• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Recommended Posts

Olá, pessoal.

Sou novo no fórum, mas o fórum não é novo pra mim. Conheço o assunto da projeção astral faz uns quatro anos, mas apesar de tanto material na internet, ainda não consegui ter nenhuma projeção voluntária ou consciente.

Há quatro anos eu estava à beira de me tornar ateu, mas tive a surpresa de descobrir a existência do ocultismo e da magia. A possibilidade de alterar a realidade através de meios não-físicos me pareceu fantástica. Aprofundando-me nos meus estudos, tropecei em um assunto que me pareceu o mais fantástico de todos: a projeção astral. Imagine só! Sair do corpo físico e poder circular por qualquer lugar do Universo. Confesso que naquela época, devido a minha falta de conhecimento, só via duas utilidades na projeção: turismo e espionar mulheres no chuveiro (podem me julgar o quanto quiserem), mas mesmo assim meu interesse se manteve alto.

Porém, foi ao ler um livro de nome “Active Dreaming” que eu fiquei obcecado pelo assunto. No livro (o qual pretendo traduzir, mas por enquanto vou me limitar a descrever as técnicas para que vocês possam ir testando e se beneficiando), o autor ensina como – durante o estado de projeção – você pode praticar auto-hipnose, cura, magia, obtenção de qualquer informação possível e até mesmo mudança da sua aparência física (vejam que sincronicidade, quando eu estava pensando em postar isso, acabei achando o tópico de biokinesis do Marlon).

Na ânsia de me projetar, tentei os métodos tradicionais, e verdade seja dita, eles funcionam para uma parte bem pequena da população. Tive conhecimento da metodologia do Michael Raduga, indiscutivelmente a mais eficiente quando o assunto é sonho lúcido/projeção astral. Durante as tentativas, meu corpo dava sinais de que as técnicas estavam para funcionar, mas talvez por falta de disciplina (ou pela extrema agonia que eu sentia ao acordar e me forçar a ficar parado) nunca cheguei a induzir a projeção. Isso foi criando um enorme bloqueio psicológico e fisiológico em relação à projeção, e hoje em dia, as técnicas que funcionariam em mim normalmente há 3 ou 4 anos, parecem não se aplicar mais.

Isso me leva ao meu desesperado e encarecido pedido que faço a vocês, aqui como último recurso: Gostaria de pedir que algum projetor prestativo pudesse me encontrar durante uma de suas viagens ao astral. O projetor viria até a minha consciência (e não ao meu corpo físico), estabeleceria contato comigo, me fazendo perceber que estou numa projeção/sonho, ou seja, me “despertando” para a realidade astral e me tirando da inconsciência passiva do sono. Seria legal se o projetor pudesse estabilizar o ambiente ao meu redor para que ele pareça mais real.

Enfim, gente, peço encarecidamente que me façam essa caridade. Já pensava há tempos em pedir ajuda nesse fórum, mas relutei, talvez por arrogância de querer fazer tudo sozinho. Frequentemente medito, faço trabalho energético (recentemente fui iniciado em Reiki), e já cansei de pedir ajuda pra os meus mentores espirituais.

 A projeção é fundamental para mim, não só na obtenção de coisas relativas à vida material, porém muito mais em relação ao espiritual. Quero através dela perceber um pouco melhor o funcionamento do Universo, me comunicar com meus guias espirituais e obter informação, e na hora da minha morte física, não ser pego de surpresa pela realidade astral.

Grato!

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Esqueça os " projetores" , foque nos MENTORES, porque o que você quer está meio longe,para dizer o mínimo, das capacidades do projetor mais experiente que voce possa imaginar.  Tem muito exagero no que se fala sobre as possibilidades de um projetor. A começar pela capacidade deles em ir até alguém que nunca encontraram fisicamente.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sandro, obrigado pela resposta.

Confio na sua experiência e não duvido do que você está dizendo.Já li sobre as dificuldades de se manter no astral. Contudo, tentar não custa nada, e eu coloco aqui um pedido de solidariedade para quem estiver disposto a fazer esse teste. Não custa tentar, e qualquer resultado obtido será uma informação válida para todos.

 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Oi, Gárbor! Se isto também for lhe ajudar, segue o link de um tópico no qual obtive várias dicas sobre como despertar a consciência durante os sonhos:

Na correria do dia a dia, ainda não consegui aplicar essas técnicas adequadamente. Mas, depois que comecei a praticar a auto-observação, há alguns dias, consegui despertar no meio de um sonho. Nesse dia, fui deitar fazendo a técnica do mantra faraon. Não sei se consegui despertar no sonho só por causa da auto-observação diária, ou se a técnica do faraon também me ajudou. É que eu nem consegui fazer essa técnica bem feita, pois dormi muito rápido enquanto a praticava, rs! Mas, mesmo assim, obtive um pequeno resultado. Eu estava no meio de um sonho, normal, e de repente lembrei que poderia estar em projeção (não havia nada estranho no sonho, eu que simplesmente lembrei). Na mesma hora, o sonho se desfez, despertei em corpo astral no meu quarto, e vi que estava sentindo EV. Cheguei a levantar minha cabeça e meu tronco em corpo astral, mas, quando eu ainda estava sentada na cama, perdi a lucidez de novo, e acabei entrando em algum outro sonho que já não me lembro mais. É que sou muito iniciante ainda, rs!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Oi, Cintia!

Vou dar uma olhada no tópico. Poucas vezes consegui despertar dentro de um sonho, e sempre que tentei fazer algo, logo perdia a lucidez e o sonho entrava em colapso :-(. Você já tentou as técnicas do Raduga?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Aprendi as técnicas do Raduga há poucos dias, por isso ainda não tive muitas oportunidades de praticá-las. Nas poucas vezes que fiz, ainda não deram certo comigo, preciso de mais prática.

Mas, recentemente, eu também estava tendo alguns problemas, por medo de me projetar. Isso me atrapalha muito, a ponto de no passado eu ter feito orações pedindo para não ter mais lucidez em projeção, rs!

Se não fosse a ajuda que recebi do pessoal aqui no GVA, eu nem teria voltado a praticar técnicas de projeção. Mas está tudo muito recente, ainda não consegui recuperar a pequena prática que eu já havia adquirido anteriormente.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá, Wagner.

Já estou nesse processo de reforma há algum tempo. Contudo, quero ter pelo menos uma experiência consciente, para pelo menos saber como é a sensação. Por isso peço ajuda para algum projetor que possa me encontrar no astral.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Só vou te dizer só uma coisa, pois essa sua dúvida é muito recorrente de todos os estudantes de projeção astral.

Resposta: Manual de Instrução Religiosa Parte lll Meios de Santificação e Liturgia de A. Boulenger.

 

http://obrascatolicas.com/index.php?option=com_docman&task=doc_details&gid=297&Itemid=53

 

 

E outra coisa, reavalie sua concepção dos "Projetores" se achas que Graças sobrenaturais são tão comum e que há algum humano desse forum ou em algum lugar desse planeta com controle total delas, precisa conhecer primeiro a origem do sobrenatural. E conhecer os seres humanos também, pois muitos deles tem muito orgulho para admitirem a incapacidade humana e preferem escrever textos como receitas mágicas.

 

Edited by sandrofabres
correção do link
  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Quando li o livro do Waldo, Projeções da consciência, eu tinha 19 anos. Achei muito bom...

Eu reli quanto estava me interessando novamente por projeção, em 2010. Achei bom mas...pareceu que faltava um  "método"...mas segui em outras leituras mais pragmáticas.

Após ter cerca de 100 projeções, reli, e notei um detalhe...mas esse detalhe já estava lá no livro. A questão é que enquanto você não tem alguma prática, você não enxerga algumas coisas. O livro contém os relatos de mais de 60 projeções. Apenas 5 foram induzidas pelo próprio Waldo. Isso é menos de 10% !

Citar

Sucederam vários tipos de projeções durante o período: projeções prolongadas, 6, 7, 24, 36, 38 e 51; curtas, 30, 32, 35, 54 e 56; consecutivas, 3, 25, 27, 30, 32, 39, 41, 50 e 59; prévias, ou de preparo do projetor para outras projeções, 38, 39 e 41; parciais, 23, 32, 50 e 56; autoprojeções, ou desprendimentos induzidos voluntariamente pelo projetor, 23, 30, 31, 45 e 50; (p.140 do pdf)

Nas outras eles sempre apaga e vai despertar já em astral, seguindo este padrão:

Citar

-Despertei fora do físico junto de alguns espíritos conhecidos em tratamento há tempos...

-A minha consciência estava lúcida ao entrar numa espécie de construção de teto alto, portas ovaladas no topo e sem folhas.

-Não tenho lembrança dos detalhes da decolagem do psicossoma. A consciência de estar fora do físico apareceu-me num quarto desconhecido onde estavam entreabertas as duas folhas de uma janela

- A minha consciência acordou fora do físico numa rua não familiar em bairro de ruas regulares e algumas travessas íngremes, na Zona Norte do Rio...

 

Isso até nos leva a crer que a projeção de consciência contínua, a que você induz, é rara. E estamos falando do Waldo Vieira né? Supostamente "O CARA" da projeção. 

Bom, no meu caso, já com mais de 800 projeções desde 2011 para cá, acho que só tive umas 4 em que despertei já em astral, em lugar desconhecido, sem saber como fui parar lá. Todas as outras fui eu quem induzi (o que não quer dizer que não tivesse alguém ali invisível ajudando, e algumas vezes nem invisível era), e então levantei do corpo físico usando o corpo astral e saí caminhando dali. Meu caso é o oposto do do Waldo, nesse aspecto.

E sério....isso não significa uma capacidade maior em relação ao que você vai fazer logo que deixa seu corpo para trás e vai em direção a sua meta escolhida. É apenas mias um detalhe prático que diferencia umas pessoas das outras.

Mas é só para você ver que a coisa não está tão na nossa mão quanto se supõe. A gente faz a nossa parte, quanto ao resto, "só Deus sabe". eheheh

Então sabemos que a projeção tem amplas possibilidades. A PROJEÇÃO TEM.... não é o mesmo que dizer que NÓS TEMOS.

 

Projecoes da Consciencia - Waldo Vieira.pdf

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Entendo as questões que vocês levantaram, mas uma grande dúvida permanece.

Parto do pressuposto que sonho lúcido e projeção astral sejam a mesma coisa (posso estar errado), no sentido de que são o mesmo fenômeno e que ocorrem "fora da sua cabeça", ou seja, no "mundo exterior".

Pois bem, em sites de cunho espiritualista, como esse, os adeptos sempre relatam uma dificuldade imensa tanto em se projetar quanto em manter aquele estado e transitarem por ele. Colocam muitas vezes importância em fatores externos como amparadores, na vontade de alguma entidade ou nos mistérios insondáveis dos desígnios divinos. Porém, em comunidades de cunho materialista (Raduga e seus seguidores), os praticantes conseguem se projetar e manter o estado com relativa facilidade, realizando proezas e muitas vezes passando um tempo relativamente longo fora do corpo.

Só consigo pensar em duas hipóteses para isso:

1- Projeção astral e sonho lúcido são estados totalmente diferentes, o primeiro acontecendo "fora" da pessoa e o segundo "dentro" (daí o maior controle)

ou

2- As dificuldades dos projetores astrais em saírem do corpo se devem a técnicas ineficazes e as dificuldades em manter o estado provêm de um fator psicológico, uma assunção de que estar no astral é difícil,e essa assunção acaba se realizando puramente pela crença do projetor.

 

Bem, essas são simplesmente hipóteses minhas. Se algum projetor tiver curiosidade de fazer o que eu propus no início do tópico, fale comigo e ficarei eternamente grato.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 27/02/2017 at 19:12, Gábor disse:

Parto do pressuposto que sonho lúcido e projeção astral sejam a mesma coisa (posso estar errado), no sentido de que são o mesmo fenômeno e que ocorrem "fora da sua cabeça", ou seja, no "mundo exterior".

Projeção astral acontece fora.

Sonho, seja  lúcido ou não,  não sabemos se é algo que exsite, ou uma definiçaõ criada por materialistas.

A definição mais comum é que sonho é algo que só acontece dentro da sua cabeça. Você nota isso em vigília, a vezes as pessoas estão até falando sozinhas enquanto caminham na rua. Com quem elas falas? Com algo que só existe na imaginaçao delas.

É provável que o sonho seja exatamente o mesmo tipo de fenômeno, quer voce esteja lúcido ou não. Nesse caso, é um ambiente virtual criado pela sua mente,e e por isso tudo funciona bem melhor, porque não está sujeito a fatores fora do controle da sua mente, como as energias ( suas, do ambiente, de outros seres)  e a densidade da zona em que voce está atuando.

Porém, mesmo essa definição de divagação em vigília tem fragiliadades, porque voce pode estar conversando telepaticamente com outra pessoa e chamarmos isso de "devaneio", sempre porque partimos do pressuposto simplista de que nada do que não acontece materialmente, existe.

Da mesma forma os sonhos, lúcidos ou não, podem não existir, ou podem ser projeções em zonas mais afastadas do físico. Aliás é exatamente isso que o Robert Bruce afirma.

Logo que nos projetamos estamos numa zona intermediária, que nao permite que o corpo astral funcione com todas as suas potencialidades. Por isso é mais complicado voar, ou plasmar objetos, ou abrir um portal para outro local. Uma vez que voce passe para outra faixa, tudo fica mais fácil, a experiencia pode durar bem mais tempo, pode voar mais fácil e plasmar coisas. Mas também. o que voce pensa pode aparecer na sua frente, então é mais fácil visitar alguém só pensando nele, mas também é mais fácil ficar preso em fantasias( você olha uma árvore, pensa que poderia ter alguém atras e pimba, surge alguém ali atrás. Isso nunca acontece na zona mais densa, sua mente não consegue plasmar assim nem querendo.)

Em 27/02/2017 at 19:12, Gábor disse:

Colocam muitas vezes importância em fatores externos como amparadores, na vontade de alguma entidade ou nos mistérios insondáveis dos desígnios divinos. Porém, em comunidades de cunho materialista (Raduga e seus seguidores), os praticantes conseguem se projetar e manter o estado com relativa facilidade, realizando proezas e muitas vezes passando um tempo relativamente longo fora do corpo

As pessoas só relatam seus sucessos, não as inúmeras falhas. Se você ler os livros dos projetores espritualistas também encontrará inúmeras "proezas".

Você leu  o que eles contaram, mas está aqui pedindo para alguém ajudar. Se o que eles ensinam fosse verdadeiro, bastaria fazer o que eles dizem, não é mesmo? Não estaria aqui pedindo ajuda externa.

Em 27/02/2017 at 19:12, Gábor disse:

2- As dificuldades dos projetores astrais em saírem do corpo se devem a técnicas ineficazes e as dificuldades em manter o estado provêm de um fator psicológico, uma assunção de que estar no astral é difícil,e essa assunção acaba se realizando puramente pela crença do projetor.

As técnicas do Raduga são todas de projeção. Não existe uma cultura de técnicas de sonhos lúcidos. Ele apenas se apropriou das técnicas projetivas e chama isso de técnicas de sonho lúcido. O conceito de sonho lúcido surgiu nos anos 70, a projeção é bem antiga, o livro do Apocalipse é um relato projetivo, caso não tenha reparado. Então as técnicas são exatamente as mesmas. E detalhe:

Elas deixam de funcionar com o tempo. Aquelas técnicas de aprofundamento de fase só funcionam no início, depois passam a falhar sempre.

Então como explicar que uma pessoa que tenha visto a eficácia delas, e portanto aprendido que a coisa é fácil, de repente comece a descobrir que elas não funcionam mais? Isso não cabe na sua hipótese da expectativa sobre a dificuldade.

A coisa não é tão simples quanto os céticos pensam, eles criam respostas fantasiosas para explicar tudo, respostas que parecem ter lógica, mas que ainda assim falham para explicar o que acontece com as pessoas que se projetam.

 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Só mais um exemplo:

 

- Numa das primeiras projeções que tive em 2011, uma das raras em que despertei fora do corpo, foi assim:

 

Do nada, me vi na esquina da rua X com a rua Y, da minha cidade natal (não é onde moro). Pensei:

- Ué....estou projetado aqui..porque será? Ah, nem vou sair daqui, vou acordar em segundos mesmo, nem vou dar um passo

............

........

.....

(passaram-se uns 30 segundos, sem eu fazer nada, estava só parado na esquina)

-Ué, ainda estou aqui?? Mas a gente sempre volta rápido ,nunca dá para fazer nada...que estranho

...........

.......

....

Bom, esperei mais um pouco e nada, como eu vi que não ia acordar mesmo, atravessei a rua e fui ate o predio em frente, onde havia rabiscos na parede. Pensei:

- Já sei, vai ser como sempre, vou tentar ler isto e vou acordar na hora

(li vários nomes, tipo Maria ama paulo, escritos na parede ,como adolescentes fazem as vezes, e nada de acordar)

Então reparei que a porta do prédio estava aberta, resolvi entrar. Bom, o predio tinha 3 andares, andei por todos eles, tinha gente lá, no terceiro encontrei uma pessoa e senti o alerta que era por causa dela que eu estava ali, emiti energia para crua, apareceu do nada uma mentora Reiki acima de mim, flutuando no ar, projetando as mãos sobre minha cabeça etc..

Depois ficamos eu e ela conversnado com mais gente ali, e no final, quando estávamos saindo (já tinha amanhecido, o sol estava nascendo) lembro que mexi na parte externa do nariz e puxei um pedaço ,arrancando fora aquilo. Ela olhou e fez "argh!"

Eu falei:

- Por sorte não estou no corpo físico, ou teria estragado meu nariz ao arrancar isso, eheehhe

.........

Acordei. E nas 3 noites seguintes esse tipo de coisa seguiu acontecendo.

O que eu concluí?

"Bom, projeção não é assim, a gente sai, logo pensa 'que legal!", e já é puxado de volta para o corpo, é um saco!!!. Então se as minhas estão tão estáveis, e durando tanto, sem eu fazer nada para isso, só pode ser...tumor no cérebro!"

...........................

Bom, confesso que não procurei um médico para descobrir, resolvi aproveitar seja lá qual fosse a causa, kkkkk.

Mas depois percebi que era porque se tratava de projeções amparadas, para fazer certos trabalhos. Aquelas projeções que você mesmo faz, por interesses menores, como simples curiosidade, não são tão estáveis.

Mesmo assim, não precisam ser "saí, que legal! puf...de volta ao corpo". Dá para usar as ´tecnicas de aprofundamento para fazer a transição para uma fase mais estável.

Mas como te disse, mais adiante, depois de umas 200 projeções nas costas, elas começam a falhar.

E outra, o  Raduga diz no livro dele que "nunca se ouviu falar de uma 'fase' de mais de 20 minutos. Ora, já tive várias projeções de 40 minutos, uma de 90 min, uma de 2h, e uma de 4h. Mas exceto aquela de 90 min, nas outra eu não usei nenhuma técnica de manutenção da fase além daquilo que usamos logo nos primeiros 1 ou 2 minutos. A projeção longa, de 4h, foram aulas em sala de aula, com intervalos e tudo. Quando terminou, fomos todos para casa, e acordei.Mas você não planeja isso, você apenas tenta se manter focado no que está acontecendo. Outra coisa é determinar uma meta e tentar realiza-la. Quando não funciona, você sai dali e vai vagar para ver  o que acha, para não desperdiçar a experiência.

É fácil dizer "você pode visitar o passado para conhecer os dinossauros". Difícil é:

- escolha uma rua qualquer, de qualquer país do mundo. Um endereço e um número, projete-se para lá, veja a cor e aparência da casa, da rua. Então volte ao corpo, entre no googlemaps, vá no streetview e veja se bate.

Porque é disso que você está falando quando supõe que alguém vai se projetar e ir até você. É bem mais fácil caminhar entre os dinossauros, porque a fantasia permite muitas coisas que a realidade COM RESULTADOS, não permite.

 

 

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Agradeço pelas respostas detalhadas, Sandro. Vamos por partes:

1- Independente do sonho acontecer dentro da sua cabeça ou em uma região mais "pessoal" do seu astral, você diria que aquilo que chamamos de sonho lúcido é mais estável e manipulável do que aquilo que chamaríamos de viagem astral?

2- Quando eu falava em "técnicas de sonho lúcido" em oposição a "técnicas de projeção astral", eu me referia simplesmente ao fato das técnicas que o Raduga chama de indiretas (acordar com a intenção de se projetar) serem, em geral, muito mais eficazes que as técnicas que ele chama de diretas (ir pra sua cama e tentar pular pra fora do corpo na hora). 

3- Em relação à manutenção do estado, confesso que não sabia que es técnicas de aprofundamento param de funcionar depois de algum tempo, até porque o próprio Raduga não menciona isso no livro (esquecimento ou desonestidade da parte dele?). Contudo, não confiei naquela afirmação de que "não existe fase de mais de 20 minutos" pois já havia lido relatos que contrariavam isso.

4- Você fala que se a projeção fosse tão fácil como os materialistas dizem, eu não estaria aqui pedindo ajuda externa. Não é bem assim, já descrevi um pouco do meu caso particular e poderia entrar em detalhes extensos sobre as minhas particularidades psicológicas que barraram a projeção até aqui, mas isso não levaria a nada.

5- Tenho consciência da natureza ilusória do astral, sei que é difícil saber se você está se projetando para uma localidade do mundo físico ou se é apenas um lugar parecido, baseado nas suas concepções sobre aquele lugar, etc. Porém, pergunto a você e os outros projetores experientes: já tentaram fazer o que eu propus? Já tentaram localizar alguém? Se não, só posso dizer que não custa tentar, pelo menos a título de experiência. Meu intuito não era dar meu endereço aqui no plano físico, mas ver se alguém conseguiria me localizar no astral se concentrando na minha essência (algo análogo ao que o pessoal de visão remota faz, porém envolvendo teletransporte astral). Reitero aqui meu pedido a quem tiver interesse, vamos ver no que dá!

PS. Alguém aqui do fórum teve sucesso, em suas primeiras tentativas, com as técnicas indiretas do Raduga? Como foi?

Share this post


Link to post
Share on other sites
27 minutos atrás, Gábor disse:

(...)

5- Tenho consciência da natureza ilusória do astral, sei que é difícil saber se você está se projetando para uma localidade do mundo físico ou se é apenas um lugar parecido, baseado nas suas concepções sobre aquele lugar, etc. Porém, pergunto a você e os outros projetores experientes: já tentaram fazer o que eu propus? Já tentaram localizar alguém? Se não, só posso dizer que não custa tentar, pelo menos a título de experiência. Meu intuito não era dar meu endereço aqui no plano físico, mas ver se alguém conseguiria me localizar no astral se concentrando na minha essência (algo análogo ao que o pessoal de visão remota faz, porém envolvendo teletransporte astral). Reitero aqui meu pedido a quem tiver interesse, vamos ver no que dá!

(...)

Embora não me considere um projetor experiente vou responder à sua pergunta pois comecei a tentar a projeção consciente precisamente para tentar encontrar uma pessoa. Uma mulher...pois...a velha história.:)

Para não alongar muito pois já contei noutro tópico, direi apenas que depois de alguns meses a praticar diversas técnicas lá fui tendo êxito até que se tornou bastante fácil a projeção. Bastava relaxar, concentrar-me e pronto...lá ia eu. Era imediato e sem lapso de lucidez (isto foi há 20 anos atrás). Devo dizer que embora me projetasse todas as noites, durante meses, nunca consegui encontrar essa pessoa. Ia sempre parar em lugares desconhecidos. Acontecia ir diversas vezes seguidas ao mesmo local de maneira que acabava por conhecer os seus habitantes. Quando regressava na noite seguinte era como se fosse visitar uns amigos. Depois de algum tempo começava a ir a outro local e o ciclo repetia-se.

Por mais que eu me esforçasse nunca mas nunca fui parar ao lugar que eu queria. Parecia propositado; tipo "queres ir para lá mas vais é para acolá".  Acabei por desistir de encontrar essa pessoa no astral pois parecia que alguém me andava a "sabotar" o GPS. :)

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 27/02/2017 at 21:34, Gábor disse:

1- Independente do sonho acontecer dentro da sua cabeça ou em uma região mais "pessoal" do seu astral, você diria que aquilo que chamamos de sonho lúcido é mais estável e manipulável do que aquilo que chamaríamos de viagem astral?

Claro. Eu tinha muitos sonhos lúcido quando cirnaça. Era ua farra só. Eu criava monstros e plasava armas, para combate-los, ehehe. o que mais me ficou na lembrnaa foi quando consegui fazer aparecer um ser destes:

monstro-do-pantano-mmiller-5-2012.jpg

 

...e para enfrentá-lo fiz surgir um machado bna minha mão.

Hoje lembro disso e só penso que espero que nós dois tenhamos nos divertido a beça, porque seria terrível imaginar que eu tenha de fato atacado essas criaturas cahamdas a fazer parte do meu game mental de infancia, eheeeh.

Uma vez que você tenah certeza de que está num sonho lúcido, vira farra, ehhe. Infelizmente não ´ha um sinal claro disso, voce apenas sabe que está ou num sonho lucido, ou numa projeção, o que quer que isso signifique em termos de "A VERDADE", mas na prática a diferneça é que você está no controle, até do habitat, quando voce está num sonho lúcido. "Ah, então esse é um critério, se eu no poder controlar, então é projeção?". Não dá para dizer isso, a gente não sabe se não há algum fator, (como tipo de  ondas cerebrais) que influa nos resultados disso. Talvez quando não consegue seja apenas um tipo de sonho lúcido em que a parte criativa da sau mente não consiga domimar a solidez aparente do cenário. Quem já não teve um branco durante uma prova? Ou para iniciar uma redação? As vezes a parte criativa não consegue deslanchar. Se é assim em vigília, talvez isso possa acontecer também durante esse fenômeno. O fato é que....ninguém sabe muito sobre isso.

 

Em 27/02/2017 at 21:34, Gábor disse:

2- Quando eu falava em "técnicas de sonho lúcido" em oposição a "técnicas de projeção astral", eu me referia simplesmente ao fato das técnicas que o Raduga chama de indiretas (acordar com a intenção de se projetar) serem, em geral, muito mais eficazes que as técnicas que ele chama de diretas (ir pra sua cama e tentar pular pra fora do corpo na hora). 

Ah, isso. Pensei que se referisse àquelas técnicas para profunda,r ou para translocar abrindo e fechando portas, etc. Bom, mas isso é técnica projetiva também, é apenas usar as técnicas de sepração toda vez que acorda. Toda a preparação fisiológica anterior pode ser supriida porque o ocpro e a mente já estão na condição apropriada. É uma questão mais de química corporal do que de crenças em dificuldade ou facilidade.

O Robert Monroe já relatava isso no seu livro.Comentei sobre isso aqui.

 

Em 27/02/2017 at 21:34, Gábor disse:

3- Em relação à manutenção do estado, confesso que não sabia que es técnicas de aprofundamento param de funcionar depois de algum tempo, até porque o próprio Raduga não menciona isso no livro (esquecimento ou desonestidade da parte dele?). Contudo, não confiei naquela afirmação de que "não existe fase de mais de 20 minutos" pois já havia lido relatos que contrariavam isso.

Eu já notei isso, outro projetor experiente aqui do fórum também já notou...mas não se fala porque? Porque o que mais tem é gente que nunca teve uma projeçao sequer, mas se voce diz que depois de cem ou duzentas projeções algo vai parar de funcionar, o cara já desanima, já pensa que não vale a pena. É o pessoal que quer tudo perfeitinho, se o mundo não funciona do jeito que eles imaginam, então não fazem nada...no fundo eles não querem fazer nada, por isso usam qualquer desculpa para justificarem sua inércia. O cara não faz faculdade porque diz "tá cheio de gente com diploma, desempregado"..não se exercita porque viu algum cara que se exercitava morre jovem, e já diz "viu? não adianta"..e assim sucessivamente.

Em 27/02/2017 at 21:34, Gábor disse:

4- Você fala que se a projeção fosse tão fácil como os materialistas dizem, eu não estaria aqui pedindo ajuda externa. Não é bem assim, já descrevi um pouco do meu caso particular e poderia entrar em detalhes extensos sobre as minhas particularidades psicológicas que barraram a projeção até aqui, mas isso não levaria a nada.

Mas o fato de haver particularidades mostra que o método , em si, não manda em tudo. É por isso que aqui, como você diz "  Colocam muitas vezes importância em fatores externos como amparadores, na vontade de alguma entidade ou nos mistérios insondáveis dos desígnios divinos". Você se obriga a reconhecer que há fatores desconhecidos, ou o sucesso aconteceria sempre que o  método fosse aplicado. Uma das "falácias", por exemplo, é achar que o domínio do EV te leva ao domìnio da projeção. Num dos vídeos do Wagner Alegretti ele fala que consegue gerar o EV sempre que ele tenta. Porém, só tem sucesso em se projetar 10% das vezes, ou seja, mesmo gerando o EV sempre que quiser, isso não vai gerar a projeção em 9 tentativas, de cada 10. Então qual é, de fato, a "chave"?

ME PARECE que uma parte do processo é fisiológica. Então voce tem que saber ouvir seu corpo, para não "errar o bote". A MEU VER quem sofrer de catalepsia ,está justamente despertando na hora errada do processo. E aí vai botar a culpa nas energias e tal. Mas isso mostra que mesmo o cara conseguindo fazer tudo passo a passo a ponto de ficar ali vendo "coisas" no quarto, ainda pega em outros fatores. Sempre que você consegue, você se admira o quanto é fácil, sem mistério algum. É natural como respirar. Mas quando voce vai fazer de novo na noite seguinte....não funciona, apaga, sonha, e quando ve ja amanheceu e nao conseguiu, ehheheh. Parece que do ponto de vista do seu eu projetado, o processo é fácil de entender. Mas é um mecanismo intuitivo. Quando voce volta ao estado mental normal, aquele mecanismo já não é tão claro.

Por exemplo, uma vez eu estava tentado me projetar e ainda não tinha acontecido nada. Então la pelas tantas pensei:

"será que eu consigo localizar aqui dentro do meu corpo físico, onde está meu corpo astral, para mover só ele?"

Então prestei atenção ao interior do meu corpo, procurando ago indefinido...e meu corpo astral saiu para o lado, como se fosse a capa de um livro sendo aberta. Isso na posição congelada, idêntica ao físico, e rígida. Então assumi o controle dos movimentos e deixei a cama. Depois daquilo passei a usar isso como técnica de separação. Funcionou algumas vezes e depois já não funcionava mais, voltei a usar algo mais dinamico (para evitar apagar na tentativa) , como a técnica da corda. Então muitas vezes você acorda a noite e simplesmente sabe que está solto, basta levantar. Nada te indica isso, você só sabe, porque aprende a reconhecer o estado, mesmo quando não há nenhum dos típicos sinais de fase, que são outra coisa que com o tempo desaparece também.

Então é um processo dinâmico, que com os anos vai se alterando. Por isso acaba-se procurando explicaçoes no "mistério divino". Não vejo problema nisso, porque é só um termo realista, que admite que o homem não sabe tudo. Se nem da matéria ele sabe, pois a ciência é uma sequencia de erros, imagina nesses outros temas.

Em 27/02/2017 at 21:34, Gábor disse:

Porém, pergunto a você e os outros projetores experientes: já tentaram fazer o que eu propus? Já tentaram localizar alguém?

Eu já. Assim com ja tentaram me localizar. Quem me disse que tentou não conseguiu. Eu já consegui uma vez ir até o Saulo...mas quem garante que era ele? O encontrei na cozinha, conversando com uma moça magra e de cabelo moreno, longo, de pontas cacheadas. A única coisa que me fez pensar que pudesse ser ele foram os móveis da cozinha, que reparei que eram brancos, e na semana seguinte ele postou este vídeo, e reparei que os balcões e armáriso eram brancos mesmo, como eu vi:

 

Mas é assim, não fiz isso por brincadeira, o fórum estava bugado, ele não se comunicava, e eu queria saber se ia demorar muito ainda. Então eu acho que só tive acesso a ele porque era problema do fórum mesmo...

Já tentei tirar uma dúvidas com o Moisés Esagui, porque acho que ele sabe mais do que fala, mas esbarrei num grupo de assessores que nao consegui contornar, mesmo apos 3 projeções sucessivas Porque sabe como é, não dá para ficar muito tempo, e os caras lá são meio descansados, não entendem nossa pressa, eheheh.

Já o Saulo as vezes me conta quando sonhou comigo, mas o que eu lembro dos sonhos não bate. Então mesmo que voce chegue ate alguém que você ACREDTIA SER SEU ALVO, não quer dizer que seja, de fato ele.

Quando é alguém que você conhece é mais fácil ,mas mesmo assim as vezes voce vai e chega num local desconhecido, qua não tem nada a ver com o que voce estava procurando. Um colega projetor experiente aqui do gva tentou vir ate mim voando...beleza. Foi parar em frente a um lago que tinha um redemoinho na água. Ficou sem entender nada. Nem eu faço a menor idéia do que seria isso, ehehehe.

Depois parou no que parecia uma casinha de campo, no meio do mato, mas não entrou, porque ele sabe que não moro num lugar assim, moro na cidade mesmo, ambinete urbano, centro da cidade. O que gera esses desvios de alvo??? Não sabemos, mas pode-se criar especulações a vontade. Então veja, mesmo a gente sabendo que projeção é real, ainda tem esses erros ridículos.

O teste das cartas, por exemplo. Vira e mexe aparece alguém aqui pedindo voluntários para um projeto de pesquisa com projetores. Eles pensam em testes simples, mas que na prática são fogo. Eu mesmo propus algo mais simples, porque se você tiver que se projetar e ir ate outra sala, corre o risco de mudar de faixa e ir parar na Noruega, eheh. Então expliquei minha idéia para ele, e na mesma noite testei. Fracasso total.

Peguei uma carta de Tarô, sem ver a face, claro, e botei dentro de uma caixa de papelão, que ficava a menos de 2 metros da cama. Então a noite me projetei, fui ate a caixa, meti a mão nela para pegar a carta, e.....

só tinha papel picado, como se fossem um gibi todo rasgado m pequenos pedaços. A carta de taro é um retângulo de cartão firme, de uns 13 x7cm. Não havia ali nem sequer uma imitaçao disso, eram pedaços de gibi  rasgados a esmo, de tamanho 3x3cm mais ou menos.

Se você acerta, não falta um cético que venha com aquelas explicações tolas:

"ah, vai ver você inconscientemente ao tocar na carta captou qual era, por isso acertou"

Mas qual a explicação para um erro desse tamanho?  Não tem.

E por isso o acerto também não deve ser competência não, mas ajuda externa, ou necessidade, porque se nem algo tão simples dá certo, mesmo tentado por alguém como eu, que estou longe de ser inexperiente, imagina então o resto dos testes mais sérios. Então  a gente nota que quando a coisa é importante, costuma dar mais certo. Quando é teste puro, nunca dá.

A conclusão de que um agente externo, mais competente que nós, reconhece a importância da nossa causa,e por isso nos ajuda, parece a única plausível para explicar o  sucesso.

E também explica o fracasso, porque esse negócio de teste frio, de repetibilidade, ao estilo que a ciência faz, dificilmente interessaria alguém que tem coisas mais importantes para fazer, como ajudar espíritos presos no umbral todas as noites. Aí você é deixado sozinho a brincar com esses testes, e tem que "encarar  a realidade" de que não é bem assim que a banda toca, kkkk.

É isso que você tem que perceber de diferença. Não é porque o cara relata que se projetou e foi até a casa da amiga com câncer, conseguiu localizá-la fez imposiçao de mãos em astral, e ela está melhor hoje...que ele vai conseguir se projetar, ir até o supermercado  ver o preço da oferta do tomate para hoje, para saber se vale a pena encarar a fila, eheh. O primeiro caso eu diria até que é fácil, devido a nobreza da causa, porque não faltará quem ajude. O segundo eu considero quase impossível, pela futilidade. Mas ambos envolvem a mesma habilidade. Então o que regula isso? É inevitável apelar para o "insondável" como resposta.

Quem discordar, que consiga ver o preço do tomate todos os dias, e eu acreditarei que o insondável não joga uma parte nisso, eheeh

 

Citar

PS. Alguém aqui do fórum teve sucesso, em suas primeiras tentativas, com as técnicas indiretas do Raduga? Como foi?

Aquele tópico do Daniel, sobre o Raduga, foi feito porque ele teve sucesso. Eu também, mas a diferença foi que quando eu conheci o raduga eu ja tinha descoberto aquilo tudo sozinho, por tentativa e erro. Então quando livro chegou só fui folheando e vendo que nao tinha novidade, mas ao mesmo tempo reconhecendo que é quente, porque eu mesmo tinha praticado quase tudo que ele ensina  ali.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá, Albaman!

Agradeço o seu relato. Entendo muito bem essa história de querer encontrar uma certa mulher ;-). Porém, tenho umas perguntas:

1-Que técnica você usou para tentar encontrá-la? Simplesmente fechava os olhos e dizia: "Leve-me a tal mulher!"? Pediu ajuda a algum amparador? Ou já sabia onde ela morava?

2-Que técnicas especificamente você empregava para sair do corpo?

3-Penso que talvez o desejo intenso de encontrar essa mulher pode ter te bloqueado de alguma forma. Já tentou localizar outras pessoas?

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
27 minutos atrás, Gábor disse:

Olá, Albaman!

Agradeço o seu relato. Entendo muito bem essa história de querer encontrar uma certa mulher ;-). Porém, tenho umas perguntas:

1-Que técnica você usou para tentar encontrá-la? Simplesmente fechava os olhos e dizia: "Leve-me a tal mulher!"? Pediu ajuda a algum amparador? Ou já sabia onde ela morava?

2-Que técnicas especificamente você empregava para sair do corpo?

3-Penso que talvez o desejo intenso de encontrar essa mulher pode ter te bloqueado de alguma forma. Já tentou localizar outras pessoas?

 

No inicio usava as técnicas habituais que todo projetor conhece: baloiço, piscina, elevador, etc. Depois de alguns meses começou a ser automático e deixei de usar essas técnicas. Eu conhecia a pessoa pois eramos amigos e já tinha estado na casa dela, portanto o que eu tentava fazer era ir até um local que já conhecia, mas sempre ia parar noutro lugar.

Sim, já tentei encontrar outras pessoas mas com fracos resultados. Das poucas vezes que encontrei alguém conhecido foi a mão de um amigo meu que tinha falecido há algum tempo. Saí como sempre fazia e fui ter com ela sem saber como. Estivemos na conversa algum tempo e depois fui-me embora. Fiquei sem saber o porquê daquela visita.

A única exceção foi há pouco tempo. Raramente me projeto em "real time", mas como aconteceu e me vi num lugar conhecido, resolvi ir tirar do corpo uma pessoa amiga para lhe fazer uma surpresa. Mas não consegui. Quando cheguei ao lugar (era perto) encontrei lá alguns espíritos que não esperava e assim que me aproximei da pessoa comecei a perder lucidez e de pouco mais me lembro.

Share this post


Link to post
Share on other sites

  Na minha opinião o mínimo que uma pessoa que quer ter projeções conscientes (já que todo mundo tem projeções) tem que ter são persistência e vontade. Segundo é não ter ânsia por resultados, ou seja, não ficar estipulando prazos pra que vc saía consciente. Simplesmente escolha uma técnica e pratique por um determinado tempo (de forma assídua). Só assim, depois de um tempo, vc saberá dizer se tal técnica funciona ou não pra vc.

   A Cyntia mais acima postou uma discussão recente onde foi ensinado técnicas para se despertar a consciência durante o sono além de outras discussões que existem no site. É só uma questão de procurar.

  Como já foi dito, sair em projeção e ir aonde se deseja não é tão simples assim. E menos ainda tentar despertar a consciência de alguém por lá (já tive a oportunidade de testar isso). Então, aconselho vc esquecer essa hipótese e focar em vc, em se esforçar pra que isso aconteça.

 

  

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Agradeço a todos, principalmente ao Sandro pelas respostas. Estou agora mais consciente da natureza ilusória e instável do astral. Mas bate uma frustração em saber que não há "O Método", e que a prática não necessariamente melhora as suas habilidades hehehe. Mas estou determinado a conseguir. Só umas dúvidas restantes, meio off-topic:

1-As técnicas de manutenção do Raduga param de funcionar na projeção astral ou passam a falhar nos sonhos lúcidos também

2- Alguém aí já conseguiu acessar os registros akáshicos? É possível fazer isso em sonho lúcido ou tem que ser em projeção astral? Imagino que isso poderia ser feito em qualquer estado (até mesmo em vigília, como fazem certos videntes), visto que toda informação do Universo está "dispersa" no "ar".

3- Alguém aqui já conseguiu trazer à sua presença (seja astral no no sonho) alguma entidade espiritual específica? Seja seus mentores, mestres ascensionados ou algum deus de qualquer mitologia. É possível fazer isso em sonho lúcido também, tendo certeza que aquela entidade é a "verdadeira" e não uma fantasia sua?

Se alguém estiver interessado naquele livro de magia no estado de sonho, me avise que eu envio. Analisando o que vocês falaram, concluo que se trata de magia em sonho e não em astral, já que no astral não seria possível realizar tais proezas (pensando bem, o autor nem usa a palavra "astral"). Grato.

Share this post


Link to post
Share on other sites
4 minutos atrás, Gábor disse:

1-As técnicas de manutenção do Raduga param de funcionar na projeção astral ou passam a falhar nos sonhos lúcidos também

Gabor, essa distinção é difícil. Vamos tentar outro exemplo:

Situação 1: você está aqui, em corpo físico, caminhando no plano físico. Tudo ok

Situação 2: você está caminhando no fundo do mar,usando um escafandro

A situação 2 é similar àquela em que você se encontra logo que deixa seu corpo. A situação 1 é similar ao que acontece após uns 10 minutos projetado. E também é similar ao que se chama sonho lúcido. Nesse ponto pode ficar muito difícil diferenicá-los. Na situação 2 muitas coisas se tornam mais fáceis, mas a maioria dos projetores  não passará de 5 minutos projetado. É isso que cria dificuldade. Estando numa situação similar a 1, você começa  poder ser mais criativo, e o ambiente que te cerca é mais responsivo à sua vontade. Sendo assim, tanto é possível chamar um Mestre quanto plasmar uma ilusão de que ele veio. Complica...

9 minutos atrás, Gábor disse:

2- Alguém aí já conseguiu acessar os registros akáshicos? É possível fazer isso em sonho lúcido ou tem que ser em projeção astral? Imagino que isso poderia ser feito em qualquer estado (até mesmo em vigília, como fazem certos videntes), visto que toda informação do Universo está "dispersa" no "ar".

Você pode pedir para sonhar com o que procura. Costuma ser mais fácil do que pela projeção. Por outro lado sempre vai ficar aquela dúvida mais intensa sobre se foi ilusão ou não. Lá no meu tópico dos Textos do Robert Bruce tem relato de um sonho lúcido dele (mas para ele  o sonho lúcido é sempre algo que não desafia as leis da física. tudo sendo uma imitação do físico. Acho que não faz sentido isso, mas...)

e também de experiência com os registro akashicos por projeção.

Eu ainda não consegui isso, até porque tem que lembrar de fazer isso quando se projeta, e muitas vezes a gente sai do corpo e não lembra. Das vezes que lembrei, não consegui chegar a biblioteca alguma. Mas o fato é que você precisa ter uma "obsessão" com algum assunto, para que aquela vontade seja forte o suficiente para lembrar disso ao deixar o corpo, e ainda conseguir tentar por diversas técnicas.

 

12 minutos atrás, Gábor disse:

3- Alguém aqui já conseguiu trazer à sua presença (seja astral no no sonho) alguma entidade espiritual específica? Seja seus mentores, mestres ascensionados ou algum deus de qualquer mitologia.

Já consegui umas 3 vezes contato com uma famosa ocultista do passado, mas deve ser porque eu tenho uma sintonia forte com ela, não sei porque. Já tentei chamar o Ramatis também, algumas vezes. Mas a única vez que pareceu que pareceu que ia dar certo, marquei bobeira. (das outras vezes apareciam outras pessoas, não se fazendop assar por ele, mas para me mostrar outras coisas ali na projeção.

Numa das vezes eu saí para a rua, em astral e comecei a "invocação". Eu já estava com "espírito de porco", de tantas tentativas que não derma certo. Então fiquei ali na esquina  repetindo repetindo.....notei uma luz no céu, similar a uma aurora boreal, verde esmeralda, e pensie "ah, que estranho aquilo lá no céu"....e ao invés de voar até lá e penetrar na luz (provavelmente algum tipo de portal para uma faixa mais elevada), e continuei ali na esquina chamando, chamando, e quando nada aconteceu, também decidi que não faria mais nada. Fiquei ali parado até acordar sozinho.

400_F_48891127_H5g3LTu5bbFOLcElN5aRPoxrb

Citar

É possível fazer isso em sonho lúcido também, tendo certeza que aquela entidade é a "verdadeira" e não uma fantasia sua?

Você só pode ter certeza do que pertence ao plano físico e pode comprovar depois. Sobre o  resto não há certezas.
 

 

26 minutos atrás, Gábor disse:

Se alguém estiver interessado naquele livro de magia no estado de sonho, me avise que eu envio. Analisando o que vocês falaram, concluo que se trata de magia em sonho e não em astral, já que no astral não seria possível realizar tais proezas (pensando bem, o autor nem usa a palavra "astral"). Grato

Não se prenda nas CRENÇAS do autor. Pegue as técnicas e tente aplicar, quando conseguir se projetar ou estiver lúcido, as crenças dele só  interessam a ele. Não é porque alguém junta crenças e técnicas num só pacote, você aplica e vê que funciona, que vai comprar as crenças dele. É como aqui, o Cyber é católico, não acredita em reencarnação como regra geral, mas se interessa por projeção. Não é porque o cara se projeta que tem que  engolir todo o papo espiritualista que vem junto com isso AQUI NO BRASIL.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Agradeço de novo a dedicação, Sandro. Acho que entendi a analogia do escafandro. Finalmente tenho umas dúvidas mais práticas sobre a própria saída do corpo. Quando tenho a intenção de acordar e logo me projetar usando as técnicas indiretas (primariamente para um sonho) acontece algum dos seguintes problemas:

1-O mais comum: simplesmente  esqueço da minha intenção e acordo de foma inconsciente, inerte. Só depois de muito tempo vou lembrar que tinha que me projetar.

2-Se me lembro de me projetar quando acordo, geralmente estou pouco lúcido e racional e me falta dedicação para a saída. Penso que "perdi" o momento propício e que não estou mais no estado necessário (o Raduga fala que esse é o maior motivo de fracasso, mas nesses momentos eu simplesmente não estou com as faculdades mentais funcionando bem nem pra lembrar desse preceito básico, muito menos das técnicas), acabo lamentando e deixando pra lá.

3-O mais raro de todos: acordo consciente, lembro que devo tentar a qualquer custo, e inicio as técnicas. Porém, quando acordo bem racional, sinto uma agonia imensa em manter o meu corpo parado. Quase dói, eu simplesmente tenho que me mover nesses momentos pra aliviar a agonia, aí toda tranquilidade e sangue-frio vão pro saco, impossibilitando outra tentativa.

Depois desses anos tentando as técnicas eu diria que são as questões acima que ainda representam um obstáculo. Tenho fé que se resolvido tudo isso, passarei a voar pelos céus à noite hehehehe ou pelo menos nos sonhos lúcidos. Novamente, agradeço.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 28/02/2017 at 18:29, Gábor disse:

1-O mais comum: simplesmente  esqueço da minha intenção e acordo de foma inconsciente, inerte. Só depois de muito tempo vou lembrar que tinha que me projetar.

Isso é a falta de foco no assunto. Isso para resolver você tem que retirar todos os outros assuntos da mente, outros interesses, e passar o dia todo só focado em projeção, ler livros de projeção:

-no tempo livre,

-antes de deitar,

-ao levantar de madrugada.

Obviamente não é fácil manter esse foco. Mas é o que faz o tema ser a primeira coisa que você lembra quando acorda ,e as vezes durante os sonhos, o que gera o despertar dentro do sonho. Por isso ,se voce ja se projeta, mas está com problema em família, no trabalho,  endividado, ou vai prestar concurso..isso reduzira suas projeções, porque essas outras coisas na mente tiram seu foco.

Em 28/02/2017 at 18:29, Gábor disse:

2-Se me lembro de me projetar quando acordo, geralmente estou pouco lúcido e racional e me falta dedicação para a saída. Penso que "perdi" o momento propício e que não estou mais no estado necessário (o Raduga fala que esse é o maior motivo de fracasso, mas nesses momentos eu simplesmente não estou com as faculdades mentais funcionando bem nem pra lembrar desse preceito básico, muito menos das técnicas), acabo lamentando e deixando pra lá.

Isso é sua preguiça noturna falando mais alto. Mas assim, mesmo que tenha perdido, isso nao estraga sua noite. Da vez que fiquei 90 minutos fora, eu soube do tempo porque acordei, me movi para olhar as horas, então virei para outro lado, apliquei uma tecnica de separaçaõ por cerca e 1 minuto, e pronto, consegui. Ao votar para o corpo, olhei as horas de novo, e bateu com o tempo que eu senti estar fora. Note, eu acordei, me mexi  mudei de posição e induzi o estado novamente.

Eu perdi a chance de me projetar em 5 segundos após acordar, mas me projetei 1minuto após acordar. As dicas do raduga são sobre o que é melhor, em termos de eficiência, mas não quer dizer que porque violou uma regra isso vai te IMPEDIR, de se projetar.

Em 28/02/2017 at 18:29, Gábor disse:

3-O mais raro de todos: acordo consciente, lembro que devo tentar a qualquer custo, e inicio as técnicas. Porém, quando acordo bem racional, sinto uma agonia imensa em manter o meu corpo parado. Quase dói, eu simplesmente tenho que me mover nesses momentos pra aliviar a agonia, aí toda tranquilidade e sangue-frio vão pro saco, impossibilitando outra tentativa

Mova-se. Qualquer pessoa que esteja tetraplegica ou em coma, precisa ser movida de posição a cada tantas horas, porque o corpo inflama se ficar na mesma posição muito tempo. Pode ser que voce acorde exatamente porque esse desconforto subiu demais. Mova-se para outra posição qualquer, que seja confortável, e continue suas tentativas dali.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Interessante você ter mencionado essa vez em que você ficou fora do corpo por 90 minutos. A primeira vez que eu tive uma experiência extracorpórea (um ano antes de saber da existência desses fenômenos) foi assim.

Acordei mais ou menos às 5 horas, 20 minutos antes do que eu costumava acordar. Peguei o celular para ver as horas e pensei "Caramba, mas já? Pera aí... mas é sábado! Graças a Deus, não tenho aula!" e caí pesadamente de volta na cama. Adormeci na mesma hora (coisa rara, pois demorava muito pra cair no sono na época) com a imagem da faculdade na cabeça. Aos poucos, fui me sentindo sugado pela imagem eu eu tinha criado, e alguns segundos depois eu já tinha brotado na cena, mas totalmente inconsciente. Parece que a minha mente fez de tudo para me mostrar que era sonho, apresentando várias cenas impossíveis.

Bem... parece que o negócio agora é melhorar a memória e a força de vontade. Só uma coisa, você disse que para lembrar da projeção ao acordar você tem que estar obcecado pelo assunto. Porém, se eu ficar colocando uma importância extrema nisso, e acabar falhando nas primeiras vezes, não é capaz de eu acabar me bloqueando psicologicamente devido ao cansaço emocional? Só uma hipótese...

Mais uma coisa... O Raduga fala sempre pra começar com as técnicas de saída propriamente ditas (levitar, se arrastar pra fora do corpo, etc) antes de tentar as mais gerais (ouvir sons, discernir imagens, induzir sensações, contar, etc) isso procede mesmo, tendo em vista que a intenção seria me projetar para um sonho ou uma região sutil do astral, em vez de pular simplesmente para a versão astral do meu quarto?

Acho que isso conclui, pelo menos por aqui. Agradeço novamente pela atenção.

Share this post


Link to post
Share on other sites
8 horas atrás, Gábor disse:

Adormeci na mesma hora (coisa rara, pois demorava muito pra cair no sono na época) com a imagem da faculdade na cabeça. Aos poucos, fui me sentindo sugado pela imagem eu eu tinha criado, e alguns segundos depois eu já tinha brotado na cena, mas totalmente inconsciente. Parece que a minha mente fez de tudo para me mostrar que era sonho, apresentando várias cenas impossíveis.

Então você já sabe como funciona a técnica do alvo-mental. Pode usar isso, usando como alvo a sala da sua própria casa, ou algum outro lugar físico que você conheça bem. Imagine-se nadando por ele e tocando coisas, paredes, móveis, grama, folhas de árovore (dependendo do ambiente em que está. Pode conseguir transferir-se para ele com lucidez. Se não, vai sr só sonho mesmo, o que não quer dizer que não tenha sido projeção, mas apenas que perder a lucidez. há o risco também de ir parar numa plasmagem, e tudo ser fantasia. Mas preocupe-se em estar lúcido seja em que ambiente for. Depois se refinam os detalhes (se achar que parou numa fantaia, deixe-se cair de costas, sem aparar a queda. Caso seja fantasai, tudo escurece, ela se disoslve, e você se descobre, no momento de reenetrada no corpo, então é só levantar rapidamente da cama em astral, para o sono não te colar no corpo, e sair para a projeção)

8 horas atrás, Gábor disse:

Só uma coisa, você disse que para lembrar da projeção ao acordar você tem que estar obcecado pelo assunto. Porém, se eu ficar colocando uma importância extrema nisso, e acabar falhando nas primeiras vezes, não é capaz de eu acabar me bloqueando psicologicamente devido ao cansaço emocional? Só uma hipótese.

Sim, eu disse isso PARA VOCÊ. Para outras pessoas que asvezes chegam aqui dizendo que estão tentando todos os dias, há um ano, eu digo, "esqueça um pouco isso".

Porque se voce desenvolver uma certa ansiedade por causa disso, ela te impede de sair, porque dificulta o relaxamento e gera empolgação emocional quando você sente os primeiros sintomas de separação. Tem que estar mentalmente focado, mas emocionalmente inerte em relação ao assunto. Tem que ser um foco como o de um novo hobby não muito técnico, e não como o foco de uma nova preocupação, eheheh.

8 horas atrás, Gábor disse:

1)O Raduga fala sempre pra começar com as técnicas de saída propriamente ditas (levitar, se arrastar pra fora do corpo, etc)

 

2)antes de tentar as mais gerais (ouvir sons, discernir imagens, induzir sensações, contar, etc) isso procede mesmo,

 

3) tendo em vista que a intenção seria me projetar para um sonho ou uma região sutil do astral, em vez de pular simplesmente para a versão astral do meu quarto?

1) porque ele quer que você aproveite os primeiros 5 segundo logo que acorda, já que ainda não colou forte no corpo. Então acorda e tenta usar técnicas de separaçaõ imediatas, que geram pressão para separaçaõ ANTES QUE VOCE GRUDE NO CORPO.

2) porque isso leva mais tempo. Essas técnicas são melhores de usar NA ENTRADA NA FASE, enquano que as técnicas 1 podem ser usadas tanto na entrada quando na saída dela ( logo que  volta do sonho). Uma vez que tenha tentado as 1, por alguns segundos, e não funcionou, aí você foca no 2, porque surgirão as sensações a medida que adormece novamente.

3) isso não tem relação alguma. As vezes você coemça a adormecer e começa a ouvir sons estranhos na sua casa. Então ao presta atenção neles, eles ficam nítidos. Nesse ponto voce sabe que est´em fase, e pode levantar devagar, em astral, para se separar, Estará saindo do corpo para andar no seu quarto e caa, não para outro local.

Porém, se ao prestar atenção nos sons e imagens, isso abrir para outro ambiente, que pode ser sonho lúcido ou projeção, ao se levantar ou ser sugado pelo ambietne, você não estará no seu quarto. Depende do que vai aparecer como estímulo de sons, imagens.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.