Uma Viagem Astral ao Umbral Extrafísico*

Saulo Calderon Relatos, Relatos Saulo Calderon 19 Comments

03 de fevereiro de 2005
Eram 03h30min da madrugada.

 

 

Se possível, leia o relato ouvindo essa música abaixo que postei no YouTube exatamente para ele.

Eu escrevia uma apostila do curso de experiências fora do corpo. O sono
começou a me incomodar e resolvi ir deitar. Pensei em continuar a apostila
durante o dia.

Comecei a mobilizar as energias de forma intensa, e pensei: “Eu vou ficar
bem concentrado nisso até sair do corpo!”

Senti uma dificuldade energética na área da garganta, e fiz um estado
vibracional** localizado, até que melhorou.

Perdi a consciência depois de um tempo de exercícios energéticos.

Minha consciência despertou ao lado de um espírito, que mexia nas minhas
energias, acredito que por isso eu consegui abrir a lucidez naquele momento.

O local era horrível, escuro, com barulhos de gritos que vinham de todo
lado.

O espírito amigo me disse:

“Preste atenção! Estamos aqui para socorrer um amigo, ele se perdeu aqui e
já é a quinta vez que tentamos tirar ele desse lugar. Está vendo aquele
ponto ali?” – Ele falou isso enquanto apontava para um tipo de amontoado de
lama com madeira.

Eu falei: “Vejo sim!”

“Você é o quinto projetor que pegamos e ninguém ainda conseguiu passar dali.
Não ajude ninguém durante o caminho, não se concentre em nada. Você irá
entrar disfarçado comigo, e se nos descobrirem, você irá acordar pensando
que foi um pesadelo, e sentirá uma energia desagradável. É só você me
seguir, pise onde eu pisar; é só seguir os meus passos.

Eu, claro, depois dessa já estava olhando tudo com o máximo de atenção, e
também com certo receio.

Íamos andando a passos lentos, e ainda pensei: “Por que não voamos?”

A resposta do espírito veio rápida na mente: “Voar? Estamos disfarçados!”

Eu pisava exatamente onde ele pisava. Era uma lama, ele pisava e deixava um
buraco. Reparei que a minha era roupa igual à dele: era marrom e eu usava
uma bota. E fazia um barulho estranho a cada pisada, como se estivéssemos
andando em um tipo de lama bem grossa.

Eu olhava para todos os lados, com medo de algo pular em cima de nós, pois
eu via cada cena horripilante. Teve uma hora em que pensei ter pisado numa
poça de sangue com algo amarelo, simplesmente nojento. Chegamos ao ponto
onde os outros projetores não conseguiam passar, e reparei o motivo disso.
Era um lugar onde havia muitos espíritos sofredores, jogados para todo lado.

Em minha mente surgiu a resposta: eram espíritos que já tinham sido
vampirizados até a última gota das suas energias, e estavam totalmente
desfigurados. Alguns sem pernas. As suas faces, totalmente desfiguradas.
Aquilo parecia um verdadeiro inferno.

E os gritos? Choros, uns nem força tinham para gritar. Como existem lugares
iguais a esse? – pensei. Mas é, na verdade o reflexo do próprio homem e seus
desiquilíbrios.

Perdendo-me em pensamentos, durante um momento passei por um lugar, e acho
que pisei em algum espírito, pois ele deu um grito forte. Eu me abaixei para
ajudá-lo, e aí vi a bobagem que fiz. O espírito amigo ainda tentou me
segurar, mas não deu tempo.

Ouvi um grito alto, que me jogou uma energia densa, nesses termos:

“Ô pra ti, ó!”.

E senti uma energia forte vindo de vários lugares. Pareceu ser um tipo de
alarme.

O amigo que vinha comigo não tinha sido identificado, eu era o alvo, pois
tinha tentado ajudar alguém. De alguma forma, ao fazer aquilo, eu joguei uma
energia diferente no ar, e isso causou uma repercussão no ambiente.

Então vi meu amigo entrar em cena, começando a exteriorizar energias na
direção dos agressores extrafísicos. Eram uns seis, no mínimo. Eu fiquei ali
perto dele, quando ouvi ele falar mentalmente:

“Vamos lá, Doutor! Agora que vacilou, começa a ajudar na defesa energética.”

Então, eu levantei as mãos e comecei a ajudar. Comecei a me achar o máximo,
pois vinha um dos espíritos e eu jogava uma energia, e o cara voava longe
(parecia cena de filme chinês de Kung-Fú). Começou a encher, chegavam mais e
mais assediadores. Eu já não conseguia me defender direito e perdi a conta
de quantos tinham, e comecei a sentir uma agonia. Sentia uma energia forte
me atingir, até impressão de falta de ar eu comecei a sentir.

Até que meu amigo falou mentalmente:

“É, vou ter que pedir ajuda. Segura as pontas aí!”

