Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Qual o Problema da " Traição " ?


Owl
 Share

Recommended Posts

Qual o problema, na visão de vocês, de ter um caso com outra pessoa sem ser o seu cônjuge ?

Qual o problema da minha esposa ficar com outro homem, e qual o problema de eu ficar com outra mulher?

Casamento é sinônimo de prisão?

Se casou com uma pessoa e agora se você quiser explorar como é a relação com outra você está errando...

Enfim, para vocês...

Qual É o problema de ter um caso com outra pessoa?

Link to comment
Share on other sites

Olá OWL!

Cara, esse assunto é muito difícil de opinar. Olha, eu acredito que tudo depende de como é feito e de como vc e seu par reagiriam diante disso. Bom, de qualquer forma, se for fazer escondido, acredito que não seja legal, pois vc estaria enganando a outra pessoa, ou seja, não seria ético. Tem casais por exemplo, que praticam swing e vivem numa boa, então isso pra eles não seria algo ruim que traria problemas pisicológicos e tal, desde que fosse em comum acordo e que os dois fossem adeptos a idéia, nada forçado. Porém por outro lado, se o ato de ficar com outra pessoa for trazer para seu par qualquer tipo de constrangimento, dor e tal, isso pode gerar karma, e então, vc ficará devendo e terá que pagar de uma forma ou de outra, nessa ou em outra vida.

Foi uma das coisas que eu aprendi com a espiritualidade e lendo muito, foi a lei da ação e da reação. Eu penso 200vezes antes de praticar qualquer ato, pensando se isso não irá afetar negativamente as outras pessoas.

POr exemplo, vamos supor que vc saia com outra pessoa, sua esposa descubra e se suicide por causa disso, ela terá a culpa dela por praticar o ato, mas vc terá uma responsabilidade muito grande no ato de desiquilibrio dela. Então vc estará automaticamente com algo a resgatar (gerou karma). Logico que coloquei um exemplo estremo, mas mesmo que o resultado não seja dessa magnetude, algo de ruim vc atrará para vc.

Então, não é o ato em si o problema, é a repercussão dele. Mas assim, é minha visão, quem sabe os outros tenham outras tantas diferentes...

valeu...

Link to comment
Share on other sites

Primeiro que eu acho que casamento nao é sinonimo de prisao, pois vc se casa por livre e espontanea vontade. O problema é que as pessoas mal se conhecem pois hj em dia a maioria nao troca uma ideia mais profunda, apenas conversas jogadas ao vento, entao eu me atrevo a dizer que pouquissimos casais se conhecem bem.

Depois de casados começam a se entediar com essa vida e procurar outros relacionamentos.

A questão é a seguinte, vc gostaria que sua mulher te traisse?

Qual seria sua reação, sentimento se ela fizesse isso?

Respondido isso vc terá cosnciencia sobre o ato de trair, afinal, nao devemos fazer nada a outrem que nao gostariamos que nos fizessem.

A questao do swing tmb nao seria muito recomendado, pois sabemos que o sexo sem amor, só pelo prazer carnal, não é la uma boa coisa. Porém antes o swing do que a traição em si.

Link to comment
Share on other sites

Qual o problema, na visão de vocês, de ter um caso com outra pessoa sem ser o seu cônjuge ?

Qual o problema da minha esposa ficar com outro homem, e qual o problema de eu ficar com outra mulher?

Casamento é sinônimo de prisão?

Se casou com uma pessoa e agora se você quiser explorar como é a relação com outra você está errando...

Enfim, para vocês...

Qual É o problema de ter um caso com outra pessoa?

Casamento não é sinônimo de traição, você casou-se por livre e espontânea vontade.

Agora, caso uma pessoa queira trair seu cônjuge, é errado de qualquer forma. O que deve haver é uma conversa equilibrada entre o casal, afim de não ser uma traição, mas sim uma experiência diferente.

No entanto, porque muitos não fazem/não recomendam essa experiência diferente: se for realizada, certamente não será para fim de amor, o que não é completamente ruim. Mas porém, como as coisas não funcionam como na teoria, a regra geral é que ocorra muito ciúme, e que sentimentos ruins claramente apareçam, e como a coisa já foi consumada...

...vocês já sabem o resto da história.

Se traição é ruim em todo caso e nunca deve ser feito, tais práticas "extraconjugais", mesmo conversando com o seu parceiro, deve ser visto com muito cuidado.

Ps: Isso tudo acima sem analisar a clássica máxima, que acredito que seja verdadeira: "Aqui se faz, aqui se paga"...

Abç!

Link to comment
Share on other sites

Qual seria sua reação, sentimento se ela fizesse isso?

Respondido isso vc terá cosnciencia sobre o ato de trair, afinal, nao devemos fazer nada a outrem que nao gostariamos que nos fizessem.

A questao do swing tmb nao seria muito recomendado, pois sabemos que o sexo sem amor, só pelo prazer carnal, não é la uma boa coisa. Porém antes o swing do que a traição em si.

Perfeito leonne, simplesmente perfeito!

Agora eu gostaria de saber como fica a parte sublinhada quando o assunto é auto-prazer, ou seja, masturbação. Tal assunto já fora discutido no fórum, agora queria a resposta de uma forma mais direta, sem muitos devaneios...

Link to comment
Share on other sites

com todo respeito, mas que topic inapropriado, até errado. A intenção é perguntar o que o pessoal acha sobre relacionamento aberto, transar com outras pessoas e manter algum tipo de relacionamento com uma esposa/namorada. Trair é para covardes, aqueles que ñ conseguem explicar seus sentimentos e vão se escondendo até... até explodir e trair mesmo.

Se sua parceira aceita isso e vc também quer, façam isso! Talvez valha a experiência. Tenho certeza que ninguém vai "queimar no fogo do inferno" e ir pro "umbral sem escalas"

Agora levando a frase do tópico ao pé da letra: o problema é estar com uma pessoa e mentir, dizer que a ama mas pensa noutra. Esse é o problema! É o que se faz com a parceira/o.

Link to comment
Share on other sites

com todo respeito, mas que topic inapropriado, até errado. A intenção é perguntar o que o pessoal acha sobre relacionamento aberto, transar com outras pessoas e manter algum tipo de relacionamento com uma esposa/namorada. Trair é para covardes, aqueles que ñ conseguem explicar seus sentimentos e vão se escondendo até... até explodir e trair mesmo.

Se sua parceira aceita isso e vc também quer, façam isso! Talvez valha a experiência. Tenho certeza que ninguém vai "queimar no fogo do inferno" e ir pro "umbral sem escalas"

Agora levando a frase do tópico ao pé da letra: o problema é estar com uma pessoa e mentir, dizer que a ama mas pensa noutra. Esse é o problema! É o que se faz com a parceira/o.

Com todo respeito, mas o tópico não é inapropriado, nem muito menos errado. Todos nós temos das mais fúteis e estranhas preocupações (eu sou um exemplo disso rsrs), as quais devem ser respondidas e analisadas com muita paciência, cautela e principalmente atenção. Tais preocupações são proporcionais à nossa evolução espiritual, e sempre agradecemos quando tem uma pessoa que nos auxilia, como é de praxe na conduta dos bons espíritos. É este o objetivo deste fórum.

Como você colocou muito bem, reprimir os sentimentos só leva a explosão... Bem, reprimir as perguntas causa o mesmo efeito, de uma forma consequencial... Aliás, ele não se referiu diretamente a ele, mas sim a uma reflexão dele.

Fora isso, sua resposta foi muito boa - embora rígida - e eu concordo com ela, abraço.

Link to comment
Share on other sites

Não há problema algum se sua parceira aceita isso e você o mesmo.Mas, se você a ama e sev satisfaz com ela qual o motivo de trair?.

Não gosto de nenhum tipo de traição seja ela entre amigos, companheiro etc... é algo nojeto, sem escrúpulo.

Já que quer viver livre por que então que compromisso? termine e viva loucamente a sua vida,mas não machuque e nem magoe ninguém pelo seus desejos.Antes de fazer qualquer coisa, se pergunte gostaria que fizesse comigo?.

Dependendo da sua resposta interior do seu eu.Ai você decide amigo!.

Por que toda ação tem uma reação.

Link to comment
Share on other sites

O adultério é algo terrível porque destrói internamente o laço do matrimônio e um casal deve estar sempre atento a este detalhe, porque a loja negra utiliza disto para fazer uma pessoa fracassar.

Se numa amizade com uma pessoa do sexo oposto a pessoa percebe que uma simpatia aumenta entre ambos, a pessoa deve estar atenta e se perguntar se isto está certo?

O princípio do adultério começa com afinidades porque a outra pessoa complementa alguma carência quer seja na parte intelectual, emocional etc., e se a pessoa não estiver atenta isto evolui para a parte sexual e se cristaliza ai o adultério, que é o pecado contra o Espírito Santo.

E me perdoem alguns membros aqui do GVA mas isso aqui já tá virando hipocrisia. Agora em nome de um falso universalismo tudo é permitido?... O adulterio (ou traição) jamais será correto do ponto de vista moral nem religioso (seja qual for a religiao ou filosofia). Isso é coisa de pessoas que nao fazem nada para conter os seus egos. E saibam que existe Carma para tudo. Nao foi errado vc perguntar amigo. Mas o que está errado é alguns vir aqui e falar que tudo vale e nao haverao consequencias. Lei da semeadura: O que se planta depois se colhe.

Abraço fraternal.

Link to comment
Share on other sites

O adultério é algo terrível porque destrói internamente o laço do matrimônio e um casal deve estar sempre atento a este detalhe, porque a loja negra utiliza disto para fazer uma pessoa fracassar.

Se numa amizade com uma pessoa do sexo oposto a pessoa percebe que uma simpatia aumenta entre ambos, a pessoa deve estar atenta e se perguntar se isto está certo?

O princípio do adultério começa com afinidades porque a outra pessoa complementa alguma carência quer seja na parte intelectual, emocional etc., e se a pessoa não estiver atenta isto evolui para a parte sexual e se cristaliza ai o adultério, que é o pecado contra o Espírito Santo.

E me perdoem alguns membros aqui do GVA mas isso aqui já tá virando hipocrisia. Agora em nome de um falso universalismo tudo é permitido?... O adulterio (ou traição) jamais será correto do ponto de vista moral nem religioso (seja qual for a religiao ou filosofia). Isso é coisa de pessoas que nao fazem nada para conter os seus egos. E saibam que existe Carma para tudo. Nao foi errado vc perguntar amigo. Mas o que está errado é alguns vir aqui e falar que tudo vale e nao haverao consequencias. Lei da semeadura: O que se planta depois se colhe.

Abraço fraternal.

Concordo na parte final, ficou muito bem feita com a lei da semeadura, mas que história é essa de falar que promove-se aqui um falso universalismo onde tudo é permitido?

Separemos dois conceitos, que foram abordados neste tópico:

1 - Traição: Não foi defendida por ninguém aqui, e como eu disse, é errada em qualquer forma.

2 - Relacionamento aberto, relações externas consentidas pelo casal: Sinceramente, não acho isso traição no sentido lógico da palavra, no entanto, e é de concordância geral, tal relação não envolve sentimento amoroso, e sim apenas relações de caráter baixo... o que pode gerar péssimas consequências.

Ninguém aqui defendeu a traição, tampouco o chamado relacionamento aberto.

No entanto, e considerando sua resposta fera :lol: , peço sua opinião a respeito do chamado "relacionamento aberto", onde os casais saem com outras pessoas consentidamente, livremente.

Link to comment
Share on other sites

O adultério é algo terrível porque destrói internamente o laço do matrimônio e um casal deve estar sempre atento a este detalhe, porque a loja negra utiliza disto para fazer uma pessoa fracassar.

Se numa amizade com uma pessoa do sexo oposto a pessoa percebe que uma simpatia aumenta entre ambos, a pessoa deve estar atenta e se perguntar se isto está certo?

O princípio do adultério começa com afinidades porque a outra pessoa complementa alguma carência quer seja na parte intelectual, emocional etc., e se a pessoa não estiver atenta isto evolui para a parte sexual e se cristaliza ai o adultério, que é o pecado contra o Espírito Santo.

E me perdoem alguns membros aqui do GVA mas isso aqui já tá virando hipocrisia. Agora em nome de um falso universalismo tudo é permitido?... O adulterio (ou traição) jamais será correto do ponto de vista moral nem religioso (seja qual for a religiao ou filosofia). Isso é coisa de pessoas que nao fazem nada para conter os seus egos. E saibam que existe Carma para tudo. Nao foi errado vc perguntar amigo. Mas o que está errado é alguns vir aqui e falar que tudo vale e nao haverao consequencias. Lei da semeadura: O que se planta depois se colhe.

Abraço fraternal.

Concordo na parte final, ficou muito bem feita com a lei da semeadura, mas que história é essa de falar que promove-se aqui um falso universalismo onde tudo é permitido?

Separemos dois conceitos, que foram abordados neste tópico:

1 - Traição: Não foi defendida por ninguém aqui, e como eu disse, é errada em qualquer forma.

2 - Relacionamento aberto, relações externas consentidas pelo casal: Sinceramente, não acho isso traição no sentido lógico da palavra, no entanto, e é de concordância geral, tal relação não envolve sentimento amoroso, e sim apenas relações de caráter baixo... o que pode gerar péssimas consequências.

Ninguém aqui defendeu a traição, tampouco o chamado relacionamento aberto.

No entanto, e considerando sua resposta fera :lol: , peço sua opinião a respeito do chamado "relacionamento aberto", onde os casais saem com outras pessoas consentidamente, livremente.

Olá Elopes. Novamente recorro à gnose para explicar tal fato e no final colocarei minha opiniao pessoal.:

"o amor começa com uma faísca de simpatia, se desenvolve com o carinho e a convivência e se torna um que ama mais e outro que ama melhor, quando efetivamente podem viver ou expressar aquilo de mais divino e sagrado tem entre um casal" e isso só é possível entre duas pessoas casadas, que se aceitam mutuamente, amam-se, respeitam-se e que estão juntos para cumprir um propósito espiritual. Fora isso, nos parece uma vida de casal comum e corrente.

Para chegar a esses aspectos quase que ideais temos de compreender, superar dentro de nós muitas luxúrias, paixões, desejos, taras, impulsos bestiais, a parte grosseira, brutal, animal que todos nós carregamos, desenvolvidas e alimentadas por nós em vidas anteriores e é contra isso que qualquer um de nós, quando encontra esse caminho, depara-se: enfrentar a si mesmo, suas misérias, todas as suas paixões.

A gnose também recomenda aos solteiros nao trocar de parceiro em menos de um ano pois quando fazemos sexo com uma pessoa nos tornamos casados com esta pessoa em nossos mundos internos.

Agora eu como ser humano normal no caminho da espiritualidade também desaprovo tal fato porque na minha humilde opiniao isso só serve para alimentar os egos. Nao estou dizendo que nao sinto desejos ou atração por outras mulheres. Só estou dizendo que nao devemos ficar alimentando esses desejos que no fundo só nos fazem mal.

Abraço fraterno

Link to comment
Share on other sites

Em foco sobre relacionamento aberto; pode dar certo sim! Porém não se pode generalizar. Cada indivíduo tem relacionamentos diferentes, não podemos categorizar e impor que toda relação sadia provém de um casamento comum, onde tem a pureza do amor, "juntos para sempre".

O amor é facilmente mascarado por ilusões ou paixões. Pelo espiritismo, para melhor entendimento, dizemos que o amor verdadeiro(a essência) é o amor com desapego. Esse amor aceita, compreende o seu parceiro(seja amiga/o ou namorada/o), entende que o outro precisa de liberdade e que em muitas situações é melhor deixar essa pessoa amada sozinha, "livre".

Pensemos nos 7 bilhões de humanos que existem nesse mundinho. Será mesmo que o típico casamento católico é o modelo ideal para todas essas pessoas? será que impor esse modelo ñ tira o livre arbítrio de cada indivíduo?

Certamente, quando duas pessoas que querem um relacionamento aberto, sem comprometimento danoso, sem falso moralismo, sem tirania, pode dar certo sim.

Porém isso é muito raro. Em minhas poucas análises de pessoas que fazem isso, percebi que ao invés das duas partes aceitarem esse tipo de relacionamento, vira uma imposição de um lado só. Que em muitos dos casos o homem vira um dominador e manipula sua parceira, e a coitada faz o que ele quer...

O que eu quero dizer com isso tudo é que ambas as partes devem estar de acordo com com esse relacionamento. Se essa necessidade estiver nata nos dois indivíduos, COM CERTEZA, pode dar certo e o dois ficarem felizes.

Link to comment
Share on other sites

Owl

Allan Kardec, em sua obra, O Livro dos Espíritos, abordou a questão da sexualidade enfatizando o casamento, conforme orientação dos espíritos superiores, como a condição ideal de equilíbrio e sustentação para a sexualidade humana, considerando o seu aspecto físico-espiritual:

"A união livre e fortuita dos sexos pertence ao estado da natureza. O casamento é um dos primeiros atos de progresso nas sociedades humanas, porque estabelece a solidariedade fraterna e se encontra entre todos os povos, embora nas mais diversas condições. A abolição do casamento seria, portanto, o retorno à infância da humanidade e colocaria o homem abaixo mesmo de alguns animais que lhe dão o exemplo das uniões constantes".

Predominância do corpo sobre a alma:

Na questão 694, de O Livro dos Espíritos. Pergunta o codificador:

"Que pensar dos usos que têm por fim deter a reprodução, com vistas à satisfação da sensualidade". Ao que eles respondem:

"Isso prova a predominância do corpo sobre a alma e o quanto o homem está imerso na matéria".

A inversão de valores de nossos dias confunde a muitas pessoas. Mas o espiritismo vem falar da lei divina, que é imutável e para a qual o homem deve aprender a conformar sua conduta, a fim de evitar o sofrimento desnecessário.

Mas, em se tratando de comportamento sexual, qual seria a atitude mais conforme à lei natural: a poligamia ou a monogamia? Para os espíritos "a poligamia é uma lei humana, cuja abolição marca um progresso social. O casamento, segundo as vistas de Deus, deve fundar-se na afeição dos seres que se unem. Na poligamia não há verdadeiramente afeição: não há mais do que sensualidade".

Link to comment
Share on other sites

Quando o temática é traição, existem diversos aspectos que merecem ser contabilizados.

Moral,

Dicotomia,

Intrafisicalidade e

Extrafisicalidade.

No aspecto da moral, temos de considerar o valor fundamental da empatia:

- E se eu estivesse na posição daquela pessoa?

- Como eu reagiria caso essa pessoa agisse dessa forma?

Em outras palavras: Regra de ouro. Contudo, a regra de ouro é falha, pois se você é indiferente perante a situação, significa que na sua percepção de valores morais, traição é algo indiferente, logo, você irá praticar sem o mínimo peso na consciência.

No aspecto da Dicotomia, entramos em duas áreas interessantes, são elas: Comunicação e opção. Na opção, o indivíduo opta intrinsecamente pela monogamia ou poligamia, assim como orientação sexual, é inato, hipoteticamente, podemos atribuir isso à paraprocedência ou nível evolutivo individual. E como comprovação dessa tese, podemos observar no dia-a-dia pessoas que passam suas vidas com apenas 1 relacionamento, outras que tem 2 ou 3 (ainda sim são consideradas monogâmicas) e outras que ao longo da sua vida tiveram mais de 40 parceiros(as). Um engano comum na religião é que a promiscuidade e a "libertinagem" tomaram conta dos jovens, o que é uma falácia de apelo à generalização apressada pois, como disse antes, monogamia e poligamia são atributos intrínsecos à cada personalidade, na prática, é influenciável (porém, não mutável) como também não merece status de vírus ou epidemia.

Na parte de comunicação, é fundamental que os parceiros tenham esse autoconhecimento, ou seja, "sou monogâmico ou poligâmico?", se não sabe responder, analise seu histórico de relacionamentos, frequência e intensidade. Qualquer um (hoje) com mais de 20 consegue fazer esse histórico. Partindo da premissa de que você sabe, é importante que ambos os parceiros tenham conhecimento pois uma das principais causas da traição é essa tendência poligâmica do ser humano (assim como grande parte dos animais). Os conceitos de relacionamento aberto surgiram de estudos baseados nessa tendência.

Já pelo aspecto da intrafisicalidade, vale analisar os dois aspectos supracitados: moral e dicotomia, então é necessário fazer o seu juízo de valor, ou seja, qual é meu padrão? Posso me comprometer num relacionamento monogâmico sem necessariamente sentir vontade de procurar outras pessoas? (veja que a questão do amor é secundária pois 70% das pessoas que traem amam seu companheiro(a) existem várias pesquisas à respeito, basta colocar no google).

Agora na abordagem extrafísica, muita coisa há de ser categorizada, como por exemplo:

- Assédio

- Grupocarma

- Sedução holochacral

- Paraprocedência

- Paragenética

- Identidade extrafísica

Não cabe entrar nessa especificação de cada um, mas podemos fazer um apanhado das principais implicações extrafísicas, como a relação entre as companhias extrafísicas dos parceiros, ou seja, muito além de apenas os 2 envolvidos na relação, existem a conexão entre duas famílias extrafísicas que, quase sempre, estão acompanhando seus parentes ressomados e, muitas vezes, como guias cegos, sentem-se no direito de interceder na relação quando algo não ocorre como o "esperado" (traição).

A autocorrupção é outro aspecto intra e extrafísico muito presente nos atos de traição conscientes, pois demonstra nas energias da pessoa a incapacidade de honrar um compromisso ou até mesmo comunicar sua "imoralidade".

Só que para caracterizarmos, de fato, a imoralidade e corrupção, devemos compreender o que seria traição e suas nuanças. Se considerarmos que traição é todo o desejo sexual que não é direcionado ao parceiro(a), então sim, seria imoralidade. E assim vai, existem diversas formas de abordagem para traição e suas implicações em diversos âmbitos.

Em suma, intrafisicamente e extrafisicamente, temos a questão da moralidade, autocorruptibilidade, companhias extrafísicas e energias. Cabe a cada um interpretar o que é correto ou não para si. Pois, afinal, do que adiantam conceitos, códigos de conduta e ética se o "cara" só segue o que passa na cabeça?

Pessoalmente, com base em avaliações pessoais, posso afirmar que a poligamia não é saudável no ponto de vista extrafísico, tendo consequências sérias à longo prazo como assédios crônicos, grupocarmalidade e falta de estofo energético. Mas isso é algo pessoal que, provavelmente, só será percebido com o passar da evolução consciencial.

obs: desculpem os erros de semântica, não revisei.

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...