• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
Sign in to follow this  
Estrela

Relatos / Estrela - Alessandra

Recommended Posts

Vou abrir esse tópico para postar alguns relatos recentes e antigos. Eu tinha feito longos posts sobre minhas primeiras experiências, por volta de 2014-2015, mas eu não encontrei. Eu tinha um outro login.

A @Camy1 deve ser a pessoa mais organizada desse fórum e vou seguir o seu caminho. ;)

 

 

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Relato sobre a primeira semana de Abril de 2020

Nessa quarentena eu estava sentindo minha lucidez baixa. Meus sonhos eram apenas correria, perseguição e cenários de conflito. Quando eu despertava dentro dos sonhos buscava fazer treinos de energia, lançando energia e mudando objetos de lugar.

Na minha oração antes de dormir eu peço para ser útil. Para meu corpo descansar e meu espiríto trabalhar para o bem. Em um dia da semana passada, em meio a sonhos confusos, eu me deparei em um sonho lúcido, estava num quarto escuro onde havia uma criança muito doente deitada na cama. Eu fiz um procedimento de extração, onde eu retirava da sua boca uma corda (que parecida uma tripa transparente cheia de nós e gomos), com animaizinhos escuros dentro (de todo tipo e nunca visto). Quando retirada eu joguei energia nessa "tripa" até ela se dissolver. Depois eu vi uma imagem ensolarada que deveria ser dessa criança com roupa escolar segurando alguns objetos na mão: uma régua gigante e esquadros muito grandes. Daí eu despertei.

Quando acordei o sonho estava muito marcado ainda, eu até achei que poderia ter sido uma experiência de auxilio real. Mas quando eu lembrei daquela régua gigante eu ri de mim mesma. Nossa mente não tem limites né?

A tarde estava olhando um site com imagens de uma cliente para um projeto. Pois bem, a primeira imagem que abri era o estudante com a régua e os esquadros gigantes na mão. Eu nunca tinha visto esses objetos antes (não daquela forma), muito menos essa imagem. Era exatamente a mesma posição, os objetos identicos nas mesmas mãos e o dia ensolarado. Era 90% a mesma cena.

Eu não sei se foi um sinal que a minha experiência tenha sido real ou um sinal que estou mais lúcida do que imagino. Não é a primeira vez que isso acontece, mas apenas em épocas que estou mais conectada.

 

  • Like 1
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Seres majestosos

Ontem eu esbarrei com as criaturas mais majestosos que "conheci", confesso que minha lucidez não anda aquela maravilha, mas tive um desdobramento interessante. 

Perto do meu despertar me vi observada por um grupo de pessoas, estava tendo um sonho muito pertubado e de repente tudo se acalmou ao redor. Nesse grupo haviam homens, mulheres e uma criança. Todos vestidos em vermelho e branco, muito elegantes: mistura de moderno com século 16 (?). Nas mulheres jóias prateadas e em seus vestidos, bem cheios, cobertos de símbolos em fios de prata. Nos homens uma espécie de terno com os mesmos detalhes em bordado. Alguns deles carregavam uma espécie de cajado prateado onde se encaixavam formas e símbolos enormes.

O interessante é a luz que irradiavam, era muito diferente, parecia que eu não conseguia ver direito e pensava: eu quero enxergar mas não consigo processar essa visão por inteiro. O vermelho das roupas era um vermelho irreal, era lindo, como se fosse uma cor que não há nesse mundo, talvez por isso não conseguia "ver" ao todo. Parece que aqueles símbolos nas roupas num momento se ativavam, pois emitiam luz e se apagavam. Alguns usavam coroas e contas, que cobriam parte do rosto. A figura que mais me intrigou foi uma criança, uma menina, que tinha uma coroa bem alta e na sua ponta flutuava uma meia lua forjada em metal prateado (translúcido?). Seu rosto era todo coberto com contas/escamas prateadas. 

Parecia um cortejo mágico.Todos estavam com um semblante sério, como que estavam ali por um motivo importante. Eram todos negros e emanavam muita força.

Despertei e fiquei pensando muito neles. Tentei meditar sobre essas figuras para ver se tinha uma resposta do que eram. Eu mandei uma mensagem para minha irmã a tarde falando desse povo que me intrigou. Minha irmã é medium e trabalha na linha da Umbanda há anos. Ela me disse que há muitos seres trabalhando na proteção do astral nesse momento. Seu grupo participa de uma corrente de orações todas as noites desde o início da quarentena. Ela cogitou que poderia ser o povo cigano, o grupo dela estava trabalhando muito com os ciganos nessa semana. Mas também relatou que em uma dessas noites saiu em astral com guerreiros muito altos, que não pareciam seres terrestres: e eles a esperavam cordialmente. Fazia muito tempo que não conversavamos sobre esses assuntos.

Pesquisei na internet para ver se encontrava algo parecido e nada. É como se fossem figuras antigas mas muito avançadas. Eu lembrei muito da linha de esquerda da Umbanda, que tem um papel importante de proteção e enfrentamento no astral. Mas a descrição não encaixava com nenhuma entidade. No entanto ficou uma forte impressão: não estamos sozinhos nessa.

  • Like 1
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sendo todos negros... será que têm a ver com o movimento anti racismo que atualmente se iniciou nos EUA?

  • Like 1
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 6/16/2020 at 11:49 PM, Camy1 said:

Sendo todos negros... será que têm a ver com o movimento anti racismo que atualmente se iniciou nos EUA?

Não sei, eu fiquei com a impressão de algo mais ligado com alguma linha das religiões afro-brasileiras. Embora nenhum grupo se encaixou ao todo. Quando eles se aproximaram minha lucidez aumentou.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vôo... 

Junho, 2020

Como é deliosa a sensação de voar e fazia tempo que eu não tinha. Eu despertei em uma região noturna e bem movimentada. E apesar de tumutuada o povo parecia calmo (o que é bem estranho para o período). Então fiquei me questionando se eu estava mesmo desperta. Tentei levitar com dificuldade mas consegui. Peguei altura e fiquei olhando aquela vila do alto. Quando observo o céu limpo no astral é muito interessante, muitíssimo estrelado e muitos pontos em movimento. Alcancei o telhado de um construção, parecia bem antiga, de lá via as ruas de paralelepipedo com pouca iluminação. Minha vista começou a borrar e eu dizia "luz, luz, quero enxergar" voltei. Sobrevoei um lago, estava claro quando desci... quando eu cheguei no chão havia pessoas ao redor do lago, peixes enormes apareciam atravez da água translúcida. Eu toquei na areia, senti ela entre as mãos e dizia a mim mesma "quero continuar lúcida", mas não adiantou...

 

 

  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Já que o sono não vem vou contar um relato de 2015...

Eu acredito ser setembro, 2015

Nessa época tinha deixado o emprego fixo e queria tentar um intercâmbio. Para melhorar meu inglês fiz um acordo para trabalhar algumas horas em um hostel. No dia posterior de uma festa decidi passar o fim de semana por lá. Era um sábado e caiu uma tempestade daquelas em São Paulo. Já era a noite e a energia foi embora. Eu estava sozinha em um quarto enorme. E também estava com uma sensação de bloqueio no meio do peito o dia inteiro. Quando os relâmpagos e trovões ficaram cada vez mais intensos e eu estava no escuro total consegui perceber melhor meus sentimentos e desabei a chorar. Chorei como uma criança, soluçava. Quando comecei a ficar mais calma eu senti algo pulsar no meio do meu peito. E derrepente começou a chover dentro do quarto. Mas era uma chuva magnética verde. Eu olhava para minhas mãos e eu via aquela fumaça branca ao redor muito nitidamente. Eu sempre vejo, mas bem fraquinho. Estava deitada na cama. E na minha frente em uma forma circular (um metro de diametro mais ou menos), como se fosse a projeção de um cone, eu via imagens de outros lugares, via seres pequenos passando de lá para cá. As vezes ficavam parados. Era como se fosse outra dimensão.

Essa experiência durou uns 10 min ou mais. Pois eu fiquei vendo minha aura por bastante tempo depois daquela chuva passar. Eu não sou clarividente, tenho sim muita pré-cognição. Mas essa época estava fazendo muita meditação vocalizada. Teria eu hiperestimulado meu cardíaco? Nunca mais aconteceu igual, estava totalmente acordada.

 

 

 

  • Like 1
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 20/06/2020 at 01:02, Estrela disse:

Vôo... 

Junho, 2020

Como é deliosa a sensação de voar e fazia tempo que eu não tinha. Eu despertei em uma região noturna e bem movimentada. E apesar de tumutuada o povo parecia calmo (o que é bem estranho para o período). Então fiquei me questionando se eu estava mesmo desperta. Tentei levitar com dificuldade mas consegui. Peguei altura e fiquei olhando aquela vila do alto. Quando observo o céu limpo no astral é muito interessante, muitíssimo estrelado e muitos pontos em movimento. Alcancei o telhado de um construção, parecia bem antiga, de lá via as ruas de paralelepipedo com pouca iluminação. Minha vista começou a borrar e eu dizia "luz, luz, quero enxergar" voltei. Sobrevoei um lago, estava claro quando desci... quando eu cheguei no chão havia pessoas ao redor do lago, peixes enormes apareciam atravez da água translúcida. Eu toquei na areia, senti ela entre as mãos e dizia a mim mesma "quero continuar lúcida", mas não adiantou...

 

 

Que lindo relato, muito bom ler seus relatos, muita coerência nas suas orações, gosto disso, deixa tudo interessante de se ler. 👏👏👏👏

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 10/06/2020 at 00:34, Estrela disse:

Perto do meu despertar me vi observada por um grupo de pessoas, estava tendo um sonho muito pertubado e de repente tudo se acalmou ao redor. Nesse grupo haviam homens, mulheres e uma criança.

Estrela, achei impressionante a semelhança desse sonho seu com um sonho que tive uma vez (e até relatei aqui no GVA).

Nesse sonho também tinha um grupo de pessoas, a maioria mulheres. Estavam por de trás de um vidro, como se observando à distância, mas parecia mais que estavam "em outra dimensão" na verdade, porque onde eles estavam era um lugar de natureza, como se fosse em meio de uma floresta, com alguns rios ao redor, enquanto eu tinha recém saído do cenário do meu sonho, feio, apagado, uma cidade à noite, de madrugada, com poças no chão por causa da chuva, tipo nesses relatos que a gente lê aqui sobre a aparência das zonas inferiores. 

No meu caso eles tinham uns olhos bem claros, azuis, mas um azul que não era um azul comum, por assim dizer, porque era um azul cristalino, quase branco, bem brilhante. E eram bem sérios e estáticos, passavam muita seriedade, e não se moviam, como se tivessem me vigiando mesmo, pra ver o que eu tava fazendo. Ou então me esperando.

Algumas vestiam uns ornamentos de cabeça, como de indígena, muito coloridos, também em umas cores que pareciam irreais, porque não tinham a vivacidade das "cores normais" que a gente vê com os nossos olhos. 

Em 10/06/2020 at 00:34, Estrela disse:

O interessante é a luz que irradiavam, era muito diferente, parecia que eu não conseguia ver direito e pensava: eu quero enxergar mas não consigo processar essa visão por inteiro. O vermelho das roupas era um vermelho irreal, era lindo, como se fosse uma cor que não há nesse mundo,

Sim, exato! 

Em 10/06/2020 at 00:34, Estrela disse:

Pesquisei na internet para ver se encontrava algo parecido e nada. É como se fossem figuras antigas mas muito avançadas. Eu lembrei muito da linha de esquerda da Umbanda, que tem um papel importante de proteção e enfrentamento no astral. Mas a descrição não encaixava com nenhuma entidade.

Também procurei na internet na época, e até hoje ainda pesquiso as vezes, mas nunca achei nenhuma entidade com a descrição de ter a característica dos olhos bem azuis e pálidos, que era a característica mais marcante. Até mesmo as pessoas com traços indígenas, que eram morenas, tinham os olhos azuis. Também nunca encontrei a característica de entidades com o cabelo bem claro.

As coisas mais parecidas com eles que encontrei foram as entidades da Fraternidade Branca, por causa dos olhos deles (se você der um zoom, pode ver que eles são meio brilhantes https://i.pinimg.com/474x/11/75/dc/1175dcc7d6c710297df97cc1b0ab80fb--ascended-masters-spiritual-life.jpg), e também com os caboclos da umbanda, no caso caboclas, por serem mulheres. Mas realmente não sei, porque o detalhe dos olhos não se encaixa.

Também não acredito na possibilidade de serem extraterrestres, como aparentemente eram as entidades do relato do Leadbeater, onde relatei pela primeira vez esse meu sonho: https://www.viagemastral.com/forum/index.php?/topic/20280-projeção-ensinamento-e-amigo/&tab=comments#comment-95022

De qualquer modo, foi bem legal porque na época eu não conhecia nem a fraternidade branca, nem nada sobre a umbanda. Eu não sabia que existiam entidades que se apresentavam como índios, porque minha visão sobre a umbanda se resumia a pomba-giras e exus, que eu inclusive tinha medo, porque tinha uma ideia errada e pré-conceituosa (eu pensava que eram "demônios", aquela visão deturpada que infelizmente ainda é bem comum). 

Mais recentemente tive outros sonhos em que apareciam cachoeiras, então eu meio que fico tentando ligar os pontos, os rios do sonho, com as cachoeiras, me perguntando se pode ter alguma ligação com Oxum, caboclas de Oxum. Mas e as loiras, de olhos azuis? 😄 Caboclas de Odin? hahaha! Quando eu deixo minha mente dar uma viajada eu até me pergunto se poderia ser ligação com o panteão nórdico, ou eslavo, algo assim, porque eles também tem algumas divindades com ornamentos na cabeça (https://pm1.narvii.com/6738/020cd8646d94e8b3043728d51c5a58165d1e6379v2_00.jpg) , mas tento não tirar nenhuma conclusão pra não viajar na maionese espiritual, como diz o Saulo.

Ps.: Continue postando, eu tô amando ler os teus relatos. Você escreve eles bem detalhados, muito legal. Esse aqui eu achei muito lindo também:

Citar

Já que o sono não vem vou contar um relato de 2015...

Eu acredito ser setembro, 2015

Nessa época tinha deixado o emprego fixo e queria tentar um intercâmbio. Para melhorar meu inglês fiz um acordo para trabalhar algumas horas em um hostel. No dia posterior de uma festa decidi passar o fim de semana por lá. Era um sábado e caiu uma tempestade daquelas em São Paulo. Já era a noite e a energia foi embora. Eu estava sozinha em um quarto enorme. E também estava com uma sensação de bloqueio no meio do peito o dia inteiro. Quando os relâmpagos e trovões ficaram cada vez mais intensos e eu estava no escuro total consegui perceber melhor meus sentimentos e desabei a chorar. Chorei como uma criança, soluçava. Quando comecei a ficar mais calma eu senti algo pulsar no meio do meu peito. E derrepente começou a chover dentro do quarto. Mas era uma chuva magnética verde. Eu olhava para minhas mãos e eu via aquela fumaça branca ao redor muito nitidamente. Eu sempre vejo, mas bem fraquinho. Estava deitada na cama. E na minha frente em uma forma circular (um metro de diametro mais ou menos), como se fosse a projeção de um cone, eu via imagens de outros lugares, via seres pequenos passando de lá para cá. As vezes ficavam parados. Era como se fosse outra dimensão.

Essa experiência durou uns 10 min ou mais. Pois eu fiquei vendo minha aura por bastante tempo depois daquela chuva passar. Eu não sou clarividente, tenho sim muita pré-cognição. Mas essa época estava fazendo muita meditação vocalizada. Teria eu hiperestimulado meu cardíaco? Nunca mais aconteceu igual, estava totalmente acordada.

 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Oi @Jutb eu tive um insight lendo seu relato. Temos a tendência de procurar similaridade na terra do que ocorre no astral mas sabemos que tem manifestações que só ocorrem lá né!? Eu procurei muito e até hoje tenho uma impressão bem forte desse encontro. Sobre os seres eu levantei algumas possibilidades:

Grupos que só trabalham no astral, que podem se manifestar em alguns cultos religiosos no físico mas com outra aparência. Eles se apresentam da "forma que são aceitos". 

O grupo que tu viu de índios e nórdicos poderia ser uns ancestrais dos outros. Como o indígena encarnado na terra mas tendo seu espírito uma origem muitíssimo mais antiga (somos todos extraterrestre). Já vi em algum lugar da bibliografia espírita que podemos escolher a forma do nosso espírito, talvez alguns optem por aparências de encarnações passadas. 

Interessante que a postura que esses seres se apresentaram para você parece muito com a que o grupo se apresentou a mim. Poderíamos ter afinidades com esses grupos, ligações fraternas, ancestrais ou só dispostos para participar de alguma atividade com eles. Como eu me disponibilizo para trabalhar no astral talvez abriu uma vaga nesse grupo hehe. 

Minha irmã é médium numa casa de umbanda e tem conhecimento mais prático. Ela disse que mesmo orando para ajudar nas linhas da religião no astral ela acaba trabalhando com seres "de outro mundo" como citei no relato. E olha que eu sou mais ligada a et do que ela. Bom, ajuda é ajuda.

E como são vibrantes! É maravilhoso! Gostei muito do seu relato e do complemento que deu acima. :)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ah, sobre o relato do quarto no hostel, eu esqueci de mencionar que as primeiras imagens que apareceram nesse "portal" foram de uma floresta vista de cima. E as árvores foram passando como se fosse uma câmera viajando por cima delas. Depois disso vi esses seres humanoides. Como se fossem homens do tamanho de crianças, passando de lá para cá. Foi uma experiência bem diferente.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Sign in to follow this