Jump to content
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt

Mediunidade de Intuição.


Recommended Posts

Oi 

Alguém sabe ou já desenvolveu mediunidade de Intuição? 

Saber como  funciona na pratica, se a informação recebida na tela mental é verdadeira .  Se a pessoa escuta uma voz que não é a dele.

Parece até mesmo uma videncia , mas são distintas .

Link to comment
Share on other sites

Faz muito tempo que não posto aqui e hoje estava dando uma lida no fórum, pensei em postar e resolvi responder sua questão. 

É meu ponto de vista, por isso considere que talvez outros usuários venham a discordar de mim.

Meu amigo, mediunidade é um negócio extremamente complicado e a intuição é um negócio extremamente incrível e muitíssimo útil em nossas vidas.

E na verdade intuição não é necessariamente mediunidade. É sua voz interior, sua conexão com o todo, com Deus, com a luz, com o seu "Eu Superior" e eu considero muitíssimo importante aprender a ouvi-la, mas não é fácil kkkk, demora muito tempo até você entender como tudo isso funciona na prática.

Na verdade aprender a sentir a realidade além da dimensão física envolve muitas questões, além de se comunicar com uma consciência desencarnada, você precisará aprender a sentir as energias e a compreendê-las também.

Eu poderia escrever aqui durante horas, mas eu estaria apenas repetindo o que já está escrito em muitos livros, por isso acho que o caminho envolve estudo e prática.

Para aprender a saber o que é verdadeiro, envolve muita compreensão e muita prática e isso você não vai adquirir da noite para o dia, poderá levar anos.

Eu estudo esse assunto desde meus 22 anos, quando comecei a fazer experimentos com TCI e acabei descobrindo que existia mesmo vida após a morte. Desde então venho me dedicando cada vez mais ao tema e nesses últimos dois anos me tornei recluso e tenho me dedicado com muito afinco e cada vez descubro que as coisas são muito mais complexas do que eu imaginava. 

É tudo questão de sintonia entende, para você "ouvir" a luz, você precisará estar sintonizado na luz, além disso tem que ser muitooooo perceptivo e muito esperto, por esse motivo coloquei "ouvir" entre aspas, já que geralmente as informações chegam como um quebra cabeças, envolvendo sentimentos, imagens, sensações e tantos outros sinais.

Então o caminho é esse, estudo e prática. Vai estudando e vai praticando. A projeção astral ajuda muitoooo, pois fornece um meio pelo qual você vai entender como a realidade funciona e assim fica mais fácil de vc distinguir as informações que você recebe. Também indico uma boa dose de autoconhecimento, que ajuda muito também kkk

Grande abraço e boa sorte nos estudos. 

 

 

Link to comment
Share on other sites

Desde muito jovem eu tinha várias intuições que se mostravam verdadeiras. Eram coisas até mesmo do cotidiano. Um sentimento de que algo iria acontecer dessa ou daquela forma e que portanto, seria melhor agir desse ou daquele jeito.

Em um determinado momento, também comecei a sentir um cheiro de flor no meu quarto sempre que alguém de importância em minha vida iria morrer, ou ainda quando alguém ligado a uma pessoa muito importante para mim, morreria. Foi assim com a morte do meu avô, da minha mãe, do meu pai e do meu ainda jovem irmão. Também ocorreu com a morte do irmão de um grande amigo.

Em dado momento que não sei precisar, ouvi uma voz masculina. É como ouvir essa voz dentro de minha cabeça. Ela me avisa de momentos tristes. Chego mesmo a responder, a sentir alguém ao meu lado. Não sei explicar. Essa voz me avisou de um acidente de carro com 3 meses de antecedência. Eu estava dirigindo e ouvindo música (eu canto dentro do carro quando dirijo kkk), quando o ouvi dizer que eu sofreria um acidente. Pensei em uma batida, mas vi logo que era um atropelamento. Na verdade, meu carro foi atropelado por uma moto, cujo motorista avançou um sinal vermelho. Ele sobreviveu, ainda bem.

Essa mesma voz me avisou que meu grande amor seria retirado de minha vida. Também estava no carro e cantando. Desliguei o rádio e pedi que não fosse tão rápido. Expliquei meus motivos, que eu precisava muito dele. Ouvi a mesma voz, com uma pitada de impaciência me dizer: "Tá bom, mas será assim que vc não mais precisar dele." A partir daí, eu sabia que não teria jeito. Por volta de seis meses depois, eu estava limpando minha casa quando ouvi novamente a mesma voz: "Agora vc não precisa mais dele". Fiquei triste demais. Uma semana depois (junho/2019) essa homem que ainda é o grande amor da minha vida sofreu um acidente que pôs fim ao nosso longo relacionamento nessa terra. 

Em dezembro de 2019, eu tinha voltado do trabalho e estava preparando o jantar e mais uma vez ouvi essa mesma voz masculina falar comigo. Ele me pedia para falar pro meu irmão sobre o que eu sabia. Eu era vizinha do meu irmão, precisando apenas atravessar uma área de serviço pra ter acesso a sua casa. Entendi na hora que ele queria que eu falasse sobre o que ocorre quando morremos e não sabemos que morremos e ainda que podemos ficar "perdidos". Que eu falasse especificamente para ele que se isso acontecesse, ele deveria clamar por socorro dos mentores, de Jesus, enfim, orar com fé e pedir ajuda que essa ajuda viria.  Me recusei e falei pra ele que eu não iria de jeito nenhum falar isso com meu irmão. Ele não iria acreditar nunca e ainda iria rir de mim. Então, "vi" de alguma forma que minha cozinha foi ficando cheia de espíritos, não sei como dizer que vi, mas vi. Eles estavam ali e não paravam de chegar. O propósito de todos era me fazer ir até o meu irmão. Então eu literalmente falei em voz alta para essa voz que ouço: OK, eu vou lá.  Saí e fui até a casa do meu irmão e dei um jeito de falar com ele. Enquanto ia eu pensava que aquilo era um absurdo. Meu irmão estava e sempre foi muito saudável. Do que morreria? Eu não aceitava nem pensar em perdê-lo nesta vida. 

Meu irmão tinha apenas 42 anos, 3 filhos e frequentava academia. É meu irmão caçula e éramos vizinhos e muito próximos. Ele viajou e daquela vez eu não fui. Sempre viajávamos juntos, a família dele e a minha. Naquele dia, cheguei em casa e estacionei o carro e ouvi essa mesma voz masculina falar comigo: " E se o Samuel não voltar?"

Repeli aquilo de minha mente. Falei que não aceitava. Chorei, mesmo sem querer. Meu coração ficou pesado e triste. Depois tentei falar pra mim mesma que estava imaginando coisas ruins. Meu irmão não voltou. Ele se afogou em Ubatumirim-SP, em janeiro de 2020 na tentativa de salvar um de seus filhos gêmeos com 9 anos. Ele não conseguiu, mas um rapaz com uma prancha de surf retirou a criança do mar e não pode fazer nada por ele. Essa perda específica me levou por vários caminhos em busca de entender o que sinto (e ouço) e me trouxe até o GVA.  Tenho uma crença espírita, mas não tenho nenhuma religião. Estou tentando sair do corpo, mas ainda não consegui. 

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

15 minutos atrás, Glêis Régia disse:

Desde muito jovem eu tinha várias intuições que se mostravam verdadeiras. Eram coisas até mesmo do cotidiano. Um sentimento de que algo iria acontecer dessa ou daquela forma e que portanto, seria melhor agir desse ou daquele jeito.

Em um determinado momento, também comecei a sentir um cheiro de flor no meu quarto sempre que alguém de importância em minha vida iria morrer, ou ainda quando alguém ligado a uma pessoa muito importante para mim, morreria. Foi assim com a morte do meu avô, da minha mãe, do meu pai e do meu ainda jovem irmão. Também ocorreu com a morte do irmão de um grande amigo.

Em dado momento que não sei precisar, ouvi uma voz masculina. É como ouvir essa voz dentro de minha cabeça. Ela me avisa de momentos tristes. Chego mesmo a responder, a sentir alguém ao meu lado. Não sei explicar. Essa voz me avisou de um acidente de carro com 3 meses de antecedência. Eu estava dirigindo e ouvindo música (eu canto dentro do carro quando dirijo kkk), quando o ouvi dizer que eu sofreria um acidente. Pensei em uma batida, mas vi logo que era um atropelamento. Na verdade, meu carro foi atropelado por uma moto, cujo motorista avançou um sinal vermelho. Ele sobreviveu, ainda bem.

Essa mesma voz me avisou que meu grande amor seria retirado de minha vida. Também estava no carro e cantando. Desliguei o rádio e pedi que não fosse tão rápido. Expliquei meus motivos, que eu precisava muito dele. Ouvi a mesma voz, com uma pitada de impaciência me dizer: "Tá bom, mas será assim que vc não mais precisar dele." A partir daí, eu sabia que não teria jeito. Por volta de seis meses depois, eu estava limpando minha casa quando ouvi novamente a mesma voz: "Agora vc não precisa mais dele". Fiquei triste demais. Uma semana depois (junho/2019) essa homem que ainda é o grande amor da minha vida sofreu um acidente que pôs fim ao nosso longo relacionamento nessa terra. 

Em dezembro de 2019, eu tinha voltado do trabalho e estava preparando o jantar e mais uma vez ouvi essa mesma voz masculina falar comigo. Ele me pedia para falar pro meu irmão sobre o que eu sabia. Eu era vizinha do meu irmão, precisando apenas atravessar uma área de serviço pra ter acesso a sua casa. Entendi na hora que ele queria que eu falasse sobre o que ocorre quando morremos e não sabemos que morremos e ainda que podemos ficar "perdidos". Que eu falasse especificamente para ele que se isso acontecesse, ele deveria clamar por socorro dos mentores, de Jesus, enfim, orar com fé e pedir ajuda que essa ajuda viria.  Me recusei e falei pra ele que eu não iria de jeito nenhum falar isso com meu irmão. Ele não iria acreditar nunca e ainda iria rir de mim. Então, "vi" de alguma forma que minha cozinha foi ficando cheia de espíritos, não sei como dizer que vi, mas vi. Eles estavam ali e não paravam de chegar. O propósito de todos era me fazer ir até o meu irmão. Então eu literalmente falei em voz alta para essa voz que ouço: OK, eu vou lá.  Saí e fui até a casa do meu irmão e dei um jeito de falar com ele. Enquanto ia eu pensava que aquilo era um absurdo. Meu irmão estava e sempre foi muito saudável. Do que morreria? Eu não aceitava nem pensar em perdê-lo nesta vida. 

Meu irmão tinha apenas 42 anos, 3 filhos e frequentava academia. É meu irmão caçula e éramos vizinhos e muito próximos. Ele viajou e daquela vez eu não fui. Sempre viajávamos juntos, a família dele e a minha. Naquele dia, cheguei em casa e estacionei o carro e ouvi essa mesma voz masculina falar comigo: " E se o Samuel não voltar?"

Repeli aquilo de minha mente. Falei que não aceitava. Chorei, mesmo sem querer. Meu coração ficou pesado e triste. Depois tentei falar pra mim mesma que estava imaginando coisas ruins. Meu irmão não voltou. Ele se afogou em Ubatumirim-SP, em janeiro de 2020 na tentativa de salvar um de seus filhos gêmeos com 9 anos. Ele não conseguiu, mas um rapaz com uma prancha de surf retirou a criança do mar e não pode fazer nada por ele. Essa perda específica me levou por vários caminhos em busca de entender o que sinto (e ouço) e me trouxe até o GVA.  Tenho uma crença espírita, mas não tenho nenhuma religião. Estou tentando sair do corpo, mas ainda não consegui. 

Caramba, que relato hein. Vou até ler mais tarde com calma, pois só reforça a importância de aprender a ouvir o próprio coração, a voz interior e/ou a intuição.

 

Eu estou ouvindo um audiobook maravilhoso que fala justamente sobre essa questão. Neste livro em específico se trata de falar com Deus, mas pode ser também considerado um espírito amigo, um mentor, um guia, anjo da guarda e etc.

 

Link to comment
Share on other sites

2 horas atrás, Glêis Régia disse:

Desde muito jovem eu tinha várias intuições que se mostravam verdadeiras. Eram coisas até mesmo do cotidiano. Um sentimento de que algo iria acontecer dessa ou daquela forma e que portanto, seria melhor agir desse ou daquele jeito.

Estive lendo seu relato agora com mais calma e caramba, fiquei abismado.

Você passou por muitos momentos de dificuldades e perdeu pessoas que amava. Eu nunca tinha perdido ninguém na vida, mas minha avó paterna, que sempre cuidou de mim como uma mãe, desencarnou esse ano. Foi um desencarne totalmente natural, ela partiu em casa, rodeada de entes queridos e na noite anterior estive com ela fora do corpo e tivemos uma conversa, mas não me recordo de quase nada, só sei que disse e ouvi coisas muito bonitas e no outro dia ela partiu. :(

É triste demais mesmo perder alguém que amamos e eu não faço ideia do que faria da minha vida se perdesse minha esposa. Até mesmo durante a pandemia do Covid eu não perdi ninguém, enquanto tantas pessoas perderam entes queridos e me sinto mesmo muito sortudo e privilegiado por ninguém da minha família ter desencarnado.

Algumas pessoas já tem uma predisposição maior de serem intuídos, eu mesmo já tive inúmeros momentos em minha vida em que minha intuição falou alto, eu ouvi e fui livrado de muitas coisas. Momentos em que algo de ruim poderia ter acontecido comigo, mas que eu pude evitar. Para mim é Deus/a inteligência universal e também espíritos amigos se comunicando comigo, mas precisamos muito ter discernimento para não cair em paranoias e termos nossas vidas limitadas, pois uma consciência mal intencionada pode se aproveitar disso e usar contra nós.

Acho que você está certíssima em buscar compreender melhor o que é essa voz que lhe avisa de acontecimentos tristes. Não desista, busque meios de compreender melhor o que é essa voz.

Edit. Se puder, ouça pelo menos essa parte desse audibook que postei acima, tem apenas 21:58, quem sabe possa lhe ajudar a esclarecer algumas coisas. :)

Link to comment
Share on other sites

  • 8 months later...
Em 24/05/2022 at 18:29, Ashram disse:

Oi 

Alguém sabe ou já desenvolveu mediunidade de Intuição? 

Saber como  funciona na pratica, se a informação recebida na tela mental é verdadeira .  Se a pessoa escuta uma voz que não é a dele.

Parece até mesmo uma videncia , mas são distintas .

Cara, eu sempre fico me perguntando o que realmente é intuição, se é algo nosso ou se é um sopro de informação dado por outra consciência.

Em momentos extremos, quando perdemos alguma coisa aqui em casa, eu faço uma oração e acabo encontrando 90% das vezes.

Minha vó fazia isso, minha mãe também, e eu também faço o mesmo.

Hoje aconteceu novamente...

Sumiu um documento importante.

Minha esposa tinha guardado e não encontrava mais.

Não sabíamos onde procurar.

Eu já estava estressado mas fui para o quarto, fiz minha oração, e sentei na sala.

De repente tive a intuição de procurar em um certo lugar e bingo, estava lá.

Eu costumo tentar ficar sempre aberto a intuição.

Não sei o que ocorre, mas pelo menos comigo dá certo.

A minha mãe e minha vó se utilizavam de um amuleto que foi passado de mãe pra filha. Era uma relíquia de Santo Antônio, se eu não me engano.

Eu não tenho essa relíquia, mas dá certo da mesma forma.

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.
Note: Your post will require moderator approval before it will be visible.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Restore formatting

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

×
×
  • Create New...