Projeção de alívio energético (tentativa de ida até o Pão de Açúcar)

Relatos, Relatos Saulo Calderon Leave a Comment

08-10-1999

Deitei para me projetar, para quem saber chegar ao encontro dos projetores no Pão de Açúcar no Rio. Lá todo dia 15 e 30 de cada mês, marcamos um encontro, para quem sabe dois ou mais projetores se lembrem do ocorrido, e comprovem a experiência. Essa idéia foi criada na lista Viagem Astral, do nosso amigo Luiz Zahar. Após fazer alguns trabalhos para o instituto, fui me deitar mentalizando a ida até o nosso para-encontro no pão de açucar. O quarto estava numa penunbra, com somente uma luz natural que vinha do poste da rua. Eram mais ou menos umas 01:15 da madruga. Tempo bom, céu estrelado, mas sem calor. Deitei na posição supina(barriga para cimas) Ocorreu tudo muito bem, deitei, fiz os exercícios, entrei em catalepsia, e com algum esforço me afastei do corpo. Porem quando estou saindo do meu quarto, encontro uma entidade me dizendo que iria adiantar meu processo energético, que era para eu não me assustar, iria para um lugar ruim para limpar minha aura. Eu perguntei porque logo um lugar desses, ainda mais para limpar a aura? Ele me respondeu mais ou menos assim: A natureza é sábia amigo. O que muitos chamam de umbral, não é mais nada do que um local onde pode-se limpar mais rapidamente as energias negativas empreguinadas nas suas energias conscienciais. Após isso andei em um dos piores locais onde já me lembro ter ido. Era além de escuro, assustador. Um medo, uma angústia fora do comum. Eu que pensava que trabalhar com assuntos espirituais iria me levar para dimensões lindas, com companhias maravilhosas de ilustres entidades, que nada! Lá estava eu, num lugar que fedia muito, com uma carga fortíssima de energia negativa em cima de mim. E o pior, eu tava consciente. Sabia que estava fora do corpo. Pensei no corpo, e voltei. Mas, mal abri os olhos, já senti a catalepsia me dominando novamente. Eu tentei com todas as forças, em vão, acordar, e em segundos já estava de volta àquele lugar horroroso. Rezei, me ajoelhei e nada. Até que abri os olhos no corpo, e não perdi tempo, dei um pulo da cama, e comecei a me sacudir para despertar. Fui um pouco para o computador para relaxar. Coloquei um jogo de formula um. E deu novamente sono. Deitei-me de bruços para não voltar com consciência, quer dizer, se eu voltasse aquele local, que pelo menos eu estivesse inconsciente. Mas para a minha decepção, novamente entrei em catalepsia, de bruços e tudo. Nossa, pior ainda, voltei para o mesmo local. E comecei a me perguntar, pó será que sou um cara ruim e não sabia? Passou um tempo, não sei quanto, e apareci no mesmo lugar do começo, na frente do meu quarto, com aquela mesma entidade me olhando, ele me disse novamente mais ou menos assim: ¨Saulo, suas energias foram aliviadas. Com o passar dos últimos meses, você tinha formulados muitas energias que estavam atrapalhando seu desempenho mental, energético e físico, nós aceleramos o processo de libertação dessas energias. Você vai começar a se sentir melhor, e mais leve. As idéias vão se formular melhor em sua mente. Acordei sem nenhuma lembrança de nada, eram umas 5 da matina, estava amanhecendo. Mas aquela impressão de que tinha que me lembrar de algo estava muito forte. Então fechei os olhos, e após alguns minutos, as cenas começaram a vir, e a visão de tudo, até mesmo daquele lugar feio. Realmente estou me sentindo melhor, e entendendo uma coisa: A natureza realmente é muito sábia. Nós pensamos que ficar no umbral é ruim, pode até ser, mas é como uma libertação mais rápida das energias que nós mesmos criamos, das energias negativas. Aquele local é uma ajuda, infelizmente precisa ser assim, pois se libertar sozinho talvez fosse impossível. Agora entendo. Que perfeição! Tudo, cada detalhe é criado para nos ajudar, mesmo que por vezes interpretemos de maneira dura ou violenta. Bem pessoal, tentei ir ao encontro no Pão de Açúcar, porém não foi bem lá que fui, e de Pão de açúcar não tinha nada onde estive, posso chamar de pão bem amargo, mas era o que eu precisava. Risos… Abraços a todos, e até o próximo encontro, seja em qual pão for, que seja o melhor para cada um de nós…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *