• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
victorphilipe

Qual a função do Espirito

Recommended Posts

Nós aqui encarnados somos como que o dedo de uma mão, uma pequena parte de uma Ser maior, que constitui nossa individualidade. Esse Ser maior tem lá seu projeto evolutivo, um projeto que envolve aquisição de um conjunto de aperfeiçoamentos, e para isso traça um plano de encarnações, muitas...

Mas a parte que encarna (nós) é apenas uma expressão limitada desse ser, fruto de uma mistura entre uma parte desse ser e uma adaptação psicológica ao meio e épocas. O plano encarnatório não é "nosso", é parte desse projeto maior, e nesse plano seremos submetidos a um conjunto de experiências e desafios que tem por finalidade  desenvolver os aspectos necessários.

Sabendo disso a "função" é encarar o que vem, e fazer bem feito,  sem se deixar hipnotizar demais pelos prazeres ou dores  que surgem, lembrando que a função é sempre atuar na matéria do ponto de vista de um espírito que tem origem e destino que não pertence à matéria. Um exemplo: um aluno na escola encontra dificuldades, colegas que enchem o saco, professores que pegam do pé, conteúdos que não e sente capaz de entender. Se ele se deixa hipnotizar demais por essas situações, , ele pode brigar com tudo mundo desistir, ficar mais tempo focado na raiva que tem do professor do que no conteúdo que ele ensina. Todo o mundo dele se torna aquele ambiente e seus problemas. Mas se ele não esquece que está ali para tirar um aprendizado e se sair bem, todos aqueles desafios são vistos como "testes" para ele mostrar como ele é capaz de superar tudo e todos, e fazer uma bela limonada de cada limão que surgir no caminho. Mas para isso ele precisa lembrar que ele não é aquilo, ele não é só um aluno, ele tem um lar, é filho de pais que o amarão, passando ou rodando de ano, porque nem todos tem as mesmas facilidade/dificuldades, e que estará tudo bem , ele tem que saber que aconteça o que acontecer ele vai chegar à meta, pelo simples fato  que ele não vai desistir de tentar então, uma hora ele atinge a meta.

Nas questões espirituais isso se relaciona com entender o processo, lembrar diariamente  que somos espíritos tendo uma passagem terrena, e portanto, nenhum sucesso ou fracasso terreno nos define, é apenas sucesso um fracasso transitório até o próximo desafio de aprendizado. Lembrar que somos espíritos, que há um projeto encarnatório por trás e que só nos cabe fazer o melhor que podemos de acordo com nossas forças e como o aluno que sabe que é amado pro seus pais e que se for reprovado de ano, não será menos amado.

Nos assuntos espirituais isso é muito mais fácil que no físico, porque na realidade dos alunos de uma escola muito tem em casa um ambiente muito mais desafiador do que o da escola, o que faz com que auno com estrutura familiar diferente encarem de forma muito diferente as mesmas dificuldades comuns da escola. O grande desafio para todo ser encarnado é lembrar que nossa "paternidade" é divina, ela não vem de nossos pais terrenos. Eles, como os colegas e professores da escola, são apenas colegas de viagem que representam também desafios de aprendizado e não podem ser nosso "ponto de referência". Ou seja: o aluno que se dá mal na escola ainda pode se manter sereno por saber que é amado por seus pais e que não será desprezado por eles por um fracassos ocasionais. E quem passa por dificuldades em todos os campos da vida encarnada, estudo, trabalho família, precisa lembrar que "seus pais" na verdade é esse seu Ser maior do qual ele é apenas uma pequena expressão. Muiots chamarão esse Ser de Eu superior, ou Divina Presença, ou Eu Sou, ou Divindade Interior, ou Pai Interno. É dele que emanamos, é que quem nos coloca nas tretas, como um soldado que vai para a guerra cumprindo ordens, eheheh. Mas a diferença é que não se trata de obediência a terceiros, ambas as partes trabalham  pelo bem de ambas, ainda que a parte encarnada aqui não perceba isso. Compreender isso visceralmente ajudaria muito, mas isso é em si mesmo uma meta que é preciso atingir, porque se esquecemos, quando as coisas vão mal, podemos, como o aluno rebelde, jogar um coquetel molotov na escola, ehehe, prejudicando nosso aprendizado e o dos outros, e aí vem o carma em cima para dar uma aplainada nas nossas arestas.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
14 minutos atrás, sandrofabres disse:

Nós aqui encarnados somos como que o dedo de uma mão, uma pequena parte de uma Ser maior, que constitui nossa individualidade. Esse Ser maior tem lá seu projeto evolutivo, um projeto que envolve aquisição de um conjunto de aperfeiçoamentos, e para isso traça um plano de encarnações, muitas...

Mas a parte que encarna (nós) é apenas uma expressão limitada desse ser, fruto de uma mistura entre uma parte desse ser e uma adaptação psicológica ao meio e épocas. O plano encarnatório não é "nosso", é parte desse projeto maior, e nesse plano seremos submetidos a um conjunto de experiências e desafios que tem por finalidade  desenvolver os aspectos necessários.

Sabendo disso a "função" é encarar o que vem, e fazer bem feito,  sem se deixar hipnotizar demais pelos prazeres ou dores  que surgem, lembrando que a função é sempre atuar na matéria do ponto de vista de um espírito que tem origem e destino que não pertence à matéria. Um exemplo: um aluno na escola encontra dificuldades, colegas que enchem o saco, professores que pegam do pé, conteúdos que não e sente capaz de entender. Se ele se deixa hipnotizar demais por essas situações, , ele pode brigar com tudo mundo desistir, ficar mais tempo focado na raiva que tem do professor do que no conteúdo que ele ensina. Todo o mundo dele se torna aquele ambiente e seus problemas. Mas se ele não esquece que está ali para tirar um aprendizado e se sair bem, todos aqueles desafios são vistos como "testes" para ele mostrar como ele é capaz de superar tudo e todos, e fazer uma bela limonada de cada limão que surgir no caminho. Mas para isso ele precisa lembrar que ele não é aquilo, ele não é só um aluno, ele tem um lar, é filho de pais que o amarão, passando ou rodando de ano, porque nem todos tem as mesmas facilidade/dificuldades, e que estará tudo bem , ele tem que saber que aconteça o que acontecer ele vai chegar à meta, pelo simples fato  que ele não vai desistir de tentar então, uma hora ele atinge a meta.

Nas questões espirituais isso se relaciona com entender o processo, lembrar diariamente  que somos espíritos tendo uma passagem terrena, e portanto, nenhum sucesso ou fracasso terreno nos define, é apenas sucesso um fracasso transitório até o próximo desafio de aprendizado. Lembrar que somos espíritos, que há um projeto encarnatório por trás e que só nos cabe fazer o melhor que podemos de acordo com nossas forças e como o aluno que sabe que é amado pro seus pais e que se for reprovado de ano, não será menos amado.

Nos assuntos espirituais isso é muito mais fácil que no físico, porque na realidade dos alunos de uma escola muito tem em casa um ambiente muito mais desafiador do que o da escola, o que faz com que auno com estrutura familiar diferente encarem de forma muito diferente as mesmas dificuldades comuns da escola. O grande desafio para todo ser encarnado é lembrar que nossa "paternidade" é divina, ela não vem de nossos pais terrenos. Eles, como os colegas e professores da escola, são apenas colegas de viagem que representam também desafios de aprendizado e não podem ser nosso "ponto de referência". Ou seja: o aluno que se dá mal na escola ainda pode se manter sereno por saber que é amado por seus pais e que não será desprezado por eles por um fracassos ocasionais. E quem passa por dificuldades em todos os campos da vida encarnada, estudo, trabalho família, precisa lembrar que "seus pais" na verdade é esse seu Ser maior do qual ele é apenas uma pequena expressão. Muiots chamarão esse Ser de Eu superior, ou Divina Presença, ou Eu Sou, ou Divindade Interior, ou Pai Interno. É dele que emanamos, é que quem nos coloca nas tretas, como um soldado que vai para a guerra cumprindo ordens, eheheh. Mas a diferença é que não se trata de obediência a terceiros, ambas as partes trabalham  pelo bem de ambas, ainda que a parte encarnada aqui não perceba isso. Compreender isso visceralmente ajudaria muito, mas isso é em si mesmo uma meta que é preciso atingir, porque se esquecemos, quando as coisas vão mal, podemos, como o aluno rebelde, jogar um coquetel molotov na escola, ehehe, prejudicando nosso aprendizado e o dos outros, e aí vem o carma em cima para dar uma aplainada nas nossas arestas.

 

já tive uma experiencia com o eu sou, senti a presença dele, o Eu sou no caso é Deus?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não. A expressão "Deus" é geral né? A fonte da qual tudo emana. Mas isso acontece em níveis de subdivisão a partir da fonte. Esse "EU Sou" é como se fosse um "deus pessoal"., é sua parte mais elevada, mais perfeita, (mas que não é ainda perfeita, por isso você está aqui ralando, para ela ir se aperfeiçoando ainda), mas ainda é algo individual.

Expliquei com mais detalhes aqui:

https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/17843-projeção-astral-vs-reencarnação/&do=findComment&comment=80300

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.