• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Recommended Posts

Dos meus 16 anos aos 20 anos tive em torno de quatro experiências involuntárias de entrar em estado vibracional juntamente de catalepsia projetiva e pulsações/contrações no ouvido logo após acordar de um sonho.
 Em torno de uns dois anos atrás comecei a ir um pouco atrás do assunto e tentar atingir esse estado voluntariamente. Porém, devido à alguns eventos traumáticos (que não tiveram ligação nenhuma com o assunto) e outros motivos familiares dei uma parada pra me recuperar psicologicamente. Hoje com 22 anos voltei a praticar com mais frequência.
 Bom, em torno de uns dois meses atrás venho fazendo algumas técnicas de projeção e o que eu conseguia era sentir uma energização no corpo, estado de relaxamento e sensação de baloneamento, mas nenhum sinal daquelas fortes sensações que eu tinha logo após acordar de sonhos.
 Há pouco menos de uma semana, li aqui no fórum as técnicas do Raduga (bem por cima) e por já ter me ligado que todas as poucas vezes que entrei naquele estado foram por ter ligação com o sono, resolvi tentar.
 No dia seguinte, logo ao acordar, fiz aquela técnica de rotação. Em pouco tempo entrei num sonho e por surpresa minha já acordei naquele estado que eu tanto buscava (muito intenso por sinal), o que fez bater um forte medo e parar, numa mistura de frustração com felicidade.
 Desses dias pra cá estou focando nas técnicas do Raduga, hoje quase entrei novamente. Meu estado de consciência ficava alterando e por ver que estava "perdendo" o controle do corpo e indo com a consciência pra longe, resolvi parar.
 Percebi que continuo tendo um intenso medo do desconhecido, e se torna mais exacerbado pela projeção acontecer através daquele estado forte de EV.
 Devido a isso, há alguma forma mais sutil de se projetar sem ter todas essas sensações bruscas?

Share this post


Link to post
Share on other sites
41 minutos atrás, Kaique Ferraz disse:

No dia seguinte, logo ao acordar, fiz aquela técnica de rotação. Em pouco tempo entrei num sonho e por surpresa minha já acordei naquele estado que eu tanto buscava (muito intenso por sinal), o que fez bater um forte medo e parar, numa mistura de frustração com felicidade.

Mas pelo que li acima, você não sentiu EV nessa experiência.

O EV não é, nem de longe, um sintoma obrigatório na projeção. Quem começou com essa "ondinha" foi o Robert Monroe, quando ele explica sobre as tais "vibrações" e tenta, sem sucesso, explicar a tecnica.

Se você usar técnicas de separação mais mentais, como a do alvo mental, não vai sentir EV , ou sentirá um leve formigamento. Maasss, pode sentir aquele frio no estômago como dá quando o elevador começa a se mexer, eheeheh:

A técnica do Draja também não gera EV, pelo mesmo motivo do Alvo mental:

E pode usar o FARAON, que NÃO É FEITO PARA ALGUEM VIR TE TIRAR DO CORPO, com alguns dizem. Mas se você ficar repetindo aquilo e NÃO ADORMECER, e provável que alguém apareça, já que independente da técnica usada, se o maluco está ali há horas tentando, alguém se compadece da criatura, e a resgata, kkkk:

hqdefault.jpg

 

O FARAON é usado para você despertar no meio do sonho, portanto você pula os sintomas da saída. Porém, pode acontecer de você sentir um EV durante o sonho, e acordar devido a ele, eheeheh. Nada é perfeito:

Ou seja, repita isso uma meia dúzia de vezes, em voz audível, para gravar na mente o som. Depois fique repetindo apenas mnetalmente, e permita-se pegar no sono. O efeito é , durante o SONHO você  perceber "caraca! estou sonhando!". Mas tente controlar a emoção ou vai ser puxado para o corpo de novo. Tente meio que não deixar suas emoções perceberem que você notou que está fora do corpo, ehehehe.

Mas pode acontecer, caso você demore para adormecer, de vocêe estar ainda desperto quando ocorrer a separação natural, e aí, nesse caso você vai sentir o EV, mas não é esse o objetivo.

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Obrigado por responder rapidamente, Sandro.

Mas o que seria então estado vibracional?
Porque essa última experiência que eu tive (das poucas) eu acordei do sonho já consciente com uma vibração forte e involuntária percorrendo o corpo inteiro, um barulho bem alto de helicóptero voando com o ouvido se "contorcendo" e em catalepsia. Pensa num cagaço pra sair daquela situação kkkkkkkk


Quando eu chegar em casa vou dar uma olhada com calma nessas técnicas que você postou.
E deixa eu entender, esse FARAON você desperta no meio do sonho mas continua dentro dele como um sonho lúcido ou eu já acordo consciente fora do corpo?

Share this post


Link to post
Share on other sites
6 minutos atrás, Kaique Ferraz disse:

Mas o que seria então estado vibracional?
Porque essa última experiência que eu tive (das poucas) eu acordei do sonho já consciente com uma vibração forte e involuntária percorrendo o corpo inteiro

Sim, isso é o estado vibracional. Mas como você disse, foi ao ACORDAR. Existem dois, o EV de saída, e o de reentrada. Não há como evitar o de reentrada, você só pode evitar o de saída, se fizer como eu disse. No entanto os EV ficam cada vez mais fracos a medida que você vai produzindo eles, só os primeiros é que são meio traumáticos, parecendo um terremoto, ehehhe. O mais comum é que os de retorno sejam um leve formigamento, mas isso depende:

- de quanto tempo voce ficou fora do corpo

- do quanto se afastou

Quando mais tempo, e quanto mais se afastou, mais energia seu corpo astral absorveu do ambiente, então ao retornar aquela energia toda é descarregada no seu corpo etérico. Por issos se você estava apenas sonhando (tendo devaneios mentais sem sair quase do corpo, seu corpo astral apenas deitado ali junto ao corpo, pertinho), ao acordar não tem nada de EV, ou quase nada, prque como se afastou só centímetor,s nõ absorveu quase nada do ambiente.

O barulho de helicóptero faz parte desses momnetos de desencaixe, reencaixe. Tem também britadeira, serra de ferro, tiros, gritos, marretadas, mas são alucinações relacionadas, provavelmente aos processos energéticos de separação. Ou seja, releituras que seu cérebro faz do processo elétricos de separação.

15 minutos atrás, Kaique Ferraz disse:

E deixa eu entender, esse FARAON você desperta no meio do sonho mas continua dentro dele como um sonho lúcido ou eu já acordo consciente fora do corpo?

Vai depender do que está DE FATO acontecendo.

Se você estava sonhando dentro de uma ilusão mental, e despertar a lucidez, o sonho pode se romper e voc^descobrir que está projetado fora do corpo, parado no meio do quarto, or exemplo, u vagando na rua, porque a gente anda coo sonambulo em astral, sonhando com outras coisas, similar a uma pessoa distraída. Outras vezes você pode estar flutuando sobre seu corpo enquanto sonha, pode despertar a lucidez, o sonho s romper e voce descobrir que está flutuando sobre a cama.

Mas muitas vezes  você desperta dentro do sonho e ele continua ativo, como um sonho lúcido, como você diz. Nesse caso a gente tem que considerar a hipótese que você não estivesse sonhando, mas estivesse de fato projetado, fazendo aquilo com que voce sonhava,  só que agora despertou a lucidez, Nesta comprovação que relatei, achei que foi um "sonho", porque não tive lucidez alguma. Só depois quando se confirmou pelos demais pude concluir que foi uma projeção, um EVENTO ASTRAL, e não uma ilusão que aconteceu apenas dentro da minha mente, que seria a definição clássica de sonho:

 

 

Então você continua daí mesmo, decide se quer continuar no que está fazendo ou se quer sair dali e dar uma olhada no ambiente, ver se algumas das pessoas ali estão conscientes Em geral, quando você desperta, percebe que os outros, que até então pareciam normais, estão falando e agindo como se fossem zumbis, parecem mal te entender. Antes, quando você estava coo eles, eles te pareciam normais, mas agora que você despertou ,você vê o quanto eles estão "retardados". Isso é a falta de lucidez que todas as noites, nos sonhos, nos acomete.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 17/06/2016 at 13:33, sandrofabres disse:

Ou seja, repita isso uma meia dúzia de vezes, em voz audível, para gravar na mente o som. Depois fique repetindo apenas mnetalmente, e permita-se pegar no sono.

Ta aí uma coisa que não entendo muito bem, a mentalização de mantras.

Ora, se os mantras são combinacoes de vogais e consoantes que quando ditos, produzem uma onda sonora em certa frequência que estimulam algum chacra, como ele pode ser repetido mentalmente?

Como exemplo a vocalização das vogais para despertar os chacras, cada vogal vibra de modo a estimular certo chacra, a mentalizacao deles não teria nenhum efeito desejado pois não há estímulo para o chacra, certo?

Ou talvez eu esteja confundindo um com o outro rs

Share this post


Link to post
Share on other sites

São múltiplo efeitos paralelos.

Quando se trata de chackras, para estimulá-los você deve  se concentrar neles. A concentração no ponto leva energia para ele. ESSA É A TECNICA CHAVE.

O resto são técnicas auxiliares, e aí entram cores, sons, nomes sagrados, visualizações com movimentos, etc. Cada técnica auxiliar irá ADICIONAR um efeito a mais à técnica básica.

No caso de uma técnica uqe só visa estimular o chackras, se você não focar sua mente nisso, se apenas colocar um CD tocando, algum estímulo vai gerar sim, mas é pequeno.

Já o Faraon não visa o efeito do som físico nos chackras,  mas um efeito na consciência. Não dá para criar uma regra de que "TODO MECANISMO DO MANTRA É X"", ou criam-se aquelas bobagens de gente que acha que "mantram é para chamar espíritos". Alguns sim são para isso, outros não. Tem que conhecer cada um que você pretende usar.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Seria algo como o pranayama?

Tipo, não lembro em qual livro gnóstico eu li, maa também foi dito no curso, sobre a execução do pranayama, aquele básico de fazer a técnica de respiração ao amanhecer, de preferência virado para o oriente.

Mas em outro livro também li sobre um pranayama com mantra tom alguma coisa... nao lembro direito. E outro pranayama com apenas um mantra no final. Esses mantras seriam auxiliares também?

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, sandrofabres disse:

São múltiplo efeitos paralelos.

Quando se trata de chackras, para estimulá-los você deve  se concentrar neles. A concentração no ponto leva energia para ele. ESSA É A TECNICA CHAVE.

O resto são técnicas auxiliares, e aí entram cores, sons, nomes sagrados, visualizações com movimentos, etc. Cada técnica auxiliar irá ADICIONAR um efeito a mais à técnica básica.

No caso de uma técnica uqe só visa estimular o chackras, se você não focar sua mente nisso, se apenas colocar um CD tocando, algum estímulo vai gerar sim, mas é pequeno.

Já o Faraon não visa o efeito do som físico nos chackras,  mas um efeito na consciência. Não dá para criar uma regra de que "TODO MECANISMO DO MANTRA É X"", ou criam-se aquelas bobagens de gente que acha que "mantram é para chamar espíritos". Alguns sim são para isso, outros não. Tem que conhecer cada um que você pretende usar.

Sandro, tudo bom?

Gostaria de aproveitar essa questão ´para esclarecer uma dúvida sobre exercícios com chakras. Bom, se eu me concentrar no próprio chakra eu desperto a atividade dele. Mas desperta de qualquer forma? Quer dizer, pode ser descontrolado ou exagerado? Qual seria a melhor técnica para ativar os chakras mas de forma equilibrada, para fazer uso dos atributos positivos e não dos negativos de determinado chakra. Exemplo: Me concentro no plexo solar para trabalhar a energia da vontade, mas estimula demais e a pessoa fica ansiosa. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não conheço uma " melhor técnica" . O que sei é que estimular chackras é perigoso justamente porque nao tem muito como voce controlar. O recomendado é nunca se focar em um deles por mais de 10 minutos , e o ideal é estimular todos igualmente, nunca issode pegar só o frontal por exemplo e trabalhar só ele. Trabalhe todos igualmente, para manter o equilibrio que voce ja tem. No caso de uma emergência, eu arriscaria estimular um pouco o chackra acima daquele que esta hiperativo, para fazer a energia  em excesso começar a fluir para esse outro, mas sem estimular esse proximo na mesma intensidade. 

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

A Nanci Trivellato sustenta que uma das formas mais seguras de se trabalhar os Chakras é através de OLVE/EV até mesmo porque, quando você está fazendo uma OLVE, está estimulando todos os Chakras ao mesmo tempo e, se está fazendo direito, está estimulando todos da mesma forma além da OLVE contribuir para trabalhar possíveis bloqueios de energia que possam estar associados a um ou outro Chakra. Mesmo que você não chegue a atingir o EV a OLVE é benéfica. A vantagem da OLVE é que não há contra indicação. Pode fazer a vontade que não vai te causar um desequilíbrio nos Chakras.

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.