Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Novela projetiva


Recommended Posts

Boas

Suponhamos que após anos de prática na projeção astral desenvolvem o processo suficientemente para se projetarem rapidamente e com facilidade com completa consciência.

Imaginemos: sentam-se num lugar confortável, fecham os olhos, concentram-se e...voilá...instantaneamente estão despertos num lugar qualquer no plano astral. Numa primeira análise parece maravilhoso, não é?

Depois de algum tempo e de muitas "viagens", com o passar da euforia inicial começam a aperceber-se de certos pormenores, como por exemplo: "pensei em ir para determinado local mas em vez disso estou noutro sitio completamente diferente"; "porque é que os lugares que visito são sempre desconhecidos, logo não sabendo que existem, como vou lá parar tão depressa (instantaneamente)?".

Como responderiam a estas questões (para começar)? Gostaria de saber a vossa opinião se isto acontecesse com vocês.

Saudações   

Link to comment
Share on other sites

Na verdade albaman, se a pessao chegou nesse ponto, de rapidamente conseguir sair, não deveria , eu acho, se contentar com 'parar em algum lugar' do astral, porque isso provavelmente será algo aleatório mesmo, dependendo de fatores que desconhecemos.

Já é bem chatinho a gente levantar calmamente do corpo físico, sair caminhando de casa e ir par a rua, e já encontrar rua desconhecida, lugares que você sabe que não existem ali no físico, e fazer isso centenas de vezes, e os lugares apenas serem os mesmos umas 4 ou 4 vezes. Imagine então quando a projeção é "apaga aqui...acorda lá".

Acho que sempre que saímos sem um alvo determinado, não temos como elaborar qualquer explicação para os lugares em que vamos parar quando nos projetamos. Qualquer explicação seria só especulação  mesmo ,e aí cada um escolhe a fantasia lógica que mais lhe agradar. Porque não dá nem para estabelecer relações psicológica com isso, já que mesmo que você tenha passado um dia ruim irritado, caso se projete, não vai , como regrar, parar em lugares desagradávesi, com gente que te estorva. Assim como pode ter uma ou outra projeção em lugares meio suspeitos, sem que naquela dia você tenha feito/sentido/pensado coisas que justificassem aquilo.

Pode-se jogar a culpa no subconsciente, porque é uma teoria "saco de gatos", aceita qualquer desculpa que se invente usando ela, mas eu sinceramente não engulo isso, exatamente porque não tem como TESTAR esse tipo de hipótese mudando algo aqui ou ali, para ver se afeta o  resultado nas projeções, porque você não sabe O QUE nem ONDE estão essas causas, exatamente porque elas estariam NO SUBCONSCIENTE,  oque as torna invisíveis para você. Logo ,  é uma hipótese inútil.

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

Obrigado por tentar ajudar Sandro pois não é fácil encontrar alguém para falar sobre estes assuntos. Como se costuma dizer "da discussão nasce a luz" ou qualquer coisa assim. :-)

Continuemos então a desenvolver a "novela":

Vamos supor então (sempre no campo das suposições pois nada deste enredo pode ser confirmado como tendo realmente existido); vamos supor que entre muitas projeções para lugares aleatórios, uns com uns ambientes futuristas com estranhos veículos e mais ou menos povoados, outros estranhamente desertos e como se ficassem no espaço, a partir de um determinado momento você se começa a projetar com alguma frequência sempre para o mesmo local, para um determinado lugar desconhecido.

Visita esse lugar com uma determinada frequência, faz lá "amigos" que o reconhecem quando lá vai, interage com eles a ponto de estes o apresentarem a outros habitantes do local. Com o tempo e depois de algumas "visitas" começa a desejar que chegue a noite (altura da projeção)para se projetar para esse local pois este é bastante agradável.

Depois de algum tempo, numa das visitas, quando chega a esse local é informado que um dos habitantes com que costumava falar mais já não se encontra ali. Dizem-lhe que "partiu" para outro lugar. Pouco tempo depois, numa outra visita, não chega a entrar no lugar. É recebido por alguns dos amigos desse local, num sitio diferente, que o informam que não é mais possível visitar o local. Dessa conversa apenas se recorda vagamente de um problema com uma ponte (?). Pontes no astral??? Estranho. Bem...depois disso nunca mais volta a esse lugar embora se esforce por isso.

Confuso??? Cortei alguns pormenores da "trama" para não me alongar muito no texto.

Link to comment
Share on other sites

4 horas atrás, albaman disse:

Com o tempo e depois de algumas "visitas" começa a desejar que chegue a noite (altura da projeção)para se projetar para esse local pois este é bastante agradável.

Isso eu diria que já indicaria um problema no projetor, que está caindo "no canto da sereia", e pode indiciar relações não muito saudáveis com suas "amizades astrais".

Como o contato depois começa a passar por dificuldades e a "ponte" (conexão) é cortada, pode indicar que, se eram contatos positivos, notaram que esse encarnado estava se desequilibrando (dando mais ênfase ao que vive em artal do que ao que vive no físico, porque nossa escola é aqui, a parte astral é só "curso de verão" para acelerar ) e o impediram de continuar acessando o o local.  Ou, se não era positivo, a turma positiva criou esse corte, talvez destruiu o local (porque tem equipes que fazem isso em astral, quando notam que um grupo está criando problemas.) ou o isolou mesmo, e levou alguns para alguma "condução coercitiva" por  comportamento suspeito, ehhhe.

Hipóteses, claro, é impossível saber.

 

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

Sim, é muito difícil saber pois falta alguma informação. Há muita coisa que nunca consegui recordar como se fosse cortado propositadamente ou a minha mente simplesmente nunca conseguiu assimilar. Esse seu comentário sobre "o canto de sereia" deu-me que pensar. :?

Vou então tentar chegar ao fim desta "novela". Omitirei alguns pormenores mais pessoais e que penso que não comprometem a perceção do assunto.

Continuando, a partir de uma determinada altura comecei a aperceber-me que os locais que visitava já não me davam tanto prazer como antes. Sentia que não tinham a mesma vibração. Eram mais sombrios e muitas vezes regressava de lá algo angustiado, coisa que não me acontecia nas projeções anteriores. Simultaneamente comecei a ter outro problema: as projeções que normalmente fazia através de uma técnica de concentração começaram a fazer-se "automaticamente". Ou seja, eu deitava-me para dormir e não precisava de pensar em projeção astral pois já tinha acontecido. Comecei a raramente "dormir". Ou estava em vigília ou estava consciente no corpo astral. Comecei a andar cansado e quanto mais cansado ficava mais fácil era ir parar ao astral. Ainda por cima os ambientes para onde me transportava eram cada vez mais densos.

Em determinada altura comecei a projetar-me sempre para o mesmo local como já me tinha acontecido anteriormente. Era um ambiente sombrio, um bocado escuro e não conseguia ver muito bem os pormenores. Ali estava sempre alguém à minha espera e conduzia-me por uma escadas para um local parecido com um subterrâneo. Nesse local conseguia distinguir alguns vultos mas nunca consegui comunicar com ninguém nem ninguém alguma vez se dirigiu a mim. Não sabia o que lá se passava nem o que aqueles seres ali faziam pois ali nunca consegui ver as coisas claramente. Por esta altura a coisa começou a assustar- me e comecei a ter algum receio das projeções pois não as conseguia controlar. No plano físico também comecei a notar algumas mudanças mas vou saltar essa parte. Já andava algo cansado e provavelmente já não pensava direito. :-)

Para concluir, um dia chego a casa, cansado, encosto-me no sofá e mal fecho os olhos senti imediatamente o inicio da projeção. Lutei conta isso e por momentos parecia que estava em dois locais ao mesmo tempo. Via a minha sala e sentia o ambiente do lugar para onde me ia projetar. Consegui com grande esforço manter a mente focada no plano físico e tentei não me deixar levar. Consegui evitar essa projeção e a partir daí comecei a lutar contra essas projeções. Passado algum tempo (dias) estas deixaram de se manifestar.

Ainda não desisti de um dia vir a obter algumas explicações para todas estas "peripécias" mas para já o "turismo no astral" está adiado. :-)

Fiquem bem 

 

Link to comment
Share on other sites

13 horas atrás, albaman disse:

Continuando, a partir de uma determinada altura comecei a aperceber-me que os locais que visitava já não me davam tanto prazer como antes. Sentia que não tinham a mesma vibração. Eram mais sombrios

Depois de "fisgarem" já não precisavam mais se disfarçarem tanto?

13 horas atrás, albaman disse:

Comecei a andar cansado e quanto mais cansado ficava mais fácil era ir parar ao astral

Isso é falta de aterramento. Se a pessoa começa a deslocar o foco da sua atenção mais para os planos sutis do que para o plano físico, o chackra básico fica mais fraco, e você tem menos energia física disponível, e começa a ficar mais e mais conectado com o lado de lá. O resultado final é você passar todo o tempo lá, e aqui ficar meio "alienado".

