Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

inteligencia; atributo físico ou espiritual?


insano
 Share

Recommended Posts

Quando criança eu costumava ser extremamente inteligente, muitas vezes eu costumava até dar lições em alguns professores que diziam coisas burras e sem lógica, eu estava sempre milhas a frente dos outros alunos e tinha o raiciocínio rápido e memória excelente.

 

Porém não sei que maldição caiu sobre mim e me tornei um completo burro abaixo da média, tenho dificuldades para falar de forma coerente, entender o que os outros falam, conseguir e manter emprego...

 

sabendo que a medicina não me ajudaria muito em minha causa, venho procurando incessantemente métodos "alternativos" de aumento de inteligência, mas nenhum parece funcionar

 

nunca gostei do conceito de karma, sempre achei uma crença cruel a aprisionadora, mas as vezes me pergunto se isso for real e talvez eu realmente tenha feito m******* em alguma vida passada

 

me sinto extremamente triste e contemplo suicidio todo dia, perder algo que eu tanto valorizava e ser forçado a trabalhar num serviço braçal... não por falta de estudo ou irresponsabilidade, mas por pura INCAPACIDADE

 

todos meus sonhos foram todos por água abaixo e me da nojo só de saber que amanhã tenho que acordar cedo pra voltar a fazer serviço braçal e ganhar uma merreca

 

eu uso todo meu tempo livre pesquisando pela internet uma maneira de recuperar minha inteligencia

 

pra quem fala ingles, a condição pelo que passo se chama "brain fog"

 

é algo tão sério que já perdi a memória de maior parte de minha vida

 

mas enfim, quais são as possíveis causas espirituais para explicar a minha situação?

 

existe algum exercício ou tecnica espiritual que possa me auxiliar?

Link to comment
Share on other sites

Eu desconheço que exista algo normal que faça uma pessoa perder sua inteligência. 

  Se você não faz nada que lesasse suas  funções intelectuais (como usar drogas na adolescência, precisar tomar remédios fortes, passar por trauma emocional forte*) acho difícil de aceitar que possa ter perdido inteligência, porque com a vida novos estímulos, novas sinapses se formam (supondo que não tenha abandonado a escola na idade que deveria estar estudando).

 

* eu não estou afirmando que drogas, remédios ou traumas emocionais fortes afetem a inteligência, mas pelo que já vi, eventualmente, raramente...um ou outro indivíduo dá azar e fica meio "sequelado" devido a alguma dessas coisas, que não afeta tanto à maioria dos demais.

 

Também me parece, não sei, que inteligência é do espírito, não do cérebro. Porém, qualquer coisa que reduza a eficiência do cérebro limitará a completa expressão do espírito. Ou seja, você pode ter um ferro atravessado no seu cérebro e isso destruir algumas partes e até afetar o comportamento porque REDUZ a expressão do que você é. Mas o contrário nã é verdadeiro, não adianta fabricar um super-cérebro se o espírito que o usa não tem uma super-mente. O Barichello com uma Ferrari na mão nunca virou um Schumacher, mas o Schumacher, depois de bater a cabeça, nem falar consegue mais. Mas fora do corpo, funcionando sem depender do cérebro, não muda nada. Nem todo mundo que é malucão aqui no físico é malucão quando sai do corpo, embora alguns sejam sim, e deve ter muito  mais loucos desencarnados do  que encarnados.

Mas quando notou  isso começando?

Uma hipótese que eu levantaria, para você investigar, porque não sei se é possível mesmo, seria algum tipo de implante astral. Os obsessores mais espertinhos costuma usar equipamentos astrais, chamados de mecanismos de obsessão complexa. Realmente desconheço que posam afetar a inteligência, mas...como pode afetar funções corporais, e no sistema nervoso, não é de duvidar que possam afetar a "inteligência".

Olha estes trechos do livro do Lacerda:

..............

2. Obsessão complexa


Paciente: J. D., sexo feminino, solteira, branca.
Idade: 35 anos.
Residência: São Paulo (SP)
Data do atendimento, A distância: 20.11.84
.

Há vinte dias J. D. praticou tentativa de suicídio ao atirar-se do sexto andar de um edifício, em crise de profunda perturbação mental. Há oito meses fiem tendo surtos de angústia, confusão mental, insônia rebelde e desejo de morrer, quadro que, ultimamente, começa a se agravar. De neurose (diagnosticada pelos médicos), a síndrome psicopatológica evolui para a psicose franca, que resiste a toda terapêutica psicológica e psiquiátrica.


A paciente sempre teve temperamento de características esquizóides: ensimesmada, retraída, quase enfermiça em suas manifestações temperamentais, sempre temerosa. Aos olhos dos médicos, o foco da angústia atual reside nas frustrações da área afetiva: o noivo de J. D., parece, passara a inclinar-se por outra moça.A queda do sexto andar seria o fim de tudo. Mas I. D. não morreu. Por sorte incrível, sofreu apenas fraturas pequenas, sem importância; nem mesmo se detectou qualquer traumatismo craniano. Ficara, no entanto, em surto psicótico agudo, praticamente inconsciente, presa de agitação psicomotora tão intensa que obriga os médicos a sedá-la fortemente. Hospitalizada desde o evento nefasto, o prognóstico clínico-psiquiátrico se apresenta sombrio. Estas são as condições da doente quando familiares dela nos procuram (...)

Aberta a freqüência vibratória de I. D., dois obsessores logo se apresentam, trazidos pelo  poderoso campo-de-força estabelecido. Reconhecemo-lo como exus, pelo estado animalesco. Vestem molambos fétidos, têm cabelos compridos e desgrenhados, pele grossa e suja, mãos enormes e peludas, unhas aduncas, pernas curtas e tortas. Falam por monossílabos acompanhados de grunhidos. (...) Começamos o tratamento cuidando dos exus, pois sempre que se consegue atraí-los para
nossa causa eles ajudam a desmanchar a feitiçaria (conforme já explicamos em detalhes, em outros casos). Projetamos energias para limpeza de seus corpos; para vesti-los; para aparar-lhes as unhas, os cabelos e, por fim, assumirem forma humana mais compatível com a dignidade natural das criaturas.

Eles se sentem mais aliviados com a transformação benéfica, mais leves, esperançosos em finalmente escapar do longo cativeiro em que vivem. Concordam, por isso, em trabalhar conosco, apesar do temor que ainda demonstram em relação a seus chefes, nas Trevas. Revelam-nos, então, que a vítima sofreu dois terríveis trabalhos de magia, renovados todas as semanas, às sextas-feiras. Um deles, trabalho de cemitério, tem a finalidade de levá-la ao túmulo; outro, feito em sete encruzilhadas, objetiva enlouquecê-la. (O que, aliás, quase conseguiram; se não houve o desejado desenlace, a paciente perdera a razão.)" Cuidamos primeiro do trabalho no cemitério.


Em cova recentemente aberta, há um cadáver em adiantado estado de decomposição, com o crânio fendido e, dentro, um pequeno papel encerado, com o nome da paciente. Junto ao corpo está um boneco com um grande estilete preto cravado na cabeça; perto, alguns objetos de uso da paciente, muitos fragmentos de roupas e um par de meias dela, além de seu retrato, fitas coloridas, velas etc.(...) (p.110)

.............

Há anos vimos constatando, nos enfermos atendidos na "Casa do Jardim", a presença de pequenos e estranhos aparelhos colocados com muita precisão e perícia na contraparte astral do sistema nervoso. Eles aparecem para os videntes como se estivessem fixados no corpo físico, já que o corpo astral se sobrepõe a ele. Como este corpo espiritual tem fisiologia em tudo semelhante à física, qualquer perturbação de seu funcionamento fatalmente repercute nesta, decorrido pouco tempo.

No início de nossas observações pensamos que a surpreendente presença desses aparelhinhos só pôde ser descoberta porque os médiuns estavam desdobrados pela apometria; permanecendo na dimensão espiritual durante toda a sessão de trabalhos, ficavam em condições de ver, em detalhes, a estrutura astral e desvãos anatômicos dos pacientes. Vimos, depois, que esta percepção também é resultado de simples clarividência, sem recurso ao desdobramento. Temos, hoje, explicação ainda mais plausível, que talvez esclareça a razão por que esses aparelhos não foram identificados há muito mais tempo: é provável que os médiuns, vendo, não possuam noção exata do que vêem.

Explicamos: de ordinário, os aparelhos são pequeníssimos; e as pessoas que têm condições de vê-los raramente conhecem os detalhes anatômicos do sistema nervoso.

Por tudo isso, quando nos defrontamos com o primeiro caso, já lá vão quatorze anos, nossa surpresa foi enorme. Tratava-se de algo totalmente anômalo. Desconhecido. Não tínhamos  qualquer referência sobre o assunto, nem o que consultar, para esclarecimento.  Nestes últimos quatorze anos, porém, o volume de casos atendidos, tratados e observados foi crescendo constantemente. Já podem ser contados mais de mil, com os mais variados graus de complexidade, sofisticação e gravidade de efeitos.

1. Como funcionam

A finalidade desses engenhos eletrônicos (eletrônicos, sim; e sofisticados) é causar perturbações funcionais em áreas como as da sensibilidade, percepção ou motoras, e outros centros nervosos, como núcleos da base cerebral e da vida vegetativa. Mais perfeitos e complexos, alguns afetam áreas múltiplas e zonas motoras especificas, com as correspondentes respostas neurológicas: paralisias progressivas, atrofias, hemiplegias, síndromes dolorosas etc., paralelamente às perturbações psíquicas.
Como se vê, o objetivo é sempre diabólico: desarmonizar a fisiologia nervosa e fazer a vítima sofrer. A constante interferência no sistema nervoso provoca perturbações de vulto na vida vegetativa e, sobretudo, no vasto e nobre domínio da mente. As vítimas desse tipo de obsessão sofrem distorções quase imediatas na apreciação de valores, com desvios de conduta que terminam por lhes desestruturar as personalidades.

A técnica mais corrente é fixar o aparelho no cérebro ou ossos do crânio, com parafusos especiais. Em seguida são feitas ligações por finíssimos filamentos, com diversas áreas do sistema nervoso central ou núcleos ao longo da medula, de acordo com o efeito especifico desejado. Em alguns aparelhos, vimos que recebiam sinais eletromagnéticos de controlada e variável intensidade. Emitidos por enormes bases muito bem instaladas em locais de difícil acesso, no Umbral, eles afetavam continuamente determinadas áreas do cérebro, causando esgotamento e fadiga funcional. Alterando o limiar da resposta fisiológica a determinados estímulos normais, eram emitidos comandos anômalos e intempestivos para a área auditiva, por exemplo; induziam a atitudes estranhas e ridículas (perturbando o convívio social da vítima), sugeriam formas de autodestruição e compeliam a toda uma gama de ações nefandas ou esdrúxulas, diretamente injetadas no cérebro.


Casos há em que notamos continua emissão de vibrações de baixa freqüência, de baixo volume e pequena amplitude, subliminar à resposta. Essas emissões visam cansar o paciente, quebrando-lhe a resistência, de modo a torná-lo obediente às ordens que depois receberá. Assim preparada, condicionada, a vítima recebe ordem súbita ou ouve voz galhofeira com comentários desabonadores à sua pessoa ou conduta. Não sabendo a que atribuir o fenômeno, estupefata, estressada e confusa, a pessoa tende a se julgar completamente louca. Além disso, os agressores sabem esperar e encontrar ocasião propícia. No momento certo, preparado e aguardado com requintes de crueldade, fazem a pessoa ouvir gritos acusando-a de homossexual, por exemplo. Aterrorizada, em pânico. a vítima não sabe a quem apelar. Desamparada e indefesa, não demorará
a entregar-se por inteiro aos seus algozes, depois de se convencer de que a Medicina é impotente para sanar um mal tão exótico. (p.124)
.............

Há cerca de seis anos procurou-nos um paciente, diretor de banco, com estranha manifestação patológica, cuja etiologia os médicos não conseguiam identificar. Isso nem chegava a causar surpresa, pois a própria sintomatologia não se enquadrava nas síndromes conhecidas.
Começara a sofrer crises de desmaios, com suores abundantes, extremidades frias e exagerada palidez - quadro que seria facilmente identificável como lipotimia, não fosse a ausência de hipotensão arterial. Assemelhava-se a um choque vagal, isto é, perturbação funcional neurovegetativa.
O ataque súbito não apresentava causa visível detectável. Surgia em pleno trabalho do enfermo, quando se concentrava e exigia mais do intelecto. O próprio paciente já observara que os ataques somente apareciam durante os estados de concentração ativa.
Todos os EEG não apresentaram traçados anômalos, mesmo durante as crises, razão porque foi definitivamente descartada a hipótese de epilepsia. Com efeito, não havia perda de consciência. Mas o choque invalidava a vítima por dois ou três dias, para o exercício de suas funções na diretoria do banco. Decorridos seis meses de tratamento e investigações clínicas, sem resultados ou melhoras, frustrado, o paciente chega à "Casa tio Jardim". Demonstra grande preocupação, pois sente que acabará sendo aposentado por invalidez, com apreciáveis prejuízos financeiros. A apometria revela, de imediato, a causa do mal.

Na base do cérebro está implantado um aparelho eletrônico, parasita, com realimentação. Saindo do engenho, filamento longo foi mergulhado, através da bainha mielínica de um tronco nervoso (bainha de Schwann). em plexo nervoso do pneumogástrico. Outro filamento se liga à "placa motora" de músculo esquelético: no caso a inserção occipital esquerda do músculo trapezius. Quando o doente, sentado, se concentra no trabalho, tem por hábito dobrar o corpo para frente, baixando a cabeça. Isso exige certa contratura dos músculos dorsais. Esta contratura funciona como "gatilho": a energia produzida pela ação muscular vence o limiar de calibração do aparelho e um minúsculo disjuntor liga a corrente que desaba em cheio num dos núcleos reguladores do tônus arterial, provocando o colapso do sistema sangüíneo.

O tratamento é simples. E rápido. O aparelho é retirado. Capturamos o técnico umbralino e o obsessor, causador da maldade. O paciente fica inteiramente recuperado, na hora. Tratado sábado pela manhã, retoma o trabalho na segunda-feira seguinte. Nunca mais teve desmaios. (p126)

......................

Lacerda 1 Espírito - Matéria.pdf

 

 

 

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

Concordo com o Sandro... É bem provável que seja um implante no centro nervoso, talvez no bulbo cerebral.

Não quero julgar nem nada... Mas não sei como você se portava com sua inteligência, mas com parte do que relatou, é possível observar que existia certa arrogância (me perdoe se eu estiver errado), e esse tipo de comportamento é a brecha necessária para conseguirem ter acesso a você. Geralmente inimigos contratam outros espíritos mais inteligentes pra realizarem a criação e o implante de aparelhos eletrônicos nas vítimas.

Eu tive um episódio similar ao seu ultimamente, como estou sempre me observando, constatei certa dificuldade ao pensar nos desdobramentos das situações, considero-me bastante racional e estou sempre observando e pensando sobre outras situações... Então percebi que era como se meu "processador" cerebral tivesse passado de 3,0 ghz pra 1,5ghz...

Pedi para minha mãe, que trabalha no mesmo centro espiritualista que eu, para que observasse durante o trabalho se sentia algo em minha cabeça... No final da sessão de caridade ela relatou que havia um aparelho metálico que subia desde C1 até minha nuca... E que durante o trabalho das pombagiras (aspecto feminino de exu), elas haviam realizado o desmanche dessa estrutura.

Recomendo que você procure uma casa de Umbanda Séria e/ou um centro que realize atendimentos com apometria sem cobranças.

Link to comment
Share on other sites

Obrigado pelas respostas

 

Então, eu sinto como se realmente existisse algo bloqueando meu cérebro, se eu fechar os olhos sinto como se existisse algo se movendo dentro de minha cabeça e a desorganizando... eu posso dormir a noite inteira que não me sentirei descansado, não sonho e vivo 24h/7 com desconforto mental. Hoje estou nos meus dias melhores e consigo escrever com mais coerência, mas minha cabeça continua exausta

 

a inteligência esta ali de certa forma mas não posso acessá-la... e nos meus piores dias meu cérebro se torna dormente e eu não consigo somar 2 com 2(ontem por exemplo)

 

antes disso eu até me projetava e tinha umas experiencias legais. Hoje me sinto sufocado pela materialidade e pelo desconforto incessante em meu cérebro, a vida perdeu sua qualidade doce e etérea e se tornou um inferno. Me sinto morto, até deus esta morto para mim, já que sou incapaz de manter qualquer forma de contato com ele. A única coisa que sinto é o inferno incessante que são as sensações pesadas causadas por esse corpo físico e material

 

nunca usei drogas, não me idetifico com TDAH, sim, já passei por traumas e eu era arrogante e orgulhoso de minha inteligencia, mas hoje não sou mais e mesmo que minha inteligêncai retornasse eu não me tornaria arrogante, já que agora entendo o lado do menos afortunados intelectualmente

 

como posso remover esse implante(se é que existe um)? Qualquer centro espírita decente faz a remoção? Tem um centro de umbanda onde tocam uns tamborzões do lado da minha casa, to até me sentindo tentado de ir agora...

Link to comment
Share on other sites

2 horas atrás, insano disse:

Então, eu sinto como se realmente existisse algo bloqueando meu cérebro, se eu fechar os olhos sinto como se existisse algo se movendo dentro de minha cabeça e a desorganizando... eu posso dormir a noite inteira que não me sentirei descansado, não sonho e vivo 24h/7 com desconforto mental. Hoje estou nos meus dias melhores e consigo escrever com mais coerência, mas minha cabeça continua exausta

 

Existe a possibilidade de haver um elemental dentro de sua cabeça astral. Não vou entrar em detalhes, mas pelo que eu sei até o momento implantes não se movem. Porém, os cientistas das "trevas" estão sempre criando e modificando seus aparatos tecnológicos...

O que eu sei é que os elementais podem ser manipulados negativamente por magos negros, e isto é uma possibilidade pois já presenciei isso num atendimento, no qual uma entidade da linha de Iansã foi quem o devolveu a "natureza" para recuperação. Obs: O elemental estava dentro da cabeça da paciente.

 

2 horas atrás, insano disse:

nunca usei drogas, não me idetifico com TDAH, sim, já passei por traumas e eu era arrogante e orgulhoso de minha inteligencia, mas hoje não sou mais e mesmo que minha inteligêncai retornasse eu não me tornaria arrogante, já que agora entendo o lado do menos afortunados intelectualmente

Meu amigo, muitas vezes a dor nos chama para a reflexão necessária sobre nosso comportamento, sobre nossa vida... Por isso acredito que pelo seus relatos existe essa interferência, sim. Contudo, não existe cura imediata, mas sim um processo... É preciso que essa tua busca pelo reequilíbrio te faça refletir sobre tuas crenças, pensamentos, emoções, sobre teus propósitos nesta encarnação. O mais indicado realmente era uma casa que realizasse tratamentos com apometria, porém, se não há essa possibilidade, não quer dizer que a espiritualidade não irá te ajudar... De alguma forma serás direcionado para o local mais adequado para tua situação. Se eu tivesse que escolher uma casa... Procuraria por uma casa espiritualista, na qual houvesse bastante estudo e nenhuma cobrança pelos atendimentos.

Quem sabe visita umas 2,3 casas... Toma um passe em cada uma e tenta refletir qual te fez mais bem. Sem esquecer que, dada a circunstância... É possível que sintas algum desconforto antes de chegar ao local ou até mesmo antes do momento do atendimento, pois se realmente isto está ocorrendo contigo, trata-se de uma obsessão complexa, e quem fez, não irá querer que seja desfeita.

Link to comment
Share on other sites

É por fase, tem altos e baixos e de vez em quando só entra maluco. Mas esse, pelo menos, fez uma pergunta interessante. Tem cara que entra aqui a sério, e só quer agredir, esse entrou de sacanagem mas pelo menos se comportou de forma normal.

Quando eu era da gnose, soube que tivemos um policial infiltrado por 3 anos, Ele só se revelou quando chegou na hora de virar membro mesmo, quando então acontece uma cerimônia, tipo "iniciaçao", embora não seja bem isso. Queria ver se aquela "seitar" não era perigosa, eheehh.

E o cidadão achando que a polícia não sai do escritório hein? ehheeh

Link to comment
Share on other sites

1 hora atrás, sandrofabres disse:

Quando eu era da gnose, soube que tivemos um policial infiltrado por 3 anos, Ele só se revelou quando chegou na hora de virar membro mesmo, quando então acontece uma cerimônia, tipo "iniciaçao", embora não seja bem isso. Queria ver se aquela "seitar" não era perigosa, eheehh.

Caramba!!... e depois ele manteve contato ou só arquivou o caso e foi-se embora? Hehehe

3 horas atrás, insano disse:

TUDO O QUE EU ESCREVI AQUI É MENTIRA PLAYBOYS, FOI APENAS UM EXPERIMENTO SOCIAL

 

VLW FLW E ATÉ MAIS

É bom pra galera ver que não dá pra acreditar em tudo que postam por aí. É sempre bom analisar o que se está lendo antes de simplesmente acreditar pois o fórum é público e a internet possibilita acesso por parte de qualquer tipo de gente. As vezes as informações são revestidas de verdades para se mascararem de forma a ficarem mais críveis mesmo guardando por traz, grandes mentiras.

