofabres said:

personagem histórico mais conhecido no mundo todo pelo mau caráter do que pelas virtudes e citá-lo como exemplo de "luz e amor"

Novamente, eu nao tenho ídolos. Nao citei ele como EXEMPLO de nada... disse que SUA MENSAGEM acima de tudo é uma mensagem de luz e amor. E volto a dizer que concordo com Keron-E, que nenhuma crítica resiste a um estudo aprofundado de sua obra (ou seja, de sua mensagem).

Desonesto seria desmerecer a obra e apontar os defeitos da vida pessoal, que foi o que os tabloides fizeram na época.

Link to comment
Share on other sites

É, a inglaterra tem um problema antigo com a imprensa. Problema, esse aliás, que acabou se alastrando pelo mundo.

4 horas atrás, Cristaldo disse:

quando o assunto é magia, ou por assim dizer uma espiritualidade prática (como clarividencia, projecao astral,...), quando a coisa chega aos ouvidos de quem nao conhece... fica tudo parecendo absurdo, ridículo, conversa pra boi dormir.

Vou deixar um textinho da Dion aqui, que foi contemporânea do Crowley, tendo inclusive trocado umas correspondências com ele, só para para que fique como exemplo de uma opinião de alguém que não era leiga no assunto:

 

Citar

O efeito das cerimônias e dos métodos ensinados por MacGregor Mathers foi o de produzir as mais extraordinárias experiências psíquicas e extensões de consciência naqueles que não tinham qualquer capacidade psíquica; os métodos e objetivos destes processos foram inteligentemente ensinados nos graus mais elevados e em certas divisões desta Ordem, e aque­les que foram assim instruídos puderam produzir resultados à sua vontade e o efeitos dos experimentos repetidos foi cumulativo. De fato, por métodos psíquicos eles obtiveram os mesmos resultados que outras pessoas alcança­ram por meio de drogas, tais como o haxixe e o mescal, e sem os desastrosos efeitos posteriores que resultam do "desatar os laços da mente" usando meios físicos.

Na luz da experiência assim obtida, os antigos Mistérios tornaram-se compreensíveis e as possibilidades de trabalho psíquico, desse modo reve­ladas, tornaram-se simplesmente ilimitadas. Considerados individualmente, os estudantes apresentaram uma imensa variação na sua capacidade de utilizar-se dos meios colocados a seu dispor; alguns foram simplesmente fúteis; alguns foram estudantes áridos e insípidos, apavorados com a possi­bilidade de obter quaisquer resultados práticos por meio das fórmulas; e alguns tornaram-se adeptos genuínos, e deixaram provas disso. Entre estes últimos estava Aleister Crowley, que escreveu sobre ocultismo usando o seu próprio nome e vários pseudônimos, entre outros Mestre Therion, Frater P., Perdurabo e mais uma coleção variada.

Cerca de dez anos antes do meu contato com a organização de Mathers, ocorreram guerras e rumores de guerras. A verdade sobre o assunto é difícil de ser averiguada, mas quando ambos os lados declaram que são anjos combatendo demônios provavelmente trata-se de um caso de seis de um lado e meia dúzia do outro. De qualquer modo, em conseqüência destas brigas Crowley publicou a maior parte dos segredos de MacGregor Mathers na sua revista The Equinox, e Mathers amaldiçoou Crowley com sino, missa e vela.

A Ordem passou por severos sofrimentos durante a primeira Grande Guerra e o próprio Mathers faleceu vitimado pela gripe, em Paris, durante a epidemia. Quando entrei em contato com a organização, os membros que a compunham eram principalmente viúvas e anciãos de barbas grisalhas, e aquele não parecia ser um campo de trabalho oculto muito promissor.