Eu já tinha lido sobre esse risco, mas nunca li um relato que o demonstrasse,  achei até que fosse parte dos "riscos hipotéticos". Em geral quem se refere a isso são os ocultistas, e o termo folclórico para esse fenômeno é "ficar encantado pelas fadas". O antídoto é afastar seu foco dis planos sutis, e fortalecer seu chackra básico,  oque se faz com exercícios físicos e contato com a natureza.

É por isso que místicos em geral são "fracotes", acabam focando numa área e para isso desativam a outra. O desenvolvimento equilibrado inclui pratica esportiva, para fortalecer o chacka básico e assim você não perder  seu contato com a realidade física, que é sua prioridade enquanto encarnado.

Se você lê inglês vale a pena ler este, Soul Flight, que pode baixar daqui:

https://drive.google.com/file/d/0ByXGi2vq5-wsTEJXWklPUW9TcTA/view?usp=sharing
 

Se não quiser ler todo, leia o capítulos 3, 5 e 9.

 

  • Like 2
Link to comment
Share on other sites

Obrigado Sandro, eu leio Inglês sim e já fiz download do livro. Hoje mesmo vou começar a ler.

Creio que você tem razão no que se refere "a ficar encantado pelas fadas". É um bom termo para designar o sucedido. A sensação de viajar no astral é tão inebriante que a gente se deixa levar. Fica viciado.

Creio que o motivo porque comecei a projetar-me para regiões mais densas foi porque o meu crescimento espiritual não acompanhou o processo. Desleixei-me nesse ponto. Alguns pormenores eu omiti no relato propositadamente pois não me orgulho nada deles.

Outra das razões por que "acabou mal" creio que foi porque nunca me tinha preocupado muito com energias e chacras. Eu desenvolvi bastante o chacra frontal pois era através desse chacra que ocorria a projeção, mas nunca me preocupei em desenvolver os restantes. As minhas energias deviam andar bastante desequilibradas. Neste momento ando a tentar corrigir isso.

Sabe, este relato me aliviou bastante pois não é fácil encontrar pessoas com abertura suficiente para falar destes assuntos. Felizmente que começam a aparecer sítios como o GVA onde se podem discutir estas temáticas sem sermos considerados doidos varridos, hehehe

Saudações e muita paz :smile:

 

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

Hauhauhauhuha, eu não...

No meu primeiro mês após ter conseguido sair em astral, tbm fiquei um pouco assim, meio fascinada. Saia umas 4/5 vezes por semana. No inicio vc náo percebe, pq é tudo novidade, tudo é maravilhoso, mas dps desse primeiro mês comecei a ficar "cansada" como vc relatou. Foi aí que percebi que não era normal e parei de fazer tudo (técnicas) que fazia pra sair. Por umas 3 vzs aconteceu exatamente o q vc ralatou. Mal deitava na cama, já começa sentir os sintomas de projeção e o corpo astral querendo sair. Mais eu estava tão cansada que nao queria, queria apagar e dormir. Parei com tudo e foi ai que voltou ao normal (tenho + ou - 4 projeção/mês). Hj tbm quase nao me projeto mais a noite, dou preferencia pra tentar na parte da tarde, justamente pra não ficar sem aquele sono reparador que só dormindo a noite a gente consegue.

 

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

MichelleA, este assunto da viagem astral é algo complicado para se entender e acredito que muitas pessoas que experimentam, por vezes não relatam as suas experiencias com receio de serem mal interpretadas. Nalguns círculos, se fosse para lá dizer: "oi pessoal, eu voo e falo com os espíritos", era logo internada no hospício, hehehe.

Felizmente que aqui no GVA podemos falar abertamente destes assuntos sem receio. Todos ficaremos a ganhar com a partilha das nossas experiências por mais loucas que nos possam parecer. Fico agradecido também pela sua partilha.

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

Olá

curti esse relato, também passei por algumas fases nessa maratona que é conhecer e dominar a viagem astral, andei meio afastado mas devagarzinho venho tentando ver como é possível encaixar essa habilidade no nosso dia a dia de modo a trazer um crescimento espiritual próprio e para as pessoas ao nosso redor

e me identifiquei bastante com os problemas também, não é fácil encontrar pessoas no nosso convívio pessoal que compreendem o assunto,  eu evito comentar, só mesmo aqui no fórum que acho maravilhoso.

 

abraços a todos

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...