• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
Sign in to follow this  
Morpheus

Entidades que pegamos na rua no dia. Trabalho de Desassédio?

Recommended Posts

Olá pessoal,

Gostaria de saber se isto ocorre com vocês também.

Desde que comecei a me disponibilizar para o trabalho de amparo espiritual, percebi que muitas vezes acontecem certas coincidências e fatos sincrônicos no meu dia a dia.

Depois de muito observar e analisar situações, percebi que frequentemente estou indo a lugares com energias bem pesadas e entrando em contato com pessoas muito assediadas e acredito que estou "trazendo" algumas dessas entidades grudadas comigo para o trabalho de amparo e desassédio.

Ocorre que sou um principiante nisso e acabo sentindo a "barra pesar" pro meu lado, pela forte desgaste emocional e energético e a dificuldade de manter o equilíbrio e lucidez durante o período de tratamento dessas entidades.

Estou tateando às cegas e somente sigo as intuições que chegam para lidar com as situações que vem ocorrendo.

Mas estou percebendo que é um trabalho bem penoso, pelo menos está sendo para mim agora que notei o que vinha acontecendo.

Gostaria de saber se isso acontece com vocês?

Será que a gente pega experiência nisso?

Um abraço,

;)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Como você se disponibilizou?

Se você tem consciência que traz essas consciexes consigo, o que faz à respeito?

Se você, alegando ser principiante, não tem estofo energético, por que se disponibilizou? Tendo em vista de que primeiro é necessário ter o domínio energético básico e se despir de qualquer vaidade ou processos de preconceito para que você não seja apenas mais um saco de pancadas de assediador.

Essas são perguntas pertinentes e que você, se quiser, pode refletir à respeito. Não sendo necessária as respostas.

O dia-a-dia de trabalho com energia é completamente diferente de uma técnica completa aqui e outra acolá, a lida diária com pessoas e consciexes faz com que você precise trabalhar com a qualidade das energias e não apenas quantidade para que você não chegue ao final do dia exausto e cheio de assédio, o que acarretará consequência sérias a médio e longo prazo.

Esse trabalho que você se propôs a fazer requer uma condição muito avançada em domínio energético e cosmoética. Siga o raciocínio e entenda melhor isso:

Você já tem uma tarefa diária que é proteger e manter equilibrado seu campo energético, a maioria esmagadora das pessoas não tem essa capacidade pois não treinam, são raríssimas as pessoas que conseguem isso sem um treinamento adequado (instintivamente). Daí chega você, se autodenominando "principiante" e resolve dar conta não só da suas energias (que já é algo complicadíssimo) mas das energias de outras pessoas e das companhias que cercam essas pessoas. Não acha que é inocência demais?

Então você pode falar: "Mas eu tenho de começar por algum lugar" ou até mesmo "se ninguém se dispuser, será pior". Concordo que a iniciativa é válida e positiva, mas não concordo com esse posicionamento de querer fazer algo avançado (martirizador e autoimolador) só porque aqui no fórum isso é pregado e visto como "serviço de utilidade pública" e atributo digno de um "espiritualista" verdadeiro. Não funciona assim, as coisas são graduais. Leva-se tempo, treino e dedicação para que você consiga fazer o que a gente chama de iscagem lúcida e ter um nível de intimidade maior com o amparador técnico. O nível de maturidade consciencial, auto incorruptibilidade e domínio energético são altíssimos para que você ao invés tomar porrada de assediador todos os dias, possa fazer um dessassédio limpo e cosmoético.

Vamos as perguntas:

Gostaria de saber se isso acontece com vocês?

Será que a gente pega experiência nisso?

Sim, ao começar a mexer com energia, naturalmente você vai ficando (gradualmente) mais visível às oportunidades de assistência e desassédio. Com isso, você pode ir ao longo do desenvolvimento parapsíquico atingir gradualmente um domínio sobre a iscagem lúcida. Por isso eu digo que é burrice querer chamar toda a atenção no início.

No começo do meu desenvolvimento, também já fiz algumas burrices (leia-se experimentos), como começar a exteriorizar energia para desassediar todos da fila de um banco, do ônibus e no shopping. Era dito e feito, eu segurava 5 minutos de exteriorização, com a intenção de cosmoéticamente retirar as influências patológicas e não dava outra, começava a me sentir mal e precisava voltar pra casa. Ao chegar em casa só tinha disposição para cair na cama e acordar 9~10 horas depois.

Com o passar do tempo, percebi que essa condição não melhorava pois eu não criava um ambiente propício ao desenvolvimento do parapsiquismo e nem um campo energético suficientemente grande para que eu conseguisse abarcar todas as consciências que eu estava me dispondo a ajudar, eu estava servindo apenas de marionete e fonte de energia fácil pros assediadores e pessoas com deficit de energia (energívoras).

Minha solução, depois de meses experimentando coisas diferentes, foi desenvolver minha capacidade de encapsulamento e desassimilação energética, ou seja, consegui passar a maior parte do dia sem influência externa patológica e quando havia essa intrusão, era rapidamente eliminada. Depois disso, comecei a criar um sinergismo entre essa minha condição de autodesassédio para dessassediar 1 pessoa aleatória no ônibus, no horário de almoço etc, num máximo de 5 por dia. E a medida em que eu não tivesse ressaca energética, poderia ir aumentando esse número. Esse processo todo demorou cerca de 4 ou 5 meses, aumentando gradualmente, sem pressa ou empolgação. Hoje já tenho estofo suficiente para bancar um desassédio de pequenos grupos de 5 ou 6 pessoas talvez 2 ou 3x ao dia, totalizando então de 15 à 18 pessoas ao final do dia. A intenção é chegar em 5~7 anos na faixa de grandes grupos ( 40~60 pessoas). A exemplo de dessassediar todo o ônibus que eu pego para o trabalho, a praça de alimentação que eu almoço, a livraria inteira que eu compro livros todo o departamento que eu trabalho etc.

É uma meta grande mas se eu trabalhar em cima dela hoje, ela será menor amanhã e depois e depois, até chegar no ponto em que ela se torne minha realidade e eu precise buscar metas maiores e maiores.

Morpheus, que metas você traçou para seu parapsiquismo e o que faz, hoje, para realiza-las?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Concordo que a iniciativa é válida e positiva, mas não concordo com esse posicionamento de querer fazer algo avançado (martirizador e autoimolador) só porque aqui no fórum isso é pregado e visto como "serviço de utilidade pública" e atributo digno de um "espiritualista" verdadeiro. Não funciona assim, as coisas são graduais. Leva-se tempo, treino e dedicação para que você consiga fazer o que a gente chama de iscagem lúcida e ter um nível de intimidade maior com o amparador técnico. O nível de maturidade consciencial, auto incorruptibilidade e domínio energético são altíssimos para que você ao invés tomar porrada de assediador todos os dias, possa fazer um desassédio limpo e cosmoético.

Concordo com pseudo-pseudal,acho que temos de estar bem preparados para nos disponibilizarmos para um dessassédio de espíritos mais densos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá amigos,

Muito obrigado pela resposta Pseudo-Pseudal!

Era exatamente o que eu estava precisando saber, a opinião de alguém com experiência que já tenha passado por esse processo.

Salvei a sua mensagem, já li várias vezes e continuo refletindo no que você colocou.

Vou postar outra resposta com mais calma assim que tiver um tempinho, o assunto é muito importante para mim e talvez ajude a mais gente aqui do fórum a refletir sobre isso.

Abraço, até mais,

:);):)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá Pseudo-Pseudal,

Primeiramente, muito obrigado pela ajuda e por ter postado uma resposta tão elucidativa.

Agora já tenho uma visão mais clara sobre meu processo pessoal de desenvolvimento parapsiquico.

Resumidamente, respondendo sua última pergunta:

Morpheus, que metas você traçou para seu parapsiquismo e o que faz, hoje, para realiza-las?

Estou ainda na fase de aprender e organizar as coisas. Ainda não tenho metas claras e pretendo justamente organizar isso nos próximos meses.

Sou um principiante, tudo que aprendi até agora nessa área energética foi de forma intuitiva e instintiva (acho que vem de outras vidas), somente a pouco abri a mente para estudar o fundo teórico disponível a respeito do assunto, primeiro dentro do espiritismo e depois na conscienciologia .

Não me disponibilizei para pegar ninguém na rua ou me tornar uma “isca”, somente me disponibilizo todo o dia para o trabalho de amparo fora do corpo, quando estiver dormindo.

Acontece que ultimamente tenho atraído involuntariamente algumas dessas entidades e percebo quando estou sob a influência dessas companhias extrafísicas, suas intenções, pensamentos e emoções.

A barra pesada que relatei no post inicial foi um assédio muito forte que tive de um grupo de entidades na semana passada. Passei três dias (sábado/domingo/segunda) aguentando a barra e fui obrigado a tomar atitudes mentais e energéticas fortes e me desgastei muito.

Elas estavam preparadas e se revezavam, não tinha trégua. Fui auxiliado por amparadores, pois sozinho acho que não teria condições terminar com aquela situação. Foi um grande alívio e uma paz quando elas foram embora. Acho que foi uma lição que tinha que passar para aprender, pois a ajuda demorou para chegar.

Com relação a essas percepções, já faz muitos anos que recebo, quase que diariamente, a visita de entidades extrafísicas de forma energética. Somente a pouco tempo, estudando mais a respeito, entendi que eram os anjos da guarda ou amparadores, que sempre estavam me cuidando e limpando o ambiente.

Vejo os amparadores sempre como formas de luz energéticas flutuando no meu quarto e raramente os vejo na forma humana (já vi homens, mulheres e crianças).

Descobri a pouquíssimo tempo o que era TENEPES e quando vi isso deu um click na hora.

Puxa tudo isso se encaixa comigo, as visitas que recebo de noite, as entidades que por vezes também vejo no meu quarto, os movimentos e coisas que a minha esposa diz que faço quando estou dormindo (estado de sonambulo), os aparelhos astrais que vi na minha cama e pendurados no teto, etc.

Então acredito que já faz bastante tempo que venho sendo utilizado com instrumento de trabalho de forma inconsciente. Agora apenas estou tomando ciência de como as coisas ocorrem.

Como você disse, não temos força energética para sair ajudando e salvando o mundo.

Tb já fiz besteiras de me expor na rua e voltar acabado para casa, isso não faço mais.

Pelo contrário, minha postura atual é muito mais defensiva, vigilante e atenta.

Pelo seu relato, percebo que tenho muito a aprender e a fazer.

Estou traçando minhas metas, não as tenho definidas.

Se você puder me indicar qual é o melhor caminho, quais livros, cursos você recomenda para esse desenvolvimento?

Acredito que somente exista material sobre isso na conscienciologia, não é?

Se quiser pode me enviar mensagem privada com as indicações.

Desde já agradeço a ajuda.

Pode deixar, depois do aperto que passei , vou ficar muito mais ligado para não fazer besteiras e não atrair coisas que ainda não tenha conhecimento nem capacidade de lidar.

Um passo de cada vez...

Lembre-se de um fato importante, todos aqui no fórum estão no mesmo time evolutivo, alguns ainda nas categorias de base, mas com apoio e orientação, muitos dos atuais participantes (inexperientes/inocentes) poderão, nos próximos anos, despontar para um trabalho real e ativo na espiritualidade, acho que seria a tal da Proex que fala a concienciologia.

Seguimos então, rumo aos nossos compromissos evolutivos traçados no plano espiritual antes de encararmos por aqui.

Grande abraço,

;)

Share this post


Link to post
Share on other sites
Se você puder me indicar qual é o melhor caminho, quais livros, cursos você recomenda para esse desenvolvimento?

O primeiro de tudo é você se entender, conhecer seus detalhes mais íntimos, ou seja, seus defeitos e qualidades, as nuanças que cercam esses detalhes.

Por exemplo: Você constatou, pela auto-reflexão, que você tem traços de timidez, parabéns, agora você deve refinar esse traço, mas como? Simples, procure elencar em quais situações você se demonstra tímido e porque. O motivo disso é simples, ninguém é tímido 100% do tempo ou 0% do tempo. E se você souber qual a porcentagem de timidez que você carrega em diversas situações você vai conseguir elaborar planos de ir aos poucos acabando com isso pois você agora é consciente das situações onde você aponta esse defeito.

Igualmente para isso, você deve fazer para todos seus defeitos (elencados), qualidades e traços que você ainda não possui. Como fazer para criar um traço que você acha importante mas ainda não possui?

Todo esse trabalho de auto-conhecimento leva de 6 meses a 1 ano, se feito com dedicação e com uma vontade verdadeira de ser uma pessoa melhor em todos os aspectos.

Aliado a isso, você deve organizar seu tempo e prioridades, ou seja, faça um mapeamento do seu dia-a-dia por 15 dias (em tempos normais, não anormais). De acordo com isso, você terá possibilidades de ajustar seu tempo para fazer coisas úteis, retirar ações anticosmoéticas, autocorrupções, amizades ociosas, amores platônicos, leitura inútil, jogos belicistas, vícios, etc. Depois desse mapeamento, defina as prioridades de acordo com a seus objetivos atuais, por exemplo, faculdade, estudo, independência financeira etc.

Só depois de se conhecer integralmente, em termos de tempo, prioridades, qualidades e defeitos é que você terá condições de prestar uma assistência cosmoética, universalista e de alto nível pois os amparadores e os assistidos perceberão que você realmente se dedica com todas as suas forças ao processo da assistencia. Além do que, você só terá benefícios em se conhecer. Não sofrerá o impacto das crises de crescimento comumente impostas pelo envelhecimento pois você se antecipará com lucidez, será exemplo para as consciências familiares e que o cercam podendo prestar assistência direto e indiretamente (aliviando o grupocarma), terá um melhor convívio com as diferenças do dia-a-dia no âmbito do trabalho, as coisas paulatinas se tornarão agradáveis, não martirizantes como são para 90% das pessoas (pegar ônibus, ficar em fila etc) e por ai vai.

Também aliado a isso, você pode ir trabalhando com energia com o foco na auto-defesa, sustentabilidade energética e desassedialidade. Isto é, você ser capaz de não dar trabalho aos amparadores e começar a fazer sua parte nesse planeta que as psicopatologias estão em abundância, se tornar o menos doente, é condição primordial para começar a assistir.

Entenda que tudo isso é possível de ser feito junto diariamente com apenas 1 hora diária. Quem não tem tempo para si? O que você poderia eliminar de inutilidade para fazer algo útil e duradouro? 20 ou 30 minutos analisando sua personalidade, 10 ou 20 minutos mapeando seu dia a dia e 20 minutos fazendo EV ou trabalhos energéticos variados.

Agora depois dessa empreitada de 1 ano ou mais, você poderá se concentrar em focar apenas o desenvolvimento parapsiquico, mas entenda que o porque de focar apenas o desenvolvimento é possível pois agora você já se conhece e tem seu tempo otimizado para seus propósitos, coerência é fator essencial. Como você quer "amparar" consciências doentes se você ainda joga jogos belicistas, pratica artes marciais, tem vícios, ou seja, como você quer curar um fumante se você ainda fuma? Como você quer curar um assassino se você ainda joga jogos que fazem apologia a isso? Como você quer ajudar um bandido se você pratica artes marciais justamente para quando um chegar você acabar com ele?

Ta dando pra compreender?

São processos simples na essência, mas de execução árdua, paulatina, requer motivação e empenho de você e de seus familiares, amigos etc, pois você sairá da zona de conforto e direta/indiretamente também tirará todas essas pessoas dessa zona também.

Num prazo de 2~3 anos é possível conquistar todos esses atributos, se conhecer e buscar formas melhores de atuar nessa vida. Basta arregaçar as mangas e suar sangue. É preciso querer evoluir, não seguir a inércia de "esperar o bonde da evolução" como os religiosos e espiritualistas passivos fazem. "Pra que a pressa? Evolução é para todos!" Você está a quantas vidas pensando assim?

Acredito que somente exista material sobre isso na conscienciologia, não é?

Claro que não, é possível ir fazendo catados em diversas literaturas, religiosas, psicológicas, sociológicas, antropológicas etc.

O que eu destaco na conscienciologia é que ela fez uma super compilação das "melhores práticas" para se analisar integralmente a consciência, tanto intrafisicamente, nas manifestações pessoais, quanto extrafisicamente, na multidimensionalidade e nos vários corpos.

Existe uma IC que aborda esses aspectos de análise da personalidade mais profundamente, chama-se "APEX" - Associação Internacional da Programação Existencial, basta googlar que você vai achar muito material sobre, palestras, artigos etc.

Um livro excelente que também ajuda nesse autoconhecimento é o "Conscienciograma", ele, por meio de perguntas, auxilia você nesse processo de auto-conhecimento da sua personalidade.

No mais acho que é isso.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Obrigado novamente Pseudo-Pseudal!

Valeu pelos esclarecimentos!

Não sei porque, mas me parece que você é um antigo participante/colaborador do GVA agora utilizando um novo nome/nick. 8-)

Mas seja como for, valeu pela colaboração.

Abração,

;):);)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Cara, que aula! Muito fera pseudo-pseudal! Muito interessante.

Não se nega que devemos estar preparados para a prática de auxílio, tanto neste plano quanto no outro. Processos básicos como escolher quem "quer ser ajudado" por exemplo são questões que envolvem os dois planos, como o Saulo já elucidou em muitos dos seus argumentos.

Muito bom!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Olá pessoal,

Gostaria de saber se isto ocorre com vocês também.

Desde que comecei a me disponibilizar para o trabalho de amparo espiritual, percebi que muitas vezes acontecem certas coincidências e fatos sincrônicos no meu dia a dia.

Depois de muito observar e analisar situações, percebi que frequentemente estou indo a lugares com energias bem pesadas e entrando em contato com pessoas muito assediadas e acredito que estou "trazendo" algumas dessas entidades grudadas comigo para o trabalho de amparo e desassédio.

Ocorre que sou um principiante nisso e acabo sentindo a "barra pesar" pro meu lado, pela forte desgaste emocional e energético e a dificuldade de manter o equilíbrio e lucidez durante o período de tratamento dessas entidades.

Estou tateando às cegas e somente sigo as intuições que chegam para lidar com as situações que vem ocorrendo.

Mas estou percebendo que é um trabalho bem penoso, pelo menos está sendo para mim agora que notei o que vinha acontecendo.

Gostaria de saber se isso acontece com vocês?

Será que a gente pega experiência nisso?

Um abraço,

;)

Olá Morpheus

você perguntou se alguem já passou, por isso?

Bem para amanhãcer sabado agora dia 01/10 antes de eu ir pegar meu trem como de rotina. Huove algo parecido comigo, como vc relatou vou por em relatos.

Um abraço :H

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tópico muito bom pessoal. Merece um up.

Além disso é fundamental salientar o fato que não necessariamente precisamos estar dispostos a iscar consciex para ajuda-las. Isso acontece o tempo todo com o povo desavisado. É você andar na rua, misturar-se ao povo que pode iscar facilmente um espirito complicado.

O fato é que existem dois modos. A isca inconsciente onde você através de suas frequências baixas e pensamentos não tão positivos acaba atraindo certos espiritos para sua esfera e então de repente não sabe por que essa dor de cabeça que não passa, esse desânimo, angustia, estresse repentino...

Ou então você é lucido e atrai de propósito certas consciex com o intuito de ajuda-las.

---

Me veio uma percepção esses dias, que quando sentirmos que estamos iscados, que tem algo mais ao nosso lado, normalmente não sentido em presença mas sim em estado de espirito: angustia, desânimo, estresse, raiva, melancolia, enfim. Algo que não te pertence e que chegou de repente. Nós temos que agir dez vezes melhor do que costumamos agir.

Normalmente, nessa hora acabamos extrapolando e agindo sobre o domínio dessas angustias, querendo distancia dos outros e ficando "down" por um tempo. Mas pelo contrário, deveríamos dar o melhor de si. Pois assim estaremos dando exemplo direto ao espirito assediador, mostrando pra que estamos ali e como agimos, ele não vai conseguir nada e ainda vai sair com uma aula de como se vive uma vida. Dando o melhor de si além de apenas doar as energias, exemplificando em atitudes e modos, você faz o dobro.

Ninguém está livre de um assédio básico, a não ser que treinemos o dessassedio diário através de muita prática energética e ainda assim, pode se conseguir uns espiritos sabidos que querem se aproveitar de tamanha energia.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Topico Fantastico, muito esclarecedor e elucidativo,

Pseudo-pseudal, poderia explicar melhor a parte do trabalho com energias. Após o auto-conhecimento como se deve começar o estudo da parte energética ..... na sua opnião qual o caminho do iniciante ???? passar alguma técnica, livro/autor, dica....

Se mais alguem puder responder....

Também aliado a isso, você pode ir trabalhando com energia com o foco na auto-defesa, sustentabilidade energética e desassedialidade. Isto é, você ser capaz de não dar trabalho aos amparadores e começar a fazer sua parte nesse planeta que as psicopatologias estão em abundância, se tornar o menos doente, é condição primordial para começar a assistir.

Abraços

Share this post


Link to post
Share on other sites

Gostei muito da boa vontade do pseudo-pseudal!

Não quero desmerecer ninguém aqui, hein gente!

Mas, e “se” não for isso? E “se”, (não estou dizendo que é), estivemos durante todo esse tempo de estudo criando obsessão, para quando em momento desperto entender e rir consigo mesmo: “Isso era obsessão!”. Mas durante dia de rotina esquecermos ?

E, e “se”, depois de continuado os estudos nos deparamos com médiuns “fazendo a sua obsessão” diária, isto porque não conseguiu sua “viagem astral” do jeito que queriam?

Tudo é apenas uma objeção!

Obas.: Parabéns pela iniciativa do debate!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Sign in to follow this