• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
Fly.1978

Cortando laços de amizades e familiares

Recommended Posts

Boa noite pessoal.

Tomei , ha 2 meses, uma decisão um tanto quanto dura,porém necessária - cortar laços de amizade, coleguismo e até com familiares para nao me contaminar.

EStou decidido a trilhar um caminho diferente do deles ( espiritualidade, meditaçao, VA, estudos filosoficos, dentre outros) e nao tenho praticamente nenhum amigo

simpatizante de tais assuntos. Na verdade sou um sujeito muito na minha, nunca gostei de muita gente por perto , prefiro bichos e plantas, livros e afins.

Mas tenho alguns parentes bem perturbados espiritualmente, so de chegar proximo ja sinto o baque....Nao sou madre teresa de calculta, nem pretendo, mas é um povo

que so pensa em dinheiro, trabalho, putaria ( desculpem o termo) e coisas materiais, fúteis, passageiras.

Colegas/ amigos, idem: o povo vive nessa paranoia material de emprego/promoçao, grana, carro novo, status, etc. Vivem totalmente alienados pelo sistema !

 

Alguns até sabem desse meu lado espiritualista ( acham que sou esotérico) e até sou aquele cara visto como "esquisitão"

Nos ultimos 2 meses muita coisa ocorreu, a minha cegueira espiritual foi "curada" e retomei o caminho que nao deveria ter interrompido, jamais.

Agora me vejo sozinho! sim, completamente sozinho...claro que tenho uns 3 ou 4 amigos mais chegados, mas são casados, vivem dentro da "caixa", nao se interessam

por assuntos de espiritualidade, etc. Ninguem sabe que estudo/ faço VA, senao, com ctza, seria taxado de maluco! :'(

É isso. na verdade foi mais um desabafo. Só me resta a internet e grupos como este pra poder interagir e aplacar um pouco da solidão

de nao ter com quem compartilhar coisas e experiencias que, pros proximos a mim, sao apenas delirios...

 

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites

@Dio.Castro, não se sinta só, ninguém está só. Isso é na verdade, só a sua necessidade humana de se sentir aceito.

As pessoas não estão erradas em procurar ter um bom emprego, grana, carro novo, status assim como você não está errado em procurar se espiritualizar. Aceite as pessoas como elas são e a aceite a si mesmo como você é. Cada um tem seu próprio tempo, e vive aquilo que precisa viver.

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites
16 minutos atrás, Iogui disse:

@Dio.Castro, não se sinta só, ninguém está só. Isso é na verdade, só a sua necessidade humana de se sentir aceito.

As pessoas não estão erradas em procurar ter um bom emprego, grana, carro novo, status assim como você não está errado em procurar se espiritualizar. Aceite as pessoas como elas são e a aceite a si mesmo como você é. Cada um tem seu próprio tempo, e vive aquilo que precisa viver.

Iogui, longe de mim dizer que as pessoas que procuram o que citei estao erradas, mas quando o FOCO  da vida da pessoa  É APENAS ISSO,  eu acho sim prejudicial...Isso aqui é tudo passageiro, nao temos nada, é tudo emprestado...rs...bom mas quem sou eu pra dizer isso a elas nao é mesmo?  Cada um que cure sua propria "cegueira" espiritual, assim como eu tenho feito recentemente. Posso e devo aceitar as pessoas como elas são, mas ficar ao lado delas, já é outra historia....

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mais certo está o homem que procura andar equilibrado. Seus dois lados mantendo a mesma distância do chão. Pois aquele que anda mais pendendo para a esquerda vive evitando a queda para este lado e o que anda pendendo para a direita vive evitando a queda para esse outro enquanto o que anda equilibrado tem tempo de apreciar a paisagem e aproveitar melhor sua viajem.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em sábado, 14 de maio de 2016 at 22:57, Dio.Castro disse:

Boa noite pessoal.

Tomei , ha 2 meses, uma decisão um tanto quanto dura,porém necessária - cortar laços de amizade, coleguismo e até com familiares para nao me contaminar.

EStou decidido a trilhar um caminho diferente do deles ( espiritualidade, meditaçao, VA, estudos filosoficos, dentre outros) e nao tenho praticamente nenhum amigo

simpatizante de tais assuntos. Na verdade sou um sujeito muito na minha, nunca gostei de muita gente por perto , prefiro bichos e plantas, livros e afins.

Mas tenho alguns parentes bem perturbados espiritualmente, so de chegar proximo ja sinto o baque....Nao sou madre teresa de calculta, nem pretendo, mas é um povo

que so pensa em dinheiro, trabalho, putaria ( desculpem o termo) e coisas materiais, fúteis, passageiras.

Colegas/ amigos, idem: o povo vive nessa paranoia material de emprego/promoçao, grana, carro novo, status, etc. Vivem totalmente alienados pelo sistema !

 

Alguns até sabem desse meu lado espiritualista ( acham que sou esotérico) e até sou aquele cara visto como "esquisitão"

Nos ultimos 2 meses muita coisa ocorreu, a minha cegueira espiritual foi "curada" e retomei o caminho que nao deveria ter interrompido, jamais.

Agora me vejo sozinho! sim, completamente sozinho...claro que tenho uns 3 ou 4 amigos mais chegados, mas são casados, vivem dentro da "caixa", nao se interessam

por assuntos de espiritualidade, etc. Ninguem sabe que estudo/ faço VA, senao, com ctza, seria taxado de maluco! :'(

É isso. na verdade foi mais um desabafo. Só me resta a internet e grupos como este pra poder interagir e aplacar um pouco da solidão

de nao ter com quem compartilhar coisas e experiencias que, pros proximos a mim, sao apenas delirios...

 

bem vindo ao dificil caminho da evolução espiritual caro @Dio.Castro, comigo e creio que com milhares despertos ocorre idêntico ao q vc relata: parentes e amigos que só pensam na matéria, ignorantes espiritualmente, é o caminho deles, fazer o q, uma hora irão acordar.mesmo a gente discutindo, falando, não adianta, vai de cada um perceber. já conversei com parentes sobre a evolução espiritual e como resposta ouvi q "é uma pessoa q faz o bem e q não tem defeitos e nada pra progredir", respondi "então vc é um mahatma ghandi e deveria estar em outro planeta, q seja evoluído, pq a terra ainda está em evolução" rsrs.

espere por ser taxado de esquisito, é o q acham, tb é o q dizem de mim, mas sei q estou no caminho, mas tb erro muito, principalmente na questão de guardar mágoas, mas em comparação a anos atras progredi. sempre q estou triste por estas questões procuro um bom texto ou livro e leio e reflito. te indico um livro q respondeu muitos dos meus questionamentos sobre essas relações, é muito bom mesmo: livro "renovando atitudes", se interessar e puder acho q vai te ajudar, igual me ajudou.

quanto à solidão tb faço como vc, acesso os fóruns, mas vc pode encontrar amigos q possa conversar, talvez indo em um centro espírita, mas olha, como exemplo, aqui no meu trabalho há palestrantes dos centros espíritas q agem totalmente ao contrário do que a doutrina ensina. se uma pessoa te faz mal ou aos outros, afasta-se dela e siga no caminho da bondade, desejando q ela tb siga um dia.

li um texto recente q dizia q a pessoa materialista tem a perspectiva de visão de mundo limitada, ao material, e acho q é exatamente isso. então quando ver alguem assim, seja materialista, seja ausente de bondade, pense q ele está trilhando um caminho e caminho é pra ele aprender, mas q pode ou não aprender, e quando não aprende fica limitado. tento não me achar melhor q eles por conta disso, fico pensando q apenas poderiam agir diferente, mas melhor nao ficar esperando isso, pq eles tem o livre arbitrio, e pode criar uma expectativa.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pois é Bandeirapvh, a estrada é longa, e solitária..rs.

Eu fico bem sozinho. De verdade. Até prefiro a cia dos meus livros/ net , do que ficar ao lado de gente que se comporta como citei acima.

Se nao for pra agregar, deixo-os livre para seguirem seus caminhos, que geralmente nao coadunam com os meus.

valeu pela dica do livro. Vou ver se acho na NET. ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest

Acho que seria difícil você tomar esta decisão se fosse donatário de muitos bens de alto valor financeiro. Por isso mesmo que respeito quem é materialista, pois estamos sujeitos as mesmas fraquezas deles, pois foi por causa da nossa aparência física e por causa da nossa condição financeira que o mundo não se recebeu e é justamente por isso que somos espiritualistas, fomos rejeitados pelo mundo e seus deleites.

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, urufin disse:

Acho que seria difícil você tomar esta decisão se fosse donatário de muitos bens de alto valor financeiro. Por isso mesmo que respeito quem é materialista, pois estamos sujeitos as mesmas fraquezas deles, pois foi por causa da nossa aparência física e por causa da nossa condição financeira que o mundo não se recebeu e é justamente por isso que somos espiritualistas, fomos rejeitados pelo mundo e seus deleites.

Será que percebi bem? Quer dizer que os espiritualistas são feios e pobres? :'(

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, urufin disse:

Acho que seria difícil você tomar esta decisão se fosse donatário de muitos bens de alto valor financeiro. Por isso mesmo que respeito quem é materialista, pois estamos sujeitos as mesmas fraquezas deles, pois foi por causa da nossa aparência física e por causa da nossa condição financeira que o mundo não se recebeu e é justamente por isso que somos espiritualistas, fomos rejeitados pelo mundo e seus deleites.

Olha....Mas uma coisa nao está intimamente ligada à outra... Mesmo que eu fosse uma pessoa abastada ( nao sou, ) poderia sim ter ou chegar a um certo discernimento espiritual que me afastaria do tipo de pessoas que citei acima...não é por que a pessoa tem posses que nao pode ser espiritualizada. Nunca me senti rejeitado pelo mundo, mas desde jovem eu via que nao me encaixava nos padroes da sociedade, e depois que passei a estudar ocultismo/espiritualismo, a coisa se intensificou...entao no caso, eu que rejeitei muitas coisas desse mundão ai fora, que nós bem sabemos que é uma grande ilusão ne ? ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, urufin disse:

Acho que seria difícil você tomar esta decisão se fosse donatário de muitos bens de alto valor financeiro. Por isso mesmo que respeito quem é materialista, pois estamos sujeitos as mesmas fraquezas deles, pois foi por causa da nossa aparência física e por causa da nossa condição financeira que o mundo não se recebeu e é justamente por isso que somos espiritualistas, fomos rejeitados pelo mundo e seus deleites.

Desculpe, @urufin, mas acredito que esse seja o motivo errado para ser espiritualista.

Eu sou espiritualista por que acredito nisso e não por não ter outras condições ou possibilidades.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

na minha opinião, a pessoa pode ser rica e ser espiritualizada, mas isso depende de como pensa e como utiliza sua riqueza... qual seu objetivo.

por exemplo, diferem os pensamentos de um materialista não espiritualizado rico e de um espiritualista rico.

o materialista rico que não é espiritualizado pensa: "tenho esse carro, me é útil pois me serve para q eu vá onde preciso e gosto também pq ele é muito caro e poucos tem, é de luxo..." ou seja satisfaz também o seu ego

o espiritualista rico pode pensar: "tenho esse carro, me é útil pois ele me serve para q eu vá onde preciso, mas pouco importa se é de luxo..." ou seja, não é uma questão de ego ou status

mas é só minha opinião pra diferenciar os dois, não devo julgar.

tb não vejo problemas se a pessoa é esforçada e quer ser bem sucedido financeiramente, mas deve haver um limite: não deixar isso como uma obsessão, não prejudicar pessoas para conseguir ser sucedido, e caso tenha dinheiro sobrando, q ajude quem se deparar nessa caminhada, seja conhecido, parente ou não, não virando-lhe as costas sem se importar.

eu entendo perfeitamente o desabafo do @dio.castro, quando vou numa confraternização de parentes, os assuntos são: "fulano faz medicina", "fulano comprou uma casa de tal valor", "quero trocar de carro", sempre há algo relacionado a dinheiro. nestes casos eu fico só ouvindo e eles ficam lá falando sobre esses assuntos.

li alguém falar esses dias: somos herdeiros de nós mesmos, não no sentido material, mas no sentido espiritual, as ações q fazemos, boas ou más, irão pra nossa conta, é o q acredito.

mas claro que tb não devemos gastar tudo q temos sem responsabilidade afirmando não sermos materialistas, devemos pensar na nossa manutenção e nos q dependem de nós, nossos filhos, esposas etc, e tb devemos pensar q há outras coisas mais valiosas, q não são materiais, essas não se compram.

 

 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

No final todo mundo morre. E o que construíram nessa vida tem algum valor real que perdure além da morte? Ou é simplesmente mais uma célula desse mundo que trabalha para se manter vivo e alimenta e cuida do grande corpo do mundo?

Se for fazer um analise da pra abrir mão de muitas inutilidades para quem deseja trilhar o caminho do espirito. Geralmente o que comanda a vida é os anseios animais... Se não superar o estado de torpor e sono não tem como despertar para o espirito. E pra despertar tem que estar alerta e pra estar alerta tem que estar atento a tudo que esta em você mesmo. Se você carrega muito peso ira se cansar facilmente e tera que descansar e dormir (perder o estado de alerta).

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 horas atrás, albaman disse:

Será que percebi bem? Quer dizer que os espiritualistas são feios e pobres? :'(

Caraca, entendi isso também! Protesto! ahahahah :P

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu me pego a pensar nesse tema quase que diariamente e sim é inevitável o afastamento de grupos, pessoas, familiares e tudo mais., porém eu não vejo a solidão como o melhor caminho, vejo-a como o caminho da intolerância, onde se privando de tudo e de todos você não faz parte do todo. Me afastei de forma gradativa de todos e me aproximando mais de pessoas ''espiritualistas'' e tudo mais e a conclusão que cheguei é que todos tem seus defeitos, todos tem suas manias e mesmo tendo os mesmos assuntos em comum não é sinal um bom convívio. Hoje eu não frequento a casa de familiares ou de amigos e grupos de amigos com a frequência de antigamente, porém não deixei de visita-los e de compartilha momentos que são importantes, afinal você um dia esteve daquele lado e você pular o muro não significa que você é melhor e sim que descobriu um novo caminho. E também o que me faz da continuidade é o simples fato de observar tudo, ações, reações, causas, o porque daquilo e por que disso, que é feito por todos e absorvo tudo como exemplo. Escuto, observo, raciocino e tiro minhas conclusões, mas sempre olhando para outros seres iguais a mim, e, saio com o pensando de sempre que possível ajudar dentro das minhas limitações e garanto que se eu me afastar de todas elas eu nunca terei a chance de talvez falar algo que possa ajuda-las. Talvez não no agora, mas sim no futuro, por que uma palavra sincera sempre será lembrada. 

Sobre diferenças sociais, o que eu penso sobre minhas experiências pessoais de pessoas que conheço é que a busca não tem nada haver com o dinheiro e sim com os problemas. A falta de dinheiro é problema para uns, assim como a abundância de dinheiro é problema para outros, mas no fim todos buscam uma saída para seus problemas e acabam buscando novos caminhos através deles. 


 

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Deixo aqui um estrato retirado do livro " Osho - Aprendendo a Silenciar a Mente".

Osho, também conhecido como Bhagwan Shree Rajneesh, foi líder religioso, mestre na arte da meditação e do despertar da consciencia. O seu principal propósito era o desenvolvimento da consciência e o auto conhecimento através da meditação.

Citar

(...)

Pense neste paradoxo: é apenas quando você se torna materialmente rico que você percebe, por contraste, sua pobreza interna. Quando você é pobre no plano material, você jamais percebe a pobreza interna, pois não há contraste. Pelo mesmo motivo escrevemos com giz branco em quadros-negros, e não em quadros brancos, pois do contrário não seria possível ver nada. O contraste é essencial.
Quando você é materialmente rico, subitamente há uma grande percepção de que “por dentro eu sou pobre, sou um mendigo”. E junto vem uma falta de esperança, como uma sombra: “Tudo que pensamos foi realizado, todas nossas fantasias e nossa imaginação foram realizadas, e não obtivemos nada a partir disso, nenhum contentamento, nenhum prazer.”

(...)

Sou profundamente contra a pobreza porque sempre que um país se torna pobre ele perde contacto com todas as meditações, todos os esforços espirituais. Sempre que um país fica materialmente pobre, ele deixa de perceber sua pobreza interna.

(...)

Todos os avataras dos hindus eram reis ou príncipes. Todos os teerthankaras, todos os profetas dos jainas eram reis. Assim como Buda. As três grandes tradições da Índia, então, são provas do que disse acima.
Por que Buda se tornou descontente, por que ele começou sua busca pela meditação? Porque era rico. Vivia em abundância, tinha todo o conforto, tudo que poderia desejar materialmente. Subitamente ele atingiu uma percepção, uma consciência. E não era muito velho quando atingiu essa percepção, tinha apenas vinte e nove anos quando percebeu que havia um buraco escuro dentro dele. A luz brilha do lado de fora, e assim é possível perceber a própria escuridão. Foi o que aconteceu.

(...)

Não faço a apologia da pobreza, não respeito a pobreza. A humanidade tem o direito às duas riquezas: espiritual e material. 

 

 

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites

Contando um pouco da minha experiência relacionado ao assunto... 

Eu me considerava uma pessoa tranquila, com um alto nível de paciência e compreensão até o dia que passei a conviver com alguém que me tirava do sério com a sua forma de ser, eu não compreendia o porquê de certas atitudes e então comecei a agir igual,  respondia na mesma proporção... se a pessoa gritasse eu também gritava e assim por diante.

Passado um tempo comecei a prestar mais atenção em mim e dizia para mim mesma que eu não era assim...  eu não era conflituosa e de repente me via naquele cenário! Então conclui que o melhor seria me afastar porque tal pessoa fazia com que eu reagisse daquela maneira.  

Mas isso não era verdade, o problema estava em mim! Porque no fundo eu nunca tinha lidado com uma pessoa assim. A aparência serena existia porque nunca tinha tido uma experiência assim... Então me afastar não era a solução, a solução passava por aceitar a outra pessoa tal como é sem que eu deixasse de ser quem sou. 

Aqui se aplica bem a frase que diz:

Seja luz em meio a escuridão 

Não se perca de quem és quando estiveres no meio de quem não és 

Conclusão: todas as pessoas diferentes que vivem em nosso meio é porque algo ainda temos que aprender com elas, são como nossos instrutores... 

O afastamento acontece naturalmente as vezes até por sintonia... 

Obs: ainda continuo com alguma dificuldade em lidar com esta pessoa, mas agora já vejo as coisas de uma maneira diferente e mais tranquila ?

Paz e luz 

  • Like 6

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, Maura disse:

Mas isso não era verdade, o problema estava em mim! Porque no fundo eu nunca tinha lidado com uma pessoa assim. A aparência serena existia porque nunca tinha tido uma experiência assim... Então me afastar não era a solução, a solução passava por aceitar a outra pessoa tal como é sem que eu deixasse de ser quem sou. 

Isso, @Maura!!... Acho que você tocou exatamente no ponto! É preciso tomar cuidado para não julgar mesmo que apenas mentalmente o outro porque, na maioria das vezes, aquele defeito que mais nos incomoda na outra pessoa, é algo que nos incomoda tanto justamente porque no fundo, escondido lá bem no fundo de nós mesmos existe este mesmo defeito que pode até não se manifestar da mesma forma que no outro mas está lá. E por sabermos inconscientemente que este defeito está lá esperando pra ser trabalhado é que ele nos incomoda tanto quando surge no outro.

Se você quiser saber o quanto já conseguiu evoluir em sua busca de espiritualização procure perceber se, e o quanto você consegue permanecer sereno mesmo no meio de pessoas mundanas sem que as suas más atitudes lhe afetem.

É claro que a gente tem que procurar estar em boas companhias e se abster de ir a lugares mais pesados energeticamente mas cabe o bom senso de se manter em equilíbrio sem exageros e sem se isolar do mundo a pretexto de se espiritualizar.

Pra quem tiver interesse existe um bom livro de Hermann Hesse chamado Sidarta que conta justamente a história de Sidarta Gautama e como este encontrou o "caminho do meio" por onde baseou tudo aquilo que, depois, viria a ser o budismo. Para quem não sabe, Sidarta foi o primeiro Buda (que significa Iluminado):

http://www.estantevirtual.com.br/busca?q=hermann+hesse+sidarta

É uma ótima história que traz boas reflexões para quem procura se espiritualizar de forma sadia.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

isso @Iogui e @Maura, tem razão 

a correta compreensão é um dos 8 caminhos do Buda, assim como o correto pensamento,  correta atitude, correta visão  etc

li no livro essência de Buda tb muito bom

não devemos nos afastar totalmente,  é um aprendizado para nos tb, seria como fugir e não enfrentar 

a partir do momento q paramos pra pensar pq a pessoa age daquela maneira, isso facilita muito nos relacionamentos,  inclusive evitando brigas e outras chateações

mas isso é relativo pq há pessoas q tornam impossível a convivência 

Share this post


Link to post
Share on other sites
5 minutos atrás, bandeirapvh disse:

isso @Iogui e @Maura, tem razão 

a correta compreensão é um dos 8 caminhos do Buda, assim como o correto pensamento,  correta atitude, correta visão  etc

li no livro essência de Buda tb muito bom

não devemos nos afastar totalmente,  é um aprendizado para nos tb, seria como fugir e não enfrentar 

a partir do momento q paramos pra pensar pq a pessoa age daquela maneira, isso facilita muito nos relacionamentos,  inclusive evitando brigas e outras chateações

mas isso é relativo pq há pessoas q tornam impossível a convivência 

Sou da mesma opinião. Há muito tempo que tenho problemas no seio familiar e amiúde vem-me ao pensamento abandonar tudo e ir viver para longe, talvez mesmo para outro país. Mas acabo sempre por desistir pois parece que estou a fugir aos problemas e a adiar a sua resolução.

Uma coisa que já descobri é que não posso exigir aos outros que pensem como eu. Não adianta pois eles não vão mudar só para me fazerem a vontade. E não estou a falar de pessoas mal formadas ou com vícios. Estou a falar de empresários, engenheiros, professores e por aí.

De vez em quando penso se o problemático não serei eu próprio que sou demasiado exigente com as pessoas. :unsure:

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas conviver com outros seres humanos é difícil mesmo, eu diria até que é uma tarefa árdua...é raro quem não tenha um desafeto, até mesmo porque as pessoas pensam e agem de maneira diferente.

Concordo com você @Maura, o indivíduo precisa estar em paz consigo mesmo, para poder viver em paz com os demais e cá entre nós, não é tarefa simples. Eu tenho muita dificuldade em tratar com pessoas mal educadas e folgadas, quando percebo já me descabelei, já fui grosseira e por aí vai...mas quem sofre com tudo isso sou eu mesma, pois a maioria dos ignorantes ainda pensa estar agindo corretamente.

Acho que espero demais das pessoas, porque eu busco ser correta, honesta e ter bom senso...mas nem todos pensam assim. Então de uns tempos pra cá, tenho trabalhado bem essa questão, tenho me conscientizado em deixar certas coisas de lado. (deixo pegar fogo e torço para que os bombeiros estejam em greve)....brincadeirinha. :P

Que cada um que faça aquilo que acha correto e arque com as consequências dos seus atos, afinal quem paga essa conta no final somos nós mesmos, então não adianta tentar convencer ninguém das nossas verdades...

 

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Familia que temos são justamente as pessoas com quem temos maior dívida.

Mas francamente não acredito que afastar-se seja o melhor caminho. O que mostramos pra eles assim? Que tipo de exemplo é esse?

Lembremos sempre que aquilo que nos falta é justamente aquilo que não damos.

A questão do dinheiro nem sempre é simples de ser entendida. Viver pra consumir é uma estupidez, mas quando o dinheiro vem como fruto de um trabalho justo, honesto e amoroso, então ele é uma recompensa pelo esforço, mas nunca deve ser motivo de apego.

"Deves saber, meu filho, que o reino de Deus inclui o reino das satisfações do mundo. Quando o coração sente um desejo justo e positivo, que não prejudique a ninguém, é o próprio Deus Interno que desperta e incita o homem para satisfazê-lo. É a própria Providência que quer expressar-se." - Jorge Adoum

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
10 horas atrás, albaman disse:

Sou da mesma opinião. Há muito tempo que tenho problemas no seio familiar e amiúde vem-me ao pensamento abandonar tudo e ir viver para longe, talvez mesmo para outro país. Mas acabo sempre por desistir pois parece que estou a fugir aos problemas e a adiar a sua resolução.

Uma coisa que já descobri é que não posso exigir aos outros que pensem como eu. Não adianta pois eles não vão mudar só para me fazerem a vontade. E não estou a falar de pessoas mal formadas ou com vícios. Estou a falar de empresários, engenheiros, professores e por aí.

De vez em quando penso se o problemático não serei eu próprio que sou demasiado exigente com as pessoas. :unsure:

@albaman seu texto exprime tudo que tenho passado. No começo do topico nao comentei, mas minha barra mais pesada é a familia!

De tempos em tempos ( crises em crises..rs) penso em simplesmente pegar minha tralhas e sumir. Pronto. O que o olho nao ve, o coraçao nao sente, e sentimentos ruins sao abafados ou ate esquecidos. Um primo meu fez isso , está em outro país ha 3 anos e diz que nunca foi tao feliz. Ele me falava que nao tinha como corrigir tanta gente torta, entao resolveu cair fora. Também acho radical demais, afinal dá a impressao de "fuga" e ja me acusaram disso.. Mas nao encaro como fuga ! vejo com uma possibilidade de ter PAZ, TRANQUILIDADE E ESCOLHA DE QUEM TER AO SEU LADO ! TEM GENTE ENCARNADA QUE É ENCOSTO MAIS RUIM QUE DESENCARNADO! 

Eu admito ser uma pessoa extremamente exigente = sou honesto, responsavel, respeito a tudo e a todos, gosto das coisas ( e pessoas) nos seus devidos lugares. Entao teoricamente gostaria de um tratameno igual ! Mas o ser humano tá um bicho ruim de lidar viu.... E voce esta certo, nao da pra exigir muito dos outros não....

Mas ...como nao dá pra não viver em sociedade....a gente segue se equilibrando no meio disso tudo.....