Contudo, antes de conhecer a Ordem eu já tivera uma considerável experiência de ocultismo prático, e imediatamente reconheci uma força de um grau e de um tipo que jamais encontrara antes e não tive a menor dúvida de estar na trilha da verdadeira tradição, a despeito de sua expo­sição inadequada. Por algumas razões que só eles mesmos conheciam, as elucidações e as interpretações tinham sido escondidas no mais recôndito Interior, pelos chefes secretos, que simplesmente deixavam-se ficar sentados em cima delas como galinhas cismarentas sobre ovos de porcelana. A organi­zação tinha se dividido num certo número de disjecta membra e todos se encaravam com suspeita, como se não pertencessem à verdadeira ortodoxia.

No que me toca, não tomei parte na mesquinharia humana do plano mundano, porém trabalhei no sistema e o sistema produziu frutos. Penso que outras pessoas fizeram o mesmo, entre elas Regardie. De qualquer mo­do, nos dois livros que escreveu, The Garden of Pomegranates e The Tree of Life, ele ensina o sistema do Áureo Amanhecer (Golden Dawn) conforme eu o aprendi nos vários ramos da Ordem da qual fui membro.

Regardie reconhece o quanto deve a MacGregor Mathers e Wynn Westcott, mas somente apresenta citações tiradas dos livros que eles publi­caram. Faz muitas referencias a Crowley, principalmente de sua obra em quatro volumes, Magick - na qual foram inseridos os melhores artigos da Equinox e mais algum material adicional. O ponto de vista do autor expressa tão exatamente os melhores aspectos dos ensinamentos de Crowley que eu concluo que a sua fonte é a Ordem de Crowley, a "A.A." e não a 'G.D.’ de Mathers. A "A.A", porém, retirou o seu sistema mágico da "G.D.", portanto, para todos os propósitos práticos Regardie está usando o sistema de Mathers, assim como eu também estou.

Recomendo, sem hesitação, os dois livros de Regardie; The Tree of Life em particular, é um trabalho magnífico, na minha opinião, o melhor livro sobre magia já publicado. O livro The Magick, de Crowley, do qual Regardie faz grande uso e ao qual reconhece dever tanto, também é de grande valor para o estudante, mas só o estudante adiantado poderá usá-lo com proveito. Como obra literária, apresenta muitas vulgaridades e grosserias, como acontece em todos os escritos de Crowley, e grande parte dele é deliberadamente obscura e indireta. Além disso, as fórmulas de que se utiliza seriam consideradas adversas e maléficas pelos ocultistas habituados à tradição cabalística, pois ele usa 11 em vez de 10 como base dos seus grupos de batidas nas cerimônias mágicas, e 11 é o número dos Qliphoth ou Sephirot Demoníaco; portanto, um grupo de 11 batidas é uma invocação dos Qliphoth. No texto não há qualquer indicação a respeito e esta é uma armadilha perigosa para o estudante despreparado. Crowley também dá o Norte como ponto sagrado para o qual o operador se volta para a invocação, em vez de dar o Oriente, "onde nasce a luz", conforme a prática tradicional. Ora, o Norte é chamado de "o lugar da' mais profunda escuridão simbólica , e é o ponto sagrado de apenas uma seita, os Yezidees, ou adoradores do demônio. É evidente, portanto, que o estudante que tiver audácia suficiente para fazer uma experiência com um grupo de 11 batidas e uma invocação dirigida para o Norte, não irá entrar em contato com aquilo que a maioria das pessoas consideraria como forças desejáveis.

Crowley, porém, tem uma notável penetração na filosofia do ocultis­mo e quando trata deste assunto ele se revela um escritor dos mais escla­recidos, e eu, pelo menos, não desejaria minimizar a minha dívida para com os seus escritos. Quanto a seus métodos práticos, porém, é um outro assunto e, na minha opinião, por demais perigoso para ser utilizado de qualquer forma ou maneira.

Se eu li os sinais corretamente, MacGregor Mathers, Crowley, Regardie e eu mesma estamos trabalhando todos com base na mesma fórmula - a fór­mula contida nos misteriosos manuscritos em código, descobertos por Mathers. via Crowley, Regardie recebeu informações de Mathers; suponho, porém, que ele desconhecia as alterações que Crowley introduziu nas fórmulas, pois tais alterações não aparecem nos seus livros e as fórmulas que ele apresenta são aquelas com as quais eu me familiarizei nos trabalhos do Áureo Amanhecer (Golden Dawn). Estas eu mesma comprovei que são seguras e eficientes; considero a versão delas, dada por Crowley, adversa e destrutiva, embora não possa falar com base em qualquer experiência pessoal do assunto porque jamais me envolvi com qualquer dos seus métodos. Contudo, falei com mui­tas pessoas que se envolveram e - depois delas terem tido um tempo sufi­ciente para verificação dos resultados finais - parece não haver duas opi­niões sobre este ponto.

Fonte: Magia aplicada- Dion Fortune- p.67-70

 

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

@lukynhas minha opiniao nao diverge tanto da sua. Porém, pra estudar magia esse sujeito aí vai ser sua influencia, mesmo que indireta, se voce é um ocidental. E sou da opiniao de que a obra dele se tornou algo muito maior do que ele, por isso to fazendo o insistente papel de advogado da Besta rs. Agora, nao nego que sua vida foi cheia de erros, mais do que a maioria dos seres humanos como o Sandro disse... e nao quero minimizar esses erros. Só nao quero tirar o crédito de quem tem crédito.

@sandrofabres , tu é insistente cara rs. Mas olha, acho que colocando esse texto voce está inclusive defendendo coisas que eu nao tenho certeza se voce sabe dos fatos por trás delas. Vamos aos fatos.
 

19 hours ago, sandrofabres said:

Crowley publicou a maior parte dos segredos de MacGregor Mathers na sua revista The Equinox

Pra esclarecer, a revista The Equinox nao é a revista TiTiTi, nem a Capricho rsrs... entao nao foi os segredos de Mathers que Crowley contou, mas os segredos iniciáticos da ordem. Isso nao está nem um pouco claro nessa frase.

Coisa que Crowley fez sim, mas quem ficou famoso mesmo por desnudar os ensinamentos da Golden Dawn e publica-los foi na verdade Israel Regardie, nos livros citados pela Dion Fortune.

Eu alias, nao vejo problema nenhum nisso. Por que a propria Dion Fortune, também fundou sua propria ordem ao sair da Golden Dawn, assim como a maioria dos ocultistas que sairam de lá. Tamanho era o valor do que era ensinado ali. E tamanho foi o racha nessa ordem.

Se isso pra voce é alguma coisa demais, entao saiba que todo mundo saiu dali brigado (e montando seu proprio clubinho rs), por isso a ordem terminou.
Mas isso pra mim nao quer dizer nada, isso é bem proprio do ser humano, todos sao assim... até a Dion Fortune.

 

19 hours ago, sandrofabres said:

O ponto de vista do autor expressa tão exatamente os melhores aspectos dos ensinamentos de Crowley que eu concluo que a sua fonte é a Ordem de Crowley, a "A.A." e não a 'G.D.’ de Mathers. A "A.A", porém, retirou o seu sistema mágico da "G.D.", portanto, para todos os propósitos práticos Regardie está usando o sistema de Mathers, assim como eu também estou.

Nao precisa "ler sinais corretamente". A Astrum Argentum é declaradamente herdeira da Golden Dawn, e todos os graus até um certo ponto sao exatamente os mesmos da Golden Dawn. Isso nunca foi segredo, e ninguem nunca tentou esconder isso. A primeira fase do treinamento na Astrum Argentum alias se chama... Golden Dawn !

O texto faz parecer que é uma conclusao com base em observacoes minuciosas, mas nao é. É só o que está escancarado mesmo.
 

19 hours ago, sandrofabres said:

via Crowley, Regardie recebeu informações de Mathers; suponho, porém, que ele desconhecia as alterações que Crowley introduziu nas fórmulas, pois tais alterações não aparecem nos seus livros e as fórmulas que ele apresenta são aquelas com as quais eu me familiarizei

Esse é ponto que eu SUPONHO que voce nao saiba, mas que sendo favorável a esse texto voce entao está defendendo uma coisa, que vou expor.

A Astrum Argentum, após a morte de Crowley, teve uma separacao... um braco passou a descender de Israel Regardie, e o outro passou Karl Johannes Germer. Esses dois bracos ainda existem. O que Dion Fortune está fazendo é nada menos que sustentar que um lado possui as formulas que ela familiarizou, e o outro possui as formulas distorcidas e perversas.

É briga de comadre.. rsrs.
 

19 hours ago, sandrofabres said:

pois ele usa 11 em vez de 10 como base dos seus grupos de batidas nas cerimônias mágicas

Cara, na magia existem muitas coisas simbólicas. ESPECIALMENTE NESSE SISTEMAS !
A Dion Fortune acha que se vc virar na direcao errada, e der uma batida a mais no gongo, voce ta chamando forcas do mal !
Crowley acha que as forcas qliphoticas precisam ser derrotadas para poder entrar no reino daquela Sephirot, coisa que Dion Fortune te advertiria pra jamais tentar fazer pois é perigoso demais ! :o
Já Peter Carrol talvez dissesse que isso só faz sentido dentro do paradigma de cada um deles, e que num sistema simbólica diferente nenhum dos dois faria o menor sentido.

Outra coisa, templos sao construidos em locais nem sempre ideias. Entao voce nao constroi uma coisa voltado pro LESTE só pq tao dizendo que tem que ser assim... se tem algo que fisicamente impeca a disposicao de algo de uma forma... frequentemente o que se faz é dizer "olha, esse é o leste simbólico", e apartir dali constroi-se o resto. Isso é discussao técnica (que pode ser levado pro lado filosófico talvez), acho que voce tá querendo pegar emprestado a argumentacao dela... mas pra isso voce tem que concordar com as bases dela pra magia. E nao acho que a Dion Fortune seja guardia da verdade. Alias avaliar só as bases dela, quando tanto coisa se fez sobre magia nessa época e depois dessa época... é ficar limitado demais. As coisas evoluem, e ganham outro significado. Muita gente nao entende essa peculiaridade da magia, é diferente da religiao.

Nas ordem mágicas nao é muito diferente das religioes no seguinte ponto, cada uma diz que é a guadia unica de uma tradicao, e que só ela tem as verdadeiras chaves, e todas as outras foram profanadas, ou sao perversas. Ficar bitolado nisso é atraso de vida pro magista sério.

E nesse texto, Dion Fortune, é só mais uma defendendo o seu peixe.

---

Eu posso concordar com voce que a vida de Crowley foi cheia de erros. Mas voce nao pode querer, novamente, fazendo uma análise superficial desqualificar a obra dele com base numa argumentacao totalmente unilateral. A obra de Crowley é extensa, e complexa, tem raizes nao só na Golden Dawn, mas em muitas tradicoes orientais. Assim como Blavatsky, e eu nao sou nenhum fa dessa senhora rs... mas sei o grande valor que ela tem para o esoterismo. Ela alias compartilha uma coisa com Crowley, ambos sao herdeiros de enormes fortunas que lhes permitiu viajar e serem instruidos por grandes mestres do oriente.

Link to comment
Share on other sites

Estou só trazendo mais material , mas como toda fonte citada ou não citada (tabloides), que surgir criticando  o crowley para você não serve , fazer  o que né? Vamos só perder tempo trazendo mais, você sempre admitindo que "de fato o cara tinha este e este  este problema, mas...". A idéia é mostrar o caráter do cara, mas como você já disse mais de uma vez, pelo que lembro, o caráter não te parece importante. Mas pode ser para outros, portanto isso sempre tem que vir junto.

Sobre a GD, ela saiu toda do Mathers, pelo que se sabe. Os outros parecem ter sido figuras decorativas ( ou não, mas agora é tarde demais para saber). Nunca foi confirmada a existência da tal ordem alemã com quem eles alegavam ter contato, e por aí vai.  Já os "manuscritos secretos" não tem nada além de "esquemas". Portanto, publicar qualquer coisa da GD era publicar a criação intelectual do Mathers. E como a Equinox era a revista DO CROWLEY, é como eu fazer um curso com você, então vou lá e publico seu material na minha revista, como se fosse meu. Isso inclui a publicaçao do 777 aliás, que ainda é vendido sob o nome do Crowley. 

A Dion nunca fez isso, nada do que ela publica é prático ou iniciático, são só textos dissertativos. E ela nao saiu de lá para montar seu clubinho, ela foi EXPULSA porque escreveu coisas de forma bem genérica, sem nem saber que estava esbarrando num "segredo" acima do seu grau, e a esposa do Mathers concluiu que , se ela saiba "aquilo", então só podia ter roubado de alguém mais adiantado. Já o Regardie fez algo similar mas mais completo que o Crowley quando a GD estava atirada às traças, inclusive coletando diários armazenados em armários de salas já abandonadas. Foi uma situação completamente diferente, de PRESERVAÇÃO, antes que tudo se perdesse, e mesmo assim muita coisa se perdeu.

Citar

A Astrum Argentum, após a morte de Crowley, teve uma separacao... um braco passou a descender de Israel Regardie, e o outro passou Karl Johannes Germer.

A Dion morreu ante do Crowley, portanto ela compara a publicaçao do Regardie com as do Crowley  antes que esse evento que você cita ocorresse.

Link to comment
Share on other sites

54 minutes ago, sandrofabres said:

você já disse mais de uma vez, pelo que lembro, o caráter não te parece importante

Tenho certeza de que nunca usei essas palavras Sandro. Essa a idéia que voce quer impor sobre o que eu disse. O que eu disse é que a mensagem dele é muito maior do que a vida dele, sao duas expressoes gritantemente diferentes né?

E toda fonte pra mim serve, mas voce quer dizer que suas fontes sao livre de segundas intencoes... eu só digo que ninguem é quando o assunto é "picuinha". E isso aí pra mim é troca de espinhos entre gente famosa do meio, mas eu já li de voce que "gente que se mete com magia" é assim mesmo. :)

Voce quer dividir o mundo entre bandidos e pessoas de bem, e nao é assim, por mais que voce queira (ou seja condicionado a acreditar).
Enquanto voce insistir nisso, eu vou insistir em discordar também. Mas sempre numa boa, nunca vou te ofender, nem levar nada pro lado pessoal... mesmo quando voce fala "desse povo que se mete com magia" rs.

Link to comment
Share on other sites

Bom, talvez você não tenha formulado da frase da maneira que eu formulei, essa foi apenas a ocnclusao a que cheguei ao ler o que você escreveu .

Em segunda-feira, 14 de março de 2016 at 21:12, Cristaldo disse:

A despeito de qualquer coisa que se possa dizer de ruim sobre Aleister Crowley (Mestre Therion para os íntimos) em sua vida pessoa, na minha opiniao ele trouxe uma mensagem que é acima de tudo sobre luz e amor.

Se a vida pessoal permitisse testemunhar quem nós somos, não precisaríamos de espiritualidade para o auto conhecimento.

É não acho que são nossos erros que definem quem nos somos.

Nao acho a vida pessoal, muito menos o que se diz da vida pessoal de alguem um ponto pra se fazer juizo de valor

Eu já ouvi esse tipo de coisa sim, e levei em consideracao... mas no momento seguinte considerei que é muito complicado saber se a mínima parte disso é verdade.Entao, sim, pra mim nao faz diferenca esse tipo de boato.

Eu concordo sim com voce, que Crowley fazia coisas que causavem repulsa, e frequentemente distorcia... Crowley era humano, com todos os defeitos que isso carrega.

Eu faco minhas as palavras do Frater Keron-E: "A mais severa crítica não resiste a um estudo aprofundado de sua obra.Críticas essas que recaem apenas sobre sua vida pessoal , conturbada e cheia de erros"

Eu posso concordar com voce que a vida de Crowley foi cheia de erros. Mas voce nao pode querer, novamente, fazendo uma análise superficial desqualificar a obra dele com base numa argumentacao totalmente unilateral

 

 

Citar

mesmo quando voce fala "desse povo que se mete com magia" rs.

 

E Cristaldo, não estou me referindo a você quando falo isso. Eu noto que você é uma pessoa séria, que para vocêe isso não é bobeira, é "caminho". Tenho uma estante inteira de livros de magia aqui, sempre fui aficcionado pelo tema. Me refiro a garotada que é atraída por esse tema quando se começa a falar disso, gente que não está interessada em estudar o assunto, só em trocar receitas de bolo.

Link to comment
Share on other sites

14 horas atrás, Cristaldo disse:

@lukynhas minha opiniao nao diverge tanto da sua. Porém, pra estudar magia esse sujeito aí vai ser sua influencia, mesmo que indireta, se voce é um ocidental. E sou da opiniao de que a obra dele se tornou algo muito maior do que ele, por isso to fazendo o insistente papel de advogado da Besta rs. Agora, nao nego que sua vida foi cheia de erros, mais do que a maioria dos seres humanos como o Sandro disse... e nao quero minimizar esses erros. Só nao quero tirar o crédito de quem tem crédito.

Cara, como o foco do fórum não é magia serei breve. Falando de MEU ponto de vista e MINHA opinião. Eu não creio que seja necessário ler e praticar o trabalho do Crowley para estudar magia. O meu foco não é bem a magia que geralmente as pessoas imaginam (cerimonial, ritualística, etc). Meu foco é a magia na qual o indivíduo deve se desenvolver em todos os aspectos até que obtenha o domínio de si mesmo. Desenvolvimento energético, chakras, etc. Não grado muito em evocações ou pedir coisas através de rituais. Prefiro eu mesmo tentar me desenvolver até outro nível em que possa estar na posição de EU mesmo provocar as mudanças desejadas. Por isso, o melhor livro que já li sobre o tema é o do Franz Bardon "O Caminho do Adepto". Sobre influências, creio que a "raiz" da magia está presente nesse mundo bem antes de Crowley encarnar. O hermetismo (que é uma das bases fundamentais) já era bem conhecido no Egito (que é de onde saíram grande parte das escolas de pensamento e correntes religiosas que temos hoje em dia). Respeito a sua opinião e entendo o que você está tentando dizer. "A mensagem é mais importante que o mensageiro". Isso é relativo. Principalmente quando se analisa totalmente a mensagem. 

Link to comment
Share on other sites

 

Ah é, eu nem tinha lido isso antes  porque não tinha sido dirigido a mim, mas de fato, como aqui não é fórum de magia, os personagens alegadamente essenciais nessa história da magia não são relevantes. Por isso a gente diz para procurar fóruns de magia, se o cara quer discutir isso.

Até porque...e esse é o segundo ponto que você lembrou bem lukynhas, o sistema GD é apenas um dos modelos. Algo especificamente montado em cima das teorias psicológicas em voga no final do século XIX, e que assim como kardec adotou muito da visão positivista/darwinista para tentar dar status de científico ao espiritsmo, a turma toda da  GD pegou na psicanálise seus fundamentos, e a psicanálise, hoje se sabe, é famosa por ser ineficaz,  o que já indica que há falhas no modelo. O próprio Regardie considerava que o sistema antigo, pré-golden dawn, funcionava bem melhor ("Old System of Magic") que o GD, exatamente porque , digamos, os "paradigmas" da GD parecem ter falhas estruturais, o que afeta o resultado prático final. Não vou detalhar PORQUE ESTE NÃO É UM FÓRUM DE MAGIA, mas se você conhece o trabalho do Lisievski deve conhecer as justificativas para isso, que ele exos nso seus diversos livros e "cursos privados por lista de  email ".

Concordemos ou discordemos, o Crowley representa apenas uma "GD opção B", e a GD é  "opção N" na magia. Exatamente por isso quem quer dsicutir magia, tem que ir para fóruns de magia, porque lá poderá, quem sabe, encontrar pessoas com conhecimento sobre as diversas áreas, que poderão debater com fundamento as coisas. Aqui, como não se trata da especialidade do fórum, só vai aparecer um ou outro gato pingado dourando a pílula para dar a impressão de que a coisa é assim ou assado, e levando os leigos na conversa.

É similar ao que acontece quando ocultistas são ouvidos sobre projeção astral. Como eles não entendem muito do assunto, focando mais nos “sonhos lúcidos induzidos dentro do sistema cabalístico”, focam-se em divulgar pretensos perigos, elaboram técnicas com complicações desnecessárias ou sem nenhum sentido para o leigo, relacionadas  ao paradigmas deles. Então se ocultista quer aprender algo concreto sobre projeção, é melhor vir para cá. Mas se o projetor quer aprender sobre magia, melhor ir para lá. Onde você mistura isso, a qualidade do aprendizado vai decair.

Exemplo extremo: o carinha querer discutir magia nos grupos da cosncienciologia. Resposta do Waldo &Cia: “Isso tudo é muleta! Tem que usar apenas a vontade!”. Bom, acho que o primeiro a dizer isso foi o Eliphas Levy, então o Waldo nada diz que contrarie a magia, mas aí o cara não aprende o que está buscando.

 

Bom, então você:

- já postou sua tirinha com texto que não é do Crowley, mas que usa o personagem do Crowley, para divulgar a imagem dele

- já destaquei que as pessoas devem saber que há questões polêmicas sobre o HOMEM e sobre as TÉCNICAS

- você já disse que não acha que o HOMEM deva ser considerado quando se analisa a OBRA

- já defendeu que Crowley é essencial PARA QUEM DESEJA ESTUDAR MAGIA, mas já reiteramos pela enésima vez que isso não é o objetivo do fórum, portanto:

 

SUA META COM ESSA POSTAGEM já está mais do que satisfeita, e vou fechar o tópico para evitar que  fiquemos nos repetindo.

Se você quiser  fazer propaganda do Crowley, pesquise os métodos que ele ensina sobre PROJEÇÃO ASTRAL, e poste QUANDO NOTAR QUE ESSES MÉTODOS trazem respostas/soluções que outros métodos não trazem.  Ou, por exemplo, se discutimos métodos de proteção, pode trazer banimentos e tal. Ou seja, traga CONHECIMENTO ÚTIL dele, que se ENQUADRE NO QUE  NÓS ESTIVERMOS DISCUTINDO EM CADA TÓPICO, para que pelo menos exista JUSTIFICATIVA PARA POSTAR ESSE MATERIAL NÉ?

Aqui tem um exemplo em que eu mesmo post uma técnica de projeção de um autor de Magia:

..................................................................

EDIÇÃO POSTERIOR, em 18/02/2018:

Um exemplo do tipo de  "contribuição do Crowley" para o mundo do ocultismo:

http://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/19524-estou-pensando-em-entrar-para-a-gnose-alguém-tem-experiência-nela-é-uma-boa-ideia-ou-é-mais-um-culto-maluco/&do=findComment&comment=91103

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

Guest
This topic is now closed to further replies.
 Share

×
×
  • Create New...