• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
Robert

Tretas com o Laércio Fonseca?

Recommended Posts

Oi amados, acho que o Sandro é a pessoa do fórum que mais curte o trabalho do Laércio, mas devem ter outros usuários também que curtem. A pergunta é, de onde vem toda essa polêmica do Laércio com outros espiritualistas e ufólogos? É por causa dos Greys?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Em relação a espiritualistas acho que o problema é os grays mesmo. É bem "conhecido" que os  grays são os famosos "Ets negativos". Hà várias raças  criando problemas, mas os grays acho que são os mais conhecidos, desde as ondas de abduções que surgiram a partir dos anos 50, Então o cara dizer que não existe Et negativo é meio cômico. Claro que tem mentores grays também, esse problema não é da raça toda, assim como não se pode dizer que todos os terráqueos são maus né?

Já com ufólogos, pelo que sei, o problema é que pelo menos no Brasil a turma da Revista Ufo, em torno da qual se reúnem os ufólogos, é materialista. A impressão que dá é que todo o trabalho deles  é feito para gerar uma explicação alteranativa  à espiritualidade, meio ao estilo de "Eram os Deuses astronautas", mas ao mesmo tempo eles se esforçam em destruir a credibilidade de qualquer um que tenha contatos mais úteis. Se a pessao filmou uma coisa estranha no céu, ou viu umas luzinhas, ok, isso não desafia demais a mente materialista, fica na zona "há, de fato há algo lá fora". Mas se disser "conversei com eles na boa, amigavelmente", aí eles já tentam de todas as formas atacar o sujeito. É bem estranho.

Em 1986, quando eu tinha 16 anos,  eu era assinante da primeria revista técncia de parapsicologia que foi criada no Brasil. Primeira e única acho. A Parapsicoloiga Hoje. Durou seis meses apenas, e logo se fundiram com a revista de Ufologia, chamada Ufologia Nacional e Internacional, que devido a fusão se chamou PSI UFO. Não renovei a assinatura, porque já tinha notado esse traço bobalhão na turma da Revista Ufo.

Passados todoso esses anos, agora em tempo de internet, no ano 2000 entrei num grupo de desobsessão, que trabalhava com mentores Ets. Vi o tal Ashtar Sheran, por clarividencia, antes de saber quem ele era, ou memso saber como se pronunciava sewu nome, meus colegas falavam e eu achava que era  algo "Xtar Xexam", e pensava "do que esses doidos estão falando? Ets? Xtar xexam, eu hein????

Só quando vi na capa do livro Semeadores da vida, o desenho rudimentar do Ashtar, foi que o reconheci e falei para o líder do nosso grupo "ei, esse cara aqui na capa´foi aquele que vi aqui conosco aquele dia!":

semeadores da vida.jpg

E o líder do nosso grupo disse:

- Sim, esse é o mentor que coordena nossos trabalhos o Ashtar Sheran

Só aí eu fui querer saber quem era o sujeito, li o livro e pela primeira vez entendi que ufologia e espiritualidade anda lado a lado. Foi a turma da Revista Ufo que me fez ver ufologia como "desculpa de materialista para explicar o inexplicável".

E aí fui atras do que eles estavam fazendo atualmente, e descobri que não mudaram nada, continuam presos na mesma mentalidade atrasada que só quer saber de disquinho e luzinha.

Produzem livros como este, que até comprei, mas depois joguei fora, num lixão mesmo desse de rua, porque a única finalidade desse livro é contar os relatos mais famosos, para tentar alegar que cada um deles é maluquce:

cnot_3366.jpg

É uma mentalidade como a de religiosos , que aceitam que Jesus fazia milagres, mas que alegar que cada manifestação paranormal de outros é fraude. O mito desafia menos do que o dia a dia né?

Depois lançaram uma série de revistas sobre o tema contatados. Compei a coleção, não lembro se eram 5 ou 7. Aí fui ver... é toda tirada do livro acima! Mais difamação, parece a Revista Veja! Então, a revista é minha, paguei por ela, faço o que quiser dela... escaneei o caso sobre o grupo que deu origem ao livro Semeadores da vida e deletei as opiniões trouxas deles, deixando só as INFORMAÇOES. Assim posso repassar para quem se interessa pelo tema, sem ajudar a semear as bobagens opinatiivas deles.  Se quiserem olhar, está aqui.

MIssão rama sem opiniões.pdf

Onde notarem retângulos brancos, como estes, eram as opiniões desnecessárias deles, que retire, porque condicionam o leitor sem no entanto estarem fundamentadas:

Screenshot_12.jpg

O único cara desse grupo da Revista Ufo em que não notei esse viés bobo, é o Marco Antônio Petit. Tanto que ele tem um livro como este, em que ele parece ter percebido que tem algo mais nesse tema do que ficar procurando luzinhas no céu.

cnot_1006.jpg

Eu tenho aqui uma palestra do Marco Petit sobre o Ashtar, que traz o tipo de questionamentos necessário, sóbrio, sobre o tema, em relação aos relatos de contatados pelo Ashtar. https://drive.google.com/file/d/0ByXGi2vq5-wsdDZocTh3SFJ3Z1U/view?usp=sharing (Tem que descompactar para assistir, está no formato 3gp, para ficar pequeno. Se quiserem qualidade boa, ele vende DVds com essa palestra gravada, talvez por RS20 hoje em dia). E até ele comenta, no tempo 6:50, como ele sofreu algum questionamento dentro da ufologia, ao escrever um livro como  o acima.

Depois de ver uns videos do Láercio em que ele dizia que o pessoal da ufologia casuística não gostava muito dele e tal... entendi que devia ser pelo mesmo problema que eu tinha percebido na turma da Revista UFO. O trabalho deles pode ser interessante para quebrar ceticismo daquele povo ainda bem ignorante nesses temas, mas nunca avançaram além do conceito básico "não somos a única espécie inteligente no universo". É um foco meramente "biológico", como quem pesquisa um novo tipo de sapo, ehehe.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
10 minutos atrás, Aritmética disse:

Devem existir seres que a nossa cognição nem consegue definir ou até mesmo detectar. É como a analogia de uma TV de LED transmitindo um filme ao lado de uma 'água viva'. O ser não teria como perceber a presença nem mesmo identificar ou formar uma resposta cognitiva da TV. Estamos numa espécie de aquário administrado por seres elevados

Ah sim, também acho. E isso inclui até memso o que puder ser detectável visualmente. Aí nossa mente simiesca olha e não sabe o que está vendo:

Eu nem achei agora, acho que está numa coelção de 6dvds que tenho, da revista ufo, com filmagens de todo o mundo. Numa delas voce vê uma bola luminosa grande, andando bem devagarinho no céu, em pleno dia, e acompanhado por duas ous tres bolinhas menores, que se movem em torno dela, parece uma pata passeando com seus patinhos, bem estranho, eheheh. Atravessam a tela de ponta a ponta. Outras filmages envovlem uma única bola, luminosa, que se divide em duas, tres seis, depois se fundem, e vão embora. Vamos chamar isso de "naves" Complica né? Me sinto dentro de um aquário mesmo, quando vejo isso.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Qualquer um é livre para odiar, mas o trabalho do Professor Laércio é realmente fantástico. Todos os seminários e palestras que assisti ele passa os seus conhecimentos de forma honesta e muita rica. (O seminário Projeto Terra em oito volumes foi uma das melhores experiências pra mim.) Eu também acredito que ele não tenha razão em 100% das coisas que fala, mas cabe a quem esta em contato com o material filtrar o que foi dito e analisar, acho que por isso tanta gente odeia ele. Ele fala algo que eles rejeitam e automaticamente cria-se uma aversão. Já senti isso assistindo algumas das palestras, incomoda quando você se sente ofendido ou identificado por algo que ele fala... só que eu to ali pelo conhecimento então nunca me deixei afetar. Só sei uma coisa: Melhorei muito desde que somei o trabalho dele aos meus estudos, tem um longo caminho pela frente mas ele faz pelas pessoas muito mais do que qualquer "alienígenas do passado" já fez, que é criar medo, dúvida, incerteza e só deixa as pessoas cada vez mais presas em ilusões e confusas. Pelo que vejo e conheço a galera da revista Ufo tá do lado contrário a isso, que é realmente fazer esse trabalho de relatos, avistamentos, teorizar... E eles não vão aceitar que ninguém chegue e fale: eu tive contato. Nunca, porque são ELES os especialistas do assunto. É a mesma lógica das religiões.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
31 minutos atrás, Aritmética disse:

Dizem que eles andam entre as pessoas em centros espíritas, igrejas e etc.

Sim, andam direto. Eles são a força por trás do fundamentalismo religioso, não da religião equilibrada, obviamente, mas por trás dos grupos extremistas. E também foram uma influência dominante no nazismo. Alias, se você olhar para os lados e perceber o que anda rolando no mundo, com o crescimento do fundmentalismo, e  no clima político não só no brasil, vai notar que eles estão bem atuantes de poucos anos para cá, por isso está parecendo que estamos tendo um tipo de retrocesso de mentalidade, de volta aos anos 30-40. Um sinal bem característico que os não médiuns podem usar para detectá-los é irritabilidade sem motivo, e pressão na garganta, como se estivessem vestindo um tipo de coleira larga, de couro, no pescoço. 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
13 horas atrás, Robert disse:

Oi amados, acho que o Sandro é a pessoa do fórum que mais curte o trabalho do Laércio, mas devem ter outros usuários também que curtem. A pergunta é, de onde vem toda essa polêmica do Laércio com outros espiritualistas e ufólogos? É por causa dos Greys?

Minha opinião é a mesma do Sandro. A "polêmica" com os espiritualistas é por ele negar a existência dos ET's negativos (dentre eles estão os greys, que realmente parecem ser os mais atuantes). Com os ufólogos, é que o mainstream dessa área me parece ser a chamada ufologia casuísta que lida apenas com as evidências físicas do fenômeno como por exemplo as luzes e marcas no solo. Realmente existe certo preconceito com aqueles adeptos da ufologia mística ou esotérica. 

8 horas atrás, sandrofabres disse:

escaneei o caso sobre o grupo que deu origem ao livro Semeadores da vida e deletei as opiniões trouxas deles, deixando só as INFORMAÇOES. Assim posso repassar para quem se interessa pelo tema, sem ajudar a semear as bobagens opinatiivas deles.  Se quiserem olhar, está aqui.

MIssão rama sem opiniões.pdf

Existe um livro chamado "OVNI's S.O.S à Humanidade" do J.J. Benitez. Ele viajou até o Peru e conviveu um tempo com o pessoal da Missão Rama. Ele passa o livro escrevendo o que o pessoal desse grupo falou para ele. Sobre as dimensões, deus, evolução, etc. Sempre cético. Até que no último capítulo ele descreve uma vigília ufológica aonde foram para um local bem afastado e ele próprio viu os OVNI's fazendo uma aparição para o grupo. Todo o ceticismo caiu por Terra. Ele disse que até ficou dois dias sem dormir de tão impressionado hehe

Link: https://pt.scribd.com/document/97063246/J-J-Benitez-Ovnis-SOS-A-Humanidade

3 horas atrás, Aritmética disse:

 Estamos numa espécie de aquário administrado por seres elevados e mantido pelos greys.

As paredes do aquário são nossa mente e não a realidade em si. O aquário "somos nozes" hehe E esse "mantido" pelos greys devem ser ideias que eles implantaram em você porque eles controlam pelo medo e se alimentam de energias negativas. Por isso adoram falar que estão no controle absoluto, mas ele sempre é dependente de se estar na vibração dos valores invertidos que eles disseminam, que no caso dos greys é o fundamentalismo. 

3 horas atrás, sandrofabres disse:

 Numa delas voce vê uma bola luminosa grande, andando bem devagarinho no céu, em pleno dia, e acompanhado por duas ous tres bolinhas menores, que se movem em torno dela, parece uma pata passeando com seus patinhos, bem estranho, eheheh. Atravessam a tela de ponta a ponta. Outras filmages envovlem uma única bola, luminosa, que se divide em duas, tres seis, depois se fundem, e vão embora. Vamos chamar isso de "naves" Complica né? Me sinto dentro de um aquário mesmo, quando vejo isso.

Ao que parece essas pequenas são sondas. 

Citar

Eu realmente acredito que eles sejam os "anjinhos" das representações artísticas cristãs.

Não necessariamente. Existe toda uma gama de seres extrafísicos, sejam terrestres ou extraterrestres (isso me referindo ao espaço/tempo e os planos internos de nosso planeta). Os mentores e outras entidades dos planos internos no passado se utilizavam de aparências de anjos. Além disso, existem entidades angélicas, arcanjos, etc. No astral a forma é a última coisa relevante hehe Recomendo um livro sobre o papel dos anjos na literatura antiga "Auxiliares Invisíveis" do Leadbeater: http://tattwa.org.br/livros/Leadbeater - Auxiliares invisiveis.pdf

Share this post


Link to post
Share on other sites
30 minutos atrás, Infinite disse:

Existe um livro chamado "OVNI's S.O.S à Humanidade" do J.J. Benitez. Ele viajou até o Peru e conviveu um tempo com o pessoal da Missão Rama. Ele passa o livro escrevendo o que o pessoal desse grupo falou para ele. Sobre as dimensões, deus, evolução, etc. Sempre cético. Até que no último capítulo ele descreve uma vigília ufológica aonde foram para um local bem afastado e ele próprio viu os OVNI's fazendo uma aparição para o grupo. Todo o ceticismo caiu por Terra. Ele disse que até ficou dois dias sem dormir de tão impressionado hehe

E depois vem na revista UFO dizer que não sabe o que viu. Fez fama em cima dos caras, depois nega. Bom, se ele mentiu, exagerou para se promover, então que dissesse. Aí sim seu depoimento mais recente poedria trazer alguma luz sobre isso. Mas se ele não emntiu lá atras, na época, então ele não deixou dúvidas sobre a questão, e agora está agindo como um covarde, "jogando pedra na Geni".

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 horas atrás, Aritmética disse:

Eu realmente acredito que eles sejam os "anjinhos" das representações artísticas cristãs.

Acho que você fez essa comparaçaõ pelo "inhos" né? Porque os Anjos bíblicos são tão identicos oas humanos que você nota nos relatos que os encarnados só sabem que são anjo, quando eles chegam perto. A maioria dos relatos começa "então vinham dois homens"... aí quando chegam perto, notm que são anjos. Porque? Algum insignia na roupa? Algum traço na fisionomia que só pode ser percebido de perto? Não poderiam, portanto, serem greys, tem que ser humanóides.

Já as aparições de Fátima, se você pesquisar, vai descobrir que as moças nunca viram Virgem Maria, viram uma figura pequena, no tpo da árvore, coberta por uma luz. Figurinha pequenina, delicada, virou mulherzinha... que virou "apariçao da virgem maria. E o facho de luz que "projeta o holograma" virou o manto da Maria, ehehehe. Mas demorou dias, ou meses ate que a igreja católica construisse essa narrativa. Nesse meio tempo as meninas estavam incomunicáveis.

Aqui fala um pouco:

https://portal2013br.wordpress.com/2015/05/15/a-aparicao-de-fatima-contato-imediato-de-terceiro-grau/

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
13 minutos atrás, sandrofabres disse:

E depois vem na revista UFO dizer que não sabe o que viu. Fez fama em cima dos caras, depois nega. Bom, se ele mentiu, exagerou para se promover, então que dissesse. Aí sim seu depoimento mais recente poedria trazer alguma luz sobre isso. Mas se ele não emntiu lá atras, na época, então ele não deixou dúvidas sobre a questão, e agora está agindo como um covarde, "jogando pedra na Geni".

Conhecia esse livro?

E o cara diz que não sabe o que viu? Putz. Porém, no epílogo do livro ele já dava a entender que seguiria por essa linha:

Citar

EPÍLOGO: DOIS DIAS SEM PODER DORMIR

 

Não poderia concluir esta reportagem sem fazer alusão aos dias que seguiram ao para mim indelével 7 de setembro.

Não pude dormir nas duas noites seguintes. Mas, não por que meu estado de ânimo tivesse ficado alterado. Para falar a verdade, o rotundamente inesperado «avistamiento» daqueles dois ovnis só me encheu de surpresa. Por fortuna, penso, apareceram o suficientemente afastados como para que só pudesse ser assim...

A verdadeira razão que me manteve em vela durante aquele tempo foi meu enraizado pragmatismo. Tinha ido aos areais da Chilca absolutamente convencido de que não ia ver nada, de que todo aquilo era irrealizável. E, entretanto, ali acima e à hora prevista, um total de oito pessoas tínhamos presenciado um fenômeno para o que não conseguia encontrar uma explicação terrestre e lógica.

Meu cérebro tratou que decifrar o enigma mediante numerosos raciocínios. Mas, entretanto, tenho que reconhecer que, até o momento, não achei sorte solução.

Podia tratar-se de um avião ou de um helicóptero?

Rotundamente, não. Que avião pode permanecer fixo e verificar semelhantes mudanças de luz?

Que aparelho emite uma luminosidade tão potente?

Se se tivesse tratado de um helicóptero teríamos escutado imediatamente o ruído e seus pilotos de situação se teriam percebido indefectiblemente entre as nuvens. Mas o silêncio era absoluto. Total. Pouco depois, quando ao cabo de várias horas chegávamos a Lima, recordei algo muito concreto e sintomático, em relação com este aspecto do ruído. Durante as duas horas largas que esperamos em «La Mina», o único som que chegava até nós com claridade era o produzido pelos numerosos morcegos que cruzavam a escuridão. Suas vibrações soavam de vez em vez como a corda do arco que acaba de ser distendido.

Entretanto —o recordo muito bem—, minutos antes de que aparecessem os ovnis, aquelas vibrações dos morcegos desapareceram. por que?

Podia tratar-se de um fenômeno meteorológico?

Sinceramente, resulta-me muito difícil de aceitar. Que «fenômeno meteorológico» projeta de repente um raio de luz —perfeitamente cilindrico— para terra?

Podia tratar-se de um globo sonda, de alguma estrela ou, inclusive, da Lua?

Muitíssimo menos. Como digo, durante mais de duas horas me dediquei pacientemente a contemplar o encapotado céu peruano.

E não pude adivinhar o menor rastro de estrelas ou planetas. Nem sequer Vênus, com seu extremada brilhantismo, filtrava-se por entre a muito espesso capa de nuvens.

Quanto ao globo sonda, duvido muito de que a essa altura — umas poucas centenas de metros—, um globo deste tipo possa produzir semelhante luminosidade.

Podia tratar-se de um trucajé, de uma montagem técnica?

Também o analisei cuidadosamente. E, embora lógicamente não posso emitir um julgamento definitivo, que classe de médios se teriam necessitado para levar a cabo sortes aparições e evoluções? Se já resultar muito difícil obter uma projeção de abaixo acima, o que pode ocorrer na hora de tratar de conseguir, além disso, outra projeção de cima abaixo? «

Além disso —pensei—, para que um desplie]gue técnico de semelhante envergadura? Nem o dinheiro nem a popularidade são os objetivos deste grupo do "IPRI* » E isto me consta. Podia tratar-se de uma sugestão coletiva?

É possível. Entretanto, eu penso que para que uma pessoa possa ser hipnotizada —como me apontaram alguns «peritos», mais carregados de má fé que de desejos de esclarecer o assunto— é básico e elementar que dita pessoa se encontre em um estado de ânimo favorável a dito processo hipnótico ou de sugestão. E não me cansarei de repetir que naquela noite de 7 de setembro, precisamente, minha mente e meu humor não eram muito «positivos» e «manejáveis», que digamos...

Por outra parte, como explicar o fato de que não todos observássemos o primeiro ovni ao mesmo tempo?

Houve um pequeno grupo que se precaveu antes que o resto da presença daquele disco luminoso. Mediaram, pois, uns segundos, crave —em minha opinião— para anular tal possibilidade de sugestão coletiva.

Mas há mais.

Porque, ante minha surpresa, outras pessoas chegaram a assinalar o fato de que «todo aquilo» só foi um fenomenal parapsicológico. E hei aqui a argumentação em questão: Para estes peritos na Parapsicología, aqueles discos luminosos só eram em realidade «porções» de «ectoplasma» extraídas dos corpos dos que ali nos encontrávamos e lançadas ou projetadas ao céu, em forma de ovnis.

É obvio —e embora tenha um profundo respeito pela Parapsicología—, a «explicação» me pareceu mais fantástica, inclusive, que a própria existência dos ovnis. Porque, se muito mérito tiver —a minha fé— arrancar, e situar a 200 ou 300 metros do chão os mencionados «ectoplasmas», «convertê-los», além disso, em naves resplandecentes é já o cúmulo...

Se nenhuma destas explicações encaixa portanto no fenômeno que eu visse na noite de 7 de setembro, a que conclusão podia chegar?

Só a uma: «aquilo» eram realmente ovnis ou objetos volantes não identificados.

E um profundo medo e uma profunda alegria e uma profunda angústia encheram todo meu ser…

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Dei uma olhada na revista que você postou. Os céticos sempre seguem o mesmo modus operandi de ridicularizar as pessoas. Imagina o que os Wells passaram. Lamentável. 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Obrigado pelas respostas.
Bom, eu sei pouco do Laércio. Não gosto muito do posicionamento em relação a algumas coisas, mas preciso estudar mais a visão dele. Adoro os vídeos em que ele trabalha a física.

Eu não tenho absolutamente nenhuma experiência com ets, talvez só com o não nascido rs, que é o sagrado anjo guardião para Crowley e até hoje não se sabe se o que ele contactava era um grey(a priori não faz muito sentido).

O Gevaerd me parece um cara legal, inclusive tem diversas palestras em centros e sempre critica a visão puramente científica do fenômeno ufológico. Parece que a treta é mais séria, ele explicitamente diz que não participa de NADA em que o Laércio participe, isso faz mais de 20 anos, e os dois se conhecem a muito tempo e intimamente . Em um dos vídeos ele diz também nomes de outras pessoas com as quais ele não quer ser vinculado, inclusive o Steven Greer, que por ser conhecido como possível trambiqueiro faz parecer que ele tenha a mesma visão sobre o Laércio.

Eu tenho um super pé atrás com esses contatos extraterrestres, mas porque existem muitos picaretas e pessoas que não analisam muito bem suas experiências. É preciso entender também que quando vamos passar nossa visão espiritual para o próximo, precisa ser algo digerível para a realidade da outra pessoa, se não, corre o risco ou de não servir para nada ou soar como picaretagem. A ufologia luta muito contra a teoria da conspiração e talvez seja por isso que prefiram manter distância da espiritualidade.

Existem muitos clichês nesse espiritualidade muito aberta que são muito convenientes, como o tal ser que quando contactado "se eu te explicar como funciona "minha tecnologia" ou "o mundo" você não entenderia nada". Esse clichê constantemente repetido é muito conveniente, ora, ninguém falou "não tem problema, me dá um registro mesmo assim" ou "me explique então de uma maneira que eu vá entender", etc...essa oscilação desse tipo de espiritualidade me incomoda, essa coisa de nunca saber o que se está fazendo certo, essa coisa de um dia funciona no outro dia não, essa falta de constância desgasta muito.

Óbvio que não são todos, a Nanci por exemplo está seguindo um caminho fantástico e espero que o Laércio realmente continue firme nas teorias físicas dele.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 10/28/2017 at 08:38, sandrofabres disse:

Em relação a espiritualistas acho que o problema é os grays mesmo. É bem "conhecido" que os  grays são os famosos "Ets negativos". Hà várias raças  criando problemas, mas os grays acho que são os mais conhecidos, desde as ondas de abduções que surgiram a partir dos anos 50, Então o cara dizer que não existe Et negativo é meio cômico. Claro que tem mentores grays também, esse problema não é da raça toda, assim como não se pode dizer que todos os terráqueos são maus né?

Já com ufólogos, pelo que sei, o problema é que pelo menos no Brasil a turma da Revista Ufo, em torno da qual se reúnem os ufólogos, é materialista. A impressão que dá é que todo o trabalho deles  é feito para gerar uma explicação alteranativa  à espiritualidade, meio ao estilo de "Eram os Deuses astronautas", mas ao mesmo tempo eles se esforçam em destruir a credibilidade de qualquer um que tenha contatos mais úteis. Se a pessao filmou uma coisa estranha no céu, ou viu umas luzinhas, ok, isso não desafia demais a mente materialista, fica na zona "há, de fato há algo lá fora". Mas se disser "conversei com eles na boa, amigavelmente", aí eles já tentam de todas as formas atacar o sujeito. É bem estranho.

Em 1986, quando eu tinha 16 anos,  eu era assinante da primeria revista técncia de parapsicologia que foi criada no Brasil. Primeira e única acho. A Parapsicoloiga Hoje. Durou seis meses apenas, e logo se fundiram com a revista de Ufologia, chamada Ufologia Nacional e Internacional, que devido a fusão se chamou PSI UFO. Não renovei a assinatura, porque já tinha notado esse traço bobalhão na turma da Revista Ufo.

Passados todoso esses anos, agora em tempo de internet, no ano 2000 entrei num grupo de desobsessão, que trabalhava com mentores Ets. Vi o tal Ashtar Sheran, por clarividencia, antes de saber quem ele era, ou memso saber como se pronunciava sewu nome, meus colegas falavam e eu achava que era  algo "Xtar Xexam", e pensava "do que esses doidos estão falando? Ets? Xtar xexam, eu hein????

Só quando vi na capa do livro Semeadores da vida, o desenho rudimentar do Ashtar, foi que o reconheci e falei para o líder do nosso grupo "ei, esse cara aqui na capa´foi aquele que vi aqui conosco aquele dia!":

semeadores da vida.jpg

E o líder do nosso grupo disse:

- Sim, esse é o mentor que coordena nossos trabalhos o Ashtar Sheran

Só aí eu fui querer saber quem era o sujeito, li o livro e pela primeira vez entendi que ufologia e espiritualidade anda lado a lado. Foi a turma da Revista Ufo que me fez ver ufologia como "desculpa de materialista para explicar o inexplicável".

E aí fui atras do que eles estavam fazendo atualmente, e descobri que não mudaram nada, continuam presos na mesma mentalidade atrasada que só quer saber de disquinho e luzinha.

Produzem livros como este, que até comprei, mas depois joguei fora, num lixão mesmo desse de rua, porque a única finalidade desse livro é contar os relatos mais famosos, para tentar alegar que cada um deles é maluquce:

cnot_3366.jpg

É uma mentalidade como a de religiosos , que aceitam que Jesus fazia milagres, mas que alegar que cada manifestação paranormal de outros é fraude. O mito desafia menos do que o dia a dia né?

Depois lançaram uma série de revistas sobre o tema contatados. Compei a coleção, não lembro se eram 5 ou 7. Aí fui ver... é toda tirada do livro acima! Mais difamação, parece a Revista Veja! Então, a revista é minha, paguei por ela, faço o que quiser dela... escaneei o caso sobre o grupo que deu origem ao livro Semeadores da vida e deletei as opiniões trouxas deles, deixando só as INFORMAÇOES. Assim posso repassar para quem se interessa pelo tema, sem ajudar a semear as bobagens opinatiivas deles.  Se quiserem olhar, está aqui.

MIssão rama sem opiniões.pdf

Onde notarem retângulos brancos, como estes, eram as opiniões desnecessárias deles, que retire, porque condicionam o leitor sem no entanto estarem fundamentadas:

Screenshot_12.jpg

O único cara desse grupo da Revista Ufo em que não notei esse viés bobo, é o Marco Antônio Petit. Tanto que ele tem um livro como este, em que ele parece ter percebido que tem algo mais nesse tema do que ficar procurando luzinhas no céu.

cnot_1006.jpg

Eu tenho aqui uma palestra do Marco Petit sobre o Ashtar, que traz o tipo de questionamentos necessário, sóbrio, sobre o tema, em relação aos relatos de contatados pelo Ashtar. https://drive.google.com/file/d/0ByXGi2vq5-wsdDZocTh3SFJ3Z1U/view?usp=sharing (Tem que descompactar para assistir, está no formato 3gp, para ficar pequeno. Se quiserem qualidade boa, ele vende DVds com essa palestra gravada, talvez por RS20 hoje em dia). E até ele comenta, no tempo 6:50, como ele sofreu algum questionamento dentro da ufologia, ao escrever um livro como  o acima.

Depois de ver uns videos do Láercio em que ele dizia que o pessoal da ufologia casuística não gostava muito dele e tal... entendi que devia ser pelo mesmo problema que eu tinha percebido na turma da Revista UFO. O trabalho deles pode ser interessante para quebrar ceticismo daquele povo ainda bem ignorante nesses temas, mas nunca avançaram além do conceito básico "não somos a única espécie inteligente no universo". É um foco meramente "biológico", como quem pesquisa um novo tipo de sapo, ehehe.

 

 

Meu querido, poderia me esclarecer uma duvida? E quanto a fraternidade branca? Elas dizem que  Ashtar Sheran seria o falso arcanjo Miguel. O que tens a dizer  a respeito?

Link à saber:

http://www.grandefraternidadebranca.com.br/ashtar.htm

Namastê

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sim, conheço essas polêmicas.

Mas note,  o que eu estou dizendo aqui é que por trás das estórias sobre Ashtar existe de fato uma inteligência, de aparência física, altura, vestimentas e alegadas funções que se atribui a ele. Não é uma lenda inventada por UM OU VÁRIOS alguéns desequilibrados em busca de atenção ou dos holofotes da mídia. Se fosse mera invenção eu não o teria VISTO sem nem saber quem era o sujeito, e por isso mesmo, sem lhe dar a mínima também.

OUTRO ASSUNTO BEM DIFERENTE é se ele é quem alega ser, se representa as forças que seus contatados alegam representar, enfim, se toda a informação sobre ele é real ou lorota inventada pela entidade.

E OUTRA COISA AINDA é se as canalizaçoes atribuídas a ele são de fato dele, ou de outras entidades ainda, meras enganadoras fingindo ser ele.

 

São 3 fatores delicados.

A dúvida materialista é a mais risível, qualquer um que tem contato com esse fenômeno já descarta logo de cara. As outras dúvidas são relevantes, mas só podem ser solucionadas pela experiência pessoal, que não vai ser suficiente para encerrar o tema, apenas para dar um guia, uma direção para se orientar.

Eu só tenho OPINIÃO sobre esses dois temas, não tenho CONHECIMENTO pessoal a ponto de declarar com segurança algo,, mas o que eu posso dizer é o seguinte:

- esse site da "fraternidade branca" me parece um tipo de catolicismo new age, focado nos rótulos, nomes, e nas "figuras divinas". Substituem o culto aos santos pelo culto aos mestres, trocando 6 por meia dúzia, então acham tudo  que difere NO NOMES  um absurdo porque não encaixa na rotulagem meio tacanha que eles parecem fazer dos fenômenos. Tem que dar um desconto.

- mas ao mesmo tempo tem afirmações ali que servem de alerta útil, porque diz, por exemplo :

Citar

Estes falsos ensinamentos dizem para que os filhos de Deus chamem por estes falsos nomes nas horas de perigo, ao invés de chamarmos pelos nomes sagrados dos mestres, nomes que carregam Suas vibrações e energia.

Óbvio que não é seguro fazer isso né? Porque aí você cai no golpe de qualquer um que inventa qualquer lorota sobre si mesmo e daqui a pouco você está chamando um chifrudo achando que está chamando um anjo eheh. Siga o bom senso, foque nos "clássicos", ehehehe. Se é verdade que Ashtar está a serviço de Jesus, etc. em caso de perigo chame "o chefe", que o chefe escalará o subordinado para te ajudar, não se meta você a escolher o subordinado, porque pode surgir um tercerizado aí no meio. Nesse sentido o alerta é importante sim

Citar

Jesus seria um membro da equipe do “comandante” extraterrestre e que teria o nome de “Lord Sananda” participando como representante da Terra na “confederação intergaláctica” de Ashtar. Um absurdo inaceitável !

Não há absurdo algum, só não pode inverter a Hierarquia.

De fato tem um ser que seria Jesus, cujo nome é conhecido em astral como Sananda, e que seria o SUPERIOR DE ASHTAR, e que é visto dentro da naves do Ashtar as vezes, pelos projetores, lá no nosso grupo o lider viu isso várias vezes. Mas sério, voce vai chamar de Sananda se precisar ajuda? É dar bola quicando para o inimigo chutar né? Chama Jesus que pelo menos VOCÊ saberá a quem está chamando.

Se vier outro, eles que são brancos que se entendam, o erro não foi seu, foi deles. Tire o seu da reta, porque se chamar o "ET da ALFA-PQP"  e depois ficar enroscado em carma ou pactos, na hora de se queixar o que mais vai ter são uns "Pilatos astrais" lavando as mãos e dizendo "ué, a gente deixou porque voce chamou por ele especificemente, e respeitamos seu livre arbítrio". Esse pessoal é meio lerdo nesse assunto, então não entre em modinhas, foque no ser/inteligência/energia mais elevada que VOCE CONFIA, de acordo com suas crenças, e assuma sua responsabilidade por isso, não caia em novas rotulagens porque aí de fato, é um risco.

Citar

São Miguel é o protetor da vida e Ashtar Sheran é aquele que afasta os filhos de Deus do Coração, indicando o caminho extraterrestre.

Caminho? Afastar como? Entende, isos é papo religioso, não tem pé nem cabeça, exceto se a pessoa passa a adotar uma visão materialsita da espiritualidade, como isto:

Citar

viajam pelo cosmos livremente e na velocidade da luz, mas sem a necessidade de naves ou discos voadores ensinado por algumas destas falsas escolas,

É óbvio que nenhum mestre precisa de naves para fazer coisa alguma. O que não quer dizer que não possam se manifestar nesses ambientes, ou aqui no plano físico. A "grande lorota extraterrestre new age" é achar que "Mestres são mistificação, no fundo é tudo apenas ET". Isso retraduz toda a formação espiritual da humanidade, que é algo de um caminho interno, de auto-aperfeiçoamento, para uma versão mais biológica-antropológica. É como dizer que os índios tinham que aceitar os europeus como seres mais evoluídos só porque vinham de uma civilização mais adiantada TECNOLOGICAMENTE. Isso é uma tolice sem tamanho que todo terráqueo hoje reconhece como tal , mas que talvez muitos índios não soubessem no século XVI. Da mesma maneira ver os Mestres como "apenas ETS" cria uma visão tosca de espiritualidade.

Esses temas estão sim conectados mas de uma forma mais profunda:

-Somos todos ETs, porque espírito não brota da terra!

-Alguns espíritos são mais velhos que outros, porque a criação é um processo continuo, não é algo lá de um big bang e pronto, a criação está sempre jorrando novas particulas divinas, então algumas são idosas, outras são crianças.

-Sendo os espíritos mais velhos do que os planetas, é natural que migrem de uns planetas para outro, de acordo com seu nível, porque as pessoas são diferentes, e os grupos se reúnem por afinidades.

-Uma vez que um grupo esteja mais avançado que o resto, acima de uma diferença uma separaçaõ pode se fazer necessária, porque cada escola (planeta) está num nível de ensino, em cada fase. Então, por exemplo, no momento atual estamos perto de uma nova "separaçaõ do joio do trigo" . de uns anos para cá vem nascendo muita gente mais atrasada que o normal, que não estavam podendo encanar antes, então essa "última chance para os bárbaros" antes de serem mandados todos juntos par outra escola mais primitiva, compatível com seu nível retardatário", está gerando um retrocesso mundial no comportamento da humanidade. Mas é algo que os menos ruins tem que tolerar, porque é pelo convívio com o diferente melhorzinho que alguns desses bárbaros podem repensar e se corrigir, então alguns podem ficar conosco, mas o grosso vai daqui para pior, quando desencarnar, porque são retardatário, tem a mentalidade ainda de idade média mesmo, que foi sua última encarnação. Outros estão ainda mais atrasados que isso.

- Há equipes que gerenciam esse processos de intercâmbio. Se um grupo quer chamar de Mestres (o que significa seres mais velhos e mais sábios, acima de um certo nível) e outros querem chamar de ETs ( que é redundante, já que todos somos Ets, mas indica uma simbologia de "seres mais antigos, que vem de civilizaçoes mais avançadas, portanto que já superaram estágios que os terráqueos ainda não conseguiram), no SIGNIFICADO desses termos estamos tratando dos mesmos seres. As pessoas que escolhem brigar por nomes estão presas a pensamento religioso, tipicamente farisaico, que confia mais no rótulo do que no conteúdo do remédio.

-Mas, por segurança, como nossa psique foi moldada dentro de um "inconsciente coletivo" próprio da terra, sugiro ficar nos rótulos clássicos, apena evitando perder de vista o detalhe que essas mesmas situações espirituais, descritas para as culturas tecnológicas do século XXI, naturalmente seriam explicadas usando outra linguagem e simbolos (Ets x anjos, Naves x Vimanas, Armas astrais x raios de luz), o que NÃO SIGNIFICA que a nova versão seja mais verdadeira, ela apenas se adapta às nossas crenças atuais, apenas parece menos bizarro, mas no passado, o contrário era verdadeiro. Basta ver que mesmo encarnados podem emitir energia pura sem precisar "dispositivos", "armas astrais de energias", etc, imagine então mestres:

 

Então o erro, a meu ver, está em achar que a versão moderna SUBSTITUI a antiga. Achar que a antiga é mistificaçaõ, enquanto a nova é a real explicação.

Assim como é errado a meu ver, achar que só a antiga é que está correta, e que tudo que a nova afirma é fábula.

Muito provavelmente na nossa mente antiga só cabia uma parte da explicação, a medida que nossa cultura se modernizou em tecnologia, coube novas ADIÇÕES, que em alguns caso podem até ser substituições, mas em outros casos podem não ser.

Quem lida com espiirutalidade na prática sabe que tem coisas que voce faz apenas com energia, mas também tem implantes astrais que potencializam as coisas, uma fator não exclui outro, eles se somam. Da mesma forma os mentores viajam pelo astral pelo pensamento, mas as vezes usam equipamentos, como relatados nos livros espíritas e que projetores ou médiuns as vezes enxergam. Um não exclui o outro, falar em Mestres x  Ets não é como falar em religião A x Religião B, a meta pela evolução espiritual une as diversas categorias de seres em torno das mesmas metas, assim como o mal também une Ets negativos, magos negros, encarnados mal intencionados. Brigar por rótulos é racismo integaláctico, não faz o menor sentido. E esse site da "fraternidade branca" me parece estar meio perdido nesse aspecto.

MAS É APENAS MINHA OPINIÃO SOBRE ESSE TEMA, cada um tem que fazer suas apostas  nisso.

E só a título de alerta: eu não engulo nenhuma daquelas canalizações de sites atribuidas a Ashtar, que falam de apocalipse, destruição ameaças à humanidade. Aquilo para mim é outro ser se fazendo passar por Ashtar mesmo. Tanto no nosso grupo, quando no livro do Semeadores da Vida, a sensação que temos do Ashtar é de um ser tranquilo, sereno, em perfeita sintonia com o que se espera dos Mestres, inclusive.

Por isso acho interessante aquela palestra do Petit, ele parece detectar muito bem que os grupos que mais se proclamavam como sendo contatados pelo Ashtar pareciam ser os mais falsos, enquanto que os relatos de alguns contatados, que sequer sabiam com quem estavam lidando pareciam muito mais condizentes com o que se atribui ao Ashtar e seu grupo de Ets humanoides. Tem muita piranha nessa água, por isso  o alerta desse site da "fraternidade branca" não pode ser desprezado. Mas tem que dar um desconto, a meu ver.
 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Muitíssimo  obrigado pela sua resposta. Me clareou mais a mente para  fazer uma reavaliação do que eu ando procurando  entender e também de como ter mais noção  de veracidade quanto aos temas e relacionados. Ainda mais na área  extrafisica que né... é paia!!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não duvido das experiências pessoais, mas comunicar a espiritualidade, passar esse conhecimento, é algo diferente de vivê-la, é como retirar detector de metal do banco porque as pessoas garantem que não não irá ninguém armado.
Tem muitos casos que eu não compro muito como a tal era de aquário, crianças índigos e cristais(que começa com dois americanos picaretas)..., mas é só uma visão.

Gosto do Petit, baixei a palestra e irei escutar.

Sandro, o que você acha das classificações de extraterrestres? O Ashtar seria um "pleidiano"? 

 




 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.