Por que a projeção é única no que diz respeito à comprovação?

Saulo Calderon Diário Projetivo, Relatos, Relatos Saulo Calderon 9 Comments

Mesmo já saindo do corpo há mais de 20 anos e já tendo comprovado diversas vezes, ainda me espanto com a sensação de liberdade e lucidez fora do corpo.
E mais, com a capacidade de não duvidar e de reorganizar a fé e qualquer dúvida que eventualmente nos pega.
Quando ficamos com recesso projetivo ou sem sair do corpo por algum tempo, mesmo o mais experiente dos projetores, ele pode começar a duvidar e questionar. E isso é positivo!
Ruim seria acreditar em tudo cegamente.

E eu faço sempre isso, toda vez que estou fora do corpo procuro quando possível aproveitar a oportunidade para comprovar ou testar.
Mas o que quero falar nesse texto é sobre a sensação que sentimos a certeza íntima da continuidade da vida alguns dias após uma projeção lúcida.

Essa noite estive voando por cima de uma cidade com uma lucidez muito alta.
Não me lembrei do momento da decolagem, já acordei lá fora.
Isso acontece mais frequentemente quando durmo no apartamento e ainda perto da esposa, por causa do acoplamento áurico, é impressionante a dificuldade de sair do corpo tanto em prédio como ao dormir com alguém por perto, já testei isso diversas vezes…

No momento que voava eu sentia que era uma dimensão inferior, porém como voava com certa facilidade acredito ser a segunda ou terceira frequência.
Parei por um momento em cima de uma casa e peguei voo novamente alcançando uma altura considerável. Sentindo que estava no auge da lucidez pensei: Como pode a maioria estar tão apagada para a realidade da continuidade, do que está não lá, mas ao LADO da gente?
Aproveitei e pensei no corpo, pois como não havia me lembrado da saída, fiquei com receio de perder a lucidez e a lembrança daquele momento. Ao pensar no corpo, quase que imediatamente abri os olhos no corpo físico e lembrando de tudo que relatei, pelo menos a sensação foi de que não havia perdido nenhuma lembrança, mas sei que não é bem assim.
Várias partes não são lembradas e outras o cérebro faz relacionamento com o que é possível assimilar, dentro do conhecimento e capacidade de processamento, que é pelo menos 80% mais limitado…

Queria aqui deixar claro a importância das projeções para a comprovação pessoal.
Para uma forma mais limpa de enxergar a simples continuidade da vida após a morte do corpo físico. E como é possível alcançar alguma liberdade ainda durante a passagem pelo corpo físico.

Um abraço e nos vemos por aí!

Comments 9

  1. A maioria está apagada para a questão da continuidade devido ao mergulho que o povo sofre dentro das besteiras carnais. Futebol é um excelente exemplo disso. Lucidez é assim: você pode melhorar a sua, manter num patamar médio (pra não dizer medíocre), ou tentar afundar de vez das mais diversas maneiras. Infelizmente a maioria se encontra nesse terceiro grupo.

  2. Oi “voadores” também estive voando esta noite(estranha coincidência; também obtive lucidez enquanto estava voando, e isto não é coisa comum para mim). Fiquei “bolado” porque tinha muita gente voando(O ego pegou rsrsrsr…), mas quando tentei mostrar a um menino que se tratava de uma projeção, ele demonstrou um olhar de terror, este olhar continha um pedido silencioso de que eu não confrontasse a sua frágil racionalidade com o fato de aquilo não ser um simples sonho.

    Quanto a questão do tanto que lembramos destas experiências, dou como exemplo a obra de Carlos Castaneda, que mesmo sendo ótima desde o seu primeiro livro, deu uma guinada a partir do 4º ou 5° livro, justamente porque desmoronou sobre nele aquilo a que eles chamam “as quase memórias do outro eu”. Cito o final do Livro “O fogo interior”:

    …Sabemos agora que fomos deixados para relembrar a consciência intensificada e reconquistar nossas totalidades. Sabemos também que, quanto mais lembramos, mais intensa é nossa exultação, nosso assombro, mas também maiores são nossas dúvidas, nossa inquietação.

    Até aqui, é como se tivéssemos sido deixados apenas para ser assaltados pelas perguntas mais profundas sobre a natureza e o destino do homem. Até o momento em que possamos ter energia suficiente não apenas para verificar tudo o que Dom Juan nos ensinou, mas também para aceitar por nossa vez a presente da Águia.

    1. Alguém não gostou, não levem a mal a comparação, mas é como o menino que eu tentei “despertar” do seu sonho sem lucidez, as pessoas não querem saber, querem apenas um prolongamento do que pensam que já sabem… Uma vez, minha filha, com então 8 ou 9 anos, se queixou pra mim de que os adultos eram maus, eles desmentiam o Papai Noel e o Coelinho da páscoa…

  3. Penso ser um espírito jovem, ou não muito evoluido, pois quando era criança havia muita maldade em meu coração, mas apenas com seres humanos, pois nunca gostei de fazer maldade com animais, mas odiava a sociedade e não tolerava ninguém por perto, tinha poucos sonhos geralmente era com sexo, e andavam sempre só. Hoje aos quase quarenta anos muita coisa mudou, minha mente e bem mais calma, busco a espiritualidade, mas não consigo atingir o nível de conseguir uma projecção com lucidez. Seu que muita gente tem mais facilidade porque já praticava em outras vidas. Meu caso acho que essa e a primeira vez que eu prático. Já tem uns dez meses ou mais, mas não desisto pois a recompensa e muito boa. Mas to me lembrando com mais frequência dos sonhos. Como diz o Saulo divagar e presa.

  4. Nâo tinha conhecimento do por quê eu me via voando durante o sono.Até que a namorada do meu filho me disse que,eu esta fazendo viajem astral,sem saber.

  5. Engraçado, nunca parei pra pensar nessas duas dificuldades que você citou: “prédio” e “estar dormindo ao lado de alguém”. De todas as vezes que tive essa experiência, realmente, não havia ninguém ao meu lado. Por quê isso dificulta o processo? Alguém tem alguma explicação?

    1. Missknox, o Saulo fala sobre isso direto nos vídeos dele (FAQs). Tem um curso dele aqui no site que é pra quem quer fazer viagem astral, se você começar pelo básico vai ver que ele explica muita coisa sobre esses assuntos, até pra quem não quer fazer viagem astral é muito útil.

      Pelo que entendi, o Saulo explica que pra se “projetar” de maneira lúcida é preciso mexer com as energias do nosso corpo (corpo energético – onde ficam os Chakras) – tem gente que tem mais facilidade de “sair do corpo” e nem passa por processo – . É esse corpo (energético) que te ajuda a desprender o espírito (consciente) da matéria (corpo físico). Quando você dorme ao lado de alguém, seu campo energético se funde com o dessa pessoa (por isso o nome, acoplamento áurico) e, por influência desse acoplamento, fica mais difícil se soltar dessa faixa de atuação energética (a força energética que te prende ao corpo ou proximidades fica mais intensa). Não sei se a explicação exata é essa, mas acho que é algo próximo disso.
      Grande abraço!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *