Voando no Umbral e mudando de dimensão devido a boa sintonia

Saulo Calderon Diário Projetivo, Relatos, Relatos Saulo Calderon Leave a Comment

RELATO: Voando no Umbral e mudando de dimensão devido a boa sintonia

Acordei de madrugada com as cachorras fazendo barulho pela casa.
Levantei, fiquei um pouco com elas e aproveitei para ver o quinto episódio da sétima temporada de Games of Thrones.
Fui deitar por volta das 3:10 da manhã. O que fiz é excelente para a projeção, acordar de madrugada e ficar acordado por um tempo e ir deitar a esse horário, pois é a hora que o ambiente está calmo e as equipes espirituais estão mais presentes para o trabalho de amparo.

Mexi um pouco as energias e senti um sono forte, o que também é positivo para a projeção astral caso não deixemos a consciência ir junto e com o tempo de convívio com as experiências extracorpóreas, já meio que estou aprendendo a controlar isso.
Mas, apaguei a consciência 🙂 .
Despertei a consciência numa região escura e com uma ladeira de barro apontando para a entrada de um local que parecia uma favela. Morros e sentia fortemente o ambiente pesado.
Forcei a consciência e repeti para mim mesmo em voz alta:
Estou fora do corpo e preciso aumentar minha lucidez.
Eu estava no topo da ladeira e via as casas pequenas lá embaixo e mato para todo lado ao redor.
Resolvi tentar voar para sair dali, pois senti que se tentasse andar por ali, descer a ladeira, iria para um ambiente mais pesado e provavelmente seria abordado ou perderia a consciência. Tomei vôo com dificuldade, percebi a perda de altitude mas me mantive calmo e forcei a consciência para o controle do voo, usando a técnica de passar a energia do ambiente por mim e não lutar contra o local. Assim consegui controlar melhor a volitação, mas ainda estava difícil. Senti então algo me ajudar, claramente havia algum amigo espiritual comigo. Voando eu via casinhas bem simples e percebia em cada local que olhava que o ambiente não era agradável, que cair ali seria certo a volta ao corpo, era muito pesado.
Forcei o voo para o alto e vi o topo de uma montanha. Nessa hora, enquanto ia em direção à montanha, falei para o amigo espiritual que me ajudava mas eu não via que estava à disposição para algum projeto de amparo ou o que for.
Só o posicionamento em querer ser útil creio que me sutilizou, pois ao chegar no topo da montanha eu pousei e vi pequenas partes de grama bem verde, bem bonito. Olhei para trás e via o umbral pesado e após aquele ponto, do outro lado da montanha, eu via tudo já bonito, verde e com lagos por todo lado. Decolei, agora com facilidade, em direção aquele local bonito.
Senti o voo super forte, controlado e senti paz e sabia que tinha mudado de dimensão somente por pensar em algo positivo durante a experiência.
Coloquei-me novamente à disposição para amparo e ouvi na mente: Hoje tente relaxar, voe um pouco e curta a liberdade espiritual sem nenhuma obrigação, Saulo.
Sorri e assim fiz.
Dei piruetas, aproveitei o ambiente e pousei depois perto de um lindo lago.
Não tinha ninguém ali e não consegui ver em nenhum momento o amigo que me acompanha, mas não cobrei a presença visual dele.
Olhei para aquele local lindo e sentindo uma paz e tranquilidade muito grande, falei:
Vou voltar agora para a dimensão onde meu veículo físico no momento adormece, mas vou tranquilo, eu não sou aquele corpo e sei que ali é uma simples passagem e sei que um dia vou poder voltar aqui com uma liberdade ainda maior.
Fechei os olhos e pensei no corpo.
Abri os olhos quase que imediatamente e sem perder nenhuma lembrança. Eram 3:57;
Levantei fui ao banheiro e olhei no espelho e falei:
Olá, Corpo que me permite a passagem por aqui.
Sorri para a vida e voltei para cama com um excelente nível de compreensão do local que estamos e do aprendizado momentâneo.

Aqui não é um lugar fácil pela frequência média das vibrações dos seres que aqui vivem.
Nós não fazemos de propósito, mas de alguma forma ainda somos assim e faz parte da gente o aprendizado de encontrar a chave para a mudança de padrão e elevação consciencial.
Um simples pensamento me fez mudar de dimensão.
E ficam sempre as perguntas:
O que temos feito com o nosso padrão mental?
O quanto será que isso nos afeta no dia-a-dia?
De alguma forma quando pensamos em ser úteis de forma sincera e desprendida, nós mudamos de frequência e ela acontece dentro da gente.

Um abraço.
PS: Falta corrigir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *