Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Tópico Oficial para Apresentações


rafaelbr91

Recommended Posts

Boa noite a todos!

Me chamo Júlio. Ebrael S. é pseudônimo literário. Sou catarinense, técnico administrativo na cidade de Biguaçu/SC e escrevo em blogs desde 2009 e posto minhas experiências neles. De raiz católica, devoto de São Miguel Arcanjo e espelhado no pensamento de Tomás de Aquino (quem já o leu entenderá o motivo). Desde 2008, antes de lançar meu primeiro site, estudo Kabbalah, Latim e História do Ocidente. Atualmente, trabalho em uma trilogia gnóstica escrita em Griomiano (conlang, língua artificial desenvolvida para este fim).

Espero poder contribuir positivamente.

Para contato: < ebrael@protonmail.com >.

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

Saalve, me chamo Hideki.
Meu primeiro encontro com viagem astral foi há cerca de um ano, cai de paraquedas em um vídeo do Saulo enquanto pesquisava por meditação guiada, tentei por cerca de 1 mês e meio (mas não me aprofundei, apenas fazia oq o vídeo só Saulo instruía) consegui sentir meu corpo chacoalhar e girar, mas nunca tive uma projeção lúcida, desisti por um tempo e cá estou, renovado e disposto a mergulhar de cabeça nesse assunto que tanto me intriga.

  • Like 2
Link to comment
Share on other sites

Olá, pessoal. Cheguei ao Canal do Saulo e ao fórum através de um amiga. Sou mãe, espiritualizada, aberta ao entendimento de vários saberes, sem dogmas. Sou Psicóloga, apaixonada por Filosofia, pesquiso sobre os sonhos e tenho uma mediunidade de desdobramento não trabalhada. Venho em busca de esclarecimento. Abs!

  • Like 2
Link to comment
Share on other sites

Olá.. sou a Marcia Rodrigues, profissional de TI.. na verdade um T-Rex (no início dei aulas de Windows 3.11 e DOS 6.2). Tive projeções conscientes desde os 5 anos de idade, mas não foram boas experiências. Imagine que minha mãe era crente da Assembléia e eu ouvia ela falar sobre demônios, então.. eu não queria estar associada a isso e não falava sobre o assunto com ninguém. Por volta dos 9 anos de idade desenvolvi uma forma de interromper a experiência de paralisia do sono emitindo um som. Foi instintivo. Então, segui lendo tudo que podia sobre o assunto, fiz cursos de espiritismo da Federação Espírita, nunca tive dúvidas da vida espiritual, mas nunca confiei em centros, estava sempre checando tudo.

Eu sempre soube que devia tomar cuidado com tudo que acontecia durante meu sono, nunca me permiti ter experiências sexuais fora do corpo, é sério.  Quando eu percebia que ia rolar sexo, eu sempre interrompi, e foram pouquíssimas vezes.  Percebi que se vc não está satisfeito no corpo, é mais fácil pra eles te ludibriarem. Sei que estou num sonho lúcido quando percebo que meus pés não estão tocando o chão; sei que estou bem quando estou flutuando e tudo está colorido, é dia ensolarado. Já flutuei sobre o centro de SP, ví espíritos soturnos lá embaixo, eu podia sentir o ódio que exalavam. Desci pra dar uma curiada e depois não consegui mais flutuar, tive que fugir de lá correndo. Foi engraçado, mas aprendi que só ser curiosa não é bom.

Já estive no umbral, lugar de penumbra, chão úmido.. inclusive alguém do umbral, sempre do meu lado sem contato visual direto, contava uma estória sobre a pessoa que encarnaria na família, então eu sabia que chegaria uma criança. Engraçado que anos atrás eu tentava a lucidez durante a saída do corpo, e sabia que uma técnica era olhar para as mãos quando estivesse sonhando. Daí eu estava sonhando que conversava com um grupo de pessoas, lembrava que devia olhar as costas das mãos e dizia: "ah, eu preciso olhar as mãos." Olhei e depois voltei a conversar com o povo. Ainda dou risada disso.  Mas teve vários eventos, vários. A vida me cobrou uma posição ativa, devido eventos recentes bastante desagradáveis. Imagine um espírito encarnado projetado, consciente, entrando na sua casa, eu que pensava que só desencarnado fazia isso. Bem,  agora preciso partir pra ação séria, com técnicas para ter consciência e lucidez.

Encontrar o Saulo Calderon com sua posição sincera, que eu posso entender sem viajar, foi muito bom. Estou grata pela oportunidade de estudar a sério e me projetar com lucidez e propósito. Eu sou nerd, claro que estou seguindo o curso, vou ler cada detalhe, cada manual.. na minha opinião, faz direito ou não faz.  Abraço à todos os navegantes, companheiros nessa jornada de aprendizado.

  • Like 2
Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

Olá pessoal me chamo Lex ,já acompanho o Saulo a um tempo, tenho afinidade pelo tema projeção astral, cheguei aqui através dos vídeos dele enfim, espero aprender mais sobre espiritualidade, energias e evolução como ser humano...

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...
  • 2 weeks later...
  • 3 weeks later...

Olá me chamo Heidi, 38 anos batizada no  católisimos  porém não praticante,  simpatizante do espiritualismo e tudo aquilo que envolva o mistérios da alma humana.  Conheci o canal do Saulo, através da entrevista com a Carol Capel e adorei o modo como ele explica e por fim eis eu aqui, sempre a procura de novos conhecimentos e sim um crescimento espiritual.

Gratidão pela oportunidade 🙏

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

Olá, Boa tarde a todos. Meu nome é Bianca, tenho 29 anos e estou um pouco perdida, tive um parto e pós parto complicado, passei por um processo espiritual e uma internação em um hospital psiquiátrico, estou sem saber por onde começar os estudos. Sou uma pessoa curiosa e estou disposta a aprender.

Gratidão 🙏 

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

Boa Tarde , meu nome é Marcos Roberto Torrano e tenho 49 anos , sou de São Paulo Capital zona norte

Tenho uma trajetoria espiritual totalmente sem precedentes e gostaria de compartilhar o que tenho com todos , já que o Saulo tem uma proximidade grande com o que eu aprendi e na qual vejo coisas bizarras no meu dia a dia 

Tenho muita coisa a contribuir 

 

Abraços e Paz do Eterno a todos : ) 

Link to comment
Share on other sites

Olá bom diaa, meu nome e Ana Paula tenho 24 anos , cheguei aqui por meio de pesquisas que estava fazendo sobre projeção astral. Ultimamente estou me conectando muito com este tema espiritualidade, tenho muitas dúvidas e experiências vividas, que me motiva e inspira compartilhar e entender também com outras pessoas.... Enfim acho que tenho bastante coisa a dizer ainda por aqui.

Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

Ola, meu nome é Hellen eu vim para poder esclarecer melhor sobre as projeção astral que venho tendo há uns 2 anos. Novas técnicas que aprendo nas projeção, amparos, conhecimento e fins.
Sou estudante também da espiritualidade, hoje não tenho nenhuma religião, me considero um espirito livre em busca de conexão com o Divino.

Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

Meu nome é Tatiane, encontrei fórum através do YouTube, estou aqui para começar meus estudos de viagem astral, então em perdoem se eu fizer alguma pergunta fora do contexto pois estou bem no início. 

Agradeço a colaboração, paciência e acolhimento de todos. 

 

Gratidão!!! 🙏🏻 

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

Salve!! Estou Yuri, 26 anos, nascido e criado em Salvador - BA.

Minhas possíveis primeiras experiências espirituais ocorreram na infância, por volta dos 5 aos 10 anos. Eu apresentava quadros onde perdia a noção do ambiente ao meu redor e o controle de minhas ações, minha mãe conta que com muita frequência, de madrugada quando estava dormindo eu me sentava na cama e começava a "falar em línguas", revirando os olhos, também não era raro eu ter crises de falta de ar e febre antes ou depois dessas situações.  Então meus pais foram procurar entender oque estava rolando comigo, me levaram pra fazer vários exames, tenho borradas memorias de fazer eletroencefalograma algumas vezes nessa época, fui a psiquiatra, psicólogos e não encontraram nenhuma alteração que justificasse esses quadros. Até que como ultimo recurso, foram no candomblé pra tentar resolver. Lá, foi dito que era sim um problema espiritual e que eu deveria fazer um ebó para afastar essa energia e bloquear o acesso a mim. Então foi feito e resolveu, as crises que eu tinha de madrugada, e na escola pararam de vez, não via mais os vultos, os pesadelos diminuíram e as imagens e pensamentos bizarros que vinham na minha mente pararam de aparecer. Daí em diante, minha mãe entrou para a religião que me curou, da qual meu pai já fazia parte também, e eu entrei junto até os meus 14 anos, quando eu rompi o menisco do joelho esquerdo jogando capoeira dentro do terreiro num dia que eu havia brigado com minha mãe por não querer ir. Ela continuava a frequentar a casa de asé dela, meu pai a dele, mas eu não ia mais, ficava sozinho em casa mesmo, adorava porquê ficava jogando no computador sem dormir kkkkkkkkk. Continuando, esse foi o inicio da minha fase de ceticismo, o feitiço tinha funcionado tão bem que me dessensibilizou totalmente pro lado espiritual, misturando com o fato que eu adorava estudar sobre a visão cientifica de como as coisas funcionam, que me tornei o ateu que cobrava por provas de deus para atestar sua existência.
Permaneci nessa por muitos anos, ate que durante a pandemia eu já com 21 anos entrei num relacionamento que se tornou conturbadíssimo com uma pessoa que ameaçava destruir a própria vida se nós terminássemos, até o limite do dia do nosso término definitivo, que foi extremamente traumático pra mim e traz sequelas que eu venho trabalhando até hoje.  A partir do fim dessa relação eu entrei no fundo do poço total, não tinha ânimo pra realizar nada, rolava pensamentos suicidas e totalmente autodepreciativos, me colocava em situações de risco de proposito pra terceirizar o ato...

Até que minha amiga de infância voltou a morar na mesma rua que eu, e nos reaproximando ela conseguiu um novo trampo pra mim. Foi a mudança de ar que eu precisava, e trabalhando junto com minha melhor amiga, comecei a tentar sair desse buraco emocional que eu estava. Então encontrei um Gita velho, com a capa soltado e se desfazendo, e fiquei surpreso de sentir tanto arrepio em ler aquelas páginas. A partir daí comecei a praticar hatha yoga e estudar como um verdadeiro fanático, ao ponto d'eu ter perdido 12 Kg em 3 meses, de tanta prática e jejum maluco que eu fazia.
Acontece que as práticas começaram a trazer de volta a sensibilidade mediúnica que eu havia perdido, me arrepiava inteiro, chorava e tia crises de riso durante os asanas. Tenho um zumbido constante e fino em meus ouvidos que não lembro quando começou, parece estar aqui dês de sempre, e como resultado desse desbloqueio que as práticas estavam provocando, hoje esses zumbidos variam muito, quase sempre em situações chave do meu dia a dia, é uma parada muito estranha, mas eu sinto que se comunica comigo de alguma forma. E no meio de todo esse processo de busca pela autocura... entrei no teatro pra superar ansiedade social, tentava praticar asana e pranayama todo dia, comecei a frequentar cerimonias de Ayahuasca, descobri um talento para massoterapia, lendo diversos livros sobre espiritualidade e esoterismo... Certo dia, saindo da aula de teatro, minha mãe pediu que eu a fosse buscar no terreiro dela, estava rolando o aniversário do Exú do babalorisá da casa, cheguei lá e ela já apareceu dizendo que não precisava mais, porque o Exú não tinha liberado ela, isso já eram umas 23:00, ai eu falei, "Então deixo o carro aqui contigo e vou de moto uber pra casa, já que você não sabe que horas vai sair, e de madrugada vai ser difícil achar um uber que entre aqui", ela concordou, chamei a moto, mais de 40 minutos esperando e não apareceu nenhum. Então um amigo meu da epoca que eu frequentava a casa de asé, me viu na frente do portão e ficou surpreso d'eu estar alí, ai ele me convidou a entrar e eu recusei umas 2 vezes, na terceira vez que ele insistiu, meu zumbido no ouvido ficou bem mais alto, aí eu cedi e entrei. Cumprimentei uma galera que eu não via dês dos 14 anos e cheguei onde o Exú estava, conversando com outras pessoas, encostei a mão no ombro dele, ele vira a cabeça, me olha de cima a baixo e fala: "o sinhô ta vivendo uma vida que não é sua, me espere ai que a gente vai ter uma conversa de pé de orelha". Ah pronto, eu tentando melhorar e ainda não tô fazendo o suficiente? foi o pensamento que surgiu na minha cabeça. Esperei até que ele terminasse de conversar cm o povo lá, e então ele veio e me chamou pra uma outra área. O conteúdo geral da conversa eu não sinto que deva compartilhar, mas um ponto especifico sim. Foi dito por ele assim: "se você continuar por esse caminho aí, vivendo uma vida que não é sua, você vai morrer loguinho loguinho". Falou que eu devia cuidar da minha e Orisá e que meu Orí que iria me dizer onde eu deveria ser iniciado. Dito e feito, depois que isso rolou eu comecei a ter sonhos extremamente detalhados, longos e simbolicamente significativos, ao ponto d'eu sonhar com um dos processos secretos que se passa durante a iniciação.
Passando algumas semanas tomei minha decisão de finalmente me iniciar dentro do Asé, os símbolos haviam chegado e eu sentia uma certeza absoluta de que estava certo, ainda sinto. Comuniquei aos meus pais e recebi todo o apoio do mundo deles.

Eis então que, durante a feitura, na qual passamos 3 meses em isolamento, sem eletricidade, dormindo em esteiras de palha, participando das ritualísticas do processo durante todos os dias, comendo apenas alimentos específicos e sem contato nenhum de pessoas ou noticias do mundo exterior. Comecei a ter as primeiras "projeções" enquanto deitado nas esteiras de palha, além dessas que eu rotulei como projeções, há também outras que eu não tenho certeza se são sonhos ou projeção. Já tinha um diário no qual eu anotava minhas experiências com as técnicas de Yoga, acontecimentos importantes, reflexões sobre os ritos cm as medicinas da floresta e registro de treinamento de visualizações. Em um determinado período, no finalzinho do preceito foi permitido que usássemos lápis e papel, e eu logo pedi meu diário e anotei todas as experiências que tive durante esse período.

Espero compartilhar algumas com vocês e descobri porque esse acesso só me foi dado durante o período de preceito, porque depois que saí, mesmo tentando fazer técnicas de EV e outras coisinhas mais, eu não tenho conseguido ter nenhuma experiência semelhante. Há também outros relatos de outras situações que irei compartilhar em breve pra discutir com vocês.

🙏Que tenhamos uma boa troca!



 

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

×
×
  • Create New...