Paciência – O seu Planeta Interior

Saulo Calderon Geral 32 Comments

Screen shot 2013-09-26 at 8.42.05 PM

Existe uma lógica para a paciência.

Não estamos falando da paciência Crística, onde se perdoa sem ter a noção profunda, o que já é lindo, mas ainda não focado. E eis porque muita gente ainda mergulha profundamente na intolerância…

Por que deveríamos ter paciência com os mais necessitados?
Com os desequilibrados?
Com as pessoas sem direcionamento, sem harmonia?
Com os espíritos ainda sem rumo?

Observe primeiramente uma pessoa nervosa!
O que há com ela?
A maioria responderia:
Não me importa, quero ser respeitado! Não me respeita, sofra as conseqüências do meu retorno, não respeito quem não me respeita!
Por um ângulo mais simples, há lógica nessa pequena resposta.
Mas indo mais profundamente a coisa muda de figura.
Pessoas nervosas não tem controle de si mesmo!
Não importa o motivo, elas não conseguem dominar o impulso e aquela força a domina por completo!
Pelo menos naquele ponto ela não consegue ainda dominar a situação!

Quando alguém está doente e respondemos a dor com mais doença, com a mesma ação, nos igualamos e mostramos que no fundo não estamos preparados nem pra dominar o norte dos nossos pensamentos e nem para sair um pouco do nosso próprio sofrimento e mundo interno.

Precisamos visitar outros Universos, além somente das nossas órbitas!
Não para nos mostrarmos superiores, mas para compreender que alguns seres precisam mesmo de mais atenção em determinados pontos, assim como nos mesmos em outros.

Esses dias estava voltando do almoço quando um rapaz conhecido passou me vi e virou a cabeça para não falar comigo, parecia pra quem via de fora um tipo de desdém.
Mas eu sabia que não era.
Havia conversado com ele outrora e ele me falou que tinha depressão!
Talvez  naquele momento ele estivesse profundamente conectado com suas tristezas a ponto de não conseguir sair do seu mundo e nem poderia, pois estava mergulhado demais somente em seu mundo. Ali está um terráqueo interno que não controla muito bem o seu planetinha.
Isso significa que o oxigênio ao seu redor provavelmente não está nada bem!
E sou eu quem vou ficar com raiva ou magoado por ele não ter me cumprimentado do jeito que eu esperava?

Vamos fazer uma visualização, uma pequena prática:

Pense em alguém com algum tipo de desequilíbrio, uma mãe, um irmão, um amigo, dentre outros…
Pode ser uma dificuldade de origem psicológica ou mesmo alguma dependência física, bebidas, drogas, cigarro, etc… mas sem fazermos distinção de menor ou maior, somente alguma dificuldade que a pessoa tenha.
Agora vamos dar um zoom na vida dessa pessoa que você visualizou.
Observe profundamente.
Sei que por vezes é difícil sairmos um pouco do mundo dos nossos pensamentos, visualizações, conceitos e aceitações, mas é preciso para abrirmos mais o poder de observação e compreensão!
Será que se essa pessoa quisesse ela poderá mesmo controlar essa dificuldade em curto prazo?
Será que ela faz aquilo ou age desse jeito por pura maldade?
Todos nós possuímos grandes dificuldades, talvez não para os outros ou para o mundo, mas são barreiras que não sabemos ultrapassar!
Como controlar um impulso?
O que fazer, condenar?

Veja, não estamos aqui falando na aceitação total de algo sem moral, ética ou injusto, mas a compreensão da dificuldade que a pessoa tem, como ela chegou ali e quais os motivos que na vida a levaram até ali. Isso sem contar as dificuldades enraizadas na alma, que vem de outras eras…
Por vezes as ações são tão extensas que já fica difícil poder voltar e arrumar o ato, pois somos seres orgulhosos e inconscientes.

O mais difícil desse processo não é sair do nosso mundo, mas entender que a grande maioria não vai sair do seu para compreender, não é algo fácil, somos prisioneiros de nós mesmos!
Mas a beleza disso não é esperar em troca, mas fazer como um Extraterrestre, poder voar em todo lugar, aprender, dar o seu melhor no silêncio de si mesmo, compreender e trazer para o nosso planetinha os melhores conhecimentos, vibrações, os melhores recursos!
Cada um é responsável pelas suas atmosferas energéticas.
Pela sua órbita de pensamentos!
E só temos a ganhar!

Entrar na nave da nossa consciência e poder voar dentro de nós mesmos e também nas almas de outros lugares…Ao fazer isso paramos de julgar tanto, pois sempre há uma compreensão maior sobre cada ação e cada um já paga o preço natural de trazer para perto de si a repercussão de cada ato…
Quem vive só em seu planeta já sofre demais com pouco recurso!

Leve recurso do seu interior em cada lugar que for, se assim for possível e aceito. Pelo menos um pensamento positivo, um sorriso, uma compreensão!
E mesmo que não faça pelo motivo de ter retorno, mesmo sem querer levará consigo as melhores vibrações!

Um abraço de um irmão tentando visitar outros planetas e se esforçando para não brigar com as órbitas ao redor…
Não é fácil, mas é compensador!

Saulo Calderon

 

Comments 32

  1. Saulo maravilhoso isso, realmente esquecemos por vezes que não somos os únicos neste mundo…para de ser egoísta é fundamental para enxergarmos o quanto podemos ser melhor um com o outro.

  2. Realmente, compreender o universo do outro é tão complicado quanto compreender o nosso próprio universo. Acabamos julgando muito facilmente as pessoas, e cobrando delas um controle que talvez elas não tenham sobre seus sentimentos e emoções. E quem tenta controlar conscientemente suas emoções sabe o quanto isso é dificil. Só nos resta sermos mais tolerantes, ao inves de juizes.

    Parabéns pelo texto.

  3. Saulo, muito lindo suas palavras. Um abraço de outra irmã que também está se esforçando para compreender mais a mim mesma e aos planetinhas ao meu redor.

  4. Faz tempo que não entrava no site, e hj, esta era a msg q eu precisava ler para poder amolecer um pouco e tentar entender mais os "outros planetas". Só uma "coincidência"… rs Outra coincidência é a data do post ser o meu aniversário! =)
    PS: Saudade de escutar seus FAQs Saulo! Vc é um dos comunicadores de espiritualidade mais imparciais (ou lúcidos) que conheço. Parabéns!

  5. Olá, Saulo.
    Várias foram as vezes em que escutei áudios de sua autoria. Até penso que, se não foram todos, sob grande parte deles tomei a liberdade de apreciar abertamente.
    Digo isso para comentar que esse seu post sobre a paciência foi o mais brilhante que vi que você já fez. Talvez por que, tendo uma mente extremamente seletiva, apreciamos mais as coisas que nos são afins.
    Entender o próximo é algo grandiosamente difícil, ainda mais quando estamos com vontade de fazer algo bom. Nessa situação, tomamos para si uma raiva interior, silenciosa, da pessoa que se nos opõe.
    Esse é o problema dos duelos. Pensamos que os duelos acabaram junto com os brutos do século passado, que gastavam suor para destruir fisicamente seu oponente. Porém há um tipo deles, e que talvez seja o mais destruidor, que é o duelo íntimo. Se entrarmos na vibração das pessoas que não estão pensando como nós em algum momento, o mais prejudicado não será a vítima das nossas perturbação íntimas, e sim, nós mesmos.
    Enfim, não estou aqui para escrever mais linhas que você, rs. Estou aqui para parabenizá-lo pelo trabalho.
    Paz e energias boas.
    Atenciosamente,
    Rodrigo Cordeiro.

  6. Sempre digo que quando nós pedimos perdão temos que aceita-lo como ele vem e pode vir de diversas formas, acompanhado de irritação, acusação, desprezo, como também pode vir com abraço, sorriso, alegria.
    O pedir perdão é uma disposição intima para a compreensão das diferenças, quando respeitamos as diferenças paramos de magoar aos outros e nos magoarmos com eles.
    Viver em paz é uma arte, mas para isso temos primeiramente que criar essa paz dentro de nós e isso não se faz sem luta intima com o nosso super rei ego.

    Abraços, a luta continua, não responderemos a guerra mostrando as armas mas levantando a bandeira branca.

  7. Enquanto todo mundo
    Espera a cura do mal
    E a loucura finge
    Que isso tudo é normal
    Eu finjo ter paciência

    O mundo vai girando
    Cada vez mais veloz
    A gente espera do mundo
    E o mundo espera de nós
    Um pouco mais de paciência ( Lenine ) Adorei Francisco Costa

  8. Saulo, bom dia! Esta tudo bem com você? Nunca mais postou suas belas histórias e mensagens, que tanto nos emotivam. Paz e Luz.

  9. Noossa, eu entrei no site pra ver algo refletivo,pensei “sei lá quero ver algo sobre paciencia” ai quando entro me deparo com esse texto. logo no primeiro post!

  10. Valeu Saulo, estava tão desesperada como compreender tudo que esta ao meu redor, essa leitura me ajudou muito, porque realmente nao e facil…

  11. Gostei muito do texto, e gostaria muito que você o posta-se no GVA do facebook, percebo que acaba tendo muitos conflitos lá, e acredito que palavras tão consciênciais como essa ajudariam mto, obrigado por nos auxiliar em nossa caminhada Saulo, Paz e Compreensão.

  12. Sensacional Saulo, eram palavras que eu vinha procurando para externar o mesmo tipo de inquietação e tinha certa dificuldade em verbalizar. E tantas e tantas vezes já não me compreenderam e me condenaram por ter agido (ou tentado agir) assim. À tantos olhos dar a outra face não parece certo, nem mesmo romântico geralmente. Parece INJUSTO (sem me excluir). E isso só nos mostra como podemos ser limitados na lógica e na percepção.
    Que Deus continue nos iluminando e nos despertando cada vez mais para a lógica da fraternidade. Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *