• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
NanMed

Qual técnica você usa para o auto-conhecimento ou auto-domínio

Recommended Posts

Prezados salve!

Eu gostaria de saber qual técnica você usa para o auto-conhecimento ou auto-domínio, sabendo que só se domina quem se conhece. Bem, para estimular sua contribuição eu vou colocar aqui como eu faço, já há dois anos. Tenho obtido bons resultados, mas gostaria de conhecer outras técnicas/práticas/formas que são usadas efetivamente pelos colegas. Peço que você relate o que você usa, não o que você leu, ouviu ou soube de alguma forma; pois o mais interessante são os resultados.

Segue a minha participação nessa pesquisa:

O que é?

Bem, na antiguidade no frontispício do templo de Delphos havia uma inscrição que dizia: "Conhece-te a ti mesmo.". Curiosos sobre como obter esse domínio alguns buscadores foram ao encontro de Santo Tomás de Aquino e a ele perguntaram como era possível aquilo. Tomás de Aquino já havia passado pela transição, dessomado, morrido..., como queira.

Tomás de Aquino lhes falou que todos os dias, à noite, quando chegava em casa, fazia um balanço de como tinha sido seu dia. Avaliava cada conversa, detalhe e criava conceitos, preceitos para usar em futuras necessidades. Esse foi o resumo que Tomás de Aquino deu a seus buscadores.

A Técnica

Eu li essa história e já não lembro mais aonde, mas pensei alguns dias na resposta que Tomás de Aquino havia dado. Considerei que um dia é pouco para se avaliar qualquer coisa. As vezes uma conversa, que seja, se desenrola ao longo de vários dias ou mesmo semanas. Então, pensei em fazer uma pequena alteração do que foi proposto por Tomás de Aquino. A técnica é a seguinte:

Todos os dias eu paro durante uma hora (exata) e reflito sobre fatos que ocorreram em minha vida. Faço isso em voz alta. Não simplesmente revendo o fato, mas contando ele como se eu falasse com alguém presente (na verdade eu próprio), ou seja, como se eu contasse uma história: "Quando eu tinha 6 anos, uma tia disse-me que...." A partir daí segue um completo relato do que houve, conforme a minha interpretação. Nesse momento, não faço juízo de valor algum; apenas conto uma história.

Num segundo momento, ajo como se eu fosse aquele que ouviu a história e passo a fazer considerações; tudo em voz alta. Óbvio que é adequado estar absolutamente sozinho nessa hora.

Bem, como se fosse uma seção de psicoterapia, psicanálise ou psicologia; ao completar uma hora eu paro o processo e anoto onde cheguei.

Comecei a fazer isso, lembrando de fatos de minha infância mais tenra; pois é na infância que são plantados os principais fantasmas que nos acompanham. Comecei lembrando algo dos 10 anos, depois consegui chegar aos 7 anos, depois aos 6. Antes disso não consegui, lembre isso não é auto-hipnose, é auto-análise. Então eu não queria ser muito rigoroso na cronologia, mas queria separar idades da infância das idades da adolescência, jovem, adulto e assim por diante.

 

Resultados

Me surpreendi com os resultados. Relembrei de fatos que minha mente tinha simplesmente apagado em momentos da minha vida. Esses momentos voltaram como que num flash. cheguei a lembrar de nomes de pessoas que não vejo a décadas. Dá uma lucidez incrível isso. No começo houve um certo marasmo, mas passados umas 6 ou 7 semanas eu tinha muito daquele período claro em minha mente. Ao relembrar de alguns fatos, de décadas atrás, pude procurar algumas pessoas e isso ensejou que conversássemos sobre o assunto, ajudando a colocar uma pedra sobre o fato.

Consegui fazer algumas profundas análises a partir unicamente da lembrança desses fatos. Minha consciência passou a ser mais seletiva nos atos que seriam praticados no âmbito do plano físico e isso por si só foi muito legal.

É isso. Conte como você faz? Gostaria de saber sobre isso, pois é um dos assuntos que mais pesquiso no momento além do OLVE e EV. Prometo colocar um resumão sobre essas técnicas e dispor à todos.

P.S. Sandro, espero que isso não seja contra os princípios do fórum, se for me fale e pode retirar. No problema.

Abração. 

Ernani Medeiros

  • Like 6

Share this post


Link to post
Share on other sites

Claro que não é contrário aos princípios do fórum Ernani, porque isso é espiritualidade : Lapidar nossa psique.

Olha,eu passei uns anos como instrutor gnóstico ( Gnose do Samael Aun Weor ), então praticava o que se ensina na gnose, que é  morte do ego. Depois, quando me afastei,  parei com tudo, para dar uma arejada. Fica difícil renovar se você continua praticando as mesmas coisas, mas foi até hoje a única abordagem metódica de auto-aperfeiçoamento que conheci, que não é apenas papo furado. E os resultados são os esperados: eliminação do problema. Ou seja, você tem por exemplo uma fixação em algo, um vício, um hábito, e trabalha com essa técnica, a´te que chega um ponto em que não consegue mais nem entender o que é que te fez um dia achar aquele hábito interessante. Mas claro, isso não é para vícios, hábito, isso é para tudo, orgulho, ira, cobiça, inveja, ansiedade, etc. A pegadinha é que a técnica só funciona se você consegue não se indentificar com aquilo que você quer eliminar.

Ou seja, você precisa, durante o dia a dia, criar um estado o mais permanente possível de "lembrança de si", que é similar à "lucidez projetiva" (sabe quando você está projetado então pode se deixar levar por situações que tentam atrair sau atenção, ou perde a lucidez?"), e nesse estado você observa seus processos internos, mente, emoções, etc...como quem observa algo fora de si. Você não pensa "eu me irritei com isso que me disseram", você procura detectar que o que te disseram gerou um impacto no centro emocional, ao perceber que surgiu uma emoção ali, percebe que o coração acelerou, percebe que seu coro se contraiu..tudo isso como quem observa outro. Porque você está observando o defeito atuando em você na verdade, aquilo não é "você", não é o mesmo "observador".  Isso te permite conhecer-se a si mesmo com mais detalhe, porque se você não consegue separar observador do observado, os dois viram a mesma coisa, o observador perde a lucidez e só acorda depois que passou, e diz "não sei porque agi daquela forma!". Claro que não sabe, o observador dormiu, foi dominado pelo ego.

Mas isso é só a observação, para conhecimento dos diversos mecanismo de aço do ego. A noite ainda precisa fazer algo similar ao que você descreve, que é uma rememoração dos eventos do dia. E depois uma meditação em cima do defeito, para obter uma compreensão real, dele, que nada tem a ver com a compreensão racional. A compreensão que vem da meditação é mais abstrata, não é do tipo " lego ", como a compreensão racional ,que é uma montagem de descrições e justificativas que nada nos dizem sobre  NATUREZA daquilo.

Ou seja, sua compreensão racional te informa que isto aqui é um filhote humano, bem cuidado, feliz...mas sua COMPREENSÃO de verdade apenas te faz olhar para a foto e inevitavelmente sorrir, percebendo outras coisas que as palavras não podem expressar:

423486-Kycb.jpg

 

E só após você ter obtido essa compreensão, você executa o procedimento imaginário, que é a técnica propriamente dita.

Portanto, a técnica não tem como funcionar se você não consegue se auto-observar corretamente, nem se você não consegue obter uma compreensão do defeito que pretende eliminar. Por isso as pessoas as vezes pensam (como eu pensava antes de começar a praticar), que isso é "apenas visualização".

O que produz efeito é sua sinceridade interior em de fato  olhar para dentro de si, de fato perceber que aquele defeito não te serve, e de fato compreendê-lo, porque sem compreensão nada funciona, mas apenas compreensão sozinha não elimina o problema, porque há detalhes energéticos envolvidos. Eu gosto de usar a analogia do leite coalhado, ou seja, a mente humana é múltipla, porque é dividida pequenos nódulos, cada um deles é um "eu", que quer coisas diferentes, tem sua própria voz, seus próprios desejos e compromissos e é isso que impossibilita a existência da Vontade, do Livre Arbítrio, porque nossa psique é a "resultante de forças" em conflito, não é uma só fonte psíquica. E defeitos mais fortes, mais antigos, são coágulos mais duros, precisam mais energia para dissolve-los, e é aí que entra o papel da Magia Sexual na gnose, que usa a energia do kundalini para adicionar potência a essa técnica (que para isso é combinada com a prática sexual). Sem isso, ela tem um limite de eficácia, e é por isso que na gnose se diz que sem trabalhar com magia sexual não tem como alguém virar um Budha, um Jesus, porque vai precisar apelar para fontes mais potentes de energia, em algum momento, para ultrapassar um certo patamar evolutivo. Mas aí cada um acredite no que quiser, só estou explicando aqui para mostrar que é um todo encadeado, não é uma receita de bolo, que alguém pega da internet e ai tentando fazer.

A técnica serve para dissolver esses coágulos energéticos, que são os eus, para, com o tempo,..uma vida, muitas vidas...ter uma mente não-dividida , um leite que não é mais "coalhado".

Aqui tem um resumo da técnica toda, que escrevi em 2003, para um usuário de maconha, que queria largar o vício mas não conseguia. O texto foi escrito com esse leitor em mente, mas serve para qualquer coisa. Técnica de morte do Ego.pdf

Mas eu acho que para entender melhor toda essa abordagem, é bom ler o livro "Fragmentos de um ensinamento desconhecido", do Ouspensky, que trata detalhadamente da questão da psique humana, das definições do estado de lembrança de si, e muitas outras coisas da psicologia humana convém entender bem. (Mas o livro não ensina técnica alguma, trata apenas, digamos, dos pre-requisitos teóricos) https://drive.google.com/file/d/0ByXGi2vq5-wsTlhIeklDYVVkUHM/view?usp=sharing

.............................

 

Bom, mas esse livro não é da Gnose do Samael,  é de antes, com os ensinamentos od Gurdjieff, que apareceu na europa m 1914. A Gnose do Samael foi fundada em 1950, mas ambas são basicamente a mesma coisa, só que o ensinamento do Gurdjieff fica só focado na quetão psicológica, enquanto que a gnose amplia isso para aqueles outros assuntos tradicionais de escolas esotéricas, como projeção astral chackras, reencarnação...etc. O Gurdjieff nem toca nesses assuntos, porque o público-alvo dele era a elite intelectual da europa, que vinha ha pouco do positivismo materialista, mas estava cercada de gurus indianos e mesas girantes, como reação. Então ele tenta se focar só no essencial.

Então,só para não deixar os curiosos de pincel na mão, aqui, para quem tiver curiosidade, selecionei de diversos livros do Samael, capitulos sobre os assuntos da parte psicológica e morte e reencarnação karma, etc.Coletanea gnostica.pdf   , porque os livros do Samael são meio confusos, para dizer o mínimo,ehehe. Um capítulo não parece se encadear no p´roximo, então para entender um tema tem que pescar em diversos livros dele.

Então peguei as vezes dois ou tres capítulos sobre um mesmo tema e juntei, depois fui para outro tema próximo, tentando criar uma progressão didática, similar ao que fazemos quando se monta um curso. Indico no índice de qual livro retirei cada capítulo, para o caso da pessoa querer ler mais do mesmo livro. Mas o Samael tem um jeitão meio esquisito, eu mesmo nunca suportei muito aquele estilo dele. Para entender as coisas acho melhor o "Fragmentos", mas também tem gente que acha o Fragmentos muito árido.

 

  • Like 2
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, sandrofabres disse:

... O que produz efeito é sua sinceridade interior em de fato  olhar para dentro de si, de fato perceber que aquele defeito não te serve, e de fato compreendê-lo, porque sem compreensão nada funciona, mas apenas compreensão sozinha não elimina o problema, porque há detalhes energéticos envolvidos. Eu gosto de usar a analogia do leite coalhado, ou seja, a mente humana é múltipla, porque é dividida pequenos nódulos, cada um deles é um "eu", que quer coisas diferentes, tem sua própria voz, seus próprios desejos e compromissos e é isso que impossibilita a existência da Vontade, do Livre Arbítrio, porque nossa psique é a "resultante de forças" em conflito, não é uma só fonte psíquica. E defeitos mais fortes, mais antigos, são coágulos mais duros...

Sandro, muito bom o texto. Eu fico com esse pedaço, que citei, dele. Isso, meu caro, é a mais clara verdade. É por isso que as vezes vemos pessoas relatando que não conseguem fazer a OLVE de forma correta. No meio, existe uma perturbação ou obstáculo ligado a algum chakra no Energossoma. Esse obstáculo pode estar lá ha meses, anos ou décadas ou mesmo a pessoa pode tê-lo trazido de vidas passadas. Por isso o EV pode demorar anos para se apresentar - No caso de se querer produzi-lo de forma consciente.

Isso porque a OLVE não consegue ser executada a contento, porque existe desequilíbrio energético e a pessoa precisa tratar isso primeiro. Do contrário eu creio que as projeções (mas não tenho certeza disso ainda, estou pesquisando) não tem um carácter consecutivo, será tudo sempre uma bagunça... Isso quando o cabra consegue fazer a projeção.

O cara começa a fazer a OLVE. Depois de concentrar energia na cabeça, desce pelo rosto e pescoço e chega no peito, até aí tudo bem... De repente começa a viajar na maionese... Vai pra gondola do supermercado, vai pro capítulo da novela, etc e acha que é puro problema de concentração. Segundos ou minutos depois, volta e está com a OLVE nos quadris, coxas, joelhos, batatas da perna e pés. Esqueceu todo tempo que perdeu tempo e efetividade devido ao não fluir das energias na parte dorsal ou plexo solar. Eu usei essas partes como exemplo, poderia ser qualquer uma. A pessoa, nesse caso, tem uma má circulação da energia acontecendo e essa precisa ser tratada. É como se o cara tivesse uma grande quantidade de energia em todo o corpo fluindo, durante a OLVE, mas naquele ponto a energia afina. Passa muito pouca energia ou é trabalhada muito pouca energia. Resultado: o EV dura pra chegar ou não chega nunca. Tem gente que leva anos nesse processo.

Uma das formas de trabalhar esse problema é com a própria prática da OLVE, insistindo. Outra - que adiciona - é achar uma forma de se auto-conhecer, isso é imperioso.

A técnica da Gnose se aproxima da que uso, interessante, eu nunca tive contato com a Gnose. Essa de você separar Observador e Observado é parecido com eu contar uma história passada para eu mesmo, hahahahaha. O observador só fica calado ouvindo. Depois é que ele começa a analisar; eu vi que isso não está na Gnose. Mas enfim, são parecidos.

Olha, francamente, eu acho que essas coisas (auto-conhecimento -> OLVE -> EV -> Projeção Consecutiva) estão todos ligados. É como elos de uma corrente, se todos bem: uma corrente muito forte. 

Isso trará:

1 - Proteção Extrafisíca;

2 - Projeções Duradouras;

3 - Projeções mais consecutivas, sem solução de continuidade.

Conseguiu um haverá um gatilho disparando os outros. Cara, estou pesquisando fundo nisso. Vamos ver, vou postando aqui. Estou esperando o livro da Nanci e vou ver esses textos do Samael.

Gostaria de ver a técnica de outros também.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Utilizo-me de diversas técnicas para auto-análise desde diários até métodos mais rigorosos, constantemente, até que chegou ao ponto de que descobri que nada impede o humano de criar o seu próprio sistema, criei um sistema magnifico que abrange tanto a parte material quanto espiritual, conseguindo ter progresso em ambos, a principio quis compartilhar, mas justamente por auto-análises cheguei a conclusão que cada tem capacidade suficiente para chegar a esse tipo de sistema, basta enfrentar o maior inimigo que existe, e vencê-lo.

Um dos maiores resultados foi o entendimento completo da auto-ilusão do medo e desejos e do estrago que eles fazem para uma mente que por natureza é lógica.

Share this post


Link to post
Share on other sites
55 minutos atrás, cyber2050 disse:

Utilizo-me de diversas técnicas para auto-análise desde diários até métodos mais rigorosos,

Quando você diz vários, quer dizer que muda isso todo dia, toda semana, como é seu processo? Se muda bastante, pode aferir o que mais dá resultado?

 

56 minutos atrás, cyber2050 disse:

Um dos maiores resultados foi o entendimento completo da auto-ilusão do medo e desejos e do estrago que eles fazem para uma mente que por natureza é lógica.

Você poderia dar exemplos?

E obrigado velho pela disposição!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Algo que venho tentando usar não é bem uma técnica mas mudar a forma de ver as coisas e perceber a verdade que Jesus nós disse: Somos Todos Um. Quando ajudamos os outros ajudamos a nós mesmos porque não existem outros. Eu sei que dito desse ponto de vista da ilusão da separação que ocorre na 3D pode parecer meio absurdo falar isso. Mas quanto mas se sutiliza mais se percebe essa verdade fundamental. Dançamos pelas densidades com o objetivo de nos distorcemos e nos relembrar da Lei máxima. No fim tudo será conciliado em algum ponto dessa nossa grande dança cósmica e iremos voltar para casa. Quando se olha pelo ponto de vista máximo percebe-se que somos todas as verdades, todos os seres, todas as emoções e todas as experiências. Somos infinitos. Somos Unidade. Essa é a Lei do Uno. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, NanMed disse:

Quando você diz vários, quer dizer que muda isso todo dia, toda semana, como é seu processo? Se muda bastante, pode aferir o que mais dá resultado?

 

Você poderia dar exemplos?

E obrigado velho pela disposição!

Obrigado você por fazer essa pergunta NanMed, eu também tento fazer esses tipos de pergunta no forum, e é muito legal mesmo aprender com todo esse pessoal (incluindo você), então parabén pela iniciativa.

Bom, eu faço todos os dias sim, a que dá mais resultados não é por questão de complexidade ou algo do tipo não, a que me da mais resultado é a que eu faço por mais tempo, que é a anotação dos insights. Que hoje em dia já esta bastante evoluido  pois comecei esse trabalho já faz muito tempo, agora todas as outras dão resultados sim, só que cada um dá um tipo de resultados para aplicação prática mesmo, pois são métodos diferentes. 

Quanto aos exemplos, primeiro, vou separar então, o que você mesmo já separou no titulo do tópico:

Técnicas para auto-conhecimento: Bom os resultados dessas técnicas são de propósito na PERSPECTIVA da minha consciência, portanto, quando eu olho para uma árvore hoje, eu consigo percebe-las de diversas maneiras já quando eu olhava para uma árvore quando criança eu a percebia de apenas uma maneira. Nesse tipo de trabalho é uma questão d edqurir APTIDÃO para enxergar cada vez mais E SEM LIMITES. 

Exemplos de prática: Diários/Registros de opiniões,  sonhos, viagens astrais (técnica do ET KARRAN),  opiniões, desejos, etc.., Meditação seja com desenhos, escritas, pinturas e etc com imaginação ativa para visualizar as fomas dos fluxos dos meus pensamentos.

Técnicas pra o auto-domínio: Eentão é o seguinte de técnicas já tentei diversas, desde auto-punição para não fazer certos comportamentos (colocava um elástico no pulso e puxava quando falava algo automaticamente), tapas no meu próprio rosto (sou sincero na minha busca e por isso tenho que fazer experimentos comigo), mas com o tempo vi que não me estava sendo útil, as que deram certas foram: aprender novos idiomas (me ajuda a pensar antes de falar) aprender a jogar xadrez (melhorou minha concentração e paciência, além de conseguir constatar da enorme capacidade do cérebro de aprender sozinho com a prática, além de aprender que a frustação e o sentimento de incapacidade é também uma auto-ilusão),  músicas e é claro se relacionar com as pessoas e principalmente com a natureza aceitando ela da forma que ela É. (obs: isso não significa concordar com os principios da natureza)

Obs: Estudei um pouco de pscicologa, é muito importante para o auto-dominio.

Como pode perceber são muitas técnicas, então, basicamente, eu tenho 2 técnicas principais que são fixas, ou seja, faço todos os dias já há anos, já as outras eu vario conforme a VONTADE e tempo.

 

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, cyber2050 disse:

eu também tento fazer esses tipos de pergunta no forum

Cyber, algumas das perguntas que você faz suscitam discussões realmente muito proveitosas, e acho que todos aqui aproveitamos muito. ;-)

@NanMed, gosto bastante do assunto desse tópico e vou tentar postar algo aqui mas tenho que separar um tempo pra isso. Por favor aguarde, ok?

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
7 minutes ago, Iogui said:

Cyber, algumas das perguntas que você faz suscitam discussões realmente muito proveitosas, e acho que todos aqui aproveitamos muito.

Concordo em gênero, número e grau.
 

3 hours ago, cyber2050 said:

Eentão é o seguinte de técnicas já tentei diversas, desde auto-punição para não fazer certos comportamentos (colocava um elástico no pulso e puxava quando falava algo automaticamente), tapas no meu próprio rosto (sou sincero na minha busca e por isso tenho que fazer experimentos comigo)

Também já fiz dessas kkkkk. Mas acho legal esse nível de comprometimento, é meio caminho andado.

 

On 27/8/2016 at 2:03 PM, NanMed said:

qual técnica você usa para o auto-conhecimento ou auto-domínio

Auto conhecimento, pra mim é principalmente através da meditação (que to em dívida de umas horas essa semana rs). Mas bem, eu sou místico, também jogo taro todos os dias pra mim mesmo, e estudo os significados de alguns sonhos (as vezes usando a cabala, mas não me limitando a). Tenho a prática regular (as vezes falha rs), do diário. Anoto todas as práticas que fiz, sonhos, e coisas em que estou trabalhando em mim mesmo quais estão sendo os resultados. Digo que as vezes falha por que alguns dias tem relatos completos, outros tem só uma coluna com as práticas e um "X" do lado, indicando as que eu realizei naquele dia.. mas sem muito detalhamento. Funciona como diário, e quando o bicho ta pegando, serve pelo menos de "check list". Ele entra no auto conhecimento, porque as vezes eu volto no mês anterior, ou meses antes... e leio aquilo que escrevi e pratiquei, e vejo o que tava pensando, e o que deu certo ou não... as vezes dá pra se conhecer melhor. E entra no auto domínio também (se entendi bem o que você quis dizer com isso), já que me obriga a escrever, e me cobrar a realização das coisas que me comprometi a fazer.
Ainda como auto conhecimento, já usei bastante (embora no momento não esteja usando) técnicas de scrying (obter visões astrais através de objetos translucidos ou refletivos) pelas lâminas do taro, e outras "paisagens" de esoterices também rsrs. Como eu considero que são mundos interiores, pra mim é auto conhecimento.

No auto domínio, varia um pouco também... as vezes a técnica não funciona bem, ou encontro outra melhor. Já pratiquei lá no começo o Livro 3, dos thelemitas... que é uma prática semelhante ao que o Cyber falou acima envolvendo punição. Envolve controle da fala, ação, e pensamento. Envolve coisas como "Evite utilizar alguma palavra comum, tal como "e" ou "o", ou "mas"; utilize uma paráfrase.", no quesito controle da fala. Te coloca numa perspectiva de que é possível, e desejável se controlar, para que você possa realizar aquilo que realmente importa pra você.
Hoje utilizo técnicas na yoga pro controle do pensamento, e to aprendendo algumas de chi kung também (tá ainda na fase teórica esse ultimo, visto que estou aprendendo no "boca a ouvido" rs mas pretendo implementar, é muito interessante!).
Além é claro de me forçar as práticas mágicas, de limpeza, certas adorações, como forma de aterrar e centrar. Como essas técnicas tem momentos específicos, considero auto domínio também, porque realmente me forço a cumprir custe o que custar. Por exemplo, ontém eu tava passando mal, e cansado, e sai do corpo pra realizar uma dessas técnicas... depois dormi igual uma pedra rsrs.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sobre autodomínio: crio regras. Anoto em documento e todo dia olho. Se eu não segui-las eu sei que tenho muito a perder. Eliminei a masturbação assim e estou colocando outras como restrições da alimentação (açúcar e farinha de trigo). Outra coisa é fazer cronogramas para as atividades de um dia. Não adianta falar "vou fazer isso ou aquilo amanhã". Tem que que ser preciso e indicar o horário que deve ser feito para evitar se distrair e não fazer. 

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
13 horas atrás, cyber2050 disse:

eu também tento fazer esses tipos de pergunta no forum, e é muito legal mesmo aprender com todo esse pessoal

@cyber2050,saiba que se aparecer alguém dizendo que sabe tudo, bloqueia essa pessoa rapidinho, ok. Saiba também que curto e gosto das suas postagens, vai escrevendo, falando, colocando as suas opiniões; ISSO É MUITO BOM. Não sou dono do fórum e respeito muito esse papel no @sandrofabres, mas se você estiver falando de coisas - como essa - de autoconhecimento, lucidez, auto-domínio para melhorar seu aprendizado (fora do corpo), tem mais é que dividir mesmo. Pra colocar uma coisa dessas aqui no fórum, precisa coragem, porque é muito pessoal. Você já é um corajoso. 

Uma coisa que você disse bate totalmente com a minha percepção é:

13 horas atrás, cyber2050 disse:

Bom, eu faço todos os dias sim, a que dá mais resultados não é por questão de complexidade ou algo do tipo não, a que me da mais resultado é a que eu faço por mais tempo, que é a anotação dos insights.

As anotações (me pareceram) muito semelhante ao meu método. Quando falo sozinho sobre um ponto específico do passado, isso clareia a bessa. Só tomo o cuidado de fazer isso sozinho, você sabe: pra evitar diagnósticos precipitados...:-D:-o:-D:-)

É incrível a claridade que vem, principalmente quando faço o teatrinho de falar "em voz alta" para alguém (eu mesmo) que está ouvindo e em seguida esse alguém, começar a analisar. Lógico que tem armadilhas prontas, que sou eu mesmo, que tem um monte de coisas que evito e escondo em mim mesmo, mas hora: não dá pra fazer o omelete se não quebrar uns ovos.

Valeu, kkkkk

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
10 horas atrás, Cristaldo disse:

também jogo taro todos os dias pra mim mesmo

Cara já fiz isso; cheguei a jogar tarô pra fora, com clientela e tudo mais. Chegou um tempo que jogava o tarô pra mim mesmo, em busca de saber mais das coisas de mim. Parei. Não andava. O tarô pra mim mesmo traz os meus bloqueios junto.

 

10 horas atrás, Cristaldo disse:

Tenho a prática regular (as vezes falha rs), do diário. Anoto todas as práticas que fiz, sonhos, e coisas em que estou trabalhando em mim mesmo quais estão sendo os resultados.

 

10 horas atrás, Cristaldo disse:

Ele entra no auto conhecimento, porque as vezes eu volto no mês anterior, ou meses antes... e leio aquilo que escrevi e pratiquei, e vejo o que tava pensando, e o que deu certo ou não... as vezes dá pra se conhecer melhor. E entra no auto domínio também (se entendi bem o que você quis dizer com isso), já que me obriga a escrever, e me cobrar a realização das coisas que me comprometi a fazer.

 Joia!, o @cyber2050 usa o diário também. O que eu quis dizer com auto-domínio é sobre dominar as nossas tendências, vontades, quedas. Entendo auto-domínio como: Posso, mas não faço agora. Mais ou menos o que Paulo de Tarso quis dizer quando falou:  "Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm." Usar isso, principalmente projetado é o ó do borogodó. Outra coisa que você falou e que entra no rol que me chama a atenção é o auto-comprometimento, a se cobrar sobre realizar coisas que nos prometemos a nós mesmo.

10 horas atrás, Cristaldo disse:

Envolve controle da fala, ação, e pensamento. Envolve coisas como "Evite utilizar alguma palavra comum, tal como "e" ou "o", ou "mas"; utilize uma paráfrase.", no quesito controle da fala. Te coloca numa perspectiva de que é possível, e desejável se controlar, para que você possa realizar aquilo que realmente importa pra você.

Teve uma época que treinei não usar o pronome "eu". Fiquei espantado como o usava. Acho essas técnicas importantes e te falo porque: Os assediadores detestam quando a gente começa a se emancipar.

É luta corporal mesmo conosco mesmo. Mas ao decidirmos não fazer ou fazer, nós tomamos a decisão. Os caras não querem isso, porque quanto mais amebas formos, mais energia eles poderão sugar, e a hora que quiserem. Nossas projeções passam a ser cheias de medo e pavor. Já passei por isso.  

Teve uma época, quando eu era Espírita, que eu grilava com a pergunta 459 do livro dos Espíritos:

459. Os Espíritos influem sobre os nossos pensamentos e as nossas ações? R. Nesse sentido a sua influência é maior do que supondes, porque  muito freqüentemente são eles que vos dirigem.

Com o tempo, princialmente depois de sair do Espiritismo; consegui chegar num consenso. Ok, pode até ser; mas eu quero escolher a qualidade ou tipo daqueles que se arvoram em me dirigir. Depois de começar todos os exercícios, sinto que tenho conseguido. Um mentor apoia um exercício de auto-conhecimento e auto-domínio, já um assediador abomina, saí aos berros te mandando parar.

10 horas atrás, Cristaldo disse:

Por exemplo, ontém eu tava passando mal, e cansado, e sai do corpo pra realizar uma dessas técnicas... depois dormi igual uma pedra rsrs.

Emancipação, é o que busco. Isso aí é começar a se emancipar brother.

Beleza.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, lukynhas disse:

Anoto em documento e todo dia olho. Se eu não segui-las eu sei que tenho muito a perder

Faaala lukynhas! Parece que o diário tá em todas, também tô considerando que é uma boa forma de auto-análise.

beleza.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

@NanMed, conforme prometido, segue um texto descrevendo algumas de minhas práticas. Ficou meio extenso mas é que eu quis contextualizar um pouco.

 

Da época em que frequentei o espiritismo acho que o que ficou de mais importante que carrego para a vida é o conceito de reforma íntima.

Existe no livro dos espíritos, no capítulo "Conhecimento de si mesmo" logo na primeira questão, a de número 919, um texto atribuído a Santo Agostinho em que ele explica que, em sua ultima encarnação na terra, adotava a prática de em todo final de dia analisar tudo aquilo que tinha feito no dia, se perguntando se não deixara motivos para que alguém dele se queixasse ou se não teria deixado de fazer algo que deveria ter feito analisando assim se suas ações teriam sido boas ou más. E desta forma veio a conhecer a si mesmo sabendo daquilo que precisava de reforma.

Um dos grandes momentos de mudança na minha vida foi quando li o livro da auto biografia de Mahatma Gandhi. Não sei se foi aí que tomei contato pela primeira vez com o conceito de ahimsa (não violência) um dos dois grandes pilares em que Gandhi baseou toda a sua vida, obra e busca. Mas sei que foi nesse momento que me caiu a ficha. Quando você compreende bem qual é o conceito de ahimsa, percebe que seu paralelo perfeito no cristianismo é o "Amai ao próximo como a ti mesmo". O outro grande pilar em que Gandhi baseou sua busca foi satya (a verdade).

A verdade foi uma das coisas que sempre busquei na minha vida. Falar a verdade, viver a verdade, buscar a verdade. Mas naquele momento percebi que eu não estava praticando ahimsa o tanto quanto poderia e tive a intuição de que era isso uma das principais coisas que eu deveria reforçar. Neste momento, deixei de comer carne de aves (carne vermelha eu já não comia) e resolvi deixar de frequentar o Candomblé.

Na minha busca por conhecimento espiritual já vinha tomando contato com o yoga, suas muitas práticas e teorias a respeito da existência, da consciência, dos caminhos para se alcançar a iluminação e da sua ênfase nas práticas meditativas.

Ao nos esforçarmos por analisar profundamente a raiz das mazelas humanas chegaremos necessariamente ao egoismo, base de todos os outros grandes defeitos que assombram o ser humano. A ganância é fruto do egoismo, a preguiça é fruto do egoismo, a vaidade é fruto do egoismo, a ira é fruto do egoismo, a mágoa é fruto do egoismo, a luxúria é fruto do egoismo, a gula é fruto do egoismo... etc, etc, etc.

As minhas práticas visando o auto-conhecimento e auto-domínio todas estão relacionadas com a compreensão dos conceitos acima. Ao me deitar para dormir tenho como prática efetuar uma oração (útil pra me colocar em boa sintonia), agradeço aos meus mentores, compartilho planos, estabeleço metas (ou apenas as reforço ou confirmo) e peço orientação. Aproveito o momento para efetuar breve análise de minhas atitudes durante o dia buscando observar se agí corretamente e da melhor forma possível e onde poderia melhorar. Se possível, efetuo alguma movimentação energética.

Ao acordar, de manhã, me fecho em um quarto sozinho, e pratico hata yoga, exercícios de pranayama e meditação com o objetivo de obter saúde física e mental, equilíbrio e também fortalecer a minha força de vontade.

Ao sair de casa, no caminho para o trabalho, busco estabelecer boa sintonia escutando alguma música bem calma e treinar o meu olhar para ver todas as coisas e pessoas como uma parte de Deus ou de mim mesmo procurando me integrar de forma positiva com tudo. É um tipo de meditação ou contemplação em movimento. Tento manter meu coração aberto projetando amor em tudo e todos.

Durante o dia, pela prática, criei o costume de, sempre que olhar algo que reprovo na atitude de alguém, procuro identificar a raiz daquele defeito e volto o olhar para o meu interior a fim de saber em que ponto aquele mesmo defeito está atuando dentro de mim mesmo (de forma geral, quando algo nos incomoda na atide do outro é porque este algo existe de alguma forma em nosso interior). Isso me ajuda a me identificar com as pessoas e facilita o perdão no caso de a atitude do outro estar me afetando de alguma forma negativa e também me fornece material para autoanálise.

Quando alguém faz alguma coisa prejudicial a mim, por exemplo, uma fechada brusca no trânsito, procuro formas racionais de evitar que esta pessoa me cause mal (me afastando um pouco, tomando outro rumo, etc) e procuro me direcionar para que o momento seguinte seja de perdão e não de violência dando ênfase na compreensão. (O próprio pensamento negativo de contrariedade ou de raiva lançado contra o outro, é um tipo de violência) Quando não consigo evitar agir de forma agressiva, procuro frear o processo assim que me dou conta e convertê-lo aproveitando para fixar bem o momento na mente afim de facilitar a análise durante a noite.

Se o outro age com violência para comigo, a minha violência não vai fazê-lo menos violento mas vai me fazer estar errado porque toda violência é um erro. Para minimizar os danos e a propagação do mal, antes sofrer a violência simplesmente que provocá-la ou somar a minha violência à do outro. A minha violência não desfaria a violência do outro. Isso não significa que eu deva sofrer a violência passivamente sem tentar evitá-la. É um jogo de equilíbrio e autocontrole que precisa ser reforçado em cada ação, em cada tomada de decisão.

Além disso, tenho procurado efetuar OLVEs durante o dia sempre que possível com a finalidade de higienizar as minhas energias e estimular o desenvolvimento de um parapsiquismo sadio.

Mantenho um diário das minhas práticas yogis contendo os asanas praticados no dia, técnicas de pranayama e tempo de meditação e mantenho outro diário contendo apenas o número de OLVEs completas que consegui executar no dia. Procuro alimenta-los diariamente.

Busco manter também uma rotina de leitura de assuntos espiritualistas e ultimamente tenho procurado evitar um pouco filmes ou séries muito violentas e músicas muito barulhentas.

  • Like 7
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

@Iogui, salve!

Olha fiquei impressionado com a sua disposição e determinação.  Eu não tenho nem 10% ou  mesmo 1% dessa disposição. Você está muito a frente em práticas e óbvio em resultados. Eu gostaria de saber se você sente que já supera, por exemplo,  assédio?  Eu, infelizmente caio em todas. Outra curiosidade é como você mede os resultados.  Por exemplo, você citou a vaidade - dificílima de superar, as vezes caímos nessa armadilha sem nem nos darmos conta. Como você mede que já é ou está mais humilde?

Em geral fiquei muito impressionado com sua evolução, deve requerer uma administração do tempo monumental. Pelo menos eu imagino.  Você deve estar muito avançado em vários aspectos. Deus te abençoe! !

Eu vou deixar de ser ameba, um dia eu consigo. Aaa,  outra coisa hå quantos anos - se você me permite - você prática a Ioga a sério,  com as práticas e as aulas?

Share this post


Link to post
Share on other sites

@NanMed, meu amigo, na verdade eu acredito que seja justamente o contrário, se eu fosse um cara tão evoluído assim não precisaria me empenhar tanto... E eu tenho muita dificuldade pra administrar o tempo. É comum eu ir dormir um pouco mais tarde e ter que reduzir um pouco o tempo de meditação de manhã ou deixar de praticar hatha ou ambos mas estou tentando fazer com que a prática de meditação seja diária. Nem que sejam só por 15 minutos.

8 horas atrás, NanMed disse:

Eu gostaria de saber se você sente que já supera, por exemplo,  assédio?

Eu não sei responder a esta pergunta. Em geral não tenho me sentido muito assediado mas pode ser que eu simplesmente não esteja percebendo. Procuro não me pautar por isso. Esteja eu sofrendo assedio ou não, isso não muda o fato de que eu tenho muito a melhorar ainda. Esse é o meu foco.

8 horas atrás, NanMed disse:

Outra curiosidade é como você mede os resultados.

Eu não fico medindo. Acho que quando eu tiver resultados realmente palpáveis, eu vou perceber. De qualquer forma, isso não importa. As vezes o caminho é tão importante quanto o destino.

8 horas atrás, NanMed disse:

Como você mede que já é ou está mais humilde?

Esse é o tipo de coisa que é melhor nem tentar ficar medindo, sob risco de cair em uma armadilha. Eu não procuro ser mais humilde, eu procuro ser realista e eu sei que eu ainda tenho muitos defeitos. Da lista que eu passei lá em cima, acho que já consegui enxergar pelo menos um pouquinho de cada um deles na minha pessoa. Nem que seja escondido enterrado lá no fundinho ou em atos do passado.

9 horas atrás, NanMed disse:

Aaa,  outra coisa hå quantos anos - se você me permite - você prática a Ioga a sério,  com as práticas e as aulas?

Eu comecei a anotar no diário a pouco mais de um ano. Antes disso a prática era um pouco mais esporádica. Fiz aulas de hatha yoga por cerca de uns 3 meses antes onde aprendi o básico e depois, andei pesquisando mais alguma coisa na internet e assisti a vários vídeos. Minha prática de hatha yoga é básica. Dos asanas que pratico hoje, quase todos eu praticava na época que fiz aulas e, como estou praticando sozinho, tomo muito cuidado para não forçar nada e estou sempre procurando escutar os sinais do corpo afim de não me machucar. Em relação ao restante da parte teórica, eu já pesquisava a mais tempo. Meu principal foco fica na meditação mesmo.

Enfim. O que quero dizer com tudo isso é que todos possuímos muitas dificuldades. Esse planeta ainda é muito pouco evoluído e, se estamos nele, é poque nós também somos pouco evoluídos. Não adianta a gente ficar achando que é melhor que tudo isso ou que estamos acima da média porque, na maior parte das vezes, esse é um pensamento ilusório. E é por isso que a gente tem que se esforçar. A gente precisa adquirir um nível de auto controle que nos permita conhecermos verdadeiramente tudo aquilo que existe por traz de cada uma de nossas próprias ações. Como vamos fazer isso não importa, existem muitos caminhos. Escolha um e siga. Mas siga verdadeiramente. Com vontade. Seja honesto consigo mesmo. E não deixe pra amanhã o que pode ser feito hoje. E não tenha medo... Se o caminho não for o melhor, em algum momento você vai perceber e poderá modificá-lo. O importante é não ficar parado se lamentando "oh... o que eu, criatura espiritualizada, estou fazendo aqui nesse mundo tão primitivo?"... mi mi mi mi... Enquanto nos lamentamos o tempo passa. A gente tem que arregaçar as mangas e fazer alguma coisa. A gente tem que ter vontade de mudar o mundo e agir. Com o pé no chão, mas agir. 

"Seja a mudança que você deseja ver no mundo" - Mahatma Gandhi

 

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites

@sandrofabres, boa noite.

Tenho uma complicação para você... Te dando trabalho em 5 perguntas... 

1 - Já li a Morte do Ego, seu resumo de 2003, é curta. Gostaria de lhe perguntar: como agir, usando a técnica, com um defeito que não deve ser eliminado mas controlado? O que você escreveu focava em alguém querendo se livrar da maconha, ok; mas suponha que não seja isso, exemplo: no texto você cita a luxúria e, inclusive, fala na "boazuda do 413"; nesse caso não quero a morte do desejo sexual. Quero o controle dele, como em: Ela é boazuda, mas e daí? Tudo bem ela é boazuda; só isso! Em oposição de: Nossa que gostosona, que boazuda essa do 413! Que mulher!!! Entende? Nesse caso, posso fazer a Retrospectiva, a Compreensão, o Julgamento, mas não quero a Eliminação. Estaria eliminando o desejo sexual e não é isso. Como fazer? Não sei se está confuso, mas explico melhor se não pegar.

2 - Outra, porque pedir a morte à Mãe Eterna e não ao Pai Interno? Qual o papel do Pai Interno, se for algum conceito muito longo que não dá para falar aqui... então depois falamos por MP. Estou colocando aqui o que acho que pode servir à muitos.

3 - Quando ao livro do Ouspensky, começo hoje a noite. Ele usou essa técnica?

4 - Finalmente, também baixei os textos do Samael, são 300 páginas. Há algumas coisas complicadas ou porque são excertos ficaram como que faltando, mas não li tudo. A pergunta, por hora é: Esse Samael é o mesmo que junto com V.M.Rabolu, nos anos 70/80, previram a vinda do planeta Hercóbulus (Planeta X, Absinto, Planeta Vermelho, etc) na terra e grande destruição? 

5 - Você ainda é da Gnose? Ficou quanto tempo lá? (essa pergunta é da Contigo, não é minha não :-):-D:-o).

Share this post


Link to post
Share on other sites

5- Saí quando o Rabolu morreu. Por tudo que aprendemos dentro da gnose, não faz sentido permanecer dentro de uma ordem esotérica quando o mestre morre. Mas quem gosta de ficar em clubinhos ficou.

4- Mesmo que voce tenha o liro todo, smepe parece que está faltando, porque os capítulos de cada livro não se conectam. Acredite, os textos estão mais conectados entre si assim. Mas é esse o problema, não existe um livro da gnose que tenha todos os fundamentos, tem que ler vários para juntar os cacos. Mas ode localizar quase todos que usei em pdf na internet, acho que só um deles eu precisei escanear do meu. E sim essa dupla Samael/Rabolu é a do Hercólobus sim, assim como  o Ramatis que falou algo sobre isso nos ans 50, no Mensagens do Astral. Mas els também disseram que antes de passar o Hercolobus haveriam 3 grandes explosões atomicas. Ou seja,....hummmmm...acho que vai demorar, a guerra fria já era, kkk

3- Não. As chamadas Escolas de Quarto Caminho fundadas pelo Gurdjieff e Ouspensky eram baseadas apenas na auto-observação , não incluiam práticas de compreensão e eliminação (meditação nos defeitos). Esse foi o ponto que a gnose, do samael veio a complementar, digamos assim, exatamente porque como vemo, compreensão pura e simples não basta.

2- Exatamente,  são papéis diferentes. "Mãe Divina" é o aspecto "fogo", das partes internas. É o aspecto kundalini;/espírito santo em nós, que administra a força dessa energia do kundalini. A função do Pai interno está ligado à trazer sabedoria, respostas internas. Pede-se esclarecimento ao Pai Interno, pede-se a força do fogo interiro à mãe divina.

1- Olha, é assim: o ego é para ser eliminado, nada dele se aproveita. Mas isso nada tem a ver com desejo sexual, que é do corpo. A luxúria é mais o sexo atuando na mente. Então mesmo se a pessoa eliminasse o ego da luxúria, isos não desativa o desejo sexual. A questão é que o desejo seuxal atua na atividade seuxal, e não fora dela, que é o uqe acontece quando a luxúria age. Então a questão é que não tem snetiod querer controlar lixo, a gente deve eliminar o lixo. O que não se pode é achar que eliminando o lixo, não restará nada, como alguns pensam que se voce eliminar todo ego vai restar o que? Vai restar sua individualidade espritual real, ,porque nossa  essência é imatura porqu é ego que aprende tudo, virando um robô condicionado, a meddia que oego vai sendo eliminado, ele deixa de blouear as percepções, que podem então chegar até a essência e ela vai crescendo. Pense numa essência adulta como um Jesus ou um Budha. Não é algo desprovido de individualidade. É como se voce tivesse 3 maçãs (essência)  e 97 laranjas (ego) numa caixa lotada. Total de frutas inicial=100. Ao ir matando o ego, voce vai retriando laranjas e podem entrar maças para substituir. No final do processo você tem 100 maças e nenhuma laranja, ainda tem 100 frutas na caixa, só que agora tem aquilo que deveria ter, a essência se manifestando, e não o ego. O cara não vai virar uma geléia porque eliminou o ego, eheheh. Da memsa maneira, ao eliminar os defeitos ele abre espaço para as virtudes, porque na verdade as virtudes são anturais, divinas, mas o ego-ISMO em nós as bloqueia. E estnaod num corpo físico a atração sexual não some, porque estmaos num pan ode polaridades, tendo polaridade, tem atração. É por isso que a gnose não vê sexo como as religiõess vem, como pecado original e tal.  Se fosse algo errado o corpo não teri órgãos sexuais. Se tem é para usar,  tentar barrar isso pura e simplesmente dá naqueles porblemas que os padres depois enfrentam né?  Mas o lugar do sexo é nos órgãos, na relação, não na mente, ifnleuciando sues pensamento e decisões.

Tem um texto do Ouspensky que escaneei do outro livro dele que faz algmas refelxões sobre a questão da sexualidade. Os txtos do Saamel são mais taxativos, mais preto no branco, e acabam parecendo fundamentalistas. O ouspensky vai raciocinando sobre o assunto, de modo que você acompanha o raciocínio e vari percebendo algumas coisas. Se quiser ler todo fique a vontade, eu seleckionei esses 4 textos de um total de 18 acho, do livro Um novo Modelo de Universo, e coloquei na ordem mais adequada. Mas o que estou me referindo é apenas ao capítulo "O sexo e a evolução"

Ouspensky Um novo modelo do universo extratos.pdf

 

 

 

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

E dizendo de outra forma NanMed, o controle é fruto do enfraquecimento do ego. Ou seja, você vai praticando a morte ate´que ele deixa de te incomodar. Isso é o que você chama de controle. Num nível mais profundo de trabalho voce precisa vasculhar manifestações bem escondidas dos defeitos, mas o primeiro nível é isso: quando um defeito parou de te gerar problema, você nota outro que agora é mais urgente. Por exemplo o cara resolve o problema da tradice, mas agora notando que o o que lhe cria problema é orgulho, começa a trabalhar sobre o orgulho. Antes ele não percebia isso como sendo urgente porque a taradice era mais sailente nele,  ehehee.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Prezados, 

Obrigado pelos retornos. Eu pensei em fazer uma espécie de resumo; mas tivemos poucas colaborações e estão todas em uma folha só; permitindo a leitura por qualquer interessado. É isso. Mas também acho que algumas coisas aqui dá pra se gastar uma vida. Temos vários caminhos e um só interesse. Que todos vençam!

Abraços.

Nan

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 2/9/2016 at 10:20 AM, NanMed said:

Cara já fiz isso; cheguei a jogar tarô pra fora, com clientela e tudo mais. Chegou um tempo que jogava o tarô pra mim mesmo, em busca de saber mais das coisas de mim. Parei. Não andava. O tarô pra mim mesmo traz os meus bloqueios junto.

Desculpa a demora em te responder. Mas ontém mesmo eu tava pensando na tua reposta, e aí me surgiu uma outra coisa que é interessante colocar aqui nesse tópico embora não seja uma técnica.

Mas primeiro, em defesa do taro rs. Sei que você não falou mal da ferramenta em si, e sim da sua dificuldade em usá-la. Mas eu penso que qualquer forma de auto análise vai sempre estar sujeita aos nossos próprios vícios (e vai entrar o que vou falar depois). Então assim, auto análise precisa de um altíssimo nível de sinceridade consigo mesmo, e de concordância interna (entre o que você faz, pensa e sente). Por exemplo, eu nunca joguei pra fora, só pra dentro! rs
E eu jamais cobraria caso jogasse pra outra pessoa (nada contra quem cobra, é questão de concordância interna minha, se eu cobrasse me deixaria confuso).
Pelo mesmo motivo eu não dou "curso" de magia, como tem gente que dá (nada contra, denovo!).
A questão que quero dizer é que pra colocar dinheiro na jogada (da espiritualidade), você precisa estar muito bem consigo, além de obviamente muito seguro e respaldado naquilo que faz, E por ultimo e mais importante... quando na porta de entrada tem que por uma moedinha pra abrir, é o dinheiro que seleciona quem entra.
Se alguem me pede pra fazer um jogo hoje eu digo em 90% das vezes, "não!", em 9% eu digo "te ensino a jogar", e 1% eu aceito. Quem cobra não tem essa liberdade de se abrir só pra quem quer, ou pelo menos fica mais difícil dizer não.
Nada contra o dinheiro, eu adoro dinheiro, só não gosto dele mandando mim!

E aí entra a outra parte, porque se como você falou (e eu concordo), que entram os nossos complexos quando fazemos auto análise, como fazer uma análise melhor de si mesmo ? Hoje, eu entendo que é pelos relacionamentos ! Quer ver um exemplo ? Toda vez que eu fico bravo com algum comportamento de alguem, ou algo que alguem disse, e penso "Esse cara é muito X, Y, Z"... eu criei um gatilho pra pensar, mas peraí... "Será que eu não sou também X, Y e Z ?"... As vezes eu descobro que sou só Y, ou só X, mas as vezes eu acabo vendo que sou (X+Y+Z)^2. Hehehe
O relacionamento, funciona muito como espelho, onde se você colocar os gatilhos conscienciais certos, pode acabar conseguindo se enxergar com clareza. E frequentemente, não gostar muito de como se viu.

E ainda, bom alguns relacionamentos são mais íntimos que outros (o que citei acima pode ser feito em qualquer relacionamento, até com alguem que você acabou de conhecer)... e você pode se permitir enxergar também através dos olhos da outra pessoa, quando ela te conhece razoavelmente bem. Seja sua esposa/marido, pai, mãe, irmão. Por exemplo, eu tenho uma amiga de infância, e por varias vezes eu já descobri como realmente me sentia porque ela me disse ! Recentemente conversavamos e eu lhe contava como me sentia sobre uma situação que estou passando, e ela me diz "Não acredito! Você está pensando em fazer X". Na hora eu disse "Para com isso ! Você tá achando que eu sou louco ? Eu sei como agir (blablabla)". Eu cheguei em casa e pensei sobre o que ela disse... era exatamente o que eu queria fazer, mas eu não assumia pra mim mesmo de forma clara e consciênte. A vida tem dessas coisas rsrs.

Então assim os meus complexos/bloqueios que eu não consigo enxergar sozinho (mesmo que me esforce), eu acabo conseguindo descobrir no dia-a-dia me relacionando com as pessoas DE FORMA LÚCIDA.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

No site do IPPB, li uma entrevista realizada com a autora Lourdes Possatto, e me chamou a atenção o seguinte trecho da fala dela:

"O espírito, a natureza em si mesma é perfeita. Cada um é perfeito com relação à sua natureza, que é perfeita. O que não é perfeito é a ego-personalidade. A busca da perfeição, se realizada pelo ego, é extremamente prejudicial, uma vez que causa um estrago imenso dentro da pessoa, gerando resultados nada agradáveis, como por exemplo, desânimo, preguiça e, em longo prazo, depressão, pelo excesso de desrespeito à sua essência ou natureza interna. Imagine a vibração dessa pessoa, o que a fará atrair problemas, encrencas e doenças, tudo isto como 'recados essenciais' para mostrar-lhe que o caminho correto não é esse. Quanto a buscar a perfeição do espírito, seria mais interessante acessar esta perfeição e não buscá-la, uma vez que ela já está lá e sempre esteve dentro da pessoa. Aliás, o nosso amadurecimento e a nossa evolução estão ligados justamente a essa constatação."

 

A partir da leitura desse trecho, fiquei com a seguinte dúvida: A perfeição já existe dentro de nós e apenas o ego não nos deixa acessá-la? Estou perguntando isso porque eu achava que a perfeição era algo que ainda não existia dentro de nós, e que, além de eliminar o ego, ainda teríamos que buscá-la, em vez de simplesmente acessá-la.

Share this post


Link to post
Share on other sites
32 minutos atrás, Cintia Fly disse:

A perfeição já existe dentro de nós e apenas o ego não nos deixa acessá-la?

Já que você está pensando a respeito, existe uma pergunta que vem antes: O que é a perfeição? 

Share this post


Link to post
Share on other sites
6 minutos atrás, Iogui disse:

Já que você está pensando a respeito, existe uma pergunta que vem antes: O que é a perfeição? 

Pergunta difícil essa... Eu achava que a perfeição espiritual tinha a ver com o que O Livro dos Espíritos diz, ao falar sobre espíritos puros no item 113, quando explica o conceito de espíritos de primeira classe. Segue o trecho inicial desse item 113:

"113. Primeira classe. CLASSE  ÚNICA. — Os Espíritos que a compõem percorreram todos os graus da escala e se despojaram de todas as impurezas da matéria. Tendo alcançado a soma de perfeição de que é suscetível a criatura, não têm mais que sofrer provas, nem expiações. Não estando mais sujeitos à reencarnação em corpos perecíveis, realizam a vida eterna no seio de Deus. Gozam de inalterável felicidade, porque não se acham submetidos às necessidades, nem às vicissitudes da vida material. Essa felicidade, porém, não é a de  ociosidade monótona, a transcorrer em perpétua contemplação. Eles são os mensageiros e os ministros de Deus, cujas ordens executam para manutenção da harmonia universal. (...)"

 

Mas agora, do jeito que ando procurando reformular e ampliar meus (poucos) conhecimentos sobre espiritualidade, não me surpreenderia se eu aprendesse um conceito novo de "perfeição espiritual".

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.