• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
sandrofabres

Recado para os "ansiosos sem metas"

Recommended Posts

( Mesmo não sendo um desabafo vou postar nesta área porque talvez o publico que circule por aqui esteja mias afinizado como que pretendo dizer)

Vou deixar aqui uns comentários que não são dirigidos a ninguém em especial, mas a um determinado perfil psicológico que tenho notado em várias pessoas que já me contataram por MP aqui no gva no decorrer dos poucos anos em que tenho estado por aqui (desde 2012). O fato de algumas pessoas com esse perfil me procurarem me faz pensar que há muitas mais, que nem se cadastraram no gva, apenas passam por aqui para ler algo, e podem estar na mesma situação, mas não querem se expôr. E também, pelo fato de eu não estar me dirigindo a ninguém especificamente, posso falar certas coisas que talvez sejam úteis para essas pessoas, sem correr o risco de ofender ou magoar alguém, já que não estou falando para esta ou aquela, mas para alguns cujo perfil se caracteriza por esse traços.

Tem muita gente por aí, em geral jovens entre 15 e 25 anos, que sofre de uma combinação de condições: extrema ansiedade, crises de pânico, fobia social, tendência a medos genéricos e paranóia religiosa. Com o tempo eles as vezes ainda descobrem que possuem também histórico de abuso sexual na infância, tendências homossexuais ainda não assumidas, e em geral pertencem a famílias também compostas por fanáticos religiosos, com um ou mais membros com problemas psiquiátricos, ou com algum dos genitores com tendências sexuais também incompatíveis com suas crenças.

Em geral esses jovens passaram por situações de bullying na escola, tem dificuldade para relações sociais, sofrem uma certa opressão na família, e por isso optam por viver fora da realidade enquanto for possível, ficando presos cada vez mais num círculo vicioso de medo de dependência financeira e emocional do principal agente opressor, que costuma ser a família . Terminam vivendo isolados da sociedade porque ficam “protegidos”  na bolha familiar.. Mas também vivem isolados da família optando por recolher-se nas bolhas da internet, games, etc.

Em parte isso é culpa dos pais, que deveriam preparar seus filhos para  mundo, ao invés de permitir-lhes alimentar esses medos durante anos a fio. Mas famílias doentias gostam de manter seu núcleo de emocionalidade tóxica impenetrável aos agentes externos, tanto que agora, nestes tempos mais trevosos, o ensino doméstico virou assunto da moda.

Gente, famílias são compostas por espíritos afins. Espíritos que quando desencarnados vão morar nas mesmas zonas, mantendo os mesmos hábitos, as mesmas crenças. Então o que acontece? Esses jovens problemáticos em geral já vieram de zonas do umbral habitadas por grupos de espíritos fanáticos religiosos, por exemplo. Muitas vezes já tiveram várias encarnações como padres ou monges, e naquele ambiente ainda acabaram sofrendo abusos sexuais de outras pessoas também problemáticas nessa área.

Nesta vida eles tem uma oportunidade de sair da bolha protegida e parasitária dos mosteiros, mas ficam cheios de medos, porque por séculos viveram fora do mundo,sempre tentando se esconder da vida em grupos de outros similares a eles. Essas tendências continuam fortes nesta vida, até porque nascem em famílias formadas por pessoas de perfil similar, sofrendo pressão de pais que também tiveram lá sua carga de problemas na juventude...

Esses jovens precisam, primeiro, superar medos infundados e entender que a trajetória saudável de uma encarnação minimamente equilibrada exige:

-estudar,

-trabalhar,

-ter vida independente, separado dos pais.

- praticar alguma atividade física

 

Praticar atividade física para essas pessoas é mais importante do que para as outras, porque tendo passado muitas encarnações isolados, dentro de comunidades religiosas, em geral eles tem problemas no chackra básico, tendo pouco aterramento, o que gera pouca vontade de viver, pouca energia, pouco interesse por qualquer coisa na vida. Atividade física estimula o chackra básico, então vai ajudar a compensar um pouco esse desequilíbrio. Outro motivo é que pela ansiedade que essas pessoas apresentam, toda sua energia fica atrelada ao “centro emocional”, em geral reagindo aos pensamentos negativos que uma mente desocupada produz sem parar. Fazer atividades físicas desloca essa energia para o “centro motor”, dando uma folga para emoções agitadas  e pensamentos negativos.

Quanto ao resto, é o básico: não há como sair da bolha familiar, que em geral é sua prisão consciencial,  sem adquirir independência financeira. E essa independência, no mudo moderno, exige algum estudo. Portanto, basta seguir o rumo normal, estudar, adquirir uma profissão e então começar sua vida própria, que boa parte dos problemas ligados à condição do nascimento/família, serão superados no devido tempo, de forma automática.

Mas sim, leva tempo! Ansiedade em relação a isso não vai acelerar nada, só prejudica. Muitas vezes esses jovens tentaram de todas as formas fugir dos desafios de cada etapa da vida para então, mais tarde, quando acordam para a realidade de que seu futuro será igual ao seu presente, sem perspectivas, ficam esbaforidos tentando achar uma solução rápida. Na busca incessante por atalhos gastam mais tempo alternando entre eles do que se seguissem o rumo normal, pelos caminhos regulares.

Portanto: não invente moda! Estude a idade que lhe cabe estudar, como os demais jovens. Escolha uma profissão e faça um curso técnico ou faculdade, e saia do ninho! Porque se você não fizer isso você continuará sendo o prisioneiro de uma mentalidade que não se modifica encarnação após encarnação, porque você fica fugindo de conhecer outras pessoas, outras idéias, outras formas de ver a vida. Via ficar só alternando da bolha umbralina para a bolha no plano físico, mas sempe preso à mesma mentalidade, sendo que os problemas advindos disso vão de agravando, porque pela repetição incessante dos mesmo padrões de pensamento e emoções, fica mais difícil a cada vida conseguir “pensar fora da caixa”.

Se não sair dessa um dia você nem volta mais para cá: após pasar algum aperto, quando sentir a pressão aliviar, vai levar três palmadas e abrirá os olhos num Jurassic park lá de um planeta mais primitivo que a terra, porque ao optar por ficar isolado não se integrou ao ritmo evolutivo das massas (que já é bem lerdo) e teve que ser despachado ( junto com os terraplanistas, por exemplo, ehehe) para formar um povoamento em outro planeta mais atrasado.

Outro problema em pessoas com esse perfil é que como elas vivem com medo de algo que nem sabem o que é, tendem a ser vítimas fáceis de doutrinas que semeiam medo para usar as massas como grupos de ação na sociedade. Os fundamentalistas cristãos já fizeram muito isso disseminando o medo diabo, e depois é só dizer que o diabo é x, y, ou z, e essas pessoas aceitam. Os fundamentalistas lá do oriente médio dizem que os EUA é o grande satã, e assim manejam seus crentes nessa direção. O diabo é qualquer coisa que os grupos manipuladores decidirem que no momento é mais útil. O que importa é que eles sabem que possuem esse exército de zumbis hipnotizados pronto para entrar em ação, basta que se diga a eles quem é o “diabo da vez”. Esses jovens a quem me dirijo nesta postagem tem uma tendência natural a se sentirem atraídos por esse tipo de manipulação, que assumirá diversas formas: diabo, comunismo, reptilianos, demiurgo, illuminatti, judeus, gays, feministas, estrangeiros...

Portanto, eu sugiro a vocês que se notarem que estão se sentindo fascinados por teorias que falam de um “inimigo oculto”, de um “grande complô”, afastam-se dessas idéias e dos grupos que as disseminam. Não significa que não existam grandes complôs no mundo, mas é que vocês tem uma tendência psicológica mais sensível a esse tipo de argumento, e isso pode ser desastroso para sua sanidade. Não custa lembrar que aquele tipo de pessoa que do nada pega uma arma e sai a matar inocentes, em escolas, shoppings, etc. em geral tem muitos dos mesmos traços que estou destacando aqui. Questões íntimas mal resolvidas , em geral ligadas à própria sexualidade, uma família problemática,  somadas a algum tipo de crença fanática e uma tendência a botar a culpa no inimigo oculto é o que costuma levar essas pessoas a despejar suas insatisfações emocionais nos demais, quando a culpa está nele, por permitir-se alimentar diariamente pensamentos e emoções tóxicas, reforçados continuamente dentro da sua pequena bolha de familiares e amigos.

Portanto, sugiro que :

- Siga os rituais normais para sua idade, em cada fase da vida, evitando os excessos mas também as paralisias.

- Identifique dentro de você a presença de “fatores de risco” como:

---------------o apreço pela cultura, mentalidade ou posturas radicalmente conservadoras, 

---------------a fascinação por idéias que gerem desconfiança, paranóias

--------------- conflitos sexuais de qualquer tipo

-Não fuja de suas inquietações emocionais usando comida, drogas, ou bebidas. Se quer encher a cara  ou usar drogas, só faça quando já estiver de ótimo humor, para evitar criar um condicionamento de usar algo para aliviar sofrimento interior, o que te tornará prisioneiro desses recursos e destruirá sua saúde ,tornando tudo mais difícil do que já é.

.- Pratique algum esporte

- Não alimente sentimentos/pensamentos “secretos” achando que não tem problema ó porque ninguém está sabendo. Exemplo: vídeos de estupro ou pedofilia. Tendências que você não pode revelar abertamente crescerão se forem alimentadas, e chegará uma hora em que se converterão em fonte de problemas, mais cedo ou mais tarde. Procure um psicólogo se sente que as tem. As coisas que vem à luz costumam se tornar  menos perigosas do que se “mantidas no escuro”

- Entenda que tudo na vida demora. Você é ansioso hoje aos 15, ainda será aos 30, um pouco menos aos 40. Não vai achar fórmula mágica que resolva logo seu problema só porque você está precisando muito muito... como se toda sua vida agora dependesse disso. Mesmo que você encontre fórmulas maravilhosas, sua vida interior continuará sendo o que é hoje, por no mínimo dos mínimos, uns 5 anos ainda. Nada no nosso universo interior muda muito ou muda rápido. Portanto não tenha pressa, preocupe-se em dominar seus pensamentos e emoções negativas “apenas hoje”. Amanhã é um novo dia, e repita as tentativas...  Após 5 ou 10 anos algum resultado terá se acumulado para que você note alguma melhora. Mas se desistir após um mês porque não está vendo resultado, sua vida será para sempre o que é hoje.

- Aprenda a meditar, pode ser muito útil para pessoas ansiosas. Mas aprenda no sentido de estudar a coisa progressivamente, conhecendo diversas técnicas, métodos e escolas. Adote isso como um “projeto de vida”, porque para pessoas com seu perfil isso pode ser a diferença entre precisar ou não de um psiquiatra no futuro.

 

 

  • Like 5
  • Thanks 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.