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tenho um pensamento de família que minha mãe demorou há tolerar. Família para mim são apenas Pai, Mãe, Vô e Vó., os demais são conhecidos.
O que jamais você pode fazer é deixar de viver sua vida seja qual for sua escolha com medo do que esses conhecidos e a própria família vai pensar, cansei de falar para minha mãe, cada um tem sua vida, suas vontades, seus desejos, suas ambições e as minhas não correspondem com a de vocês. Com 19 anos sai da casa dos meus pais e fui morar com meus avós em outra cidade, com 20 anos fui para frança tentar a vida, fui com uma mochila nas costas e uma promessa de emprego de um amigo da infância que vinha a me convidar a ir para lá, (detalhe eu só avisei que estava indo para lá na semana do vôo, comprei passagens, fiz passaporte e etc tudo escondido). Pela minha mãe eu viveria em uma cúpula de vidro, ela era tão protetora que para ir na sorveteria tomar um sorvete ela pedia para você não ficar embaixo da marquise, porque poderia cair.  Isso me sufoco e fez com que eu saísse de casa cedo. Até aqui não estou falando de mudança de pensamentos com espiritualidade e etc..., apenas de anseio de vida e pensamentos diferentes.
Então acho que em qualquer situação você tem que ser totalmente desprendido e desapegado desse lema Família. Por experiência digo que tudo só tende a melhorar após você assumir o seu papel como o Ser que é, suas atitudes e personalidade consolidada. Quando você conquista sua imagem, seus ideais e etc.. as pessoas irão parar para ouvir e o que vai acontecer é que se elas não estão de acordo com o que você expõem, é elas que vão se afastar de vocês e não você delas e quando elas começarem a mudar elas irão se reaproximar. 

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em quinta-feira, 19 de maio de 2016 at 20:18, Dio.Castro disse:

@albaman seu texto exprime tudo que tenho passado. No começo do topico nao comentei, mas minha barra mais pesada é a familia!

De tempos em tempos ( crises em crises..rs) penso em simplesmente pegar minha tralhas e sumir. Pronto. O que o olho nao ve, o coraçao nao sente, e sentimentos ruins sao abafados ou ate esquecidos. Um primo meu fez isso , está em outro país ha 3 anos e diz que nunca foi tao feliz. Ele me falava que nao tinha como corrigir tanta gente torta, entao resolveu cair fora. Também acho radical demais, afinal dá a impressao de "fuga" e ja me acusaram disso.. Mas nao encaro como fuga ! vejo com uma possibilidade de ter PAZ, TRANQUILIDADE E ESCOLHA DE QUEM TER AO SEU LADO ! TEM GENTE ENCARNADA QUE É ENCOSTO MAIS RUIM QUE DESENCARNADO! 

Eu admito ser uma pessoa extremamente exigente = sou honesto, responsavel, respeito a tudo e a todos, gosto das coisas ( e pessoas) nos seus devidos lugares. Entao teoricamente gostaria de um tratameno igual ! Mas o ser humano tá um bicho ruim de lidar viu.... E voce esta certo, nao da pra exigir muito dos outros não....

Mas ...como nao dá pra não viver em sociedade....a gente segue se equilibrando no meio disso tudo.....

Já dizia o Buda, rs: "A paz vem de dentro de você mesmo. Não a procure à sua volta."

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Gostei bastante desse vídeo de Arly Cravo, talvez se encaixe na problemática desse tópico, aliás, diga-se de passagem, é uma tônica que vira e mexe rege minha vida e relações interpessoais. Creio que tem coisas que se tornam praticamente impossível de conciliar, uma delas seria a questão de desafinidade. Acho que o vídeo resume bem a dinâmica dessas saias justas a que, se não todos, pelo menos a maioria de nós vive ou viverá em algum momento da vida. Esse vídeo me trouxe um alívio psicológico, só em pensar que não estou só nesse barco. rsrs

 

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.