• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
Wolfen

Como superar um término amoroso?

Recommended Posts

Sei que o fórum não é para esse tipo de questão, porém, eu gostaria de saber a visão de muitos aqui que estudam a espiritualidade, como superar o fim de uma relação amorosa por essa ótica espiritualista.

Contando rapidamente o que me aconteceu: namorei durante anos uma moça que era medium, porém, ela nunca quis estudar ou trabalhar. Mesmo muitas coisas da vida dela dando errado, ela nunca quis, ela sempre quis mais as "coisas do mundo" e sempre nadar contra a correnteza. Era altruísta, escolheu uma profissão que ajudava as pessoas e nunca fez mal pra ninguém (exceto pra mim), era realmente a pessoa mais boa que já conheci, não fazia mal pra um mosca. Mas nesse ano, nós acabamos da pior maneira que nossa relação poderia ter acabado. Ela me traiu, e não só me traiu, ela se aproveitou de mim da pior maneira que podia ter feito, e com pior cara que ela podia ter escolhido pra isso. Pode ser paranoia minha, mas esse fim foi tão pesado e tão surreal, que parece que foi orquestrado exatamente pra separar a gente, devido a forma que aconteceu. Tudo podia ter terminado de enes possibilidades mais tranquilas, mas foi justamente aquela que pegou todos os meus pontos fracos. Uma pessoa como ela que nunca fez mal pra ninguém, estreou esse lado sombrio justo comigo.

Sobre mim, eu tenho trabalhado bastante com amparos fora do corpo. Já fui ameaçado diversas vezes por causa disso. E não é algo que eu faço de propósito, muitas vezes eu já me dou conta de estar fora do corpo e estar em trabalho, não me deito com esse propósito. E eu sempre passei todos esses anos sendo a única pessoa a volta dela disposto a ajuda-la encontrar seu caminho na mediunidade, mas ela nunca quis, então nunca consegui. E sempre que eu tentava ajudar ou conversar com ela sobre os espíritos que ela via, as coisas que sentia, a importância dela se por a  fluir conforme a "correnteza", alguma coisa acontecia. Se era no telefone, a ligação ficava ruim e caía. Se era pessoalmente, algo sempre interrompia a conversa. Enfim. Era difícil.

Vocês acham que isso pode ter algo a ver com uma retaliação por eu fazer amparos? Ou me afastarem dela, que era a única pessoa um pouco mais espiritualizada que todos que elas conheciam, para que ela não desenvolva a mediunidade e prejudique de vez? Por coincidência, a mediunidade dela começou a se manifestar de forma muito pesada justo nessa época em que nos separamos, ao ponto dela ir parar em hospital por ataques de pânico, ansiedade, etc.

E eu também não consigo superar isso. Ela realmente me machucou muito, mas eu não sinto ódio. Não faço mal e não sou desses caras aloprados que ficam perseguindo ex. Mas não consigo me conformar, sempre as coisas ficam vindo na minha cabeça, ás vezes fico depressivo pra caramba, enfim. Foi algo muito do nada e realmente da pior maneira que podia ter sido feito. Não foi uma simples traição, havia particularidades em mim e na relação que foram fatais para a gente acabar de vez, mesmo. É difícil explicar porque eu não quero detalhar por ser algo muito íntimo.

Mas não sei o que fazer, e não sei lidar com isso, ou o que pensar sobre isso. Me sinto ligado a ela de uma forma mais do que carnal. Só pra vocês terem uma ideia, ela adoeceu após dias que a gente não se falava, e eu sentia que ela tava doente e fui ver se tava tudo bem, e foi bem no dia que ela teve uma infecção forte no sangue. Isso até mexeu com ela, mas depois ela cortou o contato de novo e foi correr atrás do cara que ela se diz apaixonada. E esse cara é totalmente diferente dela e de mim. O cara é militar, mata animais, evangélico de família extremamente preconceituosa, enfim, totalmente oposto de tudo. Eu realmente não sei o que pensar ou fazer sobre mim. A escolha dela eu respeito, mas me sinto, sei lá, vitima de algo maior que eu não posso fazer nada, e não sei como lidar com isso.

Ás vezes fico pensando que isso tudo foi retaliação por eu trabalhar com amparos, mas eu acho um pouco surreal os espíritos fazer isso tudo só pra atingir um cara como eu. Ás vezes acho que foi um meio de impedir que ela trabalhe como medium. Certa vez eu conheci um cara que dizia que todo mundo entra nesse caminho de querer descobrir a verdade sobre as coisas, ou ajudar as pessoas dessa forma, acabam tendo muitas provações difíceis de passar. E não sei se é alguma forma de provação, teste. Não sei se eu estou bitolado demais também por achar que tudo é espiritualidade. Mas sei lá, queria apenas seguir em frente mas não consigo, me sinto ligado demais a ela, mesmo ela pouco se importando comigo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

    Lindão, se valorize. Ter espiritualidade não é ser passivo emocionalmente, se você realmente é uma pessoa boa e que sabe que a espiritualidade é maior do que coisas carnais assuma isso...você sim é mais evoluído do que quem tá vivendo de prazeres, isso é bom? A priori sim, se você realmente assumir isso verdadeiramente e não descambar para processos menos evoluídos e acabar se comportando como ela.  Se cuide em todos os aspectos e se prove ser a melhor opção que você não só terá o apreço dela como de qualquer outra pessoa. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Cara, tem coisas na nossa vida que acontecem para o nosso bem, mesmo que no primeiro momento não vejamos dessa forma. O segredo é se equilibrar pra não ficar prolongando um sofrimento, que só vai fazer mal a você mesmo.

Viva a sua vida e deixe ela viver e sofrer as consequências das escolhas dela. Para ajudar a se livrar de pensar nela o tempo todo, procure se ocupar e faça banimentos diariamente (ou toda vez que que notar esta pensando nela). Com o tempo você vai se livrando desses laços afetivos.

Share this post


Link to post
Share on other sites
13 horas atrás, Wolfen disse:

1- era medium, porém, ela nunca quis estudar ou trabalhar. Mesmo muitas coisas da vida dela dando errado, ela nunca quis, ela sempre quis mais as "coisas do mundo" e sempre nadar contra a correnteza.

2- Era altruísta, escolheu uma profissão que ajudava as pessoas e nunca fez mal pra ninguém

3- (exceto pra mim),

4- era realmente a pessoa mais boa que já conheci, não fazia mal pra um mosca.

5- Mas nesse ano, nós acabamos da pior maneira que nossa relação poderia ter acabado. Ela me traiu, e não só me traiu, ela se aproveitou de mim da pior maneira que podia ter feito,

6- e com pior cara que ela podia ter escolhido pra isso.

7- Pode ser paranoia minha, mas esse fim foi tão pesado e tão surreal, que parece que foi orquestrado exatamente pra separar a gente, devido a forma que aconteceu. Tudo podia ter terminado de enes possibilidades mais tranquilas, mas foi justamente aquela que pegou todos os meus pontos fracos. Uma pessoa como ela que nunca fez mal pra ninguém, estreou esse lado sombrio justo comigo.

1- mostra quem de fato ela era

2- Em geral isso é teatro, tipo "vejam todos como sou boazinha". A combinação 1 e 2 é bem comum entre pessoas que estão em cima do muro nessa transição ainda. Elas entendem vagamente que devem melhorar, mas é mais fácil PARA TODOS NÓS  começar de fora para dentro. Não tem problema nisso, o problema é que muita gente estaciona na parte de fora, se satisfaz com isso e acredita que é algum tipo de evolução. Nada que você faça externamente te melhora em nada, o pior vilão pode dar sopinha para os pobres no domingo, e não será menos vilão por causa disso. Ao analisar uma pessoa, sempre ignore o traço altruísta, porque é ainda muito superficial, um tipo de verniz que alguns aplicam sobre madeira podre, esquecendo que verniz foi feito para ser ACABAMENTOm não a base de tudo.

3- igual ao item 2. Você é o que suas decisões nos diversos assuntos da vida  mostram, o resto é teatro.

4- igual o item 2

5- igual ao item 1, exemplo prático do que falei no item 2

6- fruto de 1 e 2, as suas afinidades mostram quem você é.

7- isso é "problema seu", essa era a "bala com seu nome nela", é sua grande lição, que se não fosse dada por ela, seria dada por outra. Esse é o gradne lance da vida, por isso você não deve tentar olhar essa pessoa como culpada de algo .Ela tem os problemas dela, você os seus. Os destinos das pessoas se juntam porque ambos tem lições a aprender e a equação exige que essas duas partes estejam juntas, para que uma possa proporcionar o aprendizado à outra. Essa situação te gerou esse aprendizado particular, para te mostrar seus pontos fracos, que se você não tivesse, teria doído bem menos. Descobrir isso em nós é uma benção, pior é viver uma vida toda no auto-engano. Então a pessoa que te proporciona isso foi s´um instrumento desse ensino, ela ainda é culpada pelos seus próprios erros e atos, cada um no seu quadrado, porém você tem que enxergar que como isso tocou nos seus pontos fracos, era uma lição necessária, alguém faria isso com você, e se você não tentar corrigir isso, as próximas relações repetirão esses mesmos traços. Fique feliz por ter descoberto isso em você, e a veja como uns instrumento que foi usado para te mostrar isos enquanto você é jovem  o suficiente para corrigir. Mas, deixe-a ir, emoconalmente falando, e sem retorno, ou pode cair em outro tipo de lição tipo "errar é humano, repetir o erro é burrice", que tende a ser mais dolorida anda.

14 horas atrás, Wolfen disse:

Vocês acham que isso pode ter algo a ver com uma retaliação por eu fazer amparos?

Se você é um elo sozinho, eles só podem te atacar, e se você se cuida, não conseguem. Se for uma corrente com vários elos, eles procurarão atacar no elo mais fraco da corrente, e ela se parte, te  atingindo. Pode ter milhões de justificativas reais e falsas para o celibato religioso, mas as vezes acho que ninguém percebe que tem esse lado muito pragmático: quanto mais laços você tiver, mais vulnerável será,  mais amarrado, mais fácil de ser perturbado. Há quem pense o contrário, que precisam "rede de suporte", então tá... Os resultados falarão por si mesmo para cada pessoa, porque as lições de cada um são diferentes também. Mas o que eu falei aqui é o que tenho visto acontecer com outros espiritualistas também, porque faz parte do jogo.

Mas existe outro aspecto nisso: para "mudar de fase" você geralmente precisa passar por uma limpeza. Esses limpeza é energético/consciencial, o que envolve crises psicológicas, ,que agitam  o sistema  e acionam velhos conteúdos emocionais, para trazê-los para o consciente e você poder reavaliar o que estava petrificado e na verdade te impedia de avançar. Como você mesmo disse, essa situação "tocou direto nos seus pontos fracos". Isso os tras a tona, você tem possibilidade de remexer neles, e as vezes consegue corrigir ou aliviá-los um pouco. O resultado é um tipo de "salto quântico", sue sistema energético muda devido a essa "purga", e isso te abre novas possibilidades no trabalho espiritual que estiver fazendo.

Portanto, sempre lembre disso: toda 'crise existencial" te prepara para novos avanços, é como um se fosse uma faxina, a água preta de agora é  o que te garante um ambiente limpinho e perfumando para a nova fase. Quando estiver numa delas, foque no que virá de bom disso, foque em CONFIAR QUE VIRÁ,  não se deixe impressionar pela água preta do momento, ela vai toda para o ralo, por isso você a enxerga assim. Pior era antes, quando não estava visível, mas estava te atrapalhando sem você perceber.

14 horas atrás, Wolfen disse:

Mas não consigo me conformar, sempre as coisas ficam vindo na minha cabeça, ás vezes fico depressivo pra caramba, enfim

Para você ter um termômetro, fui casado seis anos, com uma pessoa que namorei por dois anos. Demorei acho que seis meses pra parar de sonhar com ela quase diariamente após nos separarmos. Demorei quatro anos para que sonhar com ela não me fizesse acordar deprimido. Demorei 8 anos ( o mesmo tempo do relacionamento) para conseguir passar um ano completo sem sonhar com ela. E bem houve brigas traição, nada, foi um rompimento plenamente amigável.

Isso deve te dar uma idéia e também te mostra que não sou nenhum sábio nesse assunto, ou poderia estar aqui pregando sobre a necessidade do desapego e tal, que é o problema mais óbvio nesses casos, a causa de boa parte do desconfroto e sobre o qual é fácil falar, mas que as vezes é apenas  o discurso de auto- justificativa de pessoas com um certo perfil que adoram "descartar após se entediar" . Quem não tem esse perfil costuma ter mais problemas para aplicar o conceito do desapego, ehehhe.

Mas mesmo não sendo nenhum entendido nisso, eu te falo a partir do que percebi e mim mesmo durante esse processo todo,  e também conversando com pessoas mais velhas que eu,  perguntando sobre as experiências delas, porque acho que a vida é um quebra cabeças, cada um tem seu jeito de lidar com os enigmas mas como somos todos um, na verdade,  é importante saber o que outros sentiram com se viraram. O cara que acha que vai descobrir tudo  sozinho vai é morrer ignorante e orgulhoso, uma péssima combinação.

14 horas atrás, Wolfen disse:

E esse cara é totalmente diferente dela e de mim. O cara é militar, mata animais, evangélico de família extremamente preconceituosa, enfim, totalmente oposto de tudo. A escolha dela eu respeito, mas me sinto, sei lá, vitima de algo maior que eu não posso fazer nada, e não sei como lidar com isso.

Você provavelmente foi poupado de algo pior. Daqui a uns 20 anos talvez descubra porque.

14 horas atrás, Wolfen disse:

Ás vezes acho que foi um meio de impedir que ela trabalhe como medium.

Provavelmente é multifatorial. É só nossa mente limitada que enxerga uma só causa para os eventos,isso é uma rede de fatores sincronizados,. Mas pode ser isso também, afinal:

Citar

O cara é militar, mata animais, evangélico de família extremamente preconceituosa

Eu diria, que logo ela vai descobrir alguma doença bem séria, como um câncer ou leucemia, e "receberá uma cura" na igreja evangélica, então renegando qualquer contato com mediunidade que tenha, porque terá "entendido o recado de jesus, isso de mediundade´e coisa do demo", kkkk. Tenho uma amiga que passou por isso e agora é evangélica. Antes era clarividente, Reikiana, etc.  Nada como uma "cura de câncer" para te manter na coleira com rédea curta e de rabinho entre as pernas.

Cara, se você quiser tentar, talvez isto ajude a melhorar mais rápido. Mas as vezes pode gerar reações nas duas pontas e a pessoa de quem você tenta se afastar pode vir a te procurar, de forma instintiva, para reforçar os laços:

 

Outro tópico que pode te interessar:

 

 

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vou lhes contar meu caso, sobre duas relações amorosas de longa duração que tive e que claramente surgiram em minha vida para me ensinar alguma coisa e a elas também.

Primeiro, fiquei quase 10 anos com uma garota que era muito legal, amorosa, carinhosa, sempre apaixonada, mas extremamente ciumenta.

Sofri e a fiz sofrer muito também. Como ela implicava e brigava muito comigo, comecei a correr dela. Tadinha, ela correu muito atrás de mim, tanto que agora estamos juntos novamente. Falei que era uma história longa?

Fiquei separado desta garota por 5 anos e neste período, tive uma outra namorada, por 3 anos.

Sabe o que aconteceu? Essa outra namorada começou a fazer comigo EXATAMENTE o que eu fazia com a primeira e eu me tornei o ciumento e o que corria atrás.

Me vi 100% no papel da minha outra namorada. Eu fazia quase tudo o que ela fazia.

Não tem lógica uma coisa dessas, foi tudo MUITOOOOOOOOOOOOO COINCIDENTE.

Sou bastante observador e costumo prestar atenção nos mínimos detalhes de tudo o que me acontece, pois acredito que a vida fala conosco através de circustâncias e vocês não imaginam quantas coincidências incríveis e malucas consegui observar nestes dois relacionamentos.

Como o Sandro disse, muitos relacionamentos (se não todos kkk) surgem em nossas vidas para nos ensinar alguma coisa importante.

OBS: Tomara que nenhuma das duas acabe lendo esta postagem kkkk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Velho se eu fosse você, eu agradeceria por ela ter te traido. Ela não é uma pessoa legal, quem trai não é legal :( . 

 

Não conheço ela, mas criei uma imagem dela aqui já, e bate perfeitamente com o modelo b***** de ser, sem ofenças

 

Então cara, você é bem melhor que isso ai. E o mundo da voltas. 

 

Eu não namoro e não fico mais com ninguem. Só conheço pessoas incopativeis comigo. Vejo mulheres realmente achando certo trair os namorados ( PELA LIBERDADE SEXUAL DA MULHER!!!) tao confundidos as coisas ...

Ultimamente, os casais disputam entre si, competindo pra ver quem é que se importa menos, e quem é mais frio

ri di cu lo

 

Se ta dificil pra você, ja q eh um namoro longo.... Se eu fosse você, em vez de ficar triste, ficaria puto da vida e pegava odio dela , e transformaria esse odio todo em alguma coisa que valha a pena ..

Acho mais vantajoso ficar puto do que triste.

Não estou dizendo para fazer isso. Mas se tiver na fossa mesmo.... Vale mais a pena

Share this post


Link to post
Share on other sites

Robert, obrigado pelas palavras.

_____________________________________________________________________________________________________________________________________________

MichelleA, obrigado pelas palavras. Você possui alguma dica de leitura sobre esses rituais de banimento?

_____________________________________________________________________________________________________________________________________________

SandroFabres, obrigado pelas palavras. Sempre muito sábio e nada melhor que a experiência de alguém mais velho.

Tenho tentado refletir sobre os pontos fracos, mas não consigo entender o que tanto teve que ser mostrado para que houvesse terminado de forma ruim assim.

Isso que disse sobre os laços afetivos... Uma pessoa que busca a espiritualidade, é melhor para ela ou ela está fadada a ser sozinha, porque é mais forte assim? Sem afeições, sem vulnerabilidades?

Faz sentido isso sobre mudar a fase. Mas, já faz alguns meses do ocorrido, e eu ainda não notei algo de diferente. Tudo continua como antes, exceto esse sofrimento.

E sobre sua separação, usaste alguma "técnica de libertação"? Você acredita em almas gêmeas, ou almas afins, essas coisas?

E mesmo as pessoas que desistem da mediunidade dessa maneira, como foi o caso da sua amiga, elas conseguem viver bem? Isso não as prejudica de alguma forma?

Vou dar uma olhada nos tópicos recomendados. Obrigado pela atenção, Sandro.
_____________________________________________________________________________________________________________________________________________

lightium, muito legal sua história, obrigado por compartilhar.

Não acredito que eu e ela ficaremos juntos de novo. Ela já está totalmente diferente como pessoa.

_____________________________________________________________________________________________________________________________________________

PedroViajado, eu entendo.

O problema é que eu não consigo sentir raiva e ódio de absolutamente nada. Desde pequeno eu sou assim. Não sou nenhum Buda, ou algo do tipo, mas, eu simplesmente não sinto raiva das coisas, não sei te explicar. Mas me consumo muito por dentro com tristeza e outros sentimentos do tipo.

 

 

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fala, @Wolfen . Tudo bom?
Vou pedir licença para participar das suas colocações.

Os amigos @MichelleA@sandrofabres, @lightium e @PedroViajado já colocaram suas visões.

Vou tentar focar na questão espiritual/ projeção astral com alguns toques baseados em minha experiência, logo, analise bem. A verdade é que não aprendemos na escola a questão emocional, somos de fato analfabetos emocionais, preparados somente para ganhar dinheiro (e muito mal por sinal). 
Todos nós no caminho da vida vamos nos relacionando e não só na Juventude, vamos fazendo relações e aprendizados no decorrer da vida. Alguns deles bons, outros traumáticos e alguns trazem sérias repercussões, como quando temos filhos e o relacionamento não dá certo, acabamos por além de gerar uma dificuldade com possibilidade de carma para outros seres também, tal é o nível de responsabilidade.

Existem vários discursos prontos usados mais comumente, como:
"O tempo cura", "se valorize", "Não perca energia com quem não merece", etc...

Toda teria é linda quando não temos a dificuldade igual e/ou estamos de fora dela. 
Não é fácil o envolvimento na vida e gera repercussões para a vida toda.

Na Projeção e Espiritualidade
TUDO que acontece na vida da gente repercute no inconsciente de forma intensa e nascer é isso, amigo, tem que aprender a ginga do capoeirista encarnado: 
As dificuldades vem, sofremos, nos arrastamos, choramos, mas logo vamos aprendendo a desviar ou não nos deixar abater e manter o sorriso no rosto devido saber que tudo faz parte da "luta" da vida e da consequência da passagem por aqui.
Na projeção isso vai atingir fortemente você, como pega a todos, principalmente os sonhos, pois abrir a lucidez acaba ficando difícil se o gatilho emocional é intenso e o abalo foi forte, como o caso de uma traição.
Sim, é preciso uma boa filosofia, uma entrada forte para não ficar nos  LOOPS MENTAIS, que é ficar rodando na dificuldade sem encontrar a solução e ficar procurando o tempo todo alguém para lhe acalmar, falar algo bom, ou pra distrair, pois acaba correndo de ficar sozinho com você mesmo e acessar novamente a imaturidade do enfrentar da situação. 
Uma entrada na mente é algo difícil de tirar, principalmente as sensações de extrema confiança e o apaixonar. Nosso cérebro dá entradas que não se "tira", mas se aprender a conviver. Se aprende a se AUTO EXPLICAR. Converse constantemente com você. Explique, crie sempre a solução nessa conversa. Avise de forma filosófica:
"Calma, tá tudo bem. eu fiz a minha parte, se ela errou o problema é dela e ela vaii ter que viver com isso(sem querer punição). Eu sou honesto e dei o meu melhor. Agora vou levar meu interior da melhor forma possível e viver em paz comigo mesmo, vou ser feliz. "
Por que falei de forma filosófica? 
Pois esse é um pensamento utópico. No geral as pessoas são vingativas, esquecem das outras como quem não foi nada, são frias e acham que todos tem que ser assim.
Se valorizar é também valorizar seu passado e não fingir que nada aconteceu, isso só geraria mais traumas e entraria numa teia difícil de solucionar depois.
A projeção astral será afetada na proporção em que você se sentir pesado. Quanto mais tranquilo emocionalmente você estiver, melhor estará sua espiritualidade.
Pensamentos de CULPA e peso virão o tempo todo, tanto por imaturidade do direcionamento de seus pensamentos como eventualmente por assédios, se aproveitando da sua fragilidade. DIRECIONE-OS o tempo todo para positividade, conversando e LIMPANDO o que foi ruim. Por ex, teu inconsciente gritará eventualmente:
POR QUE ELA FEZ ISSO COMIGO?
Responda com calma quando recobrar a percepção:
"Ela não fez comigo, ela fez com ela. 
Eu dei o meu melhor e aproveitamos o tempo. Agora eu continuo minha jornada e manterei a tranquilidade para me preparar para as próximas experiências quando chegarem."

O tempo todo direcione, não deixando que loops mentais te peguem, é isso que destrói e MINA sua paz.

 

Na vida pessoal
Os traumas!
Cuidado para não ficar aquela pessoa pessimista, que vive com a dificuldade dos pregos que pisou e também passam a ter as frases prontas baseadas em seus traumas, como:
"Homem não presta", "Mulher não vale nada...", "Não quero mais saber de ninguém..."
Tornar-se uma pessoa boa depende de como você direciona seu interior e isso vai deixar você legal para as próximas pessoas que conhecerá e inclusive melhorará sua energia e por consequência magneticamente as chances de alguém mais próximo do que você é.

 

Abração e boas experiências, seja no corpo(como essa), seja fora do corpo. E acredite, aqui é só o pedacinho do iceberg, se só em uma vida e em algumas experiências o bicho já tá pegando, imagine saber do que acontece nos bastidores?
haha.
Bem vindo à viagem dentro de nós mesmos.

 

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 10/11/2017 at 15:13, Wolfen disse:

Isso que disse sobre os laços afetivos... Uma pessoa que busca a espiritualidade, é melhor para ela ou ela está fadada a ser sozinha, porque é mais forte assim? Sem afeições, sem vulnerabilidades?

O que eu disse reflete apenas minhas observações, não sei dizer se é melhor assim. Mas note que é um questionamento antigo ehehhe:

https://www.lds.org/scriptures/nt/1-cor/7?lang=por

Mas em geral não prestam atenção nesta frase: " Porque quisera que todos os homens fossem como eu mesmo; mas cada um tem de Deus o seu próprio dom".

Ninguém ganha nada tentando viver a vida do outro, você tem que fazer aquilo que se sente bem fazendo, porque a viagem tem que ser leve. Cada coisa que você acredita que precisa fazer só porque outros fazem se torna um peso desnecessário que você carrega e te dificulta. Mas também se tentar se livrar de algo que é de fato necessário PARA VOCÊ, a falta daquilo pode  te atingir mais tarde, te fazer rejeitar aquela rota escolhida, por considerar que te privou demais. Então cada um sabe do que precisa, e do preço que está disposto a pagar por isso, não tem como alguém dizer para ele. As vezes a escolha que é trnaquila e natural para ele, para outro parece radicalismo, porque para o outro abdicar daquilo seria um preço muito alto.

 

Citar

Tenho tentado refletir sobre os pontos fracos, mas não consigo entender o que tanto teve que ser mostrado para que houvesse terminado de forma ruim assim.

Cara, um relacionamento não é só o que aparenta ser, tem muito mais por tras, que voce pode já ter ter percebido, observando  oque surge na sau mnete nesses maus momentos.

Todo mundo conhece o tal papo sobre "Complexo de Édipo", é o lado mais clichê do que estou tentando dizer,  e se bobear tem algum 'trauma de bebê" nisso também, mas não é só isso. Nós projetamos no nosso relacionamento nossos conceitos de 'felicidade', de 'papel no mundo', nosso 'significado' como pessoas num contexto social, e nossa identidade, porque é como os outros nos enxergam que nos dá alguma dica do que estamos fazendo da nossa vida.E  como o parceiro amoroso nos enxerga é naturalmente mais importante  que o resto, exceto talvez, para quem tem filhos.

Mas por exemplo, agora vai chegar a época de natal, vira e mexe a TV passa "filmes de Natal", e nesses filmes a pessoa "má e amargurada" é aquela que passa o Natal sozinha, enquanto que os "bonzinhos," passam em família, em grupos . Aí chega o Natal num momento desses que você está vivendo e essas "hipnoses sociais"  vão te cutucar, vão botar em xeque  como você vê a si mesmo. São pensamentos que estão sempre fluindo por trás do consciente e que vão definir o que você considera como sendo suas necessidades e portanto influindo nas suas escolhas.  No fundo nós agimos muito como robôs programados pelo grupo, e um relacionamento amoroso irá refletir a parte da programação que nos foi imposta, internalizada. Então quando você tem uma ruptura, começam a brotar associações internas que antes estavam caladas, mas que agora gritarão alto e  que te fazem rever como você enxerga o mundo, o sentido da vida,, suas relações, e você mesmo. Posso estar enxagerando, mas acho que quem "cura um amor com outro" está apenas tentando fugir desse tipo de auto-descoberta. Tem que APROVEITAR essa oportunidade,  deixar as tensões virem a tona, para conhecê-las, para te permitir uma reformulação interior. Só aí você pode saber o que diabos você amarrou junto ao relacionamento, para fazê-lo ter mais importância do que deveria, e te fazer sofrer tanto. Me parece que quando você entende as  a quantidade de coisas que projeta num relacionamento, começa também a entender que em geral todos esperam do outro algo que só pode esperar de "Deus", e por isso as pessoas ficam sempre em busca de novos relacionamentos, para apenas ficarem novamente insatisfeitas após algum tempo, e ficam a vida toda correndo atrás da cauda, só desiste quando começam a perder a competitividade, estão "velhos e acabados demais" para seguirem "botando o pé na estrada em busca da felicidade".

Você usou a frase " para que houvesse terminado de forma ruim assim". Não me responda, quero que responda para você:

 - por que você acha que essa forma é ruim?

O rompimento , por qualquer motivo, é ruim. A forma do rompimento é outro assunto, em geral ligado com as expectativas, orgulho, auto-imagem, mas isso tudo são miragens. Só há um fato real nisso, o rompimento. O resto são fantasias simbólicas que você só dá importância porque escolheu alimentar conceitos que fazem certas coisas parecem melhor ou piores, e com elas, você se julga melhor ou pior. Mas você não tem nada a ver com esse pastel, são os atos de outrem, sob os quais você não tem nenhum controle. Até entender isso, que você não tem controle sobre outrem ou sobre o destino (ela poderia ter morrido no dia do casamento, por exemplo! Com certeza o sofrimento seria muito a pior. mas não vamos todos morrer? Nao é a única certeza da vida?), faz parte da questão de compreender seus pontos fracos.

Novamente, usando meu exemplo: meu pais se separaram por adultério. Eu acho algo inominável, porque qualquer tipo de traição é ruim, seja de amizade, de clega de trabalho, ate se teu cão resolver te morder sem motivo aparente vai te deixar meio bolado com isso. Traição a uma pessoa que te ama, que confia em você, e que você deveria amar e zelar pelos interesses dela  mesmo na ausência dela  é, portanto, "o supra-sumo da sacanagem". E aí quando eu e minha esposo nos se paramos não teve nem isso, foi jogo limpo, como sempre combinamos que seria: se um dos dois nao quisesse mais contnuar , o combinado era romper na boa, para então livre, poder recomeçar. Foi o que ela fez, ok. Foi bom? Foi péssimo! Eu me pegava imaginando cenas em que ela me traia e mentia e tal.. e não piorava em nada  o que eu sentia! Eu percebia que aquilo não faria a menor diferença na dor que eu sentia, porém, me daria uma bela justificativa para que eu pudesse criticá-la para todos, acusá-la de tudo, seria uma forma de vingança peo que eu estava sofrendo.

Mas como ela não fez isso, eu estava impedido de criticá-la, de atacá-la, para não ser injusto com ela. E pior: as pessoas que gostam de você, na tentativa se "se solidarizar", passam a criticar o o outro. Então quando eu contava o que aconteceu, essas pessoas ficavam  tentando pintá-la pior do que era, por nada e cabia a mim  dever de preservar a justiça e a verdade do caso, explicando que não, que não era assim, que ela fez o que nós dois sempre combinamos desde o namoro. Eu tinha sim vontade de dizer "é isso mesmo!", ajudar a falar mal, a tripudiar, porque nessas horas bancar a vítima parece amenizar nossa dor, mas meu compromisso com a verdade não me permitia, então eu ainda tinha que defendê-la, o que era especialmente desafiador. Mas notar isso em mim, notar que eu queira criticá-la de alguma forma,  e que se ela tivesse me traído ela teria me dado uma saída mais fácil, porque então eu não precisaria questionar a justeza das minhas emoções, bastaria eu acusá-la e estaria tudo resolvido, perceber essa pequenez emocional é ruim. Por sorte eu não cedi a isso, mas se tivesse cedido, hoje ainda teria essa culpa me cobrando, de ter sido injusto com ela, apenas para aliviar minha tensão do momento, meu desejo de ter algum tipo de vingança, sei lá.

Então veja, observar essas coisas fermentando dentro de você só é possível nesses momentos de crise, é uma oportunidade única, e ninguém tem muitas delas na vida. É a chance de ver os podres saltando a tona, e tentar corrigir essas percepções distorcidas, para que você se torne uma pessoa melhor o futuro, porque no fim das contas é só para isso que servem as experiências da vida, para nos instigar, nos desafiar, nos fazer olhar embaixo do tapete. Por isso que quando você compreende certas lições, passa a ter escolhas, seja de abdicar daquela repetição,  seja de tentar de novo de forma diferente, mas isso só faz sentido se for fruto de uma nova compreensão de si. Caso contrário estará só andando em círculos em termos de aprendizado, porque anestesiará um sofrimento com um "ópio emocional" equivalente, e perde  oportunidade de se conhecer. O que te levará, necessariamente, a passar pelo mesmo novamente, logo ali adiante.

Citar

E sobre sua separação, usaste alguma "técnica de libertação"?

Não na época eu não conhecia isso. Deixei cozinhar fogo brando até esfriar.

Citar

Você acredita em almas gêmeas, ou almas afins, essas coisas?

Sobre almas gêmeas, não acredito não. Se todos saímos da mesma fonte, somos todos almas gêmeas, e sem polaridade . Portanto é redundante o conceito de alma gêmea ,ele só exista quando alguém olha num nível de divisão mais abaixo, pressupondo uma polaridade do espírito, coisa que para mim não faz o menor sentido. Acho que nos níveis inferiores de nossa cegueira tanto faria se o conceito de alma gêmea fosse real, porque ele pressupõe um longo caminho entre uma origem comum e a manifestação física, e aqui embaixo estamos tão afastados do estado original que duas almas gêmeas podem ter feito trajetórias muito diferentes e agora serem inimigos que se odeiam há muitas vidas.

Citar

E mesmo as pessoas que desistem da mediunidade dessa maneira, como foi o caso da sua amiga, elas conseguem viver bem? Isso não as prejudica de alguma forma?
 

O pessoal que vem do espiritismo diz que sim. Eu não venho dessa tradição, acho que você carrega o peso que te for mais apropriado. POr exemplo, tem um caso famoso de médium ao estilo Dr.Fritz que virou pastor evangélico. É uma pena que o vídeo do Caio Fabio em que ele comentava isso não existe mais, maso livro existe em pdf.

Aqui tem um link sobre o caso:

https://estudandocomchicoxavier.wordpress.com/justica-divina/anteriores-jd/de-51-a-60/56-fe-inabalavel/

E está aí, e pastor ainda , décadas depois: https://www.youtube.com/watch?v=f3yKdsMs_IM

Vamos nós dizer que o cara não é feliz? Acho que ele viveu o dois lados,  não na crença ou teoria, mas na vivência, e escolheu o que lhe pareceu melhor. Cada um com seus calos.

 

  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

@Wolfen

Sobre o ritual de banimento, além de ter o que a galera usa aqui, Belini (ou algo do tipo), tem o RmP (ritual menos do pentagrama). O RmP foi o único que usei e uso até hoje. Não é difícil de achar ele no google e possivelmente deve ter vídeo dele no youtube também.

Para banimentos de forma geral usa-se o pentagrama do elemento terra. É só pegar o passo a passo, aprender a vibrar os nomes e por em pratica.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Lucas Olivera, obrigado pelo trabalho em pesquisar, amigo.

Eu dei uma olhada nos links e possuem conselhos valiosos.

_____________________________________________________________________________________________________________________________________________

Saulo, que honra você responder um post meu. Hahaha!

Obrigado pelas palavras.

A teoria não é fácil. Parece que a perda amorosa é como perder um ente querido para  a morte, mas parece que doí mais por conta do que essa pessoa te fez.

Eu gostaria que houvéssemos terminado de forma tranquila, porque eu entendo todos os motivos que ela usou para justificar a traição. Ela foi bem clara ao dizer que queria um homem melhor e coisas desse tipo. E eu respeito esse direito. O que me doí também é que ela só me trocou quando tinha certeza que ia namorar com ele, se tivesse dado errado, não teria feito isso.

Eu ajudei ela a chegar onde está hoje, formada, ganhando bem, ela teve comigo todo um apoio que não teve de ninguém, nem de amigas ou a própria família. Fiquei do lado dela em todos os problemas que ela teve hoje.  E de repente ela me acha muito pouco pra ela, se acha bonita demais pra mim, uma mulherão demais para mim, essas coisas.

O que me bolou foi o modo como ela se aproveitou de mim, do amor que eu sentia, da minha grana, até das minhas crenças, para pavimentar o caminho dela com outro cara. Só para terem ideia, houveram vezes que ela me procurava e pedia para que eu consultasse Tarot para saber o futuro dela com o cara.

Uma pessoa que eu convivi por quase 10 anos, desde a adolescência, de repente se torna uma mulher completamente diferente e capaz de me tratar como se eu não fosse nada, não tivemos tido uma história, perrengues que passamos juntos,  absolutamente nada.

O que mexeu também é que nós dois tínhamos planos e sonhos, que ela simplesmente me usou pra viver tudo o que a gente tinha combinado, com o outro cara.


Sobre a projeções:


Isso é algo que tem estado difícil. Estou inclusive dando um tempo, mas ás vezes me pego consciente fora do corpo. E muitas vezes coisas estranhas acontecem. Me aparece mulheres extremamente sensuais dizendo que "elas me querem de verdade", quando volto para o corpo eu fico em uma catalepsia que não consigo sair, e me bate um terror que eu não sei explicar. Os espíritos que encontro muitas vezes me xingam muito, e mais do que isso, eles meio que relembram de um jeito que eu não sei explicar, tudo que aconteceu, jogando na minha cara que tudo isso aconteceu por minha culpa. Mas fora do corpo isso é meio que feito com imagens, eu não sei mesmo explicar. É como se eu estivesse vendo uma situação e vivendo ela ao mesmo tempo que não estou. Não sei se são eles que fazem isso, ou se é minha própria mente que me coloca nisso.

Muitas vezes parece que eu não estou "conectado" há nada, também. Parece que estou dentro de um ovo e não existe mais nada daquilo, por mais que eu tente tentar uma conexão, ainda sim, parece tudo fechado. Antes disso ter me acontecido, eu sempre sentia uma conexãozinha, sentia os amparadores, sempre que eu orava era tomado por arrepios na parte de trás do corpo inteiro e eu sentia bem forte energia passando, descendo e subindo, como numa aceleração. Hoje nada disso acontece. Muitas vezes eu oro e parece que estou somente passando uma conversa na cabeça.

Seu conselho sobre conversar consigo mesmo me foi de grande valia. Eu não quero sentir ódio dela (e nem sinto), e também não quero ficar traumatizado e me tornar um desses caras misóginos. Embora agora tudo o que eu enxergue a minha volta seja as pessoas sacaneando umas as outras em relações amorosas.
Eu acho que só queria entender o porque de tudo ter sido assim, e me libertar disso.  

_____________________________________________________________________________________________________________________________________________
Sandrofabres, Obrigado novamente.

Eu entendi o que quis dizer sobre a solidão. Ás vezes penso que a solidão é mesmo inevitável para quem se propõe a não participar das "coisas do mundo". Não porque são melhores, mas porque parece não existir muitas pessoas com os mesmos objetivos.

Eu já havia percebendo, fazia um tempo, que ela estava mudando como pessoa. Ela sempre se odiou por ser médium, ficar vendo espíritos, sentindo as coisas. Para ela o normal era ser uma menina  que saí, bebe, se diverti, e todo essas coisas comuns e 'normais'. Ela possuía amigas muito sem caráter também, e eu não nunca tentei afastar essas amizades, e essa também foi outra coisa que machucou. As amigas dela são muito promíscuas e incentivaram muito a ela se tornar quem ela é hoje  e a se separar de mim, e eu do outro lado, nunca incentivei ela se afastar das amizades, até pelo contrário. Quando brigavam eu sempre incentiva a reconciliar, inclusive ela voltou a ter uma amizade de infância por conta desses incentivos que eu dava.

Eu ás vezes leio muito autores ocultistas, e alguns falam bastante sobre paixão, como o Levi. E eu percebo que, pelo que parece, o caminho da solidão foi inevitável para eles.

Acho que você tem razão sobre eu ter projetado muitas coisas nesse relacionamento. Eu dei muito valor para virgindade, acreditava em almas gêmeas, acreditava que o sentido da vida era ter uma pessoa pra evoluir junto, formar família, todo esforço que fiz, não sei. Talvez porque eu sou muito sozinho e ela era a única pessoa que eu tinha, também, não sei.

Sobre as hipnoses sociais, é algo que tem me pegado bastante. Natal, ano novo e aniversário, tudo perto, eu já fico pensando como vai ser. E puxando um gancho para o assédio, eu sinto que estou sendo muito assediado. Eu tenho sentido muita vontade de fumar, por exemplo. E eu nunca coloquei um cigarro na boca, mas parece que eu sinto até o gosto quando essas vontades vem. Fico com vontade de experimentar bebidas e tomar "porre". Frequentemente fica me vindo na cabeça pensamentos para ir atrás de garotas de programa, e até suicídio. E isso são coisas que não pensava.

Eu tenho um pouco de conhecimento de Tarot, e sempre que eu tento fazer uma tiragem pra tentar esclarecer algum pensamento, alguma coisa, saem amostragens sem sentido algum. Eu não vejo as coisas mais claramente como eu via, mesmo tendo um livro guia e tempo para meditar a respeito. E por causa disso eu percebo que tem algo errado comigo porque está influenciando coisas muito simples.

Mas isso tudo que você falou tem feito muito sentido pra mim, obrigado por compartilhar sua experiência. Eu tenho tentado não me deixar dominar pelo que tem surgido em mim, tenho tentado observar e esmiuçar, mas é um processo difícil demais. Tenho tentado achar o motivo do porque eu supervalorizei esse relacionamento, ao em vez de achar que ele era algo "mágico" como eu achava que era.

E Sandro, uma dúvida sobre obsessões:
Nos últimos meses, depois que isso tudo aconteceu, me apareceu um tumor na mão, e eu tive que fazer ressonância. Só que uma coisa curiosa aconteceu, em uma das imagens da ressonância apareceu um rosto perfeito perto da região onde está o tumor. E não acredito que seja pareidolia, pois é um rosto muito bem definido, com olhos, boca, e bastante assustador até, parece o Mister M. kkkk
Seria possível isso ser repercussão do assédio?

Pergunto isso porque, houve uma vez, também, que essa minha ex-namorada tirou uma foto, e nela foi possível ver claramente uma mão em cima do ombro dela. Com os dedos bem definidos, unhas cumpridas, mas um aspecto muito esquelético.

Sobre as almas gêmeas nunca havia pensando dessa forma. Eu havia visto certa vez, que as almas gêmeas são a parte que estava do seu lado no momento da criação. Era como um quebra cabeça que forma um todo, mas havia partes que ficavam próximas e se encaixavam em determinado ponto.

Sobre a mediunidade, obrigado pelo material, eu vou uma olhada, não conhecia esse caso. Eu na verdade achava que os médiuns colhiam maus frutos da negação do que escolheram pela visão Espírita, mesmo. E porque eu sempre soube de casos de pessoas quem era médiuns, e elas se perdiam na vida, tinham doenças, diversos problemas físicos e emocionais, por não trabalhem com isso. Minha própria ex, inclusive, teve uma vida sempre muito fechada. Tudo o que ela conseguia era sempre aos trancos e barrancos. Nada fluía simplesmente, mesmo pra ter coisas muito simples era sempre um sofrimento danado. Nas vezes que ela tentou ir no centro espírita, sempre acontecia algo. A carona desista, ela adoecia, pneu do carro furava, etc. E se isso for mesmo uma regra, acaba que eu fico preocupado, porque eu não queria que as coisas piorassem para ela. Como também não queria nem que houvesse qualquer pagamento pelo que ela me fez, caso tenha.

. _____________________________________________________________________________________________________________________________________________

MichelleA, áh, sim, entendi, MichelleA. Vou dar uma olhada e obrigado. ^^

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
18 horas atrás, Wolfen disse:

acreditava em almas gêmeas, acreditava que o sentido da vida era ter uma pessoa pra evoluir junto, formar família, todo esforço que fiz,

Sei bem do que está falando. Mas faz parte do "golpe". Não que o plano estivesse errado , mas lembre-se: ela podia não ter feito nada diferente, mas apenas ter morrido. E todos os planos teriam ido por água abaixo né? Ou você, se você por alguma eventualidade se desapaixonasse, você mesmo teria descartado todos esses seus planos num estalar de dedos. Uma coisa é a SUA mente, outra são as SUAS emoções. Algo como (X+Y). Aí outra coisa ainda é a mente da outra pessoa, e as emoções dela. Já vira (X+Y) . (Z+W). Outra coisa são seus amigos e os dela . (X+Y)^K . (Z+W)^L. Outra coisa são os planos cármicos/ destino etc, que podem ser individuais ou para o casal, você nao sabe. E aí vira uma zorra, eheh

Sem título.jpg

Mas claro, a gente quer manter aquele planinho lá que fizemos.....aos 8 anos? Percebe o quanto qualquer tipo de crise no fato nos mostra  o quanto entendemos mal como funciona a vida? E entender a idéia é fácil ,mas só pode dizer que entender mesmo quem não sofrer com nada disso. E quem não sofre? "Ah eu nao me apego a relacionamento, não sofro". Ok 'gênio', mas quando seu irmão ou filho morrer, você vai sofrer né? Dá no mesmo.

19 horas atrás, Wolfen disse:

E puxando um gancho para o assédio, eu sinto que estou sendo muito assediado. Eu tenho sentido muita vontade de fumar, por exemplo. E eu nunca coloquei um cigarro na boca, mas parece que eu sinto até o gosto quando essas vontades vem. Fico com vontade de experimentar bebidas e tomar "porre". Frequentemente fica me vindo na cabeça pensamentos para ir atrás de garotas de programa, e até suicídio. E isso são coisas que não pensava.

Sim, porque nossa frequência é como morar num prédio de vários andares, em que os vizinhos dos andares de cima são silenciosos e respeitosos, mas os dos andares de baixo são barulhentos e implicantes. Quando você se deixa levar por emoções negativas, baixa a frequência, vai passar seu dia  nos andares mais baixos, ouvindo os vizinhos problemáticos, e eles também estarão te vendo ali com eles. Então começa a ter mais "intercâmbio" com eles, eheh.

Mas lembre-se: são 7 planos e set corpos, embora o que nos interessa são os quatro mais baixos: fisico etérico , astral e mental. Não aprendemso esas coisas pro nerdice, mas para usá-las na vida. Dominar mente e emoçoes é algo mais exigente, mas dominar corpo, qualquer cachorro adestrado domina. Voce manda atacar ele ataca, manda soltar, ele solta, mesmo que que a presa esteja sangrando e o instinto da fome mande ele comer, ele larga, porque até um quadrúpede bem treinado consegue dominar seu corpo em nome de uma meta mental, o treino de comandos. Então não deixe esse estado negativo emocional descer para novos maus hábitos físicos, para que esse estado negativo, não se torne uma realidade concreta. Se conseguir impedir isso, com o tempo a pressão diminui, mas se deixar chegar no físico, ele vai enraizar, como o v´cio do fumo, por exemplo, que trará junto dependência emocional por décadas, e as vezes um belo e gordo câncer.

Não entre nos purismos tolos de que o que vale é a intenção, eu posso ter a intenção de matar alguém, mas se não mato, nada tenho contra mim, nem em carma. Eu posso ter a intenção de ajudar um necessitado, mas não faço, então a vida dele não melhora em nada resultado zero. Portanto, manter as coisas do plano físico, as ações do corpo na linha, é a primeira preocupação nesse tipo de situação. Alimentar-se regularmente e corretamente, banhar-se como fazia antes, exercitar-se, entrar em contato com a natureza uma vez por dia, solzinho, andar em praças,  pedalar, ouvir música positiva, não se permitir ficar trancado em quarto escuro curtindo fossa. Se as coisas do corpo estiverem bem, o resto vai se equilibrar por si, no seu tempo. Se conseguir fazer mais que isso, cuidando de mente e emoções, melhor, mais rápido vai passar.

Manter o veículo fisico na  mesma situação de antes, ou ate melhor, é a prioridade, porque se descuidar dele, ele te puxará pra o fundo muito mais rápido. As coisas funcionam de cima para baixo, mas se comunicam entre si. Entao um pensamento gera uma emoção que altera batimentos e respiraçao, alterando a acidez do sangue, a produção de hormônios, que por si são a expressão física dessas emoções, e geram subprodutos tóxicos, que podem geram doenças. O contrário também é verdadeiro, como qualquer um que ja teve uma dor de dente logo percebe, eheeh. Então se você trabalhar de baixo para cima, se mantém  o corpo em ordem, impede o ciclo das emoções e pensamento negativos de se manifestar na sua completude, e isso funciona como um dique, uma limitação contra a piora progressiva, vai impedir de somatizar as emoções e pensamentos. É o mínimo que tem que ser capaz de fazer. E se conseguir desativar os maus pensamentos e emoções, melhor, vai trabalhar a questão pelas duas pontas.

19 horas atrás, Wolfen disse:

Eu tenho um pouco de conhecimento de Tarot, e sempre que eu tento fazer uma tiragem pra tentar esclarecer algum pensamento, alguma coisa, saem amostragens sem sentido algum. Eu não vejo as coisas mais claramente como eu via

Sim, de fato é asism que aocntece, o Tarô não te nostra respsotas nesse tipo de momento, crio que para não afetar seu aprendizado. Voce pode ncluisve combinar com outros oráculos como o I ching, e vai notar que ambos concordam em NÃO TE DAR RESPOSTAS CLARAS. ( E o I ching ainda vai te ameaçar mentir se você insistir na memsa perguna a toda hora, kkk). Isso já mostra que não é uma situação comum mas uma situação DE APRENDIZADO PESSOAL, em que suas conclusões íntimas são o fruto positivo que tirará disso. Então os oráculos não deixam você "colar na prova", eheheh. Eu note isso também várias vezes na vida.

19 horas atrás, Wolfen disse:

E Sandro, uma dúvida sobre obsessões:
Nos últimos meses, depois que isso tudo aconteceu, me apareceu um tumor na mão, e eu tive que fazer ressonância. Só que uma coisa curiosa aconteceu, em uma das imagens da ressonância apareceu um rosto perfeito perto da região onde está o tumor. E não acredito que seja pareidolia, pois é um rosto muito bem definido, com olhos, boca, e bastante assustador até, parece o Mister M. kkkk
Seria possível isso ser repercussão do assédio?

É sempre um perigo quando a gente está com a vibe baixa. O Robert Bruce mesmo comenta como surgem tipo furúnculos, ou verrugas, coisas que podem evoluir para septcemia inclusive. Isso pode  indicar algum ponto de fixação de alguma entidade no seu corpo etérico, e aquilo evolui para alguma doença. Se você lê inglês, dê uma olhada neste livro, no capítulo 6 (pag 71 em diante, do rtf) :

Formato texto(rtf) Practical Psychic Self Defense Handbook, - Robert Bruce.rtf

Formato mobi (ebook): Practical Psychic Self Defense Handbook, - Robert Bruce.mobi

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest Honeymoon
Em 13/11/2017 at 08:00, sandrofabres disse:

Uma coisa é a SUA mente, outra são as SUAS emoções. Algo como (X+Y). Aí outra coisa ainda é a mente da outra pessoa, e as emoções dela. Já vira (X+Y) . (Z+W). Outra coisa são seus amigos e os dela . (X+Y)^K . (Z+W)^L. Outra coisa são os planos cármicos/ destino etc, que podem ser individuais ou para o casal, você nao sabe. E aí vira uma zorra, eheh

Sem título.jpg

 

 

 

Estás esquecendo da variável mais importante: a língua da sogra, logo, acrescente-se a equação uma integral de

x cosec ɸ3

Share this post


Link to post
Share on other sites

sandrofabres, eu entendi o que quis dizer. Obrigado. É que doí bastante você ver alguém que você gosta e que, no meu caso, eu abri mão de muitas coisas na minha vida para ficar com ela, fiz tantas coisas por ela, e, no final, não houve nenhuma forma mínima sequer de gratidão. Fui usado como uma pilha que serviu para os propósitos e quando acabou, fui descartado. O mais triste é que esses propósitos não eram só individuais dela, eram em conjunto com o outro cara. No final das contas, eu ajudei ela a fazer comigo tudo o que ela fez, e ela só está feliz e vivi tudo o que ela está vivendo com o outro, por minha causa. "Investi" em uma mulher cujo o retorno foi para outro homem. Ela vivi exatamente com ele os planos que eram nossos e isso machuca demais. E isso tudo vindo de uma menina que era medium, e tinha todo aquele "verniz" sobre ser boa pessoa, como disse.

É por essas e outras coisas que já citei no tópico, é que muitas vezes penso se isso tudo não foi alguma retaliação espiritual. Só pra você ter ideia, até o sobrenome do sujeito é igual ao meu, e o meu sobrenome não é muito comum. E fiquei sabendo que eles já falam em casar, mesmo com esse pouco tempo. E ela sempre dizia que queria meu sobrenome no nome dela. Áh, enfim! Isso está um choro.

Assédio:
Essa semana tentei seguir seus conselhos, me alimentar direito, fiz corrida e fui até o bosque. Nos primeiros dias foram até bons, mas aí veio os problemas: comecei a ver casais na rua, e isso começou a me incomodar. Comecei a ter pensamentos ruins, lembrar de tudo, e aí desisti. Na verdade essa semana foi um horror para dormir. Houveram dias de muito insônia, outros de sonos profundos que eu dormia mais de 12h, e experiências extremamente ruins no que tange a projeção.

Sexta-Feira eu tentei meditar a noite e acabei entrando em catalepsia. Mas não consegui sair de modo algum do corpo, e logo meu quarto se encheu de consciências que eu não sei quem eram. Vários cochichos, murmúrios, lamentações, e uma em particular montou em cima do meu peito e ficava dando tapa na minha cara. Não sei se era homem ou mulher, nem que corpo tinha, eu apenas sentia o seu peso e a voz era robótica e gutural ao mesmo tempo. E eu senti alguns desses tapas como se tivesse no físico. Esse 'ser' ria bastante e dizia que nesse final de semana, ela e o cara iriam passar a noite juntos num lugar que a gente ia enquanto eu estava na dor e tendo que lidar com eles. Com muito custo eu consegui me livrar daquela situação e dormir em paz.

E a informação estava correta. Fui atrás para saber e realmente isso está acontecendo. E aí fiquei abalado pra caramba novamente.
(pra quem não acredita em projeção e espíritos, fica aí o pequeno relato)

E aí volta todas aquelas vontades e pensamentos que eu não gostaria de ter. Mas, nos últimos dias os pensamentos e desejos que mais tem se manifestado em mim é o de vingança. Sempre tem me ocorrido que ela fez tudo isso comigo, e está lá feliz, sem pagar por nada, e isso é injusto. Eu sei que é errado e que provavelmente não são meus, fico lutando como se tivesse conversando com alguém de fora, mas, isso tem me afetado demais. Até planos para vingar me ocorrem, não de fazer mal fisicamente a eles, mas ir atrás de conhecimentos da 'mão esquerda' e usar. Esse tipo de ideia tem me ocorrido bastante, e eu tenho me sentido um lixo por causa disso. As ideias com relação a vícios e outras coisas baixas praticamente tem sumido nos últimos dias, mas esses desejos de fazer algo contra, tem que vindo com bastante força em mim. Eu já cheguei a colocar em um carrinho de compras muitas livros importantes sobre Goécia mas na hora H eu hesitei e fechei a página.

E por causa disso tudo entra outro problema: eu não quero fazer projeção, não enquanto isso passar (se passar). Não tenho feito absolutamente técnica alguma, e ainda sim, estou saindo do corpo e indo ter experiências ruins(xingamentos, lugares com lama pegajosas, prisões escuras, desertos, etc). Coisas que eu realmente não quero. Só pra ter ideia, houve um dia que eu saí do corpo até estando de bruços, que é uma das posições em que eu não conseguia me projetar de jeito nenhum. Muitas vezes se eu não tomar um Bromazepam que seja, eu saio do corpo ou tenho pesadelos.

Eu tenho percebido tudo isso que você falou sobre o assédio e a frequência. E o problema inicial são os pensamentos. Só que são pensamentos que eu não teria normalmente, mas não consigo bloqueá-los. Penso que são exteriores. Tenho lido Autodefesa Psíquica da Dion Fortune, mas não tem ajudado, não sei se é porque estou com a concentração muito dispersa (isso é outro problema que me surgiu) e isso me impede de entender ou se é porque estou procurando informação no lugar errado. 

Eu não consigo identificar até que ponto tudo isso é assédio ou manifestação de coisas minhas mesmos que eu achava que não existia. Ou se é multifatorial como você disse em alguns posts atrás. A única coisa que sei é que esse término e o modo como aconteceu, foi o gatilho pra tudo isso aparecer.

Tenho tentado ler sobre Morte do Ego. Já li uma vez que foi Gnóstico e talvez você possa explicar melhor. Tudo isso poderia ser manifestações dos egos? Egos que eu acreditava não ter de jeito nenhum? Tenho visto que o melhor caminho é não alimentar, mas, é justamente a coisa mais difícil a se fazer. Muitas vezes rogo para dissolver essas coisas, mas, nada acontece. Parece que as fortaleço. Vi que o melhor caminho é não ocupar a mente com as coisas que fazem mal, e aqui está o maior problema: não há como fugir. Tento direcionar meu foco para outros coisas e não consigo ficar 5 minutos naquilo. Há concursos que eu devia prestar, coisas pra estudar, e eu perdi meses importantes. Não consigo nada.

Tento voltar aos meus hobbys como desenhar, e não consigo. E aqui uma coisa engraçada: eu sempre desenhei bem e tinha um projeto de desenhar as coisas ou paisagens que eu via em projeção, e eu voltei a desenhar com esse intuito, e agora parece que eu não sei fazer absolutamente nada. Desenho até que bem qualquer coisa, mas tudo o que se relaciona a projeção, as paisagens, aos seres que já vi, não saí os traços. Minha mente é incapaz de focar em qualquer outra coisa que não seja tudo isso que aconteceu. Quanto mais fundo ela vai, mais questões aparecem, e mais mal eu fico. Se tudo isso são egos, e a gente precisa não alimentá-los, mas eles são as únicas coisas que a mente foca, como se vence isso?

 

Sobre Tarot: isso que disse é verdade. Tenho também um livrinho de I-Ching, desses que comunzinhos, e sempre que perguntei algo para ele, saí numa página de não ser possível responder ou outros alertas. Mas o Tarot mesmo eu tive que dar um tempo. Seria bom se essas coisas funcionassem nos momentos difíceis em que precisamos de um norte. Porque até agora eu não tenho conseguido fazer nada a respeito. Tenho uma pilha de livros, revistas, e nada adianta.

 

Eu estou jogando aqui no Google Tradutor o material do Robert Bruce, e estou lendo. Obrigado pelo material.

Share this post


Link to post
Share on other sites
8 minutos atrás, Wolfen disse:

Até planos para vingar me ocorrem, não de fazer mal fisicamente a eles, mas ir atrás de conhecimentos da 'mão esquerda' e usar. Esse tipo de ideia tem me ocorrido bastante, e eu tenho me sentido um lixo por causa disso. As ideias com relação a vícios e outras coisas baixas praticamente tem sumido nos últimos dias, mas esses desejos de fazer algo contra, tem que vindo com bastante força em mim. Eu já cheguei a colocar em um carrinho de compras muitas livros importantes sobre Goécia mas na hora H eu hesitei e fechei a página.

É.. usar esse tipo de recurso, "pelas costas", é o que te faz tomar bola nas costas na vidas seguintes e você ficar se queixando que foi injusitaçado. Similar a agora. Vir um círculo vicioso, só para se você for o primeiro a parar né?

10 minutos atrás, Wolfen disse:

Tenho lido Autodefesa Psíquica da Dion Fortune, mas não tem ajudado, não sei se é porque estou com a concentração muito dispersa (isso é outro problema que me surgiu) e isso me impede de entender ou se é porque estou procurando informação no lugar errado. 

Quando  coisa tá preta assim é mais fácil aelar para recursos materiais mesmo corpo , exercícios, alimentação,po ruqe outras coisas depnde de concentração, visualização e sau mente e emoções estão tomadas por essas manifestações negativas, fica difícil competir num memso plano. por isso é mais eficaz trabalhar com um plano mais grosseiro: mente e emoções você paralisa com o centro motor e instintivo (corpo).

13 minutos atrás, Wolfen disse:

Tenho tentado ler sobre Morte do Ego. Já li uma vez que foi Gnóstico e talvez você possa explicar melhor. Tudo isso poderia ser manifestações dos egos? Egos que eu acreditava não ter de jeito nenhum? Tenho visto que o melhor caminho é não alimentar, mas, é justamente a coisa mais difícil a se fazer. Muitas vezes rogo para dissolver essas coisas, mas, nada acontece. Parece que as fortaleço. Vi que o melhor caminho é não ocupar a mente com as coisas que fazem mal, e aqui está o maior problema: não há como fugir. Tento direcionar meu foco para outros coisas e não consigo ficar 5 minutos naquilo. Há concursos que eu devia prestar, coisas pra estudar, e eu perdi meses importantes. Não consigo nada.

Mas nunca é fácil. Os egos, todos temos, alguns ficam latentes de uma encarnação para outra, enqunato a situção não surge. O bom cristão, bom chefe de família, pode virar um assassino frio se colocado numa situação em que precise defender a família, porque todos nós já fomos guerreiros assassinos  e caçadores em tempos primitivos, isso não  desaparece com as reencarnaçoes e menos que se faça um trabalho específico de dissolução do ego,  a "evolução" não elimina o ego, a evoluçao e o ego são ambos das leis mecanicasm ,ambos pertencem ao samsara, voce anda em ciruclos com o tempo, e nada muda significativmanete, se voce não se debruçar sobre o que deseja mudar. Por isso repetimos todos os dramas vida após vida.

Mas nesse seu momento atual, pesado, é mais eficaz focar em atitudes físicas , concretas, ate suavizar o clima. Se sentar para meditar via vir só isso na sua mente, porque é um momento de obsessão emocional mesmo.

Mas vai passar, desde que não resolva tomar alguma atitude em relação ao que ocorreu. Pense nisso como um rio, aquela água já passou, se tentar segurar, corre o risco de perder os braços ainda. E note, não vou apontar, mas  o que você descreve que sente é mais em relação ao que VOCÊ perdeu. É você o problema, não ela, é você atribuir valor a certas coisas. Se não atribuísse, não sentiria dessa forma. Pode tentar focar nisso,  tentar compreeender a a coisa em si que te magoou, nao ela.

25 minutos atrás, Wolfen disse:

Quanto mais fundo ela vai, mais questões aparecem, e mais mal eu fico. Se tudo isso são egos, e a gente precisa não alimentá-los, mas eles são as únicas coisas que a mente foca, como se vence isso?

A mente é o ego. O ego é a mente fragmentada, cada eu é uma mente individual quernedo suas próprias coisas. Por isso se fala que o home não tem vontade não tem livre arbítrio nao tem nada,é só uma máquina de ação-reação, exatamente porque para ter algo cmo vontad,e livre arbítri, você teria que ter uma unidade permanente. Como é tudo fragmentado, o eu mais irado, mais deprimido ,mais vingativo, mais ciumento, mais preguiçosos,... assume o controle da psique e do corpo por um tempo, impedindo os outro de fazer o que planejou, ate que mudem de posição. Isso precisa treino diário, em momentos menos desafiadores, antes que voce possa adquirir algm domínimio minimo, tem uma yunidade mais estável que fique no controle por mais tempo, e não sai fazendo bobagens das quis se arrepende depois. Mas começa pela auto-observaçaõ, voce tem que aprnedr a se separar entre observaodr e observado. Tem que aprender a perceber essas parte da sua mente, esses eu, como algo que não é você, e observar como elastentam convencer o observador a esquecer quem é, porque no momento que o observador acredita que ele é o eu traído, ele fica irado e quer se vingar. Se você consegue manter o observador separado, voce nota (vou escrever em frae,s mas não é para pensar asism, de forma verbal, trata-se de uma percepção sem palavras mentais) :

"ah, olha... o eu do orgulho se sentiu ferido, agora quer desforra, está trazendo memórias dolorosas à minha mente, fazendo meu coração acelerar, minha respiração ficar curta, minha boca contrair... vou assumir o controle disso e fazer respiraçaõ profunda, relaxar a musculatura, nao deixar ele alterar meu equilibrio corporal, ou ele vai tomando conta das emoções...e essas imagens ,vou imaginá-las congelandoa cena  e então queimando, cada uma que surgir..."

Essas coisas precisam ser praticadas diariamente, se momento a momento com eus mais simples, porque num caso assim como o sue, é bem mais difícil mesmo. Mas se conseguir gerar essa distinção entre o observador e o gerador de pensamentos e emoçoes, pode melhorar.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Wolfen, você não está percebendo mas você tem uma grande oportunidade em mãos. Quando você ler isso, talvez estranhe mas procure pensar a respeito. Você está em crise e todo momento de crise traz oportunidades de crescimento.

Acho que seria interessante tentar mudar o mindset. Você neste momento está com o pensamento mais ou menos assim:

"Porque isso aconteceu comigo que sempre fiz tudo direito e sempre a ajudei? Isso não é justo. Me sinto traído."

Ok, agora pare e olhe para a situação como se estivesse de fora e perceba o quão negativo e destruidor é este padrão de pensamento.

O segredo é usar a situação a seu favor. Tendemos a pensar que existem situações desfavoráveis na vida, situações negativas mas isso não é verdade, do ponto de vista de evolução, tudo é positivo, tudo pode trazer valor.

Esse poderia ser um bom momento para fortalecer o desapego. E se você tentar mudar o tom deste pensamento?

"Isso aconteceu comigo mas isso é só uma parte, ainda terei muitas outras experiências e conhecerei muitas outras pessoas provavelmente muito mais interessantes. Se ela agiu dessa forma, é sinal que eu não a conhecia direito e a vida me deu uma oportunidade para descobrir que ela não era a pessoa certa pra mim. E isso é ótimo, porque agora tenho meu caminho livre para iniciar novas experiências muito mais interessantes. O que está no passado deve permanecer nele."

Toda experiência é positiva. Só depende de que ângulo estamos olhando pra ela.

Quebre esses padrões. Quebre essa corrente que te prende ao passado, a uma pessoa ou a um acontecimento. Isso não depende do outro, depende de você. Só você pode fazer isso por você. Se desapegue. Não segure esse peso. 

O Sandro deu dicas bem interessantes aí também. 

Pode parecer difícil agora mas depois que a tempestade passar você vai olhar pra trás e perceber que era mais fácil do que você imaginava e isso vai te fazer mais forte.

Muita paz!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Amigos, eu tenho uma natureza muito prática, por isso me desculpem se repetir algo: o fato é que em qualquer relação criamos cordões energéticos. Relacionamento sexual então... é uma tremenda rodovia de troca energética (em duas mãos). Quando o relacionamento termina, os cordões e vínculos permanecem por muito tempo...

Em anexo um exercício de corte destes vinculos.

Bom proveito!

 

laços carmicos.docx

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.