Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Traição, ataques de pânico e culpa


PaagrioO
 Share

Recommended Posts

Vamos lá...

Eu namoro, de forma oficial, há 9 meses, mas já faz dois anos que sou envolvido com essa pessoa, que é mais velha que eu: tenho 21 e ela 33. Nos damos super bem: ela é carinhosa, compreensiva, me apoia e me estimula a crescer, além de ser muito bonita. Enfim, eu não tenho o que reclamar.

Nunca pensei em traí-la, até esse último sábado 17/12. 

Vou narrar o fato:

Eu e três amigos fomos numa casa noturna, se é que podemos chamar assim, na cidade vizinha. Algumas bandas de rock da região se apresentam lá. Bebemos todas, até perder a noção de responsabilidade. Ocorre que eu encontrei uma amiga por quem sempre senti uma certa atração. Até aí tudo bem. Mas começamos a conversar e quando percebi já estávamos escondidos nos agarrando e tudo o mais, até que transamos. Não finalizamos o ato - não houve orgasmo de nenhuma das partes. 

No dia seguinte, domingo, mandei mensagem pra ela e disse que não nos encontraríamos de novo, porque eu me arrependi e que aquilo foi um erro. Na noite ela disse que gostaria que não fosse a unica vez nossa, mas reconheceu que erramos e disse que tava tudo bem.

Essa minha amiga eu conheci em 2014, antes de conhecer minha namorada. Nunca havíamos ficado, nada. As amizades dela são um tanto pesadas - bebedeiras, consumo de drogas etc. Não são bandidos, mas fazem o estilo sexo, drogas e rock n roll.

Desde então me sinto.muito mal, muito culpado mesmo. Na verdade me sinto um lixo, porque minha namorada realmente não merece isso de forma alguma. To com ansiedade o dia inteiro, e já tive dois ataques de pânico. Na verdade são problemas comuns a mim, mas não dessa forma, nessa intensidade e frequência. 

Poderia ser apenas culpa ou talvez a interação energética que houve entre a gente? Eu sei que não posso contar a ela, porque significaria o fim de nosso relacionamento, e eu amo ela.

Link to comment
Share on other sites

Olá, Amigo @PaagrioO. Seja bem vindo ao GVA.

Errar faz parte da natureza humana e precisamos levar isso com aprendizado e tocar a vida pra frente.
Procure ter a culpa na medida correta para não continuar ou errar novamente.
Não conte a ela, só iria levar desilusão e sofrimento, ela não merece isso também.
Se você está arrependido de verdade, toca a vida e seja o melhor possível para a vida de vocês dois.
Não viva na culpa, perdoe-se para poder ser feliz e use isso como sabedoria: "Trilhar caminhos errados faz mal!". 
Simples: trilhe o certo!
Não vale a pena o erro, não só pela pessoa que erramos, mas, por nossa própria alma e não há valor maior do que uma mente em paz...
Abração e boas energias no seu coração.

Saulo

Link to comment
Share on other sites

9 horas atrás, PaagrioO disse:

1-Eu e três amigos fomos numa casa noturna,

2-Bebemos todas,

3-até perder a noção de responsabilidade.

4-Ocorre que eu encontrei uma amiga por quem sempre senti uma certa atração, as amizades dela são um tanto pesadas - bebedeiras, consumo de drogas etc. Não são bandidos, mas fazem o estilo sexo, drogas e rock n roll.

5-Não finalizamos o ato - não houve orgasmo de nenhuma das partes. 

6-Na verdade me sinto um lixo, porque minha namorada realmente não merece isso de forma alguma.

7-To com ansiedade o dia inteiro, e já tive dois ataques de pânico. Na verdade são problemas comuns a mim, mas não dessa forma, nessa intensidade e frequência. 

Cara, laranja não brota no ar: antes do fruto é necessário ter flor e uma abelha. Pra ter flor, tem que ter folhas e galhos, para ter folhas e galhos,tem que ter tronco. E só tem tronco, e tem raíz instalada em solo fértil.

A raiz e tronco são os itens 1-3, são tronco, folhas e flor, o item 4 é a abelha.

Se não quer frutos , mas sua flor está pronta, e você depende só de não surgir uma abelha, você estará perdido na vida, será o primeiro caso de muitos, ate porque, se não contar, o mundo não vai cair na sua cabeça, e você pode  ficar com aquela sensação de impunidade, que PODE acabar servindo como estímulo para outros deslizes, já que " não deu nada mesmo".

Nem estou aconselhando a contar ou não, nem estou refletindo sobre isso neste ponto da escrita.

A questão é que nada "acontece", você tem que pensar de forma estratégica (olha a situação e antever os riscos, antes de fica jogando sementinha em terra fértil)   na vida, se quiser não causar problemas para si e para os outros.

O que já foi, já foi, nada mudará isso, então sua preocupação agora é como evitar que isso se repita no futuro (por sorte não era casamento)

Fritar na culpa, apenas na medida que te ajuda a gravar o erro para evitar novos, é bom. Mas tem que cuidar para não deixar passar do ponto.

Quanto a contar, bom, tudo na vida só nos resta julgar por nós mesmos:

-se fosse ao contrário voce preferiria que ela te contasse?

- e caso preferisse, como você agiria? o que sentiria? seria capaz de perdoar? acharia que não teria como continuar?

No juízo só temos a nós mesmos, "faça aos outros o que gostaria que lhe fizessem", esse é o único referencial razoável que temos, o que não significa que seja  o mais eficaz, sei lá, mas....já é um bom começo para tomar decisões.

O item 5 é irrelevante, não é isso que define a consumação que pode gerar os problemas 6 e 7, que é interação energética, de obsessores mútuos, e o fato de sua namorada detectar isso de forma subliminar.

Pessoas que eam adúlteros contumazes me disseram que acham que a pessoa traída sempre sabe, porque detecta na energia que algo mudou. E com isso virá uma tristeza aparentemente sem motivo nela, ou raiva, porque seja como for, antes voce tinha na sau aura só a energtia dela, agora tem de outra, e isso vai ficar ali conflitando até limpar.

Talvez por isso os sintomas de 7, que podem ser  bons para educação interna. Aproveite-os ENQUANTO forem úteis para você gravar a ferro, na carne, que deve assumir com você mesmo um compromisso de não deve repetir isso.

Afinal, desta vez até saiu barato., pois se estivesse casado há aguns anos, com filhos, e isso acontecesse e viesse à tona, deu: Vida no cesto do lixo, (com impacto na vida de todos os envolvidos) e não existe botão de reset para a vida. Nem suicídio é botão de reset.

Link to comment
Share on other sites

olá , peço desculpas se estiver se intrometendo .

Eu aprendo muito lendo e ouvindo as experiências de outras pessoas. parabéns pelo seu relacionamento com sua namorada PaagrioO

 

Bom ,  porque o @sandrofabres disse .: " Afinal, desta vez até saiu barato., pois se estivesse casado há aguns anos, com filhos, e isso acontecesse e viesse à tona, deu: Vida no cesto do lixo, (com impacto na vida de todos os envolvidos) e não existe botão de reset para a vida. Nem suicídio é botão de reset. "   ?

 

Então, se o homem já tem seus filhos e traiu com outra por anos, o que fazer ? Sou filho e vi caso de adultério ! 

Por que jogar a vida no lixo ? Só que já traiu pode dizer se sentiu sua vida como um lixo , MAS e como resolver galera ?  Deveria eu me meter no karma ( = ação ) do pais para ajudá-los a encontrar uma luz ?

 

Li certa vez que as conscins se sentem muito arrependidas, depois que a pessoa desencarna e retorna à Terra com uma ligação grupocármica para se resolver ... Isso confere ? Tem Salvação ?

Bem, eu me expresso porque os filhos são os segundos a sofrerem por algo que nunca imaginaram (até mesmo financeiramente quando o pai é o provedor "máximo" da família )....  Ninguém reencarna para sofrer, então traição só pode ser acidente de percurso .  Esse tema é tão comum em nossa sociedade, e tão polêmico .

 

Peço desculpas novamente se estiver sendo invasivo. Só quero aprender.   :-)

Boa sorte PaagrioO   !

 

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

8 horas atrás, Ashram disse:

Então, se o homem já tem seus filhos e traiu com outra por anos, o que fazer ? Sou filho e vi caso de adultério ! 

Por que jogar a vida no lixo ? Só que já traiu pode dizer se sentiu sua vida como um lixo

Ashram, é conveniente para quem erra achar que só ele próprio pode julgar, mas não é assim que funciona. Qualquer evento pode ser julgado pelo observador dos eventos, e toda sociedade já sabe bem os danos emocionais que esse tipo de situação gera para todos os envolvidos. As vezes podem ser danos pequenos se todo um conjunto de situações forem favoráveis, como por exemplo:

-separação amigável, o que é raro quando um dos membros do casal cometeu traição)

- filhos no final da adolescência ou ainda mais velhos

- ausência de conflitos por guarda de filhos, patrimônio, pensão

- ausência de chantagens emocionais, em relação aos filhos,  por parte de um ou ambos os pais

- ausência de conflitos posteriores devido a nova companhia de um dos pais, ou dos dois...

Se não estiver tudo favorável, há uma enormidade de conflitos que podem surgir e atormentar a vida e todos, e mesmo quando não há conflito, as vezes restarão mágoas que nunca poderão ser apagadas. Portanto, o relacionamento entre essas pessoas (entre os filhos e o membro do casal que cometeu a traição), dali para frente, estará comprometido para o resto da vida.

Não quer dizer que vai virar uma tragédia, cada caso é um caso, mas creio que ninguém desconhece que é um amontoado de problemas, e uma situação de alto risco para a harmonia de vida de todos os envolvidos. Puxa, o cara tem 20 anos, está apaixonado, faz planos de casamento e filhos com a namorada......lá adiante o cara tem 40 anos, olha para trás e..

...a esposa e filhos estão para outros lados, a atual companheira, se tiver, nada tem a ver com a primeira, as vezes já teve diversas outras parcerias, e mais uns filhos espalhados por aí, as vezes em cidades diferentes.

Compare os planos dele aos 20, com  o que ele obteve aos 40: jogou no lixo o que planejou aos 20! Jogou fora a vida que ELE MESMO DECIDIU QUE QUERIA TER.

E esse pessoal sabe disso. Não tem remédio, eles tem que seguir sorrindo, claro,seguir vivendo. Mas eles sabem que deixaram  tudo despedaçado pelo caminho. Então quem puder evitar, evite, porque depois só restará tentar fazer limonada com o limão.

8 horas atrás, Ashram disse:

 Deveria eu me meter no karma ( = ação ) do pais para ajudá-los a encontrar uma luz ?

Acho que não cabe isso. Seus pais tomam as decisões deles, e obterão os resultados cármicos deles. Você como filho tem só que cuidar das suas próprias decisões.

Enquanto o filho ainda é "apenas filho", ele não tem como afetar as decisões dos pais, nem levar sabedoria a eles. O filho ainda tem que construir uma vida própria, sabedoria própria, tem que "sair pelo mundo", "virar gente", antes de poder retornar a casa dos pais e ser ouvido numa condição de igualdade, a ponto de seus conselhos serem levados em conta. Isso demora um bom pedaço da vida.

Mesmo que num raro caso o jovem tenha alguma sabedoria útil para os pais, eles não ouvirão enquanto você não tiver uma faceta desconhecida para eles, como morar na sua casa, ter sua própria familia, emprego e tal, administrar sozinho suas decisões, mostrar se sabe viver mesmo.

Enquanto você for produto cultural 100% moldado por eles ( pelo menos é isso que muitos pais ACHAM que seus filhos são) eles não darão atenção ao que você pensa sobre o que é melhor para ELES.

8 horas atrás, Ashram disse:

Bem, eu me expresso porque os filhos são os segundos a sofrerem por algo que nunca imaginaram (até mesmo financeiramente quando o pai é o provedor "máximo" da família )....  Ninguém reencarna para sofrer, então traição só pode ser acidente de percurso

É "acidente de percurso" para o filho, já que não foi escolha dele, mas é "escolhas erradas" para quem cometeu o erro. Quando o resultado de nossas escolhas afeta mais gente do que apenas aquele que fez a escolha, o bicho pega, porque surge uma "injustiça" né? Uma pessoa faz a escolha, 4 ou mais sofrerão.

É como você decidir convidar para fazer uma viagem com m você mais 3 ou 4 pessoas, por uma estrada, e lá no meio do caminho, quando já estão longe demais do ponto inicial para voltarem à estaca zero, você decide que "mudou de idéia". Para o carro, desce, retira um pneu e vai embora com ele, pelo meio do campo, a pé. porque deu vontade , de repente, de ficar morando ali ,e vai usar o pneu como travesseiro para dormir no mato, e depois seguir outro rumo, a pé, pelas montanhas.

Mas como fica a equipe do carro?

O sujeito responde:

- Ora, que se virem, não nasci colado em vocês, "tenho direito a buscar minha felicidade" 

ehehheheeh. Não precisa ser um Budha para perceber que essa não é a forma adequada de levar a vida né?  Mas se você observar quantos levam a vida assim, e até criam uma filosofia de vida para defender isso, consegue  entender porque a humanidade deste planeta parece que só involui a cada dia: as contas se acumulam a cada vida, ao invés de se reduzirem.

Link to comment
Share on other sites

Em 22/12/2016 at 07:43, sandrofabres disse:

O item 5 é irrelevante, não é isso que define a consumação que pode gerar os problemas 6 e 7, que é interação energética, de obsessores mútuos, e o fato de sua namorada detectar isso de forma subliminar.

Pessoas que eam adúlteros contumazes me disseram que acham que a pessoa traída sempre sabe, porque detecta na energia que algo mudou. E com isso virá uma tristeza aparentemente sem motivo nela, ou raiva, porque seja como for, antes voce tinha na sau aura só a energtia dela, agora tem de outra, e isso vai ficar ali conflitando até limpar.

 

Como funciona essa interação energética?

Porque, veja bem... o que acontece quando terminamos um relacionamento e logo em seguida saimos com outras pessoas? Continuamos ligados com nossos ex?

Ela é divorciada do ex-marido, e eu também já namorei. Até que ponto mantemos as ligações energéticas com quem transamos? E o que faz com que surja essa ligação? O simples desejo, um beijo, o sexo...?

Link to comment
Share on other sites

As ligações dependem do grau de profundidade de relação. Podem envolver cada um dos sete corpos, mas em geral não passam do mental. Quem já foi casado alguns anos demora alguns anos para se livrar disso, se é que se livra...mas um fast-food não costuma deixar vestígos duradouros. Mas é assim, se a pessoa segue sentindo algo pelo outro (tem ligaçao no corpo astral), se segue lembrando do outro, (tem ligaçao no mental). Talvez aquele tipo de relação que é só dá-ou-desce, sei lá. algo tipo só de carnaval, não deixe nada além de energias etéricas. Mas onde houver emoções a coisa já chega no corpo astral né? 

Por isso também mesmo que a pessoa não cometa traição física, se ela tem outro na mente e emoçoes, por exemplo se se apaixonou platonicamente por um colega de trabalho mesmo que não tenha cometido traição física, depois em astral pode acabar indo até essa pessoa, e  talvez ser correspondido, e um elo também irá se criando entre eles, por isso certas coisas "acontecem", porque nesses casos as vezes já tinha coisa rolando nos planos sutis, só faltava concretizar TAMBÉM no físico.

O sexo sempre vai criará elos, porque há uma certa magia nele, tanto que gera vida né? Não é como outras coisas. Por isso comportamento promíscuo é a melhor forma de semear uma vida confusa , porque essas conexões entre diversos parceiros irão se afetar mutuamente, e nas próximas vidas você estará meio indefeso contra isso. Você já deve ter lido que memórias de vida passadas tem uma certa carga emocional grande. Não precisam ser memória ruins nem boas, é que são como uma mola, se não forma acessadas por muitos anos, quando você acessa, aquilo te derruba. Até mesmo dentro do tempo de uma vida, quando você remexe em memórias antigas desta vida as vezes acaba se emocionando, como aqueles programas de auditorio adoram fazer.

http://gshow.globo.com/tv/noticia/2015/09/juliana-paes-se-emociona-e-chora-muito-no-visitando-o-passado-estou-quase-desmaiando.html

E aí , se você começa a reencontrar as parcerias com quem você teve "casos" em vidas passadas, você não lembra delas conscientemente, mas vai sentir "coisas" e não vai entender a origem. Vai complicar, porque vai começar a fantasiar sobre o que sente e vai perturbar a vida atual.

Então essas coisas não podem ser administradas levianamente, porque nada sumirá num estalar de dedos.

A Dion Fortune fala um pouco sobre isso no livro Filosofia oculta do amor e matrimonio. Dion Fortune - Filosofia Oculta do Amor e do Matrimônio.pdf

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...