Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

O "Arroz-com-feijão" da espiritualidade


sandrofabres
 Share

Recommended Posts

Entendi. Eu to ligado que vários gurus famosos americanos, ou de países onde os EUA tem bastante influência, cobram fortunas por seus trabalhos espirituais, até os que parecem mais "santos", tipo por exemplo Eckhart Tolle(nascido na Europa, agora vivendo no Canadá), que fala para as pessoas "viverem no agora" e esquecerem tudo o que é mental, que assim as coisas se resolverão, porém só para para você ir pro retiro dele por alguns dias o preço sai na casa dos 1000 dólares. O Mooji(inglês porém claramente influenciado por valores americanos) não sei se ele cobra ou só recebe doações, mas agora ele é dono de um morro lá em Portugal, o "monte sahaja", e existem boatos de abusos sexuais que ele cometeu(recebendo o salário na forma de sexo). Tinha um guru de budismo zen, Dennis Roshi, que cobrava algo na casa das dezenas de milhares de dólares para você fazer um treino intensivo com ele, com direito até de viagem de avião particular e tudo mais. Também tem aquele médium de aliens, o Darryl Anka, que se você entrar no site dele vai ver na loja arquivos mp3 e mp4 por no mínimo 20 dólares cada para download. Basicamente, mais de 95% dos gurus espirituais americanos famosinhos tem em seus sites uma sessão de "loja" com vários produtos digitais com preço bem absurdo. Tudo isso só faz a filosofia de vida desses gurus magnatas parecer uma trágica paródia da verdadeira espiritualidade.

Link to comment
Share on other sites

Pois é, e as vezes cruzamos com argumentos " VOCÊS estão sendo robôs, VOCÊS estão trabalhando como máquinas para o sistema. EU abandonei isso para focar no meu desenvolvimento espiritual". 

É, mas ele só consegue fazer isso porque um monte de gente que não deixou de trabalhar está pagando as contas DELE ao pagar para ouvir as opiniões dele. Se todos que o ouvem seguissem o que ele diz, todos deixariam de trabalhar e não teriam como sustentar a " liberdade" dele, exceto se eles tbém achassem formas de vampirizar economicamente outro grupo de " robôs".

Então na prática o cara monta um tipo de  "sistema de pirâmide"( somente a imagem) para que ele possa viver sentado no topo, só fazendo seus lazeres ou interesses, sem trabalhar, "ensinando" suas opiniões pessoais para um grupo maior,   mas essa estrutura só pode existir  porque muitos não podem fazer o que ele defende, " sair da matirx", ehehe. E ele não percebe a contradição disso ao chamar quem o sustenta de "robôs do sistema". Não percebe que.sia liberdade é mantida pela escravidão dos outros, uma escravidão á qual ele não quer se submeter,.mas da qual depende, desde que outros se submetam. Acho curioso como esses "gurus" new age não enxergam isso.

 

So posso crer que isso   é fruto da dominação ideológica do capitalismo na cabeça deles, daí porque é compreensível a inclinação politica da maioria desses famosinhos new age. 

 

Link to comment
Share on other sites

Em 11/08/2021 at 17:22, sandrofabres disse:

Isto é mais antigo:

 

Agora sim. Li os dois tópicos.

Eu não compro a ideia desse tal Bruno do "Salto Quântico" pelo mesmo motivo que não votaria no Bolsonaro (como falei no outro comentário), só que esse cara, tem um agravante, ele se diz espiritualista e está tentando vender algo de cunho espiritual. Antes mesmo de questionar a coisa do "vender algo de cunho espiritual" acho que tem algo mais básico pra questionar na atitude dele. Ele é muito agressivo, belicoso. Isso é o oposto do que se pode esperar de alguém equilibrado. E, pra mim, se alguém não consegue ser equilibrado, não pode se dizer mestre e querer iniciar ninguém em qualquer coisa espiritualmente por que só o que vai fazer, é transmitir seu desequilíbrio para os outros. Basta ler o primeiro dos tópicos citados para ver que ele ficou todo o tempo agredindo verbalmente ao tal Tiago e procurando se auto afirmar ao diminuir o outro. Também exigiu a expulsão do outro membro do fórum. Mal chegou no fórum, já veio com a atitude arrogante: "Oi, tudo bem? Sou novo aqui mas eu sou O CARA. Quero que vocês expulsem este membro porque ele vai desandar o tópico!". Basta observar a reação exagerada, desproporcional e sem conteúdo.

Esse tipo de atitude, na minha opinião, já é suficiente para descreditar todo o trabalho do cara. Não importa se escreveu livro, fez vídeo desfazendo nuvenzinha com poder do pensamento, tem um monte de conteúdo útil escrito em suas apostilas... enfim... todo este trabalho perde o valor aos meus olhos porque fica patente, que tudo isso é só aparência. Livros, internet, vídeos aceitam qualquer coisa. Qualquer um pode fingir ser o que não é. Mas é nas atitudes cotidianas que conseguimos enxergar o que há de mais verdadeiro em cada um. (Observação: Nem sei se tem coisas boas no material desse cara. O que falei aqui foi só força de expressão. Não li, não vi nenhum vídeo, nem nada do material dele e nem pretendo.)

Pra mim, o "arroz com feijão" da espiritualidade é, no mínimo ser respeitoso com o próximo antes de se dizer um grande mestre, de se dizer com o Kundalini desperto. Porque a verdadeira espiritualidade tem que ser como o ar que você respira. Ela tem que ser praticada a todo momento e em todas as nossas ações do cotidiano. Mesmo nas coisas mais banais. A verdadeira espiritualidade tem que ser tão espontânea que tem que transpirar dos seus poros junto com seu suor. 

De que vale o sujeito ter um monte de capacidades psíquicas despertas, clarividência, intuição, viagem astral até acordado e andando, se esse mesmo sujeito não for capaz de controlar a própria língua se alguém fechar seu carro no trânsito? ...Se não for capaz de perdoar o esbarrão que tomou na feira daquela dona de casa apressada que carregava um monte de sacolas? ... Se não for capaz de tropeçar na perna da mesa sem gritar um palavrão?

Penso que as pessoas as vezes se esquecem do básico. Espiritualidade é algo simples e ficar querendo dourar a pílula, massagear nosso ego ao cair na tentação de obtenção de poderes parapsíquicos supra normais de forma rápida é justamente aquilo que nos faz virarmos presas de predadores (que por aí existem aos montes) que se utilizam da própria ganância das pessoas para tomar vantagens indevidas, ludibriar, roubar. Porque querer despertar a kundalini assim numa suposta cerimônia de iniciação é pura ganância. É querer adquirir "poderes psíquicos especiais" ao custo de dinheiro material. 

Não é por sermos espiritualistas que devemos ficar acreditando em milagre. Qualquer um que já procurou minimamente entender como a coisa funciona, sabe que despertar a Kundalini não é coisa que se faz levianamente assim como quem compra uma passagem de avião. Tem gente que passa a vida inteira fazendo técnica, praticando e não consegue pelo simples motivo de ainda não estar pronto pra isso.

Acho que saber dosar a nossa espiritualidade com um pouquinho de ceticismo na medida certa, pode nos livrar de cair em muita roubada.

Por esse motivo, por tudo que já estudei, e por tudo que já vivenciei. Prefiro olhar para esses "Brunos" ou "Benjamins" e seus "Saltos Quânticos" com uma boa dose de ceticismo. E não me considero menos espiritualista por isso. Muito pelo contrário. Não é porque nos definimos como "espiritualistas" que temos que ser bestas, né? Pode até ser que exista mesmo algo de espiritual no trabalho dessas pessoas, mas eu não boto a mão no fogo por isso.

Link to comment
Share on other sites

Pois é, mesmo de graça eu acho que seria até perigoso deixar um cara desses meter a mão no seu campo energético. Psicologicamente ele parece um pouco abaixo do nivel médio de um iniciante interessado em espiritualismo. O que não quer dizer que não seja capaz de fazer o que promete, porque quem trabalha na linha de poder pode estar na estava zero ma linha da sabedoria. É o que acontece com magos, em geral todos intoxocados com ódio e orgulho, como meninos mimados. É um desequilíbrio como em quem segue essa linha.  a explicação, segundo o Israel Regardie, é que a energia a mais que entra no sistema fortalece o ego infantil mesmo, aquele que nós desenvvolemos quando criança, quando pensamos apenas  na nossa sobrevievência, nossos prazeres e dores , e fazemos pai e mae correrem de lá para cá  para nos atender ,alcançar chupeta, trazer comida para nós,.vir quando choramos ou fazemos estardalhaço ,enfim aquela fase de pequeno tirano que temos quando crianca, eheheh.

E e por isso alias que na gnose a morte do ego é pré-requisito para trabalhar com a magia sexual para despertar do kundalini. Sem morte do ego tudo se resume a acumular energia, que o Ego ira roubar para ficar maai forte, e daí os poderes dos chackras são usados pelo ego. Ou seja, o cara vira um tipo de mago negro mesmo sem intencao, porque se antes ele tinha um ego normal,  agora terá um ego com superpoderes, e com uma psique mais dominada ainda pelas suas falha psicologicas é dificil isso não se converter em tentativas de dominacao de outros, porque o ego sempre quer dominar o mundo, ehehe

20210812_210252.jpg

Link to comment
Share on other sites

Esses ricaços são símbolos do sistema. É a cenoura que faz seus defensores trabalharem para enriquecer os ricos menores. 

images (64).jpeg

Tem gente até que se presta pata comprar biografias ou autobiografias de ricaços, achando que são exemplo de alguma coisa. Se ele de fato revelassem os crimes que previsam cometer para chegar lá, talve, aí sim a sociedade aprendesse algo sobre a riqueza ao ler seus livros.

Mas tudo tem seu lado bom: se vários ricaços resolvem fazer o mesmo, o dinheiro está saindo da mão dele e descendo pelas escadinhas da piramide sociak, porque alimenta a industria de iates de luxo, que deve ter embutido nela varios outros empregos simples, devido a muitas outras industraas que orecisam produzir os materais que serao usados nos iates, parafusos, madeirs, moveis, vidros, etc. Então o consumismo dos ricos até é útil para alguma coisa, a acumulação  de capital é que não, porque retira de circulacao um quantidade de dinheiro que alimenta toda a cadeia de relações econômicas entre as diversas classes sociais.

 

Link to comment
Share on other sites

Pelo menos há certo retorno para a sociedade nessas extravagâncias, porém ainda assim é totalmente injusta essa situação. Eu sei que no plano físico não existe justiça; pessoas com muito dinheiro podem estuprar, matar, torturar, e sair disso completamente impunes, afinal de contas elas possuem o "capital" que eleva elas a um patamar de deuses nessa sociedade, então raramente haverão consequências. Mas sem querer ser vingativo(mas já sendo) minha maior esperança é que haja verdadeira justiça no plano espiritual. Se nesse plano físico impera a lei da violência, eu espero que a justiça impere lá do outro lado.

Depois que eu morrer eu não vou perder meu tempo caçando os pilantras, mas eu espero que a lei do karma e os inimigos dessas pessoas tragam eles para baixo e os façam experimentar do próprio veneno.(discurso clichê de gente vingativa, eu sei, porém é isso o que eu sinto de forma legítima. Se eu dissesse que desejo tudo de bom para essas pessoas lá do outro lado, seria apenas mentira)

Link to comment
Share on other sites

Sim, eu concordo com a exclusão. Eu passei dos limites com esses temas. Mas enfim, meu ponto é que o mundo parece ser um lugar anti-espiritual. Tudo o que ensinam nas doutrinas espirituais(que prestam) como sendo algo bom, aqui no mundo é tudo invertido. O que dizem ser virtude no além, aqui é pecado, e vice-versa. Dá uma depressão isso.

Link to comment
Share on other sites

Se fosse fácil não geraria aprendizado. É uma escola, estamos em aprendizado, e por mais que um aluno adore aprender, quando é dia de prova todo mundo treme a perninha, e quem se dá mal sofre. Mas no final, DEPOIS QUE PASSA, a gente até pensa " ah pois é.. nem foi tão ruim assim, até que o tempo passou rápido!"

Lembre-se sempre disso. Tudo passa.O que é bom passa, o que é ruim passa. Faz parte da ilusão depressiva achar que o momemto ruim está durando para sempre, mas é uma ilusão hipnótica, um estado alteraso de consciencia  que distorce a noção de tempo. 

Link to comment
Share on other sites

3 minutos atrás, Jhana disse:

Sim, eu concordo com a exclusão. Eu passei dos limites com esses temas. Mas enfim, meu ponto é que o mundo parece ser um lugar anti-espiritual. Tudo o que ensinam nas doutrinas espirituais(que prestam) como sendo algo bom, aqui no mundo é tudo invertido. O que dizem ser virtude no além, aqui é pecado, e vice-versa. Dá uma depressão isso.

Sem compreender as coisas de uma forma mais macro, podemos achar que o mundo é injusto mas a justiça não está onde nossos olhos enxergam. Ela está no mais perfeito funcionamento do todo e no todo, tudo se encaixa. Embora não seja possível enxergar isso de forma física nem provar cientificamente, é possível chegar a esta compreensão. 

O mundo não é um lugar "anti-espiritual", caro amigo Jhana. O mundo é totalmente espiritual. Nunca pense que o mérito maior é ser espiritualista vivendo isolado numa caverna no himalaia do que aqui neste mundo que parece ser tão injusto. Muito mais mérito tem em vivenciar a espiritualidade aqui no meio dessa coisa toda "aparentemente caótica". Nunca se esqueça que, nesta vida, a dor é uma certeza mas o sofrimento é opcional. E lembre-se que mais prospera aquele que consegue enxergar as oportunidades nas adversidades. 😉

Link to comment
Share on other sites

Vamos esperar o tempo passar, e ver o que acontece nas nossas vidas, e no mundo. Quem sabe depois da morte e gente consiga ter um acesso superior à "verdade total". Talvez descobriremos um propósito de amor por de trás de toda a brutalidade da existência, algo que não seja apenas o sadismo, a insensibilidade e o animalismo.

Acho melhor eu parar de postar nesse tópico, pois acho que eu já fugi demais do tema dele. É muito fácil eu sair das regras. Tenho dificuldade de perceber as nuances das coisas e acabo fugindo do assunto. Talvez criarei um tópico próprio depois, sobre a moralidade dos mentores.

Link to comment
Share on other sites

@Jhana, meu amigo, se me permite uma analogia simbólica um tanto quanto grotesca: o homem comum quando se vê em frente a um monte de m******* consegue apenas sentir nojo mas um cientista (talvez um microbiologista) na mesma situação seria capaz de ponderar sobre uma série de coisas muito úteis para a humanidade.

Há varias formas de olhar para as coisas. Por quê você escolhe olhar da pior forma? Por quê não ser como o homem de ciência que procura sentido mesmo nas coisas menos agradáveis?

Moral da história: Não ande pelo mundo sem olhar onde pisa! Se você quiser adquirir o conhecimento verdadeiro, esteja preparado para se sujar e passar por coisas desagradáveis (isso não te impede, entretanto, de usar luvas e cobrir o nariz)! 😂😂😉

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...