Ele fechou os olhos por alguns segundos. De repente, senti uma energia forte
varrer todo o local em que estávamos, e vi todos os espíritos baterem em
retirada. Uma coisa incrível, simplesmente todos correram como que
desesperados. Mas o que seria?

Eu não conseguia ver também. Até que senti uma pequena mão pegar nas minhas.
Quando olho para o meu lado, vejo uma menina que aparentava uns seis ou sete
anos de idade. De olhos praticamente fechados (era o que parecia), ela
saudou o amigo e imediatamente me puxou dali. Uma coisa maravilhosa me
dominou. Pois eu saí de uma energia pesada e entrei num lugar muito lindo.
Um tipo de jardim com bancos.

Screen shot 2013-08-09 at 10.49.52 PM

Olhei para aquela menina, e fui agradecer a bondade dela. Até então, não
tinha caído a ficha de quem seria ela. Até a tratei como criança,
agradecendo meio que brincando.

Quando, então, ouvi mentalmente ela falar, de forma muito calma e muito
serena:

“Ô Saulo! Sabe que vocês hoje tentaram socorrer um amigo da equipe que
trabalhava nesses lugares. Ele se desequilibrou por causa de uma falha
dentro dele mesmo, ele recebeu as energias dos seres daquele lugar, que o
aprisionaram ali. Aquele rapaz que estava com você era um incansável amigo
da equipe dele, que está tentando de toda forma

tirar ele dali. Aquela é uma zona de nível espiritual muito baixo. Esse
rapaz que está preso lá, já esteve preso antes ali.”

Eu falei: “Tá me dizendo que tem um amparador extrafísico preso naquela
região?”

“Não é bem isso”, respondeu ela calmamente.

“Ele é sim o que podemos chamar de amparador, mas tem seus defeitos, também.
Ele se desequilibrou, apesar dos cursos e da preparação que tinha. Isso
acontece, às vezes, o que mostra que o equilíbrio está dentro de nós mesmos,
não importando se mora lá embaixo ou aqui.”

Eu perguntei: “Me diz uma coisa, como conseguiu fazer aquilo? Colocar todos
para

correrem?”

“Saulo, às vezes, a energia aqui é como força física. Uma mente equilibrada
sempre pode mais do que força. Basta querer e se concentrar.”

E perguntei, novamente: “Me desculpe perguntar, mas fico assustado ao ver
uma menina de seis anos falar assim. Você é muito fofa, mas é óbvio que é
uma amparadora.

Por que está com forma de criança? Pergunto isso, pois, por coincidência,
recentemente comentei isso com amigos.”

Ela respondeu:

“Eu vou reencarnar em breve. Eu preciso já ficar na forma feminina, mas
prefiro ficar como criança. Às pessoas se desequilibram muito fácil, por
causa do instinto humano, por isso prefiro ficar na forma de menina.”

Eu: “Vai reencarnar quando?”

“Daqui a uns 25 anos, mais ou menos, disse ela.

“E isso é breve?”, e dei uma boa risada.

A conversa continuou durante um bom tempo, só que não me lembro de mais
nada, além dessa minha risada. Lembro-me de abrir os olhos no corpo, onde
fiquei imóvel na cama sabendo que tinha que me lembrar de algo. Logo me veio
a imagem do local horrível.

E começou a me chegar tudo o que escrevi acima.

Porém, agora comecei a meditar nos acontecimentos.

Como pode um amparador extrafísico ficar preso?

Isso é muito intrigante, pois mostra que os amparadores também são falhos,
mas é claro que existem milhares deles, e possivelmente, de alguma forma,
ele foi levado para aquele desequilíbrio, que, infelizmente eu não pude
ajudar.

Fui avisado pelo amigo de que não podia ajudar a ninguém na passagem, mas
não entendi muito bem a mensagem. Realmente sinto muito por não ter
conseguido ajudar. Meu coração se parte em dois pedaços, um pelo rapaz
preso, e outro pelo empenhado amigo que

não descansa, querendo socorrer ele.

Vou me colocar novamente a disposição dele, se precisar, e da próxima vez
tentar ser mais equilibrado.

Agora, a segunda parte foi formidável. Quem era aquela figura angelical?

Que coisa mais linda! Agora que voltei ao corpo, percebo de forma clara com
quem eu estava. E fico pensando: eu estava lá com o amigo exteriorizando
energias com uma dificuldade incrível para se defender, e ela chegou e em um
segundo todos correram. E me questiono: “Por que ela não vai pegar o cara lá
que está preso?

Imagino que ela seja muito sutil para isso, por isso eles tem que pegar os
projetores astrais, devido a densidade das energias de seu corpo e do cordão
de prata.

Que coisa mais linda que ela era…

Sabe, apesar de ela ser a criança, era eu que queria ser carregado no colo
por ela (e quem não queria?)

E a saudade que sinto dela agora?

Um amor fora de série, mesmo sem já poder me conectar na energia que estava
naquele momento. Agora me lembro que, enquanto ela me explicava as coisas,
me travava com carinho, pegando em minha mão e me olhando e se comunicando
de forma muito lúcida.

Percebi o quanto uma mente sadia é importante, ela fez algo incrível. É até
meio que vergonhoso, eu, um projetor, lá me esforçando na proteção
energética, e chega uma criança e faz o trabalho meio que brincando.

P.S.: Bem, hoje fiquei conectado com as energias dessa amparadora o dia
todo.

Pois é… Quanto a aprender, começo a perceber que a criança aqui sou eu…

Abraços.

Comments 19

  1. Lindo relato, que oportunidade incrivel de poder está próximo de seres tão elevedos que só sua presença já tras uma paz imensa no ser, e essa certeza de eternidade nos faz viver de forma mais tranquila sem apegos desnecessários e calma nos momentos de turbulência terrestre.
    Abraços amigo Saulo muita paz!

  2. Seus relatos são de outro mundo, continue postando e compartilhando conosco, por favor.
    Simplicidade e humildade é sempre bom buscar, você não faz idéia de como fico vibrando depois de ler isso.
    Obrigado mais uma vez!

  3. Só de ler o relato parece que a sintonia vai lá pra cima!
    Obrigado por compartilhar conosco, Saulo!
    Deus o abençõe!

  4. Eu estava há poucos em uma prática individual de meditação, onde cheguei a um insight, e ressoava como que em espécie de um mantra que dizia ‘que eu vibre sempre na frequência do amor’, fiquei com isso na cabeça por um certo tempo, e após a prática eu me deparo com um relato dessa natureza. Que a energia dessa menina possa sempre caminhar ao seu lado.Incrível sintonia.

    abçs

    Evaldo Junior

  5. Pingback: Bodhisattva Child (Long Version) – Oliver Shanti – Relato: Viagem ao Umbral Extrafísico | GVA - Grupo Viagem Astral

  6. que lindo relato..e que maravilha a sua sensibilidade e sutileza…muito especial mesmo..eu ainda, apesar da idade física já avançada, sou tão densa…estudando pra ficar melhor…vamos ver o que acontece…abraços querido Saulo Calderon….obrigada por seus ensinamentos…

  7. ****Como ele consegue se lembrar de tudo?****Disse o Pezinho feminino e eu respondo pelo Saulo:-Fica tudo na nossa mente registrado e não tem como esquecer ,é forte demais.Paz e luz a todos

  8. Sempre gosto de ler esses relatos, pois me imagino na situação, um filme passa na minha cabeça, é bom mesmo poder ter essas experiências compartilhadas, e elas tem mensagens incríveis.

  9. Assim,como cada dia eu preciso de mais e mais estudos. Gostaria por favor que enviasse-me por gentileza mais esclarecimentos. deste fato. Existem as creches que pequeninos são recolhidos assim que desencarnam. Uma lição de cada dia. Gentilmente desculpe-me de minha colocação.

  10. Olá! Amigo!
    Saulo, linda experiência! Realmente encantadora! E chegou em um momento em que me perguntava sobre isso:
    – Será que um espirito protetor de luz pode baixar sua vibração, perder sua lucidez e querer ofender, se vingar, … ? Ou esse espirito pode se disfarçar de luz?
    Isso é possível?
    Pois eu e minha amiga/ irmã, estávamos recebendo orientação e proteção de um espirito com uma luz intensa, sempre sentia muito amor quando ela estava por perto. Mas quando ela estava com essa minha amiga e ela não estava muito bem, esse espirito começava a se transformar, falava sobre vingança, ficava com ódio e perdia sua luz…
    Pensei que outro espirito podia estar se passando por ela, mas sinto que é ela mesma, e estava me perguntado: ” Será que a energia densa da Terra e qd nós sustentamos pensamentos negativos pode influenciar nossos amigos protetores de luz que estão no outro plano?
    Como pode uma espirito falar sobre Deus, sobre ensinamentos evoluídos, paz, amor,… de repente falar com raiva e rancor,…
    Saulo, será que vc pode me ajudar a compreender?
    Desde já fico imensamente grata com seu lindo trabalho!!!
    E parabéns por tudo!!!
    Um grande abraço fraternal!!!

  11. Acredito em cada palavra pois já passei por certas experiências: umas boas e outras nem tanto. Mais com certeza, a impressões que ficam são forte demais. Em uma delas, “acordei” chorando, o coração descompassado e muito cansada. Em outra, trazia o perfume/cheiros do lugar…É impressionante. O impressionante, é que sempre estou trabalhando de alguma forma…Como sou médium de Umbanda e tenho experiência de determinados “sintomas” sobre sonho, pesadelos e desdobramento(comum no meu caso), sempre volto com todas as lembranças…Parabéns e continue compartilhando conosco tais experiências. Uma braço fraterno.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *