Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Recommended Posts

  • 4 weeks later...

Resolvi testar essa técnica hoje. Embora eu não creia ter tido o nível de relaxamento e concentração ideais eu senti algumas sensações características. Primeiro, quando me concentrava nos chakras algumas vezes tive a sensação de que insetos estivessem andando em mim. Ao pulsar o fontal senti desconforto no mesmo. No momento da exteriorização senti a repercussão mais intensa. Era um desconforto muito grande na região entre o pescoço e peito. Como já sabia desse tipo de repercussão não me assustei. Outra coisa que não sei se foi coisa da minha cabeça mas nesse momento da exteriorização tive a impressão de que tinha alguma presença perto de mim. Infelizmente abandonei a técnica no momento do EV pois me deu vontade de urinar e já tinha perdido a concentração. Postei aqui porque não sabia que já podia ocorrer essas coisas na primeira tentativa. Interessante.  

Link to comment
Share on other sites

É meio comum a pessoa sentir "coisas" na primeira vez que faz alguma técnica diferente, talvez por estar muito atenta. Depois normalmente isso some, e só reaparece com meses de prática. Eu fiz essa técnica diariamente por um mês, lá por 2014, e nunca senti nada.

Já esta noite, numa das acordadas que tive, fui testar se estava em fase, usando a OLVE. Tão logo inicei a movimentação senti as energias, mas achei meio caótico. Então tentei uma diferente, coisa que nunca tinha feito antes, que era concentrar mais a energia primeiro, no topo de cabeça, para só depois fazê-la descer (esse é o ensino padrão da OLVE, mas na verdade nunca fiz isso, eheheh)

Então concentrei tudo no topo, e formou uma bola concentrada de energia que levantou meu corpo astral naquele ponto (A)

Ao levar a bola para baixo, na primeira passada já descolou o resto do coro astral instantaneamente (B)

Eu estava de bruços, a figura abaixo representa exatamente o que aconteceu.

Mas engraçado, após pouco mais de 6 anso fazendo isos, foi a primeira vez que fiz isso, e notei esse efeito. Então esse negócio de energias está sempre surpreendendo, ehehe

cuidados_posturais_92.jpg

  • Like 3
Link to comment
Share on other sites

Acho que é a melhor combinaçao, para quem pretende usar tecnicas energeticas. Ainda poderia fazer uma tecnica energetica compacta la quando for fazer as diretas, de madrugada. Técnicas energéticas são isso, ENERGÉTICAS, não são PROJETIVAS, entao elas noa conflitam uma com a outra, podem ajudar. Nao tem porque prejudicar. Exceto se voce ficar desperto demais por faze-las.

  • Like 2
Link to comment
Share on other sites

Depois de passar algum tempo fazendo a OLVE, deixo de sentir as energias de forma mais acentuada. Então, para recuperar o fluxo energético inicial, acabo provocando alguns auto-arrepios e noto que, depois deles, o movimento das energias volta a ficar mais acentuado.

Sei que esses auto-arrepios são apenas manifestações mais físicas da movimentação energética. Mas, mesmo assim, tem problema utilizá-los de vez em quando, só para impulsionar as energias novamente caso a OLVE fique muito mecanizada?

Obs.: Tenho facilidade de provocar esses arrepios voluntários, eles não atrapalham a minha concentração.

Link to comment
Share on other sites

Olha, eu SUPONHO que tem problema sim. É normal que as sensaçoes se reduzam, porque se por um lado a sensibilidade deveria aumentar com o treino, os obstáculos à movimentaçao energética vão sendo removidos e a OLVE enfrentará menos turbulência. Mas eu acho, nao sei, que isso a que voce se refere pode ser o que algumas pessoas relatam , de serem capazes de gerar EV só pela vontade, sem precisar a OLVE. Parece que muita gente acredita nisso, porque a Nanci comenta isso nos vídeos dela, só que quando ela vai sentir as energias da pessoa, aquilo é só um pulso de enegia, não é um EV como a pessoa acredita. Sei que não é disso que você está falando, mas DESCONFIO que essas pessoas entram nesse engano começando a buscar esses atalhos, como parece que você esteja começando a fazer, não sei.... Então acho melhor não mexer na técnica enquanto não conseguir induzir o EV sempre que quiser, usando ela ao pé da letra.

  • Like 2
Link to comment
Share on other sites

Obrigada, Sandro! Sim, eu sei que esses auto-arrepios não são EV, mas realmente tem muita gente que confunde. Então é sempre bom ter esse esclarecimento, até para que eu mesma não caísse nessa armadilha no futuro. Fico muito grata!

Só mais uma pergunta: Posso provocar esses arrepios voluntários antes de fazer a OLVE, apenas como uma forma de soltar mais as energias?

Link to comment
Share on other sites

Olha Cíntia, eu não seino que são arrepios voluntários. Pelo que entendi até hoje são sim manifestações de enegia. Não sou de sentir as energias, exceto quando estou fazendo coisas como Chi Kung, Tai chi, Reiki... E nesses casos, em geral no primeiro.movimento já sinto fortes arrepios correndo por toda a extensão dos braços. Portanto me parece que arrepios são sim movimentação energética, logo, pode valer como algum tipo de pré-ativação. Mas só a prática pode te mostrar isso. Experimente fazer dia sim, dia não, para ver em quais dias os resultados são melhores.

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...