• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
Andressa Thayná

Como conciliar materialidade e espiritualidade na vida cotidiana?

Recommended Posts

Olá pessoal!:-)

Atenção: a dúvida se encontra no final, mas leiam tudo para entender o contexto.

Faz um tempo que não escrevo no fórum e por vários motivos. A princípio tentei me concentrar mais, meditar e levar estudo e prática de projeção mais a sério - o que foi bom por me dar (pouquinho) mais experiência sobre os assuntos estudados por aqui.

Com isso, achei que evoluiria numa linha ascendente e contínua e que nada me impediria de prosseguir assim. Erro meu.

Não sei se aconteceu com os mais antigos no ramo ao começarem os estudos sobre espiritualidade. Mas, ainda que de início eu tenha conseguido algum avanço, parece que quando dou um passo a frente vem um vento forte e me derruba com grande intensidade.

É de certa forma engraçado,  porque houveram momentos em que eu estive num grau de imersão espiritual tão forte que nada me abalava, e eu conversava constantemente sobre isso (acho até que meus amigos talvez estivessem cansados disso, mas eu não conseguia conter essa felicidade).

Eu treinava meditar todos os dias e tentava projetar também. Anotava tudo, sempre que lembrava de alguma novidade.

Porém... 

Infelizmente este mundo é bem cruelzinho, principalmente quando estamos tentando ser mais espirituais. Acontece que este é um dos momentos em que mais sou cobrada para obter resultados materiais. Tem a universidade, a cobrança para um estágio, a cobrança para trabalhar, para ser mais "responsável" etc. E, embora antes ficasse um pouco triste pois sabia que o que estava fazendo não era errado, depois de um tempo refletindo, percebi que, aparentemente, a melhor forma, para o momento, de sanar isto é suprir a cobrança e começar a trabalhar mais na materialidade para que, em breve, não necessite do sustento de outrem para submergir na espiritualidade (enquanto os que me sustentam trabalham pesado).

Desde então, decidi focar num planejamento para conseguir meu próprio sustento e terminar minha graduação o mais breve possível. Assim, que conseguisse eu voltaria com força total aos estudos espirituais. 

O problema é que: quando você para de estudar e praticar, parece que aquilo que você aprendeu se perde. Exemplo disso é a serenidade que eu havia conseguido: onde se encontra? Eu não sei. Isso me traz um sentimento de culpa muito forte. Quando estava mais espiritual sentia culpa por dar trabalho a outros e agora que estou mais material sinto muuuuuita falta da minha espiritualidade. 

Enfim, depois deste pequeno relato-confissão, minha dúvida é: como vocês fazem para conciliar? Levem em consideração que eu só tenho 21, ainda não trabalho (ainda que a Universidade me dê muito trabalho) e sou iniciante (embora já haja algum conhecimento na bagagem). 

Não sei se é uma dúvida boba, mas está sendo bastante difícil pra mim agora. Um verdadeiro dilema.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

  Isso ainda piora um pouco porque você vai achar que se planejar vai conseguir tempo depois, é a mesma história de quem tá esperando a aposentadoria para "aproveitar a vida", e na hora os problemas serão em mesmo número ou até maiores(exemplo, morando sozinha você vai ter mil problemas a mais para lidar do que agora, se você só depender do seu trabalho vai sempre ficar com medo de perde-lo).
  O que parece é que não é uma questão de tempo para você, mas sim de foco e de empenho emocional. Então acho que o que talvez falte seja fé...existem milhares e infinitas maneiras de você conseguir resolver um problema, só que quando focamos em um só caminho não vemos o outro. Eu por exemplo tive a minha melhor proposta de emprego quando me isolei e meditava quase o dia inteiro, nisso uma amiga que mal falava me indicou para um trabalho chefiado por um amigo dela que eu mal conhecia...óbvio que não necessariamente isso irá acontecer com todos, mas é um exemplo que existem muitas formas de se manifestar algo, pense por um momento na mais absurda teoria que te salvaria disso agora (sei lá, ganhar um prêmio), achar um livro raro que se vendido te daria um dinheiro que consiga pagar suas contas por um ano e te dar esse tempo para organizar...O foco é útil, mas quando a gente sabe para pelo menos que lado apontar, muitas vezes as pessoas não tem foco porque simplesmente não entenderam um plano maior. E talvez num momento em que se encontre perdida seja não se fechar para um horizonte somente, e seguir mais a sua vontade, com bom senso, claro.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Estar no mundo, sem ser do mundo. É ponto pacifico entre a maioria das doutrinas espiritualistas que a verdadeira vida é a do espirito, e isto está muito ligado com a parte moral do individuo pois é ela que guia suas ações (ou deveria ser rsrs) e, por consequência, disto se constituirá nosso destino após a morte.

Dois grandes problemas para o progresso espiritual são a falta de tempo e a inconsciência, esta ultima acaba gerando atos impensados e estados mentais "errados", que destoam daquilo que você acredita como certo (moral).

8 horas atrás, Andressa Thayná disse:

O problema é que: quando você para de estudar e praticar, parece que aquilo que você aprendeu se perde. Exemplo disso é a serenidade que eu havia conseguido: onde se encontra? Eu não sei.

Eu notei isto quando comecei a aprender e praticar a doutrina estoica, quando eu deixava de lado as leituras por alguns dias, logo voltava a agir feito um animal, voltava a ser guiado pelos instintos de dor e prazer, além de esquecer do mais importante, os valores da alma.

A solução foi guardar 30 min para leituras e práticas de reflexão diárias. Desta forma ALGUM conhecimento espiritual/moral foi sendo sedimentado em mim. Agora nas férias eu aumentei para 1 hora de estoicismo e 1 hora de leituras de suttas budistas. Também busco refletir sobre onde melhorar, o que fazer para que meus atos e pensamentos estejam de acordo com o que tomei como verdadeiro.

Então, basicamente absorvo o que me parece ser verdadeiro e no dia-a-dia procuro ficar o mais consciente possível, observando os meus pensamentos, emoções e relembrando da moral. Com o passar do tempo aquela moral fará parte do ser, será uma verdade inabalável, e mesmo em sonho você acreditará e agirá de acordo com ela.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Aconselho a você fazer o mesmo, com a doutrina que mais te agradar pelo tempo que te for possível, e talvez praticar uns 15 min de meditação também.

Se você realmente tem pouco tempo disponível não vale a pena perder tempo com projeção astral, pois dela não costuma sair progresso espiritual concreto, ela é apenas uma ferramenta (muito útil as vezes).

Share this post


Link to post
Share on other sites

Muito obrigada Robert e Criador dos Ventos. 

Quanto ao primeiro, refleti sobre o que disse e tentarei não perder o foco novamente ou se isto acontecer que não dure mais tanto.

Quanto ao Criador de Ventos, agradeço demais os conselhos práticos. Percebi que estava colocando o carro na frente dos bois, pois não dá para aprender tudo de uma vez ou rapidamente. Seguirei seu conselho de usar pouco tempo, mas que este seja diário e contínuo para que fique sedimentando e não venha me atrapalhar nas demais atividades, aliás pelo contrário.

Seus conselhos e críticas serão bem guardados, refletidos e trabalhados. Ademais, não dispenso outros conselhos que sejam úteis e acrescentem em meu percurso.

Até logo!:-)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Estava pensando isto agora mesmo...Não tenho tido tempo para as práticas e pensei: "se estamos na matéria é porque precisamos aprender e evoluir na matéria e não aprender e evoluir no astral, pois no astral eu terei tempo de trabalho de sobra depois que morrer.." Mas para evoluir na matéria não da pra pensar só no material e no físico pois não somos só matéria". Somos espírito e matéria. Então tem de conciliar e arrumar tempo para trabalhar os dois lados e conseguir o equilíbrio para nossa evolução aqui na terra. Um sem o outro é como uma gangorra só com uma pessoa, não funciona!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Verdade Madrebenemérita. Não que a vida seja fácil para qualquer um, todos sabemos que não é. Mas, pude constatar que, depois de iniciar os estudos sobre espiritualidade, não é a melhor opção suspendê-los para depois retornar. Foi uma péssima escolha, estou certa de que perdi muito. 

Para nossa sorte, em toda escolha, ainda que ruim, é possível retirar algo de bom. Aprender é algo necessário à nossa mente e adquirido com estudo e vivência. Aprendi que escolha não tomar, ainda que tenha sido tomando.

Espero que quem ler isso, se estiver com a mesma dificuldade, não deixe de, minimamente, estudar ou ler algo que acrescente à sua espiritualidade todos os dias, nem que cinco minutos depois você durma por causa do cansaço diário. Porque agora eu terei que reiniciar (quase, pois sempre fica algo) todo o progresso que já havia adquirido. 

A vida é pra isso: errar, consertar e não cair na armadilha de antes. O tempo ajuda. Peço energias positivas e agradeço ao apoio que este grupo nos dá. 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tinha  mais o menos o mesmo problema, o que está me salvando é um plano de estudos que tenho.  Nesse plano, divido normalmente séries de estudos de 1:30h por dia.  Por exemplo: 08:00 - 09:30 estudos 09:30 - 10:00 leitura livre ( aí já leio algum livro de espiritualidade)  depois volto a estudar. Como isso tende a se repetir bastante durante o dia, além de absorver os estudos sem se cansar, consigo improvisar meus hábitos de leitura . Imagino que você não estude 12h direto sem parar, com organização da pra fazer as praticas espirituais. :-)    Independente de como esteja corrido o seu dia, a espiritualidade também se trata de equilíbrio, ou seja, equilibrar as horas de trabalho, horas de diversão, espiritualidade e etc. 

  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 14/12/2017 at 14:11, Andressa Thayná disse:

Olá pessoal!:-)

Atenção: a dúvida se encontra no final, mas leiam tudo para entender o contexto.

Faz um tempo que não escrevo no fórum e por vários motivos. A princípio tentei me concentrar mais, meditar e levar estudo e prática de projeção mais a sério - o que foi bom por me dar (pouquinho) mais experiência sobre os assuntos estudados por aqui.

Com isso, achei que evoluiria numa linha ascendente e contínua e que nada me impediria de prosseguir assim. Erro meu.

Não sei se aconteceu com os mais antigos no ramo ao começarem os estudos sobre espiritualidade. Mas, ainda que de início eu tenha conseguido algum avanço, parece que quando dou um passo a frente vem um vento forte e me derruba com grande intensidade.

É de certa forma engraçado,  porque houveram momentos em que eu estive num grau de imersão espiritual tão forte que nada me abalava, e eu conversava constantemente sobre isso (acho até que meus amigos talvez estivessem cansados disso, mas eu não conseguia conter essa felicidade).

Eu treinava meditar todos os dias e tentava projetar também. Anotava tudo, sempre que lembrava de alguma novidade.

Porém... 

Infelizmente este mundo é bem cruelzinho, principalmente quando estamos tentando ser mais espirituais. Acontece que este é um dos momentos em que mais sou cobrada para obter resultados materiais. Tem a universidade, a cobrança para um estágio, a cobrança para trabalhar, para ser mais "responsável" etc. E, embora antes ficasse um pouco triste pois sabia que o que estava fazendo não era errado, depois de um tempo refletindo, percebi que, aparentemente, a melhor forma, para o momento, de sanar isto é suprir a cobrança e começar a trabalhar mais na materialidade para que, em breve, não necessite do sustento de outrem para submergir na espiritualidade (enquanto os que me sustentam trabalham pesado).

Desde então, decidi focar num planejamento para conseguir meu próprio sustento e terminar minha graduação o mais breve possível. Assim, que conseguisse eu voltaria com força total aos estudos espirituais. 

O problema é que: quando você para de estudar e praticar, parece que aquilo que você aprendeu se perde. Exemplo disso é a serenidade que eu havia conseguido: onde se encontra? Eu não sei. Isso me traz um sentimento de culpa muito forte. Quando estava mais espiritual sentia culpa por dar trabalho a outros e agora que estou mais material sinto muuuuuita falta da minha espiritualidade. 

Enfim, depois deste pequeno relato-confissão, minha dúvida é: como vocês fazem para conciliar? Levem em consideração que eu só tenho 21, ainda não trabalho (ainda que a Universidade me dê muito trabalho) e sou iniciante (embora já haja algum conhecimento na bagagem). 

Não sei se é uma dúvida boba, mas está sendo bastante difícil pra mim agora. Um verdadeiro dilema.

Não sei se você está acompanhando o fórum ou se deixou de acompanhar por alguma razão, mas tudo que você disse, de alguma forma eu me vejo em situação extremamente parecida.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.