Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Viagem "patrocinada"


albaman
 Share

Recommended Posts

No passado Domingo acordei de manhã, aí pelas 8 horas e decidi tentar projectar-me. Relaxei durante alguns minutos, fiz algumas técnicas na posição de decúbito dorsal e após algum tempo, como nada parecia resultar virei-me de lado e resolvi dormir mais um pouco. Assim que me virei de lado imediatamente comecei a sentir os sintomas habituais para sair do corpo e resolvi aproveitar. Saí com muito pouca lucidez, estava tudo escuro e pensei em voar para me afastar do corpo mais depressa. Assim que comecei a voar, ainda sem ver nada, senti alguém/algo a segurar-me. Como não sabia do que se tratava resolvi tentar a OLVE a ver se me libertava. Não fez qualquer efeito e comecei então a tentar melhorar a minha visão. Concentrei-me e pensei em "luz...luz" como já por aqui falámos diversas vezes. Imediatamente a escuridão desapareceu e comecei a ver tudo claramente.

Estava no ar a voar por cima da minha cidade e olhando para o lado esquerdo pude ver então quem me estava a segurar. Era um individuo aparentando ter cerca de 40 anos, cabelo ligeiramente comprido e que usava roupas comuns do dia-a-dia. Calça, camisa, blusão...segurava-me pelo braço esquerdo e estava a guiar-me para algum lugar. Perguntei-lhe quem era e para onde íamos. Ele olhou para mim e não disse nada limitando-se a sorrir. Como não me pareceu uma ameaça deixei-me levar e passado algum tempo chegámos a um lugar que eu reconheci imediatamente pois tratava-se de uma cidade que conheço bastante bem e que fica a cerca de 8 Km do local onde vivo.

Assim que "pusemos os pés no chão" disse-lhe: "conheço muito bem este local, tenho alguns amigos que vivem naquela rua." O local era muito parecido ao físico (as ruas eram as mesmas) embora alguns edifícios fossem diferentes. O local onde nos encontrávamos tinha algumas casas com um pequeno quintal, mas no físico, nesse lugar existe agora um bloco de apartamentos com uma agência bancária no piso inferior.

O “meu guia” (vou tratá-lo assim pois não cheguei a saber de quem se tratava) apresentou-me a um individuo que estava numa dessas casas a trabalhar no jardim. O individuo cumprimentou-me e olhou muito admirado para a minha nuca. Pensei que ele estivesse a olhar para o cordão de prata e disse-lhe; "sim, eu estou encarnado". Pelos vistos não era habitual encarnados andarem por ali conscientes.

Nessa altura pensei que já era tempo de começar a fazer perguntas e resolvi voltar a questionar o “meu guia”. Perguntei-lhe quem era ele e porque é que ele me tinha levado até ali. Aqui não me lembro muito bem da sua resposta pois esta foi vaga e não fez muito sentido para mim. Disse algo acerca da sua idade quando desencarnou, falou da minha idade e não me lembro muito bem do resto. Embora eu estivesse bastante lucido não me recordo dos pormenores. Creio que houve aqui alguma “censura” para que eu não me recordasse.

Andámos por ali a passear e entrámos num local onde se encontravam algumas pessoas à espera de algo. Parecia que estavam à espera que as chamassem quando chegasse a sua vez. Para quê não sei. Aqui reconheci uma das pessoas que ali se encontravam. Era um antigo colega de trabalho que não vejo vai para 15 anos. Bastante admirado perguntei-lhe se ele também fazia viagem astral. Este respondeu que não e aí eu pensei para mim um bocado chocado e ao mesmo tempo triste: “então é porque morreu” Quando me preparava para lhe falar sobre o que tinha acontecido este afastou-se pois ao que parece tinha chegado a vez dele. Ainda em choque segui o “meu guia” até um lugar que me pareceu ser um bar, com bastante gente sentada em volta de mesas e aparentando estarem a divertir-se. Sentámo-nos e também aqui as pessoas olharam para a minha nuca com ar de admiração. Espero que fosse devido ao cordão de prata e não a outra coisa qualquer que tenha para aqui.

Começámos todos numa conversa agradável e eu disse para o ao meu acompanhante: “encontrei fulano tal que não via há muito tempo e ao que parece desencarnou. Sabe alguma coisa sobre o que aconteceu?” Ele respondeu que sim e começou a contar. Começou a falar de quando trabalhávamos juntos com outro colega e estava eu a tentar perceber aonde ele ia chegar com aquela conversa quando subitamente fui puxado para o corpo físico. Algo me fez acordar. Talvez algum barulho, não sei. Fiquei ali na cama a pensar, algo frustrado com aquele despertar súbito que me impediu de chegar ao fim da história.

Há muito tempo que perdi o contacto com o meu antigo colega de trabalho e de faculdade mas não creio que ele tenha morrido. Há aqui qualquer coisa que não bate certo e que não compreendi. Quando tiver oportunidade vou tentar averiguar se realmente a pessoa em questão está falecido ou não, embora interiormente algo me diga que não, que está vivinho da Silva.

Bem…após algumas centenas de projecções e depois de me “andar a queixar” que nunca tinha visto um mentor eis que aparece alguém, sem túnica nem auras brilhantes, que me levou a passear pelo astral. Fixe.  :)

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...