• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Recommended Posts

Parafraseando o querido Chicó: "não sei, só sei que foi assim".

Obs 1: Já expulsei algumas entidades bem trevosas de casas, mansões etc... Mas essa é a primeira vez que vejo um espirito possuido por outro.

Obs 2: Isso foi semana passada, mas eu não queria nem pensar na entidade em questão pra não me ligar na energia, então esperei um pouco pra memória ficar menos nítida antes de fazer o relato.

Acordei em uma cama que não era a minha (acontece as vezes de sair do corpo em outro lugar), e havia um conhecido meu que tem uma energia incrível, uma pessoa iluminada, andando meio nervoso pela casa. Pegando objetos, e andando rápido. Em um determinado momento ele disse para outras pessoas na casa que precisava muito sair, e que não era para deixar "ela" sair de la de maneira nenhuma. Quando ele sai, eu vou pra rua e escuto umas gritarias dentro de casa. Havia uma menina jovem, com uns 19 anos, tentando sair pela porta da casa aos gritos. Nisso tinha umas 5 ou 6 mulheres tentando segurar ela la dentro. Eu ia me aproximar e uma mulher me impediu dizendo para tomar cuidado com o acoplamento aurico. Eu toda confiante disse "não se preoculpe, eu tenho corpo fechado" (kkk). A mulher acreditou e disse "a bom", me deixando passar... "só o que falta eu passar vergonha depois de ter sido toda confiante", pensei. Quando eu foquei a atenção na menina ela parou de gritar por um momento como se tivesse dado uma enfraquecida (alô mentores), aproveitei pra pular pra frente dela e segura-la energéticamente. Foi aí que começou..

A menina me olhou com uma cara de deboche e começou a jogar energia de volta, dando a impressão de que ela estava ficando maior e tentava fazer com que eu me curvasse perante ela. Eu por outro lado não queria ser humilhada depois de botar banca de corpo fechado, mas estava muito difícil segurar aquela entidade sozinha. La fui eu invocar todo mundo que eu conhecia, foi Jesus, Maria, Shiva.. E a menina ria, cada entidade que eu pensava era um deleite maior de deboche no rosto dela. Pensei "meu deus é o próprio Lúcifer essa criatura", minhas orações por mais bobas e infantis que fossem nunca me falharam.. Foi então senhores, que eu invoquei chefe, o Uno, aquele que se falhasse eu não tinha mais ninguém pra chamar.. Não foi Deus, aquele senhor barbudo, foi o Uno que eu vi em um Samadhi, imaginei aquela complexidade de formas geométricas responsiva a cada mínimo acontecimento do universo, e só então o sorriso no rosto dela sumiu. Uma onda energética varreu todo o cenário pra longe e eu me vi num local deserto, escuro, como se fosse no umbral, e só havia eu e a presença da entidade "maligna". Comecei com meus "pai nossos" e dalhe todas as orações prontas que eu conhecia, porém não era o suficiente. Então fui conversar com o Homi em linha direta: "Pai, eu sei que para essa entidade ter se acoplado, boa coisa aquele espírito não fez, e entendo que foi consequência do livre arbítrio, mas existem outras pessoas sofrendo por causa disso, pessoas que não têm culpa. Por isso peço intervenção.".. Foi só aí que parece que meus "Pais Nossos" e "Aves Marias" começaram a ter efeito. É como se as entidades superiores não tivessem permissão pra intervir até o momento, de tão feio que foi o ato do espirito que estava sofrendo a possessão. Meu corpo começou a vibrar, se encheu de energia e o ar da volta começou a melhorar. fiquei mais um tempo nas orações prontas depois disso e voltei pro corpo me sentindo muito bem. 

Foi certamente a assistência mais difícil que ja fiz até então. Me fez pensar nas leis do céu e ta terra onde NADA acontece sem a permissão do Uno e em como podemos intervir pelos outros, assim como os "espiritos superiores" fazem tantas vezes conosco, além da força que têm o livre arbitrio... Algo a se meditar sobre.

Abraço a todos, vejo vocês no Astral!

 

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

É, eu ja me vi algumas vezes nessas situações. Sempre achei estranho (depois que volto ao corpo, porque ali na hora parece natural) porque nunca vi falarem disso. Tem casos em que a pessoa está amarrada na cama, como no filme O exorcista. A diferença. em relação ao cinema e oa que pensamos em vigília, é que voce nota ali que é alguém em sofrimento, não um cão raivoso que quer beber seu sangue, ehehe.

E só vi mulheres nessa situação.

 

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Muito bom saber que alguém teve uma experiência parecida. Não que eu duvide da minha experiência, mas ninguém quer parecer a/o doida/o que confunde onirismo com projeção kkk

Share this post


Link to post
Share on other sites
12 horas atrás, Ane disse:

Foi certamente a assistência mais difícil que ja fiz até então. Me fez pensar nas leis do céu e ta terra onde NADA acontece sem a permissão do Uno e em como podemos intervir pelos outros, assim como os "espiritos superiores" fazem tantas vezes conosco, além da força que têm o livre arbitrio... Algo a se meditar sobre.

@Ane uma experiência muito interessante de amparo e dessassédio que você teve, parabéns. Eu acredito que assim como nossas crenças e conhecimento determinam nossas ações aqui na dimensão fisica, essas crenças e conhecimentos também determinarão como agiremos em outras dimensões, acredito que você foi enviada para o lugar que deveria ir, no momento que deveria estar, e fez o trabalho. Quase sempre não vemos os mentores, eles estão mais sutis, ou em outras dimensões, mas estão presentes acompanhando e direcionando o amparo mesmo que não sejam percebidos visualmente, porque pelas energias sempre percebo que estão próximos em momentos de amparo e dessassédio. Abs paz e luz

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
12 horas atrás, sandrofabres disse:

E só vi mulheres nessa situação.

Sandro, tenho uma dúvida relacionada a isso, que me veio essa semana, devido ao que aconteceu na casa onde vivo. As pessoas do sexo feminino teria algum tipo de predisposição genética e/ou mental a ter, digamos, companhias trevosas(no caso dos adolecentes) ou são mais facéis de assediar? E como isso afeta as pessoas e o ambiente ao redor?

Percebo que a desarmonia chega aqui quando minha irmã, depois que volta da escola (um ambiente pesadão, eu sei) e quando minha mãe chega do trabalho (Copeira hospital.. outro ambiente pesadão hehe) e elas não ligam, nem conhecem, o assunto de energias e tal.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olha, se pensarmos só em caso de assédio motivado por vampirismo astral, sim. Os casos de poltergeist sempre tem pré-adolescentes ou adolescents envolvidos. E na absoluta maioria doas casos, são meninas. 

Toda pessoa em fase de crescimento está produzindo energia densa em excesso, e isso atrai as entidades. Em geral a questão da repressão sexual também costuma estar presente nesse casos de poltergeist, e repressão sexual atinge muito mais meninas que meninos. 

Além disso tem a questão da menstruação. Eu não tenho certeza se de fato ela constitui um diferencial real ou apenas imaginário, um mito construído por uma sociedade patriarcal, mas mulheres tem dificuldade para serem sacerdotes (sacerdotisa no caso). Mesmo na gnose havia a orientaçaõ para que as mulheres não participassem dos trabalhos caso estivessem menstruadas. Tenho vaga lembrança de que o w.w.da matta e silva, famoso autor da umbanda brasileira, também fala algo similar nos seus livros. 

Então no aspecto "energias" talvez elas tenham algo diferente que justifique essas particularidades na questão dos assédios. Mas fora isos não em porque, espírito, psique,  não tem sexo, deve ser apenas uma questão do veículo usado mesmo.

Agora, o líder daquele grupo de apometria do qual participei acha que mulher é muito mais assediada porque é mis emocional. Talvez a repressão sobre as emoções que caracteriza a educação masculina desde cedo produza esse diferencial. Só que nem todo assédio é emocional né? A bicharada infiltra pensamentos trevosos na mente de todo mundo que não se auto-observa.

  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Mas note que o caso real no qual se baseou o filme O exorcista foi de um menino, não de uma menina. E certamente aqueles malucos que pegam uma arma e resolvem entrar em escolas e atirar nos colegas só pode ser assédio. E são sempre meninos.

  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

É, vou ter que reescrever por que a net não me ajudou e perdi tudo que tinha escrito.

Interessante Sandro, esse fato de repreensão sexual explica muita coisa. Em questão da menstruação, meu conhecimento limitado não conhece muito bem, mas parece que existe alguma "desordem" psíquica/emocional, talvez, durando o estado pré-menstrual e pós-menstrual (TPM e, nos casos mais graves, TDPM) o que as deixa vulneráveis a qualquer tipo de assédio (e com mais intensidade), ao meu ver.

1 hora atrás, sandrofabres disse:

Mas note que o caso real no qual se baseou o filme O exorcista foi de um menino, não de uma menina. E certamente aqueles malucos que pegam uma arma e resolvem entrar em escolas e atirar nos colegas só pode ser assédio. E são sempre meninos.

Entendi, parece que o veículo usado tem dessas "particularidades", devido aos fatores externos(social, familiar e tal) de cada?  

1 hora atrás, sandrofabres disse:

Agora, o líder daquele grupo de apometria do qual participei acha que mulher é muito mais assediada porque é mis emocional. Talvez a repressão sobre as emoções que caracteriza a educação masculina desde cedo produza esse diferencial. Só que nem todo assédio é emocional né? A bicharada infiltra pensamentos trevosos na mente de todo mundo que não se auto-observa.

kkkk A bicharada não perde tempo, se abrir brecha vem tudo em cima.

Share this post


Link to post
Share on other sites
13 horas atrás, CarlGSR disse:

Entendi, parece que o veículo usado tem dessas "particularidades", devido aos fatores externos(social, familiar e tal) de cada?  

Acho que sim. Em função disso a sociedade olha para cada  casos e os clássica diferente: mulher "possessa" tem crise histérica... homem "possesso" mata a família toda e,  saindo da classe de pessoas com problemas psicológicos e caindo na classe de criminoso, que tem outro tratamento. Veja lá o exemplo daquele caso de Amytville, que gerou o filme. O que ficou famoso e que as pessoas lembram foi o evento da casa assombrada que fez todo mundo fugir. Não é lembrado que antes ali morava uma família, em que o filho mais velho  resolveu matar os pais e os 4 irmãos "porque uma voz mandou". https://pt.wikipedia.org/wiki/Ronald_DeFeo_Jr.

Ninguém vai se preocupar em pensar "coitado, estava possesso"  né? 

E essas coisas acontecem a toda hora, mas vemos como se sejam apenas fruto do caráter do sujeito, não enxergamos como possível influência espiritual

https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2017/01/01/sp-homem-mata-ex-mulher-filho-e-mais-dez-em-campinas.htm

E muita gente nem percebe como a afinidade com determinadas visões de mundo/ideologias facilita muito trabalho dos obsessores, porque as idéias negativas que antes eram transmitidas apenas telepaticamente terminam por encontrar ideologias do plano físico que as respaldam, saturando mais ainda a mente da vítima:

https://blogdacidadania.com.br/2017/01/afaste-se-de-quem-pensa-como-o-assassino-de-campinas/

 

 

  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu tenho a impressão que esse negócio da menstruação trabalha muito forte o chakra Básico.. Imagina a energia de preparação pra gerar um corpo físico se manifestando todo mês nos nossos úteros, contaminando os outros chakras com as energias do chakra básico. Esse deve ser o motivo de se evitar chamar mulheres nesse período para cerimônias que exigem o uso de energias mais sutis. Existe porém muita força no chakra básico para realização de curas físicas, rituais com a terra etc.. Eis as reuniões do sagrado feminino e tantas outras que são feitas apenas entre mulheres. É aceitar que o espirito não tem sexo, mas o corpo físico tem suas particularidades energéticas, e cada sexo se sobressai em determinadas atividades. Vai ver essa força do chakra básico nas mulheres também incentivem os acedios mais frequentes, por mais equilibrada espiritualmente que ela seja, vai haver esse período do mês que viramos um banquete para os espiritos mais densos. 

Esses dias fiquei lúcida e peguei um acediador "na tampinha" acoplado no meu chakra básico. Na hora que pensei "quem é você!?" ele saiu correndo pela porta do quarto, parecia um tarado em corpo físico... Se eu não fosse projetora ia acordar exausta sem saber o porque.. 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.