Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Galáxias, Ensinamento, Prece a Santa Teresa


Sembrol
 Share

Recommended Posts

02/09/2021 Galáxias, Ensinamento, Prece a Santa Teresa

 

Fiquei lúcido e estava na casa dos meus pais, saí da casa e depois comecei a sentir minhas pernas muito pesadas, me perguntei qual era o motivo de sentir aquela dificuldade, tentei parar de me importar com as pernas e consegui pular e então flutuar até o muro, mas ao parar no muro continuei com as pernas pesadas. Fiz uma prece e então fiquei um pouco mais leve e consegui voar, olhei pro céu e vi inúmeras galáxias, fiquei impressionado com aquela visão e me perguntei na possibilidade de eu conseguir ir para outro planeta, não como visitante, mas como morador, ao fim da minha encanação por aqui. 

Fiquei um pouco emocionado, pensei se tinha alguém me ouvindo para responder meus pensamentos. 

Eu voei e aterrissei em uma subida, uma estrada de pedra, e o peso nas pernas voltou, eu comecei a ter visões oníricas e apareceu uma espécie de cerca de estacas de madeira, com cordas no lugar dos arames, eu usei as estacas de madeira como apoio para conseguir andar e então um senhor nos seus 50 apareceu, ele estava com a mesma dificuldade que eu, e usava da mesma estratégia para andar.

Conversei com ele, não me lembro da conversa, ficou bem vaga na lembrança. Mas lembro que ele se queixou da dificuldade de andar também, logo em seguida vi um cara subindo a estrada com uma bicicleta, então o senhor falou que aquele cara estava muito fraco. Não entendi direito, mas depois me lembro que ele falou de umas pessoas que encarnaram e viraram advogados e ficaram arrogantes, ele baixou a cabeça e disse “pobres crianças...” fiquei curioso com o cara de bicicleta e plasmei uma bicicleta e fui atrás dele, cheguei a ver a casa dele, fui tipo teletransportado.

Cheguei perto e então voltei pra casa, me esforcei e sai novamente em astral e pensei na casa e fui até o cara novamente. 

O cara ainda estava por lá e eu perguntei como ele conseguia continuar lúcido com aquela bicicleta, reclamei que andando com as pernas pesadas pelo menos me mantinha concentrado e lúcido. Enfim...perguntei se a bicicleta tinha o pedal pesado, se era pesado pedalando pra frente e para trás, ele disse que sim, mas na prática não estavam...

Não me lembro que conversei mas acho que não demorou muito e eu perguntei pra ele, achando que ele não falava nada com nada, “Você...não sabe que a gente tá fora do corpo né? Em astral?” Nessa hora eu já estava lúcido novamente, ele deu um sorriso pateta e disse que não. Eu então já não perdi tempo, virei as costas e fui saindo, vi ele pegando uma planta de maconha e arrancando um pedaço dela, depois acendendo e fumando, senti o cheiro já um pouco longe e disse “Então era desse cara que saía aquela catinga de umbral…” Um pedaço da planta apareceu na minha mão, queimando na ponta e saindo fumaça, então eu joguei fora.

Eu comecei a voar sobre uma vizinhança da minha infância, e então o ambiente mudou e via a casa dos meus pais novamente, não deu pra desviar, então parei na frente da porta e abri, voei pela casa para sair do outro lado e quando cheguei na cozinha a voz do senhor falou comigo telepaticamente “Nossa, essa casa tá infestada de espíritos” Me deu a sensação de uma casa cheia de muriçoca, uma sensação de coisas escondidas.

Eu saí da casa e chamei o senhor, que eu percebia como uma certa pessoa, chamei pelo nome pedindo para ele limpar a casa dos espíritos e ele apareceu. Falou que eu o fazia lembrar dele e então começou a cantar uma oração e tirou um pano branco do bolso e ficou cantando a oração com esse pano nas mãos.

Me perguntei se não era um espírito tirando com a minha cara e tentei jogar energia nele e então senti um leve EV, e ele não parece ter sentido nada.

Segurei os varais para tentar não perder a conexão com o astral e prestei atenção na oração que ele cantava, sobre santa teresa.

Comecei a escutar uma música de piano bem bonita que acompanhava a oração dele e então voltei pro corpo, não consegui mais sair.

A oração dele era uma da hora, uma invocação, uma prece em forma de oração. Não era uma oração decorada.

Só consigo lembrar da parte antes de eu voltar pro corpo, onde ele cantava "Comigo quero chegar a ti..."

Não foi uma saída muito lúcida, teve esses onirismos no meio mas achei legal compartilhar, nunca tinha acontecido algo assim comigo. Essa oração cantando realmente é incrível. Quando ele estava cantando ele invocava uma presença de luz muito forte, parecia um médium, chega revirava os olhos de êxtase.

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...