O sentido da vida – A mágica da observação

Saulo Calderon Geral 6 Comments

Há alguns dias venho meditando sobre o sentido da vida.
De forma simples, sem puxar para religião, respostas prontas, etc…
Acalmei a mente e procurei observar.
Nessa busca acabei vendo novamente o filme “O curioso caso de Benjamim Button”.  Onde pessoas envelheciam enquanto ele ficava jovem, mas mesmo assim igual, ia de encontro a morte.
A ideia central era observar a vida simples.
E me perguntava: O que a vida quer nos mostrar?
O que fazemos aqui?
Por que todos nós  envelhecemos e saímos daqui?
Cheguei a pensar na vinda de um ET que explicasse tudo, mas sabia que de alguma forma isso não seria possível por causa do nosso nível de compreensão.
Não queria achar algo novo, não queria achar uma resposta bíblica ou dada por um anjo ou ser de outro planeta.
De alguma forma pensei que essa explicação estava em todos nós.
E comecei a olhar para mim.
Numa dessas reflexões,  deitado na cama por volta das 02 da manhã, levantei e fui tomar água.
Na volta resolvi ir até a janela e fiquei lá olhando a lua.
Interior calmo, não havia em mim nenhum tipo de tristeza, depressão ou algo do gênero.
Estava somente lúcido, observando com paciência tudo ao redor.
Na esquina vinha um cachorro, vinha cheirando os lixos e abria alguns.
Observei e ele e questionei:
Ele é igual a mim!
Também não sabe o que faz aqui!
Também está envelhecendo.
Também é tão cego quanto eu!
Por que todos nós estamos aqui?
Esse cachorro andou mais ou pouco, parou em frente a janela que estava, sentou e olhou para mim. Achei a atitude curiosa, era como se ele tivesse sentido meu cheiro ou percebido a minha presença ali. Ficou assim me olhando e de boca aberta com a língua para fora uns 30 segundos e então virou as costas e seguiu adiante.

Cada lugar tem a sua resposta.
Cada religião diz alguma coisa.
Eu poderia buscar as respostas prontas, poderia até tentar através dos “sonhos lúcidos”, chamo de sonho pois, percebo claramente que meu nível de lucidez nele é realmente limitado e poucas são as respostas que acessamos durante uma projeção astral, ainda que relativamente raras para a maioria das pessoas.

Hoje na hora do almoço eu estava no trânsito. Vinha calmo e continuando a reflexão. A busca dentro de mim. Observava as pessoas e percebi um rapaz pedindo dinheiro num ponto de ônibus. Ele pediu para todos e não havia conseguido nada! Aborrecido ele atravessou a rua, passando na frente do meu carro com pressa e sem olhar, como se quisesse que algum carro o acertasse e sumiu da minha vista.
O que ele faz por aqui?
Por que alguém nasce e anda por aí? – Pensava!
A maioria parece tão indiferente uns para os outros.
Desequilibrados, à flor da pele, nervosos!
É como um sono profundo…

Não sei se um dia chegarei a uma resposta plena, acho que a maioria acaba se contentando com qualquer uma para preencher esse vazio e se convertendo a algum lugar…
Mas cheguei a uma conclusão:

De alguma forma esse é o grande mistério da vida e tentar responder esse mistério tira a mágica da busca.
De alguma forma não podemos ainda entender direito o que estamos fazendo aqui e o que é isso tudo aí fora.
Eu continuo minha jornada de observação, seja no corpo ou fora dele.
Continuarei questionando, observando e pensando!
Continuo durante as minhas escapadas do corpo, vendo as mesmas pessoas que andam aqui sem direção, do mesmo jeito no mundo espiritual, sem saberem quem são e o que fazem.
E a maioria nem sequer questiona, mergulham nisso profundamente como se fossem engolidos e amortecidos pelo meio em que vivem.
Esse tipo de conduta me faz abrir a lucidez.
Me faz aguçar a curiosidade.
Isso me faz abrir a percepção.
Isso me faz pensar.
Isso me ajuda a despertar no mundo espiritual quando meu corpo adormece.
Eu chamo da arte de contato consigo mesmo.
Do lindo mistério de nada saber e reconhecer isso.
Da magia da busca por si mesmo.
Da mágica da observação!
Quem somos?
Quem sou eu?
O que um passarinho faz por aí voando?
Não sei e duvido mais ainda daquele que diz saber, pois acho que isso não tem no momento explicação, não para a nossa capacidade atual de compreensão!

 

Comments 6

  1. Cara… Acho impressionante a tua capacidade de se abrir para o conhecimento, aceitar a limitação da nossa consciência, e ter controle emocional sobre isto. A algum tempo cerca de 1 ano e meio mais ou menos venho acompanhando anonimamente teu projeto. Com calma, como você mesmo sempre ressalta "devagar é pressa", eu tenho lido os conteúdos que você disponibiliza no site, tenho escutado inúmeras vezes os cursos, afim de me encontrar espiritualmente e assim isso repercutir na minha vida aqui e la quando eu finalmente conseguir sair lucido dessa carcaça velha que eu chamo de corpo kkkkk é de muita serventia teu projeto … Que nossos mentores e guias espirituais continuem provendo tudo que for necessário pra que esse projeto nao se acabe como tantos outros…

  2. Temos mais perguntas do que respostas e acredito que a busca por elas é o que move o universo. A busca incansável do porque as coisas são da forma que são nos leva sempre a uma próxima pergunta.
    Talvez não tenhamos as respostas por ainda sermos incapazes até de saber o que faremos com elas!

  3. A razão de tudo está em você meu caro, o motivo, o por quê, é você que cria, isso é o universo, ser livre para pensar e olhar as coisas, é por isso que existimos, para experimentar, para sentir cada sentimento profundo e misterioso, e se pergunta o porque da religião? Ora, de que outra forma poderíamos ter essa experiencia? Essa com certeza é a melhor meu amigo, nos por a prova de tudo, descobrir o que podemos acreditar e confiar, e saiba também, que nada na sua vida é a toa, tudo tem seu significado, ainda mais nos piores dias, tipo quando chega atrasado no trabalho por causa de um inconveniente, e sim, isso tem uma influencia na sua vida, só é necessário deixar o estresse baixar e pensar um pouco sobre a situação que com certeza irá encontrá-la.

  4. Saulo, sou de Portugal, tenho lido alguns posts e FAQ’s seus ao longo das últimas semanas e gosto muito da sua simplicidade e do facto de ser tão terra a terra e sem peneiras.
    Também procuro respostas. Encontrei algumas. Essas respostas me melhoraram um pouco como pessoa e me dão vontade de melhorar mais. É um longo caminho que tenho que percorrer. Faltam ainda muitas outras, que não sei se algum dia conseguirei obter, pelo menos enquanto estiver encarnada.
    Bem-haja e continue o bom trabalho.
    Helena

  5. Isso mesmo Saulo, eu, sem ter a experiência que vc tem quanto a lucidez projetiva e outros assuntos correlatos, percebo que enorme interrogação paira a nossa frente cujas respostas estào conosco mesmos. Nossa vida, ou existência é como um palco cujas cortinas se abrem pouco a pouco. Jamais coletivamente. Apenas um a um, os bilhões de espíritos que somos, irá descobrindo a si mesmos.
    A cada passo um entendimento de si mesmo surgirá como aprendizado pessoal que mostrará para onde ele está indo. Não há meta final a alcançar. Apenas a direçào : O Infinito.
    Grande abraço. E novamente parabens pelo belo e lúcido trabalho que vc faz.

  6. Na verdade essa talvez seja a busca para esta e outras vidas nossas e a observação e o pensar, o filosofar sobre isso sejam no momento nossas únicas ferramentas para tentar compreender esse mundo e tudo que o acomete. A maioria das pessoas dorme espiritualmente e caso sejam questionadas não terão resposta ou ficarão até mesmo bravas, como se estivéssemos questionando algo que não pode ser questionado. Não estou julgando não, mas isso é o que mais acontece. Acredito que assim que aprendermos a usar bem essa única ferramenta poderemos quiçá, partir para novos estágios, mais equilibrados, com mais respostas e novas indagações e mistérios. Ótimo trabalho o seu, continuo acompanhando os posts e os Faqs, bora sair do corpo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *