• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
robertoguerreiro

Qual a missão da miséria , pobreza e o fracasso?

Recommended Posts

Bom, eu já li a resposta para essa pergunta no espiritismo, mas eu queria saber a opinião sobre isso por quem exerce a vida espiritual mais intensa e prática sem aquelas decorebas.

A minha experiencia com a miséria é muito forte, desde pequeno a minha mãe por ser semi-analfabeta e mulher da vida, sempre morou em cortiços e casas abandonadas.
Eu por vez sempre fui um aluno fraco que só tirava C em tudo, eu só era bom em filosofia, que não serve pra nada.
Da minha infância até a minha juventude só morei em malocas e casas abandonadas com a minha mãe.
Eu sempre gostei de ir à bibliotecas pesquisar sobre informática, isso me fez ganhar alguns mangos para me sustentar até os dias atuais. Hoje eu estou trabalhando e não moro em malocão mas moro na boca do lixo de São Paulo, estação da Luz, o verdadeiro umbral com U maiúsculo é aqui!  Eu vejo o Saulo as vezes brincar que a cidade onde ele mora é o umbral, coitado, mal sabe ele o que realmente é o umbral:

De 2017 para cá, o número de pessoas morando na rua aumentou exponencialmente  na região onde eu moro, tem pessoas mijando e defecando em pé em todos os cantos da rua, gente igualzinha daquelas que aparecem nas nossas paralisias do sono e pesadelos noturno,  nos olhando na rua querendo calcular o que você tem para te roubar, se você olha nos olhos deles, pronto! já é o suficiente para fazer o rapport e eles virem te requisitar alguma coisa ou te roubar mesmo. Até a cinco da manhã tem som alto na rua daquelas músicas bem bregas cantadas por crianças , tipo aquela "Tijolinho Por Tijolinho" , isso tudo acompanhado por gritos de pessoas com problemas mentais que ficam segurando ratos mortos na mão falando coisas estranhas:
Tem um que sempre fica gritando alto e de forma desesperada pelo meio da rua e sem camisa "ME SOLTA! ME SOLTA!", tem um outro que grita "IIIIIIIIIIIIIHUUUUUU" , tem um outro com uma voz de lobisomem se transformando parecendo que tem um pau na boca que fica cantando umas coisas sem sentido, enfim, uma vez um até jogou uma pedra na costa da minha mãe!

Tem também um mendigo que eu quando olho me dá pena, sinto até vontade de chorar e disfarço quando eu o vejo, eu costumo falar que ele parece Deus naqueles quadros renascentistas:
barbas e cabelos brancos e grande, ele não se mistura em algazarras com os outros mendigos, sempre está quieto parado num canto em pé com a suas sacolas na mão e não importuna ninguém pedindo nada, quando eu olho esse senhor eu brinco dizendo que ele é Deus mas eu sinto uma profunda pena que eu não sinto pelos outros. A minha mãe as vezes fala com ele. Uma vez eu estava entrando num banco e ele , sem eu pedir, me alertou gentilmente que ele estava fechado e não abriria nesse dia. Ele está na rua, poderia ser eu no lugar dele, isso me causa muito medo e tristeza. Como que algumas pessoas são tão ricas no amor, no dinheiro e no sexo enquanto outras que são boas ficam cercadas de miséria??? Nossa! Só de falar desse senhor eu começo a chorar!

Eu ultimamente estou em um emprego mas sabe quando você sente que a sua vida toda está segurada perigosamente naquele único sustento e que ele pode acabar de uma hora para outra e você voltar à miséria extrema? Já tenho uns 40 anos, não encontro mais forças financeiras e mentais para estudar, sou homossexual só gostei a minha vida toda daqueles caras que gostam de mulher apenas, já sofri muito por isso, até hoje sou virgem e morro de medo de tentar fazer uma faculdade e encontrar aqueles jovens bonitões , me apaixonar calado e sofrer, por isso eu nem tento. No meu emprego as pessoas mandam eu fazer uma faculdade, eu digo que não faço por motivos financeiros , em parte é verdade mas a história verdadeira é essa que eu contei acima.

Bom, todas as noites eu ando sonhando que estou morando novamente em malocões , voltando à minha vida de antes quando eu era menor e vivia sendo despejado dos locais porque minha mãe não conseguia pagar o aluguel. Eu estou cheio de sintomas de doenças da idade mas no meu emprego eu finjo que não tenho nada, nunca faltei , nunca me afastei por mais de um dia de trabalho, nunca usei atestado falso.

E o pior, eu tento incansavelmente procurar o significado disso tudo que descrevi acima e não me aparecem espíritos, não me aparece intuição e todos os sonhos e pesadelos que eu tinha antes e que pareciam ser coisas espirituais desapareceram do dia pra noite depois que eu passei a pesquisar o ocultismo. Dizem que todo mundo tem um mentor mas se isso for verdade, o meu deve ser deputado... Nas Terapias de Vidas Passadas eu não pego transe , consequentemente eu não regrido, a única intuição que eu tive na minha vida e que funcionou foi uma vez que eu me senti muito ruim psicologicamente de ir à um local , fui e acabei sendo linchado por motivos envolvendo a minha sexualidade, tirando esse fato, a minha intuição sempre foi uma B*TA.

E ultimamente eu ando morrendo de medo de ficar no Brasil, eu ando muito irritado com pessoas que não respeitam os outros com barulhos, transito e abusos, estou com raiva daquelas pessoas que mandam a gente quebrar uma regra pois ninguém está vendo, gente que não respeita mais nada e só liga pra si anda me irritando muito, no Brasil as pessoas estendem as pernas e os pés na frente de locais públicos e mesmo pedindo licença para passar elas não se afastam ou se ofendem com isso, isso me deixa p*****! Veja o dilema: eu não gosto do Brasil mas não tenho qualificação para morar num local como Canadá. Eu não queria ser rico, eu só não queria ser miserável e ter que ficar brigando pelo o que é certo o tempo todo, eu queria apenas paz pra andar com meu celular na rua e não ver gente sofrendo a toa. 

Gente, por que São Paulo está assim? Gente abrindo lixo pra comer? Gente que não respeita a lei do silêncio por todo o canto!
Quem precisa de ajuda humanitária é São Paulo, isso sim! Onde eu moro por exemplo, é tipo um campo minado: eu tenho que olhar com muita atenção onde eu piso para não pisar na M* , isso virou uma norma aqui. Eu vejo que tem muita gente aqui que não liga , vive feliz e até come nos barzinhos pra fora na calçada em meio à toda coisa ruim ao redor, não sei se são mais evoluídas, mas eu, eu tenho gancho, a miséria me fere profundamente no peito, me agride, eu não consigo ser feliz num lugar assim, só não saio daqui pois meu imovel foi financiado e eu ajudo a minha mãe a pagá-lo mas eu estou ficando muito down aqui. Credo! São Paulo , principalmente o centro, está fazendo o umbral do nosso lar parecendo um país nórdico! É sério, evitem São Paulo!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

É, esse lugar que você descreve parece realmente um umbralzão. É que mesmo as zonas físicas parecem estar submetidas às mesmas frequências do astral. Ainda mais hoje em dia, que as duas zonas parecem estar mais próximas. O líder do grupo de apometria com quem trabalhei um tempo descreve isso como “o umbral está subindo para o físico”, está virando tudo a mesma coisa. Mas o planeta sempre teve zonas  em que se vive como se já tivessem deixado o plano físico e tivessem ingressado na primeira zona do “inferno”, como aquelas zonas mais miseráveis da áfrica.

 

Cara, as religiões ou doutrinas costumam dar explicações didáticas, para que as pessoas captem a idéia geral, mas daí a ser a explicação real, há uma distância considerável, porque é a distância que separa o caso geral do caso particular.  Então você pode provavelmente cruzar com explicações que diriam que quem nasce na extrema pobreza é porque precisa aprender a lição da humildade. Pode ter sido rico na vida passada e abusado desse poder físico, causando mal, e agora precisa sentir na pele o outro lado. Particularmente eu não engulo isso, mas sim a idéia geral.

 

A questão é que a vida física é uma ESCOLA em que as pessoas são agrupadas por traços similares, e por isso pessoas com perfil psicológico similar (dentro de certas variações) vivem em grupos (bairros, cidades, países, regiões ) submetidos às mesmas circunstâncias desafiadoras. Criando um exemplo grosseiro: imagine um monte de crianças franzinas fisicamente, mas saudáveis, e outro grupo de crianças saudáveis mas fortes fisicamente. Todas elas querem aprender, por exemplo, ginástica olímpica, mas o professor lha e vê que um grupo ali está abaixo das capacidade físicas necessárias para COMEÇAR. Então ele separa os grupos e manda o grupo mais frágil para outro tipo de treino, com exercícios calistênicos simples, por digamos 6 meses, para esse grupo mais fraco se fortalecer e ADQUIRIR CONDIÇÕES de começar a fazer o que eles querem, ginástica olímpica.

Durante esses seis meses o grupo de crianças em melhores condições já está se divertindo, enquanto o grupo de crianças franzinas passará seis meses “penando”, com flexões, abdominais, corrida, etc... Talvez sintam que a vida é mais difícil para elas, porque não estão fazendo o que desejavam. Talvez achem injusto, porque olham os coleguinhas lá no outro lado do ginásio fazendo tudo que elas queriam fazer. Talvez algumas até desistam, porque o orgulho as derrotará: concluirão que estão sendo segregadas e ao invés de completar o treino preparatório, abandonam e escolhem fazer outra coisa na vida. E assim JAMAIS TERMINARÃO  a etapa preparatória, não porque a vida foi cruel com elas, mas porque elas se deixaram dominar pelo orgulho e sabotaram a si mesmas, desistindo. Já aquelas que “humildemente” confiaram nas condições que lhe foram determinadas e completaram o treino, terminaram por adquirir as condições necessárias após seis meses e finalmente começam a fazer o que desejavam.  Daqui a dez anos o que significará o fato de que um grupo de atletas que estará disputando vaga nas olimpíadas começou seis meses antes do outro?Nada.

Também na vida é assim, do ponto de vista de quem está encarnado, cada um está sendo preparado e desafiado segundo sua psique, segundo suas capacidades.  Eu falo uma coisa que as pessoas acham estranho, mas eu não desejaria ter nascido em família de gente rica, porque me parece que os desafios estão além da minha capacidade.Por exemplo, como confiar nas amizades ou amores, se talvez só se aproximam de você pelo que você tem, não pelo que você é? Sem falar nas questões de privacidade e segurança: o cara é ricaço, mora numa mansão e ops.. precisa ter uma equipe de empregados domésticos e um gerente da equipe, para organizar tudo. Mas nem f.... que eu moraria numa casa cheia de estranhos que só estão ali pelo salário! Sua casa se torna o que? Um tipo de micro-empresa com 15 empregados cuidando das inúmeras tarefas, com cozinhar, cortar grama, limpar, organizar as compras.. deus me livre de viver uma vida assim! Sem falar no risco ao sair na rua: você tem lá 5 ferrari na garagem, uma de cada cor, beleza. Sai a dar uma volta por aí, te seqüestram e pedem resgate para família. No ano que vez seqüestram seu filho ou irmã.... “ah não mas rico tem seguranças”. Ah tá, marmanjo andando com babás até que idade?Até morrer!!!  Nunca eu iria querer uma vida dessas para mim! Acho que seria tóxico para o desenvolvimento interior,mas talvez quem nasça rico tenha outra visão, exatamente porque talvez tenha uma psique com outro perfil.

 

Mas assim: você NASCE sob determinadas circunstâncias, que estão ligadas às lições que você precisa aprender. Mas isso NÃO SIGNIFICA que você precise CONDENAR-SE VOLUNTARIAMENTE a ficar preso nessas condições. Se seu “karma” for passar a vida toda nelas, você não terá MEIOS de sair dela, por mais que tente. Mas também é provável que não sairá delas por uma “graça divina”, você precisa SUPERAR as lições dessa escola, para progredir de escola. Enxergar a si mesmo como um produto acabado, como alguém destinado apenas àquilo seria um erro terrível. Seria como se aquelas crianças lá do exemplo resolvessem que vão passar a vida inteira naquele treino preparatório de seis meses, sem jamais chegar na ginástica olímpica, porque cismaram de pensar “é meu destino, sou um fracassado e por isso estou aqui. Então vou aceitar e jamais tentar sair, é meu carma mesmo...”. Não se faz isso! Compreender o karma é para você entender que NEM TUDO depende de sua vontade, que há fatores maiores envolvidos na vida. Porém, você faz a sua parte, se empenhando em superá-los, de modo que quando as a oportunidade da saída surgir, você está equipado para aproveitar a chance. Se você nunca trabalhar com a possibilidade de saída, quando essa oportunidade sair você não poderá aproveitar, e ficará preso na sua condição, não por culpa do carma, mas por sua escolha. Portanto a idéia do carma PE para nos ajudar a compreender nossas limitações e que tudo tem um tempo, mas não é desculpa para não trabalharmos na direção daquilo que queremos. Cuide de fazer o que você acha necessário  e deixe que o seu carma cuide de si mesmo, cada um faz a sua parte.

 

Acho que você devia seguir os conselhos que te deram, faça uma faculdade. Filosofia não serve para nada? Bom, cursos que não servem para nada, se você se aprofundar a ponto de obter doutorado, pode conseguir virar professor de universidade, que dá um salário inicial acho que de 8mil. Se escolher qualquer uma das outras coisas que “não servem para nada”, como história, geografia, matemática, física, português, .... tendo só faculdade pode dar aulas no ensino médio, o que acho que paga uns 2mil. Não é grande coisa mas trabalhará em melhores condições do que em outros empregos que pagam o mesmo mas te colocam numa posição mais degradante, como vendedor de um produto que você nem gosta, mas que precisa convencer os outros a comprar né? Acho que até pedreiro ganha mais que 2mil por mês, porém, pode não ser o serviço mais agradável para se fazer e a idade acabará cobrando seu preço pelo esforço físico acumulado.

Há várias opções, mas se você não estiver olhando sempre para um degrau acima, não terá idéias de como sair do degrau atual.

Deixo aqui como sugestão de leitura inspiradora, o livro do Roberto Carlos Ramos, que foi menino de rua e conseguiu sair dessa, só para você lembrar que a vida dá voltas, mas você precisa querer se mexer.

 

A Arte de Construir Cidadãos.pdf

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sandro, obrigado por me responder!
Eu gostei da sua comparação usando as crianças no exemplo da ginástica olímpica; talvez, se existir vida espiritual e um dono ou patrão espiritual que mande em mim, pode ser que a minha vida realmente seja uma preparação para fazer algo ainda mais pesado ou maior porem ao contrário do seu bom exemplo, nenhum mentor(o professor da sua ilustração acima) veio me avisar que essa minha vida feiosa na cracolândia de São Paulo seja uma preparação para algo. Eu nem mesmo sei se espíritos ou vida depois dessa existe, de repente essa coisa de espiritualidade é um grande poema acalentador para não termos medo de morrer e mais nada. A minha vida com a "espiritualidade" sempre foi marcada por momentos tristes: a minha mãe quando eu era pequeno vivia indo em centros de umbanda e outros lugares para conseguir algo para garantir o nosso sustento. Uma vez era acender um defumador "chama dinheiro" para ver se conseguia mais fregueses na prostituição, outras vezes era tomar banhos ditos mágicos para atrair homens e com isso ganhar dinheiro e nos momentos antecedentes aos despejos, ela rezava acendendo uma vela, de tal forma que eu tomei trauma, a espiritualidade na minha mente ficou associada à momentos de crise e periclitância. Até mesmo o famigerado livro de são Cipriano tínhamos,  dali a gente acreditava que poderia ter um pacto, uma simpatia ou uma oração para a vida nos sorrir, que dó!

Você falou acima sobre o fato de possivelmente ser rico e se ter  um monte de empregados e questões envolvendo a segurança para se gerenciar dentro de casa, criando-se assim praticamente uma empresa onde deveria ser o seu lar. Bem, realmente isso é chato, porem em muitos locais fora do Brasil não é assim. Existe locais no mundo que esse hábito nosso de termos empregadas domésticas para fazer as nossas coisas , é visto com espanto. Eu conheço locais na europa onde pessoas milionárias não usam empregadas dentro de casa e pegam trem entre as pessoas assalariadas. Nos países mais amenos as diferenças sociais são mais discretas e as que existem, não são reparadas como é aqui, temos locais do mundo que andar com Ferrari não causa estranheza como causa aqui.

Outra coisa que você falou e que eu já pensei muito é no tal "faz! paga!", eu acho que isso vem muito da necessidade humana de se fazer justiça. Sinceramente eu não acho que eu tenha sido uma pessoa rica e poderosa que praticava abusos no passado para merecer ser miserável e desmoralizado nessa, afinal, dizem que os nossos talentos adquiridos não são perdidos e se tem uma coisa para a qual eu não tenha nenhum talento e fazer fortuna e ter poder, desde pequeno eu queria ser líder de classe e não ganhava eleição nem pra limpar o chão do banheiro. Negócio, sempre detestei em pensar em montar alguma coisa pra viver, me acho ridículo sendo empresário. Detesto gente rica, pompas e formalidades desnecessárias, aprecio apenas o respeito e a simplicidade sem miséria e pobreza. Por isso eu acho que eu nunca fui algo importante em outra vida. Até gostaria de saber que fui para não me sentir tão lixo como eu me sinto, seria um consolo. Mas enfim, o sobrenatural me despreza.

É... Eu acho que você está certo, talvez eu devesse largar essa vida de informática pequena e ir fazer filosofia, como eu falei acima, um ambiente de faculdade me deixa extremamente infeliz por ter tantos rapazes jovens, bonitos, heterossexuais e todos indiferentes a mim que nem era a bilhões de anos atrás na minha vida escolar. Talvez a minha maior lição seja a lição do desprezo. Ser odiado por quem nós admiramos é tão dolorido. Sabe Sandro, as vezes eu me imagino tendo um acidente e morrendo, depois eu faço de conta que sou um mentor espiritual meu me indago: o que mais você queria ter feito nessa vida e não fez??????? Eu certamente responderia chorando: EU QUERIA TER AMADO MAIS mas fui obrigado a parecer uma pedra de gelo por causa da minha sexualidade que ninguém gostava. E o mais gozado, nasci assim na casa de uma mulher da vida, um baita de um contraste né?

E pior, as vezes eu me pergunto no peito: o que eu gostaria de fazer mesmo, do fundo da minha alma? Sabe qual é a resposta? Pasme:
Me vem a vontade de pôr uma bermuda suja, um chinelo e ir sentar na calçada no meio dos craqueiros , não para consumir drogas mas para ficar lá no meio sendo eu mesmo. Só não ponho isso em prática pois eu tenho medo de não ter um local para fazer as minhas necessidades fisiológicas. Bom, ainda dizem pra gente escutar o nosso coração. O meu coração é doido!

 

Ah! Adorei a sua ideia de que o umbral está cada dia mais se unindo à terra. Isso realmente é bem notório no centro de São Paulo. Vou começar a estudar mais sobre isso. Até mais!

 


 

 


 

Share this post


Link to post
Share on other sites
5 horas atrás, robertoguerreiro disse:

se existir vida espiritual e um dono ou patrão espiritual que mande em mim, pode ser que a minha vida realmente seja uma preparação para fazer algo ainda mais pesado ou maior porem ao contrário do seu bom exemplo, nenhum mentor(o professor da sua ilustração acima) veio me avisar que essa minha vida feiosa na cracolândia de São Paulo seja uma preparação para algo

É..... os mentores não são muito bons em comunicação. Pelo menos não no tipo de comunicação que a gente precisa. para entender as coisas, eheh. Para você ter uma idéia bem prática do que estou te dizendo: um amigo meu, que era o líder do grupo de apometria com que trabalhei um tempinho,  era um cientista belga vivendo na época do hitler (ele lembra disso). Com a perseguição dos judeus, ele e a família resolveram se esconder na região rural da cidade, mas uma filha não veio. Após esperar um tempo, ele temeu que ela tivesse sido capturada na cidade e foi para lá tentar achá-la, mas aí os nazistas acharam ele, o despacharam para os campos de concentração na alemanha e ele morreu lá, de inanição. Quando estava já morrendo, sentiu-se flutuar e sair do corpo, e viu na frente dele os oficias nazistas (em astral, porque tudo que você vê acontecendo aqui no físico tem uma equipe muito maior por tras, atuando em astral, para fazer acontecer. Tanto equipes do bem quanto equipes do mal). Então ele tomado de ódio apontou para o grupo nazista e disse "eu ainda vou pegar todos vocês, um por um". 

Nesse momento brotam ao lado dele uns mentores ( que só hoje ele sabe que são mentores, naquela época ele não fazia idéia disso, só notou que os caras emanavam tanta paz que anularam a raiva dele só de ele olhar para os caras) e dizem:

- Agora sim tu estás pronto, meu filho

O que ele concluiu hoje em dia disso é que não só um evento ou outro, mas uma vida inteira, ou muitas vidas, podem ter a única finalidade de gerar as alterações psicológicas necessárias para que lá adiante, numa vida específica, você tenha condiçoes de fazer um trabalho que foi planejado para você fazer. Só que nunca avisam para esta personalidade que encarnou aqui, esta mula de carga, o quanto de peso ela terá que carregar, nem a distância do trajeto. Só antes de nascer ou depois de desencarnar você tem uma noção do plano geral. Raras são as pessoas que tem esse conhecimento sobre suas próprias vidas, então para a maioria de nós só resta levar o relato delas em consideração, porque há as pessoas que tem essas experiências, conhecimentos e respostas, e há as que não tem. As que não tem, passarão a vida às cegas se não levarem em conta as informações daqueles que tem, e nesse caso não será culpa dos mentores que não avisaram, mas da pessoa que escolheu não dar credibilidade a nada. 

Agora.. esses tempo eu estava falando com ele sobre essas coisas de mentores e tal, e ele disse:

- Mentor não explica nada, mentor mostra.

Tive que concordar, mas confesso que acho isso meio desagradável.

Porque assim.. você vê por aí um monte de gente canalizando mentor né? ehehe. E a maioria é muito prolixo, então as pessoas criam uma ilusão de que os caras estão por aí disposto a te explicar todas as suas dúvidas. Quem faz isso somos nós, os encarnados, que tendo uma mente retardada igual a de quem pergunta, conseguimos falar a mesma língua e nos entendermos uns com os outros. Mentores em geral são mudos, ou dizem o que precisa em uma frase, e acabou.  Talvez seja só minha experiência e das pessoas que eu conheço, ou essa limitação aconteça apenas em determinadas faixas de frequencia, mas o fato é: desconfie de desencarnados que falam tanto quanto um encarnado. Claro que tem situações em que ele falam mais, porque há salas de aula no astral, e aí a coisa se estende, mas como regra geral os caras vão te dar recados por sonhos , criando experiências plasmada em que você mesmo conclui a mensagem. Exemplo: eu estava com uma certa atitude muito fixa em relação a um assunto, lá pelos idos de 2002. Então num determinado sonho me vejo na platéia de um programa de auditório,  o "SomBrasil", dos anos 90, e lá no placo estava Lima Duarte declamando uma poesia de algum poeta rural do nordeste. Ele ali sentado encenando as falas em que o narrador conta que fez isto e isto e passaram os anos e fez isto eito...e entoa chegou a velhice e estava assim assim. Então eu pensei:

"Ahh, que triste, o cara passou a vida toda preso nessa atitude, podia ter mudado isto e isto, mas o ptempo passou e ele ficou sempre apegaod àquilo..."

E puff, acordei na mesma hora, com a MINHA conclusão reverberando ainda na minha mente e...com a terrível percepção de que eu mesmo fora capaz de concluir que minha atitude era errada. Bastou que para isso eu visse outra pessoa agindo igual. Porque é sempre mais fácil enxergar o cisco no olho do outro do que a trava no seu proprio olho não é mesmo?

E não foi só uma vez que esse tipo de sonho aconteceu na minha vida. Agora, no exemplo citado, se tivesse aparecido um mentor no meu sonho , ou mesmo projeçao e tivesse me dito: "você está errado ,tem que agir assim e assim", o que eu pensaria? Eu me justificaria, eu acharia que esse sujeito não entende do que está falando, que eu é que sei da minha vida, Ou acharia que era um espírito zombeteiro tentando me influenciar. Mas como me geraram uma situação análoga ao meu caso, numa plasmagem,e fui eu quem cconclui sozinho, ao observar a cena, não tenho como contra-argumentar, ehehe. Por isso "menor não explica, mentor mostra".

Mesmo que você não se projete, um hábito saudável para sua espiritualidade é manter um diário de sonhos e registrá-los sempre que acordar. Porque embora nos sonhos apareçam também muitas catarses, é esse "ambiente virtual" que atua com interface entre nós, encarnados, e algum princípio superior, sejam mentores ou seu Eu superior (claro que obsessores também atum nisso, implantando pesadelos ou fazendo você passar por experiências fantasia em que encara suas fobias). E quando você estiver lembrando com facilidade dos seus sonhos, experimente dormir com uma pergunta em mente, sobre algo que você deseja obter a resposta. PODE SER que a resposta não venha na primeira noite, mas siga tentando e anotando seus sonhos, e verá que em geral não demora para que surja um sonho que, após ser interpretado, você nota que contém a resposta. Claro que as vezes lembrará de ter sonhando com alguém dizendo a resposta na forma explícita, em forma de frase mesmo, no meio de uma conversa nada a ver do sonho, mas em geral você precisará olhar para seus sonhos como quem olha para uma fábula, para encontrar a resposta.

E isso também pode ser obtido via meditação, mas aí ovce precisa, tal como na projeçao, adquirir uns meses de prática, para poder explorar melhor esse campo.  

Voltar-se para esse campo das respostas internas será muito mais produtivo do que focar nas dificuldade da vida física, porque as dificuldades atuais são uma semeadura, são algo que foi colocado em funcionamento no momento que você nasceu. Você tem oportunidades físicas de mudar isso dentro das possibilidades físicas que o mundo te oferece; educação, profissão, escolhas materiais, mas o limite do que pode mudar também é regulado pelo carma. Seja como for, tanto faz, porque tudo da vida material irá virar pó mesmo. Foque no que você pode adquirir para seu interior, sua melhora psicológica, porque isso você carrega de uma vida para outra, é um investimento de longo prazo, e o único que merece nossa atenção séria.

Mais algumas coisas que talvez eu devesse comentar, mas que são pontuais, só para você saber, ou talvez já saiba:

6 horas atrás, robertoguerreiro disse:

E o mais gozado, nasci assim na casa de uma mulher da vida, um baita de um contraste né?

Não há de fato contraste algum entre sua mãe ter sido prostituta e você ser homossexual. Pense no umbral como se fossem prateleiras de comida no supermercado:  os espíritos que ficam no sexo normal ( monogâmico, tranquilo) ficam numa zona do umbral. Em outra zona ficam a turma dos "excessos" ,tanto faz se são hetero ou homo, embora a zona homo fique um pouco separada, porque o excesso hetero é "mais do mesmo", enquanto que zona homo é "o excesso do excesso, a ponto de ter se tornado o seu contrário". Mias ou menos como a relação entre a pessoa de peso normal, o obeso mórbido e o pessoal que tem bulimia. Esses últimos dois casos são apenas fruto do excesso, ficam na "mesma classe", ou mai ou mesmo na mesma frequência do astral. São zonas vizinhas na verdade. E o que acontece quando uma  pessoa engravida é que ela tem uma sintonia básica, e o ato sexual a fará "capturar" (o ato sexual gera um campo de atração magnética, como um furacãozinho, que atrairá os espíritos que estão próximos na sintonia) um espírito que tem tudo a ver com a sintonia dessa pessoa. Como a sintonia/zona astral da prostituição é vizinha da zona astral do homossexualismo, porque ambas são zonas de sexo intenso, há boas chances sim de colher um espírito com tendências homossexuais. Não é algo contraditório.

6 horas atrás, robertoguerreiro disse:

um ambiente de faculdade me deixa extremamente infeliz por ter tantos rapazes jovens, bonitos, heterossexuais e todos indiferentes a mim que nem era a bilhões de anos atrás na minha vida escolar. Talvez a minha maior lição seja a lição do desprezo.

Quanto a sua insatisfação nessa área, pô cara, todo mundo passa por isso. Hetero também sofre muito com amores não correspondido, ehehhe. A diferença, eu diria, é que como o percentual de heteros é muito maior, as probabilidades de encontrar alguém que te corresponda são maiores, é algo matemático. Só que:  quem liga para a matemática??? A sala pode te mil mulheres lindas ali dando sopa, mas se o cara se fissurou em um delas, se ele acha que ela é a mulher da sua vida, é aquela, não as mil que ele quer. E aí se não der, o cara sofre. O quem mas tem por aí é hetero enchendo a cara e festinhas,trocando de namorada como quem troca de cueca, mas infeliz porque no fundo ele sempre gostou foi daquela menina por quem se apaixonou aos 15 anos, mas que ja tinha namorado.. E aí o babaca pensa "não vou sofrer por mulher (como se fosse piuca coisa, sei..), vou é curtir a vida, el não quer tem quem quer". Curte, casa, tem filhos, trai frequentemente...  porque está se enganando, se deixou levar pela matemática das múltiplas opções. Aí depois você vê um monte de casais infelizes porque na verdade "pegaram  o que deu para pegar", por medo de ficarem sozinhos.  Antes só do que mal acompanhado...

Eu conheci minha ex-esposa quando eu tinha 19. Digo, conheci não, "botei o olho", reparei nela ao passar por la numa rua. O destino só cruzou nossos caminhos, para que conseguíssemos conversar, quando eu já tinha 22. Mas assim até os 19 eu ja tinha me apaixonado platonicamente 13 ou 15 vezes. sempre chegava atrasado porque semrpe elas ja tinham namorado, e sempre considerei anti-ético dar em cima de alguém já comprometida. Então só ficava na amizade ali, na sofrência, eheh. Até que me indignei e "quer saber??? vou ficar sozinho mesmo é esse meu destino provavelmente, então vou ter que encarara realidade: 

Terei que deixar crescer um bigode e morar com a mamãe, o perfil clássico, kkkk

 

Belchior.jpg

E engraçado que foi aí, após minha indignação, minha chutada de balde altamente revoltado... que as portas se abriram e tudo mudou. Nem vou lista o conjunto de alterações na minha vida e na minha da minha ex, que fizeram a gente ficar próximo a ponto de se casar. Mas o engraçado é que outras pessoas já me falaram o mesmo: é quando você para de procurar que a "mágica" acontece.  Depois de 8 anos nos separamos, de boa, porque a vida contiua né? As pessaos seguem escolhendo rumos, tomando decisões, e as coisas mudam. Mas não voltei a ser como era antes, porque é como se aquele ciclo de procura, aquela insatisfação que me levava a buscar algo,  tivesse sido satisfeita, e mesmo separado, não se criou mais nenhum vácuo a ser preenchido, então vivo sozinho e feliz há 18 anos( ainda não aderia ao bigode nem moro com minha mãe, kkkk)  

Isso mostra uma coisa: o que as pessoas buscam no relacionamento (e se não obtém, se auto-definem como infelizes) é algo abstrato, que não está de fato ligado ao relacionamento. Tem muito mais a ver com seu íntimo, e quando você resolve isso, ter ou não ter um relacionamento é opcional. Mas a maioria de nós tem fantasias sobre felicidade. Elas sentem que algo está mal, que falta algo.. então elas julgam que precisam dinheiro, família melhor, amor perfeito....

Mas isso são apenas anestésicos. E anestésicos, como qualquer droga,  desenvolvem tolerância e por isso as pessoas continuam sempre torcendo e emprego, de parceiro, de cidade... em busca de algo que elas julgam lhe faltar. O que lhes falta, na verdade, é de algo de caráter espiritual, mas como elas não enxergam isso, seguem tentando preenche a vida com essas muletas..

7 horas atrás, robertoguerreiro disse:

Pasme:
Me vem a vontade de pôr uma bermuda suja, um chinelo e ir sentar na calçada no meio dos craqueiros , não para consumir drogas mas para ficar lá no meio sendo eu mesmo. Só não ponho isso em prática pois eu tenho medo de não ter um local para fazer as minhas necessidades fisiológicas. Bom, ainda dizem pra gente escutar o nosso coração. O meu coração é doido!

Mas é o que eu te falei: sobre a sintonia original, a prateleira de onde somos tirados na hora de sermos direcionados para a encarnação. Por isso é importante tentar superar essa tendências todas, nesta vida, para mudar um pouco de sintonia, para ir parar em zonas do umbral menos densas no próximo desencarne, e portanto ter uma vida física menos atravancada aqui. Mas note: estou falando isso dentro daquela lógica quadradinha que o espiritualismo usa pra fins didáticos. Como te disse, os desafios de cada encarnação não são tão facilmente explicados quando querem nos fazer crer. Mas é do bom senso tentar evitar praticar aquilo que pode ter te colocado na sintonia da qual você deve ter sido colhido para encarnar. Porque quanto mais você pratica, algo, melhor se torna naquilo né? E mais forte ficarão seus laços com essas zonas umbralinas similares a essa zona dos craqueiros. 

Tente focar em solucionar essas questões da materialidade como quem precisa montar um quebra-cabeças, porque isso está no seu alcance. E tente principalmente tente evitar se auto-sabotar com pensamentos/emoções negativas, que vão tentar te manter preso nessa sintonia e por sua vez, nas condiçoes materiais atuais,criando um círculo vicioso que pode durar além de uma encarnação.

Ah , e não tente solucionar o quebra-cabeças material com esse tipo de cisa, porque é "bola nas costas":

7 horas atrás, robertoguerreiro disse:

Até mesmo o famigerado livro de são Cipriano tínhamos,  dali a gente acreditava que poderia ter um pacto, uma simpatia ou uma oração para a vida nos sorrir, que dó!

Esse tipo de coisa é "violar as regras", e aí você pode nascer em condições ainda piores, tipo "mentalmente incapacitado" para repetir o mesmo ato na próxima. 

Espero não ter falado nada que te chateie, porque nesses assuntos delicados as vezes a gente escorrega e cutuca uma área sensível. Se aconteceu, me desculpe, mas minha intenção era de fato apenas tentar trazer algumas idéias para que você vislumbre um pouco mais sobre as situações envolvidas no nosso processo encarnatório mesmo.

William Buhlman viajes-extracorporales.pdf

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

ops, esqueci o pdf anexado ali e agora o sisyema não me deixa deletar. Era s´opara mostrar a fonte de um trecho do livro que eu ia postar sobre projeção, mas depois desisti de postar isso. Era o trecho que conta como ele era cético até que experimentou a primeira projeção, caso queiram ler, o livro todo está anexado acima.Mas conclui que fugia um pouco da finalidade do tópico e acabei deletando o relato.

Share this post


Link to post
Share on other sites
13 horas atrás, sandrofabres disse:

Não há de fato contraste algum entre sua mãe ter sido prostituta e você ser homossexual. Pense no umbral como se fossem prateleiras de comida no supermercado:  os espíritos que ficam no sexo normal ( monogâmico, tranquilo) ficam numa zona do umbral. Em outra zona ficam a turma dos "excessos" ,tanto faz se são hetero ou homo, embora a zona homo fique um pouco separada, porque o excesso hetero é "mais do mesmo", enquanto que zona homo é "o excesso do excesso, a ponto de ter se tornado o seu contrário". Mias ou menos como a relação entre a pessoa de peso normal, o obeso mórbido e o pessoal que tem bulimia. Esses últimos dois casos são apenas fruto do excesso, ficam na "mesma classe", ou mai ou mesmo na mesma frequência do astral. São zonas vizinhas na verdade. E o que acontece quando uma  pessoa engravida é que ela tem uma sintonia básica, e o ato sexual a fará "capturar" (o ato sexual gera um campo de atração magnética, como um furacãozinho, que atrairá os espíritos que estão próximos na sintonia) um espírito que tem tudo a ver com a sintonia dessa pessoa. Como a sintonia/zona astral da prostituição é vizinha da zona astral do homossexualismo, porque ambas são zonas de sexo intenso, há boas chances sim de colher um espírito com tendências homossexuais. Não é algo contraditório.

21 horas atrás, robertoguerreiro disse:

Olá amigo, tudo bem?
Sandro, quero aqui discordar respeitosamente de você para fins didáticos mesmo, espero que não se ofenda: 
Eu acho que há um contraste gritante aqui sim, tipo os bairros Panamby e Paraisópolis que vivem lado a lado em SP. Explico:
Essa ideia de que todo homossexual têm uma vida sexual exuberante não se aplica a todos os gays e ainda por cima existem muitos de nós que têm uma vida sexual usando aquela filosofia do "não tem cão, caça-se com gato", tipo pessoas que têm fome e que ficam beliscando qualquer porcaria por não ter aquilo que realmente querem.
Bom, a  minha mãe sempre teve os homens que quis e isso até hoje me rende traumas e desgostos, por exemplo, as vezes minha mãe ia à minha escola me levar lanches ou falar com meus professores, nessas idas e vindas, era comum minha mãe sair da escola na minha frente e mais atrás , sem ela saber, estava eu a observando de longe, um dia desses notei um grupo de adolescentes "selvagens" que até me conheciam por serem de sala vizinha à minha no colégio, minha mãe andava à frente e eles falavam várias palavras libidinosas e nojentas sobre ela querendo praticamente estuprá-la na minha frente sem saberem que ela era minha mãe. Como eu senti que a humanidade era triste nesse dia! Me senti tão lixo que cheguei em casa e minha mãe não entendeu porque eu havia ficado tão taciturno. Eu nem vou falar aqui de uma vez que eu tinha 14 anos e que peguei minha mãe tendo "relações" com um cara de 15 que vivia brigando comigo e me humilhando e que anteriormente nem com ela se dava. Ainda por cima com ajuda do irmão mais novo dele que me distraia para eu não perceber que o irmão dele pegava minha mãe no quarto ao lado, o que me deu o alerta foi o cachorro bravo do menino que estranhamente estava preso no lado de fora para não atrapalhar os dois... Só de lembrar isso eu tenho muito, mas muito nojo mesmo da minha mãe, mesmo ela estando cheia de doenças e sendo sustentada por mim hoje em dia, essa situação pra mim tem a mesma força que tem um estupro de um pai numa filha. Dá nojo. E o cara ainda por cima gritava na rua para me provocar: "Ei, comi sua mãe!" Nossa! Que nojo!
Tive várias experiencias de ver homens querendo ter intimidade com a minha mãe. Teve um que até uma vez ficava ligando para casa querendo mandar flores por se dizer apaixonado. Nem vou contar as outras coisas que passei com ela para você não me bloquear aqui.

Agora eu? Eu? Sendo homossexual, feioso e gostando só de homens que não eram gays! Sempre me apaixonando pelos meninos de olhos claros do colégio, tentando puxar assunto com eles me iludindo e depois acabava apanhando por isso. Ao contrário de minha mãe, nunca ninguém que me desse satisfação sexual me cortejou na vida, muito menos tive algum amor correspondido. Sabe aquela paixão que você parece que reconhece a pessoa de milhares de anos atrás em outras vidas? Pois é, senti isso por alguns rapazes loirinhos de olhos claros e isso me deixava quase como naquelas sensações onde as pessoas relatam ter chegado ao paraíso após uma EQM, é lindo se apaixonar mas o tropeço é grande quando por causa disso você vê quem você ama te maltratando e te cuspindo só por você ser afim dele. Muitos caras que eu gostei pareciam vibrar de alegria quando eu os via aos beijos com as suas namoradas. Sim , eu não consigo gostar de gays nem um pouco, nem os masculinos, nem os femininos, nem os discretos, nem os barbados que se forçam como machos, quando eu vejo um gay eu sinto um clima de competição, tipo duas cadelas brigando por território, o santo não bate! É mediúnico, eu percebo que o cara é gay sem precisar falar com ele.

Já os rapazes heteros loiros e de olhos claros me deixam quase que sedado, tenho uma vontade natural de querer agradá-los. eu daria tudo para ser a esposinha de um deles.
Eu ao contrário de minha mãe, sempre quis ter um maridinho lindo que eu pudesse dar amor e não ser recriminado por isso, mesmo que ele me traísse, eu não ligaria. Eu queria saber o que é abraçar, servir de conselheiro, desfrutar da intimidade, poder alisar os cabelos, recitar poemas, encher o saco, beijar, fazer sexo e as vezes ter uma briguinha ou outra pra não ficar chato demais, mas me pergunte se eu tive isso? Eu com 45 anos nunca nem se quer dei um selinho em alguém! Eu sei que levar 1, 2, 3, 5, 9, 10 foras é normal até para um heterossexual, mas no meu caso, das 40 pessoas que eu amei em todos os anos, todas foram unânimes em me rejeitar, me cuspiram literalmente na cara, me negaram solenemente, teve até um rapaz que eu era doido por ele que apos eu descobrir o celular dele, jogou o chip no lixo!  Sabe, nenhum homem bateu na minha mãe ou jogou o chip dele no lixo por ela gostar de um. Tenho 45 anos e sou virgem! Me sinto um crianção, imaturo, um robô que não sabe o que é afeto e emoção. Os espíritas me falavam que eu tinha que esquecer a minha sexualidade e praticar caridade, mas como eu ia praticar caridade se ao ir ajudar as pessoas eu sempre via algum jovem bonito que me dava mais ódio ainda por ser uma representação do meu fracasso esfregado na minha cara?
Ninguém nunca tentou contato comigo pra dizer que me ama! Eu ao contrário, quando gosto de um FDP, sou capaz de atravessar oceanos por ele, sempre lutei pra conseguir quem eu queria, mesmo sabendo que não teria chance, eu quero ficar aleijado numa cadeira de rodas se eu estiver mentindo que nunca tive alguém nessa vida.
Hoje, vivo assim, sem ter ninguém pra conversar, "meus amigos" têm as suas mulheres e seus maridos para cuidarem, todo mundo que se casa nem de mim mais lembra, até estou chorando enquanto escrevo isso, sabe por que? Comprei um celular podre de caro, com todos os recursos que eu queria mas não tenho ninguém ligar! Não tenho ninguém pra me mandar coraçãozinho nesses apps de celular! Meu número a anos nenhum amigo liga! Esse celular caro só mostrou o quanto eu sou uma pessoa vazia, sem amor, odiada pela sociedade, detestada , sem amor, sem sexo, nem amizade. E você ainda  me diz que não existe contraste entre eu e minha mãe? Sexo e amor pra mim é tipo histórias de Nosso Lar: todo mundo diz que viu e existe mas eu nunca vi. A minha primeira tentativa de me declarar a alguém eu pedi até ajuda da família Gasparetto lá pelos meus 19 anos, tive uma experiência traumática que eu contei aqui: http://odeiosergay.com/platonico/o-meu-primeiro-fora-no-mackenzie-da-consolacao-sol/ 

Bom, deixa pra lá, como você mesmo diz, tudo é pra eu ficar mais forte e evoluir, não é ? Então tá tudo muito bom. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 




 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 15/03/2019 at 03:12, robertoguerreiro disse:

Nosso Lar: todo mundo diz que viu e existe mas eu nunca vi. 

Bom, eu tmbém nao, ehehe

Em 15/03/2019 at 03:12, robertoguerreiro disse:

E você ainda  me diz que não existe contraste entre eu e minha mãe?

Não me refiro a sua encarnaçao presente. O que eu quis dizer é que alguém que nasce homossexual é alguém que foi um.herero que passou bastante dos limites.

Essa é a semelhança com um herero que também  passa dos limites, como alguem que se dedica a prostituiçao.

Mas aí nasce  em outra condiçao, cuja meta é tenrar neutralizar o problema, mas tem gente que ainda insiste e consegue repetir os mesmos erros intensos de antes, e a coisa só piora.

Eu nao estava sugerindo  que homossexuais tem vida sexual exuberante, pois todos que conheci são  totalmente monogamicos. Provavelmente tiveram uma vida sexual dez vezes   menos intensa do que qualquer hetero comum. Talvez tenha tido 3 relacionamentos na vida toda.

Mas é, seu caso aí com umas 40 rejeições já  indica algo a mais mesmo.

Tem herero que passa por isso, mas num caso que conheci de perto, bem similar ao seu, porem de uma mulher hetero,  tinha outros fatores envolvidos:  aqueles "trabalhos para atrair homem:, durante várias vidas como cigana.

Ela já saiu dessa vida  de bruxarias faz umas 3 encarnaçoes, mas só sei que nesta ela  ainda nao conseguia  atrair quem desejava, e ja tem ums 55 anos. Ela até teve uns dois relacionamentos, mas foram armadilhas em.que ela se deu bem mal. Provavelmente porque no desespero foi pouco seletiva.

E embora tenha sido uma mulher bonita, passa uma sensaçao bem  desagradável na gente, do tipo que dá uma certa repulsa inexplicável  caso nos toque ( nos homens, as mulheres não percebem isso nela.) Parece até efeito rebote dos feiticos de atraçao.

Uma vez, quando meus amigos não entendiam o que eu via de errado nela, ( nem eu, na verdade) eu  desenhei como eu a enxergava , para mostrar ao meu amigo clarividente que a conhece. Ele olhou e disse :

"Ah tá, isso aí é que tu estas enxergando é a parte astral dela, por isso nao estas enxergando como ela é bonita"

E foi aí que ele me contou o passado dela, e que mais tarde ela me deu uns detalhes a mais. Mas essas coisas demoram mesmo algumas vidas para curar.

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

sobre nascer num local desses, eu ouvi divaldo franco (espírita), creio q foi ele, nao tenho certeza, dizer q a pessoa reencarna em locais assim por conta dos “debitos” passados, do carma, (alguns nao acham esse termo debito correto, e chamam de sintonia), mas mesmo na dificuldade teriamos opções, ele deu o exemplo de nascer numa favela dominada pelo trafico, a pessoa segue pro lado do crime (nao se livra do carma, nao evoluiu) ou sofre batalhando estudando pra ter uma vida melhor no caminho da honestidade (evoluiu, se livrou do carma).

Share this post


Link to post
Share on other sites

@robertoguerreiro eu gostaria de passar pra você uma palestra sobre homossexualidade de que gosto muito:

https://youtu.be/uQVfrBMyEqQ

Eu achei muito forte o seu relato, realmente você passou por coisas que eu creio que muito de nós está longe de entender. Sinto muito por você se sentir fracassado e acrescento que não é isso que você é. Cara! Você é um vencedor! Veja pelo outro lado: todas as pessoas em situação difícil que você citou e convive de alguma forma se permitiram estar nessa situação, você teve suas dificuldades, mas cara! veja a forma como você se expressa, muito melhor do que alguns de meus alunos de faculdades que tiveram todas as condições do mundo, hoje você tem capacidade de se sustentar e à sua mãe de maneira honesta, e só de ter chegado ao grupo é notório que você é uma pessoa diferente e busca algo a mais. Outra coisa em você que é uma característica evolutiva relativamente rara é a compaixão, a maioria das pessoas é muito fria para com o sofrimento alheio, as vezes por egoísmo e as vezes por não dar conta mesmo, pois é necessário ser forte para dar vazão aos sentimentos e encará-los de frente.

Parece que você se sente mal por não ter contato com os mentores, pelo o que pude entender, mas deve ser para o seu próprio bem. As vezes quando estou mal eu sinto minhas faculdades bloqueadas como um escudo, isso para a minha proteção e para proteção dos outros. Eu tinha problemas de ordem psiquiátrica e realmente só consegui sentir a expansão da minha consciência quando fiz as pazes comigo mesma. O meio também interfere, existem coisas que não são nos mostrada para nos proteger. Uma ferramenta que é de graça e todos deveriam experimentar também é a meditação. Demorou meses, mas me ajudou muito.

Sobre estudar filosofia, acho que entendi o que quis dizer e o seu medo, acho que em um livro do Divaldo eu li uma coisa que achei genial e ao mesmo tempo obvia: nós não precisamos viver a paixão. Caso tente o curso e se apaixone novamente e não dê certo tente isso: amar a pessoa independente de estar ou não com você. Não digo que é fácil, mas é um tipo diferente de amor, peço que tente considerar isso. E quem sabe se você se abrir a um novo curso, a novas ideias e frequencias de vibração você encontre um relacionamento que te traga satisfação. Talvez considerar se mudar, arranje um plano para isso, mesmo que a longo prazo.

Estude bastante tb, independente de faculdade (que deveria ter um peso menor pra sociedade brasileira do que tem), tem tanta coisa boa na internet. É também uma oportunidade se abrir para uma religião (sem preconceito, mesmo que não concorde com tudo, sempre temos algo a aprender) ou algum grupo de estudo, quem sabe você consiga se abrir para a convivência com algumas pessoas. Você tem potencial! Independente de carma ou que quer que seja todos temos uma saída! Não se prenda a isto! Tudo se torna possível quando abrimos as portas. 

Desculpe se fui invasiva em alguma ponto, eu não te conheço, mas desejo que tudo dê certo para você e que encontre a luz.

 

  • Like 4

Share this post


Link to post
Share on other sites

Obrigado sandrofabres , você me esclareceu.
Obrigado bandeirapvh pela dica.
Obrigado Luci Zu, eu vi o vídeo que você me mandou mas o tipo de homossexualidade que eu tenho não é descrita por nenhum ser humano a não ser eu mesmo, por isso montei um blog sobre.

Me desculpem pelo meu excesso exposto aqui. Se o  administrador do fórum quiser colocar o meu tópico na sessão chamada "Desabafos", pode colocar, eu não havia visto essa categoria antes de postar aqui.

Até mais!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Roberto, eu não tenho conselho algum pra te dar depois de tudo que o Sandro colocou. E também só li seu primeiro post, mais tarde leio o restante, mas gostaria de deixar claro uma impressão que ficou ao ler seu relato:

Cara, tu escreve bem pra c#r@lh0! Vc é muito articulado e, juro, por mais que eu me compadeça e sinta empatia  em praticamente todos os questionamentos que vc levantou, na primeira metade do texto, quando vc começa descrevendo a Luz (eu conheço a Luz, morei na grande SP por 5 anos, vez ou outra passava por lá), eu comecei a rir, pq vc usou de um humor, de um sarcasmo fino, mas uma coisa tragicômica. Na moral mesmo, não acho graça na miséria, porém a forma como vc relatou. E isso não é fácil. Vc tem algum blog? Escreve algum lugar?

Se não, já sugiro vc talvez investir nisso (n exatamente como uma carreira, pode ser tbm), mas vc tem talento, cara. E é isso, pra mim é nítido que vc é bem inteligente, e talvez, dentro do que o sandro te falou, seja uma das suas "armas" pra te catapultar a outros patamares, com calma.

Foi um dos melhores posts que já li aqui no GVA.

 

Abraço e realmente desejo que dê tudo certo na sua vida.

  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá, Roberto,

Vi que o pessoal já colocou bastante coisa legal pra você, principalmente o Sandro e a Luci então vou apenas colocar algumas sugestões de reflexões aqui, ok?

Em 13/03/2019 at 04:17, robertoguerreiro disse:

Bom, todas as noites eu ando sonhando que estou morando novamente em malocões , voltando à minha vida de antes quando eu era menor e vivia sendo despejado dos locais porque minha mãe não conseguia pagar o aluguel.

 

Em 13/03/2019 at 04:17, robertoguerreiro disse:

(...) a miséria me fere profundamente no peito, me agride, eu não consigo ser feliz num lugar assim, só não saio daqui pois meu imovel (...)

 

Em 13/03/2019 at 04:17, robertoguerreiro disse:

(...) eu estou ficando muito down aqui. Credo!

 

Em 14/03/2019 at 04:43, robertoguerreiro disse:

(...)se tem uma coisa para a qual eu não tenha nenhum talento e fazer fortuna e ter poder, desde pequeno eu queria ser líder de classe e não ganhava eleição nem pra limpar o chão do banheiro.

 

Em 14/03/2019 at 04:43, robertoguerreiro disse:

(...)Talvez a minha maior lição seja a lição do desprezo(...)

 

Em 14/03/2019 at 04:43, robertoguerreiro disse:

Me vem a vontade de pôr uma bermuda suja, um chinelo e ir sentar na calçada no meio dos craqueiros , não para consumir drogas mas para ficar lá no meio sendo eu mesmo.

 

Em 14/03/2019 at 04:43, robertoguerreiro disse:

O meu coração é doido!

 

Em 15/03/2019 at 03:12, robertoguerreiro disse:

Agora eu? Eu? Sendo homossexual, feioso e gostando só de homens que não eram gays! Sempre me apaixonando pelos meninos de olhos claros do colégio, tentando puxar assunto com eles me iludindo e depois acabava apanhando por isso.

 

Eu destaquei aqui algumas de suas falas que passam uma sensação de "estar por baixo", se sentir mal ou incapaz de alguma forma, desestimulado, desiludido.

A minha proposta é que você pense a respeito de todas estas coisas e as sensações associadas e se faça a seguinte pergunta: Todas as dificuldades que passo na vida é que me fazem me sentir assim?... Ou talvez eu esteja passando por todas essas dificuldades justamente porque lá no fundo de minha alma eu já carregue este sentimento de derrota e inferioridade que, de alguma forma, eu acabo projetando na minha vida fazendo com que tudo isso se realize?

Veja bem... não me entenda mal, eu não estou de forma alguma te julgando ou te dizendo que você seja culpado de qualquer coisa, estou apenas propondo uma pequena reflexão com base naquilo que você descreveu sobre si mesmo. E eu concordo com a Luci e com o janus quando eles dizem que você se expressa muito bem e que você possui um enorme potencial.

Sinceramente, eu acho que você é um vencedor. Você apenas ainda não descobriu ou compreendeu isso. E eu acho que você tem potencial para muito mais. Mas você ainda precisa compreender aquele pequeno detalhezinho que falta para que a coisa realmente aconteça da forma que tem que ser.

Por outro lado, eu tenho a forte convicção de que somos os arquitetos de tudo aquilo que nos acontece e de todo o mundo a nossa volta mas como ainda somos consciências muito pouco evoluídas, não possuímos ainda a real dimensão disso e além disso, dentro do paradigma de quem acredita na sobrevivência do espírito ao corpo e na multitude de encarnações no processo de desenvolvimento da consciência, dentro do reduzido escopo apenas da atual encarnação, possuímos ainda uma visão muito limitada do conjunto todo para compreendermos certas nuances da coisa como um todo, do panorama mais amplo. É necessário ir escavando e fazer um exercício de pesquisa na busca de uma maior compreensão da vida dentro de todas suas complexidades.

Vou reforçar aqui algo que a Luci já falou. Acredito que a meditação pode ser uma ferramenta muito útil para o seu caso assim como tem sido para mim e para muitas pessoas. Já pensou em experimentar?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Essa madrugada tive bastante tempo pra pensar pq não consegui dormir. Me incomoda bastante o conceito de provas e expiações, eu tenho muita dificuldade em aceitar da forma como a doutrina espírita coloca, parece que não "entra na minha cabeça". Eu passei alguns meses de relativa paz, depois de uns três anos em crise, e tem um tempo que pequenos fatos estão aparecendo como quem diz: "eu ainda consigo te desestabilizar". 

O que me ajudou a sair dessa crise foram as coisas que aconteceram que abriram a minha percepção para o que havia além desse plano, regressões de memória mudaram paradigmas existenciais, interessante que eu tive a oportunidade de ver e sentir, eu não tive que acreditar por meio de nada que outra pessoa falasse eu pude ver e sentir por mim mesma, mas para isso acontecer primeiro eu entendi o que estudava, me abri para a possibilidade e depois com as experiências eu pude realmente acreditar e ampliar as minhas percepções. Eu não sei bem por que estou escrevendo isso aqui, a noite tive a sensação de que precisava compartilhar e "por acaso" quando sentei no computador essa janela estava aberta.

Um fato em especial aconteceu e me fez reviver a crise que passei pela possibilidade de precisar enfrentar aquilo de novo. Sabe quando a gente está exausto daquilo e aparece de novo na sua porta? eu pensei muitas vezes... por que? O fato não se concretizou, mas por que precisei passar por isso de novo? Então pensei nessa questão de prova e expiação... eu meio que não acredito em expiação e carma, não como me explicaram, não posso crer que as coisas estejam absolutamente amarradas em fatos passados que demoram vidas e vidas para se pagarem, acredito que todo o sofrimento que passamos podem ser sim obra dos nossos atos devido aos "dardos de probabilidade" que lançamos no passado com os nossos atos. A grande questão é que nos permitimos passar por essas situações por culpa (digo culpa de outras vidas, o fardo que a gente carrega sem saber ou entender o motivo), inconscientemente é ela quem nos prende, nos somos mestres criadores da nossa realidade e nos permitimos passar toda uma existência a sofrer.

É muito difícil para mim acreditar que o que passei foi merecido. Nessa existência não tenho como ter sido causadora do que passei. É difícil tb engolir o fato de que eu consegui sair da crise muito melhor do que antes, aprendi coisas que não aprenderia e tive uma enorme expansão da consciência e de minhas capacidades. Será que só conseguimos evoluir dessa forma? será que é devido a nossa incapacidade de amar e aprender pelo amor? Será que somos tão apegados às nossas culpas que não saímos desse ciclo por nossa própria vontade?

Ao quase passar por isso de novo, quando não se concretizou minha cabeça quase deu um nó, então uma resposta veio essa madrugada: como eu ia saber que ainda tenho psicologicamente coisas a resolver sobre esse fato se ele não batesse à minha porta de novo? Eu sofri tanto, doeu tanto, meus olhos se enchem d'água só de lembrar, que eu estou bem decidida a fazer o possível para não ter que passar por isso de novo, eu tenho pavor de pensar em encarnar de novo, quero quebrar o ciclo da culpa e se eu não acreditar nisso simplesmente perco o sentido da minha vida, pois não vejo sentido nessa vida de sofrimento, de provas e expiações. 

Eu não pretendo com esse texto afirmar que estou absolutamente certa, mas é o "limite" onde a minha capacidade evolutiva me permitiu chegar, com a experiência e estudo posso chegar a conclusão de que estou absolutamente errada, ou certa também. Mas são fatos que precisamos debater para crescer em conjunto. Por que sofremos tanto? E como quebrar o ciclo de sofrimento? 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
5 horas atrás, Iogui disse:

Acredito que a meditação pode ser uma ferramenta muito útil para o seu caso assim como tem sido para mim e para muitas pessoas. Já pensou em experimentar?

Quando eu li isso pensei: por onde começar? Então vou te indicar a técnica do Saulo, não sei se já tentou, mas é bacana que energeticamente é muito boa e nos prende a atenção como se fosse um treino para meditar sozinho depois. Permita-se e não se prenda a sentir as energias, pode ser que aconteça logo de cara e pode ser que demore, eu demorei mais de ano para sentir, quando fiz a técnica ampliei muito a percepção, senti muito logo de cara, mas depois passei muito tempo sem sentir nada, mas continuei fazendo todo dia e isso fez parte do caminho para melhorar muita coisa, inclusive curas que eu julgava serem impossíveis.

https://www.youtube.com/watch?v=AxGN5Blyo64&index=5&t=4s&list=PLYz2pm8h3AAcGryMF3HBjn6WslBg5E2Jw 

 

Também recomendo os cursos do IBBIS, eles tem uma abordagem universalista muito interessante. Eles se baseiam na autocura e disponibilizam tudo gratuitamente. No curso que postei abaixo eles quebram o paradigma da oração ampliando seu entendimento à meditação e autoconhecimento acima do peditório.

https://www.youtube.com/playlist?list=PLLqqrKEkP5MRyc9Z_BoOBva70PlH4bN00

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
20 minutos atrás, Patríciaf disse:

Ao quase passar por isso de novo, quando não se concretizou minha cabeça quase deu um n

O problema é que ninguém muda profundamente em apenas uma vida. Tem muito discurso ilusório/otimista por aí a esse respeito, e quanto mais iludida a pessoa estiver, mais chances terá de repetir aquilo do qual acredita ter se livrado. Nossa psique tem muits camadas, CADA TRAÇO PSICOLÓGICO nosso tem muitas camadas. Entao o que as pessoas chamam de mudança é eliminação das camadas SUPERFICIAIS.

É similar a lixar alguma coisa. Voce passa uma lixa grossa para tirar as inperfeições grosseiras entao olha e pensa: "puxa, já ficou bom assim". Mas se passar agora uma lixa mais fina, se surpreende ao perceber como ficou melhor ainda. E ao passar outra mais fina, se supreende de novo prla melhoria. E pensa " ahhh , agora sim é que ficou perfeito". Mas se resolver testar com uma maos fina ainda vai concluir " nossa.. aquela hora estava longe se estar perfeito, olha só como ficou agora!".

Polir a si mesmo é um trabalho para muitas vidas. Eliminat um único traço fa nossa psique leva muitas vidas. Mas vamos eliminando as manifestações mais gorsseiras, primeio nos atos, no plano físico, para que independente do que voce sinta oi pense, nao os execute. Mas aqueles traços ainda estarão MUITO VIVOS nas suas emoções e pensamentos e por isao você ainda sentirá a pressao interna deles, e pode acabar realizando atos em sonhos, o que te mostra que o defeito comtinua bem vivo na parte emocional e mental.

E é essa parte interior, que náo mudou e que continua viva de uma encarnacão para outra que continua atraindo telepaticamente as pessoas que tem defeitos semelhantes e que jinto com elas, numa encenação, seremos levados de novo a praticar no físico os atos ja abandonados, mas que agora wuetem voltar a se estressar do astral para o físico. A pessoa vai seguir atraindo essas " oportunidades de reeptir o erro"  durantr toda a vida e durante a sencarnações seguintes porque não houve ELIMINAÇAO daquele traço psicologico, apenas  restriçao de um.plano de manifestação, o físico.

E durante a vida em que a pessoa decidiu mudar, ela ainda lembra da sua decisão. Mas a memoria é algo muito superficial, tanto que apaga de uma encarnacão para a outra ou mesmo pela simples saída e entrada no corpo, durante projeções. Entao na próxima encarnação a pessoa está desmemoriada, não lembra dos seus votos de mudança mas ainda tem dentro de si aquele mesmo traço psicologico ansiando por se manifestar no fisico. Como a  pessoa agora é novata, eaqueceu os problemas que aquilo gera, ela deixa, pensa " eu SINTO ISSO, eu SOU ASSIM, porque vou me reprimir não é memso?". E entra numa nova etapa de repetição dos mesmos erros, até novamente adquirir experiencia , sofrer de novo, e tomar novamente a decisão de mudar aquilo.

E assim os ciclos se repetem, encarnação apos encarnação, por séculos, até que isso vá gerando  uma memória mais profunda e a pessoa já nasça " sabendo". Entao na nova encarnação, mesmo sem ter ainda tido experiêmcias , ela ja vai saber internamente:

"hummmmm..... estou sentindo isso, mas isso não é bom, não devo deixar isso se expressar, para não ir ficando mais e mais forte e temrinar me dominando"

Então  MUUUUUUITAS vidas mais tarde a pessoa já nao cai nessas roubadas de ficar REFORÇANDO os seus traços negativos.

Porém, como aquele traço noa morreu, eel continua latente, ele ainda atrairá as mesmas pessoas e circunstâncias, vida após vida. E quando  leaa de reunem em novas famílias,novas amizades, novos coelgas de trabalho, que na verdade sao sempre as mesmas pessoas vida apos vida, o desejo dos traços negativos de cada um tende a estimular o do outor a repetir as mesmas brigas, os memos conflitos, os mesmos abusos.

Se a pessoa vai DE FATO mudando ela consegue se afastar desse grupo, poriqe vai tendo menos sintonia com ele. Mas em geral eles estarão por perto, porque essa imantação entre os defeitos similares atrasi as pessoas para as mesmas famílias, regiões, grupos de convivência.  Enquanto o ator principal ( o defeito em questão) não for eliminado, os demais componentes desse grupo de teatro que é a nossa vida nos procurarao para repetirmos a mesma peça, sempre igual, vida após vida.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sandro, obrigado por essa explanação. Isso faz realmente muito sentido, e torna a compreensão desses cenários que surgem na vida das pessoas ( inclusive na minha) mais facil. Refletindo sobre seu texto consegui compreender muita coisa que se apresenta no nosso cotidiano e mesmo sabendo que aquilo não seria o correto acabamos nos envolvendo, foi uma pecinha importante de um compmexo quebra-cabeças.

Share this post


Link to post
Share on other sites
8 horas atrás, sandrofabres disse:

O problema é que ninguém muda profundamente em apenas uma vida. Tem muito discurso ilusório/otimista por aí a esse respeito, e quanto mais iludida a pessoa estiver, mais chances terá de repetir aquilo do qual acredita ter se livrado. Nossa psique tem muits camadas, CADA TRAÇO PSICOLÓGICO nosso tem muitas camadas. Entao o que as pessoas chamam de mudança é eliminação das camadas SUPERFICIAIS.

8 horas atrás, sandrofabres disse:

Enquanto o ator principal ( o defeito em questão) não for eliminado, os demais componentes desse grupo de teatro que é a nossa vida nos procurarao para repetirmos a mesma peça, sempre igual, vida após vida.

É interessante, mas também triste. Dá uma sensação de impotência. 😔

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

É , dá mesmo. Mas é por isso que o Budha trouxe os ensinos dele. Ou que a gnkse ensi a a morte do ego. Porque se ficamos confiando só na " lei da evolução" a coisa não avança quase, estamos sempre enredados nos  carmas e preso nas repetições das reencaenacoes.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now