Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Dúvida - Como devo agir no Centro Espírita


Recommended Posts

Olá amigos e companheiros de jornada!

Queria a opnião de vocês sobre um assunto pessoal.

Talvez alguém aqui já tenha passado por uma situação semelhante e possa me auxiliar. Até mesmo porque tem muitos amigos espíritas que participam do fórum.

Comecei a frequentar as reuiniões de estudo em um centro espírita para conhecer melhor o ambiente.

Tive contato com pessoas iniciantes, de diversas faixa etária, escolaridade, econômica e cultural.

Lá tocaram levemente no assunto da projeção. O conhecimento espírita é passado de forma muito simples com o objetivo de esclarecer a todos. Geralmente as pessoas recém chegadas são bem ignorantes em conhecimentos espiritualistas.

O professor deixa aberto para perguntas, mas "perecebi" que ele não gosta muito de responder às minhas perguntas, inclusive porque no começo me opus a algumas colocações dele. Então, resolvi ficar apenas como um observador e contribuo no que posso, mas percebi que existe um certo dogmatismo no centro espírita no qual comecei a ir.

Nem tentei tocar no assunto da projeção para não ser mal compreendido, nem atrapalhar no processo de esclarecimento daquelas pessoas que lá estão, colocando o carroça na frente dos bois.

Mas procurei o centro com o objetivo de tentar ajudar de alguma forma e praticar a caridade ao lado de pessoas que já sabem fazer isso, pois nessa área sou muito ignorante. Aliás, sou cheio de boas intenções mas de pouca ação efetiva na caridade e na prática do bem.

Sinto a necessidade de ajudar no plano físico ainda não descobri a melhor forma de fazer isso. Estou procurando um trabalho voluntário, mas queria contribuir com algo mais adequado, ligado também com o auxílio espiritual.

-

Por causa disso procurei o centro espírita, mas não sei como agir lá. Sou novo e pode causar estranheza eu logo me oferecer para ajudar ou me candidatar a alguma atividade da casa.

Qual seria a conduta mais coerente:

Aguardar por mais tempo e deixar o pessoal me conhecer melhor?

Ou deva desde já procurar os organizadores da casa e comunicar-lhes os reais meus propósitos, informar-lhes sobre meus conhecimentos pessoais, e me oferecer para auxiliar no que for possível? O que vocês acham?

Obrigado pela atenção!

:):):)

Link to comment
Share on other sites

Tudo na vida é um processo de escolha e em seguida a experiência. A raça humana tem um problema muito grande de ser imediatista, achar que consegue tudo ao estalar dos dedos (não estou dizendo que esse seja o seu caso). Mas enfim, você acabou de fazer sua escolha ao se colocar a disponibilidade do centro, agora eu aconselharia à você esperar por mais 1 mês para que o desenrolar da experiência possa se dar. Espere que as pessoas te conheçam e faça o que achar que é o certo em suas atitudes. Com o tempo, se esse for o trabalho que você procura e se encaixa, você saberá.

Link to comment
Share on other sites

Olá amigos,

Obrigado pelas respostas.

É muito bom ouvir a opinião de outras pessoas que analisam a situação de fora.

No meu caso demorei sete meses só para decidir entrar no Centro Espírita, até que conhecendo muita gente aqui do fórum que é espírita, lendo e estudando mais a respeito, pesquisando na internet, vendo filmes e observando muita gente que já passou pelo espiritismo, resolvi experimentar por afinidade de ideias.

Ainda não sei se o centro espírita é a minha praia, estou frequentando o grupo de estudos a 2 meses.

Mas sinceramente, não fui lá buscar ajuda ou conhecimento, estou muito bem comigo mesmo.

Só fui lá procurando dar uma utilidade para meus conhecimentos e habilidades desenvolvidas, pois acredito que posso contribuir de alguma forma.

Talvez esteja me precipitando um pouco em querer logo começar a auxiliar.

Não sei qual vai ser a reação do pessoal, acredito que vou ter que demonstrar que tenho capacidade de trabalho.

Contudo, pensando um pouco mais vejo que o melhor é conversar com o pessoal de lá e buscar uma orientação com o pessoal da casa. Assim descubro desde já se permaneço ou não lá.

Quem sabe a minha amparadora já conversou com os mentores da casa apresentando o seu pupilo, mostrando meus antecedentes e currículo cármico e espiritual, hehehehehehehe :D

Isso tá até parecendo uma entrevista de emprego. Por isso que sempre preferi o caminho dos concursos públicos. rsrsrsrsrsrsrs :D

Mas agradeço de coração a colaboração de vocês.

Grande abraço,

:);):)

Link to comment
Share on other sites

Oi amigo boa noite! Eu tenho passado pelos mesmos problemas que voce. Eu estava chegando ao ponto de fechar os olhos por alguns segundos e já sentir que ia me projetar. Com isso foi, fui sentindo uma vontade cada vez mais forte de ajudar. Também comecei a frenquentar o centro espírita. Lá eu conseguia sentir tudo que sensação energética que voce pode imaginar, principalmente na hora do passe. Mas da mesma maneira que voce, senti um pouco de... como posso dizer, talvez pouco caso, com o que eles chamam de médiun de desdobramento (o bom e velho projetor astral). Acabou que eu parei de ir. Um belo dia uma amiga minha me convidou para ir em um centro de umbanda, para conhecer a vovó Catarina ( de projetor a macumbeiro.. que bonito!), e eu fui. Por mais incrível que pareça, lá eu fui muito bem acolhido, me senti super a vontade, e tive a oportunidade de ver coisas que eu jamais pensei em ver. Foi ótimo! Conversei com a vovó Catarina. Foi a primeira vez que tive contado com um espírito encorporado. Achei que fosse ver uma seção de charlatanismo, mas não vi. Vi um espírito maravilhoso, pronto para ajudar. Não me falou nenhuma palavra a mais que o necessário. A intenção de caridade no local era clara e as energias quase davam para cortar com uma faca. Conversei com os filhos de santo e todos respoderam minhas perguntas. Ainda tive a oportunidade de conversar com a mão de santo que incopora a vovó. Ela não soube explicar muita coisa sobre projeção astral, mas me deu a maior atenção. Muito curioso, é que eu fico falando sozinho com a vovó Catarina, sinto o cheiro dela (o cheiro que estava no quarto onde ela estava atendendo.. e olha que é um cheiro que a gente não sente em qualquer lugar) e a presença dela. Tudo que ela disse para eu fazer eu fiz. E nada tem dado errado. Bem, mas nós não estamos em busca de uma religião, mas sim de informações certo? O que eu quero dizer, e que o importante é voce se sentir a vontade no lugar. Se voce quer ajudar, sente essa necessidade, então ache um lugar que voce se sinta totalmente a vontade. Mas lembre de duas coisas: se voce não conseguir se ajudar, muito menos vai conseguir ajudar o próximo, então, comece cuidado de voce, da sua paz interior. A segunda, a caridade começa em casa. Seja bom pai, bom filho, bom marido, bom namorado. Porque também não adianta a gente sair por ai no astral fazendo o bem, e falhar com os nossos dentro de casa.

Link to comment
Share on other sites

Shyrul, muito obrigado pela resposta.

É bom conhecer a tua experiência.

Vou ficar ligado nesse aspecto, me sentir à vontade no lugar, com as energias, com a egrégora.

Nunca pensei em ir a um centro de Umbanda, vc não foi a primeira pessoa a me falar coisas muito boas de lá.

A gente tem essa visão distocida e preconceituosa que é uma coisa de macumbeiro e coisa do gênero.

Vou tentar encontrar um lugarzinho onde possa ser útil. Se não encontrar talvez, no futuro, com mais conhecimento e auxílio, possa criar algum projeto independente.

Um abraço,

:);):)

Link to comment
Share on other sites

Mas é isso mesmo! Eu fui criado sendo Testemunha de Jeová. Imagina só? A vida toda, isso para mim era coisa do diabo. Eu me cagava de medo de ouvir falar nisso! Mas curioso né? Foi lá que eu me senti a vontade, fui muito mais bem tratado que mereço. Todas as perguntas foram respondidas e o melhor, ninguém me chamou de maluco pelo fato de eu fazer projeção astral. Ainda por cima já me chamaram para ajudar. Sei lá. Como eu disse, não estou em busca de religião, mas sim,de usar o que eu posso fazer para ajudar! Lá querem me ajudar a ajudar. Muito estranho que eu já encontrei com a vovó em projeções, e depois de ir lá, minhas projeções mudaram de rumo. Antes eu só ia parar em umbral. Estranhamente, hoje em dia, estou sempre em lugares extremamente iluminados e sempre com uma sensação de segurança ótima.

Link to comment
Share on other sites

Então pessoal,

Conversei com a orientadora do centro, uma pessoa de mais idade e bastante experiente.

Tirei as minhas dúvidas e mencionei minha intenção de ajudar.

Entendi que primeiro devemos passar pelos estudos iniciais, indenpendetemente de nosso comhecimento prévio ou autodidata.

Assim devo, com paciência e humildade, acompanhar as aulas básicas e ir devagarinho avançando.

Posteriormente, caso sinta que seja meu caminho, poderei fazer algum treinamento para participar de alguma atividade da casa.

Além disso, vou estar atento para que na vida diária eu possa auxiliar aonde seja necessário, seguindo a intuição dos mentores.

Agora já tenho uma visão mais clara do que eu estou fazendo lá.

Valeu pela ajuda pessoal.

Abraço,

:);):)

Link to comment
Share on other sites

Olá Morpheus...

Quando eu era estudante do espiritismo também sentia muita vontade de trabalhar na casa, mas não era possível pois precisava terminar o curso primeiro...um dia, conversando com uma pessoa muito experiente q era trabalhadora da casa, ele me sugeriu q eu trabalhasse como voluntária em um hospital psiquiátrico espírita q temos na cidade e foi o q fiz...trabalhei lá durante muito tempo, ouvi muitas histórias e pude aprender na prática muito do q estudava no centro...a experiência me valeu demais, primeiro por poder auxiliar a quem necessita muito de um ouvido q os escute muitas vezes, e também no q diz respeito a prática da mediunidade em si.

Abraço.

Link to comment
Share on other sites

Olá Morpheus...

Quando eu era estudante do espiritismo também sentia muita vontade de trabalhar na casa, mas não era possível pois precisava terminar o curso primeiro...um dia, conversando com uma pessoa muito experiente q era trabalhadora da casa, ele me sugeriu q eu trabalhasse como voluntária em um hospital psiquiátrico espírita q temos na cidade e foi o q fiz...trabalhei lá durante muito tempo, ouvi muitas histórias e pude aprender na prática muito do q estudava no centro...a experiência me valeu demais, primeiro por poder auxiliar a quem necessita muito de um ouvido q os escute muitas vezes, e também no q diz respeito a prática da mediunidade em si.

Abraço.

Olá Luma!

Sua dica é muito valiosa! Obrigado.

Estou vendo uma forma de trabalho de assistência para fazer no segundo semestre, não tinha pensado em algum hospital ou coisa do gênero. Vou ter apenas que me organizar nos horários para conciliar com as atividades da vida diária, mas com boa vontade sempre achamos um tempinho livre.

Grande abraço! Valeu!!

:);):)

Link to comment
Share on other sites

Normal o pessoal as vezes não receber bem um novato perguntador pois já um modo de agir definido e regras tácitas nesses locais.

Se você for no centro espírita procure ver qual é linha deles, se são tradicionais, ramatistas, universalistas... E por favor, conhecendo a linha de pensamento deles não dê o contra ou não tente implantar novidades, assuntos diferentes do normal, para não ter problemas com o pessoal de lá, nem com os espíritos do local.

Está certo que tudo é assistência, mas cada um faz do seu jeito, as palestras podem não ser o supra-sumo do conhecimento, mas o que vale ali é dar uma esperança pra quem precisa, então não é bom complicar na hora de perguntar, até para não constranger o palestrante.

É mais fácil ir tentando em vários lugares até achar algum em que você se sinta em casa.

E te aconselho sempre a mostrar suas reais intenções, dizer o que você está afim de fazer mesmo para que as pessoas saibam o que esperar de você e também para que elas possam lhe dar a real, o que podem te oferecer.

Link to comment
Share on other sites

Normal o pessoal as vezes não receber bem um novato perguntador pois já um modo de agir definido e regras tácitas nesses locais.

Se você for no centro espírita procure ver qual é linha deles, se são tradicionais, ramatistas, universalistas... E por favor, conhecendo a linha de pensamento deles não dê o contra ou não tente implantar novidades, assuntos diferentes do normal, para não ter problemas com o pessoal de lá, nem com os espíritos do local.

Está certo que tudo é assistência, mas cada um faz do seu jeito, as palestras podem não ser o supra-sumo do conhecimento, mas o que vale ali é dar uma esperança pra quem precisa, então não é bom complicar na hora de perguntar, até para não constranger o palestrante.

É mais fácil ir tentando em vários lugares até achar algum em que você se sinta em casa.

E te aconselho sempre a mostrar suas reais intenções, dizer o que você está afim de fazer mesmo para que as pessoas saibam o que esperar de você e também para que elas possam lhe dar a real, o que podem te oferecer.

Olá Felipe,

Já saquei esse lance de não entrar em conflito, pois eles relamente não querem fazer um debate de ideias, mas somente passar o conhecimento codificado de forma a esclarecer e auxiliar quem escuta.

Para quem tem alguma base, como é meu caso, me sinto como um aluno mais velho tendo que estudar matérias já vistas anteriormente. Além disso tenho a noção que existem visões mais avançadas daqueles conhecimentos expostos nos livros de Kardec que datam do século XIX, que eram adequados para aquela época e hoje necessitam de algumas revisões e atualizações no meu ponto de vista. Mas não estou em busca de mero conhecimento teórico, se fosse por isso, teria muito mais proveito em empreender um estudo individual.

Minha intenção é colaborar, não atrapalhar, contribuir no que for possível e aprender como posso auxiliar o próximo, pois nessa matéria estou dando meus primeiros passos.

Abraço, obrigado pela colaboração.

;):)

Link to comment
Share on other sites

Acho que antes de tudo vc tem q procurar o centro espírita que mais lhe agradar. não fica só em um, no mais pertinho da sua casa.

quanto à insegurança com um instrutor dentro do centro espírita; não mude sua atitude ou opinião. Fale o que tem q falar, a pessoa está ali pra aprender também!

tem que tomar cuidado pra ñ dar liga pra "quem tem muito espiritismo na cabeça e pouco no coração". Pois muitos dos atuais espíritas são almas falidas, perdidas no orgulho, mágoa, etc. Então elas usam o espiritismo para alimentar o próprio ego, ganhar destaquee por aí vai...

Nós devemos sempre pensar que quem está em centro espírita(inclusive nós), é porque precisa de trabalho usando mediunidade, trabalhar caridade e humildade. Nunca pensar que quem está lá é um missionário, que é o braço direito de Jesus. São apenas pessoas como nós, tão loucas como nós, mas estão numa fase um pouco diferente.

Médiuns são ditos como Tesouros em vasos de barro.

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...
Lembre-se da frase (Quando o servidor esta pronto o trabalho aparece)...

Mostrando boa vontade e sendo paciênte sei que você vai conseguir o que deseja..

Luz.

Obrigado amigos pelas respostas,

Desde que postei a mensagem inicial muitas coisas já aconteceram comigo, ampliei a visão sobre o assunto e modifiquei meu conceito de caridade

Antes pensava somente na caridade e trabalho material, talvez por uma necessidade egóica de provar para mim mesmo e para os outros que sou capaz de fazer boas obras .

Porém a caridade é muito mais ampla.

Nosso próprio modo de vida e de agir e pensar são formas de praticar a caridade.

Podemos fazer de nosso próprio trabalho um instrumento de boas realizações, atuando com dedicação, zelo e presteza, seja em que posição social ou profissão estejamos colocados.

Somos como peões posicionados no tabuleiro da vida.

Podemos escolher em que lado vamos jogar (branco/preto = luz/trevas).

Escolhido o lado, devemos atuar da melhor forma possível, de acordo com nossas capacidades e qualidades, enfrentando com dignidade todos os problemas que aparecerem.

A vida material tem suas necessidades que são importantes.

Porém somente utilizamos a matéria apenas como degrau necessário para nossa melhora e crescimento.

Dessa forma, a melhor caridade que podemos fazer é auxiliar aos outros a aproveitar a oportunidade da vida, nossa atual encarnação.

Auxiliar os pobres, assistir aos doentes e alimentar famintos são atos muito nobres e também necessários.

Porém e ajudar as almas, amparar os espíritos e alimentar os corações são ações e investimentos que duram por toda a eternidade.

A frase acima Akylles : "Quando o servidor está pronto o serviço aparece", é muito correta.

Li ela no Livro de André Luis.

Já percebi que o trabalho às vezes está na minha frente, me aguardando: dentro de minha casa, no meu trabalho, na rua aqui da frente, no trânsito, na vida de cidadão comum, à noite em quanto estou na minha cama...

Contudo, eu, por minha cegueira apenas não tinha notado.

Um abraço,

:)

Link to comment
Share on other sites

POXA IRMÃO, EU, DEPOIS DE 6 ANOS NA CASA ESPÍRITA, ESTOU SAINDO PORQUE VI QUE NÃO ERA MINHA EGRÉGORA, MAS NUNCA VOU DEIXAR DE PARTICIPAR DAS PALESTRAS, TOMAR PASSES E, CLARO, DE LER OS LIVROS. MAS EU SÓ

CHEGUEI A ESTA CONCLUSÃO FREQUENTANDO O LUGAR, ENTENDE? VC PRECISA SE AMBIENTAR E VER SE É ALI.

AH, ELES TEM SIM DÓGMAS E RITOS, SÓ QUE BEM MENOS QUE OUTRAS RELIGIÕES, E ELES NÃO ACEITAM ISSO DE FORMA ALGUMA, NADA É PERFEITO.

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...