Joyce Muzy (Primeiro Relato)

Saulo Calderon Primeiros Relatos, Relatos 15 Comments

Projeções, defesas e o pensamento

Corpo da mensagem:
Tenho experiências com projeções desde pequena, mas não sabia o que era. Quando eu tinha uns 15 anos até participei de um grupo de gnose buscando respostas. Eu me lembro de sentir muito medo, até mesmo daqueles que hoje identifico como mentores. São inumeras histórias, mas o que gostaria de relatar é que tem períodos que vou com frequencia junto a grupos de resgate ou socorristas, principalmente em períodos que antecedem a catastrofes ecológicas, geralmente na noite que antecede. Tb sempre estou dando um rolezinho no umbral, envolvida em inumeras situações. Nesses momento gostaria de ter o senso de humor do saulo e lidar melhor com as criaturas fofas q encontro, mas não tenho muito jogo de cintura (estou tentando melhorar isso!!!) Qdo encontro alguma criatura fofa, a minha primeira reação é me defender de alguma forma e na maioria das vezes qdo volto da projeção, me toco q o fofo só estava alí no canto dele e eu que acabei me apavorando sem necessidade. Na maioria das vezes só me defendo (mesmo sem ter sido atacada, rs..só no susto mesmo) e para isso já utilizei símbolos do Reiki, escudo energético e a ultima foi um cilindro de fogo ao meu redor.
Outra coisa, outro dia em uma projeção, eu estava sozinha (pelo menos não conseguia ver ninguém) aí me dei conta que todo pensamento que tinha fazia eco, era como se eu estivesse falando alto. Fiquei observando e me toquei que os meus pensamentos podiam ser ouvidos.
Isso acontece? De qq maneira ficou o recado: p policiar os pensamentos durante as projeções ou qdo acordada.

Joyce Muzy

Comments 15

  1. Já tive algo assim, postei até no fórum rsrsr.
    Quando estava deitado e com sono e pensava algo, parecia que aquilo que eu pensava falava com minha própria voz, ai então, levava um susto! hehe

    1. Acho que ela quis falar que são os seres “umbralinos”, e ironizou chamando-os de “fofos”, pq eles, de fofos, não tem nada! kkkkk

  2. Boa Tarde Joyce Muzy, gostaria de comunicar que mexer com o desconhecido sem nenhum treinamento ou ensino e completamente desnecessário, pois uma vez que você perde o controle da situação, as coisas começam a se desencadear contra você mesmo tornando o que você meu amigo considera divertido em um terrível tormento.
    Sinto que em suas palavras não á nada que possa ser considerado útil para qualquer estudo ou entendimento, uma vez que você encara os seres que necessitam de sua ajuda como criaturas fofas utilizando a ironia para descrever seres que precisam de ajuda e de entendimento, nomeando tais seres como criaturas você os menospreza e utiliza da falta de caráter para ridicularizar quem realmente sente a necessidade de procurar as almas espiritualizadas para ajuda-los.
    Concluo assim que você com essa mente desregulada não faz parte de nenhum grupo de socorro uma vez que não tem a alma aberta para pequenos entendimentos e nem para o mínimo de conhecimento.
    Sendo assim, esse dom e para poucos que já tem na sua vida carnal tarefas pré estabelecidas de ajuda ao próximo e de fé, características essas que não pertencem a você, uma vez que realizamos as coisas por amor e não para elevar seu caráter perante ao outros indivíduos.
    Espero que as minhas palavras ajudem um pouco nessa aventura astral que você esta vivendo, se você não souber respeitar o próximo, não será respeitado, e para que isso aconteça e necessária fé e amor no que realmente importa.

    Saudações meu amigo.

    Paula Sanches

    1. Poxa Paula, acho q vc pegou pesado sem a menor necessidade… a expressão fofo e um jeito carinhoso que nosso amigo Saulo ( proprietario do site ) chama nossos irmãos desequilibrados e ignorantes do umbral… apenas isso.
      E esses fofetis na sua maioria ainda nao querem ser ajudados…. tudo no seu tempo!

      Gostei do seu relato Joyce, parabéns pelo trabalho e continue em frente, estudando sempre claro!
      Um abraço
      Ciro

    2. Cara Amiga Paula,
      Considerando que Joyce é um nome predominantemente femenino,
      Parece que voce está completamente equivocada,até dá pra entender que voce nem leu o relato da Amiga Joyce. No seu texto acima, voce a trata como se fosse do sexo masculino.
      Leia novamente o relato da Joyce, prestando atenção voce verá estas expressões:
      “Tenho experiências com projeções desde PEQUENA”
      “estou dando um rolezinho no umbral, ENVOLVIDA em inumeras situações”
      “mesmo sem ter sido ATACADA, rs..só no susto mesmo”
      “Outra coisa, outro dia em uma projeção, eu estava SOZINHA”
      “p policiar os pensamentos durante as projeções ou qdo ACORDADA”

      Paula, faça os cursos do Saulo,são muito bons, voce vai entender tudo.

      Abraço
      Sélmio Freire

    3. Oi Paula, primeiramente você escreve muito bem e é bem clara sobre seu ponto de vista, sobre mexer com o desconhecido acredito que o desconhecido seja exatamente para ser descoberto com a experiência e tentativa em algum momento para ampliar os conhecimentos e utilizá-los, por mais que se faça algo inadequado vc aprendi com isso, o que pode impedir de fazê-lo é o medo. O termo fofo é puro humor irônico, provavelmente para deixar o assunto mais agradável e não vejo a presença de mal caráter nenhum. O dom de fazer projeção astral pode ser despertado assim como qualquer outro dom, ninguém é limitado a 1 ou 2 dons, a própria vida é um dom, e dai a necessidade de descobrir o desconhecido e despertar um dom, por exemplo ajudar ao próximo que todos podemos fazer, basta que seja despertado e não é necessário que seja pré estabelecido para sua vida carnal, ela em si pode despertá-lo. Enfim, não é possível você tirar algumas conclusões sobre a Joyce que você escreveu só por esse relato dela, e o julgamento direto a ela também é desnecessário, não creio que tenha ajudado, tente chegar em um ser FOFO para ajudá-lo julgando negativamente suas atitudes e comprove por si mesma.
      : D
      Rich

  3. Joyce Muzy, não se preocupe no que você sente em relação aos irmãos que precisam de ajuda, afinal de conta antes deles irem parar no Umbral já sabiam (ou não) que caso fossem para lá, alguns outros seres não se sentiriam confortáveis.

    De qualquer modo isso vai passando com o tempo, a medida que for elevando sua energia para um nível mais elevado vai conseguir sentir a presença deles mesmo que não os veja, fazendo com que não tenha aquele susto inicial.

    Continue seguindo o caminho da luz e não deixe ninguém falar o contrário, pois as experiências que te são permitidas são exatamente aquelas as quais dizem jus a sua capacidade atual de espiritualização.

  4. Vejam só como o julgamento tem um efeito dominó… [risos]

    Ela se doeu porque a joyce chamou eles de fofos e acabou julgando a joyce dizendo que ela tem uma mente desregulada e o seu texto nada de util…

    Por fim acabou se contradizendo, acho que é como o Ciro falou, tudo no seu tempo, não é você julgar a pessoa que vai fazer ela melhorar, pode até ajudar ela a enxergar o próprio erro, mas melhorar vai partir da atitude dela…

    Paz e luz. (:

  5. teu comentario é um barato ri muito !! embora seje muito serio isso. rsrssrsrsr, joyce se vc poder responder umas perguntas, seria muito grato se n poder eu entenderei tbm. 1a pergunta pq vc vai tantas vz naquele lugar tenebroso ? e como se livrar das coisinhas fofas quando elas vierem te agredir? elas podem cortar seu cordão de prata ? vc no astral vc enxerga tudo embassado como em sonhos ou é bem nitido ? vc pode construir algo no astral para ele se manifestar no natural ? a experiencia com a 3a visão é mais profunda do a projeção astral ? thanks bb.

  6. Hoje tive mimha primeira projeçao, fui dormir, resei e pedi para que meus guias me ajuda-se que eu queria verbcomi que era a projeçao, depois fui dormir, acordei de madrugada e falei, essa é uma boa hora pra projeçao né?(nao sei porque falei isso) depois, n sei oque senti nao sei como, mais quando senti eu estava estranho, levantei metade do corpo, depois o resto, com muita facilidade, depois, fui ate a porta do quarto e simpliamente atravesei minha mão pela porta, pensei em ir para frente de minha casa, e logo estava lá, a sensaçao de estar projetado, é unica, vc sente o tato, tudo, e parece muito leve, so sei que fiquei fazendo uns malabarismos em frente de casa dando uns mortais, tentei soltar poder e não saiu nada.

    Enquanto eu estava la fora, nao me lembro, mais acho que perdi a conciencia, veio alguem falar comigo , depois me lembro de estar em um lugar estranho, e veio uma mulher e me levou pra uma casa de madeira, estilo americana, fomos na sacada e eu vi que estava em orbita de onde eu estava, um grande planeta colorido, com cores do arco iris, a mulher parecia hippie, e muito bonita e meiga, ela falo que era esposa de um amigo meu, felix, que trabalha em um centro espiritual (na vida real) , ai eu olhei para ela e não tinha o rosta da esposa real do felix, mas enfim, eu aquela moça falamos muito sobre coisas espirituais, cujo eu esqueci, perguntei ate sobre poderes, e ela me ensinou um, que era uma onda de som, era realmente tudo tao real, e eu estava vivendo isso, depois nao sei oque aconteceu, eu esqueci, e quando vi, acho que estava no umbral fazendo uma missao, porque tinha pedido para meus guias, não sei se era umbral, mais tinha uma daquelas raive*(festa grande ao ar livre) e varios caras com moicano e punks, so sei que sempre tinha gente correndo atraz de mim, e eu acordei e estou escrevendo isto

    Voces que sao mais experientes me digam oque foi, foi sonho? Projeçao? A partir de que ponto ainda é projeçao? Eu tenho 17 anos e essa foi minha primeira projeçao(eu acho)….

  7. Não posse me intitular projetor, pois tenho uma média de uma projeção consciente por ano. Anteontem foi o caso de uma a projeção. Eu estava conversando com uma amiga do trabalho, uns trinta anos mais velha do que eu, quando de repente ela se lançou no meu colo, a maneira clássica de uma noiva no colo de seu noivo para entrar no quarto da lua-de-mel. Na hora me surpeendí com o gesto e joguei a amiga no chão. Ato contínuo fiquei me questionando: “Que foi isso que eu fiz com a fulana, meu Deus? Jogar a coitada assim, no chão, logo a fulana, eu nunca pensei que seria capaz dessa grosseria”. Foi aí que me deu um fluxo de consciência, e percebí que eu estava fora do corpo (afinal, eu nunca faria aquilo com a fulana). Apalpei meus próprios braços para me certificar da sensação de realidade (que no auge da experiência é a mesma de estar acordado no corpo) e pensei comigo mesmo: “calma, sem euforia, pra não acordar”. Olhei ao redor, para ver onde eu estava. Era um lugar amplo e com cadeiras, que me lembrava um saguão de um terminal rodoviário (sem ônibus) com pessoas vindo, indo ou esperando. Ou seja, era um lugar que poderia ter qualquer função de bem no astral, mas não assimilei qual. Minha amiga estava mesmo lá, mas parecia meio grogue, havendo porém outras pessoas lúcidas que conversavam entre si (me arrependo de não ter tentado puxar papo com nenhuma delas). Pensei em aproveitar e visitar uma antiga paixão, mas pensei melhor, que deveria deixar a pessoa em paz, já que não fazia mais parte do meu caminho. Depois pensei em visitar um centro espírita e pensei em mentalizar um pra ver se eu era projetado pra lá, mas fiquei receoso em entrar em onirismo se tentasse a mentalização, então não o fiz, mas fiquei pensando como raios então eu chegaria a um centro espírita. Em seguida, pensei, “oras, mas o que é que eu vou fazer no centro espírita afinal, já que nem frequento um?” E concluí, tristemente, que eu tinha projetado sem propósito, como mero turista. Decidi então que iria sair daquele terminal e procurar ajudar alguém. Sai flutuando a trinta centímetros do chão e logo na saída encontrei três espíritos acinzentados que não me perceberam e resolví jogar luz para eles. Um deles percebeu minha presença e não gostou do que fiz ou sei lá que intenção tinha, mas passou a me perseguir com raiva, tentando me agarrar. Tentei voar, mas não me afastei mais que dois metros do chão e o espírito ficou em baixo, tentando agarrar meus pés. Eu joguei energia para repelí-lo, mas não adiantava. Ele se afastou, buscando algo em que pudesse subir para me alcançar, então resolví jogar mais energia ainda (a essa altura o lucidez já estava bem embassada) e acordei…. Lição tirada dessa e da penúltima projeção: além de não se deixar levar pela euforia ao perceber-se lúcido, não se achar “maior de idade” no astral e ter humildade, procurar olhar mesmo para os lados, estudar o ambiente imediato, trocar impressões com espíritos por alí e, pelo menos por agora, ajudar quem quer ser ajudado.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *