• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
Jhana

Ir morar sozinho...

Recommended Posts

Então gente, eu realmente não aguento mais sofrer essas humilhaçõezinhas no meu lar. Muitas vezes eu faço o meu melhor, e mesmo assim sou tratado com uma toxicidade imensa pelo pessoal daqui... e quando eu cometo um erro legítimo, então sai da frente, porque ai eu literalmente viro o "diabo" aos olhos dos meus familiares. Eu já fui chamado de "nada", "b****", "fardo" entre outros termos humilhantes. Mesmo eu tendo passado em segundo lugar num concurso com mais de 150 concorrentes o pessoal aqui continuava me chamando de b**** e dormente, o que mostra que para eles "melhorar" não adianta de nada, e que na verdade só querem me botar pra baixo mesmo. Eu já fui hospitalizado duas vezes por tentativa de suicídio no passado devido à conflitos familiares, e mesmo assim ninguém se compadece, o comportamento é sempre o mesmo, sempre o mesmo ódio e agressividade passiva. Eu já tomei tanto remédio a ponto de apagar e ter alucinações, porém parei com o comportamento suicida, já que não leva a lugar nenhum, e provavelmente só me ferraria mais "lá do outro lado" pois:

1- os mentores lavariam as mãos, "é o karma dele"

2- não sou digno de ajuda pois não contribui em nada para o pessoal lá do outro lado pelo que eu sei

3- meu corpo energético ficaria uma bagunça e eu iria sofrer por anos no umbral sendo comido vivo por pragas, afundado em fumaça negra, brigando com outros seres e me ferrando de diversas maneiras inimagináveis, e basicamente ia ser a mesma coisa que esse plano físico(só que pior) no sentido de algum ditador ou grupo de ditadores tomar conta de tudo e escravizar boa parte da população para seus próprios fins nefastos. Se eu sou um nada sem importância aqui na terra, então deve ser a mesma coisa no astral também... eu apenas seria escravizado e ponto

4- depois de algum tempo algum pessoal do astral ia me resgatar pra "cumprir agenda", e talvez eu teria que passar pela mesma situação de vida novamente de qualquer forma após o reencarne

 

Não tenho ninguém nessa vida. Meu pai é separado de minha mãe e está acamado após ter um derrame cerebral; antes disso ele era presidiário, cafetão, frequentador de boates etc que nunca se importou muito comigo. Meu irmão sem chances de me ajudar, e minha mãe, bem... ela me dá comida e energia de graça, porém é a mesma pessoa que me expulsou de casa aos 18 anos porque eu não tinha um emprego(mesmo eu tendo sido diagnosticado com fobia social, depressão etc). Eu me sinto extremamente culpado por viver as custas dela ainda aos 22 anos, e morro de medo dela tentar me expulsar de novo e eu ter que virar mendigo.

Estou a 11 meses cursando a faculdade que eu pago com meu próprio dinheiro que tenho guardado(por assim se dizer) da época em que eu trabalhava. Não passa um dia em que eu não penso no momento da graduação, quando finalmente conseguirei minha independência e liberdade. É muito difícil conseguir trabalho aonde eu moro sem qualificação e "contatos", e literalmente nunca encontrei alguém com compaixão o suficiente para me oferecer qualquer tipo de serviço... eu sei, é o mundo, "ninguém liga pra você, seu mané". Nesses últimos meses eu venho pensando comigo mesmo "relaxa cara, é só esperar até 2022 e você vai ter sua liberdade finalmente. Não se afoba não... continua vivendo em casa até se formar, pois tu consegue aguentar", mas quer saber? Eu não aguento, eu realmente não aguento até 2022. Eu estou agora sinceramente pensando em trancar minha faculdade e usar o dinheiro que tenho guardado(talvez 6  ou 7 mil no total) para ir morar em outro estado com taxa de emprego decente e tentar construir uma vida lá, e caso algum dia eu consiga me estabelecer, ai eu retomo a minha faculdade(é online, então posso continuar em outro estado sem problemas). E acho que nem preciso mencionar que a possibilidade de eu ter uma namorada ou um círculo social de amigos ainda é algo totalmente fora do meu escopo, seja aqui ou em outro estado.

Meu maior medo é que eu acabe virando mendigo. Se eu virar, não quero me envolver com drogas ou prostituição, e acho que apenas sentarei em algum local mendigando, ou sei lá, começarei a andar na direção norte até sair do país. Mesmo que eu morra nas ruas, morrerei livre de certa forma, e morrerei como homem, e não como um garoto que não teve coragem de sair da casa dos pais e construir a própria vida.

Eu tenho apenas um amigo(online). Ele passa por problemas similares com a família. Ele diz que o pai dele chega em casa e bate na mãe, humilha ele, etc. Nesse sentido familiar somos bastante similares. Esse tipo de coisa me faz perguntar o por que de muitos lares serem um inferno completo... Família feliz é o escambau, nós certamente nascemos no berços de inimigos de vidas passadas, só pode ser.

Então, respondam esse tópico da maneira que preferirem, conselhos são bem-vindos e se possível, me recomendem estados/cidades bons para se morar. Agradeço desde já, e perdão pelo drama.

 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Cara, o que eu diria é que pelo que você postou seu padrão de funcionamento é da base do " torrei, vou chutar o balde". ( ali na parte de remédios, suicídio, achar que não aguenta mais, querer largar tudo...).

Então me parece que se você obedecer a essa tendência  psicológica sua cairá em novas armadillhas. Porque  em geral a gente passa  por situações repetidas exatamente para mudar de padrão. Eu acho, portanto, que o melhor seria mudar esse padrão e aguentar sim até terminar. Dar um passo bem sólido após o outro.

Eu entendi que como sua faculdade é EAD tanto faz em que cidade esteja, ok, então PARECE nao fazer diferença.

Porém, como ME PARECEU que esse seu padrão é um tanto impulsivo, acho que você estaria SE COLOCANDO numa situação de alto risco psicológico, porque ao mudar  de cidade com um emprego sem estabilidade você estará à mercê de outros fatores mais implacáveis: por exemplo as relacões de trabalho problemáticas. ( sério, não é raro encontrarmos no ambiente de trabalho pessoas com psique parecida com alguém problemático da  nossa familia ), e agora terá um problema a mais para se preocupar, pagar as contas de moradia, subsistencia, e o risco constante de ser demitido no mes seguinte por...causa nenhuma, corte de gastos, você ser o funcionário mais jovem, sem qualificação, sem filho para sustentar, etc.

No momento certo, com formação adequada, todos precisamos encarar isso. Mas se puder encarar isso após se formar, sem o risco de despejo por ter perdido um emprego, será um problema a menos a atrapalhar seus estudos. Tente concluir essa etapa antes de dar o próximo passo, porque ha grandes chances que a turbulência na sua vida  aumente ao sair de casa e você não consiga mais ter o mínimo de tranquilidade para terminar essa etapa. Afinal,  ninguém consegue estudar com a cabeça cheia de preocupacoes. E aí uma desistência  levará a aumento de problemas e o lado emocional vai te cobrar na auto-culpa, o que vai apertar os botões mais comuns de fuga psicológica: álcool, drogas, amizades efêmeras que serão usadas para fugir da depressão mas que podem te arrastar mais para o fundo ainda.

Pensa na vida  como fazer tricô, não como voar de asa delta, e tente se livrar a impaciência, porque ela só nos cria armadilhas.

Obviamente isso é apenas como eu vejo a situaçao. Vamos esperar mais pontos de vista, quem sabe algum te faça um " clique" e  você sinta que faz sentido para você.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Na sua situação eu alugaria um cômodo e levaria uma vida minimalista. E focaria na auto cura: treino corporal, chi kung, caminhada, karatê, kung Fu e etc. Largaria todas redes sociais, e vícios tecnológicos, focaria em viver da melhor forma possível, natural, alimentação... Usaria algo semelhante ao triângulo de maslhow pra guiar as prioridades.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Então pessoal, decidi ficar mais tempo em casa pra ver se consigo concluir esse curso. Se tudo der errado terei que ir morar sozinho e optar por um estilo de vida minimalista mesmo, como o Joe disse. Obrigado Sandro por me apontar essa característica impulsiva que eu posso ter; realmente é algo que preciso trabalhar, senão nunca irei concluir nada na vida. Eu to tentando trabalhar essa e outras tendências usando a técnica da morte do ego da gnose. Eu apliquei a morte em marcha hoje e percebi um alívio no defeito instantâneo, mas parece que depois de um tempo volta tudo de novo, ai desanima.

Enfim, se me permitem desabafar novamente, eu gostaria de falar um pouco sobre o funcionamento perverso dessa sociedade pelo o que eu percebo:

Não existe meritocracia, isso é balela... quase todo rico é corrupto, e poucos são boa gente. Maioria das pessoas de classe alta são assim porque ganharam tudo de mão beijada no berço, ou porque roubaram, e mesmo assim ainda se acham os "picas da galáxia" e afirmam que conseguiram tudo pelo próprio mérito, pelos "grandes homens" que são. Se me permitem o uso da palavra um pouco agressiva, grandes canalhas eles são!

O pessoal aqui aonde eu moro(desse bairro e cidade) AMA humilhar quem tem menos dinheiro/poder, o que é um dos motivos de eu me isolar das pessoas por aqui. Já fui humilhado por policial, filhinho de papai, parentes, tudo por causa do dinheiro/poder. Parece que para certas pessoas, toda a fraternidade humana e virtudes desabam, se o que está em jogo é a sua própria elevação no joguinho social, na corrida de ratos... Será que os espíritos superiores são assim também? Ou será que eles já eliminaram esse tipo de coisa da psique? Ou será que o "anormal" e retrógrado sou eu, e sou eu quem deve cultivar essa mentalidade de "lei dos mais fortes"  em mim mesmo se quiser sobreviver e ser um humano pleno?

"Olha só eu, filhinho de papai, que ganhou carro, faculdade, iphone, cursinho dos pais, e olhe para aquele lixo lá, que nasceu de família pobre, e teve que "batalhar" para ter o que tem hoje, e mesmo assim o que ele tem nem se compara ao que eu tenho. "Batalhar"!? Que termo patético de gente ignorante, típico linguajar de pobretão. O que eu devo fazer? É claro que devo ir lá humilhar ele, para assim como um orangotango, um bonobo, ou leão tomado por instinto, impor minha dominância sobre a outra criatura em posição de inferioridade. Lei da selva amigo, o mundo é cruel, e essa é a realidade. Quem não aceita isso é um mero escapista."... É assim que muita gente pensa, estou errado?

Enfim pessoal, sintam-se livres para dissecar o que escrevi acima da forma que quiserem se estiverem interessados nisso. Não posto essas coisas pra convencer pessoas ou conseguir aliados, só estou interessado numa maior compreensão através da conversa. Abraços.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

É meu amigo já passei por situações parecidas sei como é. Muitos desses conflitos emocionais e psicólogicos da pra resolver com as antigas sabedorias. Só nos sentimos humilhados e insultados pelos outros quando nós mesmo somos carrascos do nosso próprio ser. Alguém confiante e bem resolvido com si mesmo não se importa com os ataques externos, já que não passa de ilusões. Alguém focado em alcançar seus próprios objetivos usa suas reservas energéticas com sabedoria e não desperdiça nesses conflitos sociais. Acredito que todos os problemas do mundo decorre da não observação da sabedoria por trás dos 2 mandamentos; Ame a Deus/divino a cima de tudo e ame o seu próximo como a SI MESMO... Se não nos amamos é impossível ter uma vida de qualidade e muito mesmo contribuir com algo positivo a humanidade. Então ame a si mesmo, assuma sua auto responsabilidade pela sua vida, foque na auto iluminação que é observar seu verdadeiro EU, Essência de onde vem a PAZ, FELiCIDADE, BEM AVENTURANÇA... Em posse de si mesmo é possivel melhorar sua vida.

Nem é preciso acreditar em Deus, sobrenatural etc. Simplesmente ter um pouco de lucidez emocional, mental pra entender as causas das origens desses conflitos.

Share this post


Link to post
Share on other sites
21 horas atrás, Jhana disse:

. Eu apliquei a morte em marcha hoje e percebi um alívio no defeito instantâneo, mas parece que depois de um tempo volta tudo de novo, ai desanima. 

Mas é assim mesmo. A morte em marcha é como uma tesoura que poda as pontas da árvore de um Eu. Ela nao atinge as raizes. Entao apos umas horas  aquilo brota de novo. Ela funciona para  impedir que você seja controlado NAQUELE MOMENTO e acabe faznedo algo que ALIMENTARÁ esse eu e o tornará mais forte. Mas você não o atinge na força que ele tem atualmente, só impede de crescer.

Para ir reduzindo a foŕca atual dele precisa aplicar a Tecnica de Morte do Ego completa, diariamente. Com o passar dos meses voce vai notando que cada vez menos aquele eu te controlará.

É um trabalho em duas pontas:

- morte em marcha impede o eu escolhido de  ficar mais forte dia a dia

- Morte do ego vai enfraquece-lo dia a dia

Share this post


Link to post
Share on other sites

Jhana, sobre " humilhar"....

Isso é como ímã: só funciona com ferro.

Ninguém que näo seja orgulhoso se sente humilhado. Quanto mais orgulhosa é uma pessoa, mais sensível ela será para coisas que ela acha que  a humilham. Então o problema de todos nós nunca é o que OS OUTROS FAZEM  que nos atinge. É o fato de termos ALGO A SER ATINGIDO. É esse algo que precisa ser eliminado, porque só ele está ao nosso alcance. O resto do mundo não está, a opinião dos outros sobre nós não nos pertence. E nem nos interessa.

Além disso, com mais idade você perceberá que pessoas que agem assim como você relata são as mais doentes, as que mais tem falta de alguma coisa, e exatamente por isso se ocupam do que elas acham que falta no outro.

Alias tem um video do Paulo Ghiraldelli sobre o caso do entregador " humilhado" que comenta bem isso.

https://youtu.be/3TTU-ndu6gY

(Link substituido: eu tinha colocado o link errado quando postei a resposta)

Quando eu era jovem eu via os mais velhos falarem esse tipo de coisa e achava que era clichê sabe?

Eu pensava " Esses caras se acham sábios só porque acharam um ' formula de análise' que se resume a dizer que tudo sempre é o contrário do que parece, tipo ' quem desdenha quer comprar', ' todo valentão é um covarde', ' cara que vive bancando o muito machão, pegador,  em geral é enrustido', ' todo moralista que vive ditando regras para os outros faz tudo ao contrário quando não esta sendo obseevado', etc.

Mas ... sabe que é verdade?!!! Acho que demorei ate os 40 anos para encontrar exemplos concretos em quantidade suficiente para dar meu braco a torcer nisso. Claro que não deve ser 100% dos casos, mas é assustadora a frequencia com que isso acontece. Deve ser algum mecanismo automatico da psique, algo tipo " polaridade equiibrante" sabe? Algo assim:

 

Como você nao possui dentro de si uma certa caracteristica que te satsifaça, entao você busca  aquilo fora de si.  Sua atenção está repetidamente focada naquilo de modo que você verá NOS OUTROS com muto mais facilidade a AUSÊNCIA daquilo também. Nâo verá a PRESENÇA, porque como você não possui aquilo, não sabe como é quando aquilo esá presente. Mas sabe quando há no outro aquela ausência.

Entao isso cria um comportamento curioso:

-os adúlteros em potencial são ciumentos, porque julgando por si eles acham que o outro parceiro é tão ou mais fraco que ele( a tentação de trair é forte nele) .

-O corrupto em potencial viverá deconfiando da  possível corrupção  do outro, porque julgando por si ele acha que o dinheiro  é uma forte tentação ( é forte nele).

-Aquele que esta sempre falando em liberdadade no fundo se sente prisioneiro de alguma coisa, ou esse asssunto nem viria à mente dele.

- o cara que é mais cabeça fechada  está sempre falando sobre a necessidade de ter "mente aberta"

E da mesma forma, o fato de você não possuir as mesmas falhs de carater de outros faz com que você  náo identifique fácil essas falhas neles: como você não as tem, não sabe como pensa uma pessoa que as tem. Você não supõe que o outro faria X porque VOCÊ não faria aquilo.  Da mesma forma como pode não entender porque alguém  se sentiria superior por possuir um carrão caríssio, por exemplo. Para entender isso você precisa ter o mesmo tipo de mentalidade que ele.

No fundo estamos todos conectados e o que vemos o outro tem íntima relaçao com o que temos em nossa psique ou com o que  nos falta. Por isso é muito útil como autocohecimento ficar atento ao que outras pessoas são caso isso nos perturbe.

O que tem nelas que nos incomoda nos ensina muito sobre o que temos ou nos falta em nós, e isso ja nos indica o que devemos melhorar em nós, e deixe que o outro cuide de si.

 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
4 horas atrás, sandrofabres disse:

O que tem nelas que nos incomoda nos ensina muito sobre o que temos ou nos falta em nós, e isso ja nos indica o que devemos melhorar em nós, e deixe que o outro cuide de si.

 

Sandro você já estudou o Eneagrama? Além dos 7 pecados capitais ele usa 9 para explicar as correlações entre eles, se são funções mentais, emocionais, insitintivas e etc. Acho muito interessante, outras correlações de defeitos, pecados já vi na gnose, meditação Etc... Também é muito interessante defeitos a serem superados pra abrir os chacras.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu conheço a tipologia apenas, porque é algo que esta inserido nos ensinos do gurdjieff quando li sobre ele me informei sobre isso. Mas apenas sobre as caracteeisricas psicologicas de cada tipo:

https://www.amazon.com.br/Nove-Tipos-Personalidades-Claudio-Naranjo/dp/8573021454

e na forma de induzir a transicao entre os tipos pelo uso de florais:

https://www.amazon.com.br/Florais-Eneagrama-edição-atualizada-revisada-ebook/dp/B074RK5X9J

 

 

  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Muito bacana não sabia desse uso dos florais. Já li alguma coisa do Cláudio Naranjo mas era só em espanhol bom saber que tem em português, quase tudo que achei sobre eneagrama era em espanhol. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

E esse negocio doa florais, fuciona. Eu descobri porque fui experimentar a receita que eles recomendavam para o meu tipo mas entendi errado o que seria o resultado. Entao eu estava ESPERANDO um mudança mas foi na direcao contrária. Ai comentar com minha ex -esposa ela apontou meu erro, revisei o livro e vi que de fato o que eu estava sentindo era exatamente o resultado esperado. Entao sei que nao foi autosugestao porque eu estava esperando o oposto , devido ao meu erro de entendimento.

Só que florais tem um.problema: muita farmacia de manipulacao nao e confiavel. Como muita gente da area cientifica ( fasmaceutica no caso) e cética, devem no fundo achar que e so placebo e nao quererem pagar os kits de florais,m de verdade,  que sao importado da inglaterra e sao bem caros, para entao fazer as diluicoes. Devem vender so agua como se fose floral jurando que da no mesmo. Entao  se for fazer isso tem que descobrir algime que ja tenha usado  florais e tenha percebido efeito, descobrir em qual farmacia ele comprou e pedir la, para nao corrermo risco de comprar apenas agua e depois sair por aí dizendo que florais nao funcionam.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, sandrofabres disse:

E esse negocio doa florais, fuciona. Eu descobri porque fui experimentar a receita que eles recomendavam para o meu tipo mas entendi errado o que seria o resultado. Entao eu estava ESPERANDO um mudança mas foi na direcao contrária. Ai comentar com minha ex -esposa ela apontou meu erro, revisei o livro e vi que de fato o que eu estava sentindo era exatamente o resultado esperado. Entao sei que nao foi autosugestao porque eu estava esperando o oposto , devido ao meu erro de entendimento.

Só que florais tem um.problema: muita farmacia de manipulacao nao e confiavel. Como muita gente da area cientifica ( fasmaceutica no caso) e cética, devem no fundo achar que e so placebo e nao quererem pagar os kits de florais,m de verdade,  que sao importado da inglaterra e sao bem caros, para entao fazer as diluicoes. Devem vender so agua como se fose floral jurando que da no mesmo. Entao  se for fazer isso tem que descobrir algime que ja tenha usado  florais e tenha percebido efeito, descobrir em qual farmacia ele comprou e pedir la, para nao corrermo risco de comprar apenas agua e depois sair por aí dizendo que florais nao funcionam.

Muito bacana a experiencia e a comprovação. Os paralelos da eficiência e realidade dessa ferramenta holística com outras como: homeopatia, radiestesia, radionica, magnetismo animal, piramidologia... mostra seus efeitos mesmo sem a crença da pessoa ou mesmo conhecimento. Além de funcionar com outros seres vivos. Fascinante.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sandro e Joe, obrigado pelas repostas. Eu não retornei para o fórum em parte porque eu me sentia constrangido demais para postar(tenho problema de ansiedade social) e porque eu não estava me sentindo muito bem mentalmente nesses últimos tempos. Agora estou de volta, principalmente porque recentemente tive uma experiência de projeção onde eu pensei que estava desencarnando do corpo físico, então agora meu interesse voltou.

Em geral minha situação está bem melhor: o clima familiar está bom e mais pacífico, eu não fico mais com tanta raiva/inveja de quem é mais rico("privilegiados", políticos ladrões, etc), e eu ainda estou na faculdade, o que significa que em breve estarei livre da pobreza pelo resto dessa vida quando terminar esse curso. Eu também acredito que receberei uma boa quantia de dinheiro do governo em breve, e também vou tentar passar num concurso que apareceu aqui na cidade, então logo eu vou poder ir morar sozinho se quiser(provavelmente vou). Hoje caminhei uns kms para visitar meu pai, que ainda está acamado por causa do derrame cerebral, e falei para ele que queria morar sozinho, mas ele me desencorajou, disse que a vida morando com os pais é muito melhor... mas eu discordo. Sem querer menosprezar os conselhos dos "antigos", mas isso mais me parece papo matrixiano de quem quer segurar o filho com unhas e dentes dentro do circulo familiar.

Sei lá, acho que vou tentar começar a aplicar a técnica do Raduga de novo, e me divertir um pouco em aventuras astrais, porque do plano físico, infelizmente estou bastante enjoado. Não sou muito interessado em quase nada no geral, e acho sacanagem eu estar nesse mundo, mas eu devo estar aqui porque eu mereço, porque se eu fosse puro não teria encarnado aqui contra a minha vontade. Até mesmo o Budismo Theravada concorda com isso: quem não tem kilesa(obscurecimento) não precisa descer para dentro do ventre humano. É assim que é ensinado nos Pali Nikayas.

Andei focando bastante em moralidade budista, principalmente tentando manter os 5 preceitos. Eu acabei chegando num nível em que eu até parei de matar barata para não violar o preceito de não matar seres vivos, e olha que eu tinha muito medo de barata, porém de forma impressionante, agora que parei de matar elas, grande parte do meu medo foi embora. Então enfim, acho que essa prática budista é muito benéfica para a minha saúde mental, porém ainda tem o probleminha de eu ser muito rígido as vezes, como por exemplo, eu fico neurótico tentando evitar o roubo e a mentira. Eu desinstalei o windows 10 pirata e instalei o linux; eu parei de baixar pdfs piratas; e até mesmo no youtube eu parei de ver qualquer coisa "ilegal" como por exemplo trechos de filmes em canais não oficiais. Agora eu estou até considerando parar de jogar no meu ps2 velhinho porque eu comprei os jogos no camelô... mas isso já é ir longe demais, a moralidade não precisa ser tão rígida, não preciso ser tão seco, por isso as vezes eu tento ver algo "ilegal" no youtube para amenizar isso, para tentar me soltar... mas baixar algo pirata eu não consigo mais, me sinto um traidor do Budismo fazendo isso.

Enfim, apesar do meu foco maior ser o Budismo Theravada, eu sou mente aberta e aceito o Budismo Tibetano/Mahayana/Zen também, e como eu dou liberdade para essas coisas, é natural que o caminho fique aberto para outros tópicos espirituais, pois essas últimas tradições que citei são mais liberais por natureza. Então eu comecei a ler Samael Aun Weor novamente, e apesar de eu ter voltado a aplicar a técnica da morte do ego dele, que na minha opinião é brilhante, eu não pude deixar de sentir grande repulsa pelos preconceitos dele, fanatismo pela figura de Jesus, Deus, Cristianismo etc. Na minha opinião ele é muito rápido para condenar as pessoas, muito rápido para proclamar a sua filosofia como a superior e correta, apesar de 2500 anos de Budismo, 2000 anos de Cristianismo, mais de 3000 anos de Hinduismo/Brahmanismo, e milhares de anos de desenvolvimento da ciência discordarem de vários pontos-chave de sua filosofia. Creio que para ele não importe muito se você fez caridade durante toda sua vida, teve conduta impecável e limpa, e cultivou uma mente com amor para todos os seres... se você ousar falar mal do Deus eterno, Jesus, da existência em si, ir contra valores cristãos, ser homossexual etc, então me desculpe meu amigo, mas você tem seu lugar reservado no inferno de Dante junto com caras como Hitler, Pol Pot, Josef Mengele, Ted Bundy, Osama Bin Laden... ok sei que esses caras provavelmente iriam para um inferno pior de acordo com ele, mas mesmo assim uma pessoa ateísta e bondosa compartilharia a estadia no inferno de Dante com eles, mesmo que fosse num andar superior. Me desculpe Mestre Samael, mas acho tudo isso balela, podem até me acusar de trabalhar para a loja negra os seguidores dele, mas não vou engolir tudo o que ele diz como a verdade absoluta.

Ahh, o que mais eu queria falar? Bem, vou mudar de tópico um pouco, mas cá entre nós, essa juventude atual é muito estúpida. Meu amigo online gastou creio que 2 mil reais com skin de moba, num joguinho de celular... sério, que idiotice enorme, ele pagou tudo isso de dinheiro por NADA. Ele teve que fazer empréstimo para poder pagar essa dívida. Meu deus, que estupidez. Não me admiro eu ter parado de falar com ele por achar os papos dele idiotas... claro, porque ele é um i*****. Sei lá, deve ser por isso que eu não tenho muitos amigos, porque todos jovens hoje em dia parecem ter uma forma de atraso mental que faz eles ou se tornarem uns festeiros desmiolados que só pensam em rave, usar roupa cara etc ou se tornarem uns nerds que derramam suor e lágrimas por pixeis virtuais numa vida virtual que não tem valor nenhum. Ah, agora eu fui maldoso, atacando as pessoas dessa forma, mas me perdoem por ser agressivo assim, e não posto isso com a intenção de difamar meu amigo ou ofender grupos, mas sim de expressar algo que sinto.

Bom pessoal, acho que isso é tudo. Meio que falei demais, mas se considerarmos essa thread meu "diário pessoal" onde eu desabafo as vezes, então eu acho que não tem muito problemas isso.

 

PS: Sandro eu gostei daquele vídeo do Paulo Ghiraldelli, depois eu até assisti mais uns vídeos dele e achei interessante, mas perdi certo respeito por ele depois de ver vídeos dele detonando o ensino EAD. Parece que de acordo com ele uma pessoa que faz faculdade EAD é alguém totalmente desqualificado e que não deveria existir.

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

11 horas atrás, Jhana disse:

Então enfim, acho que essa prática budista é muito benéfica para a minha saúde mental, porém ainda tem o probleminha de eu ser muito rígido as vezes, como por exemplo, eu fico neurótico tentando evitar o roubo e a mentira. Eu desinstalei o windows 10 pirata e instalei o linux; eu parei de baixar pdfs piratas; e até mesmo no youtube eu parei de ver qualquer coisa "ilegal" como por exemplo trechos de filmes em canais não oficiais. Agora eu estou até considerando parar de jogar no meu ps2

Todo "novo convertido" a qualquer novo padrão tendo a passar por essa fase de fanatismo. A maiora relaxa com o tempo, mas se não relaxar pode ser uma tendência psicológica para fazer isso em tudo. Um "toc" que atraplaha todas as escolhas. Tem que ficar alerta 

11 horas atrás, Jhana disse:

eu não pude deixar de sentir grande repulsa pelos preconceitos dele, fanatismo pela figura de Jesus, Deus, Cristianismo etc. Na minha opinião ele é muito rápido para condenar as pessoas, muito rápido para proclamar a sua filosofia como a superior e correta, apesar de 2500 anos de Budismo, 2000 anos de Cristianismo, mais de 3000 anos de Hinduismo/Brahmanismo, e milhares de anos de desenvolvimento da ciência discordarem de vários pontos-chave de sua filosofia. Creio que para ele não importe muito se você fez caridade durante toda sua vida, teve conduta impecável e limpa, e cultivou uma mente com amor para todos os seres... se você ousar falar mal do Deus eterno, Jesus, da existência em si, ir contra valores cristãos, ser homossexual etc, então me desculpe meu amigo, mas você tem seu lugar reservado no inferno de Dante junto com caras como Hitler, Pol Pot, Josef Mengele, Ted Bundy, Osama Bin Laden... ok sei que esses caras provavelmente iriam para um inferno pior de acordo com ele, mas mesmo assim uma pessoa ateísta e bondosa compartilharia a estadia no inferno de Dante com eles, mesmo que fosse num andar superior. Me desculpe Mestre Samael, mas acho tudo isso balela, podem até me acusar de trabalhar para a loja negra os seguidores dele, mas não vou engolir tudo o que ele diz como a verdade absoluta.

É, eu também nunca engoli a MANEIRA de ele explicar isso. Quando você compreende a gnose entende que é assim mesmo, mas do jeito que ele fala, fica parecendo preconceito, sectarismo puro. É mais um problema de comunicação dele. Há muitas formas de você dizer as mesmas coisas, os fatos não mudarão, mas a forma como as pessoas enxergam aquele fato pode mudar muito dependendo de quem e de como se explica.

Esse problema é estrutural da nossa psique Não se trata de caridade, perdão divino, etc, como as religiões enxergam, como se as pessoas pudessem fazer um "escambo com deus", pagar a falta de correção psicológica fazendo caridade. São coisas totalmente diferentes. Não  é um negócio, é como uma "bioquímica do espírito", se você não faz o que é necessário, as mudanças não se completam e o destino é o mesmo de quem não fez nada. É como a pessoa achar que só porque virou vegetariana não vai mais adoecer? Não faz sentido, temos um corpo físico, sujeito a desequilíbrios, doenças etc. O mesmo para o ego, enquanto o ego existir em nós, o destino de todos são as infradimensões, porque é o jeito que a natureza tem para eliminar o ego de tempos em tempos, para que esse condicionamento mental não cresça em nós infinitamente, no tirando todas as chances de ter live-arbítrio. Só que o jeito que o Samael explica fica parecendo  outra coisa.

 

11 horas atrás, Jhana disse:

PS: Sandro eu gostei daquele vídeo do Paulo Ghiraldelli, depois eu até assisti mais uns vídeos dele e achei interessante, mas perdi certo respeito por ele depois de ver vídeos dele detonando o ensino EAD. Parece que de acordo com ele uma pessoa que faz faculdade EAD é alguém totalmente desqualificado e que não deveria existir.

Ele tem muitas falas que nos fazem perder o respeito por ele. É bem estranho, porque há muito contraste entre os vídeos de conteúdo sério, com análises profundas, e outros que parecem até que o cara é retardado. Não sei se não há um problema psicológico ali,,uma bipolaridade, um assédio forte... sei lá.

As vezes quando quero compartilhar eu baixo o vídeo e recordo só o pedaço útil, porque tem coisa que ele fala que dá até "vergonha alheia".

Share this post


Link to post
Share on other sites

Então, já faz alguns dias que venho lutando contra a luxúria e o vício em prazeres sensoriais de forma dedicada. Uma coisa que eu percebo ao fazer isso é o imenso SONO que cai sobre mim, coisa de eu querer ficar dormindo o tempo todo porque não há nada para fazer. Creio que é algo temporário isso, algo similar a síndrome de abstinência onde o corpo tem que aprender a viver longe dos estímulos que eram antes essenciais parte do dia. Acho que em breve vou parar com essa abstinência, mas ontem eu notei uma mudança de consciência clara em mim, como se eu estivesse alcançado um nível maior de "estar acordado", não tanto no sentido místico mas sim no sentido de estar mais livre do torpor e do sono. Depois disso, ao chegar em casa, eu sucumbi ao sono e tive primeiramente um pesadelo negativo, e depois disso começou um sonho luxurioso. Nesse segundo sonho, sempre que a oportunidade de me envolver nas atividades sexuais aparecia, eu automaticamente fazia a técnica da morte do ego, e com isso era como se aquela entidade dentro do sonho que eu chamava de "eu" tivesse se tornado um ser totalmente diferente e distanciado da minha identidade pessoal, depois disso esses "eus" explodiam. Fiz isso até acordar do sonho. É interessante que durante o sono as sensações se tornam muito mais fortes; a luxúria se torna imensa, o depressão é esmagadora, e o uso da técnica da morte do ego funciona de forma totalmente destruidora, como se matar o ego fosse a mesma coisa que explodir carrapatos com peróxido de hidrogênio:

https://www.youtube.com/watch?v=wz0pp33BX_E

 

Quote

Esse problema é estrutural da nossa psique Não se trata de caridade, perdão divino, etc, como as religiões enxergam, como se as pessoas pudessem fazer um "escambo com deus", pagar a falta de correção psicológica fazendo caridade. São coisas totalmente diferentes. Não  é um negócio, é como uma "bioquímica do espírito", se você não faz o que é necessário, as mudanças não se completam e o destino é o mesmo de quem não fez nada. É como a pessoa achar que só porque virou vegetariana não vai mais adoecer? Não faz sentido, temos um corpo físico, sujeito a desequilíbrios, doenças etc. O mesmo para o ego, enquanto o ego existir em nós, o destino de todos são as infradimensões, porque é o jeito que a natureza tem para eliminar o ego de tempos em tempos, para que esse condicionamento mental não cresça em nós infinitamente, no tirando todas as chances de ter live-arbítrio. Só que o jeito que o Samael explica fica parecendo  outra coisa.

 

Okay, eu realmente não tenho muito problemas com a ideia de que pessoas bondosas irão para o inferno uma hora ou outra, porque eu sei que os fatores essenciais para a liberação vão bem além de uma mera atitude de bom samaritano. O que mais me pega com o Samael mesmo é ideia implícita de que você tem que concordar com a concepção de Cristianismo dele e caso não faça isso você está do "lado do demônio". Eu gosto de ver todo esse esquema de infernos, infradimensões, etc, de forma mais científica e não com todo aquele dogma que o Samael apresenta. Esse é um dos motivos de eu preferir Gurdjieff, pois lembro que uma vez ele disse algo similar a "Você não deve concordar com Deus em tudo! Você deve ter a independência de discordar dele ao invés de ser apenas um seguidor." enquanto acho que seria mais fácil o Samael dizer "Nunca discorde de quem é mais sábio do que você".

Bem Sandro, agora, gostaria de fazer umas questões:

Antes de mais nada, quero deixar claro que não busco no Samael um guia ou um mestre espiritual para seguir, mas vejo ele como alguém com quem eu posso aprender certas coisas. De acordo com o Budismo, muitas coisas que ele diz são erradas, e apesar de eu não ter confirmado a veracidade de tudo o que está no Budismo através de minha experiência própria, eu posso dizer que atingi um grau de saber intuitivo sobre diversos tópicos como por exemplo: a existência do karma, reencarnação, a existência ou não do "eu", insights sobre a sociedade, etc. Se formos para pegar um exemplo distinto, esse poderia ser sobre a crença acerca do "eu". No Budismo, o que Samael prega sobre a falta de substância do "eu" está correto, porém o que ele diz sobre a "verdadeira individualidade" que pode ser construída através de práticas espirituais é algo que vai contra a doutrina budista. No Budismo, mesmo nos graus mais altos(arahant e Buddha no Theravada; bodhisattva de 10º Bhumi e Buddha no Mahayana) não existe tal coisa como a "individualidade construída", e as conquistas dos conhecimentos superiores, Nirvana, ou dos corpos Nirmanakaya, Sambhogakaya e Dharmakaya não se referem a construção de uma "individualidade permanente e imutável", mas sim são elementos desprovidos de "eu" ou elementos primordiais. Algumas escolas budistas nem veem qualquer dessas coisas como uma individualidade em si, alegando que todas as coisas, a totalidade do Samsara e do Nirvana, não possui qualquer individualidade que possa ser encontrada, enquanto que outras escolas, apesar de considerarem o Dharmakaya(também conhecido por outros nomes) como o "eu universal",  não consideram este "eu" como sendo algo construído por mãos humanas, mas sim como um princípio primordial que todos seres do universo compartilham. Acho que a explicação que o Samael dá para isso é colocar os "Buddhas" abaixo dos "Cristos". Ele diz que os Buddhas apenas pegam férias do Samsara, mas eu discordo dessa ideia, eu creio que a liberdade deles já é permanente. Ok, tendo deixado aqui esse contexto, e sem mais delongas, agora farei as perguntas.

-> Sabemos que na doutrina da Gnose o ciclo de existências se dá em 108 repetições por 3 mil ciclos, um movimento que Samael descreve como uma "espiral". Eu li no fórum que basicamente todo mundo na Terra já está na encarnação número 107 ou 108 do ciclo número 3000. Então eu gostaria de saber: quem foi que disse isso, apenas o Rabolu, ou o Samael também? E se já estamos em nossas últimas vidas, e depois disso retornaremos a habitar eternamente no Absoluto, então dá para dizer que todos nós já "estamos salvos"? Qual seria a grande desvantagem de entrar no Absoluto sem ter atingido o grau de "Mestre" e sem ter adquirido a verdadeira individualidade dos corpos solares? Basicamente, um sujeito desses viraria uma minúscula gota num enorme oceano de consciência que apesar de ser um lugar livre de sofrimentos, impediria que essa "mônada" tivesse qualquer tipo de pensamento próprio, sentimento de auto-consciência, reflexão, etc? Poderíamos dizer que uma pessoa que atingiu um alto nível intelectual em vida, mas que não atingiu o grau de Mestre porque nunca se interessou muito pela espiritualidade, mas sim pela ciência, ao morrer e entrar no Absoluto perderia todas suas caraterísticas que o diferenciava dos demais e viraria parte de uma "sopa homogênea de consciência" onde tanto o analfabeto quanto o ganhador de um prêmio Nobel existem em perfeita igualdade, ou até mesmo sem separação perceptível?

 

Quote

As vezes quando quero compartilhar eu baixo o vídeo e recordo só o pedaço útil, porque tem coisa que ele fala que dá até "vergonha alheia".

kkkkkkkkkkkkkkk

Share this post


Link to post
Share on other sites
14 horas atrás, Jhana disse:

Acho que a explicação que o Samael dá para isso é colocar os "Buddhas" abaixo dos "Cristos". Ele diz que os Buddhas apenas pegam férias do Samsara, mas eu discordo dessa ideia, eu creio que a liberdade deles já é permanente. Ok, tendo deixado aqui esse contexto, e sem mais delongas, agora farei as perguntas.

-> Sabemos que na doutrina

Exato. Ele explica que a escolha  por entrar no Nirvana ou seguir avancando se dá na quinta iniciacao de misteros maiores. Ainda falta muita coisa. Mas concorde ou não com ele voce já entende aí a diferença entre a meta do Budismo e a meta do que o Samael está ensinando. 

Além disso, não esqueça:

- quando as pessoas falam de cristiansmo, budismo, hinduismo, islamismo, judaismo... 

Estao falando da versao para as massas.

A gnose é esoterismo, que não está no mesmo " plano" que cristianismo para as massas nem budismo para as massas. So dá para comparar cristinaismo de massas com budismo de massas, cristiansimo esoterico com budismo esoterico. E o ponto da gnose é exatamente esse:

A gnose nao é invencao do samael, a gnose é o esoterismo, algo que esta por tras de todas as religioes, ordens iniciaticas etc. Só que claro, foi muito poluida com o passar dos séculos. O que o Samael fez foi dar uma resgatada nisso, eliminando muitos dos acrescimos desnecesssarios e focando mais no essencial. O Gurdjieff tambem fez isso, só que pegou a base de uma escola do oriente e se fixou apenas num recorte ali, compativel com o momento historico ( recem saídos do positivismo,  das mesas espiritas, olhando todas  os papos misticos e magicos como charlatanismo... pseudo-esoterismo e tal, ai ele nao entra em muitos detalhes, de forma publica, sobre o refino dos hidrogenios e o papel da magia sexual nessa construcao doa corpos solares , como resultado de dar continuidade naquela combinacao das 3 oitavas ( alimentos, respiracao, impressoes)  para alem do ponto esboçado no diagrama do fragmentos de um ensinamento desconhecido.

14 horas atrás, Jhana disse:

> Sabemos que na doutrina da Gnose o ciclo de existências se dá em 108 repetições por 3 mil ciclos, um movimento que Samael descreve como uma "espiral". Eu li no fórum que basicamente todo mundo na Terra já está na encarnação número 107 ou 108 do ciclo número 3000. Então eu gostaria de saber: quem foi que disse isso, apenas o Rabolu, ou o Samael também?

Pelo que lembro foi o Rabolu. Porque essa pergunta era muito popular, entao a gente "explorava" o Rabolu, que ainda estava vivo naquela epoca, para responder sobre isso a toda hora. Essa questao de " em que ponto estamos"  era algo bem do presente. Mas note  que o Rabolu esta atuando num.contexto meio apocaliptico. Entao é papo de heecolubus, papo de "hora 13", humanidade  julgada..... é um contexto de " vamo trabaiá rapaziada?". A meu ver nao muito diferente do contexto de  Jesus, porque o hinduismo ja falava em reencarnacao desde a origem, buda ja criticava que se pensassd que a reencarnacao nos libertadia de algo assim,de forma automatica. O conceito de reencarnacao já circulava por ali no ambiente cristao ( tanto que um homem pergunta a jesus porque um sujeito ali era cego DE NASCENÇA? Se era por errros dele.pu de seus pais?". Ou seja, quem pergunta já pressupunha uma vida anterior, já que o sujeito era cego de nascenca né?) Entoa porque Jeaus jala que só tem uma vida e depois o juizo? Se isso é algo obviamente incorreto pelo que se sabe nessa área, por varioa indicos que ja se conhece hoje? Porque o contexto da mensagem dele era tbem do tipo:

"Esquece esse papo de quanto tempo temos,  foque no hoje"

Similar também à atitude do gurdjieff quando o Ouspensky resolve perguntar a ele sobre a vida apos a morte  e ele fala que para algo continuar apos a morte um núcleo de cosnciência precisa ser construido ( o que ss faz agora né? No dia a dia) 

Entao acho que isso é mais coisa do Rabolu mesmo. Nao lembro que o Samael tenha  respondido a  isso. Mas nao li  todos os livros do Samael, pode ser que tenha algo perdido por ai. 

 

Outra coisa que eu SUGIRO que você reflita é o seguinte:

-a finalidade desse processo  das infrsdimensoes é impedir o fortalecimento infinito do ego. 

- é um processo cíclico, o que sugere que há niveis a serem atingidos de tempo em tempo

- em alguns casos extremos a pessoa pode descer para as infradimensoes antes da encarnacao 108. O Samael cita os crimes de "alta traicao", em que o sujeito pode inclusive ser desencarnado no ato, mas mantofo vivo ocupado por um eu mais inofensivo, de modo qeu o resto do planejamento carmico dos demais envolvidos siga em andamento sem afetar tudo.  Por isso quem apronta a dessas nao tem arrependimento, porque a essencia já foi,desceu com o resto do ego para dissolucao. Eu acho que sinceramente este caso é um exemplo disso, mas nao tenho como ter certeza, claro: https://www.netflix.com/br/title/81130130 )

 

Juntando tudo acho que dá para perceber o " espirito da lei".

O que se está dizendo é que a maioria de nós chega a um nivel de desenvovlimenro do ego inaceitável apos umas  108 existencias. E apos repetido desinteresse na maestria, a essencia retorna a sua origem.

Entao eu nao levo esses números muito a sério, sobre serem examente 108, serem exatamente 3mil voltas. Eu vejo isso mais como aquela resposta de Jesus a pedro sobre quantas vezes era preciso perdoar " 7  vezes 70". É so um jeito de exprimir algo muito grande, alem da nossa compreensao ja que nosso tempo de vida fisica é limitado demais para entender um tempo desse tamanho. Mas a mensagem que fica é:

- se  voce nao lutar conscientemene para eliminar seu ego, ele fica progressivamente mais forte, não há nenhuma " lei da evolucao" que vá fazer o seu trabalho por você

- a partir de um certo nível voce está com o ego tao forte que isso tiraria todas as suas chances de não viver uma vida robotica, entao quando chega num certo nivel essa estrtura psicologica precisa ser desintegrada para que voce tenha direito a um novo recomeço, masi livre de condicionamentos. É uma versao "macro" do processo de reencarnacao, em que voce perde a memoria da personalidade anterior para poder olhar a vida com olhar renovado.

- mas se repetidmanete.voce nunca se interessou por nada alem de viver sua vidinha animal, ok, ta tudo bem, volte ao seio do Pai e seja feliz, porque afinal a viagem pelos reinos da criacao foi longa e bem movimentada.

14 horas atrás, Jhana disse:

E se estamos em nossas últimas vidas, e depois disso retornaremos a habitar eternamente no Absoluto, então dá para dizer que todos nós já "estamos salvos"?

O termo " salvo" é espinhoso, porque ele esta ligado ao contexto de céu x inferno, e isso é o contexto limitado do que acontece no final das 108 vidas. Como nossa parte divina, a essencia, nao pode ser perdida, porque isso implicaria que Deus perdeu um pedaço seu, não há nada do que ser salvo..

O papo de salvo estaria ligado a voce mesmo conseguir se livrar  do ego de modo a nao precisar mais baixar para as infadimensoes. E isso é um trabalho que voce faz sozinho ou a antureza fará por voce. A diferenca apenas é que voce mesmo fazendo voce adquire comonresultado uma maior consciência e sabedoria ( a Essência amaduece até atingir o nível cristico), o que te torna Mestre DESTE SISTEMA. É como um aluno quese formmou e agora pode ensinar outros. Se a natureza faz esse trabalho por voce, isso significa apenas que voce nao adquiriu sabedoria e consciencia suficientes no seu percurso escolar. Não há nenhuma punicao, porque hpuve crescimento, houve aprendizado, apenas nao no nivel necessário para a Maestria, mas isso nao é  meta obrigatoria, é opcional. O proprio Samael fala isso, que muitas Mônadas ( o Pai Interno) nao se interessam em se tornar mestres, e por isso nao há pressao na essencia por essa busca) 

É que o papo " olha o hercolobus! Olha essa humanidade fracassada! Olha essa kaly yuga negra! Que horror!"chama .ais atencao no ensinamento gnostico do que esses outros pontos que cito. Mas é que isso é " papo motivacional", quando voce conhece os detalhes do que é ensinado nota esses pontos a que me refiro e vê que não há base para essa atitude fundamentalista que infesta os gnosticos em geral.  O Samael  era mestre do raio da força, o Raboku da justiça.. então o jeiot de comunicar as idéias segue meio que aquela lógica espartana, eheheh. Tudo com muita cafeína! Mas é o jeitão deles. 

14 horas atrás, Jhana disse:

Qual seria a grande desvantagem de entrar no Absoluto sem ter atingido o grau de "Mestre" e sem ter adquirido a verdadeira individualidade dos corpos solares? Basicamente, um sujeito desses viraria uma minúscula gota num enorme oceano de consciência que apesar de ser um lugar livre de sofrimentos, impediria que essa "mônada" tivesse qualquer tipo de pensamento próprio, sentimento de auto-consciência, reflexão

Você pegou só as duvidas " populares", ehehe. Essa questao sempre perturbava. Mas a resposta do Rabolu sempre foi que as essencias que retornavam ao absoluto viviam imersas em felicidade, porque afinal houve um  aprendizado nesse processo, apenas nao tinham individualidade. 

Só que isso, para nós, que vivemos embutidos no ego, soa ameaçador. Esse papo de sem indovidialidade. Mas acho que se trata de   um erro de percepcao do ego,que nao consegue imaginar esse estado.

Porém , se voce conhece algims relatos misticos, vera que tanto na descricao de " proojecao em corpo mental" quanto de certos samadhi, a pessao relata perder a nocao do eu, sentir-se esparramdo pelo cosmos, ver o espaco sideral, ver os planetas, ver um comera passando, mas ela se sente o planeta, o cometa, as estrelas..  tudo ao memso tempo. E em geral sente um "medo de extinçao", que interrompena experiencia ,  que provavelmente esseedo vem do ego. 

Entao esse papo de "sem individualidade" creio que tem a compreensao prejudicada pela forma como o ego entende a individualidade, prque quem passa por esses estados em nenhuk momento se vê desintegrado, inativo, comonse fosse algo amorfo. Pelo contrario, se sente expandido,sendo tudo.  Entao me parece que esse estado não pode ser descrto corretamente mas com certrza nao se pode aplicar a ele os termos que somos tentados a usar  "  sem qualquer tipo de pensamento próprio, sentimento de auto-consciência, reflexão" . Muitas expereineicas sao assim. O que voce planeja aqui, ao sair do corpo conclui que é tolice, porque seu fincionamenro é diferente. Coisas que você conpreeene em estado de meditacao as vezes voltam a ser misteriosas  apos voce voltar ao normal. Entao é dificil tentar definir o que pode ser esse estado usando palavras que definem etapas na nossa atual conpreensao do que seja reflexao, pensamento proprio, etc. O que eu consegui entender disso quando surgia o assunto na gnose é algo similar ao estado dos elementais da natureza, em que o vento, os mares, as rochas, so vegetais, todos tem seus elementias, que vivem imersos numa existencia ainda pura ( porque o ego só começa a se manifestar  no reino animal) cumprindo duas funcoes em estado de satisfacao natural.

Mas e a individuslalidade dessees seres? Para mim é como formigas. Todas as formigas trabalham em prol do formigueiro, entao de certa forma cada uma delas é uma expressao indovidual de uma consciencia coletiva. Mas ainda assim cada uma é uma, e precisa tomar a decisoes de informae as outras quando acha comida e tal. Acho que é algo nesss estilo, alguam indovidualidade tao afinada  com a coletividade  que se torna uma expressao dela. Mas o ego tem dificuldade de entender isso porque o ego surge na separacao do individuo em relacáo ao coletivo. 

14 horas atrás, Jhana disse:

Poderíamos dizer que uma pessoa que atingiu um alto nível intelectual em vida, mas que não atingiu o grau de Mestre porque nunca se interessou muito pela espiritualidade, mas sim pela ciência, ao morrer e entrar no Absoluto perderia todas suas caraterísticas que o diferenciava dos demais e viraria parte de uma "sopa homogênea de consciência" onde tanto o analfabeto quanto o ganhador de um prêmio Nobel existem em perfeita igualdade, ou até mesmo sem separação perceptível?

 

Sim, porque o desenvolvimento intelectual é algo tao superficial que nem sequer consegue se manter de uma encarnação para outra.

Se voce olhar na no Gurdjieff vera que os homens numero 1,2,3 ( instintivo, emocional , intelectual) ainda estwo no nível de meras máquinas. Trata-se apenas de focar mais num ou noutro dos centros inferiores. Isso tudo vira pó entre uma encarnacao e outra. Ha uma diferenca  entre corpo mental e centro intelectual. Uma pessoa que nesta vida nasceu numa familia de gente ignorante, numa cidade do interior, rural, lá no... sei lá...paquistao.. pode ter um corpo mental bem desenvolvido, fruto de muitas vidas, mas um centro intelectual primitivo, porque nesta visa mao recebeu treino em intelectualidade. E mesmo assim: corpos fisico, eterico, astral e mental sao os quatro corpos inferiores. Tudo issomsera destruído em quem está livre da reencarnacao. A essencia é a Alma, ou Corpo Causal, uma parte nossa que habita na sexta dimensao. Lembre que o astral e o mental sao da quinta dimensao. O absoluto é a sétima. Entao voce está perguntando ao entrar na setima dimensao fara diferenca o desenvolvimento obtido por veiculos ja foram até  abandonados numa etapa bem anterior, porqie nao precisar  reeencarnar mais ainda nao é " ali do lado" de ingressar no absoluto. Há um "salto quantico" nisso porque há deacarte de veiculos, tal como na morte  fisica ha um "salto quantico" e nao fará diferenca na sua vida pos mortem se foi  rico ou pobre, famoso ou anônimo, porque aquilo ficou para trás.

 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Até foi bom voce ter tocado nesse assunto, porque eu tenho num livo aqui uma explicação do prórpio Samael sobre isso. Eu sabia que estava nesse livro, mas já tinha folheado outras vezes e não tinha localizado a passagem. 

 O bom é que é um livro que tem transcrição das conferências de 1976, um ano antes de ele morrer. E é importante lembrar que o Samael estava "em processo" de mastria.  Ele estava caído na encarnação anterior, era um soldado da revolução mexicana. Ele só "se levantou" nessa encarnação (nasceu em 1917 e morreu em 1977), e não deu tempo de completar todas as etapas, de modo que uma parte do que ele conta sobre o caminho é memória do que ele ja tinha feito antes da ultima queda. Ele narra isso no livro Três montanhas, em que descreve as etapas finais do trabalho mas que não foram vivenciadas nessa atual encarnação. O Rabolu também não, ele diz que permitiram que ele experienciasse em atsral, para descrever, mas ele não tinha ainda atingido o final. Então embora o pessoal que é de fora da gnose as vezes torça o nariz para esse lance de Mestre, Regente de Marte, um dos 42 juízes do tribunal de Anúbis, e tal... isso apenas se refere ao Pai interno desses homens, eles estavam ainda se desenvolvend para conseguirem expressar seu Real Ser em sua completude, e não escondiam disso, está nos seus textos o tempo todo. Mas quem vê de fora acha que é diferente.

Bom, exatamente por isso que o próprio Samael recomendou que seus livros antigos deveriam ser queimados, porque estavam cheios de erros e contradições, deixando apenas os últimos e essenciais: Grande Rebelião, Psicologia Revolucionária, Misterio do Aureo florescer, As tres Montanhas.  Mas aí o pessoal pediu para deixar o Matrimônio Perfeito, que é de fato um dos melhores livros a meu ver, e é o livro fundador do Movimento gnóstico. E tambem ficou o Infenro Diabo e carma que na verdade são conferencias, não é um livro de fato. O proprio o Rabolu disse que nunca leu o Inferno diabo e karma, eheheh. 

Então este aqui que escaneei um capítulo é de um ano antes da morte, e você já nota uma mudança de tom, mais leve, sem aquele estilo "Malafaia ensandecido" que as muitas vezes ele parece adotar em alguns livros, ou capitulos isolados de alguns livros. Talvez se torne mais claro para você entender essa questão:

Citar

6a. CONFERÊNCIA


Há chegado para nós e para todo o mundo uma festa anual bastante importante e, claro, não podemos passar esta data sem falar dela. Refiro-me de forma clara à festa dos mortos. Amanhã a teremos. Há necessidade, pois, de que esclareçamos alguma coisa sobre os mistérios da vida e da morte. Antes de tudo, meus caros irmãos, vocês sabem muito bem que o caminho é bastante difícil. Jesus Cristo falou-nos do caminho secreto quando disse: "Estreita é a porta e apertado é o caminho que conduz para a luz e são bem poucos os que o acham".

Hermes Trismegisto, o três vezes grande deus íbis de Thoth, viva encarnação do deus Osíris, legou-nos a maravilhosa ciência da alquimia. Na Idade Média, essa ciência passou do mundo árabe para as terras da Europa, então por todas as partes despertou o entusiasmo pela arte hermética. Nessa doutrina de Hermes, estão contidas, tanto em essência como em potência, as chaves máximas e o conhecimento puro que nos permite percorrer o apertado caminho do qual nos falou Jehoshua Ben Pandira, Jesus Cristo. Bem sabemos que o grande kabir em sua passada existência, antes de cumprir a missão que desempenhou na terra santa, foi Jehoshya, filho de Nun. Indubitavelmente, muitos são os chamados e poucos os escolhidos. Cer­tamente, pode-se contar nos dedos da mão aqueles que mantêm continuidade de propósito até chegarem a meta.

Felizmente, temos o corpo da doutrina, os princípios, os fundamentos, que, devidamente estu­dados e vivenciados, nos permitirão de fato e por direito próprio percorrer a senda do fio da navalha. Aqueles que nos trouxeram a doutrina foram sempre grandes avataras, cristalizações logóicas... não é possível se conceber a um mensageiro, que venha do alto, senão como uma emanação, cristalização ou ma­nifestação do Logos em nosso mundo.

Tendo-se, pois, as bases, é necessário que se trabalhe. Somente assim será possível se chegar à libertação final. Indubitavelmente, meus caros ir­mãos, a espécie humana está submetida à lei do eterno retorno. Já repetimos muitas vezes que cada ciclo de manifestação, cada ciclo de existência, está cons­tituído de 108 vidas. Se nos dão sempre, se nos con­signam, 108 existências... Se durante essas vidas nos auto-realizamos, é óbvio que ficamos submetidos a essa outra lei, citada pelo grande avatara Krishna, o qual viveu na Índia uns mil anos antes de Jesus, que é a lei da transmigração das almas ou metempsicose de Pitágoras.

Aqueles que não se auto-realizam durante as 108 vidas, indiscutivelmente, deverão in- voluir no reino mineral submerso até atingirem a Nona Esfera. Ali tornam-se poeira cósmica, isto é, passam pela Segunda Morte, da qual nos falou o grande kabir Jesus com tanta sabedoria. Depois da Segunda Morte, isto é, depois da morte de todos os elementos inumanos que carregamos dentro, a essência, alma ou princípio imortal escapa e volta para a superfície, para a luz do sol, a fim de recomeçar a jornada, a fim de ini­ciar uma nova evolução. Terá de começar indubitavel­mente desde a pedra, continuar no vegetal, prosseguir mais tarde pelo estado animal até um dia reconquistar completamente o estado humano ou humanóide que outrora perdeu.

 

Retornando outra vez a este estado humano ou humanóide, se nos consignam novamente 108 vidas. Se nos auto-realizamos no novo ciclo, magnífico, se falhamos, é óbvio que repetiremos todo o processo. Assim, meus caros irmãos, toca a nós todos nos auto-realizarmos ou seguir vagando pelo vale do Samsara presos a essa grande roda fatal que sempre gira por três mil vezes.

 

E óbvio que depois da última volta terminam as oportunidades e aqueles que não conseguiram a sua auto-realização terão de submergir no Espírito Universal de Vida sem o mestrado. Terão a felicidade, porém sem o adeptado. Alcançarão a paz, porém não conseguirão a auto-realização. Converter-se-ão em simples elementais do universo; isso é tudo!

 

Não há dúvida, meus caros irmãos, que as três mil voltas da roda terminam sendo dolorosas! Aqueles que estudaram a fundo a doutrina que se relaciona com a Auto-Realização íntima do Ser chegaram à conclusão lógica que nem todos os seres humanos são capazes de se auto-realizarem.

Também é certo e de toda verdade que nem todas as mônadas ou chispas divinas, emanadas do seio do Espírito Universal de Vida, têm interesse pelo mestrado. Quando alguma chispa virginal aspira de verdade alcançar o adeptado, trabalha sua alma, sua essência, lutando para o conseguir. No mundo, vemos muita gente, milhões de seres humanos, que não têm interesse algum na Auto-Realização Intima do Ser.

Poderia se objetar que tais pessoas não  conhecem a gnose, o corpo da doutrina. Isso é válido até certo ponto porque, na realidade e de verdade, quando difundimos o ensinamento por todas as partes, alguns atendem ao chamado e outros permanecem indi­ferentes; infelizmente são a maioria. Portanto, nós; conhecemos, sabemos, quando há inquietude, desejo... Quando alguém tem esta aspiração, indubitavelmente, está dirigido desde os seus foros mais íntimos, está sendo trabalhado em segredo, está em desassossego. Porém, quem o trabalha? Sua própria chispa divina,- seu real Ser, porque ela deseja alcançar o mestrado por si mesma. Porém, repito, nem todas as chispas divinas desejam o mestrado.

 

Ao chegar este dia dos mortos, é necessário que reflitamos um pouco. A grande lei não abandona àqueles que não desejam o mestrado nem àqueles que lutam para conseguir e não o conseguem. 0 Onimisericordioso vela por todas as criaturas e a ninguém abandona.

Nos tempos antigos, deu-se uma especial importância aos mistérios dos funerais. No Egito, progrediu-se muito com os embalsamamentos e com as mumificações. Não há dúvida que as múmias do Egito são maravilhosas. Ali também conseguiu-se conservar os corpos vivos não por hibernação e sim por uma espécie de molificação; corpos que puderam durar por milhares de anos. Ainda há na terra dos faraós, sob o solo, sob as pirâmides ou em lugares preservados e secretos, corpos vivos de Mestres com mais de três, quatro e até dez mil anos. Em seu tempo, esses Mestres ingressarão em seus corpos físicos, que dormem sob a terra, para surgirem novamente à luz do sole ini­ciarem no mundo uma nova era Netuniano-Amentina, tal como está escrito em 0 LIVRO DOS MORTOS DO ANTIGO EGITO. Indo ao fundo desta questão, tanto os egípcios como os tibetanos, como os astecas ou os maias, en­sinaram que é possível a libertação depois da morte para não voltar mais a este aflito mundo.

 

Aqueles que assim procedem, obviamente o farão sem auto-realização. Porém, como são poucos os que conseguem se auto-realizar, sempre é preferível escapar do doloroso Vale do Samsara. Não se está forçado nem resulta indispensável aguardar as três mil voltas da roda do Samsara. Aqueles que desejam a libertação podem atingi-la mesmo que não consigam o adeptado. Nem todos os seres humanos nasceram para ser Adeptos ou para mahatmas ou ainda para Logos. Sempre há uma porta de escape para os que não se sintam capazes de realizar a Grande Obra.

 

Obviamente, se depois do ciclo de três mil voltas temos de voltar ao seio do Espírito Universal de Vida sem auto-realização nenhuma, isto claro no caso de que não tenhamos trabalhado realmente, pois seria preferível nos libertar o quanto antes dessa roda fatal. Assim, evitaríamos a descida aos mundos infernais depois de cada ciclo de manifestação e os sofrimentos deste doloroso vale de lágrimas.

 

Há portanto duas formas de nos emanciparmos deste Vale do Samsara, duas maneiras de nos evadirmos dele. Uma: auto-realizados, convertidos em mahatmas ou Logos. A outra: como simples elementais sem auto-realização íntima. Cada um deve refletir e escolher o caminho por si mesmo. Ao escolhê-lo, precisamos ser sérios porque uma vez dado um passo no caminho secreto, não mais será possível voltar atrás. Por isso, nos mistérios tibetanos, quando alguém estava para receber a Iniciação, os sacerdotes faziam soar suas trombetas, formadas dè ossos de defuntos, ao mesmo tempo em que advertiam o neófito: "Detém-te caminhante. Não tentes seguir pelo caminho que está além deste umbral. Lembra-te que o caminho da Iniciação está cheio de lágrimas, dores e sofrimentos. Tu podes ser feliz com a religião que te ensinaram e viver nos paraísos da natureza, na terra dos devas, dos deuses santos... por que insistes em meter-te pelo caminho secreto?"

 

Se o neófito apesar de tudo dissesse: "Nada pode me deter. Percorrerei a senda do fio da navalha. Eu vou pelo sendeiro da Auto-Realização Intima. Nada poderá me desviar", obviamente recebia a Iniciação. Mas, se fraquejasse, teria de buscar forçosamente a, emancipação comum pelo entendimento, aquele tipo de libertação sem auto-realização. Nunca poderia ser um sol, teria de se contentar em ser uma estrela.O caminho da emancipação pela compreensão não nos converte em deuses, unicamente permite que escapemos como elementais para viver no oceano do Espírito Universal de Vida de forma definitiva.

 

Não se está obrigado a completar o ciclo de três mil voltas da roda do Samsara. Aqueles que já não querem mais viver, aqueles que estão desencantados da vida, aqueles que já beberam no cálice de todas as amarguras e que de modo algum se sintam | suficientemente preparados para trilhar a senda que os haverá de converter em deuses, além do bem e do mal, podem trilhar a senda do menor esforço, aquela que tão somente os converterá em elementais... em pequenos budas elementais. Essa senda permite que regressemos ao seio da grande realidade para sempre.

 

Obviamente, quem não pôde se auto-realizar i e tendo terminado seu ciclo de manifestação, deverá  descer às entranhas do abismo e sofrer muito até chegar à Segunda Morte. Depois da mesma, vem a emancipação da essência elemental, a qual inicia um novo ! ciclo evolutivo. Naturalmente, é isso que temos de fazer ou, isso que a natureza irá fazer por nós nas entranhas da terra, é o que devemos fazer aqui e agora, evitando a descida às entranhas do abismo. A natureza irá desintegrar o Ego, o mim mesmo, o si mesmo... porém o podemos fazer antes sem ser necessário ter de afundar nesses espantosos abismos do reino mineral submerso. Se temos de ficar convertidos em elementais- depois da Segunda Morte, melhor é ficar convertidos em elementais aqui e agora sem passar por essa amar­gura. Assim, pois, há misericórdia! 0 eterno Pai Cósmico Comum, o Onimisericordioso, jamais abandona a ninguém.

 

 

Há mistérios extraordinários na morte. Quem. quiser se emancipar realmente e não voltar jamais, deve começar a conhecer a doutrina. Faz-se indispen­sável dissolver o Ego, o eu, o mim mesmo... Não se poderia exigir de uma criatura humana que eliminasse o Ego de forma perfeita e radical, aqui e agora, se não estivesse preparada. Porém, qualquer criatura pode eliminar o Ego se para isso se propõe, se quiser se emancipar, ainda que seja em parte, o resto do trabalho continuaria depois da morte. Porém, e aqui vem o porém, se estivermos com a consciência adorme­cida, de qualquer forma teríamos de regressar. O que fazer então para não voltar a este vale de lágrimas? Despertar a consciência! Quando temos de despertá-la? Agora ou depois da morte? Ê claro que aqui mesmo é onde devemos trabalhar para despertar a consciência. Existe alguma ciência que nos permita despertar a consciência? Sim, existe e a temos ensinado e conti­nuaremos a ensiná-la através de nossas diversas con­ferências. Quem desperta, pode escolher o caminho. Quem desperta, depois da morte poderá trabalhar e se não quiser voltar, não voltará. Porém, como poderia um adormecido evitar o regresso, o retorno a este vale de amarguras? Impossível, não é verdade? Antes necessitamos despertar... Despertos sim, depois da morte poderemos trabalhar.

 

E óbvio que aquele defunto que não quer mais voltar será submetido a provas. Em primeiro lugar, depois da morte, passa-se por um desvanecimento de três dias; uma espécie de desmaio. Depois desses três dias, ele sente-se reconfortado, reanimado. Se está alerta e vigilante, se verdadeiramente não está com a consciência adormecida, se verdadei­ramente o deseja, poderá evitar o retorno a este vale de amarguras. Porém, repito, se não deseja voltar, será provado.

 

A Mãe Divina, o Pai que está em segredo ou o Pai-Mãe em sua totalidade, já que cada um tem seu Pai que está em segredo e sua Divina Mãe Kundalini, o submeterão à prova. Assumirão diante dele, em um dado momento, por exemplo, uma aparência terrível, sobre-humana... o propósito é testar o defunto. Se ele permanecer firme como o aço, é claro que sairá vitorioso. Porém, essa não é a única prova, existem muitas outras. O defunto que não quiser voltar não deve se deixar atrair pelos familiares, o apego aos irmãos, às irmãs, filhos, filhas, etc. Se é atraído pelos seres queridos que deixou no mundo, prejudica a si mesmo. Ê claro, claro, que retornará, se rein- corporará novamente. Se alguém não quiser voltar, terá de perder todo o apego, depois da morte, àqueles que deixou neste vale de lágrimas.

 

 

Depois que alguém deixou o corpo, a natu­reza tem múltiplos meios e sistemas para fazê-lo regressar ou reincorporar, os quais devemos compre­ender. Antes de tudo, não será demais que todos saibam que depois da morte temos de revisar a vida que se acabou de viver.

Começaremos pelo último instante, aquele que precedeu a nossa agonia. Tornaremos a viver na mesma casa onde morremos, a percorrer as mesmas ruas por onde outrora caminhamos, etc. Em uma palavra, queremos recolher nossos passos e os iremos reco­lhendo conforme formos revivendo as diferentes idades da existência que acaba de passar. É claro que este retrospecto não é meramente intelectual. Temos de vivenciar, depois da morte, todos os acontecimentos, todos os fatos, todas as ocorrências, da vida que passou. Conforme se vai revivendo, se vai assumindo também a aparência que se teve em cada uma das idades correspondentes. Se alguém morreu ancião, se verá velho. Depois irá se convertendo no sujeito maduro que foi, em seguida no jovem, no adolescente e por fim na criança que foi. Reviverá assim toda a sua existência com o propósito de ajustar contas, de fazer um balanço de suas boas e más obras.

 

Quero que todos saibam que o Ser, meus caros irmãos, está for­mado de diversas partes.Em nós existe, por exemplo, dentro de nós mesmos, no Ser ou uma parte do Ser que poderíamos chamar de o anjo bom. Também existe algo que pode­ríamos denominar o anjo mau, não que seja mau; mas se encarrega de fazer de conta; ele anota todos os nossos erros pessoais.  O anjo bom preocupa-se em anotar as boas ações. No entanto, não é que o anjo bom e o anjo mau sejam pessoas estranhas, não. Eles são partes de nosso próprio espírito individual, de nosso próprio ser íntimo.

Depois da morte, o gênio do bem, por exem­plo, contará com pedrinhas a quantidade de boas obras que tenhamos feito. Veremos também ao geniozinho do mal, que não é que seja do mal, mas que simplesmente anota nossos erros, uma vez que é outra parte de nosso ser, contando também com pedrinhas negras as nossas más ações. Contudo, tal conta só se realiza depois de termos revivido a vida que passou, depois de tê-la revivido de forma interna e retrospectiva.

 

Assim, pois, toda a vida que se passou vem a ficar reduzida a números e a somas de boas e más ações.' Obviamente, terminado o retrospecto, depois que o nosso próprio Ser fez o balanço, o inventário de nossas boas e más ações, os Senhores do Karma se encarregam de fazer justiça e determinam a existência que nos tocará no futuro. Porém, se não desejamos voltar, se para isso nos preparamos durante toda a vida, se estamos despertos para nos defender, podemos pedir a nossa Mãe Kundalinio perdão de nossos erros, podemos nos concentrar em outra parte do nosso Ser que se chama o Grande Misericordioso e obteremos ajuda; haverá piedade. Mas, se o carma for demasiado mau, se em vida fomos exageradamente perversos, te­remos de entrar na involução submersa dos mundos infernais; não haverá remédio,.. ou pelo menos iremos nos reincorporar contra nossa vontade.

Se o carma não for tão ruim, se houver mais boas ações do que más, se em vida nos preocupamos com a dissolução do eu, do mim mesmo, se fomos cari­dosos, etc., teremos o direito de nos defender, te­remos capital cósmico a nosso favor. No entanto, será necessário que não nos deixemos atrair pelas matrizes humanas. O espírito humano pode atravessar uma mon­tanha de lado a lado, nada o detém. A única coisa que o pode deter é uma matriz; eis aqui o problema.

Uivará o vento do carma, um furacão frio chegará até o defunto, múltiplas aparições de seres terríveis tentarão amedrontá-lo, porém se permanecer firme no desejo de não voltar, poderá triunfar. Mas, se ainda temer o perigo de cair em alguma matriz, terá de aprender a fechar matrizes; nos mundos internos há muitos sistemas. De repente, o defunto sente que está chovendo, há trovões e relâmpagos, caem raios... há muita chuva; é a lei do carma buscando a maneira de juntá-lo a uma matriz. Se ele permanece sereno, im­passível, fecha a matriz.O inexperiente tentará se esconder em alguma caverna tratando de se livrar da tempestade. Quando tente se afastar, sentir-se-á como que ligado a essa caverna. Sim, ficou ligado a uma matriz, a um gérmen; essa caverna era uma matriz. De forma que se tem de aprender a fechar matrizes, se é que se quer não voltar.

 

Os defuntos que não desejam voltar verão a muitas criaturas, machos e fêmeas, copulando. Se ele, de repente, sente-se atraído para tal ou qual casa, sente simpatia por algum desses casais e anti­patia pelos outros, obviamente ali terá de retornar, regressar. O defunto que sentir, por exemplo, anti­patia pelo elemento feminino de um casal, seguramente nascerá ali com corpo masculino.' Ao contrário, se sentir antipatia pelo elemento masculino do casal e atração pelo feminino, nascerá obviamente ali com um corpo feminino.

 

Assim, pois, somos atraídos para lugares e lares, de acordo com a lei do carma. Se passamos para além da simpatia e da antipatia, se nos exerci­tamos na vida para isso, não entraremos no gérmen humano, não entraremos em nenhuma matriz.

 

Outro sistema para se escapar de cair em alguma matriz é a meditação profunda: aprender a conseguir a quietude e o silêncio da mente, a conse­guir a irrupção do vazio iluminador em nós e dentro de nós. Se conseguimos nos conservar no vazio iluminador, escapamos da atração de qualquer matriz... fechamos matrizes.

 

Durante a vida, os que aspiram se libertar, ainda que em estado elemental, sem auto-realização, devem ser instruídos com esse propósito. Precisarão lutar pela dissolução do Ego, do eu, do mim mesmo, do si mesmo, andar pelo caminho reto, trilhar a senda da santificação, despertar a consciência, aprender a viver consciente nos mundos superiores... Para se despertar a consciência, há que se trabalhar aqui e agora.

 

Nós temos ensinado a ciência do despertar da consciência. Está escrita em meus livros. Vocês já os leram, importa agora levá-la à prática. Quem conseguir escapar da atração do vale do Samsara, poderá, depois da morte, renascer não com um corpo físico e sim, por exemplo, renascer em um paraíso, em algum reino superior. Pode ser no reino do buda Gautama Sakyamuni, no reino do Maitreya, no dos ca­valos negros ou no da suprema felicidade, etc. Esse é o nascimento supranormal.

 

Há também aqueles que renascem no inferno. Esse é o caso dos que concluíram seu ciclo de nasci­mentos e mortes. Porém, aqueles que aspiram a liber­tacão devem nascer de forma supranormal em qualquer desses reinos dos mundos superiores. Ao nascer em qualquer um desses reinos, nos dedicaremos de cheio a trabalhar intensamente na eliminação dos elementos inumanos que levamos dentro com o propósito de fazer com que a essência fique limpa, transparente como o cristal, sem aderências da poeira terrenal.

 

É óbvio que para alguém assim aspirar deverá antes ter pas­sado por uma prévia educação esotérica aqui no mundo físico. Está escrito que o que um Mestre faz de grande para chegar ao adeptado, para se converter em um dhyân-chohan, em kumâra, em mahâtma, aquele que não aspira a auto-realização, apenas deseja escapar deste Vale do Samsara, o faz em miniatura. Está escrito que o sendeiro divide-se em quatro grandes etapas. Assim o sustenta a poderosa sabedoria oriental. A Primeira etapa pode ser chamada de discipulado ou chelado. A segunda é a do Iniciado, a do indivíduo que se inicia. A terceira é a do arhat ou homem per­feito e a quarta, a do mahâtma ou grande alma.

 

Essas quatro escalas estão representadas em muitos templos e monumentos antigos. Podemos vê-las na pirâmide do Sol em Teotihuacan, etc. Isso que o Mestre faz em grande escala, aquele que quer escapar da Lei do Samsara, deste vale de lágrimas, o faz em miniatura. Se o Mestre pode se converter em um grande buda, o que escapou desta trágica lei, pode se converter em um buda elemental.

 

Se existe o sistema solar no macrocosmos, também existe numa molécula, não é verdade? Por que? Que é uma molécula? Não é por acaso um sistema solar em miniatura? Assim, pois, o que o Adepto consegue através da auto-realização, convertendo-se em um cosmocrátor, em um dhyân-chohan, em um filho da chama, em um kumâra... o devoto o consegue em miniatura, convertendo-se em um buda elemental depois de per­correr as quatro etapas de forma incipiente. Assim, pois, nesse estado de progressão, seguirá a essência depois de se libertar do pó da terrestre através das quatro etapas seguintes:

 

Uma delas  poderíamos denominar a etapa de nirmânakâya. Isso não quer dizer que por tal motivo essa essência seja um nirmânakâya que renunciou ao Nirvana de forma consciente e positiva ou qualquer coisa ao estilo,apenas que viverá numa espécie de vazio iluminador semelhante ao do nirmânakâya e se desenvolverá nesse ambiente.

A segunda, ainda que a possamos chamar de sambhogakâya, um vazio muito mais iluminado, mais profundo, acompanhado de sabedoria, não quer dizer que terá corpo de sambhogakâya porque nunca o fabricou. No entanto, passará por um estado análogo ou similar em seu regressoàgrande realidade.

Terceira: Adhikâya, uma inteligência iluminada pelo espírito. Não será a inteligência de um Logos nem de um Hermes Trismegisto ou de um kumâra, porém de um elemental inocente.

Por fim, quarta, terá o  prêmio que se dá aos dharmakâyas... e aquela essência pu­ríssima, unida à mônada, submergirá para sempre no supremo parabrahman Atman, isto é, no grande oceano do Espírito Universal de Vida, no puríssimo Alaya do universo.

 

Não será um deus e sim uma chispa do eterno, ficando livre da roda de nascimentos e mortes. Ainda que não tenha se auto-realizado, será uma centelha da divindade. Estará sem auto-realização, sem mes­trado, porém será feliz. Isso é tudo!

 

Assim, pois, nem todos estão preparados para se meterem pelo caminho apertado, estreito e difícil que conduz à luz. Isto é algo em que devemos refletir. Os não preparados, aqueles que em sua cons­ciência sentem que não são capazes, devem se dedicar à dissolução do eu e a despertar a consciência, o que em última forma seria se resolver a trilhar a senda da santificação.

 

0 último pensamento do moribundo é defini­tivo. Se esse moribundo não deseja voltar, se não quer voltar, pode escapar e não regressar sob a con­dição de que seu carma não seja tão ruim. Há gente que tem um carma tão duro devido a sua perversidade que naturalmente terá de voltar.

 

0 pior é que a maioria terá de baixar. Ao invés de renascer, de retornar, a este mundo, terá de nascer, de transferir sua existência, queira ou não queira, aos mundos infernais. Infelizmente, esses são a maioria. Portanto, meus caros irmãos, nesta noite, véspera da festa dos mortos, temos de refletir bastante, temos de pôr a mão direita no coração e perguntar a nós mesmos: Quero realmente trilhar a senda do fio da navalha e trabalhar na Auto-Realização Intima do Ser? Se não me acho capaz, se esse não for o meu caminho, se meu desejo é partir para sempre, preciso tomar uma resolução. Preciso começar a despertar a consciência, preciso trabalhar com os sistemas e ensinamentos que me foram dados de forma clara e positiva para conseguir o autodespertar e a dissolução do Ego.

 

Estamos, pois, diante do seguinte dilema: ou seguimos a senda do fio da navalha que nos levará à Auto-Realização Intima do Ser ou não a seguimos. Se não estamos dispostos a segui-la, se não nos sen­timos capazes, melhor será que nos decidamos a não mais voltar a este vale de lágrimas.

 

Somos nós mesmos que devemos escolher caminho. Ninguém poderá escolher por nós.

Fonte: Conferências Extraordinárias- Samael Aun Weor,. Editora Gnose. Porto Alegre, 1985

 

 

 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.