Link to comment
Share on other sites

2 minutos atrás, Iogui disse:

Caramba!!... e depois ele manteve contato ou só arquivou o caso e foi-se embora? Hehehe

 

Foi embora, nunca se interessou por nada, apenas fingiu interesse, ehhheh. Mas claor, ao encerrar  o trabalho ele abriu o jogo, contou tudo e então e foi.

Citar

É bom pra galera ver que não dá pra acreditar em tudo que postam por aí. É sempre bom analisar o que se está lendo antes de simplesmente acreditar pois o fórum é público e a internet possibilita acesso por parte de qualquer tipo de gente. As vezes as informações são revestidas de verdades para se mascararem de forma a ficarem mais críveis mesmo guardando por traz, grandes mentiras

É, mas também ninguém perde nada por ser enganado. Não podemos nos dar ao luxo de duvidar dos sujeitos que chegam aqui alegando problemas. Ceder a isso seria dar a vitória ao pilantras, que talvez se achem espertos por enganar alguém, mas na verdade não é esperteza alguma, é at´um princípio legal que todos são inocentes até que se prove o contrário.  Temos que tratar a pessoa pelo que ela nos apresenta, ate porque, como eu disse, não há nada a perder em dar atenção a alguém né? O sujeito apresenta um enigma, e nós oferecemos respostas, soluções, sugestões. Ainda que o sujeito tenha mentido, as soluções/sugestões que ofercemos são verdaderias, e portanto  úteis a outros que venham ler este tópico. Então para nós tanto faz.

Mas se  o cara tivesse pedido grana, aí era outro papo, kkkk

Link to comment
Share on other sites

Dar dinheiro... só se for pro tratamento do indivíduo. hahha

Mas realmente, as perguntas eram interessantes e faziam muito sentido dentro do contexto da obsessão complexa. Contudo, como o Sandro disse, essa informação vai ficar disponível no Fórum pra quem quiser, pode ser útil pra alguém ainda.

Link to comment
Share on other sites

1 hora atrás, sandrofabres disse:

Foi embora, nunca se interessou por nada, apenas fingiu interesse, ehhheh. Mas claor, ao encerrar  o trabalho ele abriu o jogo, contou tudo e então e foi.

É, mas também ninguém perde nada por ser enganado. Não podemos nos dar ao luxo de duvidar dos sujeitos que chegam aqui alegando problemas. Ceder a isso seria dar a vitória ao pilantras, que talvez se achem espertos por enganar alguém, mas na verdade não é esperteza alguma, é at´um princípio legal que todos são inocentes até que se prove o contrário.  Temos que tratar a pessoa pelo que ela nos apresenta, ate porque, como eu disse, não há nada a perder em dar atenção a alguém né? O sujeito apresenta um enigma, e nós oferecemos respostas, soluções, sugestões. Ainda que o sujeito tenha mentido, as soluções/sugestões que ofercemos são verdaderias, e portanto  úteis a outros que venham ler este tópico. Então para nós tanto faz.

Mas se  o cara tivesse pedido grana, aí era outro papo, kkkk

Claro, Sandro, com certeza as informações que vocês postaram podem ser úteis para alguém que venha a ter a necessidade sim.

Eu estava apenas aproveitando para refletir sobre a importância de se manter o pé no chão ao ler qualquer informação que se obtenha de um meio tão volátil e de fácil disseminação como a internet mas minha observação também é válida para livros, palestras, etc.

O buscador da verdade deve sempre analisar tudo com o crivo da razão, com espírito crítico. Com isso não estou querendo dizer pra duvidar de tudo ou pra descartar as informações por excessivo rigor. Mas é sempre bom buscar um equilíbrio nisso assim como em qualquer coisa.

E também concordo, Sandro, que devemos atender e procurar ajudar a todos independente do caso ser verdadeiro ou falso. Mesmo porque, assim como mencionou o amigo @otavioavp, as informações vão ficar aqui no fórum para quem quer que venha a precisar. E esse é o objetivo de um fórum, certo? ;-)

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...