Visitando o Túmulo de minha mãe (mas ela tá viva), como assim? 18 de Abril de 2011

Saulo Calderon Diário Projetivo, Relatos, Relatos Saulo Calderon 5 Comments

Recife 18 de Abril de 2011

Olá amigos, bom dia.

 

Agora estou no trabalho mas mesmo assim vou parar um minutinho para documentar essa experiência.

 

Fui dormir depois das 2 da manhã, fiquei na cama após faltar luz, com muriçoca e calor estava difícil dormir.

Voltou a luz e enfim consegui adormecer.

Tava de barriga pra cima, dormindo ao lado da esposa.

 

Despertei a consciência num local escuro, um cemitério que ficava no alto de uma montanha, mas bem alto mesmo. Não entendi direito o que fazia naquele local. Mas percebi que estava indo visitar o túmulo de minha mãe. Apesar de saber que ela não havia morrido, estava lúcido da experiência eu senti toda a sensação emocional do acontecimento, como se fosse verdade. E repetia: mas ela tá viva!

Só que senti como se estivesse no futuro, eu chorava pois não conseguia achar e falava baixinho: Mas mãe, você não sabe como é difícil manter a fé. Muitas pessoas me vêem como base para sua fé, às vezes isso é um fardo e tanto, manter sempre a força interna para dar-lhes conforto também (fala isso pensando em meus irmãos e algumas pessoas que me tem como a pessoa de fé e como modelo para suas crenças.

 

Pouco depois ela apareceu, em espírito. Foi muito confusa essa experiência pois é meio que incomum você ver o túmulo de sua mãe sabendo que ela está ainda aqui, e ainda depois ver e espírito  dela aparecendo para você.

 

Ela então me chamou para ir em outro local. Comecei a ficar meio que desconfiado de quem era, seria mesmo minha mãe ali ou algum espírito plasmado, ou então uma modificação do meu subconsciente?

Entramos num buraco que parecia uma cripta só que tinha fundo. Uns 20 metros mais ou menos, e lá dentro tinha como se fosse um local e vi outro túmulo o do meu Tio. Não entendi, e ela falou:

As pessoas acham que a vida termina aqui, não termina não, nunca se esqueça de avisar a elas que aqui só fica a roupa velha, nós continuamos.

 

Saímos dali e ficamos olhando de cima da colina todo o cemitério, quando perdi a consciência.

Não me lembro exatamente quando despertei ou SE despertei no meio da noite, só sei que pela manhã essas lembranças era MUITO fortes e a sensação emocional também.

 

Tá doido!

 

Uma mistura de lucidez, com Sonho, sei lá, só que tinha lógica.

E eu sabia o tempo todo que estavaa fora do corpo, mas fiquei confuso devido os acontecimentos estranhos.

Não sei o que queriam me passar com essa experiência, mas tá relatada.

Vou deixar anotada.

 

A Conversa com ela foi extensa, mas não consigo me lembrar de quase nada.

 

Não é a experiência dos sonhos e espero que não se concretize tão cedo.

 

Muita paz,

 

Saulo

 

 

Comments 5

  1. sei la ..
    minha opinião humilde saulão

    Eu sei que a vida NÂO acaba depois da morte física..

    Será que seria isso, para você nunca esquecer que “existe vida após a vida” (André Luiz)
    Que voce deve está saindo do foco ( espiritualidade ).
    pode ser um avisou uam lembrança de quem voê é e que você é.
    Abcos

  2. Olá Saulo!

    Vou me atraver a interpretar se relato. De início não entendi nada, depois “me baixou o santo” rs. Coragem, la vai:
    A morte vem trazer a renovação. É a morte de coisas velhas,
    lembranças que se equivalem a sonhos por já estarem superadas no tempo. Por isso a mistura de certeza de projeção com características de sonho. Fazendo um link com seu outro relato que fala do sofrimento de sua mãe no passado, entendo que a idéia é que ela já superou de alguma forma o ocorrido. Por isso a idéia de morte mesmo ela estando viva. Talvez seja um recado para voce superar também.

    1. Olá Saulo!

      Vou me atraver a interpretar se relato. De início não entendi nada, depois “me baixou o santo” rs. Coragem, la vai:
      A morte vem trazer a renovação. É a morte de coisas velhas,
      lembranças que se equivalem a sonhos por já estarem superadas no tempo. Por isso a mistura de certeza de projeção com características de sonho. Fazendo um link com seu outro relato que fala do sofrimento de sua mãe no passado, entendo que a idéia é que ela já superou de alguma forma o ocorrido. Por isso a idéia de morte mesmo ela estando viva. Talvez seja um recado para voce superar também. É isso.

      Um abraço.

  3. Tenso Saulo,mas a frase “As pessoas acham que a vida termina aqui(cemitério), não termina não, nunca se esqueça de avisar a elas que aqui só fica a roupa velha, nós continuamos”

    Acredito que mtos espiritualistas,como o próprio Wagner Borges fala,mesmo sabendo que a vida continua,ainda se apega ao local da ultima morada física(tumulo)e constantemente fazem visitas,achando que o espírito ta ali,ou mesmo como uma muleta pra apaziguar a saudade.
    Seria bacana vc fazer um videozinho abordando esse tema.

    Abraço

  4. Oii saulo! E se fosse pq em um futuro,qdo isso acontecesse,vc ficasse muito abalado e o relato veio com o intuito de que quando vc estiver sofrendo vc possa lembrar disso e ver que a vida realmente tem uma continuaçao e para tentar nao ficar tao abalado com isso pq possivelmente irá te atrapalhar?sei la né,é a minha opiniao (ficou confuso..mas…)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *