Projetado com alguém que não conheço

Saulo Calderon Diário Projetivo, Relatos, Relatos Saulo Calderon 1 Comment

Recife 18 de Junho de 2016

Projetado com alguém que não conheço
Fui deitar por volta das 23:30 de sexta feita e adormeci sem me preocupar com projeção diretamente. Estou sempre aberto, mas como sei que o primeiro sono sempre é do corpo e acaba por não ser tão simples sair do corpo, normalmente deixo para me levantar de madrugada, ainda mais quando posso como dia de sexta feita devido não precisar levantar para o trabalho, e foi exatamente isso que aconteceu.
Devido eu monitorar a atividade dos ciclos de sono com alguns dispositivos, faço isso de propósito para projetos futuros, nesta experiência estava usando especificamente a Misfit Flash, um dispositivo que monitora o sono pesado e leve e também estamos num projeto com ela.
Eu acredito que a experiência tenha começado por volta das 03:00 da manhã, pois levantei da cama mais ou menos às 3:35 e nesse momento o aplicativo da pulseira avisou que o corpo estava em sono profundo. Vou começar o relato da experiência agora.
Eu estava deitado na cama, inconsciente e em algum tipo de sonho onírico ou cerebral quando percebi alguém no meu quarto. Caminhava ao redor do meu corpo tentando me despertar. Minha consciência ficou mais ou menos ativa ao perceber que essa pessoa enviava seguidamente voz viva na minha mente. Eu ouvia claramente, uma voz masculina, clara e quando dei por mim respondi imediatamente e sabia que era alguém novo, que não conhecia.
Um rapaz negro e gordinho. Captei mentalmente sua forma, suas intenções e era impressionante como sua voz entrava forte em minha mente. Eu então comecei a conversar com ele e ele me ouvia em alto e bom som. Sinceramente não sei informar se eu falava com ele com a voz do corpo astral ou se era mental somente, eu tinha a impressão de falar mentalmente, mas a conversa fluía mais ou menos assim. Eu falei:
– Quem está aí?
– Oi Saulo, eu vim até aqui para sair do corpo com você.
E continuei:
– Olá, quem te trouxe?
Ele:
– Não sei, sei que apareci lúcido aqui é minha primeira experiência.
Eu brincando falei:
– Que legal, amigo! Estou aqui preso na carcaça véia, você me ouve bem?
Ele:
– Sim! E deu uma risada gostosa!
– Te ouço perfeitamente.
E falei:
Vamos fazer uma coisa legal, me ajuda a sair aqui, estou perto do corpo e é difícil pra eu sair sozinho e posso ser facilmente puxado, falei isso brincando mas com a intenção de receber ajuda mesmo.
Nessa hora ele com todo respeito e sentia seu carinho por mim, pegou no meu braço direito e me ajudou a levantar. Eu sinceramente não sei se nesse momento estava deitado sobre o lado esquerdo, ou se estava de barriga pra cima relativamente de lado, mas a sensação foi que saí pela cama sentando nela e sendo ajudado pelo amigo que ali estava.
Eu costumo brincar sempre com um nome de um espírito chamado “Tonhão pé de mesa”, um negro alto que vem buscar os projetores para namorar, risos e até brinquei com ele que caiu na gargalhada, falando: Bicho, tu não tá plasmado de bonzinho e vai me agarrar não, né Tonhão?
Ele morreu de rir!
Isso aconteceu enquanto ele me levava do quarto para a sala. O curioso é que pareceu que ao me afastar da cama eu não estava mais na minha casa, era diferente. E meu quarto parecia relativamente maior, o que já vi por várias vezes. De alguma forma o quarto de quem faz projeção é visitado e sofre modificações em determinadas frequências.

Chegamos fora do quarto e  olhei para ele, lembro ainda do seu rosto, mas fui inocente e durante a experiência não perguntei seu nome.
Perguntei pra ele, vamos voar?
Peguei nas mãos dele e decolamos pelo céu da noite.
Nessa hora senti a lucidez aumentar consideravelmente, é engraçado como isso acontece e aconteceu com ele também que apertou meu braço falando:
– Saulo, agora senti, senti fortemente a lucidez, que coisa absurda é essa?
E voávamos numa felicidade impressionante e numa altura de uns 200 metros do chão mais ou menos.
Senti que ele estava em euforia total, muito feliz e eu também fiquei desta forma, motivado pela sensação, pelos amigos mentores que invisíveis estavam presentes, dando aos dois uma grande oportunidade.
Enquanto escrevo esse texto sinto fortemente minha aura abrir, sintoma característico também de pós projeção, o Balonamento é a certeza da presença de algum amigo espiritual no ambiente.

Após algum tempo voando e sentindo forte alegria, senti que o amigo queria ir visitar e ver a situação de algum familiar, o pensamento foi tão forte que a energia mudou um pouco, senti o voo mudar de direção e entrarmos numa zona um pouco mais densa por isso. Aconselhei educadamente a ele não fazer isso, por mais que naquela experiência a gente quisesse aproveitar e fazer tudo, não era aconselhável no momento se preocupar com isso, mas aproveitar a experiência extracorpórea. Ele ouviu e voltamos a voar em lugares melhores, alcançando altura.

Não sei o desenrolar da história, não consigo trazer o que aconteceu depois e só me lembro de entrar em onirismo, sonhando algumas coisas confusas após estamos ali voando com lucidez.
Despertei alguns minutos depois, sei disso pois a memória da rememoração veio forte e recente ao abrir os olhos.
Fiz um grande esforço e levantei para relatar. Agora são 04:04 e vou escrever um pouco do livro novo.

Quem é esse rapaz?
Seja quem for, que se lembre ou pelo menos traga uma boa impressão que tive, pois foi uma experiência muito legal.
E o carinho que senti dele para comigo era lindo, respeito, bondade, amizade, gratidão!
São sensações que dinheiro algum pode comprar e que já valeu todo o esforço pelo GVA.

 

Um abração!

PS: FALTA CORRIGIR

Comments 1

  1. Muita gratidão pelo relato Saulo! Já tive algumas projeções nesse sentido, com voos fantásticos sendo patrocinados por espíritos de luz… amigos que não enxergamos nem projetados devido à frequência sutil. Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *