A frustração da não rememoração

Saulo Calderon Diário Projetivo, Relatos, Relatos Saulo Calderon 3 Comments

 

Essa noite fui deitar tranquilo.
Fiquei um pouco no celular vendo um documentário sobre Urano e Neptuno, planetas(adoro).
Peguei no sono que nem vi e despertei com alguém falando repetidas vezes meu nome, tentando me acordar do lado de lá.
Foi tão intenso que levantei achando que era no quarto. Abri os olhos e estava tudo escuro e ainda tinha o tom da voz na mente.
Voltei a deitar, porém fiquei mais alerta.
Abri percepção energética e consegui captar um campo se movimentando ao lado da minha cama. Engraçado que parece a sensação da televisão de TUBO quando desligava, arrepiava o pelos do braço quando passava perto.

Pouco tempo depois entrei em catalepsia e tentei olhar pelo quarto.
Vi uma sombra se movimentando. A visão da sombra é normal, pois no escuro a visão pode tanto variar para algo esbranquiçado, como para algo escuro e isso não tem relação com positivo ou negativo.
Até que falando com dificuldade por causa da interiorização astral no corpo, repetia: quem está aí!
Então o espírito chegou bem perto do meu rosto e pude ver algo bem na minha face me olhando, era bem transparente.
Pegou no meu pescoço e começou a tentar me puxar para fora do corpo.
Eu falei: calma, calma, deixa que vou tentar me afastar.
Mas aí ele falava: Sai logo, quero ajuda e explicar a situação, já repeti várias vezes e você não entende, e pegou nas minhas pernas que estavam soltas e tentava puxar.
Senti uma agonia danada de não ver direito aquele ser ali, ainda o mesmo me puxando e eu ainda tentando ouvir.
Até que perdi a catalepsia projetiva e voltei novamente a encaixar no corpo e falei em voz baixa:
Poxa, você acabou me fazendo voltar, tem que ter calma, “pai véi” (termo comum lá na Bahia), vou tentar novamente, mas não atrapalha, tá?
Fiquei deitado e depois de uns 20 minutos decolei sem entrar em catalepsia, porém não lembro de mais nada, somente eu saindo.
O que fiz?
Falei com a criatura?
Ajudei?
O que ele me contou?
Espero que tenha sido pelo menos útil.
Ou que não tenha sido o tonhão querendo me namorar no astral, risos.
Mas creio que me encontrei sim, sinto isso, e que algo foi feito.
O que?
Quem sabe, está guardado em algum lugar do meu subconsciente, nas memórias do cérebro do meu corpo astral.
Esse corpinho de carne gorducho aqui não lembra de nada…
E assim caminha a humanidade, com passos de Zumbi e quase sem consciência Emoticon smile

Comments 3

  1. REMEMORAÇÃO – Saulo, vi esses dias uma sequencia de vídeos da Nanci Trivellato do IAC – International Academy of Consciousness (http://goo.gl/Ny1Sl4; http://goo.gl/GxhjQJ; http://goo.gl/HDmWkR e http://goo.gl/QX08nj). Trata-se do “Curso: Estado Vibracional e OLVE”. Ela discorre bem sobre a prática da mobilização energética “cabeça-pé” (OLVE), independentemente do objetivo de alcançar o EV, logo após acordar. Uma das grandes vantagens seria essa, a rememoração dos eventos extrafísicos recém experienciados.

  2. Leio os teus relatos com satisfação, a linguagem tão simples quase que dá pra eu sentir como se estivesse fazendo parte. Isso tem me ajudado a esclarecer várias dúvidas. Obg. Abraço

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *