• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
mvnobrega

Evolução do espírito

Recommended Posts

Lendo aqui os livros de Samael, eu me deparei com um trecho onde ele fala que o Ego não evolui, que a tendência das reencarnações é a pessoa fortalecer cada vez mais o ego e só se afundar no abismo. Achei isso muito pessimista. A sensação que eu tive é que compaixão não é forte dos gnósticos. Minha impressão é que após uma certa altura, a percepção da gnose acaba nos fazendo olhar as pessoas com certa indiferença, pois passamos a entender que o trato com um determinado indivíduo está se dando através do Ego.

Por outro lado, no espiritismo a gente sente muito mais compaixão, parece haver mais respeito, menos pessimismo, mais compreensão e uma maneira de ver as coisas com mais naturalidade em relação ao progresso e evolução. 

A reencarnação não seria uma maneira de polir o espírito e eliminar o Ego ? Pq Samael é tão pessimista em relação a isso ?

Se uma pessoa que tem o Ego X reencarna num contexto que desfavoreça esse Ego, isso não seria evolução ? Não iria ocorrer uma lapidação, por mais que não seja suficiente para eliminar o ego por completo, um contexto existencial que vá contra um determinado Ego não poderia ajudar a matá-lo ? Por mais que seja uma evolução mais demorada, me parece possível evoluir e enfraquecer o ego (ou eliminar) reencarnando.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Você não acha pessimista que quando começa a chover, só tenhamos que aceitar, porque afinal não há como mudar isso? Não seira mais otimista uma visao de mundo que afirmasse que voce pode mudar sair realidade, e que portanto pode fazer parar de chover quando quiser?

Essas coisas não são como escolher um filme, que você pega o que mais te agrada. Os materialistas costumam ter uma visão de que as pessoas espirituais ou religiosas  são passivas, nada fazem para alterar sua realidade, contando sempre que serão felizes quando chegarem no céu,  o que é uma visão limitada dos religiosos, como o golpe de fundamentalistas cristãos na bolívia demonstrou ao mundo. Já os religiosos criticam os materialistas por acharem que o destino da humanidade está em suas próprias mãos, e não nas de "deus"... as revoluçoes que fracassaram "provam" que os religiosos estavam certos. 

Na verdade ambos os grupos estão certos e errados ao mesmo tempo, porque estão tendo uma compreensão distorcida da questão.

Na Gnose explicamos que o ego é como um cascão, uma criação artificial e portanto não tem futuro algum. O Ego não é espírito, assim como seu corpo físico não é espírito. Portanto você deveria achar pessimista dizer que o corpo físico envelhece e morre, apenas continua o "espírito. Mas não vê a coisa dessa forma não é mesmo? Por que? Porque entende a limitaçaõ do corpo físico e entende que O QUE IMPORTA não morre, e poderá continaur se aperfeiçoando evoluindo.

É exatamente  o mesmo ponto na gnose:

O que importa, o espírito, é imortal. O que não importa, o ego, é mortal.

Ou você elimina ele para que seu espírito se liberte dele, ou a natureza elimina ele por você. Mas tal como  o corpo físico, o ego não tem a eternidade disponível para ele, como o espírito tem. "Evoluir" uma sujeira é apenas fazê-la aumentar de tamanho, e o Ego é isso, sujeira psíquica, não há evolução para ele

 

Quando outras doutrinas, como o espiritismo, falam de reforma íntima e aperfeiçoamento, estão falando da mesma coisa se você olhar de forma superficial.

Na prática esse aperfeiçoamento não vem pela evoluçao do ego ,mas pelo enfraquecimento progressivo dele, porque ele é como um vaso que limita o crescimento das raízes de uma planta: para que ela possa virar uma árvore plena o vaso precisa ser descartado. Mas ela pode sim crescer ATÉ UM PONTO dentro do vaso. 

 

A diferença da gnose para essas outras doutrinas espiritualistas  é no "ATÉ QUE PONTO".

É como eu já disse várias vezes aqui no fórum: "as pessoas não mudam". Se você olha superficialmente, você dirá "mudam sim, porque quanto eu tinha 18 anos eu só queira festa, bebedeira, fazer pega de moto, e agora com 30 só quero criar meu filho, detesto som alto, não vou a festas, e prefiro carro por ser mais seguro".  Bom, isso nao é mudança, é adaptação a outro contexto e a outras necessidades.

Quando eu digo que as pessoas não mudam estou dizendo que se você apagar a memória dela e colocá-la de volta no mesmo contexto de antes, ela cometerá os mesmos erros de antes, tomará as mesmas decisões de antes , porque as "mudanças", o "amadurecimento" que as pessoas julgam ter durante a vida é superficial demais,, não resiste à morte e renascimento, que vai gerar um processo  de amnésia.

Quando você apaga todo o treino de estímulo resposta do robô humano, quando os condicionamentos de uma época, a educação familiar, as regras morais da sociedade em que ele viveu, são apagadas, ele tomará decisões baseado no que ele é DE FATO. Precisa muitas encarnações para você mudar  NESSE NÍVEL, que é o único nível que eu estou considerando quando eu digo que as pessoas não mudam.

Pode parecer exagero meu, mas quem olhar para dentro de si e já tem mais idade, poderá encontrar lá dentro os mesmos defeitos batendo na porta para sair, quando uma situaçao similar à da juventude reaparecer. Considee pro exemplo o medo de falar em público. Em geral quem o tem na juventude o terá a vida toda só muda o grau. O que é isso? O mesmo ego presente ali por toda a vida. Ele meio que some de cena, quando não é desafiado, motivo pelo qual a vida monástica faz muita gente acreditar que estão evoluindo. Mas basta sair das montanhas e voltar  à vida urbana moderna das grandes cidades que os antigos padrões psicológicos voltarão, porque o ego é isso condicionamento psíquico estímulo-resposta.

É meio que óbvio que o único destino possível para ele é a eliminação, ou não poderá haver uma real evolução. 

 

Outro ponto é se a reencarnação é ou não capaz de eliminar o ego.

Bem, nem para o Samael nem para o Budha isso é visto como possível. O espiritismo segue os padrões do hinduísmo, que acredita num aperfeiçoamento gradativo e contínuo.O Budismo já surgiu  500a.C para dizer que isso não funciona, ficamos presos sempre nessa roda de enlaces cármicos, repetindo padroes e gerando mai lações e prisões cármicas infinitamente.

Quem está certo? Não sei. 

Podemos alegar que há semelhanças entre todas as doutrinas espirituais da humanidade apenas se você olhá-las de forma genérica. Se olhar no detalhe, são todas bem diferentes entre si. E esses esclarecimentos, que vem do Budha, que vem dos espíritos lá do kardec, que vem do Samael, dependem do nível de desenvolvimento espiritual de quem esclareceu, porque isso define até onde ele foi capaz de enxergar a verdade por trás das ilusões da mente interferindo nas investigações dos plano sutis.

Penso que cada ensinamento é para o nível de compreensão do seu público alvo. A medida que você acha que uma doutrina te "esclarece tudo, responde todas as suas dúvidas, faz tudo finalmente fazer sentido!", você cresce um pouco com ela. Mas após alguns anos você pode achar que está estagnado, que foi iludido, que aquilo na verdade nunca funcionou, que foi lavagem cerebral, etc.. Mas é que AGORA você já colheu os frutos dela, então para seguir crescendo precisa conhecer alguma outra que te traga FERRAMENTAS que te permitam de fato crescer.... 

(Aliás,  o pessoal costuma confundir "discurso espiritualista" com "ferramentas". Discursos servem para auto-engano, para permitir que você continue como sempre foi  mas possa ocultar a mesmice com discursos que representem a idéia de mudança:  "mudar sua própria realidade","elevar sua frequencia,  "ascensionar". Essas coisas alteram estado trnasitórios, não mudam sua  configuraçaõ psíquica, portanto não mudam nada.)

....e mais adianta pode precisar de outras ferramentas ainda....

Então não acho que se pode colocar na mesma mesa catolicismo, budismo, estoicismo, espiritismo, gnose e compara as pecinhas, e ver quem está certo sobre este ou aquele detalhe.... porque se destinaram originalmente a públicos com diferentes níveis de compreensão, e além disso cada um estabelece um SISTEMA de valores e significados que só é válido para esse sistema, não pode ser transferido para outro. É por isso que Budismo não tem céu, nem o conceito de salvação, elementos presentes no nicho cultural das religiões do tronco judaico. Por isso que os  conceitos de cama e de reencarnaçao do ocidente não são os mesmos que do oriente.

Você diz lá:

12 horas atrás, mvnobrega disse:

A sensação que eu tive é que compaixão não é forte dos gnósticos

O forte dos gnósticos é  o trabalho SOBRE SI. Não interessa quanta caridade ou compaixão você tenha PELO OUTROS, o que você faz PELOS OUTROS afeta os outros, não afeta o que você é.

Se quer mudar a si mesmo, foque no trabalho sobre si. Não há atalhos, não dá para trocar o trabalho sobre si pelo que faz pelos outros, são duas estradas paralelas, independentes (como falei lá n outro tópico em que expliquei sobre "os três fatores")

12 horas atrás, mvnobrega disse:

Minha impressão é que após uma certa altura, a percepção da gnose acaba nos fazendo olhar as pessoas com certa indiferença, pois passamos a entender que o trato com um determinado indivíduo está se dando através do Ego.

Sim, acontece isso com as pessoas. Mas o nome disso é fanatismo.

É um efeito colateral desagradável de uma compreensão errada, mas é comum passarmos todos por essa fase inicial de compreensão errada. É como aqueles tipo de gente que exatamente por não compreender como funciona o capitalismo acha que pobre é preguiçoso e rico é competente. 

O que acontece é que como você tem que aprender a observar a si mesmo e descobre que muito do seu sofrimento/desconforto  é puro mimimi do ego, você também enxergará isso nos demais. A questão é que VOCE SABE ISSO SOBRE SI MESMO, mas o outro não sabe isso sobre ele, logo, você tem como minimizar o SEU sofrimento entendendo a origem dele, mas o outro não terá como fazer isso. Então ele é digno de compaixão pela própria ignorância, porque o sofrimento é bem real, ainda que a causa dele seja um erro, uma farsa.

Por exemplo: uma pessoa é atacada verbalmente em público e com consequência vai se sentir humilhada e muitos serão solidários com ela, porque afinal "isso não se faz" .

Se você tem uma compreensão prática sobre  o ego, você sabe que isso é puro orgulho ferido, não foi praticado nenhum mal àquela pessoa. Foi apenas um processo em que o atacante tentou tocar em certos botões psicológicos dessa pessoa, tentando gerar nela a reação interna esperada:  sentir-se humilhada. Se você trabalhou sobre você,  pode até não ter mais esse botões psicológiocs para alguém apertar, então se fizessem o mesmo com você você não sentiria nada, porque na prática nada foi feito realmente, é uma ilusão psicológica que depende de você se deixar levar por ela, você precisa "jogar junto" com o agressor ou nada acontece.

Agora,, se você tem de fato feito esse trabalho sobre si você saberá que isso:

- não é fácil

- exigiu milhares de horas de prática com autoboservação,  com a técnica de morte do ego

- exigiu desenvolver compreensão especifica, ou a técnica não surtiria efeito

- exigiu educaçao e treinamento por meses e anos nesse conhecimento

- e mesmo que tenha dominado esse ponto , você sabe que tem muitos outro pontos dento de você que estão precisando ser trabalhados, porque estão totalmente na estava zero ainda

Então se você DE FATO fez tudo isso, sabe quanto esforço e tempo levou esse percurso. Como não ter compaixão pela pessoa que está sofrendo pela humilhação que passou, e contra a qual ela está a está indefesa psicologicamente? A humilhação que ela acha que passou é uma ilusão, é um valor que ela atribui a eventos neutros,  mas o sofrimento dela é real, fruto do valor errado que ela atribiui àquilo, em nada diferente de um selvagem que acredite que os trovões são porque Tupã es´ta furioso com ele, e vai correndo  para a oca chorar abraçado nos seus filhos com medo que aquele deus raivoso leve eles embora pela morte.

Você não pode fazer a pessoa que está iludida por um evento desses enxergar isso só explicando para ela, da mesma forma como você mesmo ainda terá muitos pontos cegos na sua psique que te farão sofrer como ela, mesmo que você saiba que está sofrendo por tolice, porque saber apenas intelectualmente não é o mesmo que compreender a ponto de ficar imune àquilo. Então como não ter compaixão do pobre ser humano que sofre por ser ignorante naquele aspecto, da mesma forma como você já foi também ignorante naquele aspecto e ainda é ignorante em vários outros aspectos? Como nao ter compaixão por uma criança que chora porque acha que o coelhinho da páscoa morreu? A causa do sofrimento é ilusória,mas ainda assim dá dó né?

Não é o ensinamento que gera essa falta de compaixão ou outros fanatismos típicos, mas a compreensão ainda deficiente, pouco prática,  desse ensinamento.

 

12 horas atrás, mvnobrega disse:

Por outro lado, no espiritismo a gente sente muito mais compaixão, parece haver mais respeito, menos pessimismo, mais compreensão e uma maneira de ver as coisas com mais naturalidade em relação ao progresso e evolução. 

Sim, ao mesmo tempo em que não há ferramentas que te ajudem a se melhorar, há apenas uma fé no progresso eterno.É mais confortável acreditar que estamos todos a deriva no mesmo barco, levados pela maré da evolução, e que um dia chegaremos todos no mesmo destino, sem precisarmos fazer nada para isso, porque é a maré a evoluçao que nos leva. Então com nada há para ser feito, só resta uns abraçarem os outros quando alguém se desespera porque viagem demora demais, porqu está frio, quando o barco sacode muito, quando chove sobre todos... o foco na paciência e compaixão é um recurso para lidar melhor com a falta de meios para agir. É típico das religiões, porque as religiões não lidam com métodos, apenas com crenças. Quando você não tem conhecimento para alterar a realidade, você precisa mudar a forma como explica essa realidade. É um exemplo em que a ciência se presta bem:

Se tem seca ha muito tempo numa região, os religiosos podem alegar que é vontade de deus, punição para aquele comunidade, podem rezar pedindo chuva, as famílias podem se apoiar mutuamente, todos estimulado a paciência uns nos utros, a compaixao de uns pelos outros para se ajudarem nesses momentos de crise... Mas se tem alguém ali que saiba como fazer, apenas sobre num avião e bombardeia as nuvens com os produtos certos, para fazer chove ali e fim. Não precisa chororô, tudo que fizeram antes é visto pelo que é: estratégias de quem não sabe oque fazer

Muito do que as pessoas consideram razoável esperar de certos caminhos ou doutrinas espiritualistas é fruto desse herança de mentalidade religiosa que é incapaz de agir porque desconhece os meios de fazê-lo. A atitude  típica de qualquer religiao é "botar panos quentes" nas coisas e "dividir o pão".

Então fica esse foco na fé, na emocionalidade.. porque só possuem  isso mesmo Não é o mesmo no conhecimento esotérico/ocultista

Citar

"O Adepto inspira geralmente, entre seus associados ime­diatos, especialmente em seus discípulos, a maior devoção e afeto; porém, em raríssimas ocasiões em que se vê obrigado a sair e pôr-se em contato com o mundo exterior, o jul­gam frio, remoto e retraído.  Esta espécie de isolamento é muito característico de todo ocultista. Sua atitude para com a vida é tão diferente da dos outros; suas maneiras de pen­sar tão estranhas das dos demais, que toda relação social se torna difícil, e assim se vê obrigado a refugiar-se no silêncio e reserva para evitar más interpretações.

Muitas pessoas se afastam do Ocultista, porque o amor não parece ser sua característica mais saliente.  A diferença entre sua atitude e a do filantropo ou pessoa afetuosa, pode ser comparada à que existe entre a pessoa que tem um cão­zinho porque lhe agrada tê-lo e a aquela que o cria para me­lhorar a espécie.  Esta última se dispõe ao trabalho de melhorar a espécie até seu mais alto grau de perfeição, e às vezes pode parecer cruel com o animal."

 

Fonte: O ideal do iniciado In: "Preparação e Trabalho do Iniciado"- Dion Fortune

 

  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vlw Sandro, vc foi direto ao ponto que eu tinha dúvidas.

 

1 hora atrás, sandrofabres disse:

Outro ponto é se a reencarnação é ou não capaz de eliminar o ego.

Bem, nem para o Samael nem para o Budha isso é visto como possível. O espiritismo segue os padrões do hinduísmo, que acredita num aperfeiçoamento gradativo e contínuo.O Budismo já surgiu  500a.C para dizer que isso não funciona, ficamos presos sempre nessa roda de enlaces cármicos, repetindo padroes e gerando mai lações e prisões cármicas infinitamente.

Quem está certo? Não sei. 

Mas quando a gente enfrenta o medo, como no caso da pessoa que tem medo de falar em publico, se ela bater de frente ou mesmo desde a infância os pais a estimularem a desenvolver essa habilidade, isso não ajuda a eliminar esse ego? 

Crescer até "Certo ponto" do vazo seria isso? Eliminar os Egos mais xaropes com educação e contexto existencial que favoreça, para depois eliminar o resto com magia sexual ? ou ainda assim, teria o risco de eliminar um, e cultivar outro pior, e por isso Samael parece pessimista nesse sentido ?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Você vai podando, como quem poda uma árvore. Mas nunca arrancará pela raíz sem usar  técnica,  de modo que eles rebrotam muito rápido depois. Esse é o motivo por exemplo, porque muita gente pode fazer em sonhos o que nao terá coragem de fazer em vigília. Se fez em sonhos, é porque aquilo está bem vivo dentro dela. mas pode ser que não seja tão forte a ponto de assumir o controle em vigília e praticar o ato. Mas as vezes só porque nesta vida não teve contexto para desenvolver esse traço de personalidade. Na anterior o contexto podia favorecer (a moral e costumes de oura sociedade) , por isso nao fazer nesta não significa evolução, aquele ego está lá dentro só esperando a justificativa certa que lhe permite se manifestar. 

  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 09/05/2020 at 15:21, sandrofabres disse:

Você vai podando, como quem poda uma árvore. Mas nunca arrancará pela raíz sem usar  técnica,  de modo que eles rebrotam muito rápido depois. Esse é o motivo por exemplo, porque muita gente pode fazer em sonhos o que nao terá coragem de fazer em vigília. Se fez em sonhos, é porque aquilo está bem vivo dentro dela. mas pode ser que não seja tão forte a ponto de assumir o controle em vigília e praticar o ato. Mas as vezes só porque nesta vida não teve contexto para desenvolver esse traço de personalidade. Na anterior o contexto podia favorecer (a moral e costumes de oura sociedade) , por isso nao fazer nesta não significa evolução, aquele ego está lá dentro só esperando a justificativa certa que lhe permite se manifestar. 

Isso que é preocupante. Se a educação e o ambiente não for favorável em uma reencarnação, é possível por tudo a perder e arrumar ainda mais problemas e enlaces cármicos né ? já que a personalidade não será favorável.

E faz sentido as pessoas comparar a situação de alguém para justificar que ela conseguiu algo e outra não? Por exemplo, é muito comum a turma falar "viu, fulano é simples, nao teve isso nem aquilo, mas estudou e conseguiu ter sucesso". 

Isso realmente seria um mérito da pessoa? Ou a equação de Ego + Personalidade é quem irá ditar o resultado? Nesse caso, seria possível  a combinação dos Egos + personalidade favorecer que uma pessoa consiga se desenvolver melhor em ambientes mais negativos, e o mesmo não ocorrer num ambiente positivo?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nosso ego procura telepaticamente outros similares  Isso atrai as más companhias& que esrimulam maus comportamentos, más escolhas e as situacoes de "azar", problemas financeiros , etc.

Tem muitas coisas emvolvidas para definir o que esta ao seu alcance ou não.  Nenhum esforco individual supera o karma . Mas se o carma nao wata te trancando, entao voce tem algum espaco para construir o seu destino.

Mas ainda assim ninguém chega a lugar algum sozinho. Orecisa os pais certos, a educao certa, amigos e olortunidadew certas.

E tem o problema a da recorrência. Isso e um tema gnostico, procure o tema no google "Retorno e Recorrencia".

 

 

  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Se a pessoa morreu de acidente devido a um carma na vida atual, na vida posterior o Ego que deu origem e esse carma não existirá mais? 

12-1.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Os karmas que te atingem nesta vida sao sempree de vida anterior. Os que você adquirir nesta só te atingem na proxima, porque o balanço geral só e feito no momento após o desencarne.

Carma  é efeito educativo das ações, pense nele como um boleto a pagar.

Ego é o executante das ações.Pense nele como um comprador compulsivo.

Ninguém elimina o comprador eliminando o boleto. O contrário é que e verdadeiro: eliminando o comprador, novos boletos nao surgirão.

Um número excessivo de boletos pode tornar tão desagradavel a vida do comprador  que ele pode começar a se educar e comprar  menos. Mas não sao os boletos que fazem isso, é sempre a decisão  interna de algo superior em você, que passará a controlar o lado inferior, o desejo de comprar. Sem eliminar esse desejo, sempre serao feitas novas compras. O karma tem finalidade educativa mas a oessoa pode continuar sem aprender e tudo ir se agravando vida apos vida.  O comprador pode ficar cada vez mais compulsivo apesar do acúmulo de boletos. Por isso karma nao elimina o ego, o carma apenas equilibra a relacao de causa e efeito desequilibrada por uma acao do ego. Apensas o esforço CONSCIENTE pode eliminar o ego, as punições automáticas do samsara apenas geram condicionamento, usam a relacao estímulo/ resposta, prémio/ punicao, para manter o robô humano mais ou menos dentro de certos limites. Mas exatamente porque o carma é um processo mecânico do samsara , nao pode produzir consciencia, pelo mesmo motivo que maquinas nao geram vida, apeana vida gera vida. Apenas esforcos da consciência geram consciencia.

É como na projecao astral: nenhuma tecnica por si mesma consegue gerar o despertar da lucidez. Você pode usar uma técnica muito eficar  e perder a conwixdncia tao logo descola do corpo. Consegue sair, mas apaga, porque a técnica, por ser algo mecânico, nao consegue produzir conciencia. É apenas o esforço para manter-se consciente que pode te manter consciente. Por isso técnicas de teste em astral, como o saltinho, ou esricar o dedo, falham apos as primeiras poucas tentativas bem sucedidas, porque após a novidade ( que  gera um estado de alerta consciencial) a prática se torna " mecânica", você não a faz mais com a mesma atenção das primeiras vezes.

Assim como na lembrança de si e auto-observacao é apenas o esforço para "não se identificar" que pode impedir que você se identifique.

 

  • Thanks 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

20200516_200552.png

 

O "eu" que estava ligado  ao evento do acidente, CASO  TENHA SIDO ELIMINADO PELO TRABALHO DE MORTE DO EGO, elimina tambem a conexao com aquele acidente.

Você achou que era ter morrido daquele acidente que matou o ego, mas nao , no desenho acima foi o fato de ter descoberto NA VIDA SEGUINTE como matar o ego, e ter feito o trabho em cima DAQUELE EGO ESPECIFICO.

Um exemplo bem simples: o cara tinha um eu que gostava de fazer pehas de carro e por isso morreu numa vida, num acidente desses. Na visa seguinte descobrindo como eliminar esse eu, ele nunca fará os pegas, entao nao tem como repetir o evento. Mas se ele só controlou um pouco, ele pode acabar participando como espectador no dia e hora da repeticao , ou seja, há uma imantacao que atrai o ator para a cena carmica.  E ai acontece um  acidente nao fatal entre os corredores, mas um pneu se solta e  acaba atingindo ele la na torcida,  " por acaso"....

Só elimimando o ator ( eliminando aquele eu) essas imantacoes nao o pegam mais.

  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
6 minutos atrás, sandrofabres disse:

20200516_200552.png

Agora entendi. A maneira que eu havia entendido ia de contra o que tínhamos falado antes, por isso resolvi esclarecer. Obrigado.

Mas seria possível ocorrer acidentes reais, sem que esteja ligado a uma carma? Ou tudo realmente tem motivo?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Segundo a gnose existe sim. A questão é que todo universo se origina da Fonte, do Absoluto, e as coisas vão se dividindo à medida que se afastam da fonte. Então quando mais afastados da fonte, mais a mecanicidade domina, mais leis regem o plano em que vivemos, e mais sujeitos estamos a algum grau de entropia, de caos. Então há margem para acidentes também, não é tudo 100% sob controle. 

  • Like 2
  • Thanks 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
19 horas atrás, sandrofabres disse:

Segundo a gnose existe sim. A questão é que todo universo se origina da Fonte, do Absoluto, e as coisas vão se dividindo à medida que se afastam da fonte. Então quando mais afastados da fonte, mais a mecanicidade domina, mais leis regem o plano em que vivemos, e mais sujeitos estamos a algum grau de entropia, de caos. Então há margem para acidentes também, não é tudo 100% sob controle. 

Vlw 

Share this post


Link to post
Share on other sites

No espiritismo também fala que o espírito nunca retrocede. Tem alguma verdade nisso?

Quando ocorre a segunda morte, na próxima oportunidade de evolução o espírito ou essência seria um pouco mais maduro ? Ou seria totalmente virgem novamente?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.