Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Batalhas Perdidas


Fulvio
 Share

Recommended Posts

Não sei nem como começar a escrever.

Tem se tornado uma constate meu desânimo.

O trabalho não esta fácil. Achar motivação em coisas que não motivam muito, geralmente frustram mais, mas o que é um guerreiro sem o aprendizado de algumas batalhas perdidas?

Como disse uma vez Chico Xavier “Não cobre qualidades daqueles que ainda não as têm.”

Antes de ontem, dia 16/10 deitei bem cansado, fim de semana foi o casamento da minha irmã (uma energia super positiva), achei que iria até mudar minha vibração dos últimos dias, mas durou apenas até hoje, 18/10.

No domingo, dia 16 para 17, minha esposa saiu cedo como de costume de casa. Voltei a dormir por mais 2 horas. Minha consciência abriu e senti meu corpo em EV. Levanto da cama e tudo esta calmo em casa. Ao menos o Evangelho semanal tem feito bem para limpar nossa casa, mas minhas energias estão péssimas. Tenho que forçar muito para que meu cordão que anda muito tensionado não me puxe de volta para o corpo.

Mal consigo sair pela janela então decido ficar em casa e dar uma volta mesmo.

Lembro de alguns relatos sobre energias que emanavam das mãos de projetores, lembro de algo que li em um livro também.

Me sento no chão da cozinha e começo a emanar energias, visualizá-las. Para meu espanto, a ponta de meus dedos emanam uma luz verde que se concentra no meio de ambas, formando uma bola do tamanho de uma bola de gude. Me concentro mais e penso em tranquilidade, a cor muda para azul, penso em defesa, ela muda para vermelho, em cura e ela volta para a cor verde.

Quer testar esta nova descoberta, mas caio em ilusões do sono e não tenho certeza de que o que aconteceu foi real.

Consigo sair mais tarde pela janela, volitando e lembro de coisas confusas, uma tentativa de amparo que me parece que falhou e muito – o espirito parece não ter aceitado ou não precisava – confusão.

O dia no trabalho foi como sempre, não quero estas energias me rodando, mas não consigo me defender, me sinto fraco.

Chego em casa e tento não passar isto à minha esposa. Jantamos e deitamos em seguida. Estava exausto e mal trabalho as energias, não consigo senti-las como antes. Logo cedo, após minha esposa sair, sinto o EV forte.

Levanto e algo me chama atenção no banheiro.

Uma mulher, loira tomando banho. Pergunto o que ela faz lá e pego uma toalha para cobrir seu corpo.

Claro que ela estava ali para me assediar, era bem bonita e cai que nem um pato e logo perco a consciência.

Volto ao corpo ainda em EV e me levanto, meus pensamentos são de raiva por ter caído nesta armadilha. Levanto-me e seguro meu cordão de prata, sinto ele sutilmente, bem fino atrás da cabeça. Sou puxado pelo braço, mas não consigo ver quem me puxa pela casa e vejo algumas meninas (3) sentadas na sacada. O que fazem aqui, pergunto rudemente.

Elas me olham assustadas e dizem que não fazem nada, apenas pararam ali.

Volito por cima delas e saio do apartamento. Chove uma garoa grossa que me refresca. Penso que seria bom para limpar minhas energias, mas sinto uma presença estranha atrás de mim. Olho e as três meninas me seguem com outra mulher, cabelos longos e pretos.

Ela diz que me procurou muito, devido a uma bagunça que fiz em um lugar e perco a consciência no mesmo momento.

Acordo quebrado, os pensamentos ruins continuam, penso que se não fosse para ajudar, apenas atrapalhar, melhor não projetar, mas isso é aprendizado afinal de contas não?

Há duas semanas fui a um centro mesa branca e desde então não me sinto legal. O espirito que a médium incorporou fez algo comigo, não sei o que, mas não me sinto bem desde então.

Vou voltar la e ver.

Continuo realizando a reza do Salmo 23 e colocando o copo de água ao meu lado todos os dias para purificar as energias como o Preto Velho incorporado na senhora do centro me pediu...

Paz e luz a todos e desculpem as falhas, tenho muitas, apensar de não querer tê-las, mas, estamos aqui para aprender, não? – afinal de contas, o que é um guerreiro sem o aprendizado de batalhas perdidas?

Link to comment
Share on other sites

Olá amigo,

Ultimamente também tenho passado por algo parecido com você, estou sempre me sentindo bastante fraco e desmotivado, parecendo que já perdi todas minhas chances.Até um dia ou outro consigo me motivar e colocar minha vida de volta nos trilhos, mas basta qualquer coisinha que aconteça para eu desalinhar e sair da rota de novo.

As vezes eu tenho uns impulsos repentinos de força, só que logo penso que já não vale mais a pena, que já falhei demais e que a guerra não pode mais ser ganha.

O que mais me segura é esse pensamento recorrente que lembra de todas minhas falhas e de todo o tempo que desperdicei. Toda vez que lembro disso eu perco a vontade de continuar, fico apenas pensando em que lugar eu estaria se eu nao tivesse falhado.

O que tem me ajudado ultimamente é pensar que se eu voltasse para o passado, eu também voltaria no conhecimento, e nao teria o entendimento que tenho hoje, e portanto, falharia da mesma forma que falhei.

Isso tem me ajudado a ver as falhas como acontecimentos já previstos anteriormente, e que teriam a finalidade de me impulsionar para algum caminho.

É sempre previsível que um amador irá perder a competição se ele for correr a prova dos 100m rasos com os melhores atletas do mundo. O que não é previsível é a nossa reação a essa derrota, como lidaremos com ela, se isso servirá de estimulo para começarmos a treinar, ou servirá para alimentar pensamentos inferiorizantes sobre nós mesmos.

Agora pensando aqui comigo, acho que varias das falhas que cometemos já eram previstas por nós antes de encarnarmos. Talvez nossa prova seja justamente como lidaremos com essas falhas! Talvez escolhemos passar por uma crise, porque sabíamos que esse era o melhor estímulo para evoluirmos o que precisamos evoluir.

Agora pensando aqui... acho que não existem rotas lineares só de subida. Para subir, também precisamos descer as vezes. Acho que para irmos para frente, primeiro precisamos tomar impulso indo para trás.

Quem vai para frente sem tomar impulso para trás pode permanecer na liderança no começo, mas quando aquele que tomava impulso liberar suas energias acumuladas, rapidamente tomará a dianteira recuperando todo o tempo "perdido" enquanto tomava impulso para tras! E depois de passar para primeira, tomara tanta distancia que o segundo colocado o perderá de vista no horizonte longínquo!

É isso!

Sem crises não há crescimento!

Sem conhecer o mal, nao sabemos a grandeza infinita do BEM!

Quem se recupera de grandes crises tem a tendência a voltar mil vezes mais motivado, forte e energizado do que aquele que sempre seguiu um caminho plano e sem obstáculos.

Para destruirmos a muralha de nossas crises, precisamos desenvolver tanta força e tanta sabedoria,que quando ela se quebra, seguimos o caminho 1000 vezes mais rápido daqueles que nunca tiveram tais muralhas para quebrar! Estamos 1000 vezes mais fortes e sábios do que aqueles que nunca precisaram desenvolver tal força e sabedoria!

!!!

Agora percebo a crise como um estímulo exterior para nosso desenvolvimento interior! Sem crise é praticamente impossível (ao menos no estágio que nossa humanidade está) desenvolvermos grande quantidade de força e sabedoria. Não há motivos para isso... Nos desenvolveremos até o ponto que tenhamos atingido um relativo conforto e bem viver, e dai "seguimos levando"...

Quanto Maiores quisermos ser, Maiores as dificuldades que precisamos viver!

Link to comment
Share on other sites

Olá, Fúlvio.

Batalhas perdidas...hummm....tá.

Vamos falar das batalhas ganhas, ok?

(i)Vc tem consciência de que não é só corpo;

(ii) Vc tem consciência do que é assédio;

(iii) Vc tem consciência de que entra no vampirismo astral;

(iv) Vc tem consciência de que precisa melhorar;

(v) Vc tem consciência das suas energias;

(vi) Vc tem consciência de que há coisas nobres para fazer fora e dentro do corpo;

(v) Vc tem consciência de que erramos e acertamos;

(vi) Vc tem consciência de que é uma consciência em expansão;

(vii) Vc tem consciência de que existem boas entidades que dão bom conselhos e procura ouvi-los e de que existem entidades que precisam de ajuda ou mesmo que precisam ser evitadas;

(viii) Vc tem consciência de que perdeu uma batalha, mas não guerra;

(ix) Vc tem consciência...e, por fim,

(x)Você é uma consciência.

Somos perto de 7 bilhões encarnados, já ouviu falar do percentual que consegue ter consciência fora do corpo? Nem queira.

Então, meros conselhos:

Joga essa culpa fora, irmão!

Como diz o Wagner Borges: "quem caminha, olhando para trás, fatalmente, tropeça.

A culpa é o envenenamento psíquico da energia vital que Deus nos manda todo dia.

Culpa desanima;

Culpa frustra;

Culpa interrompe a alegria;

Culpa, culpa, culpa não leva a lugar nenhum!

Tire as palavras com energia ruim do seu dicionário: "falhei", "não consegui", etc.

Coloque novas. Palavras são carregadas de energia. São o mais eficiente mecanismo de criação energética que Deus nos deu. Lembre-se de que "uma mentira repetida se torna uma verdade". Ao expressá-las vc as gruda no éter, elas se conectam a uma extensa rede de energias afins que passam a te alimentar e a ser alimentada por vc.

Sai dessa vibração, amigo. Uma árvore só cresce em direção ao cosmo porque aceita mergulhar suas raízes no frio e escuro chão que a sustenta.

Não existe bem o mal. Não existe culpa ou vitória.

Só existe experiência. Não lamente mais. Ame-se, valorize-se, abrace-se!

Vóce é luz, tomando consciência de seu brilho eterno!

Paz e luz,

__/\__

Carluz

Link to comment
Share on other sites

Olá amigo,

Ultimamente também tenho passado por algo parecido com você, estou sempre me sentindo bastante fraco e desmotivado, parecendo que já perdi todas minhas chances.Até um dia ou outro consigo me motivar e colocar minha vida de volta nos trilhos, mas basta qualquer coisinha que aconteça para eu desalinhar e sair da rota de novo.

As vezes eu tenho uns impulsos repentinos de força, só que logo penso que já não vale mais a pena, que já falhei demais e que a guerra não pode mais ser ganha.

O que mais me segura é esse pensamento recorrente que lembra de todas minhas falhas e de todo o tempo que desperdicei. Toda vez que lembro disso eu perco a vontade de continuar, fico apenas pensando em que lugar eu estaria se eu nao tivesse falhado.

O que tem me ajudado ultimamente é pensar que se eu voltasse para o passado, eu também voltaria no conhecimento, e nao teria o entendimento que tenho hoje, e portanto, falharia da mesma forma que falhei.

Isso tem me ajudado a ver as falhas como acontecimentos já previstos anteriormente, e que teriam a finalidade de me impulsionar para algum caminho.

É sempre previsível que um amador irá perder a competição se ele for correr a prova dos 100m rasos com os melhores atletas do mundo. O que não é previsível é a nossa reação a essa derrota, como lidaremos com ela, se isso servirá de estimulo para começarmos a treinar, ou servirá para alimentar pensamentos inferiorizantes sobre nós mesmos.

Agora pensando aqui comigo, acho que varias das falhas que cometemos já eram previstas por nós antes de encarnarmos. Talvez nossa prova seja justamente como lidaremos com essas falhas! Talvez escolhemos passar por uma crise, porque sabíamos que esse era o melhor estímulo para evoluirmos o que precisamos evoluir.

Agora pensando aqui... acho que não existem rotas lineares só de subida. Para subir, também precisamos descer as vezes. Acho que para irmos para frente, primeiro precisamos tomar impulso indo para trás.

Quem vai para frente sem tomar impulso para trás pode permanecer na liderança no começo, mas quando aquele que tomava impulso liberar suas energias acumuladas, rapidamente tomará a dianteira recuperando todo o tempo "perdido" enquanto tomava impulso para tras! E depois de passar para primeira, tomara tanta distancia que o segundo colocado o perderá de vista no horizonte longínquo!

É isso!

Sem crises não há crescimento!

Sem conhecer o mal, nao sabemos a grandeza infinita do BEM!

Quem se recupera de grandes crises tem a tendência a voltar mil vezes mais motivado, forte e energizado do que aquele que sempre seguiu um caminho plano e sem obstáculos.

Para destruirmos a muralha de nossas crises, precisamos desenvolver tanta força e tanta sabedoria,que quando ela se quebra, seguimos o caminho 1000 vezes mais rápido daqueles que nunca tiveram tais muralhas para quebrar! Estamos 1000 vezes mais fortes e sábios do que aqueles que nunca precisaram desenvolver tal força e sabedoria!

!!!

Agora percebo a crise como um estímulo exterior para nosso desenvolvimento interior! Sem crise é praticamente impossível (ao menos no estágio que nossa humanidade está) desenvolvermos grande quantidade de força e sabedoria. Não há motivos para isso... Nos desenvolveremos até o ponto que tenhamos atingido um relativo conforto e bem viver, e dai "seguimos levando"...

Quanto Maiores quisermos ser, Maiores as dificuldades que precisamos viver!

Cara, perfeito o que disse, não poderia ter dito melhor, e como a conversa de meu amigo Melch que também postou um recado aqui.

Obrigado pelas ótimas palavras de incentivo.

GRande abraço.

Link to comment
Share on other sites

Olá, Fúlvio.

Batalhas perdidas...hummm....tá.

Vamos falar das batalhas ganhas, ok?

(i)Vc tem consciência de que não é só corpo;

(ii) Vc tem consciência do que é assédio;

(iii) Vc tem consciência de que entra no vampirismo astral;

(iv) Vc tem consciência de que precisa melhorar;

(v) Vc tem consciência das suas energias;

(vi) Vc tem consciência de que há coisas nobres para fazer fora e dentro do corpo;

(v) Vc tem consciência de que erramos e acertamos;

(vi) Vc tem consciência de que é uma consciência em expansão;

(vii) Vc tem consciência de que existem boas entidades que dão bom conselhos e procura ouvi-los e de que existem entidades que precisam de ajuda ou mesmo que precisam ser evitadas;

(viii) Vc tem consciência de que perdeu uma batalha, mas não guerra;

(ix) Vc tem consciência...e, por fim,

(x)Você é uma consciência.

Somos perto de 7 bilhões encarnados, já ouviu falar do percentual que consegue ter consciência fora do corpo? Nem queira.

Então, meros conselhos:

Joga essa culpa fora, irmão!

Como diz o Wagner Borges: "quem caminha, olhando para trás, fatalmente, tropeça.

A culpa é o envenenamento psíquico da energia vital que Deus nos manda todo dia.

Culpa desanima;

Culpa frustra;

Culpa interrompe a alegria;

Culpa, culpa, culpa não leva a lugar nenhum!

Tire as palavras com energia ruim do seu dicionário: "falhei", "não consegui", etc.

Coloque novas. Palavras são carregadas de energia. São o mais eficiente mecanismo de criação energética que Deus nos deu. Lembre-se de que "uma mentira repetida se torna uma verdade". Ao expressá-las vc as gruda no éter, elas se conectam a uma extensa rede de energias afins que passam a te alimentar e a ser alimentada por vc.

Sai dessa vibração, amigo. Uma árvore só cresce em direção ao cosmo porque aceita mergulhar suas raízes no frio e escuro chão que a sustenta.

Não existe bem o mal. Não existe culpa ou vitória.

Só existe experiência. Não lamente mais. Ame-se, valorize-se, abrace-se!

Vóce é luz, tomando consciência de seu brilho eterno!

Paz e luz,

__/\__

Carluz

GRande amigo Carluz, certamente és iluminado. Obrigado pelas palavras.

São de grande valia para minha reforma íntima, ajudou-me muito.

Mais uma vez, obrigado.

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...