Vendo Júpiter, Saturno e Urano Fora do corpo

Saulo Calderon Relatos, Relatos Saulo Calderon 5 Comments

Recife 26 de julho de 2015

Relato: Vendo Júpiter, Saturno e Urano Fora do corpo

PLanetas copy

Olá, amigos!

E antes que pense que tive a oportunidade de ir até esses planetas, não foi isso, infelizmente! Mas foi muito boa a sensação que senti.

Fui deitar e pratiquei pouco as energias, mas adormeci numa boa sintonia.
Acordei já fora do corpo e não sei quanto tempo depois, pois perdi a consciência durante a prática!
Estava numa casa grande e havia uma mulher muito legal, talvez uma mentora, não sei. Sei que ela me mostrava alguns equipamentos tecnológicos e explicava que estes ainda não existiam no plano físico.
Um era um tipo de tablet, as imagens saiam da tela e eram colocadas por todo o ambiente, como se tivessem vida, ela puxou um tipo de holograma perfeito e colocou em cima de uma mesa, era uma pessoa se mexendo, como se fizesse uma apresentação.
Falou que existiam alguns jogos assim lá e que nos momentos de distração eles usavam e que todos adoravam!
Pegou um tipo de luneta com tela, esta que ela explicou que poderia ver longe e sentir pouca ação da sujeira cósmica e da energia que envolve o planeta Terra.
Eu sentia a lucidez muito alta, mas questionava os equipamentos que me mostrava, num misto de admiração, euforia e dúvida. Cheguei a pensar que ia fazer associação daqueles equipamentos ao voltar, que provavelmente não lembraria direito deles ao abrir os olhos lá no físico!
E então me convidou a testar a luneta com tela, falando: Ela não mostra só imagens, mas nos conecta e dá pra sentir o local que olhamos, a energia dele!
Então apontei para o lado que ela mostrou, Júpiter!
Dei um zoom em Júpiter e cheguei mais ou menos na distância que vemos a lua aqui da Terra.
Vi uma atmosfera ao seu redor esbranquiçada, era a energia do planeta. Ele emitia uma energia maravilhosa, uma sensação de paz inclusive na sua órbita, era uma energia muito linda.
Senti uma certa saudade, como se já tivesse visto aquilo antes, e questionei o que era aquilo que sentia?
Ela somente sorriu e pediu para eu apontar também para os outros planetas! Como eu sabia a direção deles? Não sei, apontei e vi Saturno, e não sei como, mas Júpiter ficou perto, como se o equipamento estivesse mantendo eles juntos para que eu comparasse, mas a energia de Saturno era muito parecida com a de Júpiter. E também vi Urano!
Os três planetas apareciam na tela do equipamento, eu via ao redor deles uma aura branca forte, emanava e pegava o espaço ao redor deles, era a energia espiritual dos 3 planetas!
Os três pareciam ter exatamente a mesma emanação!
Eu tive certeza de já ter visto aquilo, mas não sabia de onde, só sabia que não era a primeira vez que havia sentido aquela assinatura energética!
Que coisa mais perfeita!! – Falei para minha amiga, esta que nem sei o nome!
E falei:
Vou voltar pro corpo, quero me lembrar disso!
E abri os olhos quase que instantaneamente no corpo!
Lembrava fortemente da imagem dos três planetas, da energia ao redor deles, da força magnética positiva que via!
Tomei café da manhã conectado com aquela sensação, com a visão longínqua daqueles três planetas, uma das sensações astrais mais lindas que já consegui trazer até hoje!
Ao sair de casa, ouvindo uma música calma e absolutamente bem sintonizado, virei a esquina e presenciei um assalto! Um rapaz puxou um celular de uma moça que ia para escola e saiu correndo! Dois motoqueiros foram atrás e não sei mais o que aconteceu!
Mas fiquei com aquela pergunta:
Que planetinha é este que estamos?
E aí fiz a pergunta certa:
O que fazemos por aqui?
A diferença entre a energia que eu vi e esta que observava naquele momento era gritante!
O nível de consciência dos seres aqui é baixo, por algum motivo, como pequenas crianças em aprendizado!
E fui nessa reflexão até agora, onde escrevo este texto e divido um pouco com vocês o que senti e sinto até agora!

Não sei o que foi aquilo que vi, aquela sensação que senti, mas sei de uma coisa:
Foi uma das sintonias mais altas que já senti em alguma coisa, aqueles Astros liberam uma energia espiritual impressionante e eu pude sentir!
Há alguma coisa lá, alguma coisa boa, muito melhor do que pelo menos sinto aqui na Terra.
Fiz esta imagem de manhã, para ter mais ou menos a ideia do que via e estou usando a mesma como papel de parede!
Não que aqui seja ruim, aqui somente é o momento consciencial de alguns dos seres desse gigantesco sistema, eu faço parte disso e você também!
Mas é bom saber que lugares como estes estão por aí nos esperando!
Um dia quem sabe eu vou até lá, nem que seja depois de algumas milhares de vidas…

Um abração e ótima energia para todos!

Comments 5

  1. Já passei por uma experiência parecida. Abri a lucidez numa espécie de casa de madeira, com uma figura feminina na minha frente dizendo “agora vá lá fora e olhe pro céu”. Saí daquela cabana e lá fora estava escuro, com muita grama por todo lado, e ao olhar pra cima vi um amontoado de estrelas. O que me chamou mais a atenção foi ver uma das estrelas de mexendo para a direita. Simplesmente incrível.

  2. Tive esse momento de forma lúcida qdo Vi pela primeira vez esses mesmos planetas em um observatório em São José dos Campos. Imediatamente comecei a questionar tudo o que fazemos e o quanto ainda somos crianças.

  3. Por alguns anos da minha vida, (essa última é claro), sentia uma saudade absurda dentro de mim que me esmagava!!! Por vezes quando criança, eu saía do corpo e ía brincar com meus amigos na minha
    “antiga casa”. Era o que me confortava, trazer a recordação da assinatura energética do lugar, que é deslumbrante!!! Com o decorrer do envelhecimento carnal, venho me analisando. e cheguei à seguinte conclusão: Somos médiuns sim, e viemos para transformar, neutralizar e transportar a carga pesada de nossos irmão aqui na terra. Se não fosse ao menos essa chance deles conhecerem a misericórdia divina, através de nossa intercessão, só Deus sabe como seria!!! Eu sei que é difícil, também não gosto de estar encarnada, meu corpo é pesado, as vezes dói, não posso voar livremente como um pássaro quando quero!!! Mas sinto que a misericórdia divina trabalha através de nós, para socorrer os aflitos!!! Perseveremos amiguinho…

  4. Oi Saulo! Mto bacana o relato… Que experiência! Tem um livro muito bom que trata deste tema, chamado urãnia, de um astrônomo chamado Camille Flammarion. Você conhece?
    vc pode baixar o pdf neste site se tiver interesse

    http://www.autoresespiritasclassicos.com/camille%20flammarion/Urania/Camille%20Flammarion%20-%20Ur%C3%A2nia.htm

    Segue um trecho a título de curiosidade…

    Vi então a Terra que tombava nas profundezas da
    imensidade; as cúpulas do observatório, Paris iluminada,
    desciam rapidamente; não obstante sentir-me imóvel, tive a
    impressão análoga às que se experimenta em balão, quando,
    elevando-se nos ares, se vê a Terra descer. Subi, subi durante
    muito tempo, arrebatado em mágica ascensão para o Zênite
    inacessível. Urânia estava junto de mim, um pouco mais elevada,
    fitando-me com doçura e mostrando-me os reinos terrestres. O
    dia voltara. Reconheci a França, o Reno, a Alemanha, a Áustria,
    a Itália, o Mediterrâneo, a Espanha, o oceano Atlântico, a
    Mancha, a Inglaterra. Mas toda essa liliputiana geografia
    diminuía rapidamente. Em breve o globo terráqueo estava
    reduzido às aparentes dimensões do plenilúnio, depois às de uma
    luazinha cheia.
    – Eis aí – disse-me ela –, o famoso globo terrestre sobre o
    qual se agitam tantas paixões, e que encerra em seu círculo
    estreito o pensamento de tantos milhões de seres cuja vista não
    se estende ao Além. Vê quanto a sua aparente grandeza diminui
    à proporção que o nosso horizonte se dilata. Já não distinguimos
    mais a Europa da Ásia. Eis ali o Canadá, a América do Norte.
    Quanto é minúsculo tudo aquilo!
    Passando vizinho à Lua, eu havia notado as paisagens
    montanhosas do nosso satélite, os cimos radiante de luz, os
    profundos vales cheios de sombras, e teria desejado deter-me
    para estudar de mais perto essa morada vizinha; mas, sem
    mesmo dignar-se lançar para ela um simples olhar, Urânia me
    arrastava em rápido vôo para as regiões siderais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *