• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
LuizGG

O CASO DE BRUNO BORGES

Recommended Posts

Mas a família não foi capaz nem de contratar um revisor de textos, para que ninguém percebesse a mente ainda adolescente apesar dos 24 anos? ehehe

Citar

“Eu apenas quero mostrar, pela minha barganha de conhecimentos empíricos e teóricos, a conclusão que eu cheguei, pois, como eu ia dizer, essa é uma teoria pela qual eu coloquei em prática durante anos suas funcionalidades e pude perceber que dava certo, uma vez que foi dela que saiu tantas ideias totalmente originais partidas de mim mesmo.” http://super.abril.com.br/sociedade/livro-do-menino-do-acre-entra-para-a-lista-de-mais-vendidos/

 

Aí você compara com algum trechinho de Machado de Assis, aos 25 anos, mas em 1864:

Citar

"Não compreendo o crítico sem consciência. A ciência e a consciência, eis as duas condições principais para exercer a crítica. A crítica útil e verdadeira será aquela que, em vez de modelar as suas sentenças por um interesse, quer seja o interesse do ódio, quer o da adulação ou da simpatia, procure produzir unicamente os juízos da sua consciência. Ela deve ser sincera, sob pena de ser nula.

Não lhe é dado defender nem os seus interesses pessoais, nem os alheios, mas somente a sua convicção, e a sua convicção, deve formar-se tão pura e tão alta, que não sofra a ação das circunstâncias externas. Pouco lhe deve importar as simpatias ou antipatias dos outros; um sorriso complacente, se pode ser recebido e retribuído com outro, não deve determinar, como a espada de Breno,o peso da balança; acima de tudo, dos sorrisos e das desatenções, está o dever de dizer a verdade, e em caso de dúvida, antes calá-la, que negá-la.

Com tais princípios, eu compreendo que é difícil viver; mas a crítica não é uma profissão de rosas, e se o é, é-o somente no que respeita à satisfação íntima de dizer a verdade.

Das duas condições indicadas acima decorrem naturalmente outras, tão necessárias como elas, ao exercício da crítica. A coerência é uma dessas condições, e só pode praticá-la o crítico verdadeiramente consciencioso. Com efeito, se o crítico, na manifestação dos seus juízos, deixa-se impressionar por circunstâncias estranhas às questões literárias, há de cair freqüentemente na contradição, e os seus juízos de hoje serão a condenação das suas apreciações de ontem. Sem uma coerência perfeita, as suas sentenças perdem todo o vislumbre de autoridade, e abatendo-se à condição de ventoinha, movida ao sopro de todos os interesses e de todos os caprichos, o crítico fica sendo unicamente o oráculo dos seus inconscientes aduladores."

...........................................................................................

O ideal do Crítico- Machado de Assis- 1864
 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

kkk esses bichos.

tem muitas redundâncias mesmo no texto pra quem se diz o giordano. 

as vezes tenho a impressão q o bruno do acre anda aqui pelo fórum com algum outro nome de usuário kkk.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Acho que já andou. Encontrei nos registros um usuário antigo, com mesmo nome e mesma idade, que andou por aqui acho que em 2009. Dá para ver nas reportagens que ele usou certo vocabulário comuns aqui no gva. Mas pelo que deu para entender d pouco que vimos na mídia, parece não ter se aprofundado muito na projeção.

É que cara... acontecem coisas estranhas nas projeções as vezes. Tem vezes que você elvanta da cama, vai para a sala e.... está no corpo de uma encarnação passada, kkkk. Ou pelo menos é o que tudo indica. As vezes eu desconfio que tem coisa que pode ser é encarnação passa do mentor que te ajuda isso, sim. Porque as vezes vocês dois ficam meio juntos, e aí eu suponho que possam misturar as percepções, de reptne o cara quer te mostrar quem ele foi, ou como te conheceu, mas você se vê na pele dele, e acha que foi ele, sei lá.

Se o garoto é empolgado, é fácil viajar na maionese, e aí, com a auto-sugestão no máximo, começa a ter mais experiencias que reforçam aquilo, vira uma bola de neve.

Share this post


Link to post
Share on other sites
32 minutos atrás, sandrofabres disse:

Sim, eu sei. Isso vale para mim, para você... mas não vael para quem alega ter sido Giordano Bruno, kkkkk.

Olha, não tinha pensado por esse lado kkkkkkkkk

Share this post


Link to post
Share on other sites
48 minutos atrás, sandrofabres disse:

Acho que já andou. Encontrei nos registros um usuário antigo, com mesmo nome e mesma idade, que andou por aqui acho que em 2009. Dá para ver nas reportagens que ele usou certo vocabulário comuns aqui no gva. Mas pelo que deu para entender d pouco que vimos na mídia, parece não ter se aprofundado muito na projeção.

É que cara... acontecem coisas estranhas nas projeções as vezes. Tem vezes que você elvanta da cama, vai para a sala e.... está no corpo de uma encarnação passada, kkkk. Ou pelo menos é o que tudo indica. As vezes eu desconfio que tem coisa que pode ser é encarnação passa do mentor que te ajuda isso, sim. Porque as vezes vocês dois ficam meio juntos, e aí eu suponho que possam misturar as percepções, de reptne o cara quer te mostrar quem ele foi, ou como te conheceu, mas você se vê na pele dele, e acha que foi ele, sei lá.

Se o garoto é empolgado, é fácil viajar na maionese, e aí, com a auto-sugestão no máximo, começa a ter mais experiencias que reforçam aquilo, vira uma bola de neve.

olha so, passei perto, eu achei era atualmente rs.

vc falando eu lembrei do áudio do curso de clarividência do alberto cabral, no final da técnica ele pergunta se os alunos viram algumas aparências próximo ao rosto dele ou no rosto, e q seriam mentores.

de repente pode ser isso, ser algum mentor, difícil saber.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Esse é o verdadeiro "Bruno de Blair" *, kkkkkk

...............................

* Ao criarem o filme "A Bruxa de Blair" os atores sumiram, criaram sites falsos entrevistando prefeito e delegado (reais)  da cidade na qual os tais jovens tinham misteriosamente desaparecido. Só após o filme ter feito enorme sucesso, eles reaparecerem. Claro que as autoridades não se comprometeram na fraude, disseram que acreditavam que os jovens deviam estar vivos, em algum lugar desconhecido ,e logo reapareceriam, eheheh

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom... Agora que a ação de marketing do rapaz já pode ser considerada bem sucedida (afinal de contas, o mancebo conseguiu emplacar o livro em segundo lugar de vendas), não tem mais motivo pra ele ficar escondido, né?

Eu até gosto de ficção mas o tema escolhido não me chama atenção em obras desse tipo então acho que, ao menos o meu dinheiro, ele não vai embolsar. 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Depois que ele fundar a seita dele,tiver todos os livros publicados, e air algo como "manual de técnicas práticas", aí eu penso em dar uns trocos para ele, para ver o  que tem ali. Enquanto for só papo furado não me interessa, kkkk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Seria ingênuo pensar que seria algo útil, ele não tem idade para ter aprendido algo útil (em termos de esoterismo), mesmo com a afirmação (mentirosa) de ler 500 livros por ano. Não adianta você só absorver conhecimento, se você não tem experiências tanto místicas, quanto de vida. Qualquer autor sério de ocultismo, esoterismo quee produza coisas de conteúdo útil, vai ter vivido uns bons anos, talvez casado, tido filhos possivelmente, ter estudado a área que ele escreve por pelo menos uns 10, 15 anos (o que é pouco ainda considerando o ritmo da nossa vida), porque simplesmente esse é o funcionamento usual das coisas. Mesmo para os prodígios. Bruno quis vender a imagem de que ele é algum prodígio, ou a reencarnação de alguem assim (quantas vezes essa doutrina reencanacionista é usada para afirmar egos frágeis ?), ele justifica a própria inexperiência, frustração sexual e ineptitude social como se fosse algum asceta. :)

Assim caminha a humanidade, velando vícios com palavras virtuosas. Melhor cada um seguir com seu trabalho do que ficar esperando sair guru de algum canto. Dessa macieira aí não vai nascer laranja. :P

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, Cristaldo disse:

quantas vezes essa doutrina reencanacionista é usada para afirmar egos frágeis

Isso não acontece só com base na ideia da reencarnação não. Qualquer coisa pode ser utilizada como base para um falso argumento ou um argumento falso que parece ser verdadeiro, na verdade existiu uma escola filosófica que ficou famosa por produzir cidadãos hábeis em tecer argumentos com bases falsas mas que pareceriam verdadeiros e incrivelmente críveis se apoiando em outros tipos de conhecimentos de certa forma já amplamente difundidos e razoavelmente aceitos (ao menos por um certo público). Eles eram chamados de sofistas.

Políticos e pastores costumam ser bastante habilidosos nessa arte.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olha... Vi essa materia, não sei quantos anos ele tem, mas deve ter quase minha idade acho.

Ele estudou aonde eu estudo ( Anglo vestibulares) . Mas no caso dele no Acre acho né...( Sei disso pois vi a camisa dele)

Enfim...

Quase tudo que esta no livro dele, eu ja pesquisei kkkk . Incrivel isso, parece que temos as mesmas curiosidades. 

- Solidão, Sexo, Sono polifasico, Contra substancias etc...

Como tivemos a mesmas aulas, inclusive essa parte de filosofia, sei de onde ele tirou tudo isso!

Ele tem muito conhecimento ... Devemos admitir vai...

Mas ele generalizou tudo, usou uma linguagem autoritaria, como se ele estivesse certo em tudo. E como ele é jovem, varias falhas.

Somou tudo em uma bola de neve com o objetivo de encontrar '' O SEGREDO DA VIDA, SUCESSO, ESPIRITUALIDADE'' queria criar uma receita pronta.

Sem falar do marketing ...

 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, PedroViajado disse:

Ele tem muito conhecimento ... Devemos admitir vai...

Pedro, é que "muito conhecimento" é um conceito ligado a "para que?"

Uma pessoa ter muito conhecimento PARA SI  é diferente de ter muito conhecimento  A PONTO DE ENSINAR.

Ter muito conhecimento para ensinar ainda está abaixo do necessário de ter muito conhecimento a ponto de justificar ESCREVER UM LIVRO SOBRE isso. Todos nós tivemos muitos professores, mas quantos deles escreveram um livro sobre aquilo que eles pretendiam ensinar?

Mesmo entre professores universitários que tem que ter doutorado, e passam a vida toda ensinando aquilo, raros são os que se se sentem qualificados a escrever um livro sobre o conteúdo que ensinam há 20 anos, por exemplo. E mesmo nos poucos casos que conheci em que escreveram, em geral são livros medíocres.

Por que isso? Porque você acumula muitos metros cúbicos de conhecimentos, para com o passar dos anos destilar talvez 1 copo  de algo que você ,de fato, compreende a fundo. Depois vai precisar mais alguns anos ainda para juntar alguns copos desse nível, para quem sabe conseguir encher uma garrafa, um livro seu, que não seja mera repetição imitativa nem colcha de retalhos mal elaborada.

Por isso uma rapaz dessa idade dele, com o conhecimento que ele acumulou, pode ser capaz de dizer algo útil para garotos de 16 anos, mas você que tem mais ou menos a mesma idade e passou pelos mesmos estudos, lê isso e de repente nada encontra que te acrescente né ( provavelmente)? Vai ler e pensar "tá, mas isso eu mesmo podia ter escrito, não precisava estar perdendo meu tempo com isso".

O Samael, fundador do movimento gnóstico, todo metidão a Bam-Bam-Bam, escreveu mais de cem livros (boa parte livretos), mas poucos anos antes de morrer, aos 60, anos, disse que deveriam queimar todos, exceto os último cinco, porque os anteriores estavam cheios de erros.

Por aí você imagina o quanto a vida nos apronta, em termos de percebermos as bobagens em que acreditamos  quando éramos mais jovens, ehehe.

Conhecimento é o oposto das frutas:

Só aquilo que, com o passar do tempo,  não caiu do pé, é que tem algum valor.

 

 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
7 hours ago, Iogui said:

Isso não acontece só com base na ideia da reencarnação não.

Eu não disse que é só aí que acontece, e nem isso vem da minha não preferencia pelo paradigma. Mas pegue Helena Blavatski, Aleister Crowley, Samael Aun Weor, são verdadeiros compiladores de sabedoria (gnose) de conhecimento orientais e ocidentais, eram enciclopédias ambulantes do ocultos (tudo isso antes de internet, computador, e no caso dois primeiros antes até do telefone), verdadeiros mestres no assunto tanto de forma teórica quanto prática, viajaram o mundo inteiro em busca disso e dedicaram a vida inteira na busca espiritual. Mas veja, basta eles falaram sobre reencarnação, e o quanto eles foram em vidas passadas e das suas incriveis memórias e peripécias pra você levantar a sobrancelha, não é verdade ? Pois é, mesmo do alto de toda grandeza espiritual que sem dúvida esses 3 e tantos outros tinham, você olha meio esquisito paras estorinhas deles rs.

Não se trata de eu não dar bola para o tema reencarnação, se trata de que é algo pessoal, íntimo e dificil de traduzir para o outro como experiência. Crowley falava que era reencarnação de Cagliostro e Eliphas Levi, mas deixa bem claro que essas impressões são altamente ilusórias em suas instruções para alunos. Bom, se nem ele mesmo acredita na história dele, porque eu devo acreditar nas histórias que os outros contam sobre suas vidas passadas ? Ainda mais quando esse outro é um garoto que nem saiu da casa dos pais ainda. :P

Era essa a perpectiva que queria dar.

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, Cristaldo disse:

não é verdade ?

Não.

Cristaldo, a gente já sabe que você não acredita em reencarnação, ok? Mas isso não tem nada a ver com o tópico.

Share this post


Link to post
Share on other sites

E ele já deu entrevista para a Globo: http://g1.globo.com/ac/acre/noticia/busquei-o-isolamento-pra-nao-ser-atrapalhado-pelo-coletivo-diz-bruno-borges-sem-dizer-onde-ficou.ghtml

Gostei dessa parte:

Citar

 “Houve também outros objetivos fazendo tudo isso, um dos objetivos foi tornar as pessoas mais ávidas pelo misterioso, porque quem não gosta do misterioso meio que está morto, está inerte. Porque o mundo é um mistério, nós não sabemos de nada ainda. Então, como podemos não gostar do mistério?”

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.