• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
sandrofabres

O "Arroz-com-feijão" da espiritualidade

Recommended Posts

Citar

 Gandhi afirmava, tendo em vista o capitalismo: “uma sociedade em que os trabalhadores são tratados como máquinas, em que os animais são explorados cruelmente nas fazendas industriais e em que a atividade econômica leva à devastação da natureza não pode ser concebida como uma civilização”.

 

Citar

“uma civilização, no sentido real do termo, consiste na redução voluntária de desejos, que promova felicidade e satisfação reais e aumente a capacidade de serviço”.

 

É, Gandhi deve ser o modelo político máximo dos espiritualistas né? Precisar uma alma iluminada como essa encarnar para nos dizer o óbvio. Pior é ninguém ouvir. Realmente não consigo entender a visão judaico-cristã que não faz o mesmo. Se seguissem Cristo realmente, talvez o quadro já estivesse mudando. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu acho que deveria ser, mas em geral o pessoal prefere figuras menos práticas, porque é mais fácil achar que "todo mundo está certo, todos os caminhos levam ao mesmo destino..." se você não sair do abstrato para o concreto. 

Diferente de outras figuras destacadas na espiritualidade, Gandhi resolveu aplicar sua lucidez para resolver problemas do plano em que estava vivendo, ao invés de se focar em APENAS  discutir assuntos como geografia e atividades do estado pós-mortem, que é o que torna a religião e o espiritualismo o "ópio do povo", já que os distrai dos problemas do plano em que habitam,  o que só ajuda os maus a tornarem o mundo ainda pior. Por isso a parceria antiga de religiosos e os grupos que dominam a sociedade, em qualquer época da história né?

O pessoal só lembra o Gandhi pela não-violência, mas a não-violência é "o método" que ele escolheu para abordar o enfrentamento de um conjunto de problemas, porque percebeu que o problema´da violência é o jogo ação reação, em geral toda mudança que é construída com violência tem menos durabilidade do que aquilo que é construído com educação. Não sei se o Imperío Romano, que mudou de nome para Igreja católica, concordaria com isso, mas.... é como o Gandhi via a coisa: " Nenhuma mudança permanente pode ser conseguida pela violência".

As pessoas parecem preferir  não ver quais eram os problemas que ele enfrentava, achando que se limitava apenas à "independência da índia", porque teriam que ver que os mesmos problemas contra os quais ele se debatia ainda existem hoje em todas as sociedades; a questão do machismo,  a questão dos párias sociais, a questão do imperialismo econômico, a questão dos conflitos justificados por religião, etc.

Esses são vários aspectos nos quais você pode se colocar de um ou de outro lado da questão, usando a não-violência para fazer parte do problema, ou parte da solução. O método em si não terá muito valor se você tem inclinações para sempre ficar do lado negativo em cada questão. Mas o método, ah sim, o método foi o da não violência. RESISTÊNCIA INFLEXÍVEL, porém não violenta. Clara distinção entre o lado certo e errado, porém ação não-violenta. Claras violações à lei e à ordem (gandhi passou metade da vida na cadeia, quarenta anos ao total), porém de forma não-violenta. Nenhum colaboração com a dominação, porém de forma não-violenta. Mas o pessoal só enxerga o rótulo "não violência" né?

.........................................................

Não encontrei nenhum link de qualidade para o filme, mas há uns anos atras eu ripei meu dvd, inclusive com os extras, e botei no googledrive. Se alguém não viu o filme e quiser baixar, sinta-se  vontade. Está zipado, tem baixar e descompactar para poder assistir.

https://drive.google.com/open?id=0ByXGi2vq5-wsMUV4RGdPRnRtRWc

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Interessante reflexão. 

"Muitas pessoas espiritualizadas/Nova Era que preferem acreditar em reptilianos que dominam o mundo, que estamos passando por transição planetária, que Ashtar Sheram, blablablá geralmente são as que preferem orar, meditar e buscar saídas individuais do que combater o sistema capitalista. As mesmas pessoas que acham que eu vibro no ódio ou coisa assim. Meu ódio é pela injustiça. Eu não odeio as pessoas. É por amar a humanidade que temos que ser combativas e firmes.

Você pode acender uma vela para seus guias espirituais pedindo proteção contra o corona vírus, mas pode, também, ser aliado na defesa do SUS. Pode meditar, mas pode também mandar mensagem para seus amigos neuroatípicos perguntando como estão, seus amigos em perrengue financeiro oferecendo ajuda, se cabe nas suas possibilidades. É muito conveniente colocar tudo na conta da espiritualidade e se recusar a meter a mão na massa em questões sociais. É muito fácil botar o valor de um salário mínimo e meio para seu curso imersivo de 3 dias e achar que quem não tem esse valor tem "crenças limitantes sobre finanças", em vez de analisar que vivemos num país extremamente racista, extremamente desigual. Muito lindo "se colocar a serviço" somente de quem tem 200, 300, 700 reais para uma sessão.

Vocês querem uma Nova Era talvez mais trazida pelos ETs e por suas orações do que pelo labor real da matéria. E não estou falando de trabalho assalariado. Estou falando de ajudar o próximo. Pra mim, há muito mais divindade no MST doando toneladas de arroz orgânico do que em eventos de sagrado feminino heteronormativos, caros e que só tem brancas. Pra mim, construir um mundo melhor é trabalhar na matéria também. Hoaskeiros que pagam 150 reais numa cerimônia indígena, o que mais vocês já fizeram pela causa dos povos que CRIARAM essa medicina? Você lê autores indígenas? Você ajuda financeiramente com doações terras indígenas quando tem oportunidade? Ou ajuda de outras maneiras?

Eu não sou contra meditação, oração nem ayahuasca - essas coisas são presentes na minha vida. Eu sou contra alienação, egoísmo e hipocrisia. Eu sou contra a arrogância de um ego suuuper espiritualizado que se coloca acima da matéria e apartado dos problemas sociais para justificar sua falta de mobilização. Se querem a Nova Era, vamos criá-la. Ativamente. Porque se sua Nova Era não inclui o fim do capitalismo, do patriarcado, da desigualdade, do racismo, da LGBTfobia, ela não tem nada de nova. É tão velha quanto todas essas opressões.

"As mãos que ajudam são mais sagradas do que os lábios que só oram"."

Texto de Giovana Lizana

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Encontrei outra interessante reflexão no Facebook: 

 

Citar

 

O Neoliberalismo Espiritual (ou o Materialismo Espiritual 3.0)

Nos anos 70 o famoso Lama tibetano Chogyam Trungpa escreveu um livro que hoje é considerado um clássico chamado "Além do Materialismo Espiritual”

Ele diz que "o percurso correto do caminho espiritual é um processo muito sutil e não alguma coisa a que possamos atirar-nos ingenuamente. Existem numerosos desvios que levam a uma distorção egocentrada da espiritualidade; podemos iludir-nos, imaginando que estamos nos desenvolvendo espiritualmente quando, na verdade, não fazemos senão fortalecer nosso egocentrismo por meio de técnicas espirituais. A essa distorção básica pode dar-se o nome de materialismo espiritual." (Ver links nos comentários)

Acontece que, na minha opinião, até o materialismo espiritual se sofisticou e ficou ainda mais sutil nesses tempos pós-modernos.

Eu percebo que a ideologia dominante nos nossos tempos, e obviamente no Brasil do golpe também, é o Neoliberalismo. Vários estudiosos e acadêmicos de esquerda, e até liberais, têm dito isso (ver link no comentário do Ulysses Ferraz).

E eu vejo como essa ideologia , que tem raízes espirituais muito mais profundas como deixo claro na minha outra nota , "O golpe maçônico evangélico" https://www.facebook.com/notes/joão-cláudiofontes/o-golpe-maçônicoevangélico/1198240993569193?comment_id=1198290810230878¬i f_t=like¬if_id=1475268141695964 , já penetrou com força também nesse meio dito "alternativo" , "esotérico" , terapêutico, holístico e new age .

Assim como no nível eXotérico existe a "Teologia da Prosperidade”, no nível (ou níveis, mais exatamente) eSotérico existe " O Segredo" e similares, que são formas mais refinadas e elaboradas do "Pensamento Positivo" e da "Ciência Cristã" do século 19, que por sinal são versões simplificadas e diluídas de técnicas de magia cerimonial.

Mas, por definição, tradicionalmente, a magia é dividida em "Alta" e "Baixa" magia, "Branca" e "Negra" e, por essa mesma definição, qualquer forma de magia que vise utilizar as forças e seres da Natureza em benefício próprio e não em prol do bem e do serviço à humanidade são consideradas formas de magia negra.

A velha questão do Poder x o Amor.

Só que, isso tudo é muito sutil ... às vezes atos feitos em benefício próprio podem beneficiar outras pessoas, e atos aparentemente altruístas podem gerar consequências nefastas para outras pessoas e seres.

Por isso a Sabedoria e a Compaixão, junto com a Humildade, devem ser sempre buscadas em primeiro lugar.

Então, hoje em dia nós vemos uma proliferação de técnicas e gurus da "autoajuda" e de terapias holísticas e "chaves de ascensão”, mas, estranhamente, todas parecem respaldar e reforçar a ideologia dominante, o Neoliberalismo, que prega a competitividade e o individualismo (psicologicamente, o narcisismo) como solução para todos os problemas individuais e coletivos. Eu digo prega , porque o Neoliberalismo se tornou a religião dominante no mundo , que cultua o Deus Mercado, cuja hóstia é o dinheiro , com os seus sacerdotes e teólogos, os economistas , os seus bispos , os banqueiros , os seus fiéis crentes na meritocracia , e até os seus magos , os "jornalistas" e marqueteiros .E se você tem sucesso material , você está salvo , se você "fracassa" , você está danado , e se você se rebela , você se torna um herege , que pode sofrer desde o ostracismo até mesmo a prisão e a morte.

"Seja um empreendedor”, " Faça você mesmo”, "Querer é poder “, só que numa sociedade onde o racismo, o machismo, o elitismo e o preconceito imperam, e onde a desigualdade é tão brutal (principalmente no Brasil, devido à nossa herança colonial maldita da Casa Grande & Senzala), falar em "meritocracia" é o cúmulo do cinismo e da hipocrisia.

Por diversas razões, além das sociais e culturais, também kármicas e espirituais, as pessoas começam de pontos diferentes, desiguais, e “naturalizar” e não reconhecer isso é cruel e desumano.

Eu vejo que assim como há pessoas que são constitucionalmente introvertidas ou extrovertidas, há pessoas que são intrinsecamente (por genética, criação, karma, traumas, etc.) otimistas ou pessimistas e pessoas intrinsecamente egoístas ou altruístas.

Conhecendo o Eneagrama da Personalidade, eu percebo que há determinados tipos de caráter que são mais explicitamente "egoístas" e outros são mais " altruístas”.

Assim como pode existir um egoísmo saudável, no sentido de um amor próprio genuíno, pode haver também uma "generosidade egocêntrica”, algo tipo " é dando que recebe " (uma distorção da frase e da intenção original de São Francisco, como veremos nos comentários), uma troca de interesses.

Portanto, eu vejo que há pessoas, mais "egossintônicas" com a ideologia dominante e pessoas mais "egodistônicas”, menos adaptadas a essa visão de mundo Neoliberal (de acordo com o Prof. Cláudio Naranjo, o "Papa" do Eneagrama, que foi meu mestre, o "pecado" dominante nos dias de hoje é a Vaidade, paixão dominante do Eneatipo 3, o tipo modal dos EUA com seu "workaholismo”, culto ao sucesso e à imagem).

Pessoas que parecem ter mais facilidade para serem "bem-sucedidas" nessa sociedade e outras que não, e por isso são taxadas de "vagabundos”, "fracassados”, "inúteis”, "marginais" e, quando a coisa se politiza como estamos vendo nessa perseguição ao Lula, à Dilma, ao PT e à esquerda de forma geral no Brasil, de "bandidos" e "inimigos do Estado “.

Bem. Historicamente, foi assim que surgiram todas as sociedades totalitárias, como a URSS, o Nazismo e todos os fascismos...

Então , eu vejo com espanto espíritas , budistas , cabalistas cristãos , judeus , sufis, yogis , wiccans , neopagãos , cristãos de todas as denominações , maçons , xamãs , "new ages" e pessoas de todos os credos , que supostamente pregam e acreditam na compaixão , na caridade , na solidariedade , no amor ao próximo ( até porque , essas são palavras bonitas , "politicamente corretas " ...) , reproduzindo todo o ódio , o fascismo e o discurso neoliberal da meritocracia e coisas do tipo nas redes , demonizando o Lula , a Dilma , o PT , criticando o Bolsa Família, chamando de Bolsa esmola , e outros absurdos do gênero.

Mas, isso porque, na verdade, espiritualmente, apesar de todas as diferenças doutrinárias, filosóficas e teológicas, todos, no fundo, cultuam o mesmo Deus: o Mercado, o Deus desse mundo, o Demiurgo (como eu digo no outro post, O golpe maçônico evangélico)...

E todo têm, no fundo, a mesma filosofia: O materialismo espiritual, na sua versão 3.0, isso que eu chamo de Neoliberalismo espiritual.

"Não tem que dar o peixe , tem que ensinar a pescar " , " Eu te ajudo a se ajudar " , "Siga a Luz " , " Veja a metade cheia do copo " .Mas , eu vejo que , por razões históricas e sociológicas, as pessoas que dizem isso são oriundas da mesma classe média , ou alta , que apoiou ou apoia o golpe , e que são os que tem dinheiro para pagar os workshops caros , os retiros e as viagens turísticas espirituais para "lugares de poder " e sagrados ( de PODER , claro ... porque não , de AMOR ...? ) , têm um padrão de vida elevado comparado com o da maioria dos brasileiros , e não passam necessidades.

Falar "veja a metade do copo cheio", tenha "paciência nas provações ", para alguém cujo copo está 1 /5 cheio e quase morrendo de sede é um tanto o quanto cruel e hipócrita...

E aí vem a versão mais sutil do Neoliberalismo espiritual , que são os "isentões" e "isentonas" , os "neutros" ( sobre isso , ver a crítica do filósofo marxista Slavoj Zizek ao Budismo no comentário ) , que geralmente seguem alguma forma de visão "não-dual " , e que abominam falar em qualquer tipo de dualidade "maniqueísta" , uma espécie de "terceira via" espiritual ( que , assim como é acima é embaixo , geralmente não votam no PT , e sim na Marina , no PV ou talvez no PSOL , ou então são anarquistas , e são críticos dos governos Lula e da Dilma, falando que eles poderiam ter feito mais , blá, blá, blá).

Geralmente são pessoas que tem também um alto padrão de vida, são ecológica e politicamente corretas, além de espiritualmente corretas, fazem yoga, seguem os gurus da moda, são veganos ou vegetarianos, são geralmente pessoas "paz e amor" e que são mais sensíveis aos sofrimentos dos outros. São as “coxinhas de jaca”, coxinhas com um recheio mais orgânico, verde e “zen”. Menos mal, mas ainda coxinhas...

Mas, são parte do que o sociólogo Jessé de Souza chamou de "classe média sueca”, só que eles não vivem na Suécia, e sim no Brasil, com todas as suas desigualdades e crueldades abissais ...

Essas pessoas me lembram aquilo que no Budismo Tibetano se chama o "Reino dos Deuses", um dos 6 reinos do Samsara, o mais elevado dentro do Samsara, a Roda da Vida e da Morte, a Matrix ... e, embora eles pareçam já viver fora da Matrix, planando sobre esse mundo cão, não verdade, não vivem ...e, quando vem a crise, eles se fecham nos seus mundinhos, ou condomínios fechados, e não querem saber muito sobre essas coisas tão mundanas como política, golpe, etc. ...

E gastam mais dinheiro em retiros, workshops, turismo espiritual, gurus da moda, celebridades espirituais ... e assim a roda da fortuna continua girando ...

Aí eu me lembro daquela frase do grande Desmond Tutu, "Em situações de opressão, a neutralidade significa tomar o lado do opressor."

Mas, "tomar posição é cair na dualidade"...

Mas, nesse mundo, nessa dimensão, a dualidade é a Lei.

É o Y pitagórico. Tem o caminho da esquerda (que nesse mundo invertido geralmente é o caminho da direita fascista ...), do serviço ao eu, e tem o caminho da direita, do serviço ao outro. Ficar parado na bifurcação geralmente tende, pela lei da inércia, para a "direita"...

Não tomar posição, não ter lado, já é escolher um lado, o lado do opressor, dos "Power that Be “, do Demiurgo, o lado que por inércia, pela lei da entropia e pela lei da gravidade predomina no mundo material.

E , nesse sentido , eu sei que o que eu vou falar é controverso , mas é o que vejo : As duas únicas religiões que , intrinsecamente na sua visão metafísica e filosófica , se contrapõem explicitamente ao "jeito como as coisas são " , ao "mundo" , são o Cristianismo e o Budismo Mahayana ( depois de escrever a primeira versão dessa nota me lembrei do Ananda Marga , uma nova religião hinduísta , que tem uma visão muito próxima da Teologia da Libertação cristã , sendo uma espécie de teologia da libertação hindu , e vi que também há grupos e indivíduos das tradições neopagã , neognóstica e afro-brasileira que também tem uma visão parecida , guardadas as diferenças filosóficas e teológicas , obviamente ) .São as duas únicas religiões que tem na sua essência a Graça , o desapego e a Compaixão , a solidariedade e o Amor ao próximo irrestrito , sem "trocas" e comércio de qualquer tipo , seja com a Divindade , com os humanos ou com as forças da Natureza.

É o princípio da Graça. Sem cobrar nada em troca. Só isso quebra as engrenagens da Matrix, do Samsara.

Ainda mais nessa versão atual, pós-moderna, neoliberal...

Obviamente, existem pessoas boas, generosas e solidárias em qualquer religião, em qualquer tradição, até mesmo entre os ateus e agnósticos.

Mas, intrinsecamente, explicitamente e essencialmente, só o Cristianismo no Ocidente (eu gosto particularmente do Gnosticismo cristão e da Teologia da Libertação, a versão do Boff principalmente, e de alguns místicos cristãos, como alguns padres gregos e São João da Cruz, os Renanos e os flamengos) e o Budismo Mahayana no Oriente (incluindo aí o Vajarayana tibetano, que é uma derivação do Mahayana) tem essa característica.

Todas as demais tradições são "centradas na pessoa”, "Hinayana”, visam a libertação pessoal, o que em si não é ruim, é um estágio do Caminho, mas não é o fim e nem o ápice.

Como no ideal do Bodhisattva, o "pico da montanha" está de volta na praça do mercado, depois de ter percorrido todo o Caminho, com todo o caos, o barulho, a confusão, os golpes e contragolpes que lá existem.

E, por isso, claro, até mesmo o Cristianismo e o Budismo podem ser, e foram, deturpados e corrompidos...

Mas, a Essência continua lá, como o ouro coberto de lama, ou o Sol coberto por nuvens negras.

Quando a lama e as nuvens são removidas, a bondade do coração volta a brilhar em todo o seu esplendor cálido e amoroso.

Então , a única saída que vejo para essa crise em que nos encontramos é nós reconhecermos o quanto nós estamos infectados por esse vírus do Neoliberalismo espiritual , e cultivarmos a bondade , a generosidade , a gratuidade e termos a coragem de encarar os poderes e poderosos do mundo , mesmo que para isso arrisquemos as nossas vidas , ou pelo menos o nosso padrão de vida, real ou desejado ( que não é "nosso" , assim como a opinião publicada dos jornais e mídias não necessariamente corresponde à opinião pública...

Coletivamente, isso se traduziria em alguma forma de Ecossocialismo democrático.

Que todos possamos andar as nossas falas, sermos a mudança que queremos ver no mundo sim, aqui e agora, e não depois, amanhã, daqui a 100 ou 200, ou 13 mil anos, quando a transição para Nova Era se completar. Para as pessoas que estão lutando para que o salário chegue ao fim do mês , desempregadas , passando necessidades , despejadas de suas casas, vendo os seus filhos sem perspectivas de futuro , ou nas cadeias sendo presas , torturadas e mortas por lutarem por um mundo menos injusto e desumano , isso não serve muito de consolo ... certamente as pessoas que dizem isso não passam necessidades , privações ou são perseguidas pelos poderes do mundo .Eu tenho encontrado ateus, pessoas muito humanas e boas , que embora tenham os seus problemas e defeitos como todo mundo , claro , são mais solidárias e compassivas do que muitas pessoas "espiritualizadas" .A grande batalha da nossa Era , como a batalha descrita na Bhagavad Gita , ou a descrita no livro O Senhor dos Anéis pelo Tolkien ( na minha opinião , a Ilíada da nossa Era ) está sendo travada aqui e agora , e no Brasil os dois campos , os dois exércitos, estão muito claros , pra quem tem olhos pra ver ... Ou nós lutamos essa guerra agora contra essas forças demoníacas do abismo, ou poderá ser tarde demais para a humanidade e para o planeta ... não vai sobrar ninguém pra viver na Nova Era e contar a história.

Que a Clara Luz Verdadeira, do Deus Verdadeiro, triunfe. Assim seja.

João Cláudio Fontes,

Belo Horizonte 30 de Setembro de 2016

 

Fonte: https://www.facebook.com/notes/joão-cláudio-fontes/o-neoliberalismo-espiritual-ou-o-materialismo-espiritual-30/1198437490216210/?refid=13&_ft_=qid.6631152304300412658%3Amf_story_key.431091346690570085%3Atop_level_post_id.1171847039637490%3Acontent_owner_id_new.502991370%3Asrc.22%3Aphoto_id.10155522523941371%3Astory_location.5%3Astory_attachment_style.photo&__tn__=R 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.