Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

O ser de Ferro


Olympio
 Share

Recommended Posts

O Ser de Ferro por Olympio

O dia começa cedo, 5 horas da manhã, aquele desjejum reforçado para aguentar os 3,8km iniciais da natação, noite mal dormida devido a ansiedade, bexiga descontrolada e o frio na barriga é cada vez maior antes da largada.

Ao chegar no campo de batalha, um tapete azul da boas vindas aos competidores, é hora de arrumar os últimos preparativos para a largada. Os familiares aplaudindo os futuros campeões do ironman, incentivando-os, jogando boas energias. A organização da o toque para todos se prepararem para a largada. O céu abraçando a todos com aquele imenso azul, o Sol dando as boas vindas, a brisa marítima, o cheiro da maresia e o mar agitado dão um clima desafiador ao evento. A buzina toca, e todos os 1500 atletas começam a correr mar adentro feito loucos, desesperados pela vitória, um cardume humano. Dentro d’água tudo acontece, não existem regras. Sortudo aqueles que conseguem ou se distanciar ou ficar para trás. Milhares de pernas e braços procuram espaço nesse mar que hoje ficou estreito, o quadríceps inchando, a roupa neo-perene apertada e machucando o ombro, começam as primeiras cãibras. Os primeiros vão completando esse primeiro desafio, uns cambaleantes, uns firmes e fortes. Chegando na transição, correria para tirar a roupa de borracha, médicos aferindo a pressão de alguns, atletas comendo o que podem e o que não podem e enchendo a bicicleta de comida para as 2 voltas de 90km.

Vão com tudo nos primeiros 20km, clippados, com a aerodinâmica tinindo, estão a 1000 para completar essa etapa, as horas se passam e parece não ter fim. Uns mantém uma certa velocidade, outros ficam oscilando. O pneu fura! A mente do atleta desaba em meio nesse imprevisto enquanto outros estão vomitando tudo que comeram na transição. Se antes o quadríceps estava inchado e dolorido, agora ele está murcho e dormente, sem forças, a lombar rasgando e forçando o antes aerodinâmico se tornar um "quebra-vento". Nos vários reabastecimentos, gel, barrinhas, gatorade, malto, bolo, coca-cola e tudo que for comestível. À partir do quilômetro 130 não existe mais corpo, é a mente que comanda tudo. Começa a escurecer e o frio é o primeiro a chegar junto com a solidão de andar em uma estrada com alguns atletas pingados, apenas uma paisagem linda de pôr do Sol que encanta e fortalece para os últimos 50km. Perto da segunda transição ainda existe o perigo de se esborrachar no chão se não conseguir tirar o clip do pedal a tempo. Já na transição, analgésicos, choro, cansaço e para os vencedores de si mesmo, superação! Aqui, o único troféu que importa é o de cruzar o tapete vermelho. As pessoas ao longo do caminho aplaudindo a coragem, a garra. Vencemos mais uma etapa, agora é só partir pros 42km finais.

As pernas depois de intensos 183,8km ainda dão pro gasto, leves, anestesiadas de tantas contrações, a mente 100% concentrada leva o corpo a um estágio jamais sentido, além da exaustão. Os primeiros 21km definem como serão os outros, se forem tranquilos, prepare-se para as dores do final. Se forem sacrificantes então você não viu nada. Durante todo o percurso pessoas aplaudindo, encorajando nossos homens de ferro. As reservas de alimeto já quase vazias, é hora de procurar comida em algum lugar. Abastecido e com as forças parcialmente restauradas enquanto as dores sempre presentes, tanto nas pernas quanto no estômago devido a falta/excesso de comida, o ser de ferro agora da sua última volta e parte para os 10km finais. Sorrindo, chorando, vibrando de dor e alegria ao mesmo tempo, sensação que somente quem passou sabe. 12 horas de prova, escuro e a visão da reta final faz com que o ironman esqueça a dor, o cansaço.

Ao sentir o macio do tapete vermelho, a companhia da família que viera junto para completar a prova, acabou! O ser de ferro enfim conseguiu ultrapassar seus limites, desabando em lágrimas, dor, felicidade e realização. Passa-se um filme de toda a prova na cabeça. Aquele cara que à 12 horas atrás saiu correndo que nem um louco para o mar, agora é amparado por médicos e só quer deitar para relaxar o corpo e a mente que trabalharam juntos intensamente e incessavelmente nessa conquista que não é só um prêmio, não é só uma medalha, um troféu, mas é uma vitória sobre a baixa auto-estima, a infelicidade, a tristeza. Se ontem você era um triatleta, hoje você é um IRONMAN!

Seja um IRONMANem todos os aspectos de sua vida.

Criei esse texto para expressar um pouco mais desse esporte que eu participo. Para mim, apesar de ter criado, acho um texto muito inspirador. Espero que gostem. Não sou expert... mas fiz com dedicação.

Abraços.

Link to comment
Share on other sites

Oi,

ótima mensagem, Olympio!!!

Me fez refletir sobre como encarar nossas vidas. Com mais garra e determinação.

Acredito que o esporte nos proporcione esse bem estar. Em especial os treatletas são verdadeiros homens-de-ferro. O cruzar o linha de chegada já e uma vitória!

Da até pra fazer uma comparação da luta dos competidos esportistas com a lutas diaria de nós encarnados. Vou fazer das suas as minhas palavras: Que ao cruzar o linha de chegada da vida física que sejamos vitoriosos sobre a baixa auto-estima, a infelicidade e a tristeza.

Obrigado péla mensagem.

Muita Paz

:D

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...