• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
Alessca

REIKI E MEU ENCONTRO COM TRÊS MENTORES

Recommended Posts

Ontem foi a noite mais longa da minha vida, porque simplesmente o que relatarei aqui me pareceu durar dias.

Fui iniciada em Reiki grau 2, domingo passado. Foi uma semana de novas descobertas e de certa forma mudanças.

Aplico Reiki no meu filho todos dias, porque ele tem hipotireoidismo e está muito difícil regular. Geralmente envio Reiki para  alguma pessoa à distância. Até o Reiki grau 1, não tinha notado os mentores, mesmo pedindo a presença deles.

Essa semana senti minhas mãos esquentarem várias vezes durante o dia, e meus pés também. São sinaléticas da energia inteligente do Reiki. Ainda essa semana,  aplicando em meu filho senti um fluxo muito grande de energia entrando em seu chackra da cora e no laríngeo. Sempre escolhemos uma música relaxante para o momento. Ele costuma adormecer.

Quinta-feira, não amanheci muito bem, acho que sofri algum ataque espiritual a noite, por causa de alguns sintomas que conheço. Nesse mesmo dia senti minha imunidade cair. E uma sensação de recolhimento me abateu. Uma vontade de não ver gente, mas infelizmente por conta das obrigações do trabalho não temos a opção de permanecermos mais quietos. Tentei aplicar o Reiki no meu filho a noite, mas quase não senti nada.

Na sexta não apliquei, mas ontem cedo sofri um novo ataque espiritual. Então passei o dia lendo sobre o Reiki, mais precisamente lendo o livro da Diane Stein. Lendo, relendo. É um livro que não consigo ler direto. Ainda nem terminei de ler, porque ele me deixa pensativa, como se estivesse vivenciando e vendo o que ela descreve.

A noite tentei aplicar o Reiki no meu filho, ele pareceu inquieto e me disse: mãe não quero, me deixa quieto e aplica amanhã. Eu fiquei um pouco impaciente porque também não estava sentindo nada, e ainda com sintomas de resfriado.  Senti uma presença negativa no ambiente, pois sou médium,  clariaudiente e sensitiva. Desenhei os símbolos do Reiki no ar, fechei os chackras do meu filho. E me veio uma imagem de alguém batendo no meu filho. Fechei os olhos e pedi para que o mentor do Reiki que me acompanha (todos recebemos um quando somos iniciados), que me ajudasse, pois  não sabia o que fazer. E que precisava muito vê-lo, saber o nome dele, como  deveria proceder com o Reiki, como ajudar na cura, enfim tantas perguntas cheias de ansiedade.

De olhos fechados e sentada na cama, meu filho do meu lado brincando com blocos de montar, comecei a aplicar o auto Reiki. Quando coloquei a mão no meu chackra cardíaco senti dor, tristeza sem motivos. De olhos fechados vi uma luz pequena e vi um senhor asiático, já bem idoso segurando um cajado, era um monge. Ele começou a falar comigo: Eu sou seu mestre, seu mentor do Reiki designado para acompanha-la de agora em diante. Vou ensinar a vc, e estarei com vc nos processos de cura, se esforce para aprender, se esforce mais, estude mais, medite mais, controle seu ego, sua ansiedade. O Reiki não é um remédio que se toma e ocorre uma cura instantânea. Há processos e processos. Perguntei qual era o nome dele: Liam, ou Lee An, ou Lyan, não sei como escrever. Perguntei, o senhor é chinês? Tibetano. Pensei, não pode ser...estou imaginando coisas. Ele sorriu e começou a desenhar o símbolo shoku rei no ar. Quando ele fez isso,  percebi que realmente estava vendo alguém, porque minha visão se intensificou.  Não posso descrever como distingui isso. Mas quando vc pensa em algo, quando imagina é sua mente quem cria. No caso não imaginei, não fiz força para pensar. Mas me falta palavras para explicar as diferenças. Porque Liam estava em outra dimensão, e eu o via de longe e mesmo assim o ouvia de perto. Abri os olhos abismada.

Peguei o livro, meu filho disse, quero desenhar os símbolos, deixa eu aplicar em vc mãe... Eu disse não pode, vc é ainda pequeno, mas mamãe vai te iniciar no Reiki um dia, e vc será um excelente canal de cura, espere com paciência. rss

Sei que fui dormir era meia noite. Por volta de uma da manhã, fui acordada pela entidade doente. Ele estava agachado do lado da minha cama. Seu corpo enegrecido, cheio de rachaduras por onde parecia escapar algum tipo de substância, e sem roupa. Ele ficou assustado em perceber que o vi, correu e atravessou a parede do meu quarto que dá para a garagem. Adormeci novamente, chateada por ver a entidade. Me sentindo invadida e impotente. Três e 20 da manhã acordo novamente, pensei...Acordando na hora morta? Levantei completamente desperta  e descansada. Fui ao banheiro, tomei um copo de água. Pensei na entidade, senti medo, angústia. E um até quando...? Saiu espontaneamente.

Comecei a pedir, por favor se alguém me ouve me ensine, o que eu devo fazer? Ouvi baixo, limpe-se, faça auto Reiki, está pesada, triste, e desanimada. Comecei a limpeza desenhando em pensamento no escuro os símbolos do reiki que brilhavam na minha frente a medida que  ia traçando. E fui falando vários hon sha ze sho nem. Quando minhas mãos encostaram nas virilhas saíram várias esferas de luz da minha mão em direção ao chackra básico, meus pés ficaram quentes.

Um rapaz baixo, de jeans e camiseta, óculos de grau, barba rala e cabelo curto apareceu do meu lado. Me disse, eu sou fulano (não me lembro o nome), sou técnico em mediunidade. Ri e vi que estava um pouco fora do corpo. Técnico em mediunidade? Sim, sou especialista em aparelhos mediúnicos... Aparelhos? Vc não está pondo aparelhos em mim, né? Não, eu não disse isso. Estou dizendo que sou especialista em médiuns. Acalme-se logo vc irá entender o porquê. Ele todo sério e eu dando risada pois achei engraçado o jeito dele.

Não sei quanto tempo se passou. Mas de repente uma luz dourada brilhou no meu quarto, como se fossem pequenas estrelas piscando no ambiente, achei linda a luz. De repente, uma mulher, com um vestido de um tecido que nunca vi na Terra, apareceu do meu lado, sorrindo. Ela era tão alta, jovem, cabelos castanhos longos e ondulados. Uma luz azulada envolvia. Era linda, como uma fada.

Eu sou Alice, sua mentora, meu propósito em sua vida é te ensinar a ser alegre. Sou eu quem te acompanha em suas viagens pelo astral, estava esperando o dia em que vc quisesse me ver e saber quem sou eu. Vc queria me ver, aqui estou. Levante-se. Ela abriu os braços e mais luz dourada veio. Levantei em astral, meu corpo permaneceu totalmente consciente.

Ela me disse, voe, vc precisa sentir alegria, divirta-se um pouco no céu, alegria menina, alegria, vc é reikiana, não pode permanecer triste. Comecei a voar, o som do vento nos meus ouvidos e enxerguei o cordão de prata. Toquei ele com as mãos, parecia um cabo de aço. Mas me atrapalhei com o cordão e voltei para o quarto. Ela continuou a falar comigo.

Essas entidades obsessoras tem um propósito na vida de alguém que é obssediado. Só que tudo tem fim. Vc não precisa ter medo, precisa ajudá-lo, mande Reiki, mande os símbolos, explique com paciência que o lugar dele não é aqui, e que ele não será punido, será recebido e tratado. Fale com ele, fale agora. Eu desenhei  os  símbolos e comecei a mandar pra ele.

Faça isso várias vezes.

Sinceramente, não me mantive tão lúcida. E comecei a correr, corria muito, muito rápido por uma estrada rural. Cheguei num local e vi um homem todo queimado. Perguntei o que aconteceu? Ele se queimou com óleo quente e não consegue sair dessa situação. Mandei os símbolos no homem queimado.

Acordei por volta de 10 horas, mas parecia que havia se passado dias e dias...

Infelizmente, não me lembro de todas as palavras de Alice, pois ela conversou comigo por muito tempo, o mais importante penso que consegui captar, principalmente seu rosto. Eu a reconheci, mas não me lembrava dela.  O obsessor não me disse nada.

Passei o dia pensando em como relatar isso, resolvi detalhar e não julgar nada do que vi. Prestei muita atenção ao que senti. O contato com os mentores é algo tão familiar, que quando eles aparecem a sensação que te dá é que estiveram o tempo todo ali e vc não via.

O Reiki está transformando minha vida, se antes só via entidades doentes, hoje tenho certeza que existe pessoas do outro lado de lá que trabalham pelo bem da humanidade, não estamos sós.

  • Like 5

Share this post


Link to post
Share on other sites

poxa que experiencia interessante, obrigado por compartilhar com a gente. Tenho pensado muito nessa questao dos mentores, gostaria muito de ter contato com os meus, eu desconfio que faço algum tipo de trabalho/auxilio no plano astral, mas as lembranças sao como flashes, preciso ter a resposta pra essas questoes tambem, todo dia antes de dormir, alem das oraçoes de praxe, irei mentalizar um possivel contato com os mentores ( ou mentor).

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Alessca, obrigado por ter partilhado a sua maravilhosa experiência. Estes relatos mostram-nos que não estamos sós e nos dão "uma forcinha" para continuar o trabalho espiritual. 

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pessoal eu nunca tinha visto antes entidades de luz. Tenho 40 anos e só tinha visto espíritos doentes, com deformidades e alguns perversos e malignos.

Sempre desejei o encontro com meus mentores, mas nunca cheguei a pedir por ele. Ficava chateada por ver apenas coisas feias ou tristes.

Fiz o que a Diane Stein sugere em seu livro Reiki essencial: peça para que seus mentores se apresentem a vc, pergunte seus nomes, qual o propósito deles em sua vida, como vc pode ajudar o próximo de uma forma mais efetiva. Só isso. Nunca pensei que me responderiam na mesma noite. Mas meu pedido foi sincero e desprovido de mera curiosidade. E acho que dei algum tipo de trabalho, já que antes da mentora veio um "técnico em mediunidade". Deve ter mexido em alguns fios para que eu pudesse enxergar a mentora rsss 

O engraçado de tudo é o bem estar que vc sente, é algo tão familiar, tão natural e ao mesmo tempo tão emocionante. Que depois que passa vc sente aquela sensação de: nossa mas que tolice eles sempre estiveram comigo e eu nem me dei conta. 

Faço votos que todos consigam ouvir, ver ou sentir seus mentores. E que esse contato seja um divisor de águas na vida de cada um de vcs. 

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Gostei muito da sua experiência Alessca! Me deu mais vontade ainda de fazer viagens astrais, percebi que quando pedimos algo com toda a nossa vontade acaba por acontecer. Teve um dia em que eu queria muito sair, as outras vezes só aconteceram quando eu era criança, me deitei e nessa noite pedi muito em pensamento que os mentores me ouvissem, queria ter uma nova experiência mesmo que fosse rápida e aconteceu!!! Adormeci, quando acordei já estava flutuando por cima do meu corpo físico, no quarto mesmo, a sensação foi incrível, no momento só pensei assim " Ué, não acredito que isso realmente está acontecendo", terminei de pensar isso e acordei rsrs. Jamais vou esquecer, tenho certeza que eles realmente me escutaram. bjs :-P

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.