Questionamentos sobre a morte

Saulo Calderon Informações Leave a Comment

Estava sentado escrevendo o novo Curso (voltarei a gravar ele essa próxima semana), e senti vontade de escrever essas palavras, intuição ou não, foram questionamentos interessantes, segue:

Questionamentos sobre a morte
Um dia você vai fechar os olhos aqui e não fará mais parte do mundo dos “vivos”. Pelo menos não mais dessa dimensão física.
A pergunta certa é:
“E SE?”
O chamado é dado para cada pessoa, cada um na hora e momento seu, único.
E SE seus olhos continuarem abertos?
E SE você observasse seu corpo já sem vida?
O que foi com você?
O que levou ali?
Quem vai lhe receber?
Será recebido?
E SE todas as pessoas que por aqui passaram tiveram que confrontar a si mesmo neste grande despertar?
Sim, se a vida continua, certamente estamos adormecidos aqui.
A verdade é que, continuando ou não, isto aqui é uma passagem, não parecemos ser daqui…

E a sua hora a cada dia se aproxima mais.
Este é o seu momento e ninguém poderá lhe salvar, pois também não podem salvar a si mesmo.
Salvar de que?
Talvez a morte seja enfim o resgate e não a perda.
Talvez a grande resposta da vida seja a morte.
Quantos passaram por aqui?
Inclusive antes de nascermos!
Você não acha isso tudo estranho?
Por que nascemos aqui se simplesmente um dia acaba?
Qual o objetivo de passar por aqui? Acaso?
Muitos nem conseguem andar muito, vem sofrido e logo se vão.
A verdade é que de alguma forma essas respostas estão respondidas no obscuro e pouco conhecido caminho da morte.
Já percebeu que não parecemos estar sozinhos? Algo parece se movimentar em outras dimensões, algo parece por vezes mexer na gente, seja positivamente, seja negativamente.
Muitas vezes no silêncio do meu quarto percebo coisas estranhas acontecendo, sensações.
Muitas vezes ao fechar meus olhos do corpo físico eu consegui escapar de forma limitada e ver mais ou menos lugares além daqui.
Você nunca se perguntou o que acontece nos bastidores?
Você nunca tentou sentir?
Se nós vamos para lá ao “morrer”, significa que viemos de lá e que isso está na gente de alguma forma.
Há um chamado, feito todo dia ao adormecermos.
Feito todo dia no silêncio de nós mesmos.
Você costuma tentar sentir?
E o grande chamado chegará, mais dia ou menos dia, e partirá para algum lugar e te pegará em alguma esquina.
E se continuar, qual é a bagagem que podemos levar?
Invista também um pouco do seu tempo não para crer, mas para tentar sentir, pois isso de alguma forma mora dentro de cada um de nós.
Se é tudo que podemos carregar ao “morrermos”, por via de dúvidas invista na bagagem interior, LOGO!

PS: Falta corrigir

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *