• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
lightium

Vocês não se cansam de tantas correntes?

Recommended Posts

Vocês não se cansam de tantas correntes? De viverem aprisionados?

Vivemos pelo medo e morremos por ele também.

Temos medo da solidão, da velhice, da miséria e da doença. No fundo sabemos que quando perdermos nossa utilidade, deixaremos de ser valorizados pela grande maioria das pessoas que consideramos importantes.

Vivemos do jeito que disseram que deveríamos viver. Interpretamos personagens que consideramos apropriados para o deleite e aceitação das pessoas. Aceitamos e incorporamos as mais variadas crenças incorretas sobre tudo.

O medo faz com que soframos e causemos sofrimento aos nossos semelhantes.

Tudo isso constitui uma enorme prisão, na qual nosso verdadeiro ser está enclausurado, implorando por liberdade.

Estou cansado de tanto peso inútil. Estou farto de tantas correntes. Todos os dias me pego pensando em como me libertar de tudo isso.

Preciso de dinheiro, do mínimo de conforto e de pessoas. Não quero morrer na miséria e na solidão.

No fundo, estamos todos perdidos e com medo.

carregando peso inútil.jpg

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Este é um mundo regido por leis de todos os tipos. Você não se cansa que chove só para baixo? Poruqe não para cima, ou para os lados? Isso e irrelevante, o plano físico fubciona assim, da mesma maneira que o plano astral é um pouco amsi leve, e masi para baixo, nem se mexer direito voce pode. É como um tabuleiro de xadrez, sao 64 casas, 32 pretas e 32 brancas. Aprenda as regras do jogo e jogue para vencer. Bater pé, rebelar-se contra as regras só atrasa o início do aprendizado, é como cuspir contra o vento. Mas a tentativa é livre.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
7 minutos atrás, sandrofabres disse:

Este é um mundo regido por leis de todos os tipos. Você não se cansa que chove só para baixo? Poruqe não para cima, ou para os lados? Isso e irrelevante, o plano físico fubciona assim, da mesma maneira que o plano astral é um pouco amsi leve, e masi para baixo, nem se mexer direito voce pode. É como um tabuleiro de xadrez, sao 64 casas, 32 pretas e 32 brancas. Aprenda as regras do jogo e jogue para vencer. Bater pé, rebelar-se contra as regras só atrasa o início do aprendizado, é como cuspir contra o vento. Mas a tentativa é livre.

Tudo não passa de um jogo, não é meu amigo. Somos nada mais, nada menos, que peças em um gigantesco tabuleiro de xadrez.

Compreendo que devo jogar de acordo com as regras, mas confesso que nada disso me agrada e temo que nunca me conformarei.

Quando eu era mais jovem, me imaginava com a idade que tenho, sendo mais sábio, forte e estável, sabendo jogar muito bem este complexo jogo que é a vida.

Parece que quanto mais velho eu fico, mais confuso a vida se torna.

Quero deixar aqui um vídeo que me faz muito sentido, se alguém tiver um tempo para vê-lo, me diga o que achou.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

sobre precisar de pessoas te deixo uma frase q li amigo lightium:

"case-se consigo mesmo"

sempre vai ter alguém querendo q vc o agrade e vice versa.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 horas atrás, bandeirapvh disse:

sobre precisar de pessoas te deixo uma frase q li amigo lightium:

"case-se consigo mesmo"

sempre vai ter alguém querendo q vc o agrade e vice versa.

 

Gosto da solidão, mas da solidão opcional. Meus momentos solitários foram sempre extremamente produtivos. Passei incontáveis madrugadas lendo, vendo vídeos, ouvindo músicas, meditando e praticando um monte de coisas que me ajudaram a descobrir minha espiritualidade.

Sou bastante noturno kkkk, por isso troquei a noite pelo dia por quase 10 anos. Não consecutivos, mas se contar, da bem uns 10 anos mesmo.

Adoro ter meu espaço.

Fui "ajuntado" por quase 10 anos e durante esse tempo, meu espaço pessoal ficou bastante comprometido.

Não que eu não gostasse da minha mulher, eu a amava muito e adorava a companhia dela, mas me faltava a minha companhia. Passávamos tanto tempo juntos, que meus pensamentos viraram os dela e os dela viraram os meus. Tanto que ela também virou espiritualista e adora o assunto. kkkk

Só que é o lance da solidão opcional, saca? Ficar sozinho quando quero e ter alguém ou "alguéns" especiais quando quero também. Me sinto mal quando percebo que estou jogado em um canto, sem que ninguém goste verdadeiramente de mim.

É uma dependência né meu amigo e toda dependência causa medo e sofrimento. :(

Tenho 33 anos, não tenho filhos e meus pais já estão ficando velhos.

Minha avó paterna, que é minha segunda mãe, está com 94 anos já.

Minha avó materna, também muito querida, está com 96 anos.

Fico pensando o que será de mim quando esse povo todo que eu amo for embora.

Da medo e isso produz sofrimento.

Saca só um texto que escrevi sobre apego:

Citar

Em um mundo onde impera o medo, a mentira, a discórdia e o ódio, onde enganamos e somos enganados, onde todos os valores são completamente invertidos, só existe uma maneira de viver verdadeiramente bem, desapegar-se. O apego nos faz carregar um enorme peso completamente desnecessário.
Se vocês encontraram outra maneira de viver bem aqui, por favor, me digam, pois o único jeito que encontrei foi me desapegar de absolutamente tudo, inclusive de quem penso que sou.
Não tenho religião, não tenho emprego, não tenho curso superior e nenhum título para zelar. Não tenho dependentes, não tenho dinheiro e nem mesmo tenho um "personagem", pois minha personalidade muda tanto que nem sei mais quem sou.
Já entrei em desespero tantas vezes por não ter quase nada, mas quando me dou conta percebo que sou muito mais livre desta forma.
Estou farto de carregar tanto peso inútil.

Abração.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas lightium, a vida é um jogo interativo, uma escola mesmo. Toda vez que acontece algo que voce nao gosta, é porqur aquilo esta tentando te ensinar algo que voce nao conseguiu aprender sozinho. Voce sente que nao gosta porqiee queria que fosse x, e nao y. A vida tenta te ensinar o y. Se voce aprende voluntariamente evita repetir as liçoes, se insite, os mesmos padroes ficam se repetindo, varias vezes dentro da mesma vida, e vida apos vida. Nunca reparou que pessoas que vivem trocando de emprego se queixam que sempre encontram no novo emprego o mesmo tipo de problema, sempre o chefe " pega do pé" delas, ou sempre algum colega invejoso apronta para elas? Ou aquelas mulheres que namoram alguem que bate nelas, trcoam de relacionamento e o novo tambem faz o mesmo, etc.  Mudam as pessoas, mas os problemas sao iguais, porque o que atrai as situaçoes repetitivas é A SUA necessidade de aprender aquela liçao. Entao toda vez que acontecer algo que nao gosta, tem que pensar " qual a liçao? O que eu devo aprender com isso?" . Geralmejte a resposta está nas emoçoes: as vezes voce nao gosta poruqe vai demorar a obter o que queria. Tem que ter mais  paciencia, aprender que tudo tem seu tempo. Outras vezes não gosta poruqe seu orgulho foi atingido. Entendoça que orgulho  só atrapalha, livre-se dele. Mas ha sempre inumeras liçoes que nem tem um nome. Tem que se perguntar porque voce nao gosta daquilo, onde foi que doeu? O que gerou aquilo? Porque é isso que voce tem que eliminar, para que nao se repita. Muitas Vezes não é açao prevemtiva, mas desapego, apenas Procurar nao se torturar pelo que é naturalmente transitorio. É desafiador para todos, ou nao geraria aprendizado. Mas é mais facil para quem tenta aprender mais rapido.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Compreender a necessidade de desapego é importante mas é preciso tomar cuidado para não confundir desapego com descaso, falta de cuidado ou negligência.

O desapego deve ser corretamente cultivado por quem se esforça para se ver livre das prisões do ego mas nisso também assim como em tudo o mais é importante ter equilíbrio e discernimento. Lembre-se que o caminho do meio costuma ser a escolha mais sábia.

Sendo assim, não tenha apego mas não abandone, não desista e não descuide dos deveres.

Apenas viva de forma leve e aprenda a seguir o fluxo da vida com contentamento que tudo tende a se acertar.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
20 horas atrás, lightium disse:

Gosto da solidão, mas da solidão opcional. Meus momentos solitários foram sempre extremamente produtivos. Passei incontáveis madrugadas lendo, vendo vídeos, ouvindo músicas, meditando e praticando um monte de coisas que me ajudaram a descobrir minha espiritualidade.

Sou bastante noturno kkkk, por isso troquei a noite pelo dia por quase 10 anos. Não consecutivos, mas se contar, da bem uns 10 anos mesmo.

Adoro ter meu espaço.

Fui "ajuntado" por quase 10 anos e durante esse tempo, meu espaço pessoal ficou bastante comprometido.

Não que eu não gostasse da minha mulher, eu a amava muito e adorava a companhia dela, mas me faltava a minha companhia. Passávamos tanto tempo juntos, que meus pensamentos viraram os dela e os dela viraram os meus. Tanto que ela também virou espiritualista e adora o assunto. kkkk

Só que é o lance da solidão opcional, saca? Ficar sozinho quando quero e ter alguém ou "alguéns" especiais quando quero também. Me sinto mal quando percebo que estou jogado em um canto, sem que ninguém goste verdadeiramente de mim.

É uma dependência né meu amigo e toda dependência causa medo e sofrimento. :(

Tenho 33 anos, não tenho filhos e meus pais já estão ficando velhos.

Minha avó paterna, que é minha segunda mãe, está com 94 anos já.

Minha avó materna, também muito querida, está com 96 anos.

Fico pensando o que será de mim quando esse povo todo que eu amo for embora.

Da medo e isso produz sofrimento.

Saca só um texto que escrevi sobre apego:

Abração.

Olá amigo.

 

Boa parte desses anseios é normal pra todo mundo, faz parte. Com o tempo, boa parte das nossas amizades se afasta e só vai ficando aqueles mais especiais, que dura a vida. Antes eu ficava meio triste comigo mesmo pq eu ia perdendo contato conforme mudava de escola, e depois de cidade pra estudar na faculdade. Logo vi que outros amigos apareciam e agora, um a um, com os amigos da facul está sendo bem difícil de nos vermos, correria, cada um indo prum lado. Eu sempre me esforcei um bocado pra reunir o pessoal, ou da minha cidade de origem ou da facul, mas dificilmente encontrava eco. Tipo pregar no deserto.

Logo ascendeu uma luz de que isso era uma puta oportunidade pra introspecção e paciência (não só por isso, tive uns problemas de saúde que, pelo timing exato, redondo, perfeito da coisa, só podia interpretar como o universo gritando comigo para ter paciência, mas paciência pra valer e a partir daí minha vida começou a mudar pra melhor mesmo, inclusive alguns problemas de saúde, pela graça de Deus, foram sumindo). Hj eu não ligo mais, simplesmente vivo tentando cultivar em mim o desapego, que como o Iogui bem ressaltou, não é o mesmo que descaso. E no meu coração guardo um carinho imenso por cada uma dessas pessoas. Quem sabe se nos reencontramos um dia...ou não, tanto faz, há muito o que desfrutar da vida por aí, muita para preencher. Essas coisas mais pessoais não disse pra diminuir ninguém ou me expor a toa, apenas para ilustrar pra vc, amigo, que eu também passei por algo parecido, e hj vejo que aprendi um bocado e tinha que passar por isso. Não se condene ao imobilismo e nem brigue com a vida. Há muito o que ser feito e admirado. Vai com calma.

E pelo que venho observando ao meu redor, com família, irmãos e amigos, não é que eu esteja competindo com as outras pessoas ou me sinta superior, bemmmm longe disso, mas vejo que eu lido com as transições, mudanças, início e fins de ciclos pela vida com muito mais naturalidade do que a maioria das pessoas. Não significa que eu não tenha medo ou insegurança. Tenho sim, porém procuro aprender com essas situações. Cada cenário te procriará novas oportunidades, cada porta fechada é uma outra aberta, vc "só'' precisa ver com mais atenção.

 

Boa sorte cara.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Olá meus queridos amigos...

Em 18/10/2017 at 04:02, sandrofabres disse:

Mas lightium, a vida é um jogo interativo, uma escola mesmo. Toda vez que acontece algo que voce nao gosta, é porqur aquilo esta tentando te ensinar algo que voce nao conseguiu aprender sozinho. Voce sente que nao gosta porqiee queria que fosse x, e nao y. A vida tenta te ensinar o y. Se voce aprende voluntariamente evita repetir as liçoes, se insite, os mesmos padroes ficam se repetindo, varias vezes dentro da mesma vida, e vida apos vida. Nunca reparou que pessoas que vivem trocando de emprego se queixam que sempre encontram no novo emprego o mesmo tipo de problema, sempre o chefe " pega do pé" delas, ou sempre algum colega invejoso apronta para elas? Ou aquelas mulheres que namoram alguem que bate nelas, trcoam de relacionamento e o novo tambem faz o mesmo, etc.  Mudam as pessoas, mas os problemas sao iguais, porque o que atrai as situaçoes repetitivas é A SUA necessidade de aprender aquela liçao. Entao toda vez que acontecer algo que nao gosta, tem que pensar " qual a liçao? O que eu devo aprender com isso?" . Geralmejte a resposta está nas emoçoes: as vezes voce nao gosta poruqe vai demorar a obter o que queria. Tem que ter mais  paciencia, aprender que tudo tem seu tempo. Outras vezes não gosta poruqe seu orgulho foi atingido. Entendoça que orgulho  só atrapalha, livre-se dele. Mas ha sempre inumeras liçoes que nem tem um nome. Tem que se perguntar porque voce nao gosta daquilo, onde foi que doeu? O que gerou aquilo? Porque é isso que voce tem que eliminar, para que nao se repita. Muitas Vezes não é açao prevemtiva, mas desapego, apenas Procurar nao se torturar pelo que é naturalmente transitorio. É desafiador para todos, ou nao geraria aprendizado. Mas é mais facil para quem tenta aprender mais rapido.

Grande Sandro. É mesmo meu amigo, a vida é uma grande escola e pelo jeito, entrei nessa sem saber quase nada. kkkk

Vejo muita gente reclamando sobre o motivo de ter encarnado e querendo não reencarnar mais. Há algum tempo vi um vídeo do Saulo onde ele falava que a terceira dimensão nada mais é do que uma grande anestesia e acho que ele está totalmente certo.

O negócio é o seguinte, todas as "desgraças" que nos ocorrem fazem parte de nós. Tudo o que nos acontece de desagradável está dentro de nós, de alguma forma, por isso atraímos essas situações. Se achamos que as coisas estão ruins aqui na 3d, onde tudo demora bastante pra se manifestar, imagina como ficariam na 4d, onde tudo toma forma quase que instantaneamente.

Então essa galera que vive reclamando, está cheio de coisas dentro de si que precisam ser trabalhadas e acabariam sofrendo muito mais em uma dimensão mais sútil.

Vejo por mim, das vezes em que tive fortes experiências, pude perceber com grande clareza o efeito da sintonia vibracional. Olha que tive muitas experiências com umbralzão e trevosos da vida e lá não adianta gritar pela mãe, que ela não vai ajudar. kkkkkk

Certa vez, eu estava "meio" projetado aqui em casa e me apareceu um trevoso daqueles. O bicho meio que entrou no meu corpo "no bom sentido" e me virou por dentro. Sério, eu senti meus ossos quebrando. Não senti dor, mas a sensação foi absurdamente pavorosa.

Lembro que meu nariz dobrou pra dentro e pude sentir o osso dentro da boca. Foi um treco tenso demais.

E qual o motivo disso ter acontecido? Porque eu tava numa vibe m******* pra caramba ou talvez era algum inimigo ferrenho meu. Vai saber? Sei que na 4d, se somos atacados, não tem como prestar queixa, nem chamar a polícia, muito menos processo e nem nada. Lá o negócio é muito mais livre. kkkkk

Um dos grandes problemas meus é que não consigo crer piamente, com absoluta certeza, sem duvida alguma, "tá bom to sendo redundante kkk", que exista mesmo algo além da vida física.

Tenho assim, 99% de certeza que existe, por tudo o que vivi e por tudo o que sinto, mas aquele 1% é vagabundo, não pera, é cético. kkkk

Ultimamente não tenho feito nada para praticar minha espiritualidade, então as experiências que tenho são absolutamente espontâneas ou patrocinadas. Então acabo passando longos períodos vivendo quase que unicamente domado pela mente e nem preciso dizer que nessas épocas as coisas acabam degringolando de vez.

Acho que diante disso, meus mentores resolvem dar uma chacoalhada em mim, então me tiram do corpo ou me presenteiam com um agradável encontro com algum trevoso, só pra me dar uns tapas na cara e me mostrar que tudo isso é totalmente real. Falando nisso, eu sempreeee me sinto MUITO grato por todas essas experiências, mesmo que sejam desagradáveis e acho que a galera do outro lado que gosta de mim deve saber muito disso. kkk

Sério, muitas vezes tenho alguma experiência bastante complicada e acordo eufórico. Geralmente penso comigo mesmo "CARAMBA, tudo isso existe mesmo" e me sinto muito feliz.

Quando conto isso pra algumas pessoas, elas me dizem "Se tá maluco, corre pra uma igreja, vai procurar um padre ou um centro espírita" kkkkk O pessoal fica apavorado, mas se o negócio é real mesmo, prefiro saber de vez e melhorar o que tenho que melhorar.

Em 18/10/2017 at 09:05, Iogui disse:

Compreender a necessidade de desapego é importante mas é preciso tomar cuidado para não confundir desapego com descaso, falta de cuidado ou negligência.

O desapego deve ser corretamente cultivado por quem se esforça para se ver livre das prisões do ego mas nisso também assim como em tudo o mais é importante ter equilíbrio e discernimento. Lembre-se que o caminho do meio costuma ser a escolha mais sábia.

Sendo assim, não tenha apego mas não abandone, não desista e não descuide dos deveres.

Apenas viva de forma leve e aprenda a seguir o fluxo da vida com contentamento que tudo tende a se acertar.

Meu amigooooo, tá ai uma grande dúvida minha. Onde fica esse tal caminho do meio? Eu sempre fico perdido entre os dois extremos e raramente consigo andar no meio. kkkk

Tenho a impressão de que a estrada lá é bastante estreita e sinuosa e eu pareço um carro velho, com pneus carecas, na chuva, tentando manter-se na pista.

Fiz terapia por alguns dias e minha terapeuta, holística, sempre dizia que eu deveria fluir com a vida. O problema é que eu não sei sei fluir. Devo fazer como a música "deixa a vida me levar, vida leva euuuu" ou devo lutar com unhas e dentes pra conseguir as coisas? Quando devo fazer uma coisa e quando devo fazer outra? E quando devo ficar no meio termo?

Esse é o problema né amigo. Não existe receita de bolo, o negócio é que precisamos ter discernimento para escolher sabiamente diante de cada nova situação que nos surge e pra termos isso, só com muita experiência e sabedoria.

 

Em 18/10/2017 at 22:00, janus disse:

Olá amigo.

 

Boa parte desses anseios é normal pra todo mundo, faz parte. Com o tempo, boa parte das nossas amizades se afasta e só vai ficando aqueles mais especiais, que dura a vida. Antes eu ficava meio triste comigo mesmo pq eu ia perdendo contato conforme mudava de escola, e depois de cidade pra estudar na faculdade. Logo vi que outros amigos apareciam e agora, um a um, com os amigos da facul está sendo bem difícil de nos vermos, correria, cada um indo prum lado. Eu sempre me esforcei um bocado pra reunir o pessoal, ou da minha cidade de origem ou da facul, mas dificilmente encontrava eco. Tipo pregar no deserto.

Logo ascendeu uma luz de que isso era uma puta oportunidade pra introspecção e paciência (não só por isso, tive uns problemas de saúde que, pelo timing exato, redondo, perfeito da coisa, só podia interpretar como o universo gritando comigo para ter paciência, mas paciência pra valer e a partir daí minha vida começou a mudar pra melhor mesmo, inclusive alguns problemas de saúde, pela graça de Deus, foram sumindo). Hj eu não ligo mais, simplesmente vivo tentando cultivar em mim o desapego, que como o Iogui bem ressaltou, não é o mesmo que descaso. E no meu coração guardo um carinho imenso por cada uma dessas pessoas. Quem sabe se nos reencontramos um dia...ou não, tanto faz, há muito o que desfrutar da vida por aí, muita para preencher. Essas coisas mais pessoais não disse pra diminuir ninguém ou me expor a toa, apenas para ilustrar pra vc, amigo, que eu também passei por algo parecido, e hj vejo que aprendi um bocado e tinha que passar por isso. Não se condene ao imobilismo e nem brigue com a vida. Há muito o que ser feito e admirado. Vai com calma.

E pelo que venho observando ao meu redor, com família, irmãos e amigos, não é que eu esteja competindo com as outras pessoas ou me sinta superior, bemmmm longe disso, mas vejo que eu lido com as transições, mudanças, início e fins de ciclos pela vida com muito mais naturalidade do que a maioria das pessoas. Não significa que eu não tenha medo ou insegurança. Tenho sim, porém procuro aprender com essas situações. Cada cenário te procriará novas oportunidades, cada porta fechada é uma outra aberta, vc "só'' precisa ver com mais atenção.

 

Boa sorte cara.

Meu amigo. Eu preciso MUITO aprender isso, como ter essa tal da paciência que tanto falam por aí.

Parece que quanto mais envelheço mais ansioso eu fico. Me da uma sensação que já não me resta muito tempo para fazer tantas coisas que sempre quis fazer.

Citar

(não só por isso, tive uns problemas de saúde que, pelo timing exato, redondo,

Amigo. É exatamente isso que está me ocorrendo.

Andei sendo muito "controlador" e tentei controlar coisas incontroláveis. Não só coisas, mas também tentei controlar pessoas e o resultado foi catastrófico. Então acabei desenvolvendo um monte de problemas de saúde. Problemas de pele, estomago, dores na coluna, LER no meu pulso direito, tive crises fortes de ansiedade e princípios de ataques de pânico, meu sistema imunitório virou uma bagunça e comecei a pegar várias infecções aleatórias e uma série de outros problemas. Resumindo, meu corpo virou um caos.

Perdi quase 7kg em poucos dias. "Excelente receita pra perder peso, entre em crise. Ou você perde peso ou ganha kkkk"

Estava quase sem barriga já e como dizem, um homem sem barriga é um homem sem história pra contar. Então eu estava perdendo minhas histórias. :( kkkk

Diante desta situação caótica resolvi deixar as coisas funcionarem por si próprias por algum tempo. Pelo menos por alguns dias, que era o máximo que eu almejava conseguir. E não é que deu certo? Aliás, muito certo não deu, mas as coisas se ajeitaram um bocado sem a minha intervenção.

Acho que da pra intervir na vida de três formas. A forma negativa, quando se tenta controlar tudo e acaba fazendo as coisas piorarem ainda mais. A forma neutra, quando se vive sem ligar muito pras coisas, então o universo acaba fazendo tudo funcionar de um jeito ou de outro. Por fim, a forma positiva, quando se tem autocontrole e equilíbrio o suficiente pra fazer as coisas darem certo do jeito certo.

O problema de tudo isso é que precisamos errar para aprender a acertar. Então acho que errar neste caso torna-se importante e parte do processo natural de evolução.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Lightium, comece a meditar. Muitos dos seus problemas você conseguirá resolver com o tempo. É só uma questão de vc se propor a fazer algo e realiza-la, independente do que possa acontecer. Com o tempo vc pode ir incrementando mais práticas e ir observando os resultados.

Share this post


Link to post
Share on other sites
9 horas atrás, MichelleA disse:

Lightium, comece a meditar. Muitos dos seus problemas você conseguirá resolver com o tempo. É só uma questão de vc se propor a fazer algo e realiza-la, independente do que possa acontecer. Com o tempo vc pode ir incrementando mais práticas e ir observando os resultados.

Lightium, faço minhas as palavras da MichelleA. Quer-me parecer que você não tem objetivos na vida e anda um pouco "ao sabor do vento". Você diz que não tem emprego nem curso superior; com 33 anos já é tempo de fazer algo a esse respeito. Pense num curso ou profissão que gostaria de ter e parta para isso. Trace um objetivo para a sua vida e divida esse objetivo em pequenas tarefas. Depois é só ir cumprindo essas "pequenas tarefas" uma a seguir à outra. Vai ver que é fácil. ;-)

Atenção que não estou criticando nem a chamá-lo de vagabundo. :) Apenas penso que você precisa de encontrar uma ocupação que absorva algum do seu tempo livre e onde se sinta útil.

Abraço

Share this post


Link to post
Share on other sites

Me usando de uma analogia, imagine que a nossa vida é um oceano aonde estamos em um barco para atravessá-lo. Sem uma rota definida ficamos à mercê do que o mar nos apresentar, vamos para onde as ondas nos levarem. Por isso é prudente traçar um objetivo e assim navegar na direção deles. Existem momentos de tempestade e de calmaria, de mar agitado com ondas grandes e mar calmo com poucas ondas. Por isso é preciso que sejamos bons navegadores e só se torna melhor em navegar quem encara as ondas com determinação e fé em sua jornada. A experiência é o que constrói isso. Nos momentos de tempestades poderemos odiar o mar, mas ao chegar em nosso destino o agradeceremos, pois aqueles difíceis testes nos tornaram hábeis a chegar ao fim da travessia. Sugiro que trace sua meta e comece a navegar em direção dela. Quando as ondas grandes e as tempestades chegarem, use o amor em resposta a elas, não se abale e foque-se naquilo que deseja. 

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
45 minutos atrás, Infinite disse:

Me usando de uma analogia, imagine que a nossa vida é um oceano aonde estamos em um barco para atravessá-lo. Sem uma rota definida ficamos à mercê do que o mar nos apresentar, vamos para onde as ondas nos levarem. Por isso é prudente traçar um objetivo e assim navegar na direção deles. Existem momentos de tempestade e de calmaria, de mar agitado com ondas grandes e mar calmo com poucas ondas. Por isso é preciso que sejamos bons navegadores e só se torna melhor em navegar quem encara as ondas com determinação e fé em sua jornada. A experiência é o que constrói isso. Nos momentos de tempestades poderemos odiar o mar, mas ao chegar em nosso destino o agradeceremos, pois aqueles difíceis testes nos tornaram hábeis a chegar ao fim da travessia. Sugiro que trace sua meta e comece a navegar em direção dela. Quando as ondas grandes e as tempestades chegarem, use o amor em resposta a elas, não se abale e foque-se naquilo que deseja. 

É isso mesmo Infinite. Sem objetivos andamos à deriva, ao sabor das ondas, do vento e das correntes. Há que traçar uma "rota" para a nossa vida porque o tempo vai passando e se nada fizermos podemos acabar por desperdiçar uma reencarnação completamente (se é que isso é possível).

É claro que isto é mais difícil de fazer do que dizer, mas como eu gosto de dizer " se isto fosse fácil estavam cá outros". :)

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest Honeymoon

Eu não reclamo mais dessa vida há muito tempo, acho que desde que meu inferno astral me jogou no fundo do poço com o pior quadro depressivo que eu já passei na vida, aos 19 anos, eu comecei a olhar tudo de forma diferente. Eu só sabia que precisava conquistar um espaço com janela para ver o céu e mais nada, porque eu fiquei 3 anos "enjaulada" vivendo em um quarto cuja única janela dava para um poço coberto por telhas sujas, sem ventilação, muito quente (uns 36ºC) e com baixa luminosidade, não me deixavam mais sair de casa porque já tinha acabado a escola, minha avó tinha falecido e eu não tinha dinheiro prá nada e também não me davam emprego lá fora. Foi o pior momento da minha vida, eu conversei até com monges de outro país por telepatia, porque a única coisa que me restava era ficar concentrada nas paredes mofadas daquele quarto, achando que era tudo invenção da minha cabeça.

Pode ser um momento pessoal imperfeito o seu agora, mas viver aqui vale a pena. Você ainda tem braços e pernas, fala, vê e ouve, e o melhor de tudo é que já sabe que pode sair do corpo quando investir na sua concentração, então, por que pensar assim?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 20/10/2017 at 00:44, MichelleA disse:

Lightium, comece a meditar. Muitos dos seus problemas você conseguirá resolver com o tempo. É só uma questão de vc se propor a fazer algo e realiza-la, independente do que possa acontecer. Com o tempo vc pode ir incrementando mais práticas e ir observando os resultados.

Olá Michelle. Tudo bem? :) Eu já medito, aliás, meditava. Já faz algum tempo que não tenho conseguido/tentado/tirado tempo para meditar. 

Há uns 20 dias tive uma experiência bem interessante com meditação e fiquei bastante empolgado, mas infelizmente não fui disciplinado o suficiente para continuar.

Meditação é excelente mesmo, tenho que voltar a praticar.

Grato pela indicação. :):)

 

Em 20/10/2017 at 10:31, albaman disse:

Lightium, faço minhas as palavras da MichelleA. Quer-me parecer que você não tem objetivos na vida e anda um pouco "ao sabor do vento". Você diz que não tem emprego nem curso superior; com 33 anos já é tempo de fazer algo a esse respeito. Pense num curso ou profissão que gostaria de ter e parta para isso. Trace um objetivo para a sua vida e divida esse objetivo em pequenas tarefas. Depois é só ir cumprindo essas "pequenas tarefas" uma a seguir à outra. Vai ver que é fácil. ;-)

Atenção que não estou criticando nem a chamá-lo de vagabundo. :) Apenas penso que você precisa de encontrar uma ocupação que absorva algum do seu tempo livre e onde se sinta útil.

Abraço

Olá amigo. Imagina, toda critica construtiva é sempre bem vinda. :)

Não tenho emprego fixo, mas tenho profissão. Só não sou muito de procurar trabalho kkkkkk

Você acertou em cheio, estou mesmo deixando a vida me levar.  Ta aí uma coisa que sempre me deixou dúvidas. Será que devo "fluir" com a vida ou "pressionar" as coisas? Acho que o mais certo é mesmo o caminho do meio, quero dizer, nem fluir totalmente, nem pressionar nada. Meio confuso né?

Abração.

Em 28/10/2017 at 20:21, Caroline disse:

Eu não reclamo mais dessa vida há muito tempo, acho que desde que meu inferno astral me jogou no fundo do poço com o pior quadro depressivo que eu já passei na vida, aos 19 anos, eu comecei a olhar tudo de forma diferente. Eu só sabia que precisava conquistar um espaço com janela para ver o céu e mais nada, porque eu fiquei 3 anos "enjaulada" vivendo em um quarto cuja única janela dava para um poço coberto por telhas sujas, sem ventilação, muito quente (uns 36ºC) e com baixa luminosidade, não me deixavam mais sair de casa porque já tinha acabado a escola, minha avó tinha falecido e eu não tinha dinheiro prá nada e também não me davam emprego lá fora. Foi o pior momento da minha vida, eu conversei até com monges de outro país por telepatia, porque a única coisa que me restava era ficar concentrada nas paredes mofadas daquele quarto, achando que era tudo invenção da minha cabeça.

Pode ser um momento pessoal imperfeito o seu agora, mas viver aqui vale a pena. Você ainda tem braços e pernas, fala, vê e ouve, e o melhor de tudo é que já sabe que pode sair do corpo quando investir na sua concentração, então, por que pensar assim?

Olá Caroline...

Olha só, que barra você passou. :(

Sofro de vários problemas emocionais e também passei por momentos complicadíssimos, estes que talvez tenham sido necessários para meu desenvolvimento e transformação interior.

Não sei de nada mesmo, só tenho certeza de uma coisa, amadureci MUITO com o passar dos anos e hoje vejo o mundo com outros olhos. Algumas coisas em mim melhoraram outras parecem ter piorado.

Perdi a inocência de criança e hoje vejo tudo com desconfiança, em contrapartida, fiquei mais sério, mais centrado e mais realista. O problema é que as vezes acho que endureci demais e estou começando a ficar ranzinza.

Esses dias li uma frase assim: "Chega um momento na vida que não da mais para negar que você se tornou o Lula Molusco"

Abraçoss. :)

chega-um-momento-na-vida-que-nao-da-mais-pra-1235901.png

Share this post


Link to post
Share on other sites

É importante também sempre se manter equilibrado, tanto nos acontecimentos bons como nos ruins, a meditação é ótimo, como vc mesmo percebeu. Problemas todo mundo tem, como cada um lidar com o seus que te define.

Vc não fez as melhores escolhas na vida e hoje você não gosta de onde está? Vc continua tendo a opção de mudar tudo isso, basta querer e ter vontade. Não adianta ficar esperando cair nads do céu, se vc não se mexer, vai continuar onde esta.

Comece mudando seu padrão de pensamentos. Auto-observação é fundamental.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 31/10/2017 at 23:58, MichelleA disse:

É importante também sempre se manter equilibrado, tanto nos acontecimentos bons como nos ruins, a meditação é ótimo, como vc mesmo percebeu. Problemas todo mundo tem, como cada um lidar com o seus que te define.

 

Olá Michelle. Que conselho maravilhoso. Muitíssimo grato.

 

Em 31/10/2017 at 23:58, MichelleA disse:

Comece mudando seu padrão de pensamentos. Auto-observação é fundamental.

Ta aí algo importante a se fazer. 

Atualmente acredito que toda mudança verdadeiramente significativa começa de dentro para fora.

A mudança de fatores externos muitas vezes ajuda, mas precisamos mudar internamente. Ainda mais se realmente temos grande poder de manipulação da realidade física e criação da própria realidade, a mudança interna torna-se extremamente necessária.

É o que tenho percebido, preciso mudar internamente, pois enquanto eu não mudar, os fatos continuarão se repetindo.

Abração. :)

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest Honeymoon

Volte seus olhos para algo que te renove a fé. Eu, por exemplo, ancorei meu arcanjo pois já sentia a presença forte dos anjos na minha vida desde pequena. Senti que deu muito certo, eles me ajudam a me reequilibrar até quando meus pensamentos estão teimando em me destruir internamente. O Wagner Borges é bastante universalista no sentido das crenças. talvez assisti-lo por uns momentos possa te trazer algum outro grupo de mentores com quem você se identifique mais e passe a solicitar amparo. Por mais que estudemos para sermos independentes, sempre será necessário contar com a ajuda certeira de alguém com uma visão mais ampla.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá pessoal...

Novamente mil desculpas pela ausência, só agora que fui ver as novas respostas. Andei meio afastado do fórum. Entro de vez em quando ler algum relato, mas acabo não participando.

Em 28/10/2017 at 20:21, Honeymoon disse:

Eu não reclamo mais dessa vida há muito tempo, acho que desde que meu inferno astral me jogou no fundo do poço com o pior quadro depressivo que eu já passei na vida, aos 19 anos, eu comecei a olhar tudo de forma diferente. Eu só sabia que precisava conquistar um espaço com janela para ver o céu e mais nada, porque eu fiquei 3 anos "enjaulada" vivendo em um quarto cuja única janela dava para um poço coberto por telhas sujas, sem ventilação, muito quente (uns 36ºC) e com baixa luminosidade, não me deixavam mais sair de casa porque já tinha acabado a escola, minha avó tinha falecido e eu não tinha dinheiro prá nada e também não me davam emprego lá fora. Foi o pior momento da minha vida, eu conversei até com monges de outro país por telepatia, porque a única coisa que me restava era ficar concentrada nas paredes mofadas daquele quarto, achando que era tudo invenção da minha cabeça.

Pode ser um momento pessoal imperfeito o seu agora, mas viver aqui vale a pena. Você ainda tem braços e pernas, fala, vê e ouve, e o melhor de tudo é que já sabe que pode sair do corpo quando investir na sua concentração, então, por que pensar assim?

Olá Honeymoon. Peço desculpas novamente pela demora em responder. Li sua resposta e achei seu caso fantástico.

Você passou por uma tremenda barra e deu a volta por cima. Isso é bastante inspirador.

Gratidão por compartilhar um pouco da sua história conosco.

Em 09/11/2017 at 05:01, Honeymoon disse:

Volte seus olhos para algo que te renove a fé. Eu, por exemplo, ancorei meu arcanjo pois já sentia a presença forte dos anjos na minha vida desde pequena. Senti que deu muito certo, eles me ajudam a me reequilibrar até quando meus pensamentos estão teimando em me destruir internamente. O Wagner Borges é bastante universalista no sentido das crenças. talvez assisti-lo por uns momentos possa te trazer algum outro grupo de mentores com quem você se identifique mais e passe a solicitar amparo. Por mais que estudemos para sermos independentes, sempre será necessário contar com a ajuda certeira de alguém com uma visão mais ampla.

Olá novamente. :)

Excelentes conselhos. Gratidão. :)

Passei por momentos da minha vida quando tive grande interesse por espiritualidade e muitas coisas fantásticas aconteceram.

Acho que nesta época eu tinha bem mais contato com seres do bem. Atualmente não sei se desistiram de mim kkkk ou se perdi mesmo a capacidade de receber alguma coisa deles.

Abração.

Em 31/12/2017 at 16:09, sandrofabres disse:

Procurando um outro livro na Amazon, nas sugestões apareceu este: Budismo com Atitude.pdf

Achei que poderia ser útil a quem, como você lightium, tenha essas inquietações.

Olá Sandro....

Muitíssimo grato pela indicação.

Abração.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 17/10/2017 at 20:04, lightium disse:

Preciso de dinheiro, do mínimo de conforto e de pessoas. Não quero morrer na miséria e na solidão.

Realmente nao ha como ter paz e sossego se falta o basico de bem material e conforto, tem que tentar contornar isso....pessoas ? bem, se forem pessoas equilibradas e que te agreguem algo, otimo, senao, sera que realmente faria falta ? reflita. Voce so vai morrer na miseria e na solidao se vc nao tomar alguma atitude firme agora para mudar esse quadro. Foque no que realmente é importante, seu bem estar HOJE,  um dia de cada vez, lembre-se, a gente nao controla muita coisa ou quase nada na verdade, vc sabe disso muito bem, estamos sim de certa forma presos em diversos tipos de corrente, seja ela material, karmica, emocional...estar encarnado é um desafio diário. Inclusive esses dias eu postei uns resmungos aqui no forum, similares ao seu.rs. Mas minha irritaçao mesmo é mais com o plano astral x plano fisico, mas isso é um outro assunto...Nao esmoreça. Ore, medite, cerque-se de boas vibraçoes.

Citar

No fundo, estamos todos perdidos e com medo

Não diria todos, mas a maioira esmagadora das pessoas , sim. Eu tenho a percepçao que nos que temos conhecimento do mundo espiritual, deveriamos estar mais preparados pra lidar com tanto choque a que somos submetidos diariamente, mas sinceramente, tudo isso cansa, e eu entendo perfeitamente suas palavras. Mas se entregar é pior, tem que reagir e ponha uma coisa na sua cabeça, nada dura muito tempo e essa nossa "vida" aqui passa rapido rapaz..ja ja estaremos de volta ao plano astral.....Eu faço 40 anos daqui uns meses e me pergunto, caramba ja passou rapido assim ? quanto tempo me sobra aqui neste plano ? Diria que é um misto de alivio e frustraçao tambem, não da pra ter tudo, nao da pra saber/ estudar tudo, não aqui neste plano onde a passagem do tempo não condiz com a percepçao de tempo que se tem ( ou nao se tem ) no astral. Força pra ti, nao deixe a peteca cair....grande abraco.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.