• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
Rafael

Vampiros Reais?

Recommended Posts

Olá a todos!

Eis mais um tópico sobre vampirismo, mas desta vez a questão é um pouco diferente. Aliás, estou muito feliz em voltar ao GVA depois de mais um tempo inativo - já virou quase rotina, rs, mas às vezes não tem mesmo como continuar postando, tenho que sumir por um tempo. Enfim, voltando ao assunto.

Queria fazer uma pergunta. Como vocês reagiriam se descobrissem que alguém muito próximo, um amigo digamos, lhe dissesse ser um vampiro real?

Recentemente, li o estudo de um professor de uma universidade norte-americana sobre os vampiros reais, uma sub-cultura que tem se destacado - dado a importância do vampirismo para sabermos nos proteger de ataques energéticos no astral, fiquei curioso. Porém, esses vampiros não são energéticos ou do astral (essa é a única variável, eu acho).

No estudo social deste grupo de pessoas que se identificam como vampiros, aparecem muitas questões interessante, mas não vou dizer nada para não influenciar as respostas.

Ah, esclarecendo o assunto para quem nunca leu ou ouviu nada a respeito, vampiros reais são pessoas que se auto-intitulam vampiros e que consomem energia humana (quer atravé de sangue doado, quer através de energia dos outros) por sofrerem de um défice que dizem ser insuperável a longo-prazo.

Ótimo estar de volta.

Abraços! ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Rafael,

esses dias, coincidentemente, vi um episódio do SUPERNATURAL que cita esse 'vampiros humanos' mas somente os 'travestidos', se é essa a palavra correta, e que consomem sangue.

Sei que há várias boates na Europa que seguem este padrão de frequentadores. Será que alguém aqui já não viu essas boates em alguma visita ao exterior? Realmente tenho curiosidade de saber.

Mas no Discovery vi um episódio que cita mais de 4 tribos de vampiros, desde os tomadores de sangue, até os tomadores de energia. Realmente impressionante...

Vou ver se acho alguma parte do documentário para postar aqui.

Mas os vampiros tomadores de energia existem em maior quantidade do que imaginamos, sem contar os que fazem isso inconsientemente. Quem trabalha com atendimento ao público muito provavelmente já sentiu os efeitos devastadores de alguns.

Abraços

Share this post


Link to post
Share on other sites
Rafael,

esses dias, coincidentemente, vi um episódio do SUPERNATURAL que cita esse 'vampiros humanos' mas somente os 'travestidos', se é essa a palavra correta, e que consomem sangue.

Sei que há várias boates na Europa que seguem este padrão de frequentadores. Será que alguém aqui já não viu essas boates em alguma visita ao exterior? Realmente tenho curiosidade de saber.

Mas no Discovery vi um episódio que cita mais de 4 tribos de vampiros, desde os tomadores de sangue, até os tomadores de energia. Realmente impressionante...

Vou ver se acho alguma parte do documentário para postar aqui.

Mas os vampiros tomadores de energia existem em maior quantidade do que imaginamos, sem contar os que fazem isso inconsientemente. Quem trabalha com atendimento ao público muito provavelmente já sentiu os efeitos devastadores de alguns.

Abraços

Olá Graciela!

É verdade, todos nós atuamos como vampiros pelo menos algumas vezes pois o vampirismo moderado ocorre naturalmente, quer seja pela transferência de energia inconsciente, quer seja pela transferência de energia participada. Quando criamos um conflito com alguém, podemos retirar energia desta pessoa para repor a energia que gastamos ao transformá-la em raiva ou agressão.

Entretanto li sobre os vampiros reais e inclusive conversei com eles. Sim, eles existem. São pessoas normais que saciam a sua deficiência energética através da absorção de energia humana (através de sangue ou então da absorção de energia). E o que li, principalmente, foi sobre a discriminação que esses grupos vampíricos têm sofrido e isso acaba por se tornar um problema social.

Apesar de morar no exterior, por aqui não conheço nenhum local de encontro de vampiros reais. Mas, aparentemente, eles estão em todos os locais, rs.

Eu já assisti todos os episódios de Supernatural (ótima série), mas os vampiros que aparecem lá não são exatamente esses que estou referindo. Aqueles eram mais "RPGers" (nome utilizado para quem finge ser). Fiquei pensativo sobre o assunto e um pouco confuso.

Esses vampiros reais são pessoas normais. A maioria alega nascer assim, como um traço da personalidade. Eles não fazem mal a ninguém, procuram sangue doado e energia excedente. É uma cultura. Por outro lado, o vampirismo que conhecemos e estudamos é muito perigoso e negativo. Será possível termos aqui dois tipos? Um vampirismo energético negativo e um vampirismo como cultura de consumidores energéticos?

Algo que faz muita confusão para mim é que alguns são vampiros que se alimentam de energia natural (energia elemental retirada de árvores, por exemplo). Bem, eu próprio já fiz muito isso e muita gente aqui também já fez. Isso torna a discriminação ainda pior. Mas claro, a diferença sempre foi motivo de exclusão (houve excepções, não levem a mal, rs). Esses são mais bem aceitos. Mas de qualquer forma, esses vampiros constituem uma nova questão a ser abordada pelos projetores, na minha opinião.

Tenho pensado e pensado. Principalmente porque isso tem sido um impacto social. Essas pessoas são discriminadas, desvalorizadas, pela cultura que seguem. E fico pensando até onde a sociedade está lidando com maturidade com isso dado que tem resultado essa exclusão social. Se eles ainda fizessem mal a alguém... mas não fazem pelo que me informei. Por mais esquisito que isso seja (bizarro para alguns), isso me fez pensar sobre a liberdade de expressão, a inclusão social e o valor de uma cultura deste género. A ideia seria ajudar essas pessoas e não rejeitá-las, não é? Haveria lugar para elas na sociedade? Serão loucos? Alguns dizem que sim - pessoas que vivem no escuro, meio escondidas.

Obrigado pelo vídeo Graciela! :)

Sangue doado?!?!?... Como assim??

É Thiago, sangue doado. Os vampiros reais existem há anos. Eles são pessoas que sentem uma necessidade maior de energia (possuem uma deficiência natural). A maioria repõe as energias que faltam através do consumo de sangue humano doado por pessoas que fazem exames que comprovem a ausência de riscos a saúde (como AIDS) ou através do consumo de energia excedente de outras pessoas. Eles odeiam vampiros de ficção, acham uma ofensa a eles pois eles não são nada parecidos a seres sobrenaturais.

Há inclusive, vampiros de energia elemental (se alimentam da energia retirada de árvores, ambientes, entre outras fontes naturais). Esses são mais bem aceitos. Mas de qualquer forma, esses vampiros constituem uma nova questão a ser abordada pelos projetores, na minha opinião.

Abraços! ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Graciela,

Já vi pelo menos uma festa dessas na Alemanha onde o pessoal sai bebendo o sangue um do outro, mas é só um ritual...se a pessoa definir só o fato de beber o sangue de outra pessoa como vampirismo, então é isso...mas acho que a coisa é mais ampla e eu não vi esse aspecto “mais amplo” por lá. Mas não é só na Europa. Várias versões do “Fetish Ball” acontecem nos EUA...

Fora isso, a maior parte dos clubes celebra a cultura que se formou ao redor do mito dos vampiros, não vejo nada mais... além disso. Aqui onde eu moro rola até uma associação dessa cultura vampírica com absinto, por alguma razão que ainda não entendi (nem pesquisei sobre, pra flar a verdade, só me lembrei agora)...bem é só uma curiosidade :)

Enfim, podem até existir boates de vampiros “de verdade” no sentido que vc falou, mas deve ser o underground do underground :geek: Eu realmente não espero ver vampiros reais fazendo anúncios públicos desse tipo de coisa. :shock:

Voltando pra pergunta do Rafael...acho que tudo bem. Desde que a pessoa me desse uma entrevista :D sério, na boa, sou curiosa de carteirinha, se o cara se vira pra mim e fala uma coisa dessas já tem que esperar que eu vá enchê-lo de perguntas. Na real, já conversei com dois – um brasileiro e um alemão -, é legal pq são pessoas que tem conhecimento sobre energias e tals, dá pra aprender muito com eles. Já vi pessoas que se dizem vampiros reais, mas mal e mal sabem o que é um chackra, dái não dá =P. De resto, tudo normal, já estou acostumada a me proteger, todo mundo é meio vampiro de qualquer forma.

Mas tenho muita curiosidade pelo assunto e respeito esse modo de vida. Já li muito dizendo que isso é negativo, que é mau, mas se essas pessoas realmente têm um déficit, então têm que suprí-lo de alguma forma, não é? Seria injusto dizer que os caras simplesmente são do mal. Nesse ponto ainda não sei bem o que penser. Existe um déficit mesmo? Donde veio isso? Pq? Karma?

É um assunto que me interessa mesmo. Vou ficar de olho no tópico! :mrgreen:

Abraço!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Graciela,

Já vi pelo menos uma festa dessas na Alemanha onde o pessoal sai bebendo o sangue um do outro, mas é só um ritual...se a pessoa definir só o fato de beber o sangue de outra pessoa como vampirismo, então é isso...mas acho que a coisa é mais ampla e eu não vi esse aspecto “mais amplo” por lá. Mas não é só na Europa. Várias versões do “Fetish Ball” acontecem nos EUA...

Fora isso, a maior parte dos clubes celebra a cultura que se formou ao redor do mito dos vampiros, não vejo nada mais... além disso. Aqui onde eu moro rola até uma associação dessa cultura vampírica com absinto, por alguma razão que ainda não entendi (nem pesquisei sobre, pra flar a verdade, só me lembrei agora)...bem é só uma curiosidade :)

Enfim, podem até existir boates de vampiros “de verdade” no sentido que vc falou, mas deve ser o underground do underground :geek: Eu realmente não espero ver vampiros reais fazendo anúncios públicos desse tipo de coisa. :shock:

Voltando pra pergunta do Rafael...acho que tudo bem. Desde que a pessoa me desse uma entrevista :D sério, na boa, sou curiosa de carteirinha, se o cara se vira pra mim e fala uma coisa dessas já tem que esperar que eu vá enchê-lo de perguntas. Na real, já conversei com dois – um brasileiro e um alemão -, é legal pq são pessoas que tem conhecimento sobre energias e tals, dá pra aprender muito com eles. Já vi pessoas que se dizem vampiros reais, mas mal e mal sabem o que é um chackra, dái não dá =P. De resto, tudo normal, já estou acostumada a me proteger, todo mundo é meio vampiro de qualquer forma.

Mas tenho muita curiosidade pelo assunto e respeito esse modo de vida. Já li muito dizendo que isso é negativo, que é mau, mas se essas pessoas realmente têm um déficit, então têm que suprí-lo de alguma forma, não é? Seria injusto dizer que os caras simplesmente são do mal. Nesse ponto ainda não sei bem o que penser. Existe um déficit mesmo? Donde veio isso? Pq? Karma?

É um assunto que me interessa mesmo. Vou ficar de olho no tópico! :mrgreen:

Abraço!

Olá Amanda!

As questões que você levantou são as mesmas que continuam a me perseguir e para as quais ainda não consigo encontrar resposta. Quer dizer, será possível uma pessoa ter um déficit energético natural que se desenvolve por si só e se mantém permanentemente? É interessante que eles, os vampiros reais, fazem a clara distinção entre as pessoas que ficam com déficit temporário devido a assédios e eles próprios. Eles parecem estar bem informados e revelam que as desvantagens da natureza vampírica deles são maiores do que as vantagens, mas que não há como fugir da necessidade energética.

Conversei com alguns vampiros reais de vários sites (todos em inglês, que são mais fáceis de encontrar) e a maioria parece ter os pés no chão. Então poderá existir esse tipo de vampirismo, do qual não há fuga? Será Karma? (tudo bem, karma não acredito tanto porque não acredito nesta lei há alguns meses, mas fica a possibilidade).

Ah! E qualquer curiosidade, pode me perguntar à vontade. Não tenho conhecimento de causa, mas já li tanto e estudei que fora questões práticas, estou bem informado teoricamente - também estava muito curioso. Outra coisa que me deixa pensativo é o consumo de sangue. Sangue. Há muitos séculos, o sangue é utilizado por culturas como símbolo de vida e como sacrifício, até em rituais milenares em nome de Deuses e da Natureza.Será errado os vampiros reais consumirem sangue tendo gente precisando para sobreviver em algumas situações médicas?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Entretanto li sobre os vampiros reais e inclusive conversei com eles. Sim, eles existem. São pessoas normais que saciam a sua deficiência energética através da absorção de energia humana (através de sangue ou então da absorção de energia). E o que li, principalmente, foi sobre a discriminação que esses grupos vampíricos têm sofrido e isso acaba por se tornar um problema social.

Tenho pensado e pensado. Principalmente porque isso tem sido um impacto social. Essas pessoas são discriminadas, desvalorizadas, pela cultura que seguem. E fico pensando até onde a sociedade está lidando com maturidade com isso dado que tem resultado essa exclusão social. Se eles ainda fizessem mal a alguém... mas não fazem pelo que me informei. Por mais esquisito que isso seja (bizarro para alguns), isso me fez pensar sobre a liberdade de expressão, a inclusão social e o valor de uma cultura deste género. A ideia seria ajudar essas pessoas e não rejeitá-las, não é? Haveria lugar para elas na sociedade? Serão loucos? Alguns dizem que sim - pessoas que vivem no escuro, meio escondidas.

Então, Rafael

em minha opinião pessoal, são irmãos dependentes de algo que pode prejudicá-los em um desencarne, por exemplo, pois eles citam que o consumo de sangue constante vicia. E não é a toa, pois é uma fonte riquíssima de ferro, sais minerais e proteínas. Energia pura...

Sendo um vício, é um apego, então você tem plena razão em nós projetores nos preocuparmos. Pois são nossos irmãos que vão precisar de amparo real...e quanto à discriminação, isso é um caso a parte, pois faz parte de nossa sociedade, me parece que as pessoas se preocupam em discriminar por qualquer coisa. Acho que para se sentirem melhor consigo mesmas. Acho isso uma atitude deplorável, mas, infelizmente, comum em nossa sociedade. Então, qualquer pessoa que decida viver de maneira que fuja dos padrões é discriminada (não se esqueça que até alguns anos atrás poderíamos ser queimados com alegação de sermos bruxos :S )

Adorei o post, acho que vamos ter muitas informações interessantes por ai...

Abraço

Share this post


Link to post
Share on other sites
Graciela,

Já vi pelo menos uma festa dessas na Alemanha onde o pessoal sai bebendo o sangue um do outro, mas é só um ritual...se a pessoa definir só o fato de beber o sangue de outra pessoa como vampirismo, então é isso...mas acho que a coisa é mais ampla e eu não vi esse aspecto “mais amplo” por lá. Mas não é só na Europa. Várias versões do “Fetish Ball” acontecem nos EUA...

Nanda, e como é feito? eles cortam a mão e dão para o outro? ou é sangue doado, como o Rafael falou, tipo servido em taças? Uau deve ter sido uma experiência e tanto...

Mas tenho muita curiosidade pelo assunto e respeito esse modo de vida. Já li muito dizendo que isso é negativo, que é mau, mas se essas pessoas realmente têm um déficit, então têm que suprí-lo de alguma forma, não é? Seria injusto dizer que os caras simplesmente são do mal. Nesse ponto ainda não sei bem o que penser. Existe um déficit mesmo? Donde veio isso? Pq? Karma?

É um assunto que me interessa mesmo. Vou ficar de olho no tópico! :mrgreen:

Abraço!

Está ficando cada vez mais interessante, valeu Nanda...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Entretanto li sobre os vampiros reais e inclusive conversei com eles. Sim, eles existem. São pessoas normais que saciam a sua deficiência energética através da absorção de energia humana (através de sangue ou então da absorção de energia). E o que li, principalmente, foi sobre a discriminação que esses grupos vampíricos têm sofrido e isso acaba por se tornar um problema social.

Tenho pensado e pensado. Principalmente porque isso tem sido um impacto social. Essas pessoas são discriminadas, desvalorizadas, pela cultura que seguem. E fico pensando até onde a sociedade está lidando com maturidade com isso dado que tem resultado essa exclusão social. Se eles ainda fizessem mal a alguém... mas não fazem pelo que me informei. Por mais esquisito que isso seja (bizarro para alguns), isso me fez pensar sobre a liberdade de expressão, a inclusão social e o valor de uma cultura deste género. A ideia seria ajudar essas pessoas e não rejeitá-las, não é? Haveria lugar para elas na sociedade? Serão loucos? Alguns dizem que sim - pessoas que vivem no escuro, meio escondidas.

Então, Rafael

em minha opinião pessoal, são irmãos dependentes de algo que pode prejudicá-los em um desencarne, por exemplo, pois eles citam que o consumo de sangue constante vicia. E não é a toa, pois é uma fonte riquíssima de ferro, sais minerais e proteínas. Energia pura...

Sendo um vício, é um apego, então você tem plena razão em nós projetores nos preocuparmos. Pois são nossos irmãos que vão precisar de amparo real...e quanto à discriminação, isso é um caso a parte, pois faz parte de nossa sociedade, me parece que as pessoas se preocupam em discriminar por qualquer coisa. Acho que para se sentirem melhor consigo mesmas. Acho isso uma atitude deplorável, mas, infelizmente, comum em nossa sociedade. Então, qualquer pessoa que decida viver de maneira que fuja dos padrões é discriminada (não se esqueça que até alguns anos atrás poderíamos ser queimados com alegação de sermos bruxos :S )

Adorei o post, acho que vamos ter muitas informações interessantes por ai...

Abraço

É verdade Graciela,

os vampiros reais são pessoas dependentes de energia. Suprir esta necessidade pelo consumo de sangue parece algo muito macabro e pesado se alguns levarem pelo lado do sangue ser um símbolo de sacrifício muito utilizado em rituais de magia negra. Porém, o sangue é algo utilizado há milhares de anos atrás em rituais pagãos e outros rituais religiosos muito significantes como o símbolo da vida.

A maior questão fora a discriminação que essas pessoas sofrem, é a questão da necessidade. Será realmente possível alguém nascer com uma produção energética não auto-suficiente? Se sim, será errado elas pedirem energia das pessoas e então absorvê-la através de sangue ou de absorção de energia bio-espiritual?

E essa comunidade de vampiros já existe há anos, antes dos vampiros fazerem sucesso. Acredito que nas mais antigas civilizações, já existiam os ditos vampiros pois eles são referenciados em culturas milenares diferentes como um ser que precisa da energia vital dos outros, quer através do sangue ou do suspiro vital. E, por fim, talvez não seja saudável mantermos essas pessoas isoladas em grupos à parte da sociedade. Não vou dizer que eles estão errados e têm que mudar porque não entendo completamente a situação deles, daí o tópico e o estudo.

E nós projetores, que lidamos com o amparo, com os vampiros astrais, devemos pensar sobre os tais vampiros reais que estão encarnados e consomem energia conscientemente. vamos ver até onde este tópico nos levará, se é que levará a alguma conclusão, rs. Espero que sim.

Abraços! ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fala Rafael, tudo bom?

Cara, você diz que não acredita em karma já faz algum tempo, mas se você acredita que existem pessoas em desequilíbrio de energia e precisam equilibrar, então você acredita indiretamente em karma. Talvez você tivesse uma visão de karma sobre "certo e errado", "bom e ruim", etc... isso acaba sendo uma generalização. Karma é o equilíbrio, se "pesou" de um lado da balança, tem que adicionar no outro para equilibrar. Isso não quer dizer se é algo bom ou ruim. Fiz apenas uma pequena analogia, a lei do equilíbrio energético não é exatamente o mesmo "equilíbrio" do karma, mas são leis relacionadas.

Pessoas que nascem com deficiência energética? Honestamente, se existem, a única explicação seria karmica. Precisam de energia? Pranayama!!! Não tem porquê querer a energia de outras pessoas. A energia "elemental", como você se referiu, todos nós utilizamos diariamente. Inclusive energia de outras pessoas e lugares. Mas acredito que exista uma diferenciação quanto a Vampirismo e equilíbrio energético "natural". No "natural", nós não queremos roubar, apenas quem tem mais equilibra com quem tem menos, é a lei, não há o que se fazer. Poderíamos chamar de "vampirismos inconsciente", mas não gosto de utilizar esta palavra pois ela já foi muito deturpada ao longo dos séculos. Agora, se você conscientemente fica sentado na beira de um playground pra roubar a energia de crianças, aí sim denomino como vampirismo (a palavra deturpada). E me desculpe, mas tenho plena convicção de que quem o faz, pagar por isso, pois a energia que você realmente precisava, você "ganha" de presente da lei do equilíbrio. Se quer mais energia, está roubando, ponto. Mas para isso, óbvio, é necessário frequentar lugares com abundância de energia, ficar sob o Sol, etc... Mas pela própria subcultura, essas pessoas fogem destes "locais" como o "diabo da cruz". Portanto, acabam tendo menos energia pelo próprio comportamento "suicida" do ponto de vista energético.

Para mim, são pessoas com sérios desvios psicológicos/espirituais, que acabam acreditando que aquele "sub-grupo" é o único meio possível para sua sobrevivência. Daí acabam se ligando a tal egrégora, e o efeito acaba sendo potencializado (bom ou ruim que seja).

Sofrerão discriminação? Não tenho dúvidas. Enquanto a "ciência ortodoxa" não achar um "vírus" ou "desvio genético" que torne realmente necessária a ingestão de sangue para a sobrevivência, perante a grande maioria isso será visto como uma deturpação moral, uma aberração, até mesmo uma "frescura". Para mim, enquanto fica preso ao âmbito de consumirem apenas o que ganham, não tenho nada contra. O problema, é que à este tipo de subcultura se juntam "aborrecentes" com mais problemas afetivos e psicológicos ainda, que acabam matando para se provarem vampiros reais.

Então, é sim uma subcultura preocupante que precisa ser analisada muito de perto para que os cuidados necessários sejam tomados para o bem de toda a sociedade. Se não damos conta nem de dar comida pra quem tem fome, quem dirá sangue.

Grande e Fraternal Abraço.

Paz e Luz.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Fala Rafael, tudo bom?

Cara, você diz que não acredita em karma já faz algum tempo, mas se você acredita que existem pessoas em desequilíbrio de energia e precisam equilibrar, então você acredita indiretamente em karma. Talvez você tivesse uma visão de karma sobre "certo e errado", "bom e ruim", etc... isso acaba sendo uma generalização. Karma é o equilíbrio, se "pesou" de um lado da balança, tem que adicionar no outro para equilibrar. Isso não quer dizer se é algo bom ou ruim. Fiz apenas uma pequena analogia, a lei do equilíbrio energético não é exatamente o mesmo "equilíbrio" do karma, mas são leis relacionadas.

Pessoas que nascem com deficiência energética? Honestamente, se existem, a única explicação seria karmica. Precisam de energia? Pranayama!!! Não tem porquê querer a energia de outras pessoas. A energia "elemental", como você se referiu, todos nós utilizamos diariamente. Inclusive energia de outras pessoas e lugares. Mas acredito que exista uma diferenciação quanto a Vampirismo e equilíbrio energético "natural". No "natural", nós não queremos roubar, apenas quem tem mais equilibra com quem tem menos, é a lei, não há o que se fazer.

Olá Thiago!

É verdade, já faz algum tempo que deixei de acreditar na lei kármica. E ainda não acredito, por isso não a usaria para definir qualquer característica nata. Acredito que a corrente psicológica e espiritual de cada um se forma ao longo do crescimento e se modifica, vindo do nada, assim como todo o Universo que não deixa de ser um ambiente espiritual profundo que se altera ao longo dos milénios.

Nego o karma principalmente neste sentido e em relação à reencarnação. Não encontro sentido nela. Por outro lado, a aceitaria caso fosse considerada uma renovação de energia espiritual, como uma reciclagem. Isto é, voltamos para a terra, para a Natureza e nos misturamos com várias outras matérias energéticas e físicas para nascer um novo ser único que enriqueça a atmosfera espiritual terrestre. Por isso, essas pessoas se realmente nascem com deficiência energética espiritual, eu diria que nascem com tal tendência e a desenvolvem por circunstâncias que a desencadeiam.

Poderíamos chamar de "vampirismos inconsciente", mas não gosto de utilizar esta palavra pois ela já foi muito deturpada ao longo dos séculos. Agora, se você conscientemente fica sentado na beira de um playground pra roubar a energia de crianças, aí sim denomino como vampirismo (a palavra deturpada). E me desculpe, mas tenho plena convicção de que quem o faz, pagar por isso, pois a energia que você realmente precisava, você "ganha" de presente da lei do equilíbrio. Se quer mais energia, está roubando, ponto. Mas para isso, óbvio, é necessário frequentar lugares com abundância de energia, ficar sob o Sol, etc... Mas pela própria subcultura, essas pessoas fogem destes "locais" como o "diabo da cruz". Portanto, acabam tendo menos energia pelo próprio comportamento "suicida" do ponto de vista energético.

Para mim, são pessoas com sérios desvios psicológicos/espirituais, que acabam acreditando que aquele "sub-grupo" é o único meio possível para sua sobrevivência. Daí acabam se ligando a tal egrégora, e o efeito acaba sendo potencializado (bom ou ruim que seja).

Era exatamente essa a minha dúvida. O balanço energético universal. Ele fornece energia e a faz circular entre os seres vivos e os outros corpos segundo a lei do equilíbrio. Teoricamente, ninguém poderia ter deficiência energética sem a causar ou então ser alvo de ataques energéticos, assédios. Mas algo que não tinha considerado ainda é a ideia de pontos de desequilíbrio serem necessários ao longo do Universo. Se pensarmos, o principal equilíbrio e a principal constante da vida espiritual é o movimento energético. A energia não flui se tivermos uma egrégora de distribuição energética homogénea. A energia passa de um sistema com mais energia para outro com menos. Isso leva ao fluxo energético universal, certo? Por isso, encaro todas perdas de energia algo fundamental, o bem realizado através de consciência que fazem aquilo que consideramos de mal: causar o desequilíbrio.

Não estou defendendo o vampirismo extrafísico, nem o vampirismo real. Estou defendendo a existência de uma razão para a distribuição heterogénea diferencial independente do karma. Os ditos vampiros, as pessoas que são vitimizadas, as pessoas que doam, as pessoas que ajudam, as pessoas que atrapalham e prejudicam focos de energia, estão na verdade contribuindo para o fortalecimento e o fluxo de energia que mantém a vida universal. Daí o certo e o errado serem relativos na medida que sejam eles quais forem, o Universos segue o seu ritmo firme e forte.

Conclusão: o vampirismo prejudica, mas é aproveitado para ser convertido em vida espiritual e fluxo energético, assim como a lei. O bem e o mal se complementam nesse modelo e os ditos vampiros reais não prejudicam ninguém. A visão deturpada é aquela que acho que faz com que a sociedade discrimine essa sub-cultura. O problema é que ela cresce e não diminui. Isso leva a uma maior instabilidade social, mais preconceito, etc. Porém, é difícil aceitar a ideia de pessoas que consomem sangue e absorvem energia doada/excedente, é algo estranho no mínimo. Mas devemos aceitar e respeitar? Talvez essas pessoas tenham problemas mentais, mesmo que em todas oputras áreas elas sejam extremamente normais e comuns. Como podemos ajudar? Saber lidar com vampiros reais é diferente de saber lidar com os vampiros extrafísicos.

Sofrerão discriminação? Não tenho dúvidas. Enquanto a "ciência ortodoxa" não achar um "vírus" ou "desvio genético" que torne realmente necessária a ingestão de sangue para a sobrevivência, perante a grande maioria isso será visto como uma deturpação moral, uma aberração, até mesmo uma "frescura". Para mim, enquanto fica preso ao âmbito de consumirem apenas o que ganham, não tenho nada contra. O problema, é que à este tipo de subcultura se juntam "aborrecentes" com mais problemas afetivos e psicológicos ainda, que acabam matando para se provarem vampiros reais.

Então, é sim uma subcultura preocupante que precisa ser analisada muito de perto para que os cuidados necessários sejam tomados para o bem de toda a sociedade. Se não damos conta nem de dar comida pra quem tem fome, quem dirá sangue.

Grande e Fraternal Abraço.

Paz e Luz.

Concordo inteiramente. Não acredito que a ciência encontre algo que justifique, não enquanto ela não conseguir estudar melhor o espírito humano e o seu campo energético espiritual. Até lá, a integração dos vampiros reais na sociedade e o apoio que temos que dar, seja em clínicas (caso seja problema psicológico), seja em aceitação. É um assunto delicado.

Ainda não soube de nenhuma história de adolescente matando para alegar ser um vampiro, só se for em alguma seita de magia negra. Mas talvez isso explique os mil e um avisos e pedidos desses vampiros reais para que os adolescentes entendam que vampirismo não é agradável, não é algo que se gosta, é algo com que se aprende a viver - palavras deles. E tentam afastar iludidos e admiradores cegos do vampiro mitológico, rs.

Abraços Thiago! ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites

ola pessoal!

o tema vampirismo sempre me chamou muita atençao tb, teve epoca que eu sempre buscava informaçoes sobre isto e a pergunta principal de quem estuda esse assunto é, será que existe mesmo alguma modificaçao no campo energetico do vampiro? um chakra a menos um chakra a mais? algo que nao temos?? e que provoca uma necessidade maior de consumir energia?

acontece que quando estamos doentes e fracos por exemplos e pegamos energia de outra pessoa ou da natureza isso nao é vampirismo nao, pra mim isso é um lei de equilibrio energetico e o vampirismo tá fora dessa lei!!

entao a conlcusao que eu chegeui foi que : ou existe uma egregora muito forte,e tb há uma uniao de espiritos obssesores que manipulam a cabeça das pessoas e elas acham que sao vampiros, e os obssesores usam, incentivam as pessoas a roubarem energia, mas na verdade´essa energia é direcionada para os espiritos, ou seja a historia toda de vampirismo nao passa de enganaçao, e na verdade os ditos vampiros sao pessoa com caso de obssessao fortissimos, e os seus obsessores querem energia para realizar alguma coisa..

ou existe mesmo alguma alteraçao no corpo energetico( há lembando que seria no caso o corpo vital da pessoa, o corpo eterico ou tb chamado de duplo eterico) de um vampiro que torna ele "diferente" e aumenta a necessidade energetica

até o momento eu escolho a primeira hipótese!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá!

Então, é sim uma subcultura preocupante que precisa ser analisada muito de perto para que os cuidados necessários sejam tomados para o bem de toda a sociedade. Se não damos conta nem de dar comida pra quem tem fome, quem dirá sangue.

Só lembrando que quem faz essas patetices de tirar sangue e energia de quem não deve são os vampiros "latentes" ou como os próprios vampiros dizem, aqueles que aina não passaram pelo "despertar". Sem falar nos vampiros emocionais, que vivem nas costas dos outros, criando caso e confusão por aí. De novo, o maior mal de todos ainda é a ignorância :roll:

Concordo com tudo o que o Tiago falou, mas se mesmo assim milhões de pessoas através dos séculos ainda se sentem sacaneadas na distribuição geral de energia e vivem na necessidade de roubar prana alheio, alguma coisa existe. Tá, isso não prova nada sobre vampirismo, mas é um indício.

Cereja, quanto à Egrégora, se até a novela das 8 é uma Egrégora (e como! rs), então imagina agora o poder da “vampírica”, com séculos e mais séculos de existência. No fim, ela acaba dando a "forma" para todas as pessoas que se sentem naquela situação básica de falta/desequilíbrio crônico de energia.

A questão do corpo etérico diferente é uma possibilidade. Mas o que seria essa diferença? ESSA é a pergunta de um milhão de dólares :D Uma pessoa me sugeriu que não há diferença nenhuma, nem necessidade extra entre vampiros/não-vampiros. O que acontece é que a energia das outras pessoas é algo como comida pronta. E que os tais vampiros se sentem atraídos automaticamente pra isso, pq tem uma facilidade espantosa, intuitiva, de trabalhar com ela.

E sobre esse comportamento vampírico como fator de equilíbrio, achei um texto da Michelle Belanger, quem sabe até o Rafael já leu, a moça é relativamente famosa :) Está em inglês.

http://www.kheperu.org/vampirism/metavamp7.html

Por hoje é isso....

Abraço e bom domingo!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Amigos,eu percebi que sou um vampiro de energias elementais. Frequentimente eu me pego olhando pra plantas e absorvendo a energia que sinto fluir nelas.

Isso poderia me prejudicar de alguma forma? Me sinto muuuito ligado a natureza! Achei que esse fosse o motivo pra eu fazer isso... :roll:

Share this post


Link to post
Share on other sites
Amigos,eu percebi que sou um vampiro de energias elementais. Frequentimente eu me pego olhando pra plantas e absorvendo a energia que sinto fluir nelas.

Isso poderia me prejudicar de alguma forma? Me sinto muuuito ligado a natureza! Achei que esse fosse o motivo pra eu fazer isso... :roll:

Olá Luan!

Essa é outra questão interessante e que pode gerar muita discussão. Particularmente, isso causa alguma cionfusão para mim: os vampiros elementais. Há um tipo de vampiro que se alimenta de energias naturais que vêm das plantas. Mesmo assim muitos de nós absorvemos essa energia da Natureza. Isso faria de nós vampiros? Não.

Um vampiro real não é uma pessoa que absorve e trabalha, manipula, com energias. Um vampiro real é uma pessoa que sente uma forte necessidade por energia. Depois, a fonte desta energia, depende de vampiro para vampiro. Por isso, Luan, você não deve ser um vampiro a menos que sinta uma necessidade energética com a qual conviver é insuportável (falo de depressão, quedas de humor, dores psicológicas, tonturas, lentidão, entre outros).

Abraços, meu amigo! ;)

Concordo com tudo o que o Tiago falou, mas se mesmo assim milhões de pessoas através dos séculos ainda se sentem sacaneadas na distribuição geral de energia e vivem na necessidade de roubar prana alheio, alguma coisa existe. Tá, isso não prova nada sobre vampirismo, mas é um indício.

Cereja, quanto à Egrégora, se até a novela das 8 é uma Egrégora (e como! rs), então imagina agora o poder da “vampírica”, com séculos e mais séculos de existência. No fim, ela acaba dando a "forma" para todas as pessoas que se sentem naquela situação básica de falta/desequilíbrio crônico de energia.

A questão do corpo etérico diferente é uma possibilidade. Mas o que seria essa diferença? ESSA é a pergunta de um milhão de dólares :D Uma pessoa me sugeriu que não há diferença nenhuma, nem necessidade extra entre vampiros/não-vampiros. O que acontece é que a energia das outras pessoas é algo como comida pronta. E que os tais vampiros se sentem atraídos automaticamente pra isso, pq tem uma facilidade espantosa, intuitiva, de trabalhar com ela.

E sobre esse comportamento vampírico como fator de equilíbrio, achei um texto da Michelle Belanger, quem sabe até o Rafael já leu, a moça é relativamente famosa :) Está em inglês.

http://www.kheperu.org/vampirism/metavamp7.html

Por hoje é isso....

Abraço e bom domingo!

Olá Amanda!

Concordo com tudo que você disse e agradeço pelo texto da Michelle Belanger, ainda não tinha lido. :)

Quanto à egrégora energética e a lei de equilíbrio energético universal, continuo defendendo a forte e provável teoria de que o desequilíbrio energético é a base de tudo. A energia precisa estar em constante movimento para evitar o congelamento do Cosmo e o fim da vida. A energia é transferida de corpos com mais energia para aqueles com menos energia. Para manter um ritmo de transferência energética, é necessário que existam pontos com menos energia entre outros bem energizados. Nesta perspectiva, o vampirismo parece natural e essencial. Mas será real na prática? Ou a teoria esboça apenas uma possibilidade?

E foi bom você ter tocado no assunto dos vampiros latentes e o código moral e ético dos vampiros reais. Os vampiros reais usam apenas energia doada, quer seja sangue ou não. Ele não rouba energia que os outros precisam ou que não esteja autorizada pela fonte a ser extraída. Por outro lado, vampiros latentes estão sempre roubando energia sem notar pois não passaram pelo awakening (o tal despertar). Então, serão os vampiros reais uma ameaça ou algo a ser reprimido socialmente?

Abraços Amanda! ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá!

Passando pra ressuscitar o tópico! :pal: Me interessou muito o assunto e não queria deixar a discussão morrer...e eu não respondi logo pq fui à pesquisa :mrgreen:

Primeiro, queria responder umas questões que foram colocadas no tópico e acabei passando por cima:

- “doação” de sangue para o vampiro, seria antiética? Não acredito, já que o corpo repõe sangue, não é como doar um rim, ou coisa assim. Em tese, um vampiro pode sobreviver com uma quantidade relativamente pequena de sangue, então é possível logo fazer uma doação para um banco de sangue. E além do mais o processo de sangria/reposição do sangue faz bem pra saúde. Sério!

- vampiros reais são uma ameaça? De novo, creio que não. Assumindo que eles se submetem a uma “auto-regulação” depois que passam pelo awakening, então acho inclusive que seria do maior interesse de TODO MUNDO que eles tomem logo consciência da sua situação e então desempenhem seu papel de equilíbrio energético. O que causa a perseguição e o furdunço todo ao redor do assunto é a mistificação, medo, questões sociais, religiosas, etc...

Bem, voltando pra questão principal, essa é a teoria mais lógica que encontrei até agora, mas obviamente está aberta para críticas, etc:

- O problema principal do vampiro seria um chackra deformado, muito provavelmente o Manipura, ou plexo solar.

- O chackra deformado é impossível de consertar. A causa disso seria a “alma de vampiro” em corpo humano e o desajuste causado por essa encarnação fora do padrão. O que tornaria os vampiros reais uma espécie de Otherkin (nem todo vampiro é “Otherkin”, mas todos os vampiros reais são).

- Humanos que são humanos podem até ter o plexo solar destruído, e assim comportarem-se como vampiros, mas nunca serão vampiros reais.

No fim, descobri o que parece óbvio desde o começo...

Enfim, o comportamento vampírico em geral faz sentido...tem pessoas que são tão energéticas, o oposto deve existir...e existe, lógico, acho que todo mundo já foi assediado por um vampiro pelo menos uma vez TANTO no físico, como no astral, mesmo sem saber.

Agora, vampiros reais... seilá, estou na dúvida...a única evidência mais concreta que tenho, consegui esse fim de semana passado. Consegui observar a aura de um vampiro real (lembrando que é ele que se diz assim): é um tom de violeta vívido, muito bonito mesmo, nos mesmos lugares que "humanos normais" tem azul, e pelo jeito bate com a descrição que dão por aí. Queria ter pedido pra testar os chackras dele, mas fiquei com medo de ofender sendo tão abelhuda :P Ou vai que ele me entende mal :shock:

Bem, era isso! (mais um post comprido... :( )

Abraços!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Olá!

- “doação” de sangue para o vampiro, seria antiética? Não acredito, já que o corpo repõe sangue, não é como doar um rim, ou coisa assim. Em tese, um vampiro pode sobreviver com uma quantidade relativamente pequena de sangue, então é possível logo fazer uma doação para um banco de sangue. E além do mais o processo de sangria/reposição do sangue faz bem pra saúde. Sério!

- vampiros reais são uma ameaça? De novo, creio que não. Assumindo que eles se submetem a uma “auto-regulação” depois que passam pelo awakening, então acho inclusive que seria do maior interesse de TODO MUNDO que eles tomem logo consciência da sua situação e então desempenhem seu papel de equilíbrio energético. O que causa a perseguição e o furdunço todo ao redor do assunto é a mistificação, medo, questões sociais, religiosas, etc...

Bem, voltando pra questão principal, essa é a teoria mais lógica que encontrei até agora, mas obviamente está aberta para críticas, etc:

- O problema principal do vampiro seria um chackra deformado, muito provavelmente o Manipura, ou plexo solar.

- O chackra deformado é impossível de consertar. A causa disso seria a “alma de vampiro” em corpo humano e o desajuste causado por essa encarnação fora do padrão. O que tornaria os vampiros reais uma espécie de Otherkin (nem todo vampiro é “Otherkin”, mas todos os vampiros reais são).

- Humanos que são humanos podem até ter o plexo solar destruído, e assim comportarem-se como vampiros, mas nunca serão vampiros reais.

No fim, descobri o que parece óbvio desde o começo...

Enfim, o comportamento vampírico em geral faz sentido...tem pessoas que são tão energéticas, o oposto deve existir...e existe, lógico, acho que todo mundo já foi assediado por um vampiro pelo menos uma vez TANTO no físico, como no astral, mesmo sem saber.

Abraços!

Nanda

Quanto à doação de sangue, pensando no ponto de vista de necessidade real, acho meio um desperdício de energia vital útil para pessoas que realmente nescessitam dele. A doação de sangue é um bom ato para quem doa e sabemos que a quantidade de doadores nunca é suficiente. Entendo perfeitamente a nescessidade dos vampiros de sangue no consumo constante, o que para mim não passa de um vício e vícios, em geral, não são bons.

Quanto ao chackra solar, você cita que os vampiros energéticos tem este deformado, tipo assim fechado? Zerado mesmo? Será impossível trabalhá-lo?

Agora, voltando aos vampiros elementares, acho que todos nós somos um pouco, né?

Abraço

Share this post


Link to post
Share on other sites
Olá!

Passando pra ressuscitar o tópico! :pal: Me interessou muito o assunto e não queria deixar a discussão morrer...e eu não respondi logo pq fui à pesquisa :mrgreen:

Primeiro, queria responder umas questões que foram colocadas no tópico e acabei passando por cima:

- “doação” de sangue para o vampiro, seria antiética? Não acredito, já que o corpo repõe sangue, não é como doar um rim, ou coisa assim. Em tese, um vampiro pode sobreviver com uma quantidade relativamente pequena de sangue, então é possível logo fazer uma doação para um banco de sangue. E além do mais o processo de sangria/reposição do sangue faz bem pra saúde. Sério!

- vampiros reais são uma ameaça? De novo, creio que não. Assumindo que eles se submetem a uma “auto-regulação” depois que passam pelo awakening, então acho inclusive que seria do maior interesse de TODO MUNDO que eles tomem logo consciência da sua situação e então desempenhem seu papel de equilíbrio energético. O que causa a perseguição e o furdunço todo ao redor do assunto é a mistificação, medo, questões sociais, religiosas, etc...

Bem, voltando pra questão principal, essa é a teoria mais lógica que encontrei até agora, mas obviamente está aberta para críticas, etc:

- O problema principal do vampiro seria um chackra deformado, muito provavelmente o Manipura, ou plexo solar.

- O chackra deformado é impossível de consertar. A causa disso seria a “alma de vampiro” em corpo humano e o desajuste causado por essa encarnação fora do padrão. O que tornaria os vampiros reais uma espécie de Otherkin (nem todo vampiro é “Otherkin”, mas todos os vampiros reais são).

- Humanos que são humanos podem até ter o plexo solar destruído, e assim comportarem-se como vampiros, mas nunca serão vampiros reais.

No fim, descobri o que parece óbvio desde o começo...

Enfim, o comportamento vampírico em geral faz sentido...tem pessoas que são tão energéticas, o oposto deve existir...e existe, lógico, acho que todo mundo já foi assediado por um vampiro pelo menos uma vez TANTO no físico, como no astral, mesmo sem saber.

Agora, vampiros reais... seilá, estou na dúvida...a única evidência mais concreta que tenho, consegui esse fim de semana passado. Consegui observar a aura de um vampiro real (lembrando que é ele que se diz assim): é um tom de violeta vívido, muito bonito mesmo, nos mesmos lugares que "humanos normais" tem azul, e pelo jeito bate com a descrição que dão por aí. Queria ter pedido pra testar os chackras dele, mas fiquei com medo de ofender sendo tão abelhuda :P Ou vai que ele me entende mal :shock:

Bem, era isso! (mais um post comprido... :( )

Abraços!

Olá Nanda!

Ótimo ter revivido o tópico, eu também esperava que ele fosse dar numa discussão mais extensa e construtiva (mas parece que poucos se interesseram, rs).

Quanto à causa do vampirismo, se admitirmos que uma pessoa pode nascer com necessidades energéticas específicas, muito maiores do que o normal, esse seria apenas um passo para que o vampirismo real fosse algo real e não algo adquirido. Assim como você disse, todos nósn somos vampirizados e vampirizamos em algum momento da nossa vida - extremamente normal! Mas isso é algo temporário e adquirido, quer seja por fraqueza momentânea, por assédio ou por outro fator que diminua o fluxo energético natural. A questão é conseguirmos verificar que uma pessoa possa ter uma necessidade energética "anormal" permanente.

Então, um vampiro real deve:

- manifestar uma necessidade energética incomum, muito grande, durante, sobretudo, a adolescência como algo nato, uma característica inevitável do desenvolvimento dele próprio (algo quase como físico);

- apresentar uma necessidade energética permanente, isto é, que persista mesmo depois das energias serem repostas.

Segundo o primeiro requisito, podemos considerar a existência dessa necessidade provada através de uma necessidade energética deste tipo desenvolvida sem nenhuma causa. Ou seja, pesquisar profundamente se há algo a diminuir o fluxo energético, a roubar energia, entre outros.

Já o segundo requisito, esse é ainda mais estranho e discutível. Afinal, sempre estudamos que os chackras e a produção energética podem ser restabelecidos através de uma manutenção pessoal e espiritual. Então, será que alguém poderá ter realmente uma produção energética muito baixa permanente? Assim, acho que o problema não é a produção energética. O maior problema é que esses espíritos necessitam por natureza de mais energia do que o resto, assim a produção natural de energia que todos nós alcançamos não é suficiente para eles. E conforme eles se alimentam energeticamente seguindo um código ético, os seus chackras devem ir se atrofiando e assim a necessidade energética deve aumentar gradualmente. O processo leva a um vampirismo cada vez maior!

Admitindo essa teoria, um vampiro poderia inverter o processo e abandonar a sua necessidade energética natural, digamos assim? Se eles não se alimentarem energeticamente, eles vão "sofrer" com falta de energia mas isso puxará mais energias dos chackras e talvez eleve a produção energética. No entanto, nada garante quanto tempo levará até um vampiro obter uma produção energética que corresponda às suas necessidades. Se ele conseguir isso, o vampirismo se perde e ele deixa de precisar se alimentar energeticamente. Porém, não sabemos se isso seria possível, mas estou convencido de que há uma boa chance de dar certo. A cura de um vampirismo natural é um assunto complicado, complexo! Não soube de nenhum que tenha superado a sua natureza (e muitos tentam, não gostam de ser vampiros reais).

E quanto a questão ética, certamente não há nenhum problema em consumir sangue doado, não é uma ofensa para ninguém, não fere ninguém, não trará nenhuma catástrofe (2012 is coming! brincadeira, rs). O único problema é aquele mencionado pela Graciela: há muita gente cuja vida depende de sangue doado! Salvar vidas é muito mais importante do que sustentar vampiros reais, sem dúvida. A sorte é que os vampiros só necessitam de uma quantidade MUITO reduzida de sangue. E muitos doadores se cortam na hora, um corte pequeno, só para dar algum sangue (pouco, muito pouco). Outros cheguam a tirar um tubo de sangue. Bem, isso ainda é uma quantidade reduzida. Se cada doador doar sangue para aqueles que necessitam antes de doar um pouco para um vampiro real, aí a situação já se torna mais viável, melhor, bem melhor (eticamente falando).

Abraços Nanda!

Agora, voltando aos vampiros elementares, acho que todos nós somos um pouco, né?

Abraço

Olá Graciela!

Sim, essa é outra questão que tive há uns tempos atrás. teoricamente, todos nós absorvemos energias elementares, consciente ou inconscientemente. A diferença entre todos nós e os vampiros reais é que eles precisam de MUITO mais energia para ficarem bem do que nós, então eles consomem energia (mais) por necessidade, por terem um défice energético significativo.

Nós não temos essa necessidade natural de energia excessiva. Logo, não somos vampiros elementares. E aquilo do vício, acho que está certo. A maioria deles adquire um certo vício com o tempo, mas só o adquirem porque começam a se alimentar de energias por necessidade inevitável e nata. Claro, isso é a teoria e aquilo que relatam. Resta a nós refletir sobre essa informação.

Abraços! ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nossa! Tá excelente o tópico! Essa do chakra deformado é novidade pra mim! Mais um assunto entrando nas minhas pesquisas!rsrs

Vlw por ter revivido o tópico Nandinha! Realmente ainda tem muita coisa pra se discutir! ^^

Share this post


Link to post
Share on other sites

Será que todos nós não somos vampiros? Nós muitas vezes absorvemos energia quando desejamos alguma coisa(ex:comida). Estamos constantemente perdendo e ganhando energia interagindo com outras pessoas. É um pouco estranho o uso de sangue pra suprir energia, No entanto achamos estranho algumas comidas exóticas(http://mundoestranho.abril.com.br/alime ... 7615.shtml).

Share this post


Link to post
Share on other sites
Será que todos nós não somos vampiros? Nós muitas vezes absorvemos energia quando desejamos alguma coisa(ex:comida). Estamos constantemente perdendo e ganhando energia interagindo com outras pessoas. É um pouco estranho o uso de sangue pra suprir energia, No entanto achamos estranho algumas comidas exóticas(http://mundoestranho.abril.com.br/alime ... 7615.shtml).

É verdade eiji!

A comparação entre comida exótica e sangue é interessante. No momento acho que o único problema do consumo de sangue doado é o fato de haver muitas vidas a depender de doações de sangue. Mas como disse acima, se cada doador de vampiros reais doar para o banco de sangue e doar ao vampiro apenas uma reduzida parte deste sangue doado, deixa de haver qualquer impedimento, na minha opinião. A não ser o preconceito da maioria das pessoas que provavelmente se manterá por anos.

Ah! Só um detalhe e uma lista para simplificar o resultado da discussão até o momento.

1 - Um vampiro real não se caracteriza por necessitar de energia no nível comum aos seres humanos (comida, energia solar, entre outros);

2 - Um vampiro real não se caracteriza por consumir sangue;

3 - Um vampiro real não se caracteriza por sentir fraqueza energética e atração pela energia exterior;

4 - Um vampiro real é na verdade a união de todos os elementos acima mais uma necessidade natural e espontânea de absorver energias exteriores a si devido a uma deficiência energética nata;

5 - Um vampiro real não morre por exposição solar, nem vira pó!

6 - Um vampiro real não é alérgico a alho;

7 - Um vampiro real não é imortal, nem precisa de uma estaca no coração para morrer;

8 - Um vampiro real não possui poderes sobrenaturais, nem se fere com sinais sagrados ou com cruzes;

9 - Um vampiro real não é compreendido pela sociedade e a discriminação e a exclusão social conduz a formação de grupos vampíricos secretos e solitários;

10 - Um vampiro real é sobretudo humano e não considera uma vantagem ter uma natureza vampírica inevitável;

11 - Um vampiro real, a maioria, tem muita sensibilidade ao sol;

12 - Um vampiro real sente os sentimentos dos outros à sua volta com maior intensidade, pois capta melhor as energias ambientes e humanas; Por outro lado, ele sofre com uma certo silêncio em sua alma misturado com um caos energético, havendo picos de energia muito baixos se ele não se alimentar de alguma fonte exterior de energia;

13 - Um vampiro real não é um assassino, não prejudica a sociedade, mas vive sozinho por ser abandonado pela mesma sociedade, podendo ser prejudicado pelo preconceito;

14 - Um vampiro real não escolhe ser um, ele apenas nasce assim;

15 - Um vampiro real não pode, nem conseguiria, deixar de ter uma necessidade energética insuportável (não é possível curar o vampirismo);

16 - Um vampiro real sente dor psicológica, física e energética se não se alimentar energeticamente (não estou falando de comida);

17 - Os vampiros reais consomem sangue apenas por ele ser um veículo de energia vital e todo o sangue que consomem é comprovadamente seguro e doado;

18 - Um vampiro real não suporta ser identificado com qualquer estereotipo de ficção científica;

19 - Um vampiro real desperta a sua natureza vampírica já existente em si durante a adolescência (na maioria dos casos) num processo chamado Awakening ("Despertar" em Inglês);

20 - Um vampiro real pode ter todas as características comuns, mas só será um verdadeiro vampiro se tiver uma deficiência energética impossível de ignorar;

21 - Muitos vampiros reais vivem durante toda a vida sem ter consciência da sua natureza e sem encontrar outras pessoas iguais, se alimentando inconscientemente. Alguns negam ser até o fim da vida por considerar isso uma loucura, uma invenção ou um motivo para ser uma aberração na sociedade, e assim discriminado;

22 - A causa do vampirismo é incerta no momento, mas pode ser uma deficiência na produção de energia (deformação dos chackras, segundo disse a Nanda :) ) ou por necessitar de mais energia que os não-vampiros reais, sendo a produção energética humana insuficiente.

* Inclui alguns detalhes resultantes de pesquisas e tenho a certeza que essa lista ainda está bastante incompleta, então se sintam à vontade para adicionar novos pontos. A lista está aberta para discussões e refutações.

Abraços! ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Rafael, essa sua idéia de fazer a lista foi ótima, esclareceu bastante o tópico! :)

Luanziito! Que bom sua presença aqui no tópico! Volte sempre! ;)

Eiji, esse seu gif me deixa tonta! :lol: mas é muito engraçado...ele me lembra do papagaio maníaco da minha vó :shock:

Poisé Eiji, entramos nessa teoria da deformação do chackra justamente pq para existirem vampiros reais, que são muito mais vampiros do que nós somos no nosso dia-a-dia, só podemos supor que essas pessoas tem um problema energético sério.

Voltando no post da Graciela e exlicando mais um pouco do que eu vi nessa teoria dos chackras, já li em fóruns gente dizendo que faltava chackra nos vampiros e tals, mas duvido que isso exista, seria inviável. É bem provável que o nosso amigo vampiro real tenha o tal Manipura girando eternamente no sentido contrário ao giro normal, ou distorcido, rasgado, sem a membrana protetora, etc, e que não há terapeuta que cure esse problema.

Os vampiros tbm parecem ter um problema de processamento de energia, por isso que eles precisam dela já pronta (ou quase pronta), no sangue, ou na forma de prana, energia Elemental, etc, dependendo do tipo de necessidade do vampiro.

Eles podem conseguir um tipo de muleta para resolver a questão de circulação de energia no corpo, - e é o que acontece naturalmente no nosso corpo quando temos um chackra fechado - utilizando os dois chackras vizinhos bem abertos, o que claro, vai trazer conseqüências pra personalidade e o comportamento da pessoa...

Pelo que pude saber, quando conseguem se alimentar, os vampiros reais conseguem um nível mínimo e relativamente estável do funcionamento do plexo solar, caso contrário eles sofrem com os sintomas da falta de energia.

E daí voltamos para o caso do sangue. É outro motivo para eu não achar antiético a doação de sangue para vampiros. Se eles precisam da energia, então é como negar sangue para uma pessoa que precisa de sangue por meio de transfusão. Com a diferença que numa transfusão a pessoa precisa de muuuuito mais sangue. Dá pra doar para um vampiro e dar uma esticadinha no banco de sangue mais próximo e fazer a sua doação em questão de minutos . Minha opinião é: se uma coisa impedisse a outra, eu teria que pensar duas vezes no assunto, mas como não impede....mas claro, nesse ponto é opinião pessoal e só mais um argumento, entendo sua posição, viu Graciela?

Lembrando que isso é o que consegui xeretando por aí e perguntando tudo que meus escrúpulos permitiram :D não garanto que tudo o que escrevi é verdade, mas fiz o melhor trabalho possível com as fontes ^^

Bem...agora tudo o que preciso fazer é reler a listnha do Rafael, montar minha armadilha e esperar um vampiro real cair nela pra eu poder fazer alguns experimentos e testar a nossa teoria :evil: ....

Abraço!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eiji rapaz! De onde tu tirou esse bixo??? hsahsauashau :lol:

Falando sério agr! rsrs

Nandinha,essa historia do chakra defeituoso me levou a uma indagação!

Então é assim: vampiro em vida e vampiro no pós-vida tbm?

Quando essa alma se libertaria desse problema energético? :?

Abraços! ^^

Share this post


Link to post
Share on other sites

HAUHauahuahUAHuHUAhuA o avatar o eji é realmente MUITO legal!!!!

gente todo mundo é vampiro!

sinto informar-lhes... HAHA

mas constantemente a gente suga energia dos outros...

querendo ou não a gente acaba sulgando os outros....

agora tem aqueles seres tensos que vivem disso que eu não gosto nem de pensar sobre que me sinto fraca! OXI!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.